lei 12.546 2013 - desoneração folha

Download Lei 12.546 2013 - Desoneração Folha

Post on 05-Nov-2015

21 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Lei 12.546 2013 - Desoneração Folha

TRANSCRIPT

  • Presidncia da RepblicaCasa Civil

    Subchefia para Assuntos Jurdicos

    LEI N 12.546, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011.

    Converso da Medida Provisria n 540, de 2011

    Mensagem de veto

    Vigncia

    Produo de efeito

    (Vide Lei n 13.043, de 2014) Vigncia

    (Vide Medida Provisria n 669, de 2015) Vigncia

    Institui o Regime Especial de Reintegrao de Valores Tributrios para asEmpresas Exportadoras (Reintegra); dispe sobre a reduo do Imposto sobreProdutos Industrializados (IPI) indstria automotiva; altera a incidncia dascontribuies previdencirias devidas pelas empresas que menciona; altera asLeis no 11.774, de 17 de setembro de 2008, no 11.033, de 21 de dezembro de2004, no 11.196, de 21 de novembro de 2005, no 10.865, de 30 de abril de 2004,no 11.508, de 20 de julho de 2007, no 7.291, de 19 de dezembro de 1984, no11.491, de 20 de junho de 2007, no 9.782, de 26 de janeiro de 1999, e no 9.294,de 15 de julho de 1996, e a Medida Provisria no 2.199-14, de 24 de agosto de2001; revoga o art. 1o da Lei no 11.529, de 22 de outubro de 2007, e o art. 6o doDecreto-Lei no 1.593, de 21 de dezembro de 1977, nos termos que especifica; ed outras providncias.

    A PRESIDENTA DA REPBLICA Fao saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

    Art. 1o institudo o Regime Especial de Reintegrao de Valores Tributrios para as Empresas Exportadoras (Reintegra), com o objetivo de reintegrarvalores referentes a custos tributrios federais residuais existentes nas suas cadeias de produo.

    Art. 2o No mbito do Reintegra, a pessoa jurdica produtora que efetue exportao de bens manufaturados no Pas poder apurar valor para fins deressarcir parcial ou integralmente o resduo tributrio federal existente na sua cadeia de produo.

    1o O valor ser calculado mediante a aplicao de percentual estabelecido pelo Poder Executivo sobre a receita decorrente da exportao de bensproduzidos pela pessoa jurdica referida no caput.

    2o O Poder Executivo poder fixar o percentual de que trata o 1o entre zero e 3% (trs por cento), bem como poder diferenciar o percentual aplicvelpor setor econmico e tipo de atividade exercida.

    3o Para os efeitos deste artigo, considera-se bem manufaturado no Pas aquele:

    I classificado em cdigo da Tabela de Incidncia do Imposto sobre Produtos Industrializados (Tipi), aprovada pelo Decreto no 6.006, de 28 de dezembrode 2006, relacionado em ato do Poder Executivo; e

    II cujo custo dos insumos importados no ultrapasse o limite percentual do preo de exportao, conforme definido em relao discriminada por tipo debem, constante do ato referido no inciso I deste pargrafo.

    4o A pessoa jurdica utilizar o valor apurado para:

    I efetuar compensao com dbitos prprios, vencidos ou vincendos, relativos a tributos administrados pela Secretaria da Receita Federal do Brasil,observada a legislao especfica aplicvel matria; ou

    II solicitar seu ressarcimento em espcie, nos termos e condies estabelecidos pela Secretaria da Receita Federal do Brasil.

    5o Para os fins deste artigo, considera-se exportao a venda direta ao exterior ou empresa comercial exportadora com o fim especfico de exportaopara o exterior.

    6o O disposto neste artigo no se aplica a:

    I empresa comercial exportadora; e

    II bens que tenham sido importados.

    7o A empresa comercial exportadora obrigada ao recolhimento do valor atribudo empresa produtora vendedora se:

    I revender, no mercado interno, os produtos adquiridos para exportao; ou

    II no prazo de 180 (cento e oitenta) dias, contado da data da emisso da nota fiscal de venda pela empresa produtora, no houver efetuado a exportaodos produtos para o exterior.

    8o O recolhimento do valor referido no 7o dever ser efetuado at o dcimo dia subsequente ao do vencimento do prazo estabelecido para a efetivaoda exportao, acrescido de multa de mora ou de ofcio e de juros equivalentes taxa referencial do Sistema Especial de Liquidao e de Custdia (Selic), parattulos federais, acumulada mensalmente, calculados a partir do primeiro dia do ms subsequente ao da emisso da nota fiscal de venda dos produtos para aempresa comercial exportadora at o ltimo dia do ms anterior ao do pagamento, e de 1% (um por cento) no ms do pagamento.

    8o O recolhimento do valor referido no 7o dever ser efetuado at o dcimo dia subsequente ao do vencimento do prazo estabelecido para a efetivaoda exportao, acrescido de multa de mora ou de ofcio e de juros equivalentes taxa referencial do Sistema Especial de Liquidao e de Custdia (Selic), parattulos federais, acumulada mensalmente, calculados a partir do primeiro dia do ms subsequente ao da emisso da nota fiscal de venda dos produtos para aempresa comercial exportadora at o ltimo dia do ms anterior ao do pagamento, e de 1% (um por cento) no ms do pagamento.

