Literatura - Pré-Vestibular Vetor - Romantismo

Download Literatura - Pré-Vestibular Vetor - Romantismo

Post on 06-Jun-2015

1.377 views

Category:

Documents

37 download

TRANSCRIPT

Romantismo 01. Etimologia do termo O adjetivo romntico de origem inglesa(romantic) e deriva do substantivo romaunt, de origem francesa(roman ou romant), que designa os romances medievais de aventura. A etimologia do termo indigita algumas das feies mais frequentemente tidas como definitrias do Romantismo: o gosto das tradies medievais, muitas delas conservadas no romanceiro (que dar origem a Literatura de Cordel) e, em geral, na cultura folclrica, que a literatura clssica francesa tinha desdenhado. Assim, as palavras romntico e romantismo tm sido usadas com variadssimos e por vezes contraditrios significados, de acordo com critrios de classificao de ordem psicolgica, esttica, ou at restritamente formal, temtica, se no mesmo de ordem poltica e social. Sturm und Drang (em portugus: Tempestade e mpeto ou Tempestade e Paixo) foi um movimento literrio romntico alemo que atingiu o seu auge entre a dcada de 60 e a dcada de 90 do sculo XVIII e que abominava o "desencanto" que o Iluminismo do sculo XVIII trouxera ao mundo cultural europeu. O iluminismo enfatizava a cincia, o racionalismo, a tecnologia e o progresso. Os romnticos alemes preferem exaltar a natureza e o sentimento. Digamo-lo, pois, ousadamente. Chegou o tempo disso, e seria estranho que, nesta poca, a liberdade, como a luz, penetrasse por toda a parte, exceto no que h de mais nativamente livre no mundo, nas coisas do pensamento. Destruamos as teorias, as poticas e os sistemas. Derrubemos este velho gesso que mascara a fachada da arte! No h regras nem modelos; ou antes, no h outras regras seno as leis gerais da natureza que plainam sobre toda a arte, e as leis especiais que, para cada composio, resultam das condies de existncia prprias para cada assunto. (Victor Hugo) As grandes camadas burguesas crentes na capacidade de criar riqueza e de providenciar o destino individual encontram-se numa fase de combatividade ideolgica, animadas de uma confiana na natureza e no futuro da humanidade que se exprime pela teoria da iniciativa individual, justificativa do livre jogo econmico. Assim, procuram fora da Igreja uma direo espiritual. Uma grande massa pede ao escritor idias e sentimentos orientadores e que traduzam o sentimento coletivo. Maneiras de Idealizao da Mulher: Pode-se criar um ideal de mulher, de modo puramente racional nesse caso, tem-se um conceito de mulher, uma abstrao; Pode-se idealizar uma mulher real, exagerando suas qualidades; nesse caso, tem-se a deformao da realidade pelos sentimentos. (Quem ama o feio bonito lhe parece.) Pode-se, ainda, apenas criar a mulher pela imaginao; nesse caso, a mulher no apenas um conceito, mas tambm no real um ser imaginrio, que existe na fantasia de um sonhador. Algumas caractersticas: Culto ao individualismo: contraditrio e autodestrutivo (autopiedade) Culto da originalidade pessoal inegavelmente, sua mais importante caracterstica. Tema da insaciedade humana, da aspirao indefinida, a dor csmica da existncia. A obsesso da morte evaso ou escapismo. O autobiografismo direto ou velado Desenvolvimento do historicismo: nacionalismo Resgate da figura do cavaleiro medieval, na Europa: Os Trs Mosqueteiros Idealizao do ndio como heri nacional, no Brasil: Iracema, Peri e Ubirajara No Brasil, com o surgimento do Instituto Nacional Geogrfico e Histrico intensificou o interesse pelo interior do nosso pas, at ento desconhecido. Tivemos assim, o surgimento daquilo que nossa literatura produziu com maior originalidade: o Regionalismo. O Regionalismo evoluiu de forma bastante significativa em nossa histria literria, atingindo seu apogeu na Segunda gerao do Modernismo (1930-1945). Organizao: Professor Gilmar Ramos de Souza