loja de açaí -...

67
Como montar uma loja de açaí EMPREENDEDORISMO Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br

Upload: vutuyen

Post on 08-Nov-2018

233 views

Category:

Documents


1 download

TRANSCRIPT

Como montaruma loja de açaí

EMPREENDEDORISMO

Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br

Expediente

Presidente do Conselho Deliberativo

Robson Braga de Andrade – Presidente do CDN

Diretor-Presidente

Guilherme Afif Domingos

Diretora Técnica

Heloísa Regina Guimarães de Menezes

Diretor de Administração e Finanças

Vinícius Lages

Unidade de Capacitação Empresarial e Cultura Empreendedora

Mirela Malvestiti

Coordenação

Luciana Rodrigues Macedo

Autor

Lauri Tadeu Corrêa Martins

Projeto Gráfico

Staff Art Marketing e Comunicação Ltda.

www.staffart.com.br

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r /D

ivulg

ação / In

form

ações F

iscais e Trib

utárias / E

vento

s / En

tidad

es em G

eral / No

rmas T

écnicas /

TOKEN_HIDDEN_PAGE

Sumário

11. Apresentação ........................................................................................................................................

22. Mercado ................................................................................................................................................

53. Localização ...........................................................................................................................................

84. Exigências Legais e Específicas ...........................................................................................................

105. Estrutura ...............................................................................................................................................

116. Pessoal .................................................................................................................................................

137. Equipamentos .......................................................................................................................................

188. Matéria Prima/Mercadoria .....................................................................................................................

229. Organização do Processo Produtivo ....................................................................................................

2510. Automação ..........................................................................................................................................

2511. Canais de Distribuição ........................................................................................................................

2612. Investimento ........................................................................................................................................

2813. Capital de Giro ....................................................................................................................................

3014. Custos .................................................................................................................................................

3315. Diversificação/Agregação de Valor .....................................................................................................

3616. Divulgação ..........................................................................................................................................

3717. Informações Fiscais e Tributárias .......................................................................................................

3918. Eventos ...............................................................................................................................................

4119. Entidades em Geral ............................................................................................................................

4420. Normas Técnicas ................................................................................................................................

4721. Glossário .............................................................................................................................................

5222. Dicas de Negócio ................................................................................................................................

5423. Características ....................................................................................................................................

5724. Bibliografia ..........................................................................................................................................

5925. Fonte ...................................................................................................................................................

6026. Planejamento Financeiro ....................................................................................................................

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r /D

ivulg

ação / In

form

ações F

iscais e Trib

utárias / E

vento

s / En

tidad

es em G

eral / No

rmas T

écnicas /

Sumário

6027. Soluções Sebrae .................................................................................................................................

6028. Sites Úteis ...........................................................................................................................................

6329. URL .....................................................................................................................................................

Ap

resentação

/ Ap

resentação

1. Apresentação

A perspectiva é de crescimento para o negócio. O açaí na tigela foi adotado porpessoas que procuram alimentação natural, saudável e energética.

O negócio de loja de açaí está relacionado à alimentação saudável, qualidade de vidadas pessoas e praticidade da alimentação rápida. O açaí é uma frutinha roxa,semelhante à jabuticaba, retirada em cachos da palmeira conhecida como açaizeira. Énatural do Norte do Brasil, com grande incidência no estado do Pará, recebendo onome científico de “Euterpe Oleracea Mart”, pertencente à família “Arecaceae”. É umafonte rica em minerais como: ferro, cálcio, fósforo e algumas vitaminas. O extrato doaçaí também é utilizado na área de cosméticos e de estética, em razão da riqueza devitaminas que são antioxidantes naturais promovendo uma ação bio-protetora sobre apele e prevenindo o envelhecimento cutâneo. O açaí é um alimento muito importantena mesa dos habitantes da região norte do país e o seu consumo data dos tempos pré-colombianos.

Foi introduzido no mercado nacional durante a década de 1980. O uso e consumo dederivados da fruta originária da região norte do Brasil virou mania entre os praticantesde atividades físicas porque vale por uma refeição. Rica em minerais e vitaminas, étambém muito calórica e deve ser evitada pelos sedentários. É um ótimo repositor deperdas energéticas, por isso é mais indicado para consumo depois de atividadesfísicas. Antes de decidir aproveitar os valores nutritivos desta fruta escura de saborterroso, é bom saber que Açaí é calórico, logo engorda. Pessoas sedentárias, que nãopraticam atividades físicas com regularidade, correm o risco de ampliar a silhueta. Emesmo os desportistas precisam tomar certos cuidados. O açaí pode ser consumidona forma de bebidas, doces, geleias, sorvetes, barras, em pó, sucos entre outros.

A forma tradicional na região amazônica é tomar o açaí gelado com farinha demandioca ou tapioca, entretanto, há quem prefira fazer um pirão com farinha e comercom peixe assado ou camarão, e até mesmo, os que preferem o suco com açúcar. Nasdemais regiões do país o açaí é preparado a partir da polpa da fruta congelada, batidano liquidificador com xarope de guaraná, formando uma pasta parecida com sorvete,

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 1

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o

podendo adicionar frutas e cereais, sendo conhecido popularmente como açaí natigela. O Açaí na tigela é uma tradição que começou na praia, indo depois para asacademias e para as ruas. Começou com esportistas e acabou sendo consumida porpessoas preocupadas com a saúde, que procuram alimentação natural, saudável eenergética.

A exploração do açaí é de fundamental importância para as economias dos estados doPará, Maranhão, Amapá, Acre e Rondônia, especialmente para o primeiro e o terceiro,pois responde pela sustentação econômica das populações ribeirinhas. A importânciasocioeconômica do açaizeiro decorre, portanto, do seu enorme potencial deaproveitamento integral de matéria-prima. O principal aproveitamento é a extração doaçaí, mas as sementes (caroços) do açaizeiro são aproveitadas no artesanato e comoadubo orgânico. Por sua alta lucratividade, quiosque ou carrinho de açaí vêmconsolidando-se dentro e fora de centros comerciais. A comercialização da polpa doaçaí vem crescendo na Região Amazônica, no mercado nacional e até mesmo nointernacional, onde o produto passou a ocupar lugar de destaque entre osconsumidores de polpas de frutas.

Para lidar com esse cenário e obter mais informações sobre a viabilidade comercial doempreendimento, sugere-se a modelagem do negócio[1]. E posteriormente e aconstrução do plano de negócio, e para maiores informações procurar unidade doSebrae mais próximo.

2. Mercado

Estima-se que as atividades de extração, transporte, comercialização e industrializaçãode frutos e palmito de açaizeiro são responsáveis pela geração de 25 mil empregosdiretos e geram anualmente mais de R$ 40 milhões em receitas, fundamentalmentepara as economias nos estados de maior produção.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 2

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o

A partir de 1992, quando foi atingido o ápice das exportações de palmito, a produçãode frutos de açaizeiro experimentou crescimentos anuais significativos, em função doaumento da competitividade da coleta de frutos, motivado por melhorias nos preços, edo aumento da fiscalização, evitando a destruição maior dos açaizais.

A produção de frutos de açaizeiro no estado do Pará cresceu de 92.021 toneladas em1997, para 122.322 toneladas em 2002, com um aumento de quase 33%. Em 2003, aprodução foi de 160.000 toneladas. Com a expansão do consumo do açaí, osribeirinhos, nos últimos anos, têm diminuído a extração e venda de palmito para asindústrias processadoras e concentraram as suas atividades na coleta e venda defrutos, cuja valorização teve efeito econômico e ecológico positivo sobre a conservaçãode açaizais.

A partir da década 1990, com o aumento da pressão internacional para a preservaçãoda Amazônia, os produtos florestais não-madeireiros ganharam importância comoalternativa para evitar desmatamentos e queimadas. Essa exposição da Amazônia, namídia mundial, chamou a atenção para diversos frutos regionais, como o guaraná,cupuaçu, açaí, pupunha e o bacuri, entre os principais, que tiveram forte crescimentono mercado nacional e atraíram o interesse do mercado internacional.

