Jornal Voz do Itapocu - 35ª Edição - 11/01/2014

Download Jornal Voz do Itapocu - 35ª Edição - 11/01/2014

Post on 23-Feb-2016

220 views

Category:

Documents

4 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

35 Edio do Jornal Voz do Itapocu, com circulao nas cidades de Barra Velha, Araquari, Balnerio Piarras, So Joo do Itaperi e Balnerio Barra do Sul, em Santa Catarina. Distribuio gratuita nos pontos parceiros de distribuio. Acompanhe pelo Facebook: www.facebook.com/vozdoitapocu

TRANSCRIPT

<ul><li><p>TEMPORADAFALTA DE GUA E ENERGIA MARCAM A TEMPORADA NA REGIO. ENTENDA O QUE ACONTECEU EM CADA CIDADE</p><p>JORNAL</p><p>SBADO, 11 DE JANEIRO DE 2014. ANO 1 - EDIO 035 - DISTRIBUIO GRATUITACirculao: Araquari, Balnerio Barra do Sul, Barra Velha, So Joo do Itaperi e Balnerio Piarras</p><p>PG 11</p><p>ESPORTEHANDEBOL E FUTEBOL DE AREIA ACONTECEM NA PRAIA EM BARRA VELHA</p><p>PG 14</p><p>PGs 3, 4 e 5</p><p>PG 16</p><p>Em alguns casos, o aumento ultrapassou 200% em comparao com 2013</p><p>IPTU 2014: CARNS COMEAM A SER ENTREGUES EM BARRA VELHA E MORADORES RECLAMAM DE AUMENTO PG 6</p><p>ENTREVISTA: PREFEITO ADEMAR BORGES</p><p>ARISTIDE DE SOUZA: CONE DA PESCA NO </p><p>MUNICPIO</p><p>MARCHA PARA JESUS ENCERRA PROGRAMAO </p><p>DE ANIVERSRIO HOJE</p><p>SAMIR X </p><p>MATIAS</p><p>EX-PREFEITO E ATUAL TROCAM ACUSAES SOBRE PARECER DO </p><p>TRIBUNAL DE CONTAS</p><p>PG 11</p><p>ESPORTEHANDEBOL E FUTEBOL DE EX-PREFEITO E ATUAL TROCAM </p><p>PGs 7, 8 e 9</p><p>ESPECIAL</p></li><li><p>O ano de 2014 comeou movi-mentado e repleto de informa-es para nossa equipe bus-car ainda na transio entre Natal, Ano Novo e o primeiro ms do ano. No estamos fa-lando apenas dos veranistas curtindo as praias e belas paisagens da nossa regio, prestigiando os eventos de re-vellion e aquecendo o comr-cio local. Antes fosse. A falta de gua e energia se tornou pauta principal em todo o lito-ral catarinense, e aqui no diferente. A estrutura falha de Santa Catarina,calcada principal-mente em duas estatais, Ce-lesc e Casan, voltou a dar sinais de sua fragilidade e despreparo. Alm de demons-</p><p>trar uma imagem negativa para os milhes de turistas que frequentam o Estado nesta poca do ano, revoltou especialmente os moradores, que muitas vezes acabam por ver com maus olhos o prprio turismo em suas cidades. Espera-se que aps um pe-rodo de festas conturbado, as estatais revejam se o que esto oferecendo para as ci-dades litorneas so mesmo su cientes para atender a de-</p><p>manda de pessoas. Ficou cla-ro que ainda falta uma melhor estrutura de abastecimento e fornecimento de servios b-sicos, que os consumidores pagam para ter acesso. No somos tcnicos na rea para apontar erros pontuais, </p><p>mas a quantidade de leitores que procuraram o Voz do Ita-pocu reclamando da falta de gua ou luz, indicam que algo preciso ser feito visando o tu-rismo a longo prazo, at por-que a tendncia de que os nmeros de moradores e visi-tantes aumentem a cada ano. Apenas jogar a responsabili-dade para o grande nmero de pessoas na regio no papel para gestores pblicos. A funo principal dos car-gos pblicos solucionar os problemas da comunidade. O mesmo vale para os eleitos diretamente pela populao, como prefeitos e vereadores, que devem cobrar os investi-mentos necessrios das esta-tais na regio. </p><p>2 EDITORIAL Sbado, 11 de janeiro de 2014.