Jornal Voz do Itapocu - 59ª Edição - 29/07/2014

Download Jornal Voz do Itapocu - 59ª Edição - 29/07/2014

Post on 01-Apr-2016

240 views

Category:

Documents

16 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

59 Edio do Jornal Voz do Itapocu, com circulao nas cidades de Barra Velha, Araquari, Balnerio Piarras, So Joo do Itaperi e Balnerio Barra do Sul, em Santa Catarina. Distribuio gratuita nos pontos parceiros de distribuio. Acompanhe pelo Facebook: www.facebook.com/vozdoitapocu

TRANSCRIPT

<ul><li><p>POLTICAPRESIDENTE DA CMARA E PREFEITO DIVERGEM SO-BRE PROJETO E RECURSOS </p><p>MAIS UM PASSOBALNERIO BARRA DO SUL RECEBE LICENA AMBIENTAL DA FATMA PARA PAVIMENTAO DA ESTRADA GERAL DA BARRA DO ITAPOCU E SALINAS</p><p>JORNAL</p><p>TERA-FEIRA, 29 DE JULHO DE 2014. ANO 2 - EDIO 059 - DISTRIBUIO GRATUITACirculao: Araquari, Balnerio Barra do Sul, Barra Velha, So Joo do Itaperi e Balnerio Piarras</p><p>PG. 9</p><p>POR UM LUGAR AO SOLBANDA SETOR 5 PARTICIPA DE CONCURSO NACIONAL E PREPARA PRIMEIRO CD </p><p>BARRA DO ITAPOCUCOMEAM OBRAS DE PAVIMENTAO NA ESTRADA GERAL ENTRE ARAQUARI E BALNERIO BARRA DO SUL</p><p>PG 10</p><p>PG. 4</p><p>PG 6</p><p>ESPORTEPROJETO NO CONTRATURNO ESCOLAR TRAZ RESULTADOS DENTRO DO CAMPO EM SO JOO DO ITAPERI PG 16</p><p>Em julho do ano pas-sado Ministrio da Sade anunciou aprovao de R$1,4 milho para uni-dades em Barra Velha</p><p>PG. 5</p><p>?Nem a planta da construo das unidades foi feita. Secretrio diz que empresa est trabalhando no projeto, mas terceirizada aguarda a assinatura do contrato</p><p>UM ANO DEPOIS, PROJETO DE 3 UNIDADES DE SADE EST PARADO</p><p>Projetos so para construo de uni-dades do programa Estratgia Sade da Famlia (ESF) como esta, no So Cristvo.</p><p>So Joo do ItaperiVotao de projeto para a compra de trs veculos com recursos do Estado ainda piv da polmica</p><p>VOZ DO BAIRROASSOCIAO DE MORADORES DA QUINTA DOS AORIANOS ESTREIA SESSO DO JORNAL</p><p>PGs 8 e 9</p></li><li><p>2 EDITORIAL</p><p>Uma poca de comodismo</p><p>PREVISO DO TEMPOTERA-FEIRA (29/07)</p><p>MX: 20 MN: 16</p><p>QUARTA-FEIRA (30/07)</p><p>MX: 20 MN: 16</p><p>QUINTA-FEIRA (31/07)</p><p>MX: 23 MN: 16</p><p>Informaes do Centro de Informaes de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina (Ciram) da Epagri</p><p>Tiragem: 5 mil exemplares / distribuio gratuita / semanrio Circulao: Araquari, Balnerio Barra do Sul, Balnerio Piar-</p><p>ras, Barra Velha e So Joo do Itaperi</p><p>Reportagem Carolina Nunes</p><p>DiagramaoGermana Souza</p><p>Edio Anderson Davi</p><p>ColaboradoresAngelita Borba de Souza</p><p>Lgia Delazzeri R. BalbinottDaniela Censi</p><p>Volnei Antnio de Souza</p><p>Jornalista Responsvel Flvio Roberto DRT: 02494 JP </p><p>UMA PUBLICAO REDAOAv Santa Catarina, 1192 - SobrelojaCentro - Barra Velha - SCCEP: 88390-000</p><p>Colunas, artigos, cartas, e-mails enviados e assinados so de inteira responsabilidade de seus autores. O contedo no </p><p>expressa, necessariamente, a opinio do jornal.</p><p>No leu as edies anteriores do Voz do Itapocu?</p><p>Acesse:www.vozdoitapocu.com.br e leia na ntegra a edio virtual do jor-nal, de forma interativa e prtica.</p><p> Sol com chuva no incio e final do dia</p><p> Sol com chuva no incio e final do dia</p><p> Sol com algumas nuvens</p><p>EXPEDIENTE</p><p>CONTATOS</p><p>(47) 3456 1194</p><p>Reportagem - jornalismo@vozdoitapocu.com.brComercial - comercial@vozdoitapocu.com.brColunistas - colunas@vozdoitapocu.com.brColuna Social - social@vozdoitapocu.com.br</p><p>VEJA ONDE ENCONTRAR O JORNAL DE FORMA GRATUITA TODOS OS SBADOS:www.vozdoitapocu.com.br</p><p>FACEBOOKVivemos, sem dvida, em uma poca de total comodismo. At para se reclamar, h uma aco-modao. O discurso padro de indignao da populao j o mesmo h anos: falta sa-de, educao e segurana. E assim, at isso se restringe a uma superficialidade cmoda. mais fcil se indignar virtual-mente do que buscar informa-es que possam explicar o porqu dos problemas e como eles podem ser resolvidos. </p><p>Para isso, seria necessrio ao menos entender o