O PRODEX – Programa de Apoio ao Desenvolvimento do Extrativismo, contribuiu, nosúltimos anos, para consolidar o manejo de açaizais nativos como a principal atividade.Os grandes interesses pela cultura e por esses recursos, fizeram com que a áreamanejada e de cultivo passasse de 9.223 hectares, em 1996, para 18.816 hectares,em 2002, tanto para produção de frutos como para extração de palmito, atendendomais de 5 mil produtores, dos quais 92,1% são do estado do Pará.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 3

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o

O forte crescimento do mercado de fruto de açaí tem sido o indutor dessa expansão. Aconcentração de açaizeiro no estuário amazônico, com a área estimada em 1 milhãode hectares, torna a espécie um componente da floresta nativa, formando maciços deaçaizais naturais. Em decorrência da facilidade de extração de seus frutos, a espéciepermite à indústria instalada na região o abastecimento seguro e fácil, com custo baixoda matéria-prima e do transporte. Ao mesmo tempo, possibilita o aproveitamentopermanente das áreas de várzea e igapó, exploradas, anualmente, com o cultivo doarroz e cana-de-açúcar, evitando, dessa maneira, o abandono dessas áreas e a suatransformação em capoeira desprovida de espécies valorizadas, fato bastante comumna agricultura itinerante regional.

O mercado regional é muito forte, por ser importante na alimentação diária daspopulações locais, pelos seus altos valores nutricionais e de unânime preferênciapopular por seu singular paladar. Em Belém é estimada a existência de mais de 3 milpontos de venda de açaí, comercializando diariamente 120 mil litros, atendendo,basicamente, as populações de baixa renda. No Pará, o consumo vem aumentando nodecorrer dos anos, como consequência do processo de congelamento utilizado peloconsumidor, que faz com que o produto seja consumido durante todo o ano.

A demanda pelo açaí fora da região norte também está em alta, com o produto tendoboas possibilidades de mercado, principalmente no Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília,Goiás e na Região Nordeste.

No Rio de Janeiro, o açaí é oferecido nas praias e se tornou muito popular entre osadeptos da "cultura da saúde" e entre os frequentadores de academias. A estimativa éque no Rio de Janeiro sejam consumidas 500 toneladas/mês, em São Paulo 150

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 4

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

toneladas/mês e nos outros estados em torno de 200 toneladas/mês.

Conforme estudo do Sebrae[3], segundo dados extraídos da Pesquisa de Produção daExtração Vegetal e da Silvicultura (Pevs), divulgada pelo IBGE em 2014, o açaí estavaentre os produtos que mais se destacaram pelo valor da produção em 2013, levando o2º lugar, com 25,6% da quantidade total produzida pela extração vegetal nãomadeireira no Brasil.

A região Norte do país concentra a maior parte da produção extrativista vegetal nãomadeireira. A produção da fruta açaí concentra-se majoritariamente no Pará,responsável por 54,9% da produção brasileira. Em segundo lugar, segue o estado doAmazonas, com 35,5%.

Esses dados permitem estimar um crescimento de consumo nas demais regiõesbrasileiras, onde o produto ainda não é muito difundido, mas tende a tornar-se popular,impulsionado pelas redes de franquias do setor.

3. Localização

A localização de uma loja de açaí é fator fundamental para o negócio e deve estaralinhada com a estratégia, de acordo com o perfil da clientela. Uma boa localização éaquela que favorece o acesso das pessoas, com o menor grau possível de dificuldade.Uma loja de açaí deverá estar instalada próximo ao local de residência do público-alvo,ou em locais de grande frequência de público como em Shopping ou outros locais degrande fluxo de pessoas, que favoreça o estacionamento de veículos e possua boascondições ambientais para uma permanência agradável da clientela.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 5

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

Como este mercado é considerado rentável tanto no verão quanto no inverno, montaruma loja de açaí atualmente está se tornando uma tendência dentro e fora de centroscomerciais.

A seguir, são apresentados alguns aspectos que devem ser avaliados num processode seleção do local de instalação da loja de açaí:

- Avaliar a movimentação de público jovem na região ou local.

- Observar se o local se caracteriza como pólo gerador de público.

- Segurança do local.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 6

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

- Espaço amplo que permita a colocação de mesas e cadeiras.

- Área para estacionamento.

- Legislação local.

As atividades econômicas da maioria das cidades são regulamentadas pelo PlanoDiretor Urbano (PDU). É essa Lei que determina o tipo de atividade que pode funcionarem determinado endereço.

A consulta de local junto à Prefeitura é o primeiro passo para avaliar a implantação daloja de açaí:

- Verificar a existência de infraestrutura geral: água, esgoto, energia elétrica, telefone,canais de banda larga, transporte público, segurança e outros benefícios.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 7

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas

A localização é um componente fundamental do composto mercadológico e podedefinir o sucesso ou fracasso do empreendimento, razão pela qual, merece atençãoespecial na sua definição.

4. Exigências Legais e Específicas

O empreendedor de uma loja de açaí deverá cumprir algumas exigências iniciais, esomente poderá se estabelecer depois de cumpridas, quais sejam:

- Junta Comercial.

- Secretaria da Receita Federal (CNPJ).

- Secretaria Estadual de Fazenda.

- Prefeitura Municipal, para obter o alvará de funcionamento.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 8

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas

- Enquadramento na Entidade Sindical Patronal em que a empresa se enquadra (éobrigatório o recolhimento da Contribuição Sindical Patronal por ocasião daconstituição da empresa e até o dia 31 de janeiro de cada ano).

- Caixa Econômica Federal, para cadastramento no sistema “Conectividade Social –INSS/FGTS”.

- Corpo de Bombeiros Militar.

As empresas que manipulam alimentos e bebidas devem adotar a regulamentação daANVISA. Para apoio detalhado o Sebrae local poderá ser consultado para orientação.

Antes de iniciar suas atividades comerciais o empreendedor deverá verificar anecessidade obtenção do alvará de funcionamento e de licença sanitária locais.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 9

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra

5. Estrutura

A estrutura de uma loja de açaí é bastante simples, composta basicamente por umaárea de atendimento, guarda de estoque, área de produção, além de um pequenoescritório para administração.

A área de atendimento é vital para o sucesso do empreendimento, por isso devemerecer um cuidado maior do empreendedor. A característica do local a ser instaladaa loja define o tipo de construção.

Se for loja de rua deve contar com acesso fácil e amplo. O local de pedido devepermitir o atendimento rápido das pessoas, sem filas ou outros dificultadores. Oespaço para as mesas deve ter amplitude suficiente para a quantidade de públicoestimada, com alguma possibilidade de ampliação futura. O local deve ser protegido deintempéries, mas deve ser arejado e claro.

Se for ambiente interno deve-se atentar para as cores, que não devem ser muitocarregadas e preferencialmente, devem contar com decoração temática.

A área de produção deve ser limpa e organizada, condizente com um negóciorelacionado com a saúde e bem-estar das pessoas. Os estoques podem ficar em áreaanexa ao espaço destinado à produção, porém, sem risco de contaminação.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 10

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal

O escritório da administração pode ser pequeno, bastando um espaço suficiente para arealização das atividades básicas de relacionamento com fornecedores, registros econtroles sobre o negócio.

Uma pequena loja de açaí necessita de uma área mínima de 30 m2. Quando estiversituada em centro comercial ou shopping, as mesas e cadeiras ficam localizadas noespaço do condomínio, porém, quando for loja de rua haverá necessidade de ambientepara mesas e cadeiras da própria loja.

6. Pessoal

A quantidade de profissionais está relacionada ao porte do empreendimento, para umaloja de açaí de pequeno porte pode-se começar com dois atendentes e um auxiliarpara a limpeza.

Os colaboradores devem ter as seguintes competências, que devem ser focadasdurante o processo de seleção e contratação:

- Atendentes: Esse profissional além de conhecer as características de cada produto,seus fatores nutricionais, forma de preparo, manejo, cuidados com higiene e limpeza,deve ter facilidade de comunicação, boa postura pessoal, ser capaz de dispensaratendimento de excelência ao cliente e gerar confiança para estabelecer o processo de

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 11

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal

venda.

- Auxiliares de limpeza: Devem saber manusear equipamentos, além de demonstrareminteresse e comprometimento com a qualidade dos serviços prestados, higiene elimpeza.