</p><p>Ano novo, velhos problemas</p><p>PREVISO DO TEMPOSBADO (11/01)</p><p>MX: 33 MN: 23</p><p>DOMINGO (12/01)</p><p>MX: 29 MN: 22</p><p>SEGUNDA-FEIRA</p><p>Encoberto com chuva</p><p>(13/01)</p><p>MX: 28 MN: 22</p><p>Informaes do Centro de Informaes de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina (Ciram) da Epagri</p><p>EXPEDIENTE</p><p>Tiragem: 5 mil exemplares / distribuio gratuita / semanrio Circulao: Araquari, Balnerio Barra do Sul, Balnerio Piar-</p><p>ras, Barra Velha e So Joo do Itaperi</p><p>Reportagem Carolina Nunes</p><p>Alan Willian</p><p>DiagramaoGermana Souza</p><p>Edio Anderson Davi</p><p>Departamento Comercial Israel Voigt</p><p>ColaboradoresAngelita Borba de Souza</p><p>Lgia Delazzeri R. BalbinottDaniela Censi</p><p>Marcos Zaleski de MatosVolnei Antnio de Souza</p><p>Percival TeixeiraAndr Igncio</p><p>Jornalista Responsvel Flvio Roberto DRT: 02494 JP </p><p>UMA PUBLICAO REDAOAv Santa Catarina, 1192 - SobrelojaCentro - Barra Velha - SCCEP: 88390-000</p><p>Colunas, artigos, cartas, e-mails enviados e assinados so de inteira responsabilidade de seus autores. O contedo no </p><p>expressa, necessariamente, a opinio do jornal.</p><p>CONTATOS</p><p>(47) 3456 1194</p><p>Reportagem - jornalismo@vozdoitapocu.com.brComercial - comercial@vozdoitapocu.com.brColunistas - colunas@vozdoitapocu.com.brColuna Social - social@vozdoitapocu.com.br</p><p>FACEBOOK</p><p>Encoberto com chuva</p><p>Sol e pancadas de chuva entre a tarde </p><p>e noite</p><p>ComunicadoPor um problema no setor de distribuio da gr ca do A </p><p>Notcia, em Joinville, onde o Voz do Itapocu impresso, no houve distribuio da edio do Voz do Itapocu no ltimo sbado, dia 4. Pedimos desculpas aos nossos leitores, anunciantes e colaboradores, mas tratou-se de um proble-ma na prestao de um servio por ns contratado, fugindo do nosso alcance a soluo.</p><p>O Caderno de Vero do Voz do Itapocu retorna na prxima semana com a matria especial: A estao dos esportes. </p><p>Fique ligado!</p></li><li><p>Segundo Luciano Boss, geren-te da Casan de Barra Velha, houve um aumento signi ca-tivo no consumo de gua em comparao com a temporada anterior, o que tem prejudica-do o abastecimento nas regies mais altas e afastadas da Esta-o de Tratamento de gua (ETA).No ano passado, os dias 30 e 31 de dezembro foram os que tiveram mais consumo, em torno de 12 milhes de litros por dia. Neste ano, desde o dia </p><p>26 estamos trabalhando com 15,5 milhes de litros por dia, compara. Boss destaca que o bombeamento de gua em Barra Velha est acontecendo 24 horas por dia, mas que no inicio da manh, por volta de 7h, o volume do reservatrio comea a diminuir.Luciano explica que a Casan aumentou em 20% sua capaci-dade de abastecimento em re-lao a ltima temporada, mas ainda assim a regio do Mor-ro do Colcho, no bairro So </p><p>Cristvo, o bairro Medeiros e a divisa com Balnerio Pi-arras tiveram di culdade em receber gua da estatal, princi-palmente nos horrios de pico. O problema, como em todas as outras cidades, falta de pres-so na rede para enviar gua at os pontos mais distantes. A estimativa de que tenha passado na cidade 130 mil pessoas, o que d 120 litros de gua por pessoa por dia. O problema que muitas pesso-as das partes baixas da cidade </p><p>esto usando a gua excessi-vamente, para lavar calada e carro, por exemplo, e acabam prejudicando o abastecimento para as partes mais altas e dis-tantes, comenta. Casas com dois pisos, onde a caixa dgua ca em um terceiro pavimen-to, tambm encontram di -culdades para abastecimento durante o dia. </p><p>Temos registrado em gr cos os horrios de queda, porm em momento algum faltou gua em de nitivo. Cada vez que nosso reservatrio seca, ns ainda contamos com ou-tros dois reservatrios no Morro do Cristo. Alm disso, funciona o nosso abastecimen-to de 180 mil litros por segun-do, diz ele.</p><p>Falta de gua nas cidades da regio marca temporada</p><p>3GERALSbado, 11 de janeiro de 2014.