sistema poltico brasileiro. Porm, ain-da h uma dificuldade grande em se compreender como se relacionam as esferas fede-ral, estadual e municipal, por exemplo. Ou ento os Poderes Legislativo, Executivo e Judici-rio. </p><p>Ao que parece, mais fcil ser ignorante do que ser partici-pativo. confortvel dizer que est na hora de mudar, mas </p><p>prefervel no sair da zona de conforto para que algo acon-tea. melhor acreditar que nunca vai mudar. mais fcil jogar a culpa de todas as ma-zelas da sociedade nas costas dos polticos e da corrupo, do que diferir quem so as pessoas bem-intencionadas e mal intencionadas na vida p-blica. </p><p>Existem, sim, pessoas pre-paradas e competentes em cargos pblicos, mas infeliz-mente, estas pagam pelas pessoas acomodadas em funes semelhantes. O aco-modado de cargo pblico no quer escrever o seu nome na histria de um municpio. No quer melhorar, efetivamente, a qualidade do servio que ele o responsvel por prestar. Ele quer, apenas, o suficiente para se manter no cargo at a pr-xima eleio (para comissio-nados) ou at a sua aposenta-doria (para concursados). </p><p>O problema que quanto mais pessoas acomodadas por par-te da populao fazem vistas grossas ao seu trabalho, mais aconchegante fica a cadeira de quem est acomodado no cargo pblico. Afinal, assim, no preciso apresentar um resultado a altura do seu con-tracheque. </p><p>Nos tempos atuais, necess-rio cada vez mais que os muni-cpios trabalhem em parceria com os governos do Estado e Federal. Entretanto, quando no meio deste processo es-to pessoas acomodadas na esfera pblica, provvel que projetos importantes sequer saiam do papel. Nem sempre faltam recursos, mas sim, fal-tam pessoas competentes para geri-los. No s a cor-rupo e o desvio de verbas que atrasam o crescimento. So os acomodados, dos dois lados.</p><p>Tera-feira, 29 de julho de 2014.</p></li><li><p>3GERAL</p><p>Aconteceu na quarta-feira, dia 23, na Cmara de Verea-dores de Barra Velha, a pales-tra Comunicao e Relaes Humanas, ministrada pela psicanalista do Instituto de Neurolingustica de Joinvil-le, doutora Siley Gonzales. O evento foi promovido pelo ve-reador Douglas Elias da Costa. Com a presena da comunida-de, servidores pblicos e em-presrios, a doutora Siley apre-sentou um resumo do curso de PNL, com informaes de lin-guagem e comportamento das pessoas em diferentes situa-es do dia a dia, demonstran-do aos presentes simulaes de situaes e comportamentos. A comunicao 7%, o res-tante o tom de voz e a lin-guagem no verbal, destacou a doutora, acrescentando tam-bm que 60% da comunicao entre as pessoas no verbal, mas realizadas atravs de aes e gestos. </p><p>Entre os assuntos debatidos durante a noite esteve a influ-ncia das redes sociais na co-municao entre as pessoas. De acordo com Siley, no exis-te uma comunicao nesses meios, o que se pode observar uma distrao, j que as pes-soas acabam gastando o seu tempo, sem necessariamente estarem se comunicando. Isso uma preocupao, essa ao </p><p>acaba gerando distrbios e do-enas. Outro ponto negativo levanta-do relacionado a redes sociais que no existe mais uma co-municao entre pais e filhos, j que a cada dia os jovens es-to mais conectados no meio virtual e menos na realidade, deixando de lado as conversas pessoais e transformando em e-mails e mensagens de texto. </p><p>Palestra discute comunicao e relaes humanasDoutora Siley Gonzales debateu questes como comunicao no verbal e redes sociais. Evento aconteceu no plenrio da Cmara de Vereadores</p><p>Barra Velha</p><p>Doutora Siley Gonzales e o vereador Douglas Elias da Costa, que organizou o evento, conversam aps a palestra</p><p>Segundo o vereador Douglas, o evento partiu da necessidade de valorizar o espao da C-mara recm-inaugurada com palestras e debates relevantes para a sociedade. J tnhamos a ideia de fazer um evento que teria como foco a comunicao, </p><p>quando surgiu a oportunidade de trazer a doutora, abraamos a ideia e tornamos ela realida-de. J tnhamos conhecimentos de palestras como essas no municpio, mas elas eram pa-gas, queramos um evento gra-tuito, acrescentou.