LDO 2013 - lei 12708

Download LDO 2013 - lei 12708

Post on 18-Dec-2014

22 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<p>L12708</p> <p>Pgina 1 de 59</p> <p>Presidncia da RepblicaCasa CivilSubchefia para Assuntos JurdicosLEI N 12.708, DE 17 DE AGOSTO DE 2012. Dispe sobre as diretrizes para a elaborao e execuo da Lei Oramentria de 2013 e d outras providncias.</p> <p>Mensagem de veto</p> <p>A PRESIDENTA DA REPBLICA Fao saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: DISPOSIO PRELIMINAR Art. 1o So estabelecidas, em cumprimento ao disposto no art. 165, 2o, da Constituio, e na Lei Complementar no 101, de 4 de maio de 2000, Lei de Responsabilidade Fiscal, as diretrizes oramentrias da Unio para 2013, compreendendo: I - as metas e prioridades da administrao pblica federal; II - a estrutura e organizao dos oramentos; III - as diretrizes para a elaborao e execuo dos oramentos da Unio e suas alteraes; IV - as disposies para as transferncias; V - as disposies relativas dvida pblica federal; VI - as disposies relativas s despesas com pessoal e encargos sociais e benefcios aos servidores, empregados e seus dependentes; VII - a poltica de aplicao dos recursos das agncias financeiras oficiais de fomento; VIII - as disposies sobre alteraes na legislao e sua adequao oramentria; IX - as disposies sobre a fiscalizao pelo Poder Legislativo e sobre as obras e os servios com indcios de irregularidades graves; X - os custos de obras e servios de engenharia; XI - as disposies sobre transparncia; e XII - as disposies finais. CAPTULO I DAS METAS E PRIORIDADES DA ADMINISTRAO PBLICA FEDERAL Art. 2o A elaborao e a aprovao do Projeto de Lei Oramentria de 2013, bem como a execuo da respectiva Lei, devero ser compatveis com a obteno da meta de supervit primrio, para o setor pblico consolidado no financeiro de R$ 155.851.000.000,00 (cento e cinquenta e cinco bilhes e oitocentos e cinquenta e um milhes de reais), sendo R$ 108.090.000.000,00 (cento e oito bilhes e noventa milhes de reais) para os Oramentos Fiscal e da Seguridade Social e R$ 0,00 (zero real) para o Programa de Dispndios Globais, conforme demonstrado no Anexo de Metas Fiscais constante do Anexo IV. 1o As empresas dos Grupos Petrobras e Eletrobras no sero consideradas na meta de resultado</p> <p>http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2012/Lei/L12708.htm</p> <p>03/12/2012</p> <p>L12708</p> <p>Pgina 2 de 59</p> <p>primrio, de que trata o caput, relativa ao Programa de Dispndios Globais. 2o Poder haver, durante a execuo oramentria de 2013, compensao entre as metas estabelecidas para os Oramentos Fiscal e da Seguridade Social e para o Programa de Dispndios Globais de que trata o inciso VI do caput do art. 11. 3o (VETADO). Art. 3o A meta de supervit a que se refere o art. 2o poder ser reduzida at o montante de R$ 45.200.000.000,00 (quarenta e cinco bilhes e duzentos milhes de reais) relativos aos investimentos prioritrios de que trata o art. 4o desta Lei. 1o O montante de que trata o caput abrange, na execuo da Lei Oramentria de 2013, o valor dos respectivos restos a pagar. 2o A Lei Oramentria de 2013 observar, como redutor da meta primria, o montante constante do respectivo projeto. Art. 4o As prioridades e metas da administrao pblica federal para o exerccio de 2013, atendidas as despesas contidas no Anexo V e as de funcionamento dos rgos e das entidades que integram os Oramentos Fiscal e da Seguridade Social, correspondem s aes relativas ao PAC, ao Plano Brasil sem Misria - PBSM e ao Anexo VII desta Lei, as quais tero precedncia na alocao dos recursos no Projeto e na Lei Oramentria de 2013, no se constituindo, todavia, em limite programao da despesa. Pargrafo nico. (VETADO). CAPTULO II DA ESTRUTURA E ORGANIZAO DOS ORAMENTOS Art. 5o Para efeito desta Lei, entende-se por: I - programa, o instrumento de organizao da ao governamental visando concretizao dos objetivos pretendidos, sendo mensurado por indicadores estabelecidos no plano plurianual; II - (VETADO); III - (VETADO); IV - operao especial, as despesas que no contribuem para a manuteno, expanso ou aperfeioamento das aes do Governo federal, das quais no resulta um produto e no gera contraprestao direta sob a forma de bens ou servios; V - subttulo, o menor nvel da categoria de programao, sendo utilizado, especialmente, para especificar a localizao fsica da ao; VI - unidade oramentria, o menor nvel da classificao institucional; VII - rgo oramentrio, o maior nvel da classificao institucional, que tem por finalidade agrupar unidades oramentrias; VIII - concedente, o rgo ou a entidade da administrao pblica federal direta ou indireta responsvel pela transferncia de recursos financeiros, inclusive os decorrentes de descentralizao de crditos oramentrios; IX - convenente, o rgo ou a entidade da administrao pblica federal direta ou indireta dos governos federal, estaduais, municipais ou do Distrito Federal e as entidades privadas, com os quais a administrao pblica federal pactue a execuo de aes com transferncia de recursos financeiros;</p> <p>http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2012/Lei/L12708.htm</p> <p>03/12/2012</p> <p>L12708</p> <p>Pgina 3 de 59</p> <p>X - produto, bem ou servio que resulta da ao oramentria; XI - unidade de medida, unidade utilizada para quantificar e expressar as caractersticas do produto; e XII - meta fsica, quantidade estimada para o produto no exerccio financeiro. 1o As categorias de programao de que trata esta Lei sero identificadas no Projeto de Lei Oramentria de 2013 e na respectiva Lei, bem como nos crditos adicionais, por programas, projetos, atividades ou operaes especiais e respectivos subttulos, com indicao, quando for o caso, do produto, da unidade de medida e da meta fsica. 2o Ficam vedadas na especificao dos subttulos: I - alteraes do produto e da finalidade da ao; e II - referncias a mais de uma localidade, rea geogrfica ou beneficirio, se determinados. 3o A meta fsica deve ser indicada em nvel de subttulo e agregada segundo o respectivo projeto, atividade ou operao especial, devendo ser estabelecida em funo do custo de cada unidade do produto e do montante de recursos alocados. 4o (VETADO). 5o No Projeto de Lei Oramentria de 2013, deve ser atribudo a cada subttulo, para fins de processamento, um cdigo sequencial, que no constar da respectiva Lei, devendo as modificaes propostas nos termos do 5o do art. 166 da Constituio, preservar os cdigos sequenciais da proposta original. 6o As atividades que possuem a mesma finalidade devem ser classificadas sob um nico cdigo, independentemente da unidade executora. 7o O projeto deve constar de uma nica esfera oramentria, sob um nico programa. 8o A subfuno, nvel de agregao imediatamente inferior funo, dever evidenciar cada rea da atuao governamental, mesmo que a atuao se d mediante a transferncia de recurso a entidades pblicas ou privadas. 9o (VETADO). 10. (VETADO). Art. 6o Os Oramentos Fiscal e da Seguridade Social compreendero o conjunto das receitas pblicas, bem como das despesas dos Poderes e do Ministrio Pblico da Unio, seus fundos, rgos, autarquias, inclusive especiais, e fundaes institudas e mantidas pelo Poder Pblico, bem como das empresas pblicas, sociedades de economia mista e demais entidades em que a Unio, direta ou indiretamente, detenha a maioria do capital social com direito a voto e que dela recebam recursos do Tesouro Nacional, devendo a correspondente execuo oramentria e financeira, da receita e da despesa, ser registrada na modalidade total no SIAFI. Pargrafo nico. Excluem-se do disposto neste artigo: I - os fundos de incentivos fiscais, que figuraro