logística aula 7

Download Logística Aula 7

Post on 24-Sep-2015

216 views

Category:

Documents

3 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • O Sistema de Transporte

  • O TRANSPORTE

    1. Representa o elemento mais importante do custo logstico;

    2. Tem papel fundamental na prestao do Servio ao Cliente

  • O transporte no processo logstico

    1. Usa 60% das despesas logsticas;

    2. Pode variar entre 4% e 25% do faturamento bruto, e em

    muitos casos supera o lucro operacional;

    3. Buscar solues imediatas que satisfaam o cliente.

  • MODALIDADE

    (UM MEIO DE TRANSPORTE)

    MULTIMODALIDADE

    (UTILIZAO INTEGRADA DE MODAIS)

    INTERMODALIDADE

    (UTILIZAO INTEGRADA DA CADEIA DE

    TRANSPORTE)

    OPERADORES LOGSTICOS

    (FORNECEDOR DE SERVIOS INTEGRADOS)

  • preciso Planejar ter viso sistmica do sistema de transporte.

    preciso Conhecer os fluxos nas diversas ligaes da rede; o nvel de servio atual; o nvel do servio desejado; as

    caractersticas (parmetros) da carga; os tipos de equipamento

    disponveis e suas caractersticas (a capacidade, o fabricante).

    preciso Foco no Cliente para que se tenha um nvel de servio desejvel, assim satisfazendo-o totalmente.

  • Para escolher uma modalidade de transporte deve se

    analisar os seguintes itens:

    Custos do servio

    Tempo mdio de entrega e a sua variabilidade

    Perdas e danos

    Tempo em trnsito

    Fornecimento de informao situacional

    Disponibilidade de servio

  • Processo Decisrio Cadeia Logstica

    Caracterstica da Carga

    Carga Geral e a Granel

    Natureza da Carga

    Preparao para o Transporte

    Embalagem

    Unitizao

    Modos de Transporte

    Vantagens e Desvantagens de cada modal

  • Tipos de transporte

    Rodovirio

    Fluvial/Martimo

    Dutovirio

    Areo

    Ferrovirio

  • Matriz de Transportes

    59%24%

    13%

    4% Rodovirio

    Ferrovirio

    Aquavirio

    Dutovirio e

    Areo

  • Comparativo Brasil X EUA

    0,1%

    4,5%

    12,2%

    59,2%

    23,8%

    Areo Dutovirio

    Aquavirio Rodovirio

    Ferrovia

    0,4%15,1%

    15,5%

    29,5%

    39,6%

    Areo Dutovirio

    Aquavirio Rodovirio

    Ferrovia

    Brasil EUA

  • 13%

    25%

    4%

    11%

    81%

    43% 46%

    53% 43%

    32% 43%

    50% 37%

    62% 14% 24%

    Rssia

    Canad

    Austrlia

    EUA

    China

    Brasil

    8% 11%

    Ferrovirio Rodovirio Hidrovirio

    Comparativo Internacional

  • O mais expressivo transporte de carga hoje no Brasil, atingindo praticamente todos os pontos do territrio nacional;

    Deu-se maior nfase na dcada de 50 por conta da implantao da indstria automobilstica que desencadeou a pavimentao das rodovias e cresce cada dia, por isso o mais procurado eficiente em porta a porta.

    Difere do ferrovirio transporta produtos acabados e semi-acabados em curtas distncias;

    recomendado para mercadorias de alto valor ou produtos perecveis.

    TRANSPORTE RODOVIRIO

  • Transp. Rodovirio no recomendado para produtos agrcola

    a granel, pois seu custo muito baixo para esse modal;

    Esse transporte dividido em:

    - Transportadoras regulares;

    - Frota prpria;

    - Transportadores contratados (que so utilizados por um

    nmero limitado de usurios com contratos de longa durao,

    - Autnomos.

    TRANSPORTE RODOVIRIO

  • Dos custos: -Custos Fixos Baixos:

    - Rodovias estabelecidas e construdas com fundos

    pblicos e privatizadas.

    -Custos Variveis Mdio:

    - Combustvel; manuteno; mo de obra; pedgio,

    etc...

    TRANSPORTE RODOVIRIO

  • Vantagens: -Possibilidade de transporte integrado porta a porta, adequao aos tempos pedidos, assim como a frequncia e disponibilidade dos servios;

    Desvantagens: -Transporta somente cargas pequenas e mdias;

    -Custos elevados para longas distncias.