A apresentação pessoal dos empregados da loja também e fator vital nesse negócio,portanto, é necessário fornecer fardamento e dar atenção especial à limpeza, asseio ehigiene das pessoas e instalações. É necessário cuidado especial com o manejo dosalimentos e com a temperatura de conservação, para evitar prejuízos e garantir ofornecimento de produtos de qualidade ao cliente.

Investir constantemente no aperfeiçoamento dos colaboradores através de cursos,palestras, workshops que são oferecidos no mercado, ou em atividades dedesenvolvimento realizadas na própria empresa, deve ser preocupação permanente doempreendedor.

O empresário deverá participar de seminários, congressos e cursos direcionados aoseu ramo de negócio, para manter-se atualizado e sintonizado com as tendências dosetor.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 12

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

sDeve-se estar atento para a Convenção Coletiva do Sindicato dos Trabalhadores noComércio, utilizando-a como balizadora dos salários e orientadora das relaçõestrabalhistas, evitando, assim, consequências desagradáveis.

Por fim recomendamos conhecer a nova Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) quetraz mudanças que vão alterar o mundo do trabalho e a relação empregado-empregador.

O Sebrae mais próximo poderá ser consultado para aprofundar as orientações sobre operfil do pessoal e o treinamento adequado.

7. Equipamentos

Os equipamentos sugeridos para a montagem de uma loja de açaí, são os seguintes:

Mobiliário para a área administrativa:

- 4 Cadeiras

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 13

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s

- 1 Estante/armário

- 1- Impressora

- 1 Mesas

- 1 Microcomputador

- 2 Telefone

Equipamentos e tecnologia para a loja:

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 14

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s

- 2 Computadores.

- 2 Impressoras de cupom fiscal.

- 2 Gaveteiros para guardar numerário.

- 1 Balcão de atendimento.

- 2 Cadeiras.

- 1 Máquina de açaí expresso.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 15

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s

- 1 Balança eletrônica.

- 1 Balcão frigorífico.

- 1 Bancada de inox.

- 3 Estantes.

- 6 Fardamento.

- 3 Freezer.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 16

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s

- 1 Ilha para congelados.

- 1 Mesa de apoio.

- Utensílios para corte, limpeza e acondicionamento.

- 1 Veículo utilitário usado – a critério do empreendedor.

Assim, havendo possibilidade, o empreendedor deverá dotar sua empresa de todo oprocesso tecnológico disponível, principalmente no que se refere ao controle cadastralda clientela, organização das vendas planejadas dentre outras atividades do negócio.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 17

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria

8. Matéria Prima/Mercadoria

A gestão de estoques no varejo é a procura do constante equilíbrio entre a oferta e ademanda. Este equilíbrio deve ser sistematicamente aferido através de, entre outros,os seguintes três importantes indicadores de desempenho: Giro dos estoques: o girodos estoques é um indicador do número de vezes em que o capital investido emestoques é recuperado através das vendas.

Usualmente é medido em base anual e tem a característica de representar o queaconteceu no passado. Obs.: Quanto maior for a frequência de entregas dosfornecedores, logicamente em menores lotes, maior será o índice de giro dosestoques, também chamado de índice de rotação de estoques.

Cobertura dos estoques: o índice de cobertura dos estoques é a indicação do períodode tempo que o estoque, em determinado momento, consegue cobrir as vendasfuturas, sem que haja suprimento.

Nível de serviço ao cliente: o indicador de nível de serviço ao cliente para o ambientedo varejo de pronta entrega, isto é, aquele segmento de negócio em que o cliente querreceber a mercadoria, ou serviço, imediatamente após a escolha; demonstra o númerode oportunidades de venda que podem ter sido perdidas, pelo fato de não existir amercadoria em estoque ou não se poder executar o serviço com prontidão.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 18

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria

Portanto, o estoque dos produtos deve ser mínimo, visando gerar o menor impacto naalocação de capital de giro. O estoque mínimo deve ser calculado levando-se em contao número de dias entre o pedido de compra e a entrega dos produtos na sede daempresa.

A matéria prima utilizada numa loja de açaí é representada, basicamente, pelosdiversos itens utilizados no preparo dos alimentos derivados do açaí, tais como:

- frutas da época;

- chocolate em pó;

- polpa do açaí;

- leite em pó;

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 19

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria

- leite condensado;

- paçoca;

- iogurte natural;

- granola;

- flocos de milho (sucrilhos);

- calda de sorvete;

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 20

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria

- xarope de guaraná;

- granulado;

- ovomaltine;

- pó de guaraná;

- gotas de chocolate;

- farinha láctea.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 21

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

A mercadoria é composta dos itens colocados à venda: açaí na tigela, açaí no copo,suco de açaí, sorvetes, geleias e etc.

Para a definição dos produtos a serem oferecidos o empresário deverá pesquisar juntoa profissionais do ramo, ouvir potenciais clientes, observar a concorrência e decidir porum mix, que poderá sofrer ajustes e mudanças no decorrer da experiência daempresa. Pesquisas em revistas especializadas contribuem para essa decisão.

9. Organização do Processo Produtivo

Os processos produtivos de uma loja de açaí são constituídos de:

- Atendimento ao cliente – ocorre na loja de açaí, geralmente, no balcão instalado comcomputadores e impressoras de cupom fiscal, além de máquinas para cobrançaatravés de cartão de crédito e débito. Como esse tipo de loja enquadra-se na categoriade produção rápida, o cliente aguarda o atendimento expresso e dirige-se às mesaspara consumir o produto. O atendimento poderá ocorrer, também, nas mesas, masesse tipo de atendimento tornará o processo mais oneroso para o empresário, uma vezque requer garçons externos ao balcão. O modelo ideal é o atendimento aos pedidosnos caixas, com o pagamento e fornecimento no balcão, sendo que em alguns casosessa modalidade poderá requerer a instalação de máquinas controladoras de senhas.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 22

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

- Produção – ocorre em bancadas, na retaguarda dos balcões, podendo ser protegidopor paredes ou não, dependendo de decisão do empreendedor. As pessoas dedicadasa essas funções deverão possuir conhecimento e experiência na área. Os produtosoferecidos devem ser produzidos dentro de padrões rígidos de higiene e limpeza.Devem ser elaborados através de receitas testadas e aprovadas, seguindo padrão dequalidade, surpreendendo a clientela e gerando satisfação capaz de trazer o cliente devolta à loja, por muitas vezes. Alguns kits deverão estar previamente preparados paraagilizar o atendimento. Estabelecer um bom cardápio para a loja de açaí é umaatividade fundamental para a consolidação do empreendimento. Para isso é importantepadronizar um cardápio, escolher as combinações de outros adicionais, como: granola,sucrilhos, leite em pó, leite condensado, paçoca, farinha láctea, granulado, gotas dechocolate, iogurte natural, chocolate em pó, entre outros. Pode-se incluir tambémpicadinhos das seguintes frutas: morango, banana, pêssego e abacaxi.

Compra de produtos – é responsável pela pesquisa de fornecedores quecomercializam por atacado os itens que serão colocados à venda. É fundamentalrealizar periodicamente pesquisa de interesses do cliente para disponibilizar osprodutos mais procurados pela clientela. De acordo com algumas pesquisas, o açaísofre restrições, por conta da alta perecibilidade do seu vinho, que não resiste portempo superior a 72 horas, mesmo em ambiente refrigerado. Mesmo sendo uma frutatropical, o açaí torna-se escasso no mercado durante a entressafra. O empreendedordeve adquirir produtos de boa qualidade e para isso é necessário prestar atenção nasseguintes questões:

- O rótulo principal da polpa de açaí deve conter, de forma legível e visível, emdimensão gráfica não inferior àquela da denominação do produto, a classificaçãoabaixo:

a) Açaí grosso ou especial (tipo A) – é a polpa adicionada de água e filtrada,apresentando acima de 14% de sólidos solúveis totais e uma aparência muito densa.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 23

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

b) Açaí médio ou regular (tipo B) – é a polpa adicionada de água e filtrada,apresentando entre 11% e 14% de sólidos totais e uma aparência densa.

c) Açaí fino ou popular (tipo C) – é a polpa adicionada de água e filtrada, apresentandode 8% a 11% de sólidos totais e uma aparência pouco densa. - O prazo de validade doproduto congelado é de 12 meses, contado a partir da data de produção.

