log_stica de armazenagem

Click here to load reader

Post on 11-Aug-2015

63 views

Category:

Documents

27 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

LOGSTICA DE ARMAZENAGEM a atividade que compreende o planejamento, coordenao, controle e desenvolvimento das operaes destinadas a abrigar, manter adequadamente estocado e em condies de uso, bem como expedir no momento oportuno os materiais necessrios empresa.

Objetivos da Armazenagem:Maximizar o uso dos espaos; Facilitar o acesso aos itens do Depsito; Proteger e abrigar os materiais; Facilitar a movimentao interna do Depsito; Maximizar a utilizao de mo - de - obra e equipamentos.

IMPORTNCIA:

ARMAZENAGEM

Absorve atrasos ou problemas com qualidade no fornecimento;

Absorve lote mnimo de fornecimento;Estoque de segurana; Absorve efeitos da sazonalidade; Evita perdas devidas a especulao conjuntural; Absorve estoque excedente de processo; Estoque de componentes para diminuir lead time; Garante o abastecimento, absorvendo flutuaes e problemas de processos ou qualidade de produtos.

LOGSTICA DE ARMAZENAGEMVANTAGENS

Diminui os Custos com Transportes; Aproxima a empresa de seus clientes e fornecedores; Agiliza o processo de entrega; Compensa defasagens de produo.DESVANTAGENS

Imobilizao de capital; Envelhecimento das mercadorias; Aumento dos Custos com movimentao; Necessidade de mais controles e gerenciamento;

Operaes de Armazns O almoxarifado (ou armazm, ou depsito) executa a movimentao e o transporte interno de cargas Os sistemas para armazenagem responsveis pelas

operaes de almoxarifado exercem influncia sobre os custos de operao, qualidade dos produtos, ritmo de trabalho, acidentes de trabalho, desgaste de equipamentos e quantidade de problemas administrativos

Lay-Out de ArmaznsObjetivos do Lay-Out do Armazm Aplicaes

REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS DOS ASSUNTOS A SEGUIR:

*

Bibliografia indicada na primeira aula * Marco Antonio Oliveira Neves (Consultoria e Treinamento em Logstica Ltda) * Artigos * Internet * Revistas

Objetivos do Lay-Out do Armazm

Assegurar a utilizao mxima do espao Propiciar a mais eficiente movimentao de materiais Propiciar a estocagem mais econmica, em relao s despesas de equipamento, espao e mo-de-obra Permitir flexibilidade mxima necessidades de mudana movimentao para satisfazer de estocagem as e

Fazer do armazm um modelo de boa organizao Garantir a segurana do pessoal e dos ativos operacionais Minimizar riscos de avarias e perdas nos materiais

Metodologia para a Projeo do LayOut de um ArmazmConsiste em 5 passos:

Definir a localizao de todos os obstculos (sadas de emergncia, hidrantes, colunas de apoio, etc) Localizar as reas de recebimento e expedio Localizar as reas primrias e secundrias de estocagem e de separao de pedidos (picking)

Definir os sistemas de localizao do estoqueAvaliar as alternativas de lay-out do armazm

Fluxo em UFluxos em forma de U so os mais utilizados. Nesse caso os produtos entram pelo recebimento, passam pela estocagem nos fundos do depsito e ento dirigem-se expedio que est localizada adjacente ao recebimento do mesmo lado do prdio.

SEPARAO

ESTOCAGEM EM PORTA PLETES

MONTAGEM DO PEDIDO EXPEDIO

ESTOCAGEM DE ALTA DENSIDADE (BLOCADOS)

RECEBIMENTO

Fluxo em UFluxos em forma de U trazem grandes vantagens em relao a outros tipos de projeto:

excelente utilizao de recursos da doca (equipamentos, funcionrios, etc) devido ao fato de que os processo de recebimento e expedio podem compartilhar as portas das docas. facilitao de cross-docking, pois as docas de recebimento e expedio so adjacentes umas s outras. otimizao de empilhadeiras pois as viagens de estocagem e retirada so facilmente combinadas e as localizaes de estocagem mais perto das docas so as localizaes naturais dos itens de maior giro.

Fluxo em IOperaes com o fluxo atravessando o CD se prestam a operaes que so somente instalaes de cross-docking ou operaes nas quais os perodos de pico de recebimento e expedio coincidem.EXPEDIOREA DE PR-EMBARQUE

REA DE MONTAGEM

REA DE ESPERA TEMPORRIA

INSPEO DE RECEBIMENTO RECEBIMENTO

Fluxo ModularOperaes com o fluxo modular so apropriadas para operaes em larga escala nas quais os processos individuais so to grandes que eles so dignos de reas dedicadas, especialmente projetadas.

Estocagem

Seleo de Pedidos

Recebimento

Expedio

Fluxo em LImposto pelo desenho do prdio.

Estocagem

Expedio

Recebimento

Verticalizao dos EstoquesTipos de Estruturas de Verticalizao dos Estoques Aplicao Critrio de Escolha Dimensionamento Preos Relao de Fornecedores

Estrutura Porta-Pletes Convencional

Consideraes Iniciais

A principal prioridade dos operadores reduzir o tempo de ciclo dos pedidos e no economizar espao. As solues que permitem economizar espao no permitem economia de tempo. Em funo disso, a estocagem em densidade impopular nos dias de hoje. alta

Entretanto, em itens de baixssimo movimento o espao economizado mais importante do que a economia de tempo.

