MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS E DOENÇAS DO ABACAXI ainfo. ?· manejo integrado de pragas e doenÇas do…

Download MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS E DOENÇAS DO ABACAXI ainfo. ?· manejo integrado de pragas e doenÇas do…

Post on 03-Dec-2018

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS E DOENAS DO ABACAXI

    Aloysia Cristina da Silva Noronha1, Aristteles Pires de Matos2, Nilton Fritzons Sanches2

    1Pesquisadora da Embrapa Amaznia Oriental, Caixa Postal 48, Tv. Dr. Enas Pinheiro s/n, Belm, Par, aloyseia.noronha@embrapa.br 2Pesquisadores da Embrapa Mandioca e Fruticultura, Caixa Postal 007, Rua Embrapa s/n, Cruz das Almas, Bahia, aristoteles.matos@embrapa.br, nilton.sanches@embrapa.br

    INTRODUO

    O manejo integrado de pragas e doenas constitui um plano de medidas voltadas

    para diminuir o uso de agrotxicos, buscando promover o equilbrio nas plantas e monitorar

    as pragas e doenas evitando, ao mximo, o uso desses produtos no sistema. A base do

    manejo integrado de pragas e doenas so os conhecimentos sobre taxonomia, biologia e

    ecologia que subsidiam a identificao das pragas e doenas chaves e dos inimigos

    naturais; o seu monitoramento com base nas informaes sobre seus nveis de controle e o

    manejo do agroecossistema, priorizando condies para o equilbrio das plantas; e o

    combate natural das pragas e doenas.

    O estabelecimento de um problema fitossanitrio na cultura est na dependncia da

    integrao de componentes: a) hospedeiro; b) presena de pragas e doenas; c) ambiente

    favorvel. Quando um ou mais desses componentes ocorrem desfavoravelmente, os

    problemas fitossanitrios no acontecem ou so em nveis insignificantes.

    Embora o Brasil seja um grande produtor e consumidor de abacaxi alguns problemas

    podem afetar a produo e contribuir para impedir a expanso da abacaxicultura, entre os

    quais os de ordem fitossanitria. O abacaxizeiro atacado por diversas pragas e doenas

    nas diferentes regies produtoras do mundo. Entre as pragas de ocorrncia na cultura, o

    principal problema a broca do fruto (Strymon megarus). Outras espcies presentes no

    cultivo de abacaxi so a broca do talo (Castnia invaria volitans), a cochonilha (Dysmicoccus

    brevipes), o caro alaranjado (Dolichotetranychus floridanus) e o percevejo do abacaxi

    (Thlastocoris laetus). Em relao s doenas, aquelas causadas por fungos ocorrem em

    maior intensidade em relao s causadas por bactrias e vrus. O principal problema a

    fusariose (Fusarium guttiforme), entretanto outras doenas so de ocorrncia na cultura

    como a podrido do olho (Phytophthora nicotianae var. parasitica), a mancha negra do fruto

    (Penicillium funiculosum e/ou Fusarium moniliforme), a podrido negra (Chalara paradoxa),

    a podrido aquosa do fruto (Erwinia ananas) e a murcha (Closterovirus/Badnavirus)

    associada cochonilha D. brevipes. A cultura tambm afetada por anomalias de causa

    abitica responsveis por perdas na produo e qualidade do abacaxi.

  • O ataque dessas pragas e doenas pode causar perdas significativas na produo

    de frutos, caso sua ocorrncia no seja constatada e medidas efetivas de controle no

    sejam implementadas. O monitoramento o primeiro passo para se praticar o manejo

    integrado que consiste em inspees peridicas na rea de plantio visando deteco de

    problemas fitossanitrios em estdio inicial. O monitoramento criterioso permitir a adoo

    de prticas fitossanitrias menos agressivas ao ambiente, mediante o uso racional de

    agrotxicos, reduzindo o impacto na entomofauna benfica, possibilitando a melhoria na

    qualidade dos frutos produzidos e a preservao ambiental.

    MONITORAMENTO DE PRAGAS E DOENAS

    O monitoramento consiste em inspees peridicas na rea de cultivo.

    Unidade da amostra: a parte da planta que dever ser observada para a deteco de

    determinada praga e doena.