</p><p>O parlamentar finaliza dizendo que o local tem sido bastante utilizado. Em quase trs me-ses da inaugurao na sede j foram realizados 18 even-tos, at setembro j tem mais 23 protocolados, isso muito bom. </p><p>Espao aberto</p><p>Doao de livros</p><p>Sim, isso mesmo! O yoga fundamental para quem precisa aliviar o alto nvel de estresse. importante esclarecer que o estresse uma resposta do corpo para uma situao de tenso que vivenciamos. E nessa situ-ao o corpo reage fisiologi-camente a tenso fazendo com que as nossas glndulas suprarrenais, vitais para o ser humano, produzam trs hor-mnios: 1) Adrenalina, responsvel por deixar nosso corpo em alerta;2) Cortisol, respons-vel por deixar nossos msculos com mais energia;3) Noradrenalina, que faz com que nossos batimentos cardacos aumentem, se ace-lerem, provocando tambm o aumento da presso arterial.Esta vida agitada, rodeada de situaes de conflitos e dificuldades, sem que consi-gamos parar, acalmar e bai-xar nosso nvel de estresse, faz com que nossas glndu-las suprarrenais produzam e liberem, constantemente, estes hormnios no nosso or-ganismo, gerando um corpo sempre alerta, mente agitada e msculos tensionados. O alto grau de estresse e o </p><p>funcionamento exacerbado das suprarrenais causam dis-trbios do sono, sinais de can-sao, fadiga, dor de cabea, gastrite, perda de memria e problemas cardacos. importante estarmos aler-tas ao sinais do nosso corpo, pois nosso corpo fala, e ele pode estar avisando voc que o estresse est prejudicando sua sade. Quando o corpo pede socorro, devemos estar atentos s suas necessida-des, que neste caso, acal-mar, respirar, harmonizar as energias em desequilbrio no seu corpo fsico e emocional. Em situaes de estresse e ansiedade, em situaes de conflitos mentais e emocio-nais podemos utilizar tcnicas de prrymas (respirao consciente) para melhorar-mos nosso auto controle, e assim, conquistar novamente a serenidade neste momento de tenso. A respirao tem um papel fundamental no yoga, pois com ela conseguimos suprir as necessidades energticas e fisiolgicas do orga-nismo. Atravs da respirao conseguimos oxigenar o cor-po e fazer com que a energia flua em equilbrio por todos nossos canais energticos. </p><p>YogaInstrutora de Yoga Lgia Delazzeri Rodrigues Balbinotti e-mail: ligiadelazzeri@yahoo.com.br</p><p>Venha fazer uma aula experimental gratuita de Hatha Yoga. Av. Santa Catarina, 1192 Piso superior da Pizzaria Forno Lenha, no Centro de Barra Velha.Aulas segundas e quartas, s 16h30 e s 18h.Telefone: (47) 8461.1487</p><p>Estressado? Vem praticar Yoga</p><p>Tera-feira, 29 de julho de 2014.</p><p>Como entrada simblica para o evento, a organizao pediu que os participantes levassem livros para o projeto Geladeira Cultural, da Fumtec, ou alimen-tos. A prpria palestrante abra-ou a iniciativa e doou suas obras para o projeto.</p></li><li><p>4 GERAL</p><p>SEGURANA</p><p>As obras em Araquari esto mais adiantadas que no muni-cpio vizinho. De acordo com o secretrio de Planejamento, Jo-su Vieira, a primeira medio para a realizao da obra foi enviado para anlise da Caixa Econmica Federal no incio do ms e j foi aprovada. O projeto prev a pavimentao de aproximadamente 15 quil-metros de estrada e ser divi-dido em dois lotes. O primeiro lote compreende o trecho de 3,7 quilmetros de extenso da rua Maring, que tem ligao com a BR-101. Ele segue por mais 6,7 quilmetros pela Es-trada Geral da Barra do Itapocu at chegar ao bairro de Salinas, em Balnerio Barra do Sul. Es-tamos fazendo a drenagem plu-vial e em agosto queremos ini-ciar a colocao da sub-base, </p><p>destaca. Neste ponto, sero in-vestidos aproximadamente R$ 7,3 milhes. A empresa vencedora da li-citao, Consrcio Castelar/Macem, prev a concluso das obras em 28 meses. Poder acontecer antes, mas a estima-tiva baseada na entrega do material para fazer a sub-base, </p><p>a mistura da areia, diz o secre-trio. O segundo lote compreende a pavimentao de 5 km da Es-trada Geral do Morro Grande, que