licenciamento ambiental - mpgo.mp.br .licenciamento ambiental, meio ambiente, prote§£o...

Download LICENCIAMENTO AMBIENTAL - mpgo.mp.br .Licenciamento ambiental, meio ambiente, prote§£o ambiental

Post on 14-Dec-2018

222 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Roni Alvacir Vargas*

LICENCIAMENTO AMBIENTAL

ENVIRONMENTAL LICENSING

LICENCIAS AMBIENTALES

Resumo:

Segundo levantamento sobre o efeito estufa, o Brasil o quartomaior emissor de gases estufa do mundo e o desmatamento dasflorestas responde por 75% do total de poluentes que o pas liberana atmosfera. Diante desse quadro preocupante, a proteo e de-fesa do meio ambiente - direito humano fundamental de terceiragerao e direito difuso -, exige especial ateno da sociedade edo Estado.

Abstract:

According to a survey on the greenhouse effect, Brazil is the

fourth largest emitter of greenhouse gases in the world and de-

forestation is responsible for 75% of the pollutants the country

releases into the atmosphere. Faced this concerning situation,

the protection and defense of the environment - Human Funda-

mental Right of third generation and diffuse right - requires spe-

cial attention both from society and the State.

Resumen:

Segn estudios sobre el efecto invernadero, Brasil es el cuarto

mayor emisor de gases de efecto invernadero en el mundo y la

deforestacin responde por 75% del total de contaminantes que

el pas libera en la atmsfera. Frente a esa situacin preocu-

pante, la proteccin y la defensa del medio ambiente -derecho

humano fundamental de tercera generacin y derecho difuso-,

exige especial atencin de la sociedad y del Estado.

* Especialista em Tutela dos interesses difusos, coletivos e individuais homogneospela UNAMA por meio do EAD - Rede LFG. Curso de Extenso em Direito Sanitriopela UNB. Promotor de justia do MP-GO.

201

Palavras-chaves:

Licenciamento ambiental, meio ambiente, proteo ambiental.

Keywords:

Environmental licensing, environment, environmental protection.

Palabras clave:

Licencias ambientales, medio ambiente, proteccin ambiental.

INTRODUO

Conforme alertado pelas principais organizaes no go-vernamentais que atuam na defesa do meio ambiente do planeta,como, por exemplo, Rede WWF e Greenpeace, o risco de cats-trofes causadas pelas mudanas climticas cada vez maior, ha-vendo previses assustadoras para a Terra nos prximos 50 anos.

Segundo levantamento sobre o efeito estufa, o Brasil oquarto maior emissor de gases estufa do mundo e o desmatamentodas florestas responde por 75% do total de poluentes que o pas li-bera na atmosfera.

Diante desse quadro preocupante, a proteo e defesa domeio ambiente - direito humano fundamental de terceira gerao edireito difuso -, exige especial ateno da sociedade e do Estado.

A quem pertence o ar atmosfrico de uma cidade? Apenasaos seus muncipes? A quem interessa a tutela de um curso h-drico? Apenas aos ribeirinhos?

Uma reflexo sobre estas indagaes reala o carter tran-sindividual do meio ambiente, de sorte que a indeterminao desua titularidade exige mais ateno de TODOS, especialmente doPODER PBLICO diante da supremacia do interesse pblico sobreo interesse privado.

Nesse sentido, inquestionvel que o uso do licenciamentoambiental de forma correta e adequada pelo Poder Pblico concre-tiza o princpio da preveno - verdadeira coluna mestra do Direito

202

Ambiental -, e o princpio do controle da poluio pelo Poder P-blico. A prpria Carta Poltica do Brasil, em seu art. 225, caput, ex-pressamente prev como dever do Estado (Poder Pblico) e dasociedade defender e preservar o meio ambiente para as presentese futuras geraes.

Sendo o licenciamento ambiental atribuio do Poder P-blico, insta ressaltar que o mesmo no est usando com efetividadeesta importante ferramenta de gesto ambiental. Muitas vezes oprprio Poder Pblico o grande poluidor do meio ambiente.Quando no figura como causador direto da degradao, revela-se conivente e condescendente com a agresso ambiental em prolde um pretenso crescimento econmico ou gerao de empregos.Assim, revela-se de suma importncia discutir o tema para melhorconhec-lo e aplic-lo na efetiva defesa do meio ambiente.

MEIO AMBIENTE

Como o licenciamento ambiental constitui-se numa ferra-menta de proteo do meio ambiente, impende abordar, primeira-mente, o que vem a ser meio ambiente e como est disciplinadopelo ordenamento jurdico ptrio.

Mesmo diante da complexidade do tema, o legislador bra-sileiro expressamente conceituou meio ambiente em dois impor-tantes textos legais surgidos, cronologicamente, na seguinteordem: a Lei n. 6.938/1981 (Lei da Poltica Nacional do Meio Am-biente) e a Constituio Federal de 1988.

