lei rouanet - 23 anos de incentivo À ?· vicente finageiv filho lei rouanet – 23 anos de...

Download LEI ROUANET - 23 ANOS DE INCENTIVO À ?· Vicente Finageiv Filho LEI ROUANET – 23 ANOS DE INCENTIVO…

Post on 15-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • LEI ROUANET - 23 ANOS DE INCENTIVO CULTURA

    Trabalho de Concluso de Curso apresentado

    como parte dos requisitos para obteno do

    grau de Especialista em Gesto Pblica.

    Aluno: Vicente Finageiv Filho

    Orientador: Prof. Dr. Frederico Augusto

    Barbosa da Silva

    Braslia DF Novembro/2014

  • Vicente Finageiv Filho

    LEI ROUANET 23 ANOS DE INCENTIVO CULTURA

    Vicente Finageiv Filho

    Ministrio da Cultura

    Desconcentrao, participao e mediao.

    Em 26 de dezembro de 2014, a Lei Rouanet completa 23 anos de existncia.

    Nesse perodo, a Lei operou transformaes no mercado cultural e na sociedade. Ficou

    conhecida pelo mecanismo que obteve mais recursos para a produo artstica: o Incentivo

    Fiscal. Perna de um trip concebido para apoio cultura, obviamente no supriu as

    deficincias dos outros dois o financiamento reembolsvel - Ficart e o Fundo Nacional da

    Cultura FNC.

    Superestimado, o Incentivo concentrou recursos e aes nas regies mais

    desenvolvidas economicamente e dispensou as crticas e a participao popular para a

    conduo da poltica. Seguiu impassvel esses anos como bastio da defesa do liberalismo

    contra o dirigismo. Eis que essa maioridade impe um amadurecimento desse

    posicionamento. justo seguir concentrando recursos e deixar ao sabor do mercado a

    orientao da poltica cultural?

    Uma grande mediao se faz necessria. Mediao entre novos patrocinadores e novos

    artistas e produtores. Mediao entre os artistas e o seu pblico e as novas plateias. E a

    participao da sociedade dividindo as responsabilidades para com a governana poltica.

  • Vicente Finageiv Filho

    1

    INTRODUO

    A Lei Federal de Incentivo Cultura (Lei n. 8.313, de 26/12/1991), conhecida como

    Lei Rouanet, embora vigente h 23 anos, no teve avaliada a efetividade de sua poltica de

    incentivos fiscais cultura. O texto da Lei estabeleceu os princpios e objetivos desse

    instrumento, mas no definiu os indicadores de aferio e as respectivas metas para a

    renncia. Resulta que esse mecanismo de incentivo fiscal disponibilizou recursos produo

    cultural ao longo de todos esses anos sem conhecer a variao dos cenrios tanto em termos

    de volume (quantitativo gerado) quanto de alcance da poltica (qualitativo).

    O presente estudo levanta alguns aspectos do mecanismo de incentivo fiscal, baseados

    em informaes disponveis no Sistema de Apoio s Leis de Incentivo Cultura Salic, que

    acessa a base de dados dos projetos encaminhados ao Programa Nacional de Apoio Cultura

    PRONAC, institudo pela Lei Rouanet.

    Nesse contexto, verificaremos a distribuio espacial dos recursos, dos proponentes,

    dos projetos realizados e tambm a distribuio pelas diversas linguagens artsticas e

    segmentos. A inteno montar um quadro, baseado exclusivamente em dados confiveis do

    Salic, do qual se possa vislumbrar a viso atual dos resultados obtidos pelo mecanismo de

    incentivo fiscal, baseado no advento da Lei de Incentivo Cultura.

    As polticas de incentivos fiscais em grande parte so originrias da vontade poltica e

    de situaes singulares de necessidade de estmulo a determinado setor econmico. O

    Tribunal de Contras da Unio - TCU, em recente estudo acerca da Renncia Fiscal

    Relatrio de Levantamento de Auditoria TC 018.259/2013-8 concluiu que (...) impende

    instituir mecanismos de avaliao das aes governamentais realizadas com base em

    renncias tributrias com o fim de estimar em que medida tais polticas esto atingindo o

    objetivo a que se destinam e se os resultados obtidos justificam a permanncia de tais

    polticas. Destaca que (...) o MinC afirmou no possuir nenhum estudo especfico que

    contenha avaliao dos resultados alcanados pelo Programa Nacional de Apoio Cultura

    (Lei Rouanet), que um instrumento da poltica pblica no setor cultural em vigor desde

    1991.

    Do referido relatrio resultou o Acrdo n 1205/2014-TCU-Plenrio que, entre outras

    recomendaes, indicou: Casa Civil da Presidncia da Repblica, (...), que: (...) 9.1.2

    quando da anlise de propostas de atos normativos instituidores de renncias tributrias,

  • Vicente Finageiv Filho

    2

    verifique se h prazo de vigncia previsto, de forma a garantir revises peridicas dos

    benefcios tributrios; Tambm Casa Civil e ao MPOG e MF 9.2.2 orientar os

    ministrios setoriais responsveis pela gesto de aes governamentais financiadas por

    renncias tributrias quanto elaborao de metodologia de avaliao da eficincia, eficcia e

    efetividade dos programas ou projetos que utilizam recursos renunciados em decorrncia de

    benefcios tributrios, incluindo o cronograma e a periodicidade das avaliaes;

    Dessa forma, o presente artigo vem ao encontro das preocupaes mais recentes dos

    rgos de controle federais e do processo de implantao da Lei do ProCultura a nova base

    legal do Apoio Cultura, que conter mecanismos renovados, ensejando a reviso de todos os

    procedimentos regulatrios atualmente em vigor.

