liber 777 - aleister crowley

Download Liber 777 - Aleister Crowley

Post on 24-Jul-2015

1.323 views

Category:

Documents

9 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Liber 777Gerado em 03/05/2012. Para obter possveis revises e/ou captulos ausentes neste e-book, acesse: http://hadnu.org/liber-777.

Translation sourceTraduzido por Frater S.R.

IntroduoO QUE SEGUE uma tentativa de sistematizar de modo parecido os dados do misticismo e os resultados da religio comparada. O ctico aplaudir nossos trabalhos, pois a grande catolicidade dos smbolos lhes nega qualquer validade objetiva, uma vez que, em tantas contradies, algo deve ser falso; enquanto o mstico vai alegrar-se igualmente, pois a mesma catolicidade que abrange tudo prova essa grande validade, pois afinal de contas algo deve ser verdadeiro. Felizmente, aprendemos a combinar essas idias, no na tolerncia mtua dos sub-contrrios, mas na afirmao dos contrrios, que a superao das leis da inteligncia que loucura no homem comum, o gnio no Super-homem, que chegaste para arrancar mais grilhes de nosso entendimento. O selvagem que no

pode imaginar o nmero seis, o matemtico ortodoxo que no pode imaginar a quarta dimenso, o filsofo que no pode imaginar o Absoluto - todos esses so um, todos devem ser impregnados com a Essncia Divina do Yod Flico do Macroprosopo, e dar luz a sua idia. A Verdade (podemos concordar com Balzac), o Absoluto retrocede; ns nunca o compreendemos, mas na viagem h alegria. Eu no sou melhor do que u m estafilococo porque minhas aglomeram-se em correntes? Mas ns divagamos. As ltimas tentativas de tabular o conhecimento so o Kabbala Denudata de Knorr von Rosenroth (uma obra incompleta e, em algumas de suas partes, prostituda a servio da interpretao dogmtica), o simbolismo periddo da Cripta em que Christian Rosenkreutz dito ter sido enterrado, alguns dos trabalhos do Dr. Dee e Sir Edward Kelly, algumas idias ainda

tabelas muito imperfeitas em Cornelius Agrippa, a "Arte" de Raymond Lully, alguns dos derrames muito artificiais dos teosofistas esotricos, e nos ltimos anos o conhecimento da Ordem Ros Rube et Aure Crucis e da Ordem Hermtica da Aurora Dourada. Infelizmente, o esprito de liderana nestas ltimas sociedades descobriu que a sua orao: "D-nos hoje o nosso usque dirio, e apenas um drappie mair pequenino para dar sorte!" foi severamente respondida: "Quando voc nos tiver dado este dia nossa Lio-de-conhecimento diria." Nestas circunstncias Daath se misturou com Dewar, e Belzebu com Buchanan. Mas mesmo o melhor destes sistemas excessivamente volumoso; mtodos modernos nos permitiram concentrar a substncia de vinte mil pginas em duas linhas. A melhor das tentativas srias de sistematizar os

resultados da Religio Comparada aquela feita por Blavatsky. Mas apesar de que ela tivesse um gnio imenso para a aquisio de fatos, ela no tinha nenhum para classificar e selecionar o essencial. Grant Allen fez uma experincia muito desleixada nesta linha; assim fizeram alguns dos racionalistas polmicos; mas o nico homem digno de nossa nota Frazer com seu Golden Bough. Aqui, novamente, no h tabulao; deixado para ns o sacrifcio do encanto literrio, e at mesmo algum rigor, a fim de trazer para fora o nico grande ponto. Que este: que quando um japons pensa em Hachiman, e um Boer no Senhor das Hostes, no so dois pensamentos, mas um. A causa do sectarismo humano no a falta de simpatia no pensamento, mas sim no discurso, e este o nosso desenho ambicioso para remedi-lo.

Cada nova seita agrava a situao. Especialmente as americanas, grosseiramente e crapulosamente ignorantes como elas so dos rudimentos da linguagem humana, agarram como cachorros viralatas os ossos podres de seu macaco-tagarela ptrido, e roem e rasgam-no com rosnados e uivos ferozes. A prostituta mental, a Sra. Eddy (por exemplo), tendo inventado a idia de que as pessoas comuns que chamam "Deus", batizou isso de "Mente", e ento ao afirmar um conjunto de proposies sobre a "Mente", que s so verdadeiras sobre "Deus", determinou tudo histrico, disppsico, Amurrka louco por orelhas. Particularmente, eu no me oponho a pessoas discutindo as propriedades do tringulo de quatro lados; mas eu estipulo um limite quando usam uma palavra bem conhecida, como porco, ou curador mental, ou monte de esterco, para denotar o objeto do seu fetichismo paranico. Mesmo entre os filsofos srios a confuso muito

