lisboa cultural 201

Download Lisboa Cultural 201

Post on 07-Mar-2016

222 views

Category:

Documents

4 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

VICENTE - exposição de António Vasconcelos Lapa | OSSÁRIO - a Assédio no Ciclo de Teatro do Porto? | FESTA DA POESIA na Casa da América Latina | MONSTRA 2011 em antevisão | DODU e TOILE DE FRONT no Museu da Marioneta | MARIA AMÉLIA ao vivo no São Jorge

TRANSCRIPT

  • Edio: CML | Direco Municipal de

    Cultura | Diviso de Programao e

    Divulgao Cultural

    Editor: Frederico Bernardino

    Redaco: Sara Ferreira, Susy Silva

    Design Grfico: Rute Figueira

    Capa: Rute Figueira, a partir de obra de

    Antnio Vasconcelos Lapa

    Contactos: Rua Manuel Marques, 4F,

    Edifcio Utreque - Parque Europa, 1750-

    171 Lisboa | Tel. 21 817 06 00 lisboa.

    cultural@cm-lisboa.pt

    Siga-nos emhttp://twitter.com/lisboa_cultural

    http://www.facebook.com/lisboaculturalhttp://itematicoslisboa.blogspot.com

    28 de FEVEREIRO a 5 de MARO de11 #201

    Ficha

    tcn

    ica

    ndice

    Em destaque | Vicente | Pg. 4

    Teatro | Ossrio | Pg. 6

    Recital | Festa da Poesia | Pg. 7

    Anteviso | MONSTRA 2011 | Pg. 8

    Exposies | Dodu+Toile de Front | Pg. 9

    Msica | Maria Amlia | Pg. 10

    Curtas | Pg. 11

    Em Agenda | Pg. 12

  • O escultor e ceramista Antnio Vasconcelos Lapa apresenta, a partir de 4 de Maro, no Museu Bordalo Pinheiro, Vicente. Nesta exposio monogrfica de peas de cermica, o artista prope uma viagem pelo mundo vegetal, onde inspirao bordaliana se juntam elementos e texturas absolutamente inovadoras.

    pgina 3ddestaque

    Universo vegetal

  • pgina 4ddestaqueE

    m Vicente, a nova exposio patente na Galeria do Museu Bordalo Pinheiro, Antnio Vasconcelos Lapa traa as coordenadas para uma viagem ao mundo vegetal onde, da semente rvore, passando pela flor e pelo fruto, o artista consigna toda uma botnica

    reinventada em brilho, cor e, at mesmo, sons derivados das texturas muito particulares das peas. Assim, em Vicente (que poderamos decompor em Vi Sente, Semente), e citando Carolina Lapa, existe uma espcie de biologia sensorial onde podemos imaginar o que aconteceu e o que pode vir a acontecer, o porvir das peas, algumas de encaixe, que nos convidam a jogar um jogo improvvel.

    A possibilidade de construo e desconstruo ldica de algumas das peas expostas, atravs da mobilidade de alguns dos seus elementos, leva Eduardo Nery a referir que as obras de Vasconcelos Lapa permitem ao seu fruidor, a recolocao por uma outra ordem, segundo a sua fantasia e o seu desejo de alterao e de experimentao. Essa ligao ao visitante, quele que v, toca e sente torna Vicente um desafio viagem e descoberta de um universo vegetal em permanente mutao.

    Em paralelo com a exposio, exibe-se um filme indito, dirigido por Vtor Milhanas, que acompanha o processo criativo do artista e onde os grandes protagonistas so os cadernos de estudos, as sementes, as vagens e todos os materiais e ferramentas de trabalho que culminaram nesta jornada pelo universo vegetal proposta por Antnio Vasconcelos Lapa. FB.