  • Vicente Finageiv Filho

    3

    A Lei Federal de Incentivo Cultura - LEI ROUANET

    O estudo partiu inicialmente da ideia de se comparar o volume e desempenho da cena

    cultural e artstica - sobretudo nas reas ligadas produo de eventos, espetculos, atividades

    continuadas, ensino, criao e manuteno de instituies, produo literria, audiovisual,

    alm da proteo ao patrimnio verificados antes da Lei Rouanet e aps sua implantao, o

    que seria uma medida do alcance da poltica. A variao da oferta de bens culturais

    consumveis seria ento medida e comparada com o volume de recursos oramentrios

    despendidos e tributrios renunciados. Haveria que se conhecer o PIB da Cultura

    previamente ao advento da Lei do Mecenato e sua variao posterior. Essa medio atenderia

    a avaliao da eficincia do mecanismo. J a medida de sua eficcia estaria prejudicada em

    funo do no estabelecimento prvio de metas. A efetividade seria avaliada pelos benefcios

    gerados populao em funo do diferencial de acesso cultura propiciado pelo Programa,

    que poderia ser medido por indicadores que traduzissem: o aumento do repertrio de

    referncias; o incremento na formao de plateias; a elevao do nvel de criticidade e de

    discusso do contexto; o crescimento da cidadania; da autoestima; do pertencimento; da

    valorizao da arte e da cultura; da conscincia; do autoconhecimento; da sensibilidade ao

    intangvel; da capacidade de reflexo; da alteridade e, sintetizando, sobretudo, o

    desenvolvimento do processo de construo identitria cultural, base edificadora de uma

    sociedade consciente que se quer mais justa, humana e sustentavelmente desenvolvida.

    Jos Carlos Durand, em seu livro Poltica Cultural e Economia da Culturai aponta

    que Em nenhum pais desenvolvido, a anlise do desempenho da gesto cultural pblica

    prescinde da construo de paisagens feita com rigor estatstico. E complementa: Em

    pases onde o controle popular sobre o oramento de governo se firma no princpio da

    responsabilizao (accountability) como os Estados Unidos , o financiamento de todo e

    qualquer programa ou projeto deve considerar suas consequncias sobre a melhoria do acesso

    (access), entendida a a ampliao de pblico, ou modificao em sua composio social para

    estratos menos favorecidos, ou melhoria de repertrios de gosto. Naquele pas, tal cuidado

    no se aplica apenas a verbas de governo, mas tambm critrio cada vez mais determinante

    nas decises das fundaes e das corporaes empresariais.

    Contudo, a matria reveste-se de dificuldades inerentes ao objeto de estudo, tendo em

    vista que os resultados a serem alcanados exigem laboriosa e extensa pesquisa e

  • Vicente Finageiv Filho

    4

    quantificao, alm de demandarem o levantamento de componentes subjetivos como gosto,

    preferncias e motivaes. Ademais, o que se produz so estudos isolados. Dados,

    indicadores, estatsticas, definies, levantamentos e a metodologia para esse trabalho, bem

    como a instituio da conta-satlite da Cultura, que aportar a contribuio da cultura para o

    PIB Brasileiro, ainda no se tornaram realidade. Tambm no se pode comparar a avaliao

    de uma poltica cultural com outras polticas, tais como o saneamento, a segurana ou o

    transporte, cujos reflexos mais circunscritos a suas reas de abrangncia delimitam com maior

    preciso seus alcances. Ademais, h que se considerar o montante dos oramentos familiares

    destinados ao lazer e cultura, responsveis pelo desembolso direto e consequente

    sustentao da parcela da economia da cultura que no se ampara ou no depende das

    polticas pblicas.

    Apesar de no se terem definido previamente as metas a serem atingidas pela poltica

    em estudo, possvel fazer alguns levantamentos e tecer algumas consideraes acerca de seu

    alcance a partir das finalidades, objetivos e principais caractersticas definidas na Lei

    8.313/91, numa espcie de autoavaliao do mecanismo do Incentivo Fiscal ao cabo de sua

    existncia. Ressalto que o citado mecanismo, por fora da visibilidade que alcana, em razo

    dos expressivos volumes de recursos que movimenta, tem sido chamado a dar conta de toda a

    poltica cultural federal seara que no lhe prpria, obviamente, por sua vocao,

    finalidades e limitaes.

    Na sequncia deste trabalho, a partir do texto da lei, registraremos nossas

    consideraes estritamente acerca do mecanismo do Incentivo Fiscal.

    Art. 1 Fica institudo o Programa Nac