laudo tÉcnico para caracterizaÇÃo de madeiras .emissão de um laudo técnico para...

Download LAUDO TÉCNICO PARA CARACTERIZAÇÃO DE MADEIRAS .emissão de um laudo técnico para caracterização

Post on 09-Nov-2018

215 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1

    FUPEF

    Fundao de Pesquisas Florestais do Paran FUPEF do Paran Fundao de Apoio da Universidade Federal do Paran Declarada de Utilidade Pblica pela Lei n 6443 de 09/08/73 CNPJ 75.045.104/0001-11

    Bloco do Centro de Cincias Florestais e da Madeira Campus III da UFPR, 80210-170 Av. Pref. Lothrio Meissner, 632 - Curitiba Paran. Fone (41) 3360 - 4222 - Fax (41) 3360 - 4221

    Home Page: http://www.fupef.ufpr.br e-mail fupef@ufpr.br

    LAUDO TCNICO PARA CARACTERIZAO DE MADEIRAS DO GNERO Eucalyptus

    Solicitante: Mademape Indstria Madeireira Ltda.

    Endereo: Avenida Ricieri Bernardi, n 635

    Campo do Fundo Campina Grande do Sul - Paran

    CEP 83.430-000

    CNPJ: 08.211.743/0001-12

    Insc. Estadual: 903.79652-91

    Solicitao: Caracterizao de madeiras do gnero Eucalyptus

    1. INTRODUO

    De acordo com a solicitao da Empresa Mademape Indstria Madeireira

    Ltda., a Fundao de Pesquisas Florestais do Paran Fupef, foi contratada para a

    emisso de um laudo tcnico para caracterizao das madeiras de Eucalyptus grandis

    e Eucalyptus saligna, as quais so fonte de matria prima para produo de madeira

    serrada pela empresa. Para o referido laudo tcnico, foi designado o Prof. Dr. Mrcio

    Pereira da Rocha, membro do corpo cientfico da Fupef.

  • 2

    FUPEF

    Fundao de Pesquisas Florestais do Paran FUPEF do Paran Fundao de Apoio da Universidade Federal do Paran Declarada de Utilidade Pblica pela Lei n 6443 de 09/08/73 CNPJ 75.045.104/0001-11

    Bloco do Centro de Cincias Florestais e da Madeira Campus III da UFPR, 80210-170 Av. Pref. Lothrio Meissner, 632 - Curitiba Paran. Fone (41) 3360 - 4222 - Fax (41) 3360 - 4221

    Home Page: http://www.fupef.ufpr.br e-mail fupef@ufpr.br

    2. COLETA DE DADOS

    A coleta dos dados consistiu numa visita empresa para identificao das

    espcies utilizadas. Aps a identificao, o responsvel tcnico realizou um

    levantamento bibliogrfico para a caracterizao e determinao das propriedades

    fsicas e mecnicas das espcies utilizadas pela empresa. A propriedade fsica obtida

    foi a densidade e as propriedades mecnicas foram compresso paralela s fibras e

    flexo esttica.

    3. RESULTADOS

    3.1 IDENTIFICAO DAS ESPCIES

    Na visita realizada na empresa, constatou-se que a mesma utiliza como matria

    prima para seus produtos, toras das espcies Eucalyptus grandis e Eucalyptus saligna,

    obtidas de florestas plantadas (Figura 1).

  • 3

    FUPEF

    Fundao de Pesquisas Florestais do Paran FUPEF do Paran Fundao de Apoio da Universidade Federal do Paran Declarada de Utilidade Pblica pela Lei n 6443 de 09/08/73 CNPJ 75.045.104/0001-11

    Bloco do Centro de Cincias Florestais e da Madeira Campus III da UFPR, 80210-170 Av. Pref. Lothrio Meissner, 632 - Curitiba Paran. Fone (41) 3360 - 4222 - Fax (41) 3360 - 4221

    Home Page: http://www.fupef.ufpr.br e-mail fupef@ufpr.br

    Figura 1. A Chegada de caminho com tiras na empresa. B Toras de Eucalyptus

    saligna e Eucalyptus grandis. C Madeira serrada de Eucalyptus grandis.