    Nasceu em 1945, em Lisboa, cidade onde vive e trabalha. Cursou escultura decorativa na Escola Antnio Arroio, tendo feito o curso de cermica no Instituto Statale dArte per la Ceramica, em Faenza, Itlia. Foi professor no ensino bsico e no IADE, continuando a promover a docncia no seu ateli. De entre as inmeras exposies individuais que figuram no currculo, destacam-se as de cermica no Museu do Traje e na Embaixada de Portugal em Bruxelas. A obra de Vasconcelos Lapa faz parte de coleces privadas em Portugal e no estrangeiro, destacando-se, para alm da cermica, a tapearia.

    Perfil:Antnio Vasconcelos Lapa

    Vicente

    Museu Bordalo Pinheiro

    Campo Grande, 382De 3 de Maro a 22

    de Maio

    Tera a domingo, das 10h s 18h

    Entrada livre

  • numa cidade ficcional da Irlanda, onde a bondade se parece ter rendido irremediavelmente mais atroz desumanidade, que trs mulheres entrecruzam as suas histrias de

    depravao, de violncia sexual, de bestialidade, de tortura e de permanente conflito com uma existncia que se limita tentativa de sobreviver num lugar to completamente perdido e desumano, nas palavras do prprio autor. Em Ossrio, entra-se naquilo que o encenador Joo Cardoso define como um territrio sangrento, onde o universo

    destas mulheres, destas personagens descarnadas pelas crueza e ferocidade social so atiradas para o descampado de relaes que este lugar ficcional criado por Mark ORowe, um dos mais destacados representantes da nova gerao de dramaturgos do teatro irlands.

    Com interpretaes de Rosa Quiroga, Isabel Queiroz e Constana Carvalho Homem (que substitui Alexandra Gabriel no elenco original), a companhia de teatro portuense Assdio regressa a Ossrio, pea levada cena em 2005 no Teatro

    Municipal Rivoli, e que agora se apresenta em Lisboa, no mbito do Ciclo de Teatro do Porto?. Cumprindo um dos seus objectivos nevrlgicos que passa por dar a conhecer ao pblico, de forma cenicamente estimulante, alguns dos maiores textos contemporneos , esta encenao de Joo Cardoso prima pela originalidade do dispositivo cnico que, ao permitir um espao simultaneamente individualizado e partilhado para cada personagem, assegura todo o brilhantismo dos monlogos frenticos, e at cinematogrficos, de Ossrio. .FB.

    em terra sem lei

    pgina 5tteatro

    Ossrio

    Teatro-Estdio Mrio Viegas4 de Maro | 22h

    5 de Maro | 23h15

    Preo: 10 (ver descontos)

    www.teatrosaoluiz.pt

    Denominam-se como Assdio Associao de Ideias Obscuras. So do Porto e esto este fim-de-semana em Lisboa, no Teatro-Estdio Mrio Viegas, para apresentar Ossrio, uma pea susceptvel de fascinar os espectadores mais sensveis da autoria do irlands Mark ORowe.

  • A sesso de abertura da Festa da Poesia ser no dia 2 de Maro com um recital de poesia que contar com a presena de Ana Lusa Amaral, Filipa Leal e Maria Teresa Horta, que vo recitar as suas poetisas latino-americanas favoritas. Outros dois encontros ocorrero a 16 e 23 de Maro: o primeiro, com a escritora colombiana Lauren Mendinueta e Luis Represas; o segundo, com a actriz Jlia Lello e o guitarrista Joo Roque.

    A 9 de Maro, exibe-se o documentrio Palavra (En)cantada, de Helena Solberg, com apresentao de Ins Pedrosa. O filme percorre a multifacetada histria do cancioneiro brasileiro, do rap ao carnaval, dos poetas do morro ao tropicalismo.