exclusivamente como informaes complementares ao Projeto de Lei Oramentria de 2013; II - os conselhos de fiscalizao de profisso regulamentada, constitudos sob a forma de autarquia; e III - as empresas pblicas ou sociedades de economia mista que recebam recursos da Unio apenas em virtude de:</p> <p>http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2012/Lei/L12708.htm</p> <p>03/12/2012</p> <p>L12708</p> <p>Pgina 4 de 59</p> <p>a) participao acionria; b) fornecimento de bens ou prestao de servios; c) pagamento de emprstimos e financiamentos concedidos; e d) transferncia para aplicao em programas de financiamento, nos termos do disposto na alnea c do inciso I do caput do art. 159, e no 1 do art. 239, da Constituio. Art. 7o Os Oramentos Fiscal, da Seguridade Social e de Investimento discriminaro a despesa por unidade oramentria, com suas categorias de programao detalhadas no menor nvel, com as respectivas dotaes, especificando a esfera oramentria, o grupo de natureza de despesa, o identificador de resultado primrio, a modalidade de aplicao, o identificador de uso e a fonte de recursos. 1o A esfera oramentria tem por finalidade identificar se o oramento Fiscal (F), da Seguridade Social (S) ou de Investimento (I). 2o Os Grupos de Natureza de Despesa (GND) constituem agregao de elementos de despesa de mesmas caractersticas quanto ao objeto de gasto, conforme a seguir discriminados: I - pessoal e encargos sociais (GND 1); II - juros e encargos da dvida (GND 2); III - outras despesas correntes (GND 3); IV - investimentos (GND 4); V - inverses financeiras, includas quaisquer despesas referentes constituio ou aumento de capital de empresas (GND 5); e VI - amortizao da dvida (GND 6). 3o A Reserva de Contingncia, prevista no art. 13, ser classificada no GND 9. 4o O identificador de Resultado Primrio (RP) tem como finalidade auxiliar a apurao do supervit primrio previsto no art. 2o, devendo constar no Projeto de Lei Oramentria de 2013 e na respectiva Lei em todos os grupos de natureza de despesa, identificando, de acordo com a metodologia de clculo das necessidades de financiamento, cujo demonstrativo constar em anexo Lei Oramentria de 2013, nos termos do inciso IX do Anexo II, se a despesa : I - financeira (RP 0); II - primria e considerada na apurao do resultado primrio para cumprimento da meta, sendo: a) obrigatria, quando constar do Anexo V (RP 1); b) discricionria e no abrangida pelo PAC (RP 2); ou c) discricionria e abrangida pelo PAC (RP 3); III - primria constante do Oramento de Investimento e no considerada na apurao do resultado primrio para cumprimento da meta, sendo: a) discricionria e no abrangida pelo PAC (RP 4); ou b) discricionria e abrangida pelo PAC (RP 5). 5o Nenhuma ao conter, simultaneamente, dotaes destinadas a despesas financeiras e</p> <p>http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2012/Lei/L12708.htm</p> <p>03/12/2012</p> <p>L12708</p> <p>Pgina 5 de 59</p> <p>primrias, ressalvada a Reserva de Contingncia. 6o Os subttulos enquadrados no PAC no podero abranger dotaes com identificadores de resultado primrio diferentes de 3 e 5 (RP 3 e RP 5). 7o A Modalidade de Aplicao - MA destina-se a indicar se os recursos sero aplicados: I - diretamente, pela unidade detentora do crdito oramentrio ou, em decorrncia de descentralizao de crdito oramentrio, por outro rgo ou entidade integrante dos Oramentos Fiscal ou da Seguridade Social; II - indiretamente, mediante transferncia, por outras esferas de governo, seus rgos, fundos ou entidades ou por entidades privadas, exceto o caso previsto no inciso III deste pargrafo; ou III - indiretamente, mediante delegao, por outros entes da Federao ou consrcios pblicos para a aplicao de recursos em aes de responsabilidade exclusiva da Unio que impliquem preservao ou acrscimo no valor de bens pblicos federais. 