- Administração – destina-se às atividades de relacionamento com fornecedores,controle de contas a pagar, atividades de recursos humanos, controle financeiro e decontas bancárias, acompanhamento do desempenho do negócio e outras que oempreendedor julgar necessárias para o bom andamento do empreendimento.

- Estoque – Será necessário manter um nível de estoque para garantir o fornecimentode produtos na loja. O empreendedor deverá tomar cuidado para não manter níveisexagerados de estoque. O açaí é um produto suscetível a temperatura ambiente, o querepresenta o maior problema à comercialização. Nas indústrias de sorvetes da regiãonorte é comum submeter o açaí concentrado à temperatura de 40ºC negativos,preservando grande parte de suas propriedades.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 24

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição

10. Automação

Há no mercado uma boa oferta de sistemas para gerenciamento de pequenosnegócios. Para uma produtividade adequada, recomendamos a aquisição de sistemasque integrem as compras, as vendas e o financeiro. Os softwares possibilitam ocadastro de clientes e fornecedores, histórico de serviços prestados a cada cliente,controle de estoque de material, equipamentos, serviço de mala-direta para clientes epotenciais clientes, cadastro de móveis e equipamentos, gerenciamento de serviçosdos empregados, controle de comissionamento, controle de contas a pagar e areceber, fornecedores, folha de pagamento, fluxo de caixa, fechamento de caixa etc.

Sugerimos procurar softwares de custo acessível e compatível com uma pequenaempresa. Pesquisas nos principais sites de busca indicarão uma grande variedade desoftwares destinados à gestão integrada dos diversos setores de uma MPE.

O empresário poderá optar por download de sistemas sem custo, com custo mensal,com valor fixo, podendo incluir custo de assistência técnica e customização.

11. Canais de Distribuição

O principal canal de distribuição é a própria loja de açaí. Sendo assim o designer daloja é fundamental para que se tenham um ambiente agradável e atraente para oconsumidor.

Por fim, a definição de ponto comercial que tenha grande fluxo de pessoas (público

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 25

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to

alvo) é fator de sucesso para as vendas do negócio.

12. Investimento

Investimento compreende todo o capital empregado para iniciar e viabilizar o negócioaté o momento de sua auto sustentação. Pode ser caracterizado como:

- Investimento fixo – compreende o capital empregado na compra de imóveis,equipamentos, móveis, utensílios, instalações, reformas etc.

- Investimentos pré-operacionais – são todos os gastos ou despesas realizadas comprojetos, pesquisas de mercado, registro da empresa, projeto de decoração,honorários profissionais e outros.

- Capital de giro – é o capital necessário para suportar todos os gastos e despesasiniciais, geradas pela atividade produtiva da empresa. Destina-se a viabilizar ascompras iniciais, pagamento de salários nos primeiros meses de funcionamento,impostos, taxas, honorários de contador, despesas de manutenção e outros.

Para uma atividade de loja de açaí de pequeno porte o empreendedor deverá disporde aproximadamente dos seguintes itens de investimento:

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 26

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to

- Mobiliário para a área administrativa.

- Reforma e/ou adaptação de instalações.

- Equipamentos e tecnologia.

- Despesas de registro da empresa, honorários profissionais, taxas etc.

- Capital de giro para suportar o negócio nos primeiros meses de atividade.

Para uma informação mais detalhada sobre o investimento inicial, sugere-se que o

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 27

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

empreendedor utilize o modelo de plano de negócio do Sebrae.

13. Capital de Giro

Capital de giro é o montante de recursos financeiros que a empresa precisa manterpara garantir fluidez dos ciclos de caixa. O capital de giro funciona com uma quantiaimobilizada no caixa (inclusive banco) da empresa para suportar as oscilações decaixa.

O capital de giro é regulado pelos prazos praticados pela empresa, são eles: prazosmédios recebidos de fornecedores (PMF); prazos médios de estocagem (PME) eprazos médios concedidos a clientes (PMCC). Quanto maior o prazo concedido aosclientes e quanto maior o prazo de estocagem, maior será sua necessidade de capitalde giro.

Portanto, manter estoques mínimos regulados e saber o limite de prazo a conceder aocliente pode melhorar muito a necessidade de imobilização de dinheiro em caixa. Se oprazo médio recebido dos fornecedores de matéria-prima, mão-de-obra, aluguel,impostos e outros forem maiores que os prazos médios de estocagem somada aoprazo médio concedido ao cliente para pagamento dos produtos, a necessidade decapital de giro será positiva, ou seja, é necessária a manutenção de dinheiro disponívelpara suportar as oscilações de caixa. Neste caso um aumento de vendas implicatambém em um aumento de encaixe em capital de giro.

Para tanto, o lucro apurado da empresa deve ser ao menos parcialmente reservadopara complementar esta necessidade do caixa. Se ocorrer o contrário, ou seja, osprazos recebidos dos fornecedores forem maiores que os prazos médios de

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 28

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

estocagem e os prazos concedidos aos clientes para pagamento, a necessidade decapital de giro é negativa. Neste caso, deve-se atentar para quanto do dinheirodisponível em caixa é necessário para honrar compromissos de pagamentos futuros(fornecedores, impostos).

Portanto, retiradas e imobilizações excessivas poderão fazer com que a empresavenha a ter problemas com seus pagamentos futuros. Um fluxo de caixa[18], comprevisão de saldos futuros de caixa deve ser implantado na empresa para a gestãocompetente da necessidade de capital de giro. Só assim as variações nas vendas enos prazos praticados no mercado poderão ser geridas com precisão.

O desafio da gestão do capital de giro está, principalmente, na ocorrência dos fatores aseguir:

- Variação dos diversos custos absorvidos pela empresa.

- Aumento de despesas financeiras, em decorrência das instabilidades do mercado.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 29

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos

- Perdas no estoque de produtos.

- Queda no volume de vendas.

No caso de uma loja de açaí o empresário deve reservar em torno de 25% do total doinvestimento inicial para o capital de giro.

Por fim, recomendamos conhecer os conteúdos do Sebrae na temática de capital degiro.

14. Custos

São todos os gastos realizados na produção de um bem ou serviço e que serãoincorporados posteriormente ao preço dos produtos ou serviços prestados, como:aluguel, água, luz, salários, honorários profissionais, despesas de vendas e insumosconsumidos no processo de estoque e comercialização. O cuidado na administração eredução de todos os custos envolvidos na compra, produção e venda de produtos ouserviços que compõem o negócio, indica que o empreendedor poderá ter sucesso ouinsucesso, na medida em que encarar como ponto fundamental a redução dedesperdícios, a compra pelo melhor preço e o controle de todas as despesas internas.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 30

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos

Quanto menores os custos, maior a chance de ganhar no resultado final do negócio.

Abaixo estão descritos os principais itens que compõem os custos fixos mensaistípicos de uma loja de açaí.

1. aluguel.

2. água, luz, telefone, internet.

3. salários, comissões e encargos.

4. taxas, contribuições e despesas afins.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 31

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos

5. transporte.

6. refeições.

7. seguros.

8. assessoria contábil.

9. segurança.

10. limpeza, higiene e manutenção.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 32

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r

11. combustível e manutenção de veículo.

Por fim, recomendamos conhecer os conteúdos do Sebrae na temática de custos.

15. Diversificação/Agregação de Valor

O empreendedor deve ter em mente que agregar valor significa ampliar a satisfação docliente, seja por serviços auxiliares que facilitam a vida das pessoas, ou pela qualidadedo atendimento, demonstrando valorização a cada indivíduo, pelo respeito, atenção,interesse, compromisso e responsabilidade que cada profissional dispensa nodesempenho das suas atividades.

Uma das formas de diversificação é através da oferta de outros produtos agregados àloja de açaí, tais como:

- Frozen – O consumo de Frozen Yogurt já é consolidado nos Estados Unidos eEuropa a bastante tempo, e recentemente chegou ao Brasil. Esse produto é excelentepara que as pessoas que desejam manter a forma, mas sem abrir mão de umasobremesa saborosa. Pois a sua formulação pode ter até 70% menos calorias que umsorvete normal.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 33

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r

- Smoothies – são saborosas misturas de sucos de frutas, iogurtes, sorvetes e demaisoutros ingredientes. O ideal é que todos os ingredientes sejam gelados ou atécongelados, pois precisa ter uma consistência mais cremosa, semelhante de um milk-shake.