    A personalidade de Sor Juana Ins de la Cruz poetisa e dramaturga nascida no Mxico colonial da segunda metade do sculo XVII o tema de uma conferncia de Isabel Arajo Branco, a realizar-se no dia 23. Considerada uma das primeiras defensoras dos direitos da mulher na Amrica Latina, Sor Juana Ins de la Cruz foi uma mulher muito frente do seu tempo, protagonista de uma relevante correspondncia com a grande intelectualidade da poca.

    No ltimo dia da festa, a 25 de Maro, h seis horas de maratona de poesia, para aficionados e no s, mas principalmente para aqueles a quem a poesia sensibiliza de uma maneira infinita. .SS.

    a Festa da Poesia

    pgina 6rrecitalNo ms de Maro, a Casa da Amrica Latina celebra os dias internacionais da mulher e da poesia numa festa que inclui recitais, filmes, debates, uma feira do livro com a livraria Poesia Incompleta e uma maratona de poesia Das seis meia-noite.

    Casa da Amrica Latina

    2 a 25 Maro

    Entrada Livre

    www.casamericalatina.pt

  • pgina 7aanteviso

    o mais antigo festival de cinema de Lisboa e este ano cumpre a sua dcima edio com uma programao ainda mais aliciante. Entre 21 e 27 de Maro, o Festival

    de Animao de Lisboa Monstra conta com centenas de filmes, distribudos pelas seces competitivas de longas-metragens de animao, curtas-metragens de estudantes, a novssima competio de curtssimas (filmes com menos de 2 minutos), retrospectivas, sete exposies, a j habitual Monstrinha, a seco Transversalidades e inmeras masterclasses e workshops.

    Na apresentao imprensa, que decorreu no Cinema So Jorge no passado dia 24, Fernando Galrido, director do festival, destacou nesta edio a grande mostra da cinematografia holandesa agendada para os sete dias do evento, sublinhando as retrospectivas de Michael Dudok de Wit ou de Gerrit Van Dirk, nomes incontornveis do cinema de animao. Outra das grandes atraces referenciadas a retrospectiva do cinema de animao japons produzido pelos estdios Ghibli, do mestre Hayao Miyazaki, autor da srie Conan, O Rapaz do Futuro e do belssimo A Princesa Mononoke. .FB.a

    mo

    nst

    ra

    est

    d

    e v

    olt

    a!

  • Em Dodu, h um rapaz e um caixote de carto. O rapaz de carto faz-de-conta dentro do caixote de carto, criando um mundo imaginrio sua volta, onde tudo possvel, onde tudo magia. Um mundo construdo apenas por carto reciclado e pela imaginao frtil da infncia. A srie realizada por Jos Miguel Ribeiro foi desenvolvida no estdio de animao portugus Sardinha em Lata e promete conquistar um lugar no imaginrio das crianas, sublinhando as potencialidades da reciclagem para a criao artstica.

    A exposio sobre Toile de Front (Valsa de Fogo) acompanha os bastidores do filme que narra a histria de um grupo de msicos que durante a I Guerra Mundial construiu, a partir de espingardas, capacetes e restos de material blico, instrumentos musicais com os quais actuavam para os seus colegas soldados. Atravs da msica, estes homens encontram pedaos de humanidade perdida, onde todos os objectos que os rodeiam podem transformar-se em instrumentos. .SS.

    pgina 8eexposies

    Por detrs dos bonecos

    Dodu + Toile de Front

    At 30 Abril

    Tera-feira a Domingo 10h s 13h e das 14h s 18h

    Entrada livre

    O Museu da Marioneta, em parceria com a MONSTRA 2011 - Festival de Animao de Lisboa, divulga em simultneo todos os segredos sobre Dodu a nova criao do realizador de A Suspeita, Jos Miguel Ribeiro e do filme francs Toile de Front, de Marc Mnager e Mino Malan. Nestas exposies, mo(n)stram-se marionetas, desenhos, adereos e cenrios originais de dois mundos da animao de volumes.

  • Irm Lcia, Barbie Tu s uma Badalhoca ou Vladimiro No Vs ao LIDL,