lisboa cultural 192

Download Lisboa Cultural 192

Post on 08-Mar-2016

217 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

NATAL EM LISBOA | PRESÉPIO DA SÉ PATRIARCAL | LIVRARIA MUNICIPAL | O QUEBRA-NOZES E O REI DOS CAMUNDONGOS (teatro) | PASSAGEM DE ANO EM LISBOA

TRANSCRIPT

  • 20 a 26 de DEZEMBRO de`10 n. 192

    Itinerrios Temticos / Prespio da S Patriarcal / Pg. 7

    Centenrio da Repblica / Pg.14

    Em Agenda / Pg. 12

    Em destaque / Natal em Lisboa / Pg. 4

    Editorial / Pg. 3

    Curtas / Pg. 11

    Teatro / O Quebra-Nozes e o Rei do Camundongos / Pg. 9

    Msica /Passagem de Ano 2010/2011: Acar, Fogo e Xutos / Pg. 10

    Equipamentos / Livraria Municipal / Pg. 8

  • Siga-nos emhttp://twitter.com/lisboa_cultural

    http://www.facebook.com/lisboaculturalhttp://itematicoslisboa.blogspot.com

    LISBOA CULTURAL

    Ficha tcnicaEdio: Diviso de Programao e Divulgao Cultural | Direco Municipal de Cultura | CMLEditor: Frederico Bernardino Redaco: Sara Ferreira, Susy Silva Design Grfico: Rute Figueira Capa: foto Francisco LevitaContactos: Rua Manuel Marques, 4F, Edifcio Utreque - Parque Europa, 1750-171 Lisboa | Tel. 21 817 06 00 | lisboa.cultural@cm-lisboa.pt

    Porque Natal, e porque esta a ltima edio do ano da Lisboa Cultural, reservmos as primeiras pginas desta edio para uma evocao fotogrfica do ambiente que se vive nas ruas da Baixa da cidade por estes dias que antecedem as festas. Do Rossio ao Chiado, para alm das ruas coloridas com as tradicionais iluminaes de Natal, h todo um frenesim constante que por si s representa um acontecimento. Enquadrado nesta malha urbana nica no mundo, viver o Natal em Lisboa , inevitavelmente, passar pela Baixa

    A quadra festiva tambm sinnimo de frias e descanso para muitos portugueses. A debandada dos lisboetas para fora da cidade, justifica que muitos agentes culturais suspendam as suas actividades ao longo destes dias. Mas, ainda assim, Lisboa continua a viver, e so nestes dias mais calmos que tantas vezes descobrimos o que mais nos surpreende. Por isso mesmo, uma das nossas sugestes passa por uma ida S Patriarcal, onde imperativo (re)descobrir o prespio que Machado de Castro concebeu no sculo XVIII. uma pea nica, como tantas que habitam as nossas igrejas, os nossos museus, os nossos edifcios centenrios.

    A todos os leitores da Lisboa Cultural, e em nome da equipa da Diviso de Programao e Divulgao Cultural da Cmara Municipal de Lisboa que por via desta publicao, da Agenda Cultural, dos Itinerrios Temticos ou das Visitas Comentadas levam at si aquilo que torna Lisboa uma cidade nica deixamos os nossos sinceros votos de boas festas.

    Encontramo-nos, de novo, em 2011.

    EditorialNEWSLETTER

  • LISBOA CULTURAL

    PAG. 4Entrevista NEWSLETTERFr

    anci

    sco

    Levi

    ta

    A noite fora longa, escura, fria. Ai noites de Natal que dveis luz, Que sombra dessa luz nos alumia?In Litania de Natal, Jos Rgio

    Natal em Lisboa

  • LISBOA CULTURAL

    PAG. 5Exposies NEWSLETTER

    A cidade ficavasob a luz vespertinapelas montras cercadas de paisagens alpinas.In Preldio de Natal, David Mouro-Ferreira

