lngua portuguesa - .gabarito comentado simulado aepcon - inss lngua portuguesa o objetivo do

Download LNGUA PORTUGUESA - .GABARITO COMENTADO SIMULADO AEPCON - INSS LNGUA PORTUGUESA O objetivo do

Post on 09-Nov-2018

224 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • GABARITO COMENTADO SIMULADO AEPCON - INSS

    LNGUA PORTUGUESA O objetivo do direito a paz. A luta o meio de consegui-la. Enquanto o direito tiver de repelir

    o ataque causado pela injustia e isso durar enquanto o mundo estiver de p , ele no

    ser poupado.

    A vida do direito a luta: a luta de povos, de governos, de classes, de indivduos. Todo o

    direito do mundo foi assim conquistado. Todo ordenamento jurdico que se lhe contraps teve

    de ser eliminado e todo direito, o direito de um povo ou o de um indivduo, teve de ser

    conquistado com luta.

    O direito no mero pensamento, mas sim fora viva. Por isso, a justia segura, em uma

    das mos, a balana, com a qual pesa o direito, e, na outra, a espada, com a qual o defende.

    A espada sem a balana a fora bruta, a balana sem a espada a fraqueza do direito.

    Ambas se completam e o verdadeiro estado de direito s existe onde a fora, com a qual a

    justia empunha a espada, usada com a mesma destreza com que a justia maneja a

    balana.

    O direito um labor contnuo, no apenas dos governantes, mas de todo o povo. Cada um

    que se encontra na situao de precisar defender seu direito participa desse trabalho, levando

    sua contribuio para a concretizao da ideia de direito sobre a Terra.

    Com referncia s ideias apresentadas no texto precedente e a seus aspectos lingusticos,

    julgue os itens a seguir.

    01) A forma verbal defende (L.15) est flexionada na terceira pessoa do singular por concordar com seu sujeito, cujo referente a justia (L.13). CERTO, embora distante no corpus textual, o referente da forma verbal defende , mesmo, o sintagma nominal A justia razo pela qual o verbo se flexiona da terceira pessoa do singular do presente do indicativo.

    02) O uso combinado de no mero como mas sim, no primeiro perodo do terceiro pargrafo do texto, tem o papel de mostrar que o direito, alm de ser pensamento, tambm uma fora viva. ERRADO, a combinao das duas construes no mero e mas sim refora que apenas a segunda proposio verdadeira. Desse modo, o autor do texto est a afirmar que o direito menos um pensamento que uma fora viva. Logo, a assertiva se mostra incorreta.

    03 ) O direito um produto histrico que resulta de constante luta de uma coletividade ou de um indivduo. CERTO, considerando o segundo pargrafo do texto, mais especificamente o segmento: Todo o direito do mundo foi assim conquistado, tem-se a ratificao para a afirmao de que o direito um produto histrico. Ademais, prosseguindo-se com a leitura do mesmo pargrafo, percebe-se claramente a defesa do carter laboral, participativo e de luta pertencente ao conceito de direito.

  • 04) A espada e a balana representam dois conceitos a partir dos quais se constri o sentido do direito, sentido esse que se descaracteriza na falta de um deles. CERTO, possvel depreender, a partir da leitura do terceiro pargrafo, que a espada e balana so, mais que conceitos, smbolos que, unidos, representam o verdadeiro sentido de justia: a comunho entre fora e destreza.

    05) Por ser um trabalho contnuo e de todo o povo, todos os cidados so chamados a tomar parte na tarefa de concretizar a ideia do direito sobre a Terra. ERRADO, pela leitura do ltimo pargrafo, depreende-se que apenas aqueles que, de algum modo, necessitam defender seu direito que so chamados, como quer a assertiva, a tomar parte na tarefa de concretizar a ideia do direito sobre a Terra. Logo, h extrapolao em relao quilo que exposto pelo corpus textual.

    06) Ao se utilizar da luta como o meio para alcanar seu objetivo, o direito promove a ressignificao dos conceitos de luta e de paz, passando a encar-los como conceitos complementares. ERRADO, no h evidncias textuais que possam asseverar que o direito, de algum modo, ressemantiza a noo de luta ou de paz. H, portanto e novamente, extrapolao em relao s ideias veiculadas pelo corpus textual.

    07) A correo gramatical e o sentido original do texto seriam preservados caso a orao que se lhe contraps (L.9) fosse reescrita como que foi contraposto a ele. ERRADO, embora a correo gramatical do trecho no se altere (uma vez que ainda se teria o verbo contrapor flexionado no passado e o referente desse verbo mantido como o direito) o sentido original do texto se altera. Afinal, no corpus textual o segmento Todo ordenamento jurdico tem funo explicativa, qual seja: nomeia uma ao de forma genrica. J na reescrita sugerida pela banca, tal funo se altera, uma vez que o segmento: que foi contraposto a ele restritivo queles (e somente queles) ordenamentos jurdicos que foram contrapostos ao direito e que, portanto, tiveram de ser eliminados.