    Frequncia de inspeo : o intervalo de tempo entre uma inspeo e outra, que pode ser

    determinado pela biologia da praga, poca do ano, perodo de incubao, dados climticos

    etc.

    Execuo da inspeo: No cultivo do abacaxi as inspees devem ser iniciadas a partir do

    segundo ms aps o plantio prosseguindo at a induo floral, exceto para a broca-do-fruto

    com as vistorias iniciadas no aparecimento da inflorescncia finalizando aps o fechamento

    das flores. A metodologia para o monitoramento na cultura do abacaxi consiste em percorrer

    o plantio em ziguezague e avaliar 50 plantas na linha em fileira simples ou 25 plantas

    seguidas em cada linha da fileira dupla, totalizando 50 plantas. Em reas de at cinco

    hectares a avaliao dever ser feita em dez pontos (50 plantas) totalizando 500 plantas.

    Acima de cinco hectares a avaliao dever ser feita em 20 pontos.

    Broca do fruto

    A broca do fruto (S. megarus) considerada uma das principais pragas da

    abacaxicultura. Alm do abacaxi pode atacar tambm outras espcies pertencentes

    famlia Bromeliaceae. Trata-se de uma borboleta pequena que durante o dia encontrada

    voando e ovipositando sobre as inflorescncias. Os ovos so postos em maior nmero nas

    partes superior e mediana da inflorescncia. A lagarta, aps a ecloso, ativa e alimenta-se

    inicialmente das partes externas da inflorescncia e em seguida, perfura-a em busca de

    alimento e de proteo. O ataque da broca do fruto ocorre, predominantemente, durante a

    fase de florescimento e formao do fruto (Figura 1).

    Os sintomas do ataque da broca so evidentes, na medida em que os tecidos so

    destrudos pela lagarta, com a exsudao de resina incolor e fluida nos frutos (entre os

    frutilhos), que podem apresentar deformaes, alteraes na colorao, sabor e cheiro

  • desagradveis, com perda do valor comercial. Eventualmente a praga pode atacar a coroa

    dos frutos e mudas do tipo filhote. Os danos causados pelo inseto podem variar, a depender

    da regio produtora e da poca de produo, podendo afetar mais de 90% dos frutos.

    Figura 1. A) Fruto danificado pela broca do fruto, B) ovo em inflorescncia, C) lagarta, D) adulto. (Fotos: Aloysia Noronha).

    Monitoramento: O monitoramento da broca deve ser feito com periodicidade semanal

    desde o aparecimento da inflorescncia at o fechamento das ltimas flores, visando

    deteco visual de posturas da borboleta. A amostragem feita em dez pontos de vinte

    plantas em plantios de at cinco hectares e 20 pontos de 20 plantas em plantios com mais

    de cinco hectares. A constatao de pelo menos um adulto ou duas inflorescncias com

    pelo menos uma postura requer a implementao do controle qumico mediante aplicaes

    de inseticidas registrados para esse fim.

    Manejo integrado: O manejo da praga consiste no emprego de determinadas prticas

    agrcolas proporcionando condies para o bom desenvolvimento da cultura, com base em

    conhecimentos biolgicos e ecolgicos do inseto. O manejo envolve os controles: qumico,

    cultural, mecnico e biolgico. Desse modo, a eliminao de inflorescncias atacadas para

    reduzir o potencial de infestao; a eliminao de restos de cultura nas proximidades de

    fragmentos de matas, nos limites de plantios, pode reduzir focos da praga; em pequenas

    reas de cultivo, a proteo das inflorescncias por meio de sacos de papel parafinado inibe

    o ataque da broca; podem ser utilizados inseticidas biolgicos base de Bacillus

    thuringiensis Berliner, na formulao 3,2 PM, na base de 600 g do produto comercial por

    hectare, com aplicao de 30 mL da soluo por inflorescncia. As pulverizaes devem

    iniciar com o aparecimento da inflorescncia at o fechamento das ltimas flores.

    A B C D

  • Broca do talo

    Figura 2. Adulto da broca do talo. (Foto: Nilton Sanches)

    Plantas atacadas apresentam folhas seccionadas na regio basal, com o olho morto

    e presena de resina misturada a dejetos na base das folhas.