    8o O recolhimento do valor referido no 7o dever ser efetuado at o dcimo dia subsequente: (Redao dada Medida Provisria n 556, de 2011) Semeficcia

    I - ao da revenda no mercado interno; ou (Includo Medida Provisria n 556, de 2011) Sem eficciaII - ao do vencimento do prazo estabelecido para a efetivao da exportao. (Includo Medida Provisria n 556, de 2011) Sem eficcia

    8o O recolhimento do valor referido no 7o dever ser efetuado at o dcimo dia subsequente: (Redao dada pela Lei n 12.688, de 2012)

    I - ao da revenda no mercado interno; ou (Includo pela Lei n 12.688, de 2012)

    II - ao do vencimento do prazo estabelecido para a efetivao da exportao. (Includo pela Lei n 12.688, de 2012)

  • 9o O recolhimento do valor referido no 7o dever ser efetuado acrescido de multa de mora ou de ofcio e de juros equivalentes taxa referencial doSistema Especial de Liquidao e de Custdia - SELIC, para ttulos federais, acumulada mensalmente, calculados a partir do primeiro dia do ms subsequente aoda emisso da nota fiscal de venda dos produtos para a empresa comercial exportadora at o ltimo dia do ms anterior ao do pagamento, e de um por cento noms do pagamento. (Includo Medida Provisria n 556, de 2011) Sem eficcia

    9o O recolhimento do valor referido no 7o dever ser efetuado acrescido de multa de mora ou de ofcio e de juros equivalentes taxa referencial doSistema Especial de Liquidao e de Custdia (Selic), para ttulos federais, acumulada mensalmente, calculados a partir do primeiro dia do ms subsequente aoda emisso da nota fiscal de venda dos produtos para a empresa comercial exportadora at o ltimo dia do ms anterior ao do pagamento, e de 1% (um porcento) no ms do pagamento. (Includo pela Lei n 12.688, de 2012)

    10. As pessoas jurdicas de que tratam os arts. 11-A e 11-B da Lei n 9.440, de 14 de maro de 1997, e o art. 1 na Lei n 9.826, de 23 de agosto de 1999,podero requerer o REINTEGRA. (Includo Medida Provisria n 556, de 2011) Sem eficcia

    10. As pessoas jurdicas de que tratam os arts. 11-A e 11-B da Lei no 9.440, de 14 de maro de 1997, e o art. 1o da Lei no 9.826, de 23 de agosto de1999, podero requerer o Reintegra. (Includo pela Lei n 12.688, de 2012)

    11. Do valor apurado referido no caput: (Includo Medida Provisria n 556, de 2011) Sem eficciaI - dezessete inteiros e oitenta e quatro centsimos por cento correspondero a crdito da Contribuio para o PIS/PASEP; e (Includo Medida Provisria n

    556, de 2011) Sem eficciaII - oitenta e dois inteiros e dezesseis centsimos por cento correspondero a crdito da COFINS. (Includo Medida Provisria n 556, de 2011) Sem

    eficcia

    11. Do valor apurado referido no caput: (Includo pela Lei n 12.688, de 2012)

    I - 17,84% (dezessete inteiros e oitenta e quatro centsimos por cento) correspondero a crdito da Contribuio para o PIS/Pasep; e (Includo pela Lein 12.688, de 2012)

    II - 82,16% (oitenta e dois inteiros e dezesseis centsimos por cento) correspondero a crdito da Cofins. (Includo pela Lei n 12.688, de 2012)

    12. No sero computados na apurao da base de clculo da Contribuio para o PIS/Pasep e da Cofins os valores ressarcidos no mbito doReintegra. (Includo pela Lei n 12.844, de 2013)

    Art. 3o O Reintegra aplicar-se- s exportaes realizadas at 31 de dezembro de 2012.Art. 3 O Reintegra ser aplicado s exportaes realizadas at 31 de dezembro de 2013. (Redao dada pela Medida Provisria n 601, de 2012)

    (Vigncia encerrada)

    Art. 3o O Reintegra aplicar-se- s exportaes realizadas: (Redao dada pela Lei n 12.844, de 2013) (Vigncia)

    I - de 4 de junho de 2013 at 31 de dezembro de 2013; e (Includo pela Lei n 12.844, de 2013)

    II - (VETADO). (Includo pela Lei n 12.844, de 2013)

    Art. 4o O art. 1o da Lei no 11.774, de 17 de setembro de 2008, passa a vigorar com a seguinte redao:

    Art. 1o As pessoas jurdicas, nas hipteses de aquisio no mercado interno ou de importao de mquinas e equipamentosdestinados produo de bens e prestao de servios, podero optar pelo desconto dos crditos da Contribuio para o Programade Integrao Social/Programa de Formao do Patrimnio do Servidor Pblico (PIS/Pasep) e da Contribuio para Financiamento daSeguridade Social (Cofins) de que tratam o inciso III do 1o do art. 3o da Lei no 10.637, de 30 de dezembro de 2002, o inciso III do 1o do art. 3o da Lei no 10.833, de 29 de dezembro de 2003, e o 4o do art. 15 da Lei no 10.865, de 30 de abril de 2004, da seguinteforma:

    I no prazo de 11 (onze) meses, no caso de aquisies ocorridas em agosto de 2011;

    II no prazo de 10 (dez) meses, no caso de aquisies ocorridas em setembro de 2011;

    III no prazo de 9 (nove) meses, no caso de aquisies ocorridas em outubro de 2011;

    IV no prazo de 8 (oito) meses, no caso de aquisies ocorridas em novembro de 2011;

    V no prazo de 7 (sete) meses, no caso de aquisies ocorridas em dezembro de 2011;

    VI no prazo de 6 (seis)