    A

    B

    C

  • 4

    FUPEF

    Fundao de Pesquisas Florestais do Paran FUPEF do Paran Fundao de Apoio da Universidade Federal do Paran Declarada de Utilidade Pblica pela Lei n 6443 de 09/08/73 CNPJ 75.045.104/0001-11

    Bloco do Centro de Cincias Florestais e da Madeira Campus III da UFPR, 80210-170 Av. Pref. Lothrio Meissner, 632 - Curitiba Paran. Fone (41) 3360 - 4222 - Fax (41) 3360 - 4221

    Home Page: http://www.fupef.ufpr.br e-mail fupef@ufpr.br

    3.2 CARACTERIZAO DAS ESPCIES

    3.2.1 Eucaliptus grandis

    De acordo com IPT (1989) as caractersticas do Eucalyptus grandis so:

    Nome cientfico: Eucalyptus grandis W. Hill ex Maiden, Myrtaceae.

    Caractersticas sensoriais: cerne e alburno distintos pela cor, cerne castanho rosado

    claro, aburno bege rosado, pouco brilho, cheiro e gosto imperceptveis, densidade

    baixa, macia ao corte, gr direita, textura fina a mdia.

    Descrio anatmica macroscpica: parnquima axial indistinto mesmo sob lente,

    paratraqueal vasicntrico escasso. Raios visveis apenas sob lente no topo, finos.

    Vasos visveis a olho nu, pequenos a mdios, poucos, porosidade difusa, arranjo

    diagonal, solitrios, obstrudos por tilos. Camadas de crescimento distintas

    individualizadas por zonas fibrosas tangenciais mais escuras.

    A Figura 2 apresenta viso macroscpica da madeira de Eucalyptus grandis.

    Figura 2. Caractersticas de Eucalyptus grandis. A face tangencial. B face radial. C fotomacrografia (10x).

    A

    B

    C

    Durabilidade natural: madeira considerada com moderada durabilidade aos fungos

    apodrecedores e cupins e com baixa durabilidade aos fungos de podrido mole e

    cupins de solo (Nasutitermes sp.).

    Tratabilidade: o cerne difcil de ser tratado, entretanto, o alburno permevel.

  • 5

    FUPEF

    Fundao de Pesquisas Florestais do Paran FUPEF do Paran Fundao de Apoio da Universidade Federal do Paran Declarada de Utilidade Pblica pela Lei n 6443 de 09/08/73 CNPJ 75.045.104/0001-11

    Bloco do Centro de Cincias Florestais e da Madeira Campus III da UFPR, 80210-170 Av. Pref. Lothrio Meissner, 632 - Curitiba Paran. Fone (41) 3360 - 4222 - Fax (41) 3360 - 4221

    Home Page: http://www.fupef.ufpr.br e-mail fupef@ufpr.br

    Trabalhabilidade: madeira excelente para serraria, no entanto, requer o uso de

    tcnicas apropriados de desdobro para minimizar os efeitos das tenses de

    crescimento. Apresenta boas caractersticas de aplainamento, lixamento, torneamento,

    furao e acabamento.

    Secagem: em geral, as madeiras de espcies de eucalipto so consideradas como

    difceis de secar, podendo ocorrer defeitos como colapso, empenamentos e

    rachaduras. A secagem em estufa deve ser feita de acordo com programas suaves,

    combinando, por exemplo, baixas temperaturas com altas umidades relativas.

    recomendvel a secagem ao ar, ou o uso de pr-secador, antes da secagem em

    estufa.

    Usos: cosntruo civil (leve interna, estrutural, ripas, partes secundrias de estruturas,

    cordes, guarnies, rodaps, forros, lambris, pontaletes, andaimes, tbuas, tacos,

    parquetes), mveis estndar, partes internas de mveis inclusive daqueles decorativos,

    lminas decorativas, chapas compensadas, embalagens.