- Sanduíches naturais.

- Sucos naturais.

- Shakes, entre outros.

É importante pesquisar junto aos concorrentes para conhecer os serviços que estãosendo adicionados e desenvolver opções específicas com o objetivo de proporcionarao cliente um produto diferenciado. Além disso, conversar com os clientes atuais paraidentificar suas expectativas é muito importante para o desenvolvimento de novosserviços ou produtos personalizados, o que amplia as possibilidades de fidelizar osatuais clientes, além de cativar novos.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 34

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r

O empreendedor deve manter-se sempre atualizado com as novas tendências, novastécnicas, novos equipamentos e produtos, através da leitura de colunas de jornais erevistas especializados, programas de televisão ou através da Internet.

De acordo com o site TrendHunter, de maio de 2017, uma tendência que veio pra ficare se aplica neste negócio é o uso de produtos orgânicos na fabricação de açaís esucos. Usar frutas, verduras e legumes orgânicos são um diferencial que temconquistado os clientes. A empresa deve divulgar o uso de produtos orgânicos, bemcomo fortalecer esta imagem do negócio. Parcerias com produtores locais para ofornecimento dos produtos de fazendas familiares orgânicas também vai de encontro atendência de negócio social.

Ouvir os clientes e detectar suas aspirações e expectativas é muito importante paraorientar a oferta de novos serviços.

Atendimentos personalizados, em horários especiais ou em locais alternativos, quefacilitem a vida do cliente e ofereçam comodidade podem agregar valor e fazerdiferença, ampliando as possibilidades de captar novos clientes e manter os atuais.

Sustentabilidade:

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 35

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r /D

ivulg

ação

Cientistas, pesquisadores, profissionais liberais e membros de organizações nãogovernamentais se unem, ao redor do planeta, para discutir e levantar sugestões quepossam trazer a solução definitiva ou, pelo menos, encontrar um ponto de equilíbrioque desacelere a destruição que experimentamos nos dias atuais.

Em paralelo ações governamentais, todos os cidadãos devem ser constantementeinstruídos e chamados à razão para os perigos ocultos nas intervenções maisinocentes que realizam no meio ambiente a sua volta; e para a adoção de práticas quegarantam a sustentabilidade[20] de todos os seus atos e ações.

O mais importante é educar e fazer com que o cidadão comum entenda que tudo o queele faz ou fará; gerará um impacto no meio ambiente que o cerca. E que só compráticas e ações que visem a sustentabilidade [21]dessas práticas; estará garantindouma vida melhor e mais satisfatória, para ela mesma, e para as gerações futuras.

16. Divulgação

Os meios para divulgação de loja de açaí variam de acordo com o porte e o público-alvo escolhido.

Para um empreendimento de pequeno porte, pode ser usada a distribuição depequenos informativos junto aos clientes que procuram à empresa, divulgando aspropriedades nutritivas dos itens produzidos.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 36

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r /D

ivulg

ação / In

form

ações F

iscais e Trib

utárias

Outras alternativas são os anúncios em jornais de bairro, revistas locais e propagandaem rádio. A divulgação através de site e redes sociais deve ser considerada, pois oacesso de pessoas à internet é uma realidade.

Na medida do interesse e das possibilidades, poderão ser utilizados anúncios emjornais de grande circulação, revistas e outdoor. Se for de interesse do empreendedor,um profissional de marketing e comunicação poderá ser contratado para desenvolvercampanha específica.

17. Informações Fiscais e Tributárias

O segmento de LOJA DE AÇAÍ, assim entendido pela CNAE/IBGE (ClassificaçãoNacional de Atividades Econômicas) 5611-2/03 como a atividade de serviço dealimentação para consumo no local, com venda ou não de bebidas, emestabelecimentos que não oferecem serviço completo, poderá optar pelo SIMPLESNacional - Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuiçõesdevidos pelas ME (Microempresas) e EPP (Empresas de Pequeno Porte), instituídopela Lei Complementar nº 123/2006, desde que a receita bruta anual de sua atividadenão ultrapasse a R$ 360.000,00 (trezentos e sessenta mil reais) para micro empresa,R$ 3.600.000,00 (três milhões e seiscentos mil reais) para empresa de pequeno portee respeitando os demais requisitos previstos na Lei.

Nesse regime, o empreendedor poderá recolher os seguintes tributos e contribuições,por meio de apenas um documento fiscal – o DAS (Documento de Arrecadação doSimples Nacional), que é gerado no Portal do SIMPLES Nacional (http://www8.receita.fazenda.gov.br/SimplesNacional/):

• IRPJ (imposto de renda da pessoa jurídica);

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 37

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r /D

ivulg

ação / In

form

ações F

iscais e Trib

utárias

• CSLL (contribuição social sobre o lucro);• PIS (programa de integração social);• COFINS (contribuição para o financiamento da seguridade social);• ICMS (imposto sobre circulação de mercadorias e serviços);• INSS (contribuição para a Seguridade Social relativa a parte patronal).

Conforme a Lei Complementar nº 123/2006, as alíquotas do SIMPLES Nacional, paraesse ramo de atividade, variam de 4% a 11,61% dependendo da receita bruta auferidapelo negócio. No caso de início de atividade no próprio ano-calendário da opção peloSIMPLES Nacional, para efeito de determinação da alíquota no primeiro mês deatividade, os valores de receita bruta acumulada devem ser proporcionais ao númerode meses de atividade no período.

Se o Estado em que o empreendedor estiver exercendo a atividade concederbenefícios tributários para o ICMS (desde que a atividade seja tributada por esseimposto), a alíquota poderá ser reduzida conforme o caso. Na esfera Federal poderáocorrer redução quando se tratar de PIS e/ou COFINS.

Se a receita bruta anual não ultrapassar a R$ 60.000,00 (sessenta mil reais), oempreendedor, desde que não possua e não seja sócio de outra empresa, poderáoptar pelo regime denominado de MEI (Microempreendedor Individual) . Para seenquadrar no MEI o CNAE de sua atividade deve constar e ser tributado conforme atabela da Resolução CGSN nº 94/2011 - Anexo XIII(http://www.receita.fazenda.gov.br/legislacao/resolucao/2011/CGSN/Resol94.htm ).Neste caso, os recolhimentos dos tributos e contribuições serão efetuados em valoresfixos mensais conforme abaixo:

I) Sem empregado• 5% do salário mínimo vigente - a título de contribuição previdenciária doempreendedor;• R$ 1,00 mensais de ICMS – Imposto sobre Circulação de Mercadorias.

II) Com um empregado: (o MEI poderá ter um empregado, desde que o salário seja deum salário mínimo ou piso da categoria)

O empreendedor recolherá mensalmente, além dos valores acima, os seguintes

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 38

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r /D

ivulg

ação / In

form

ações F

iscais e Trib

utárias / E

vento

s

• Retém do empregado 8% de INSS sobre a remuneração;• Desembolsa 3% de INSS patronal sobre a remuneração do empregado.

Havendo receita excedente ao limite permitido superior a 20% o MEI terá seuempreendimento incluído no sistema SIMPLES NACIONAL.

Para este segmento, tanto ME, EPP ou MEI, a opção pelo SIMPLES Nacional sempreserá muito vantajosa sob o aspecto tributário, bem como nas facilidades de abertura doestabelecimento e para cumprimento das obrigações acessórias.

Fundamentos Legais: Leis Complementares 123/2006 (com as alterações das LeisComplementares nºs 127/2007, 128/2008 e 139/2011) e Resolução CGSN - ComitêGestor do Simples Nacional nº 94/2011.

18. Eventos

Para o segmento de loja de açaí, recomendamos os seguintes eventos de negócios:

- Feira Internacional de Produtos e Serviços para Gastronomia, Hotelaria e Turismo –Fistur Evento anual

www.fistur.com.br

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 39

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r /D

ivulg

ação / In

form

ações F

iscais e Trib

utárias / E

vento

s

- Feira Internacional de Produtos e Serviços para Alimentação Fora do Lar – FispalFood Service

www.fispalfoodservice.com.br

- Feira Internacional de Alimentação Saudável, Produtos Naturais e Saúde – NaturalTech Evento anual

www.naturaltech.com.br

- Feira de Equipamentos, Produtos e Serviços para Alimentação Fora do Lar – EquiparEvento anual

www.abraseljf.com.br

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 40

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r /D

ivulg

ação / In

form

ações F

iscais e Trib

utárias / E

vento

s / En

tidad

es em G

eral

- Feira Internacional da Vida Saudável – Expolife

www.cipanet.com.br

- Congresso Internacional de Food Service

www.abia.org.br

Para acesso a demais de feiras de negócio, recomendamos acessar a União Brasileirados Promotores de Feiras – UBRAFE[25]. E também o Calendário Brasileiro deExposições e Feiras do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços – MDIC.