    Manejo integrado: A integrao dos mtodos de controle corresponde medida mais

    eficaz no combate da broca do talo em abacaxizeiro, sendo os controles, cultural e

    mecnico os mais eficazes. Cultivos de bananeira e outras musceas devem ser evitados

    prximos ou consorciados com o abacaxi, pois podem favorecer a permanncia da broca do

    talo por mais tempo na rea. O controle mecnico a opo mais vivel. Por ocasio do

    monitoramento de pragas na rea de plantio, as plantas atacadas devem ser arrancadas e o

    caule cortado para a localizao e destruio da lagarta.

    Murcha associada cochonilha do abacaxi

    A cochonilha do abacaxi (D. brevipes) localiza-se nas razes e nas axilas das folhas e

    pode ser encontrada, tambm, nos frutos e rebentos. Atua como vetora da doena viral

    conhecida como murcha do abacaxi que pode levar a planta morte antes da frutificao ou

    impedir a frutificao normal. Com a infeco pelo vrus o crescimento das razes afetado,

    entretanto os primeiros sintomas foliares aparecem aps dois ou trs meses da infeco.

    Ocorre o avermelhamento das folhas com o enrolamento dos bordos para a face inferior

    (Figura 3). Com a evoluo da doena, as folhas perdem a turgescncia ocorrendo o

    secamento das pontas, que se dobram em direo ao solo. A planta definha podendo

    chegar morte.

    A associao simbitica de formigas doceiras com a cochonilha ocorre, por

    protocooperao, j que a cochonilha produz uma secreo aucarada da qual as formigas

    se alimentam, e em troca protegem as cochonilhas da ao de inimigos naturais. As

    formigas tambm realizam a disperso da praga ao transportarem as ninfas de uma planta

    outra.

    A broca do talo (C. invaria volitans)

    conhecida vulgarmente como: broca do olho,

    broca do caule, broca gigante ou lepidobroca. O

    adulto uma mariposa de hbito diurno (Figura

    2). As posturas so realizadas na base das

    folhas mais externas da planta. A lagarta aps a

    ecloso, penetra nas folhas em direo ao

    interior da roseta foliar iniciando a abertura de

    galerias e destruio dos tecidos.

  • Figura 3. A) Cochonilha Dysmicoccus brevipes, B) plantas de abacaxi com sintomas da murcha associada cochonilha do abacaxi. (Fotos: Aloysia Noronha)

    Monitoramento: O monitoramento da murcha deve ser realizado a partir do terceiro ms

    aps o plantio, com vistorias mensais. A amostragem feita em dez pontos de cinqenta

    plantas em reas de at cinco hectares, e em 20 pontos em reas com mais de cinco

    hectares.

    Manejo integrado: O controle da praga depende do emprego de vrias prticas culturais

    como a destruio dos restos culturais de maneira a eliminar possveis focos de infestao;

    a utilizao de mudas sadias ou com baixo ndice populacional da cochonilha; realizao da

    cura das mudas expondo-as ao sol, que auxilia na destruio das cochonilhas que se

    encontram nas folhas mais externas na base das mudas; e um bom preparo do solo, antes

    do plantio, ajuda a controlar as formigas com destruio dos ninhos j que a eliminao das

    mesmas resultar na reduo das colnias da praga.

    Na presena de cinco ou dez plantas (rea com at 05 ha ou acima de 05 ha) com

    sintomas da murcha durante o desenvolvimento vegetativo o controle qumico deve ser

    adotado. Consiste na aplicao de inseticida registrado para a cultura, aplicado de maneira

    localizada, de modo a cobrir uma rea de at 1,5 m de distncia das plantas infectadas.

    Em relao aos inimigos naturais, a eficincia reduzida em campo devido

    proteo realizada pelas formigas. O controle das formigas alm de reduzir a disperso da

    cochonilha permite a ao dos inimigos naturais.

    caro alaranjado

    O caro alaranjado do abacaxi (D. floridanus) encontrado na base das folhas, na

    poro aclorofilada, causando leses aparentemente superficiais, com reas necrosadas na

    base das folhas. Essas reas podem variar em tamanho, formato e nmero, sem registro de

    danos econmicos j que as leses no impedem a circulao de seiva no interior das

    A B

  • folhas. Podem ser vistos a olho n devido sua colorao alaranjada. A ocorrncia

    verificada principalmente em perodos secos e quentes. Em condies favorveis, pode

    ocorrer infestao do caro nas folhas da coroa do fruto (Figura 4).