    Fran

    cisc

    o Le

    vita

  • PAG. 6Em DestaqueLISBOA CULTURAL

    NEWSLETTER

    Fran

    cisc

    o Le

    vita

    Natal Natal (diziam). E acontecia. Como se fosse na palavra a rosa brava acontecia. E era Dezembro que floria.In Natal, Manuel Alegre

    Postal de Natal CantadoNo Largo de So Carlos, ao Chiado, o Natal vai

    ser narrado e cantado por actores e msicos

    nos dias 20 e 21, pelas 18h30. Contando

    com o St. Dominics Gospel Choir como coro

    residente, no dia 20, Simone de Oliveira e Nuno

    Melo, juntam-se fadista Mafalda Arnauth

    para evocar o Natal. No dia seguinte, Victor

    de Sousa e Luis Represas so os protagonistas

    deste Postal de Natal muito especial.

  • O final do ano , desde sempre e para muitos povos e culturas, poca de celebraes religiosas, quase todas associadas ao solstcio de Inverno e ao nascimento de um ser divino redentor. Para a Igreja de Roma, o dia do nascimento de Jesus adquire uma importncia central desde os primrdios da f crist, sendo canonicamente institudo como festivo no sculo IV, pelo Papa Jlio I. Atribui-se a S. Francisco de Assis, no sculo XIII, a ideia de encenar o nascimento de Jesus, tal qual este se deu numa gruta em Belm. Depois desta pioneira representao, mais prespios comeam a surgir noutros conventos franciscanos de Itlia, a que se seguiram igrejas e casas particulares, das mais nobres s mais humildes.

    Em Portugal, o culto do prespio ter surgido entre os sculos XVII e XVIII, sendo vrios os escultores famosos que, desde ento, conceberam figuras para a encenao da Natividade. Os prespios portugueses possuem um valor iconogrfico e folclrico indiscutvel, pela particularidade de podermos encontrar figuras to populares como o moleiro, a lavadeira, o pastor, o padre, a mulher com o cntaro na cabea, entre muitas outras personagens tipicamente portuguesas.

    O Prespio da S Patriarcal representa excepcionalmente esta portugalidade pela quantidade e qualidade das figuras e dos cenrios que reproduz. Dos carros de bois aos elefantes, passando pela sumptuosidade do cortejo dos Reis Magos em contraste com a pobreza dos trajes dos pastores, Machado de Castro no se esqueceu de apresentar nenhum pormenor. Uma das particularidades deste prespio, onde as centenas de figuras esto todas a caminho da gruta de Belm, que todos levam presentes para o Menino. E, reza a lenda, o rapaz que est mesmo frente da manjedoura dando uma cambalhota, era um pastor muito pobre que, no tendo presentes, tenta faz-lo sorrir. SS

    LISBOA CULTURAL

    PAG. 7Itinerrios Temticos NEWSLETTER

    O Prespio da S PatriarcalA maquineta Adorao dos Pastores (1766), de Joaquim Machado de Castro, a nica que est assinada e datada pelo Mestre, encontra-se hoje na S de Lisboa, mas foi encomendada por um patrono de nome Oliveira. L dentro est um prespio executado pelo artista quando ainda se encontrava ocupado com as obras do convento de Mafra.

    Francisco Levita

  • LISBOA CULTURAL

    PAG. 8Equipamentos

    Nasceu com Nuno Abecassis como presidente da Cmara Municipal de Lisboa, instalando-se nas escadinhas de So Francisco at ao incndio do Chiado, em Agosto de 1988. Nos dias de hoje est no Saldanha, no nmero 21 A da Av. da Repblica. A escolha sortida, desde monografias, diversas

    publicaes peridicas, inventrios, postais e catlogos das mais variadas exposies que tiveram lugar na da cidade. Assim, podemos com certeza ficar a saber tudo sobre Lisboa, sobre as suas gentes, escritores, autores e lugares. SS