    3.2.2 Eucalyptus saligna

    De acordo com IPT (1989) as caractersticas do Eucalyptus saligna so:

    Nome cientfico: Eucalyptus saligna Sm., Myrtaceae.

    Caractersticas sensoriais: cerne e alburno distintos pela cor, cerne avermelhado ou

    castanho avermelhado claro, cheiro e gosto imperceptveis, densidade mdia, gr

    direita, textura mdia.

    Descrio anatmica macroscpica: parnquima axial indistinto mesmo sob lente, s

    vezes paratraqueal avsicntrico formando confluncias curtas e oblquas. Raios visveis

    s sob lente no topo e na face tangencial, porosidade difusa, disposio diagonal,

    numerosos, mdios, exclusivamente solitrios, obstrudos por tilos. Camadas de

    crescimento variando de distintas a indistintas.

    A Figura 3 apresenta viso macroscpica da madeira de Eucalyptus grandis.

  • 6

    FUPEF

    Fundao de Pesquisas Florestais do Paran FUPEF do Paran Fundao de Apoio da Universidade Federal do Paran Declarada de Utilidade Pblica pela Lei n 6443 de 09/08/73 CNPJ 75.045.104/0001-11

    Bloco do Centro de Cincias Florestais e da Madeira Campus III da UFPR, 80210-170 Av. Pref. Lothrio Meissner, 632 - Curitiba Paran. Fone (41) 3360 - 4222 - Fax (41) 3360 - 4221

    Home Page: http://www.fupef.ufpr.br e-mail fupef@ufpr.br

    Figura 3. Caractersticas de Eucalyptus saligna. A face tangencial. B face radial. C fotomacrografia (10x).

    A

    B

    C

    Durabilidade natural: Cerne considerado de moderada a baixa resistncia aos

    organismos xilfagos.

    Tratabilidade: cerne impermevel s solues preservantes mesmo quando submetida

    impregnao sob presso, porm o alburno fcil de tratar.

    Trabalhabilidade: a madeira de eucalipto saligna considerada fcil de ser

    desdobrada quando utilizados mtodos adequados. fcil de ser trabalhada em

    operaes de usinagem (torneamento, furao e lixamento). Apresenta bom

    acabamento.

    Secagem: a secagem classificada como rpida com a ocorrncia de rachaduras e

    empenamentos.

    Usos: construo civil (pesada externa - postes, moures, cruzetas, pesada interna

    caibros, vigas, leve interna ripas, assoalhos, mveis estndar, partes internas de

    mveis, inclusive daqueles decorativos, lminas de utilidade geral, chapas

    compensadas, embalagens.

    3.3 PROPRIEDADES FSICAS E MECNICAS

    A Tabela 1 apresenta os resultados de densidade e propriedades mecnicas de Eucalyptus grandis, obtidos em literatura.

  • 7

    FUPEF

    Fundao de Pesquisas Florestais do Paran FUPEF do Paran Fundao de Apoio da Universidade Federal do Paran Declarada de Utilidade Pblica pela Lei n 6443 de 09/08/73 CNPJ 75.045.104/0001-11

    Bloco do Centro de Cincias Florestais e da Madeira Campus III da UFPR, 80210-170 Av. Pref. Lothrio Meissner, 632 - Curitiba Paran. Fone (41) 3360 - 4222 - Fax (41) 3360 - 4221

    Home Page: http://www.fupef.ufpr.br e-mail fupef@ufpr.br

    Tabela 1. Resultados de propriedades fsicas e mecnicas da madeira Eucalyptus grandis para umidade de 12%.

    Fonte Densidade (g/cm3) Flexo esttica (MPa) Compresso paralela s fibras (MPa)

    MOE MOR MOE MOR

    NBR 7190:1997 12.813 40,30

Recommended

View more >