manejo de abelhas

Download Manejo de abelhas

Post on 09-Jan-2017

4.025 views

Category:

Science

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Cole

    o

    SENA

    R14

    1AB

    ELHA

    Api

    s mell

    ifera

    141 Coleo SENAR

    ABELHASApis melliferaInstalao do apirio

    SGAN Quadra 601, Mdulo KEd. Antnio Ernesto de Salvo - 1 andarBraslia-DF - CEP: 70830-903Fone: + 55 61 2109.1300 - Fax: + 55 61 2109.1325canaldoprodutor@cna.org.br / www.senar.org.br

    www.canaldoprodutor.com.br Acesse tambm o portal de educao distncia do SENAR:

    www.canaldoprodutor.com.br/eadsenar

  • Coleo SENAR

    TRABALHADOR NA APICULTURA

    141

    AbelhAsApis mellifera

    Instalao do apirio

  • IMPRESSO NO BRASIL

    2009, SENAR Servio Nacional de Aprendizagem Rural

    Coleo SENAR - 141

    AbElhAS Apis melliferaInstalao do apirio

    FOTOGRAFIAIvana leite borges

    IlUSTRAOAndr Tunes

    AGRADECIMENTOSEdiney de Oliveira Magalhes

    Centro Regional de Apicultura da Comisso Executiva do Plano da lavoura Cacaueira, rgo do Ministrio da Agricultura, Pecuria e Abastecimento

    por ceder suas instalaes e equipe tcnica.

    SENAR - Servio Nacional de Aprendizagem Rural.

    Abelhas Apis mellifera: instalao do apirio / Servio Nacional de Aprendiza-gem Rural. -- 2. ed. Braslia: SENAR, 2010.

    80 p. : il. ; 21 cm -- (Coleo SENAR; 141)

    ISBN 978-85-7664-048-6

    1. Abelhas criao. 2. Mel - produo. I. Ttulo. II. Srie.

    CDU 638.1

  • sumrioAPRESENTAO 5

    INTRODUO 7

    INSTAlAO DE APIRIO 8

    I - CONhECER AS AbElhAS 9

    II - CONhECER OS MATERIAIS bSICOS UTIlIzADOS NA APICUlTURA 19

    1 - Conhea a caixa padro langstroth 20

    2 - Conhea o fumigador 25

    3 - Conhea a indumentria 26

    4 - Conhea os principais acessrios utilizados na apicultura 27

    III - PREPARAR OS qUADROS DA CAIxA lANGSTROTh PARA O POvOAMENTO 29

    1 - Rena o material 30

    2 - limpe os quadros com a escova 30

    3 - Retire a cera acumulada nos quadros 31

    4 - Coloque o arame nos quadros 31

    5 - Incruste a cera alveolada no quadro aramado 32

    Iv - PREPARAR O FUMIGADOR 37

    1 - Rena o Material 38

    2 - Destampe o fumigador 38

    3 - Coloque um pouco de material carburante 39

    4 - Coloque o papel 39

    5 - Acenda o fumigador 40

    6 - Acione o fole 40

    7 - Complete a capacidade do fumigador 41

    8 - Tampe o fumigador 41

  • v - INSTAlAR O APIRIO 43

    1 - Conhea os tipos de apirio 44

    2 - Escolha o local 45

    3 - Instale o apirio 49

    vI - POvOAR AS CAIxAS 53

    1 - Compre colmeias povoadas 54

    2 - Capture enxames voadores com o uso de caixas iscas 54

    3 - Capture enxames alojados 61

    vII - DISTRIbUIR AS COlMEIAS NO APIRIO 69

    vIII - CAlCUlAR OS CUSTOS DE IMPlANTAO 73

    1 - Calcule o investimento inicial 74

    2 - Calcule o material de consumo 75

    3 - Calcule o custo da mo-de-obra 76

    Ix - CAlCUlAR OS RENDIMENTOS 77

    REFERNCIAS 79

  • Cole

    o

    | S

    ENAR

    5

    Apresentao Os produtores rurais brasileiros j mostraram sua competncia na produo de alimentos. Atingimos altos ndices de produtividade e o setor, hoje, representa um tero do Produto Interno bruto (PIb), emprega um tero da fora de trabalho e gera um tero das receitas das nossas exportaes.

    Certamente, os cursos de capacitao do SENAR (Servio Nacional de Aprendizagem Rural) contriburam para que chegssemos a resultados to satisfatrios. Milhares de produtores e trabalhadores rurais se valeram dos treinamentos promovidos pelo SENAR para obter melhor desempenho em suas atividades.

    Precisamos nos habilitar a aproveitar as necessidades do mercado e alcanar maior rentabilidade para o nosso negcio. Um dos instrumentos que utilizamos nestas aes de capacitao so cartilhas como essa, que compe a coleo SENAR. Trata-se de um recurso instrucional de grande importncia para a fixao de aprendizagem, que poder se tornar fonte permanente de consulta e referncia.

    Desde que foi criado, o SENAR vem reunindo experincias, mobilizando esforos e agregando novos valores que se fundem aos contedos disseminados nos cursos e treinamentos. Nossas cartilhas consolidam esse aprendizado e representam o compromisso da Instituio com a qualidade do servio educacional oferecido aos cidados do campo.

    levamos muito a srio a nossa misso de capacitar os produtores e trabalhadores rurais a serem cada vez mais eficientes. queremos que o campo se modernize, seja capaz de produzir mais e melhor, usando tecnologia adequada e gerenciando com competncia suas atividades. Participe desse esforo e aproveite, com habilidade e disposio, todos os contedos que o SENAR oferece, nesta produtiva cartilha.

    bom trabalho!