No art. 3, inciso I, da Lei n. 6.938/81 o legislador ordinriodefiniu meio ambiente como o conjunto de condies, leis, influn-cias e interaes de ordem qumica, fsica e biolgica, que abriga,rege e permite a vida em todas as suas formas (MEDAUAR, 2002,p. 563)1. No art. 225, caput, da Constituio Federal de 1988, o

203

1 Artigo 3. [...] I - meio ambiente, o conjunto de condies, leis, influncias e in-teraes de ordem fsica, qumica e biolgica, que permite, abriga e rege a vidaem todas as suas formas;[...]

legislador constituinte preferiu definir meio ambiente como bem deuso comum do povo e essencial sadia qualidade de vida (OLI-VEIRA, 2006)2.

Independente da definio legal, foroso reconhecer omeio ambiente como direito humano fundamental de terceira ge-rao, figurando no grupo dos chamados direitos da solidariedadeou fraternidade, e clssico exemplo de direito difuso, isto , direitocujo objeto indivisvel e seus titulares indeterminados.

Cumpre observar que quando surgiu a preocupao am-biental o tema era tratado como ecologia, e no meio ambiente,evoluindo para a correta distino entre as expresses, pois meioambiente muito mais abrangente que ecologia, conforme asse-verado pelo autor dis Milar (2005, p.96):

Ecologia a cincia que estuda as relaes dos seres vivosentre si e com o seu meio fsico. Este, por sua vez, deve ser en-tendido, no contexto da definio, como o cenrio natural emque esses seres se desenvolvem. Por meio fsico entendem-senotadamente seus elementos abiticos, como solo, relevo, re-cursos hdricos, ar e clima.

Ainda, continua o citado autor (2005, p.99):

Meio ambiente a combinao de todas as coisas e fatores ex-ternos ao indivduo ou populao de indivduos em questo.Mais exatamente, constitudo por seres biticos e abiticos esuas relaes e interaes. No mero espao circunscrito, realidade complexa e marcada por mltiplas variveis.No conceito jurdico mais em uso de meio ambiente podemosdistinguir duas perspectivas principais: uma estrita e outraampla.Numa viso estrita, o meio ambiente nada mais do que a ex-presso do patrimnio natural e as relaes com e entre osseres vivos. Tal noo, evidente, despreza tudo aquilo queno diga respeito aos recursos naturais.

204

2 Art. 225 - Todos tm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado,bem de uso comum do povo e essencial sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Pblico e coletividade o dever de defend-lo e preserv-lo paraas presentes e futuras geraes.

Numa concepo ampla, que vai alm dos limites estreitos fi-xados pela Ecologia tradicional, o meio ambiente abrange todaa natureza original (natural) e artificial, assim como os bens cul-turais correlatos. Temos aqui,ento, um detalhamento do tema:de um lado, com o meio ambiente natural, ou fsico, constitudopelo solo, pela gua, pelo ar, pela energia, pela fauna e pelaflora; e, do outro, com o meio ambiente artificial (ou humano),formado pelas edificaes, equipamentos e alteraes produ-zidos pelo homem, enfim, os assentamentos de natureza ur-banstica e demais construes. Em outras palavras, quer-sedizer que nem todos os ecossistemas so naturais, havendomesmo quem se refira a ecossistemas sociais e ecossiste-mas naturais.

A importncia do meio ambiente varia conforme o nguloem que visto. Numa viso antropocntrica, protege-se o meioambiente enquanto direito difuso essencial para a sadia qualidadede vida do homem. A razo de defesa do meio ambiente est inti-mamente ligada vida do ser humano. Numa viso holstica, de-fende-se o meio ambiente porque essencial vida de todos osseres que habitam o planeta, e no apenas vida do homem.

De fato, no h como fracionar o meio ambiente entre ohomem e os demais seres, pois, inquestionavelmente, a existnciado homem no Planeta Terra depende da existncia de outrosseres, merecendo especial ateno do homem todos os ecossis-temas naturais e sociais do planeta.

De acordo com os diversos enfoques utilizados na defini-o de meio ambiente pode-se sustentar vrias classificaes.Para Mazzilli (2005, p. 143), o meio ambiente pode ser conside-rado sob os seguintes aspectos:

- meio ambiente natural: o meio ambiente constitudopela natureza, sem interveno do homem, dele fazendo parte: osolo, a gua, a flora, etc.;

- meio ambiente artificial: o meio ambiente formadopela ao do homem, podendo ser citado o meio ambiente urbanocomo exemplo clssico desta espcie;

- meio ambiente cultural: o meio ambiente formado porvalores culturais, histricos, paisagsticos, que retratam a culturae a vida de um povo;

205

- meio ambiente do trabalho: o meio ambiente decor-rente da atividade laborativa do homem, envolvendo no apenasas questes ecolgicas do local de trabalho, mas alcanando tam-bm as questes afetas sade, segurana, higiene e bem-estardas condies de trabalho.

Apesar de sua relevncia para todos os ecossistemas doplaneta, foroso reconhecer que o direito existe como regra-mento de conduta a ser observado pelo homem, competindo aeste enquanto ser racional e social, defend-lo para as presentese futuras geraes, cuja existncia depende da existncia de todosos demais seres. Logo, a responsabilidade da humanidade fun-damental para a preservao do meio ambiente.

COMPETNCIA PA

Recommended

View more >