19. Entidades em Geral

Relação de entidades para eventuais:

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 41

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r /D

ivulg

ação / In

form

ações F

iscais e Trib

utárias / E

vento

s / En

tidad

es em G

eral

Associação Brasileira da Indústria da Alimentação - ABIA

Av. Brigadeiro Faria Lima, 1478, 11º andar – São Paulo-SP CEP 01451-001 (11) 3030-1353

www.abia.org.br

Instituto de Tecnologia de Alimentos – ITAL

Av. Brasil, 2880, Jardim Brasil – Campinas-SP Caixa Postal 139 CEP 13073-001 (19)3743-1700

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 42

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r /D

ivulg

ação / In

form

ações F

iscais e Trib

utárias / E

vento

s / En

tidad

es em G

eral

www.ital.sp.gov.br

Ministério da Saúde

www.saude.gov.br

Agencia Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA

www.anvisa.gov.br

Procurar na localidade Associação Brasileira de Bares e Restaurantes - Abrasel

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 43

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r /D

ivulg

ação / In

form

ações F

iscais e Trib

utárias / E

vento

s / En

tidad

es em G

eral / No

rmas T

écnicas

www.abrasel.com.br

Pesquisa na internet indicará fornecedores de equipamentos e produtos para loja deaçaí, que poderão estar localizados mais próximos ao local de instalação do negócio.

20. Normas Técnicas

Norma técnica é um documento, estabelecido por consenso e aprovado por umorganismo reconhecido que fornece para um uso comum e repetitivo regras, diretrizesou características para atividades ou seus resultados, visando a obtenção de um grauótimo de ordenação em um dado contexto. (ABNT NBR ISO/IEC Guia 2).

Participam da elaboração de uma norma técnica a sociedade, em geral, representadapor: fabricantes, consumidores e organismos neutros (governo, instituto de pesquisa,universidade e pessoa física).

Toda norma técnica é publicada exclusivamente pela ABNT – Associação Brasileira deNormas Técnicas, por ser o foro único de normalização do País.

1. Normas específicas para uma Loja de Açaí:

ABNT NBR 15635:2015 - Serviços de alimentação — Requisitos de boas práticashigiênico-sanitárias e controles operacionais essenciais

Esta Norma especifica os requisitos de boas práticas e dos controles operacionaisessenciais a serem seguidos por estabelecimentos que desejam comprovar edocumentar que produzem alimentos em condições higiênico-sanitárias adequadaspara o consumo.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 44

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r /D

ivulg

ação / In

form

ações F

iscais e Trib

utárias / E

vento

s / En

tidad

es em G

eral / No

rmas T

écnicas

ABNT NBR ISO 22000:2006 Versão Corrigida:2006 - Sistemas de gestão dasegurança de alimentos - Requisitos para qualquer organização na cadeia produtiva dealimentos

Esta Norma especifica requisitos para o sistema de gestão da segurança de alimentos,onde uma organização na cadeia produtiva de alimentos precisa demonstrar suahabilidade em controlar os perigos, a fim de garantir que o alimento está seguro nomomento do consumo humano.

ABNT ISO/TS 22004:2006 - Sistemas de gestão da segurança de alimentos - Guia deaplicação da ABNTNBR ISO 22000:2006

Esta Especificação Técnica fornece orientações genéricas que podem ser aplicadas nautilização da ABNT NBR ISO 22000.

2. Normas aplicáveis para uma Loja de Açaí:

ABNT NBR 15842:2010 - Qualidade de serviço para pequeno comércio – Requisitosgerais

Esta Norma estabelece os requisitos de qualidade para as atividades de venda eserviços adicionais nos estabelecimentos de pequeno comércio, que permitamsatisfazer as expectativas do cliente.

ABNT NBR 12693:2013 – Sistemas de proteção por extintores de incêndioEsta Norma estabelece os requisitos exigíveis para projeto, seleção e instalação deextintores de incêndio portáteis e sobre rodas, em edificações e áreas de risco, paracombate a princípio de incêndio.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 45

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r /D

ivulg

ação / In

form

ações F

iscais e Trib

utárias / E

vento

s / En

tidad

es em G

eral / No

rmas T

écnicas

ABNT NBR 5410:2004 Versão Corrigida: 2008 - Instalações elétricas de baixa tensão

Esta Norma estabelece as condições a que devem satisfazer as instalações elétricasde baixa tensão, a fim de garantir a segurança de pessoas e animais, o funcionamentoadequado da instalação e a conservação dos bens.

ABNT NBR ISO IEC 8995-1:2013 - Iluminação de ambientes de trabalho - Parte 1:Interior

Esta Norma especifica os requisitos de iluminação para locais de trabalho internos e osrequisitos para que as pessoas desempenhem tarefas visuais de maneira eficiente,com conforto e segurança durante todo o período de trabalho.

ABNT NBR IEC 60839-1-1:2010 - Sistemas de alarme - Parte 1: Requisitos gerais -Seção 1: Geral

Esta Norma especifica os requisitos gerais para o projeto, instalação, comissionamento(controle após instalação), operação, ensaio de manutenção e registros de sistemas dealarme manual e automático empregados para a proteção de pessoas, de propriedadee do ambiente.

ABNT NBR 5419-1:2015 - Proteção contra descargas atmosféricas -Parte 1: Princípiosgerais

Esta Parte da ABNT NBR 5419 estabelece os requisitos para a determinação deproteção contra descargas atmosféricas.

ABNT NBR 5419-2:2015 - Proteção contra descargas atmosféricas - Parte 2:Gerenciamento de risco

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 46

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r /D

ivulg

ação / In

form

ações F

iscais e Trib

utárias / E

vento

s / En

tidad

es em G

eral / No

rmas T

écnicas /

Esta Parte da ABNT NBR 5419 estabelece os requisitos para análise de risco em umaestrutura devido às descargas atmosféricas para a terra.

ABNT NBR 5419-3:2015 - Proteção contra descargas atmosféricas - Parte 3: Danosfísicos a estruturas e perigos à vida

Esta Parte da ABNT NBR 5419 estabelece os requisitos para proteção de umaestrutura contra danos físicos por meio de um SPDA - Sistema de Proteção contraDescargas Atmosféricas - e para proteção de seres vivos contra lesões causadaspelas tensões de toque e passo nas vizinhanças de um SPDA.

ABNT NBR 5419-4:2015 - Proteção contra descargas atmosféricas - Parte 4: Sistemaselétricos e eletrônicos internos na estrutura

Esta Parte da ABNT NBR 5419 fornece informações para o projeto, instalação,inspeção, manutenção e ensaio de sistemas de proteção elétricos e eletrônicos(Medidas de Proteção contra Surtos - MPS) para reduzir o risco de danos permanentesinternos à estrutura devido aos impulsos eletromagnéticos de descargas atmosféricas(LEMP).

ABNT NBR 9050:2015 - Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços eequipamentos urbanos

Esta Norma estabelece critérios e parâmetros técnicos a serem observados quanto aoprojeto, construção, instalação e adaptação do meio urbano e rural, e de edificações àscondições de acessibilidade.

21. Glossário

•Açaí: Fruto do açaizeiro, palmeira nativa da Amazônia, da qual também se extrai opalmito. Seu suco é grosso e cremoso, de cor arroxeada, quase preta. É aindaconsumido na sobremesa, adoçado com açúcar e misturado com farinha de tapioca.Com ele também pode ser feito um delicioso sorvete ou refresco. Seu sabor é muito

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 47

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r /D

ivulg

ação / In

form

ações F

iscais e Trib

utárias / E

vento

s / En

tidad

es em G

eral / No

rmas T

écnicas /

característico. (Nome científico: Euterpe Oleracea Mart).