    TRANSPORTE RODOVIRIO

  • Processo de Transporte

    o mais importante economicamente

    Possui vias (1,7 milhes de Km, apenas 10%

    pavimentada)

    As vias so algumas de responsabilidade do Governo

    Federal, Estadual, Municipal e

    outras so privatizadas

  • Desvantagens Logsticas

    Custos elevados para distncias superiores 700Km

    Volume transportado menor em comparao ao transporte

    ferrovirio e martimo (at 45

    Tons)

    Custo mais elevado em comparao ao transporte

    ferrovirio e martimo

    prejudicado pelo tempo e pelo trfego

    Maior intensidade de risco

  • Viso Geral

    O fator logstico um elemento primordial nas consideraes da

    cadeia de abastecimento e na movimentao de produtos e

    materiais de um ponto a outro.

    A ideia de movimento remonta aos tempos pr-histricos.

    A inveno da roda por exemplo, nasceu seguramente da

    necessidade de levar e trazer coisas com um esforo menor.

  • Viso Geral

    Mudana de conceito de nmade para sedentrio Rodovias cortam os pases de norte a sul, leste a oeste

    Competio entre cadeias de abastecimento Competio entre Naes.

    O transporte deve receber todas as prioridades necessrios. Seja

    para movimentar produtos finais, matrias-primas, componentes

    ou pessoas, ele deve ser rpido, eficiente e barato.

  • Viso Geral

    Mudanas nos Modelos das Organizaes Demanda e Servio ao Cliente Globalizao Tecnologia Transporte por Diferentes Meios ADMINISTRAO DA FROTA -Administrao dos Ativos

    -Mo-de-Obra

    -Consumo de Combustvel

    -Manuteno

    -Estoque de Peas de Reposio

    -Planejamento de Atividades Administrativas

    -Eficincia da Frota

    -Indicadores de Desempenho e Produtividade

  • Viso Geral

    A atividade de

    transporte

    responde por at

    2/3 dos custos

    logsticos totais.

  • Viso Geral

    Modo Rodovirio o meio de transporte mais utilizado em territrio brasileiro, transportando a maior parte dos produtos. Tem

    a vantagem de chegar a qualquer ponto do territrio, e boa

    frequncia e disponibilidade, simplicidade e praticidade na entrega

    de mercadoria porm, como desvantagens, considerado vivel

    apenas para curtas distncias, em razo de seu frete relativamente

    alto, capacidade de trao de carga reduzida, os veculos utilizados

    para trao possuem um elevado grau de poluio ao meio

    ambiente, como aumento no uso de combustveis e trnsito dentre

    outros.

  • Viso Geral

    No Brasil o transporte rodovirio de carga opera em regime

    de livre mercado, regulado segundo a Lei n 11.442, de 5 de

    janeiro de 2007, que dispe sobre o transporte rodovirio de

    cargas por conta de terceiros e mediante remunerao.

    Para exercer essa atividade o transportador depende de

    prvia inscrio no Registro Nacional de Transportadores

    Rodovirios de Cargas (RNTRC) da Agncia Nacional de

    Transportes Terrestres (ANTT).

  • Viso Geral

    Controla todo os meios utilizados para garantir as atividades de movimentao das cargas e a administrao. Suas atividades so:

    Avaliao do desempenho da frota

    Contratao de veculos autnomos

    Despacho de veculos

    Dimensionamento da frota de longo curso

    Manipulao interna da carga

    Realizao de coletas

    Realizao de carregamentos

    Armazenagem

  • Viso Geral

    Frete FOB (Free on board)

    A sigla FOB em portugus pode ser traduzida por Livre a bordo. Neste tipo de frete, o comprador assume todos os riscos e custos com o transporte da mercadoria, assim que ela

    colocada a bordo do navio. Por conta e risco do fornecedor

    fica a obrigao de colocar a mercadoria a bordo, no porto de

    embarque designado pelo importador.

    Frete CIF (Cost, Insurance and Freight)

    Em portugus, a sigla CIF significa Custo, Seguros e Frete. Neste tipo de frete, o fornecedor responsvel por todos os

    custos e riscos com a entrega da mercadoria, incluindo o

    seguro martimo e frete. Esta responsabilidade finda quando a

    mercadoria chega ao porto de destino designado pelo

    comprador.

  • Tipos de veculos comerciais

  • SISTEMAS DE TRANSPORTES

    Bibliografia

    Logstica Empresarial: transportes, administrao de materiais e distribuio fsica.

    Ronald H. Ballou, So Paulo, Editora Atlas, 2007.