Mesmo entre os filsofos srios a confuso muito grande. Tais termos, como Deus, o Absoluto, Esprito, tm dezenas de conotaes, de acordo com a hora e o local da disputa e das crenas dos disputantes. Tempo suficiente que estas definies e sua interrelao devesse ser cristalizada, mesmo custa de preciso filosfica aceita. 2. As principais fontes de nossas tabelas foram os filsofos e os sistemas tradicionais acima mencionados, como tambm, entre muitos outros, Pietri di Abano, Lilly, Eliphas Levi, Sir R. Burton, Swami Vivekananda, os hindus, os budistas e os chineses, o Alcoro e os seus comentadores, o Livro dos Mortos, e, em particular, pesquisa original. Os sistemas chins, hindu, budista, muulmano e egpcio nunca antes foram alinhados com a Cabala; o Tar nunca foi tornado pblico. Eliphas Levi conhecia as verdadeiras atribuies, mas foi proibido de us-las.*

foi proibido de us-las.* * Isso provavelmente verdade, embora de acordo com a declarao do desacreditador da doutrina de Levi e o difamador de sua personalidade nobre. Todo esse mistrio muito idiota. Um Arcano indicvel um arcano que no pode ser revelado. simplesmente m f fazer um homem jurar as sanes mais horrveis se ele trair..., etc, e, em seguida, cham-lo misteriosamente parte e confidenciar-lhe o Alfabeto Hebraico para que o possa manter seguro. Isto , talvez, apenas ridculo; mas uma impostura mpia fingir que o recebeu a partir dos manuscritos Rosacruzes que se encontram no Museu Britnico. Obter dinheiro nestas bases, como tem sido feito por alguns recentemente, uma fraude clara (e, espero, indicivel). Os segredos dos adeptos no devem ser revelados aos homens. Ns apenas desejamos que eles sejam.

Quando um homem vem a mim e pede pela Verdade, eu vou embora e pratico ensinar Clculo Diferencial para um bosqumano; e eu s respondo o primeiro quando eu tiver sucesso com este ltimo. Mas, reter o Alfabeto do Misticismo do aluno o artifcio de um charlato egosta. O que pode ser ensinado deve ser ensinado, e o que no pode ser ensinado pode finalmente ser aprendido. 3. Como um guerreiro cansado mas vitorioso se deleita ao recordar suas batalhas - Fortisan hc olim meminisse juvabit* - ns demoraremos um pouco sobre as dificuldades de nossa tarefa. * [Lat. aprox. "Talvez seja agradvel recordar estas coisas um dia."] A questo dos alfabetos sagrados foi abandonada como incorrigvel. Como algum que deve provar a natureza da mulher, o mais profundo que vai mais podre ele tem, de modo que, finalmente, v-se que no h um

fundo seguro. Tudo arbitrrio*; retirando as substncias custicas e adotando um tratamento protetivo, apontamos para os curativos limpos e bonitos e pedimos para o clnico admirar! Para dar um exemplo concreto: o T ingls claramente equivalente em som ao hebraico ,ao grego, ao rabe e ao copta , mas a numerao no a mesma.Novamente, temos uma analogia clara em forma (talvez toda uma srie de analogias), que, comparando os alfabetos modernos com exemplos primevos, rompe-se e indecifrvel. * Talvez todo simbolismo seja, em ltima anlise, assim; no h relao necessria entre pensar na idia de uma me, o som do choro da criana "Ma", e a combinao de linhas ma. Este, tambm, o caso extremo, uma vez que "ma" o som produzido naturalmente apenas abrindo a boca e respirando. Hindus faria um grande alarde sobre esta conexo verdadeira; mas quase a nica. Todos esses belos

esquemas quebram mais cedo ou mais tarde, a maioria mais cedo. A mesma dificuldade em outra forma permeia a questo dos deuses. Sacerdotes, para propiciar seu fetiche local, lisonjeariam-lhe com o ttulo de criador; filsofos, com uma viso mais ampla, descreveriam identidades entre muitos deuses, tempo e a natureza deuses como universalmente; o a fim de obter uma unidade. O gregria do homem ergueram idias desenvolvidas mais sectarismo elaborou falsas

distines entre deuses idnticos para fins polmicos. Assim, onde vamos colocar sis, favorecendo a ninfa do milho como ela era? Como o tipo maternidade? Como a lua? Como a grande deusa da Terra? Como a Natureza? Como o Ovo Csmico de onde surgiu toda a Natureza? Pois assim como a hora e o local mudaram, assim tambm ela tudo isso!

O que se passa com Jeov, aquele rabugento snior do Gnesis, aquele legislador do Levtico, aquele Phallus dos despovoados escravos dos egpcios, aquele ReiDeus zeloso dos tempos dos Reis, aquela concepo mais espiritual do cativeiro, apenas inventou quando toda a esperana temporal estava perdida, aquele campo batalha medieval de lgica talhada em cruz, aquele Ser despido de seus atributos e equiparado a Parabrahman e ao Absoluto do Filsofo? Satans, novamente, em J, que meramente Promotor-Geral e persevera pela Coroa, adquire com o tempo toda difamao anexa ao funcionrio nos olhos das classes penais, e se torna um caluniador. Ser que algum realmente acha que qualquer anjo to tolo a ponto de tentar enganar o Deus Onisciente em injustia para com os seus santos? Ento, por outro lado, o que se passa com Moloch, essa forma de Jeov denunciada por aqueles que no

forma de Jeov denunciada por aqueles que no retiraram lucros enormes em seus ritos? O que se passa com o Jesus selvagem e rabugento dos evanglicos, cortado por suas malcias mesquinhas do Jesus gentil das crianas italianas? Como vamos identificar o chauvinista taumaturgo de Mateus com o Logos metafsico de Joo? Em suma, enquanto a mente humana mvel, assim iro as definies de todos os nossos termos variar. Mas necessrio estabelecer-se em uma coisa: regras ruins so melhores do que no ter regras em geral. Podemos ento esperar que os nossos crticos ajudaro a reconhecer nossa fraqueza; e se for decidido que muita aprendizagem fez-nos loucos, que possamos receber um tratame