    Figura 4. Leses na base de folhas da coroa do fruto de abacaxi causadas pelo caro alaranjado. (Fotos: Aloysia Noronha)

    Percevejo do abacaxi

    O percevejo do abacaxi (T. laetus) uma praga de distribuio restrita regio

    Amaznica. Adultos e ninfas atacam os frutos e o pednculo da infrutescncia (talo). O

    nvel de dano econmico encontra-se entre 12 e 15 ninfas e/ou adultos por planta. O manejo

    consiste no controle preventivo, com eliminao dos restos culturais; para o controle qumico

    (12 a 15 ninfas e/ou adultos por planta), os mesmos produtos utilizados para a broca do

    fruto controlam o percevejo.

    Fusariose

    A fusariose (F. guttiforme) considerada como a doena chave do abacaxizeiro,

    podendo causar perdas de at 80% na produo de furtos alm de infectar mudas. O fungo

    pode infectar todas as partes da planta. Os sintomas nos frutos caracterizam-se pela

    exsudao de resina a partir dos frutilhos infectados, podrido da polpa e perda do valor

    comercial dos mesmos. Nas mudas, assim como nas plantas, a leso se localiza no caule

    progredindo para a base da folha (Figura 5). A planta infectada pode apresentar os

    seguintes sintomas: abertura do olho da planta; curvatura do caule; reduo no

    desenvolvimento da planta; alterao na arquitetura da planta, com aparncia de funil ou

    taa; aumento no nmero de folhas por espiral, clorose e morte.

    Alm do envolvimento de artrpodos na disseminao do agente causal da fusariose,

    as condies ambientais desempenham papel importante na incidncia desta doena, a

  • qual favorecida pela ocorrncia de perodos chuvosos e frios durante o desenvolvimento

    da inflorescncia.

    Figura 5. Sintomas da fusariose em plantas. A) Reduo no comprimento das folhas mais novas, B) leso na base de folhas de mudas com exsudao de substncia gomosa. (Fotos: Aloysia Noronha)

    Monitoramento: O monitoramento da incidncia da doena realizado com frequncia

    mensal, com incio no terceiro ms aps o plantio e encerrando quando da induo floral. A

    amostragem feita em dez pontos de cinquenta plantas seguidas na mesma linha em

    plantios de at cinco hectares, e 20 pontos de 50 plantas em plantios com mais de cinco

    hectares. No plantio em fileiras duplas so avaliadas 25 plantas em cada fila dupla,

    totalizando as 50 plantas por amostra.

    Manejo integrado: O controle satisfatrio obtido com a integrao de prticas culturais e

    controle qumico. A primeira medida de controle consiste na eliminao de restos culturais,

    principalmente daqueles plantios onde a incidncia da doena foi elevada. A utilizao de

    material propagativo sadio componente de elevada importncia no manejo integrado da

    doena haja vista que promove a reduo no inculo inicial, alm da eliminao das plantas

    com sintomas da doena quando das inspees peridicas no plantio. O controle qumico

    recomendado havendo 1% de plantas infectadas no talho durante o desenvolvimento

    vegetativo, na fase de desenvolvimento da inflorescncia at o fechamento das mesmas.

    recomendvel alterao de fungicidas de grupos qumicos diferentes visando reduzir a

    possibilidade de desenvolvimento de resistncia do patgeno.

    Atualmente o uso de resistncia gentica tem se mostrado uma medida de elevado

    potencial no controle da doena, pois alm de eficiente, no agride o meio ambiente. Os

    abacaxis Imperial, Vitria e Ajub, gerados pelo programa de melhoramento gentico do

    abacaxizeiro na Embrapa Mandioca e Fruticultura, apresentam resistncia fusariose, alm

    B A

  • de outras caractersticas desejveis tais como frutos com elevado teor de slid...

Recommended

View more >