    Senadora Ktia AbreuPresidente da Confederao da Agricultura e Pecuria do brasil - CNA

    e do Conselho Deliberativo do SENAR

  • Cole

    o

    | S

    ENAR

    7

    IntroduoEsta cartilha o primeiro volume referente criao de abelhas do gnero Apis. Aborda, de maneira objetiva, os aspectos tcnicos da implantao de apirio dando nfase ao conhecimento da biologia das abelhas, escolha do local, conhecimentos dos materiais utilizados e formas de aquisio dos enxames. Apresenta tambm duas planilhas, uma para anotao de plantas apcolas de cada regio e outra para custos de implantao, que devero ser preenchidas pelo prprio apicultor.

  • Cole

    o

    | S

    ENAR

    8

    Instalao de apirioApicultura a atividade de criao de abelhas denominada Apis mellifera. Essas abelhas foram trazidas ao brasil da Europa, por imigrantes, e da frica, pelo prof. Warwick Estevan Kerr (1956). O resultado do cruzamento natural entre as abelhas europias e africanas, no brasil, conhecido como abelhas africanizadas.

    Sua criao tem a finalidade de produzir mel, plen apcola, prpolis, gelia real, cera, apitoxina (veneno das abelhas para uso medicinal) e, o mais im-portante, contribuir com o aumento da produo e produtividade agrcola por meio da polinizao.

    Os produtos das abelhas tm boa aceitao no mercado consumidor, pro-porcionando rendimentos econmicos compensadores, desde que sejam produzidos dentro de normas tecnicamente corretas.

  • Conhecer as abelhas i

    Em um enxame existem trs tipos de indivduos diferentes: rainha, zango e operria.

  • Cole

    o

    | S

    ENAR

    10

    Populao de um enxame

    1 rainha

    At 80.000 operrias

    0 - 400 zanges

    Funo de cada indivduo na colmeia:

    Rainha:

    a me de todos os indivduos da colnia. S existe uma rainha na colmeia que, para ser fecundada, realiza o voo nupcial. O fato acontece no incio da sua vida reprodutiva. Neste voo a rainha pode ser fecundada por vrios zanges.

  • Cole

    o

    | S

    ENAR

    11

    Cinco a seis dias aps a fecundao, inicia-se a postura, podendo a rainha pr at 3.000 ovos por dia, em condies de grande florada.

    A rainha pode viver at cinco anos, no entanto, nas condies tropicais brasileiras, sua vida til de aproximadamente dois anos.

    A rainha consegue manter as abelhas unidas dentro da colmeia por meio de um cheiro produzido por ela, o feromnio de agregao. Com o passar do tempo, a rainha envelhece diminuindo a postura e a produo de fero-mnio, fazendo com que as abelhas operrias a substitua.

    Na apicultura moderna, importante que o apicultor selecione as abelhas rainhas visando o aumento da produtividade.

    Operrias:

    As abelhas operrias so responsveis por todas as tarefas dentro e fora da colmeia. Suas atividades obedecem a uma escala de trabalho que nor-malmente est associada com a idade do indivduo e ao desenvolvimento de suas glndulas.

  • Cole

    o

    | S

    ENAR

    12

    Do 1 ao 3 dia de vida

    As abelhas so denominadas faxineiras. Elas tem a funo de limpar a col-meia, os depsitos de mel e as clulas de nascimento das abelhas oper-rias, rainhas e zanges.

    Do 4 ao 14 dia de vida

    Nessa idade, elas elaboram a gelia real e alimentam a rainha e as larvas (jovens), motivo pelo qual so batizadas de abelhas nutrizes.

  • Cole

    o

    | S

    ENAR

    13

    Do 14 ao 21 dia de vida

    So batizadas de abelhas engenheiras, por ser esse o perodo no qual elas se dedicam produo da cera e construo dos favos.

    Do 21 ao 38/42 dia de vida

    Aps os 21 dias de idade, as operrias do incio atividade de coleta de nctar no campo (fonte de acares), plen (fonte de protena, minerais, leos e vitaminas), resina e gua. Por isso so chamadas de campeiras.

  • Cole

    o

    | S

    ENAR

    14

    Zango

    So os indivduos machos da comunidade. No apresentam estrutura espe-cfica para o trabalho e sua funo na colmeia fecundar a rainha. Atingem a maturidade sexual aos 12 dias de vida e, aps fecundar a rainha, mor-rem, por perderem parte dos seus rgos sexuais, os quais ficam presos na genitlia da rainha.

    Ciclo de vida das abelhas

    Fases de Desenvolvimento

    IndividuoOvo(dias)

    Larva(dias)

    Pupa(dias)

    Nasce com:

    Rainha 3 5 7 15 dias

    Operaria 3 5 12 20 dias

    Zango 3 6,5 14,5 24 dias

  • Cole

    o

    | S

    ENAR

    15

    Morfologia Externa (O Corpo das Abelhas)

  • Cole

    o

    | S

    ENAR

    16

    Cabea: Nela esto inseridos os olhos compostos, ocelos, aparelho bucal e antenas. As abelhas enxergam quatro cores diferentes: amarelo, azul, verde azulado e ultravioleta.

    Trax: nele esto inseridos trs pares de patas (pernas) e dois pares de asas. As operrias possuem na parte posterior do ltimo par de patas uma cavidade chamada corbcula, na qual o plen transportado.

    Abdmen: dividido em segmentos e, na parte posterior, se encontra o ferro, utilizado em defesa da colmeia.

    Morfologia interna (O Co