livro a3p - coleta seletiva

Click here to load reader

Post on 14-Dec-2015

220 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Livro A3P sobre coleta seletiva - STJ

TRANSCRIPT

  • Gerenciamento de Resduos slidos na Admistrao Pblica

  • Gerenciamento de Resduos slidos na Admistrao Pblica

    Repblica Federativa do Brasil Presidenta: Dilma Rousseff Vice-Presidente: Michel Temer

    Ministrio do Meio Ambiente Ministra: Izabella TeixeiraSecretrio Executivo: Francisco Gaetani

    Secretaria de Articulao Institucional e Cidadania Ambiental Secretria: Mariana Meirelles Nemrod

    XXXXXXXXXXXXXXXXXX

    XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

    2013

  • 4 5

    GER

    ENCI

    AMEN

    TO D

    E RE

    SD

    UO

    S S

    LID

    OS

    NA

    ADM

    INIS

    TRA

    O P

    BL

    ICA

    GER

    ENCI

    AMEN

    TO D

    E RE

    SD

    UO

    S S

    LID

    OS

    NA

    ADM

    INIS

    TRA

    O P

    BL

    ICA

    4

    Elaborao do Contedo:

    Ana Carla Leite de Almeida

    Angelita Coelho

    Equipe:

    Angelita Coelho

    Fernanda Espndola

    Pablo Ciari

    Luiz Vitali

    Mnica Rocha

    Matria bruta

    Manufatura e embalagemDisposio e reciclagem

    TransporteUso e operao

    Distribuio

  • 6 7

    GER

    ENCI

    AMEN

    TO D

    E RE

    SD

    UO

    S S

    LID

    OS

    NA

    ADM

    INIS

    TRA

    O P

    BL

    ICA

    GER

    ENCI

    AMEN

    TO D

    E RE

    SD

    UO

    S S

    LID

    OS

    NA

    ADM

    INIS

    TRA

    O P

    BL

    ICA

    6

    A Administrao Pblica

    e os Resduos slidos

    A administrao pblica uma grande consumidora de bens e recursos naturais e tem um papel estratgico para estimular a produo e a disponibilidade de produtos mais sustentveis.

    As aquisies e contrataes governamentais so to importantes para o correto gerenciamento de resduos que constam como um dos objetivos da Poltica Nacional de Resduos Slidos PNRS (Lei n 12.305 de 02/08/2010).

    A gerao de resduos slidos e o consumo so duas aes intimamente ligadas e, por isso, devem ser pensadas de forma conjunta. No possvel pensar em uma boa gesto integrada de resduos slidos, sem REPENSAR a forma que consumimos.

    Gesto integrada de resduos slidos o conjunto de aes voltadas para a busca de solues para os resduos slidos, de forma a considerar as dimenses poltica, econmica, ambiental, cultural e social, com controle social e sob a premissa do desenvolvimento sustentvel.

    Consumo (in)sustentvel

    O governo deve estimular o desenvolvimento sustentvel comprando produtos reciclados e reciclveis e contratando servios e obras que considerem critrios compatveis com padro de consumo social e ambientalmente sustentveis.

  • 8 9

    GER

    ENCI

    AMEN

    TO D

    E RE

    SD

    UO

    S S

    LID

    OS

    NA

    ADM

    INIS

    TRA

    O P

    BL

    ICA

    GER

    ENCI

    AMEN

    TO D

    E RE

    SD

    UO

    S S

    LID

    OS

    NA

    ADM

    INIS

    TRA

    O P

    BL

    ICA

    8

    Tambm importante lembrar que todas as instituies pblicas geram resduos perigosos e que o descarte desses resduos devem seguir REGRAS PRPRIAS, como o caso dos resduos de hospitais pblicos, das pilhas e baterias e das lmpadas fluorescentes.

    Os rgos governamentais geram todo tipo de resduo. Todos os dias toneladas de papel, plstico, metal, madeira,

    resduo eletrnico, etc. so descartadas em todo o pas. Muitos desses materiais poderiam ser reutilizados ou reciclados.

    Tudo que fazemos

    gera Resduo

    Administrao, manuteno e construo de prdios

    Material de consumo

    Equipamentos eletrnicose moblilirios

    Transporte(leos, fluidos etc)

    Restos de alimentos

    Pilhas e Baterias

    Lmpadas Fluorescentes

    Agrotxicos

    Risco Biolgico

  • 10 11

    GER

    ENCI

    AMEN

    TO D

    E RE

    SD

    UO

    S S

    LID

    OS

    NA

    ADM

    INIS

    TRA

    O P

    BL

    ICA

    GER

    ENCI

    AMEN

    TO D

    E RE

    SD

    UO

    S S

    LID

    OS

    NA

    ADM

    INIS

    TRA

    O P

    BL

    ICA

    10

    Gerar menos resduos sempre a melhor opo e isso que diz a Lei n 12.305/2010. Como podemos fazer isso?