Açaizal Nativo: Conjunto de plantas desta palmeira que vegetam em seu habitatnatural formando adensamentos populacionais de várias densidades.

Acondicionamento: Embalagem em recipientes adequados para a preservação dasboas qualidades dos frutos ou sementes.

Aerênquima: Parênquima (tecido vegetal constituído por células de membranas finas enão-lignificadas, que têm função de armazenar produtos de reserva para a planta),com grandes espaços intercelulares aeríferos. Possuem aerênquima bem visívelmuitas plantas aquáticas submersas ou as palustres que desenvolvem alguns de seusórgãos em meio pobre em oxigênio.

Antocianinas: Pigmentos naturais de natureza glicosídica, pertencentes à família dosflavonóides, são as responsáveis pela cor do açaí. Nos animais têm a funçãoantioxidante e asseguram melhor circulação sanguínea e protegem o organismo contrao acúmulo de placas de gorduras, que podem levar a arteriosclerose nos humanos.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 48

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r /D

ivulg

ação / In

form

ações F

iscais e Trib

utárias / E

vento

s / En

tidad

es em G

eral / No

rmas T

écnicas /

Batelada: Quantidade de matéria-prima utilizada num ciclo de processamento.

Bolores: Denominação vulgar aos fungos que proliferam sobre a matéria úmidasusceptível à fermentação.

Branqueamento: Tratamento térmico aplicado em frutas e hortaliças, com objetivo deretirar ar dos tecidos, inativar enzimas, facilitar a limpeza e, no caso de frutos doaçaizeiro, o despolpamento.

Desidratado por atomização: Desidratação em equipamento conhecido como "spraydryer".

Despolpamento: Remoção da polpa ou mesocarpo do fruto do açaizeiro.

Endocarpo: Parte interna do fruto que, no caso do fruto do açaizeiro, corresponde àsemente.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 49

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r /D

ivulg

ação / In

form

ações F

iscais e Trib

utárias / E

vento

s / En

tidad

es em G

eral / No

rmas T

écnicas /

Epicarpo: Parte externa dos frutos que corresponde, no caso de frutos do açaizeiro, àcasca.

Fitossanitário: Corresponde ao aspecto sanitário de um vegetal relativo à ocorrência deinsetos-pragas e doenças.

Fitoterápicos: Produtos extraídos de plantas que se prestam para o tratamento dedoenças dos animais e do homem.

Leveduras: São fungos responsáveis pela fermentação, como a que ocorre nos frutosdo açaizeiro.

Mesocarpo ou polpa: Parte interna comestível do fruto do açaizeiro, situada entre oepicarpo e o endocarpo.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 50

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r /D

ivulg

ação / In

form

ações F

iscais e Trib

utárias / E

vento

s / En

tidad

es em G

eral / No

rmas T

écnicas /

Mix: Formulações em que o açaí é comercializado em mistura com xarope de guaraná,banana e outras frutas frescas, secas ou cristalizadas.

Perecibilidade: Está associada à fermentação do açaí, seja em prateleira ou sobrefrigeração.

Polifenoloxidase: Enzima que pode estar associada à degradação ou fermentação doaçaí.

Propriedades organolépticas: Referem-se aos alimentos que estão em condiçõesadequadas para serem ingeridos.

Qualidade sensorial: Conjunto de características relativas ao uso dos órgãos dossentidos que diferencia um produto. Importante na determinação do grau de aceitaçãodo produto pelo consumidor.

Refino: Submeter o produto obtido pelo processamento a tratamentos que melhorem a

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 51

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r /D

ivulg

ação / In

form

ações F

iscais e Trib

utárias / E

vento

s / En

tidad

es em G

eral / No

rmas T

écnicas /

sua qualidade microbiológica (ex. pasteurização).

Tecido endospermático: Tecido que forma o endosperma ou albume, que envolve oembrião de algumas sementes.

Termoresistentes: Refere-se às enzimas que são capazes de sobreviver a tratamentostérmicos elevados, com perdas de suas atividades, mas sem inativação total. Têmcomo característica a capacidade de regeneração ao encontrar as condições térmicasfavoráveis ao seu crescimento.

Valor calórico: Corresponde ao valor total de energia (kcal) fornecido pelosmacronutrientes (carboidratos, lipídios e proteínas) que constituem o alimento.

22. Dicas de Negócio

É importante, para se tornar mais competitivo, dimensionar o conjunto de serviços queserão agregados:

- Avaliar o custo-benefício desses serviços é vital para a sobrevivência do negócio,porque pode representar um elevado custo sem geração do mesmo volume dereceitas.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 52

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r /D

ivulg

ação / In

form

ações F

iscais e Trib

utárias / E

vento

s / En

tidad

es em G

eral / No

rmas T

écnicas /

- Investir na qualidade global de atendimento ao cliente, ou seja: qualidade do serviço,ambiente agradável, profissionais atenciosos, respeitosos e interessados pelo cliente,além de comodidades adicionais com respeito a estacionamento.

- Procurar fidelizar a clientela com ações de pós-venda, como: remessa de cartões deaniversário, comunicação de novos serviços e novos produtos ofertados.

- Fazer uso intensivo de redes sociais para comunicação junto a clientela.

- A presença do proprietário em tempo integral é fundamental para o sucesso doempreendimento.

- O empreendedor deve ser criativo e ousado validando conceitos de comunicaçãoinovadores, de forma que consiga manter o empreendimento em evidência no mercadoe diante dos consumidores atuais e potenciais.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 53

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r /D

ivulg

ação / In

form

ações F

iscais e Trib

utárias / E

vento

s / En

tidad

es em G

eral / No

rmas T

écnicas /

- Manter-se atento para os altos riscos da perecibilidade dos produtos ofertados, o quepode gerar problemas à saúde dos clientes e prejuízos ao empresário.

23. Características

É aconselhável uma autoanálise para verificar qual a situação do futuro empreendedorfrente a esse conjunto de características e comportamentos empreendedor [29]eidentificar oportunidades de desenvolvimento.

A seguir, algumas características desejáveis ao empresário desse ramo.

- Ter paixão pela atividade e conhecer bem o ramo de negócio.

- Pesquisar e observar permanentemente o mercado onde está instalado, promovendoajustes e adaptações no negócio.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 54

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r /D

ivulg

ação / In

form

ações F

iscais e Trib

utárias / E

vento

s / En

tidad

es em G

eral / No

rmas T

écnicas /

- Ter atitude e iniciativa para promover as mudanças necessárias.

- Acompanhar o desempenho dos concorrentes.

- Saber administrar todas as áreas internas da empresa.

- Saber negociar, vender benefícios e manter clientes satisfeitos.

- Ter visão clara de onde quer chegar.

- Planejar e acompanhar o desempenho da empresa.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 55

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r /D

ivulg

ação / In

form

ações F

iscais e Trib

utárias / E

vento

s / En

tidad

es em G

eral / No

rmas T

écnicas /

- Ser persistente e não desistir dos seus objetivos.

- Manter o foco definido para a atividade empresarial.

- Ter coragem para assumir riscos calculados.

- Estar sempre disposto a inovar e promover mudanças.

- Ter grande capacidade para perceber novas oportunidades e agir rapidamente paraaproveitá-las.

- Ter habilidade para liderar a equipe de profissionais da loja de açaí.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 56

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r /D

ivulg

ação / In

form

ações F

iscais e Trib

utárias / E

vento

s / En

tidad

es em G

eral / No

rmas T

écnicas /

24. Bibliografia

AIUB, George Wilson et al. Plano de Negócios: serviços. 2. ed. Porto Alegre: SEBRAE,2000.

ANDRADE, Patrícia Carlos de. Oriente-se: guia de profissões e mercado de trabalho.Rio de Janeiro: Ed. Oriente-se, 2000.

BARBOSA, Mônica de Barros; LIMA, Carlos Eduardo de. A Cartilha do PontoComercial: Como escolher o lugar certo para o sucesso do seu negócio. São Paulo:Clio Editora, 2004.

BIRLEY, Sue; MUZYKA, Daniel F. Dominando os Desafios do Empreendedor. SãoPaulo: Pearson/Prentice Hall, 2004.