tambm tem acesso pela BR-101. Segundo Josu, este o projeto ser entregue em 15 dias para anlise da Caixa Eco-nmica Federal. </p><p>Segundo o secretrio de Plane-jamento de Balnerio Barra do Sul, Antnio Roberto de Borba, a primeira medio da obra, re-alizada no dia 18, j foi enviada para anlise da Caixa Econmi-ca Federal. O municpio res-ponsvel pela pavimentao do trecho de cerca de 6 km. </p><p>A demora para realizar essa primeira etapa foi causada por uma liminar que pedia a sus-penso do processo licitatrio, apresentada pela empresa Fortunato. Com a liminar cas-sada, a prefeitura est otimista com relao ao andamento das obras. De acordo com Borba, a </p><p>empresa vencedora ter dois anos para finalizar a obra, mas pode terminar a pavimentao antes do prazo. O leito con-solidado, no precisa aterrar nada, nem fazer pontes. Tere-mos que fazer algumas eleva-es, mas nada muito comple-xo, destaca. </p><p>Uma das mais maiores reivin-dicaes dos moradores de Balnerio Barra do Sul e Ara-quari aos poucos vai se tornan-do realidade. Com recursos garantidos pelo Ministrio do Turismo, os projetos de pavi-mentao da estrada que passa pelas comunidades de Morro Grande, Barra do Itapocu e Salinas esto em andamento. </p><p>No trecho de Araquari sero investidos R$10,9 milhes, en-quanto em Balnerio Barra do Sul sero R$ 4.9 milhes. O objetivo principal desen-volver o turismo e a economia da regio, j que o trajeto, hoje de estrada de cho, liga a BR-101 at o bairro de Salinas, em Balnerio Barra do Sul. Esta alternativa asfaltada per-</p><p>mitiria a diminuio do trfe-go na BR-280, que fica cons-tantemente congestionada no vero, j que a rodovia leva tambm cidade de So Fran-cisco do Sul, outro balnerio muito procurado pelos mora-dores do Norte do Estado. Confira abaixo um resumo da situao da pavimentao em cada municpio.</p><p>O acostamento da BR-101, em Barra Velha, foi palco de uma confuso entre torcedo-res organizadores de Joinville e Ava no ltimo sbado. Aps o confronto entre as duas equi-pes em Joinville, torcedores do time da capital voltavam para casa quando foram intercep-tados por um grupo de torce-dores do JEC, armados com pedras e pedaos de madeira. A briga ocorreu s margens da rodovia, aps o posto da Pol-cia Rodoviria Federal (PRF), e s acabou com a chegada da polcia militar. Dois torcedo-res do Ava ficaram feridos e foram encaminhados para o hospital So Jos, em Joinville. De acordo com a polcia mi-litar de Joinville, a escolta do nibus da torcida avaiana foi feita at a praa de pedgio, em Araquari. Depois de pas-sar pela PRF, o nibus teria </p><p>sido atingido por pedradas dos joinvilenses, que foram de car-ro ao encontro dos rivais. Tor-cedores do Ava desceram do nibus e a polcia contabilizou cerca de 50 envolvidos na con-fuso, mas ningum foi preso. Os avaianos no registraram boletim de ocorrncia na dele-gacia de polcia civil de Barra Velha.A rivalidade entre as duas tor-cidas organizadas antiga e j foram vrias ocorrncias ao longo dos anos. A mais gra-ve delas aconteceu em 2006, quando um torcedor do Join-ville foi morto ao ser atingido por uma pedrada em um ni-bus, quando voltava de uma partida em Florianpolis. A respeito da ltima briga, a po-lcia trabalha com as hipteses de tocaia dos joinvilenses ou de um confronto marcado via internet.</p><p>O Corpo de Bombeiros Mili-tares de Araquari iniciou on-tem, dia 28, o Curso de Aten-dimento Bsico a Emergncias (CBAE) que seguir at o dia 15 de agosto, das 19h as 22h, na Escola Municipal Amaro Coelho, no bairro Porto Gran-de.O curso ter durao de 60 horas e nele a comunidade vai aprender noes de primeiros socorros, noes de preveno e atuao inicial em acidentes e incndios e noes de per-cepo e gesto de riscos, diz o 1 sargento Evandro Ribeiro Rodrigues, que est no coman-do da unidade de Araquari.Para participar preciso ter </p><p>mais de 18 anos, ser alfabetiza-do, estar em dia com as obriga-es legais e no ter concludo este mesmo curso em alguma Organizao dos Bombeiros Militares de Santa Catarina. As ins...</p></li></ul>