    Repensar faa uma anlise dos padres de consumo da sua instituio. Verifique se todos os produtos adquiridos e/ou consumidos so realmente essenciais;

    Reduzir busque melhorias nos processos de compras e na realizao das atividades dirias de maneira a reduzir o consumo;

    Reaproveitar antes de descartar qualquer material, analise se ele no pode ser utilizado novamente. Mesmo que com outro propsito;

    Reciclar separe os seus resduos e encaminhe para a reciclagem. Lembre-se de que a qualidade do resduo separado fundamental para se ter uma reciclagem eficiente;

    Recuse o consumo de produtos que gerem impactos socioambientais significativos. Analise as especificaes dos editais de licitao de sua instituio e verifique se no esto sendo adquiridos produtos danosos, em qualquer etapa de seu ciclo de vida.

    Com a publicao da poltica de resduos, todos os geradores passaram a ter responsabilidade sobre os resduos slidos. Alm dessa obrigatoriedade, as instituies pblicas devem ter por princpio ser exemplo de atitude responsvel para toda a sociedade.

    Geradores de resduos slidos - pessoas fsicas ou jurdicas, de direito pblico ou privado, que geram resduos slidos por meio de suas atividades, nelas includo o consumo.

    Por que devemos cuidar dos Resduos que produzimos ?

    os 5Rs

  • 12 13

    GER

    ENCI

    AMEN

    TO D

    E RE

    SD

    UO

    S S

    LID

    OS

    NA

    ADM

    INIS

    TRA

    O P

    BL

    ICA

    GER

    ENCI

    AMEN

    TO D

    E RE

    SD

    UO

    S S

    LID

    OS

    NA

    ADM

    INIS

    TRA

    O P

    BL

    ICA

    12

    Os resduos no podem ser descartados de qualquer forma. Existe uma ordem de hierarquia definida pela lei que deve ser observada por todos os rgos e entidades pblicas.

    A destinao Correta dos resduos

    Alm da ordem de preferncia na destinao dos resduos, os rgos e entidades pblicas devem promover a insero socioeconmica dos catadores de materiais reciclveis por meio da Coleta Seletiva Solidria (CSS).

    No gerao

    Reduo Reciclagem

    Reutilizao Tratamento

    Disposional

    adequada

  • 14 15

    GER

    ENCI

    AMEN

    TO D

    E RE

    SD

    UO

    S S

    LID

    OS

    NA

    ADM

    INIS

    TRA

    O P

    BL

    ICA

    GER

    ENCI

    AMEN

    TO D

    E RE

    SD

    UO

    S S

    LID

    OS

    NA

    ADM

    INIS

    TRA

    O P

    BL

    ICA

    14

    Coleta Seletiva Solidria a coleta dos resduos reciclveis descartados, separados na fonte geradora, para destinao s associaes e cooperativas de catadores de materiais reciclveis.

    O Decreto da Coleta Seletiva Solidria (N 5.940, de 25 de outubro de 2006) determina que os rgos e entidades da administrao pblica federal direta e indireta tm obrigao de fazer a separao dos resduos reciclveis gerados, com posterior destinao s associaes e cooperativas dos catadores de materiais reciclveis

    No governo federal a CSS coordenada pelo Comit Interministerial de Incluso Social de Catadores de Materiais Reciclveis, criado por Decreto Federal em 11/09/2003.

    Reutilizao processo de aproveitamento dos resduos slidos sem sua transformao

    biolgica, fsica ou fsico-qumica, observadas as condies e os padres estabelecidos pelos rgos competentes.

    Gerenciamento de Resduos Slidos conjunto de aes exercidas, direta ou indiretamente, nas etapas de coleta, transporte, transbordo, tratamento e destinao final ambientalmente adequada dos resduos slidos e disposio final ambientalmente adequada dos rejeitos, de acordo com plano municipal de gesto integrada de resduos slidos ou com plano de gerenciamento de resduos slidos.

    Reciclagem o processo de transformao dos resduos slidos que envolve a alterao de suas propriedades fsicas, fsico-qumicas ou biolgicas, com vistas transformao em insumos ou novos produtos.

  • 16 17

    GER

    ENCI

    AMEN

    TO D

    E RE

    SD

    UO

    S S

    LID

    OS

    NA

    ADM

    INIS

    TRA

    O P

    BL

    ICA

    GER

    ENCI

    AMEN

    TO D

    E RE

    SD

    UO

    S S

    LID

    OS

    NA

    ADM

    INIS

    TRA

    O P

    BL

    ICA

    16

    ClAssiFiCAo dos Resduos GeRAdosNo Brasil so produzidas 30 milhes de toneladas de

    resduos orgnicos por ano, mas apenas 1,6% destinado

    compostagem. Os 98,4% restantes (mais de mil toneladas

    todos os dias) vo para os aterros e lixes. Essa situao

    precisa mudar e todos podemos contribuir.

    Resduos Orgnicos so os restos de comida, cascas de alimentos, galhos, folhas secas, grama, etc...

    A compostagem uma das formas de se realizar a destinao ambientalmente adequada dos resduos orgnicos. O material resultante desse processo, denominado composto, pode ser usado para adubao (por exemplo, pequenas hortas e jardins), contribui para a melhoria da estrutura do solo e diminui a necessidade do uso de agrotxicos.

    Resduos de leos Comestveis so resduos preocupantes devido aos impactos que provocam nas redes de saneamento e em cursos dgua e por isso, precisam de tratamento adequado. O leo deve ser coletado separadamente e entregue em pontos de coleta voluntria, se houver, ou para associaes e ou cooperativas de reciclagem desse produto.

  • 18 19

    GER

    ENCI

    AMEN

    TO D

    E RE

    SD