    O Programa de Responsabilidade Socioambiental Viver Direito do TJDFT foi institudo por meio

    da Portaria GPR n. 1.313/2012. As bases do Programa Viver Direito, seus objetivos e sua

    meta permanente so apresentados, respectivamente, nos artigos 1., 2. e 3. da referida

    portaria, os quais so transcritos abaixo:

    Art. 1. Reeditar o Programa de Responsabilidade Socioambiental do TJDFT Viver Direito,

    cuja base a Agenda Socioambiental do TJDFT que, em permanente reviso, estabelece

    novas aes sociais e ambientais e as integra s existentes no mbito do Poder Judicirio do

    Distrito Federal e Territrios, visando preservao e recuperao do meio ambiente, por

    meio de aes sociais sustentveis, a fim de torn-lo e mant-lo ambientalmente correto,

    socialmente justo e economicamente vivel.

    Art. 2. O Programa de Responsabilidade Socioambiental Viver Direito objetiva indicar e

    programar aes bem como sensibilizar os pblicos interno e externo quanto ao exerccio dos

    direitos sociais, gesto adequada dos resduos gerados pelo rgo, ao combate a todas as

    formas de desperdcio dos recursos naturais e incluso de critrios socioambientais nos

    investimentos, nas construes, nas compras e nas contrataes de servios da instituio.

    Art. 3. Define-se como meta permanente do Viver Direito a gesto ambientalmente

    saudvel, caracterizada pela adoo de prticas ecologicamente eficientes, que visem poupar

    matria-prima, gua e energia, bem como enfatizem a reciclagem de resduos e a promoo da

    cidadania e da paz social, com base no desenvolvimento do ser humano e na preservao da

    vida.

  • 08) O deslocamento da partcula se, em Define-se (L.28), para o incio do perodo escrevendo-se Se define prejudicaria a correo gramatical do texto. CERTO, de fato, o deslocamento da partcula se ocasionaria prejuzo em relao sintaxe de colocao pronominal do trecho, posto que a nclise, nesse caso, obrigatria (em incio de qualquer perodo, sem partcula procltica anterior, obrigatrio o uso do pronome oblquo tono posposto ao verbo).

    09) Na linha 9, o antecedente do pronome relativo cuja base, o que justifica o emprego do feminino singular nesse pronome. ERRADO, alm de o antecedente do referido pronome ser o sintagma Programa de Responsabilidade Socioambiental do TJDF Viver Direito a expresso base aparece aps o pronome relativo, tornado incorreta a assertiva.

    10 - O termo recuperao do meio ambiente (L. 14 e 15) desempenha a funo de complemento verbal na orao em que ocorre. CERTO, o segmento recuperao do meio ambiente atua como objeto indireto do verbo visando e, portanto, , de fato, um complemento verbal. ***. 118/MJ

    Em 12 de maio de 2011 Excelentssima Sra. Chefe da Gerncia de Manuteno e Tecnologia do MJ Assunto: Administrao. Pedido de agendamento de manuteno em equipamentos. 1. Com o objetivo de dar cumprimento ao Plano Geral de Reparos e Modernizao dos equipamentos de tecnologia deste rgo, gentilmente, solicito a Voc o agendamento de visita tcnica a este Departamento. 2. Durante as ltimas semanas, foram constatados diversos defeitos nos computadores e nos monitores utilizados pelos funcionrios. Ser necessrio reparos e substituies de alguns equipamentos. Por esta razo, solicitamos que a equipe de manuteno dirija-se ao local com peas de substituio. 3. Os equipamentos a serem substitudos so trs teclados e trs estabilizadores, conforme relatrio produzido pela rea tcnica do Departamento, que segue anexo. 4. Solicitamos que o agendamento seja realizado o mais rapidamente possvel pois a inoperncia dos equipamentos ocasiona atraso no andamento dos processos que esto sob nossa responsabilidade. Respeitosamente,

    Maria Helena Jlia Diretora do Departamento de Comunicao Social do MJ

    11) O emprego do vocativo Excelentssima est adequado e justifica-se pelo fato de a

    destinatria do documento ocupar cargo de chefia de unidade administrativa.

    ERRADO, de acordo com o supracitado manual, o uso do pronome de tratamento

    Excelentssimo(a) empregado em comunicaes dirigidas aos Chefes de Poder.

    Como no o caso da comunicao em questo, h incorreo na assertiva.

    12) Para garantir a correo gramatical e a adequao da linguagem, o pronome Voc

    deveria ser substitudo por Sua Excelncia, considerando-se o cargo ocupado pela

    autoridade a que o documento se destina.

  • ERRADO, o pronome de tratamento excelncia apenas deve ser endereado a

    autoridades dos Poderes Executiva, Legislativo ou Judicirio. Ademais, a coloquialidade

    presente no pronome voc deveria ser substituda, de acordo com o supracitado

    manual, pelo termo Senhor(a)

    13) Infere-se do emprego do fecho Respeitosamente que o texto estabelece uma

    comunicao entre chefias de unidades administrativas.

    ERRADO, consoante o manual supracitado, o fecho utilizado para autoridades de

    mesma hierarquia (ou de hierarquia inferior) atenciosamente. O fecho

    respeitosamente utilizado para autoridades superiores, inclusive o Presidente da

    Repblica.

    14) O texto, uma comunicao administrati

View more >