8o A especificao da modalidade de que trata o 7o observar, no mnimo, o seguinte detalhamento: I - transferncia a administrao estadual (MA 30); II - transferncia a Estados e ao Distrito Federal - fundo a fundo (MA 31); III - delegao a administrao estadual (MA 32); IV - transferncia a administrao municipal (MA 40); V - transferncias a Municpios - fundo a fundo (MA 41); VI - delegao a administrao municipal (MA 42); VII - transferncia a entidade privada sem fins lucrativos (MA 50); VIII - transferncia a entidade privada com fins lucrativos (MA 60); IX - transferncia a consrcio pblico (MA 71); X - delegao a consrcio pblico (MA 72); XI - aplicao direta (MA 90); e XII - aplicao direta decorrente de operao entre rgos, fundos e entidades integrantes dos Oramentos Fiscal e da Seguridade Social (MA 91). 9o O empenho da despesa no poder ser realizado com modalidade de aplicao a definir (MA 99). 10. vedada a execuo oramentria de programao que utilize a designao a definir ou outra que no permita sua identificao precisa. 11. O Identificador de Uso - IU tem por finalidade indicar se os recursos compem contrapartida nacional de emprstimos ou de doaes, ou se so destinados a outras aplicaes, constando da Lei Oramentria de 2013 e dos crditos adicionais, no mnimo, pelos seguintes dgitos, que antecedero o cdigo das fontes de recursos: I - recursos no destinados contrapartida, exceto para identificao dos recursos destinados aplicao mnima em aes e servios pblicos de sade (IU 0);</p> <p>http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2012/Lei/L12708.htm</p> <p>03/12/2012</p> <p>L12708</p> <p>Pgina 6 de 59</p> <p>II - contrapartida de emprstimos do Banco Internacional para Reconstruo e Desenvolvimento BIRD (IU 1); III - contrapartida de emprstimos do Banco Interamericano de Desenvolvimento - BID (IU 2); IV - contrapartida de emprstimos por desempenho ou com enfoque setorial amplo (IU 3); V - contrapartida de outros emprstimos (IU 4); VI - contrapartida de doaes (IU 5); e VII - recursos no destinados contrapartida, para identificao dos recursos destinados aplicao mnima em aes e servios pblicos de sade (IU 6). Art. 8o Todo e qualquer crdito oramentrio deve ser consignado diretamente unidade oramentria qual pertencem as aes correspondentes, vedando-se a consignao de crdito a ttulo de transferncia a unidades oramentrias integrantes dos Oramentos Fiscal e da Seguridade Social. 1o No caracteriza infringncia ao disposto no caput, bem como vedao contida no inciso VI do caput do art. 167 da Constituio, a descentralizao de crditos oramentrios para execuo de aes pertencentes unidade oramentria descentralizadora. 2o As operaes entre rgos, fundos e entidades previstas nos Oramentos Fiscal e da Seguridade Social, ressalvado o disposto no 1o, sero executadas, obrigatoriamente, por meio de empenho, liquidao e pagamento, nos termos da Lei no 4.320, de 17 de maro de 1964, utilizando-se a modalidade de aplicao 91. Art. 9o O Projeto de Lei Oramentria de 2013 que o Poder Executivo encaminhar ao Congresso Nacional e a respectiva Lei sero constitudos de: I - texto da lei; II - quadros oramentrios consolidados relacionados no Anexo II; III - anexo dos Oramentos Fiscal e da Seguridade Social, contendo: a) receitas, discriminadas por natureza, identificando as fontes de recursos correspondentes a cada cota-parte de natureza de receita, o oramento a que pertence e a sua natureza financeira (F) ou primria (P), observado o disposto no art. 6o da Lei no 4.320, de 1964; e b) despesas, discriminadas na forma prevista no art. 7o e nos demais dispositivos pertinentes desta Lei; IV - discriminao da legislao da receita e da despesa, referente aos Oramentos Fiscal e da Seguridade Social; e V - anexo do Oramento de Investimento a que se refere o 5, inciso II,...</p>