Empilhamento no Prprio Piso (Blocagem)

o mtodo mais bsico de estocagem. A estocagem realizada sem o uso de estanterias, caambas ou outros recursos de estocagem. A altura do empilhamento limitada pelo peso e pela rigidez das cargas. Este sistema apenas permite o empilhamento de cargas planas e iguais; alm disso, desejvel que as cargas sejam estveis. Vantagem: no h necessidade de investimento do capital, exceto no piso e no prdio. Desvantagem: no h um acesso individual a cada item. H desperdcio de tempo na localizao do item e um grande risco de danos ao estoque e ao pessoal.

Estrutura Porta-Pletes Convencional Permite a verticalizao do espao til de forma seletiva, possibilitando o acesso direto a todos os itens armazenados com o mnimo de operaes da empilhadeira. Vantagem: possibilita a localizao e a movimentao de qualquer plete, adapta-se a grande nmero e tipo de produtos; compatvel com a maioria dos tipos de equipamentos de movimentao, protege a mercadoria contra a compresso e outros danos

Desvantagem: a densidade de carga obtida (pletes/unidade de rea) muito menor que a de outros sistemas, exige lay-out bem definido e pouco sujeito a mudanas, no p direito superior a 8 metros necessrio utilizar equipamentos especiais.

Dica para o Dimensionamento Estrutura Porta-Pletes Convencional2800 mm por conjunto10 cm 10 cm 10 cm

Coluna

5 a 10 cm

Coluna 5 a 10 cm 1200 mm 1200 mm

Estruturas Tipo Drive-In e DriveThrough um sistema constitudo por um bloco contnuo de estruturas no separadas por corredores intermedirios.

A empilhadeiras movimentam-se dentro da prpria estrutura, ao longo de ruas, pois no h vigas bloqueando o acesso do equipamento para guardar ou retirar cargas. No sistema Drive-Through a operao com a empilhadeira realizada dos dois lados da extremidade da estrutura.As estruturas Drive-In e Drive-Through so usadas, preferencialmente, em casos onde se tem um grande volume de materiais e poucas variedades de itens, no perecveis e de pouca seletividade.

Estruturas Tipo Drive-In e DriveThrough Vantagens: alta densidade de estocagem a inexistncia de superposio direta de cargas evita o esmagamento acidental e o risco de quedas das pilhas

Desvantagens: para se alcanar o plete do meio preciso movimentar primeiro os que esto na frente; no sistema Drive-In s possvel a prtica do sistema UEPS (ltimo que Entra, Primeiro que Sai).

Estruturas Porta-Pletes Dinmicas

Este sistema indicado nos casos de estocagem e movimentao de materiais com grande rotatividade, dentro do princpio PEPS" (Primeiro que Entra, Primeiro que Sai). Corredores de acesso somente sero necessrios nas duas faces de operao, para carga e descarga dos pallets. Pelo fato de vrios tneis (pistas) serem montados lado a lado, o espao disponvel para armazenagem utilizado de forma otimizada. O fluxo de pletes automtico, movimentando-se sobre pistas de rolos ou de trilhos de roletes, por ao da gravidade, sem necessidade de empilhadeiras e operadores. O mesmo mantm-se numa velocidade constante, pois so usados, em toda extenso das pistas, reguladores de velocidade. A inclinao das pistas determinada, no projeto, em funo das caractersticas do pallet mais sua carga.

Estruturas Porta-Pletes Dinmicas

Vantagens: PEPS realizado automaticamente

velocidade da operaoalta densidade

Desvantagens:

Custo

Sistema Push-BackPerfeito para at 4 pletes na profundidade, o Push Back funciona como variante do Sistema Dinmico, usando-se os mesmos componentes mas com o Princpio UEPS (ltimo que Entra, Primeiro que Sai) e apenas um corredor para colocao e retirada do plete. O plete colocado no trilho empurrado pelo plete seguinte aclive acima, e assim at o ltimo plete. Na retirada deste ltimo plete todos os demais, por gravidade, descem uma posio.

Sistema Auto-PortanteNeste sistema so as prprias colunas das estruturas de armazenagem que suportam todos os esforos prprios do edifcio, seja nas laterais ou na cobertura. Em funo disso, a estrutura tem que ser estudada especialmente para que possa receber diretamente as paredes exteriores. utilizado para alturas acima de 20m.

Sistema CantileverSistema que facilita a estocagem de peas compridas ou volumosas e irregulares. Caracteriza-se por no possuir colunas nas extremidades dos conjuntos, tendo apenas uma coluna central onde so fixados os braos que serviro de apoio s peas ou aos planos.

Sistema Cantilever

Caixas e Minicontenedores

As caixas podem ser de metal, plstico, ou madeira. So utilizadas na estocagem e movimentao de peas e componentes soltos. As caixas podem ser empilhadas, usadas em estantes sobre prateleiras ou em caambas. Em geral, o peso da carga limitado a 30 kg Vantagens: um sistema altamente verstil para