COSTA, Nelson Pereira. Marketing para Empreendedores: um guia para montar emanter um negócio. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2003.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 57

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r /D

ivulg

ação / In

form

ações F

iscais e Trib

utárias / E

vento

s / En

tidad

es em G

eral / No

rmas T

écnicas /

DAUD, Miguel; RABELLO, Walter. Marketing de Varejo: Como incrementar resultadoscom a prestação de Serviços. São Paulo: Artmed Editora, 2006.

DOLABELA, Fernando. O Segredo de Luisa. 14. ed. São Paulo: Cultura EditoresAssociados, 1999. EDITORA ABRIL.

O Açaí na trilha do kiwi – Revista Veja. Disponível em:http://veja.abril.com.br/110407/p_102.shtml.. Acesso em 02 de março de 2011.

EMBRAPA. Sistema de Produção do Açaí. Disponível em:http://sistemasdeproducao.cnptia.embrapa.br/FontesHTML/Acai/SistemaProducaoAcai_ 2ed/index.htm . Acesso em 01 de março de 2011.

FECOMERCIÁRIOS, Federação dos Trabalhadores no Comércio de São Paulo.Convenção Coletiva 2010-2011. Disponível emhttp://www.fecesp.org.br/imagens/CCT_Sincopecas2010-2011.pdf . Acesso em 18 demarço de 2011.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 58

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r /D

ivulg

ação / In

form

ações F

iscais e Trib

utárias / E

vento

s / En

tidad

es em G

eral / No

rmas T

écnicas /

KOTLER, Philip. Administração de Marketing: a edição do novo milênio. 10. ed. SãoPaulo: Prentice Hall, 2000.

MIXER BRASIL. Como montar uma loja de Açaí. Disponível em:http://www.mixersbrasil.com.br/como-montar-uma-loja-de-sucesso-segmento-acai-veja-algumas-dicas/ . Acesso em 01 de março de 2011.

PARENTE, Juracy. Varejo no Brasil. São Paulo: Ed Atlas, 2000.

RATTO, LUIZ. Comercio – Um Mundo de Negócios. Rio de Janeiro: Ed. SENACNacional, 2004.

SILVA, José Pereira. Análise Financeira das Empresas. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

25. Fonte

Não há informações disponíveis para este campo.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 59

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r /D

ivulg

ação / In

form

ações F

iscais e Trib

utárias / E

vento

s / En

tidad

es em G

eral / No

rmas T

écnicas /

26. Planejamento Financeiro

Não há informações disponíveis para este campo.

27. Soluções Sebrae

Não há informações disponíveis para este campo.

28. Sites Úteis

Referência: SEBRAE. Canvas Sebrae. 2017. DisponÃ-vel em: . Acesso em: 25 nov.2017.

? Ir para: 2,0 2,1 Referência: SEBRAE. Plano de Negócios. 2017. DisponÃ- vel em: .Acesso em: 25 nov. 2017.

Ir para cima ? Referência: SEBRAE. Estudo sobre açaí-. 2017. DisponÃ- vel em: .Acesso em: 25 nov. 2017.

Ir para cima ? Referência: SEBRAE. Conteúdo sobre localização do negocio. 2017.DisponÃ-vel em: . Acesso em: 25 nov. 2017.

Ir para cima ? Referência: SEBRAE. Boas práticas para serviços de alimentação. 2017.DisponÃ-vel em: . Acesso em: 25 nov. 2017.

Ir para cima ? Referência: SEBRAE. Novas Leis Trabalhistas. 2017. DisponÃ-vel em: .Acesso em: 25 nov. 2017.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 60

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r /D

ivulg

ação / In

form

ações F

iscais e Trib

utárias / E

vento

s / En

tidad

es em G

eral / No

rmas T

écnicas /

Ir para cima ? Referência: SEBRAE. Gestão de Estoques. 2017. DisponÃ- vel em: .Acesso em: 25 nov. 2017.

Ir para cima ? Referência: SEBRAE. Estudos e pesquisas de mercado. 2017.DisponÃ-vel em: . Acesso em: 25 nov. 2017.

Ir para cima ? Referência: SEBRAE. Instrumentos eletrônicos de pagamento. 2017.DisponÃ-vel em: . Acesso em: 27 nov. 2017.

Ir para cima ? Referência: SEBRAE. Produtividade e competitividade. 2017.DisponÃ-vel em: . Acesso em: 27 nov. 2017.

Ir para cima ? Referência: SEBRAE. Boas praticas manuseio de alimentos. 2017.DisponÃ-vel em: . Acesso em: 27 nov. 2017.

Ir para cima ? Referência: SEBRAE. Controle financeiro. 2017. DisponÃ- vel em: .Acesso em: 27 nov. 2017.

Ir para cima ? Referência: SEBRAE. Gestão de estoque. 2017. DisponÃ-vel em: .Acesso em: 27 nov. 2017.

Ir para cima ? Referência: SEBRAE. Planejamento e gestão de vendas. 2017.DisponÃ-vel em: . Acesso em: 27 nov. 2017.

Ir para cima ? Referência: SEBRAE. Design no comercio. 2017. DisponÃ- vel em: .Acesso em: 27 nov. 2017.

Ir para cima ? Referência: SEBRAE. Definição de ponto comercial. 2017. DisponÃ-velem: . Acesso em: 27 nov. 2017.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 61

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r /D

ivulg

ação / In

form

ações F

iscais e Trib

utárias / E

vento

s / En

tidad

es em G

eral / No

rmas T

écnicas /

? Ir para: 17,0 17,1 Referência: SEBRAE. Capital de giro. 2017. DisponÃ- vel em: .Acesso em: 27 nov. 2017.

Ir para cima ? Referência: SEBRAE. Conteúdo sobre fluxo de caixa. 2017. DisponÃ-velem: . Acesso em: 27 nov. 2017.

Ir para cima ? Referência: SEBRAE. Conteúdo sobre custos. 2017. DisponÃ- vel em: .Acesso em: 27 nov. 2017.

Ir para cima ? Referência: SEBRAE. Sustentabilidade alimentação fora do lar. 2017.DisponÃ-vel em: . Acesso em: 27 nov. 2017.

Ir para cima ? Referência: SEBRAE. Conteúdo sobre sustentabilidade. 2017.DisponÃ-vel em: . Acesso em: 27 nov. 2017.

Ir para cima ? Referência: SEBRAE. Dicas para divulgar o seu negocio. 2017.DisponÃ-vel em: . Acesso em: 27 nov. 2017.

Ir para cima ? Referência: Receita Federal do Brasil. Resolução CGSN - Comitê Gestordo Simples Nacional. 2017. DisponÃ-vel em: . Acesso em: 27 nov. 2017.

Ir para cima ? Referência: Governo Federal. Portal do empreendedor. 2017.DisponÃ-vel em: . Acesso em: 27 nov. 2017.

Ir para cima ? Referência: UBRAFE. Calendário de feiras de negócios. 2017.DisponÃ-vel em: . Acesso em: 27 nov. 2017.

Ir para cima ? Referência: MDIC. Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras. 2017.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 62

Ap

resentação

/ Ap

resentação

/ Mercad

o / L

ocalização

/ Exig

ências L

egais e E

specíficas / E

strutu

ra /P

essoal / E

qu

ipam

ento

s / Matéria P

rima/M

ercado

ria / Org

anização

do

Pro

cesso P

rod

utivo

/ Au

tom

ação /

Can

ais de D

istribu

ição / In

vestimen

to / C

apital d

e Giro

/ Cu

stos / D

iversificação/A

greg

ação d

e Valo

r /D

ivulg

ação / In

form

ações F

iscais e Trib

utárias / E

vento

s / En

tidad

es em G

eral / No

rmas T

écnicas /

DisponÃ-vel em: . Acesso em: 27 nov. 2017.

Ir para cima ? Referência: SEBRAE. Cerficação no mercado de alimentos. 2017.DisponÃ-vel em: . Acesso em: 27 nov. 2017.

Ir para cima ? Referência: SEBRAE. Empreenda com o facebook. 2017. DisponÃ-velem: . Acesso em: 27 nov. 2017.

Ir para cima ? Referência: SEBRAE. Característica e comportamento empreendedor.2017. DisponÃ-vel em: . Acesso em: 27 nov. 2017.

29. URL

http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/ideias/Como-montar-uma-loja-de-a%C3%A7a%C3%AD

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 63