    Livraria Municipal Avenida da Repblica, n 21 A | 21 356 78 69 2 a 6 - das 9h30 s 17h | livraria.municipal@cm-lisboa.pt

    Neste Natal oferea Lisboa

    NEWSLETTER

    A Livraria Municipal um equipamento camarrio que centra a sua actividade principal na venda de ttulos editados pelo municpio ou que abordem temticas respeitantes capital. Neste Natal, convidamo-lo a deixar-se surpreender com a quantidade de obras que esta livraria encerra, sugerindo-lhe que aproveite os descontos de 20% sobre o preo nas edies disponveis.

    Fran

    cisc

    o Le

    vita

  • LISBOA CULTURAL

    PAG. 9Teatro NEWSLETTERO Quebra-Nozes e o Rei dos Camundongos

    A Magia do Natal

    Na glida So Petersburgo, na noite de Natal, a jovem Clara, presenteada pelo padrinho com um invulgar quebra-nozes que ganha vida, prepara-se para viver uma aventura emocionante, onde os valores da amizade e do amor vo conseguir impor-se perante a adversidade do mal. Com encenao de Fernando Gomes, a ltima

    produo do TIL Teatro Infantil de Lisboa adapta o lendrio conto do escritor, compositor e pintor alemo E. T. A. Hoffmann, imortalizado pela msica que Tchaikovsky comps para o bailado O Quebra-Nozes.

    Cumprindo o sonho de adaptar uma histria maravilhosa, Gomes confessa querer mostrar num palco as personagens da [sua] imaginao e recordar alguns dos temas que tanto [o] fizeram sonhar nos [seus] tempos de criana. Permanecendo fiel a essa vontade, O Quebra-Nozes e o Rei dos Camundongos resulta num espectculo fabuloso, capaz de encantar midos e grados atravs de uma histria repleta de magia, fulgurantemente ilustrada com figurinos de Rafaela Mapril e cenografia de Kim Cachopo, onde no poderia faltar tambm a msica imortal de Tchaikovski e as canes originais de Quim T que, como em todas as produes do TIL, fazem as delcias das crianas. FB

    Na casa dos jovens Clara e Fritz, a noite de Natal reserva uma aventura encantadora desencadeada pela chegada do mgico Drosselmeyer e de um presente muito especial. A partir do conto de E. T. A. Hoffman, Fernando Gomes leva cena O Quebra-Nozes e o Rei dos Camundongos, no Teatro Armando Cortez, em Carnide.

    Teatro Armando CortezAt 22 de Junho 2011 | www.til-tl.com

    Programa Tardes no Teatro (CML/DMC/DPDC) entradas gratuitas para grupos escolares | 218 170 600

  • LISBOA CULTURAL

    PAG. 10Msica NEWSLETTER

    Os cabeas de cartaz do grande espectculo de passagem de ano em Lisboa dispensam apresentaes. Mais de 30 anos de rock em portugus, uma dzia de lbuns originais e largas centenas de concertos dados por todo o pas e pelo estrangeiro, fazem dos Xutos e Pontaps uma autntica instituio. Depois de no ano passado terem sido forados a cancelar a sua participao no espectculo de passagem do ano devido a problemas de sade de um dos seus membros, os Xutos prometem animar as primeiras horas de 2011 com um concerto no Terreiro do Pao. No alinhamento esto assegurados os grandes clssicos da banda e alguns temas novos que devero integrar o sucessor do lbum homnimo de 2009.

    Antes da entrada dos Xutos em palco, pelas 22 horas, Joo Melo apresenta-se com os seus A Fria do Acar, banda notabilizada na pop nacional dos anos de 1990 atravs de temas como Joana Bate-me Porta e Eu Gosto do Vero. Com a entrada do ano novo, o cu, sobre o Terreiro do Pao e o Tejo, ser cenrio para um espectculo pirotcnico que pretende surpreender os lisboetas e todos