</p><p>Falta de presso na rede fez com que pontos mais distantes e mais altos tivessem di culdades de receber gua. Situao j foi normalizada, segundo representantes da Casan</p><p>Um problema antigo voltou a afetar moradores e turistas das cidades do litoral Norte de Santa Catarina. O excesso de consumo na alta tempo-rada deixou alguns pontos da regio sem gua, principal-mente nos horrios de pico, pela manh e no nal da tar-</p><p>de. O caso mais crtico foi em Balnerio Barra do Sul, onde um problema em uma das bombas de recalque de gua reduziu em 50% a capacidade de abastecimento da Casan na cidade na ltima semana. De acordo com os gerentes da estatal nas cidades de abran-</p><p>gncia do Voz do Itapocu, na ltima semana o servio foi normalizado. Con ra um re-sumo do que o ocasionou a falta de gua nos municpios e como as situaes mais criti-cas podem ser resolvidas. </p><p>Casan projeta novas obras em Barra Velha</p><p>Barra Velha registrou aumento no consumo de gua em comparao com temporada anterior </p><p>No ponto de vista do geren-te, o fator que colaborou com o abastecimento de gua no municpio na temporada foi a existncia de uma lagoa re-serva no bairro Sertozinho. Para esse ano, os planos da es-tatal so limpar e aumentar a lagoa reserva e ainda projetar outra ao lado da estao prin-cipal. Mesmo com as novas modi caes, a empresa tem buscado solues a longo pra-zo. Luciano revela que h um projeto para mudar a captao de gua, levando para o rio Itapocu na regio do Salto. Se-gundo ele, a alterao deve ser feita em at trs anos.Alm dos quatro reservat-rios j existentes que totalizam uma capacidade de 2 milhes </p><p>de litros, a previso construir um novo reservatrio no bair-ro So Cristvo com capaci-dade para um milho de litros. Alm do reservatrio e uma estao de recalque, est pre-visto tambm a execuo de 5 quilmetros de adutora de 300 mm. A obra que abastece-r toda a populao do bairro deve custar aproximadamente R$2,5 milhes.</p><p>Para Boss, no s o abasteci-mento ser melhorado, como tambm a qualidade da gua oferecida. Segundo Luciano, nesse ano sero construdos outros quatro ltros que so-maro aos quatro j em fun-cionamento. A parte de ma-quinrios tambm deve ter </p><p>modi caes, com a compra de novas motobombas e novos quadros de comandos que de-vem custar R$1 milho.</p><p>Ano de questes burocrti-casO ano de 2014 deve ser de li-citaes e questes burocrti-cas, avalia o gerente. Segundo ele, ser aberto esse ano a lici-tao para escolher a empresa que executar a implantao das redes coletoras de esgoto. No mesmo projeto devem ser executados os ramais indivi-duais, elevatrias de esgoto e a estao de tratamento. Es-tamos tentando fazer com que as obras iniciem no nal desse ano, mas a previso que as obras comecem no incio de </p><p>2015, diz ele.Boss destaca que h muitas empresas interessadas em exe-cutar o servio e por isso o processo dever demorar de seis a sete meses. O valor to-tal da obra deve chegar a R$59 milhes, bene ciando 70% da populao barravelhense. Os outros 30% devem ser reali-zados em uma segunda etapa. Mas isso ca mais fcil depois de executar a primeira, que o servio mais pesado, destaca.Luciano diz que todos os mo-</p><p>radores devero se adaptar ao sistema e sero obrigados a fazer a ligao nas redes cole-toras. O processo bene ciar inclusive mananciais de guas que hoje esto contaminados com o despejo de dejetos. Um dos principais exemplos o desgue do rio Cancela na praia central, bastante critica-do por moradores e visitantes. Na viso do gerente, aps a nova rede instalada, essa con-taminao acabar.</p></li><li><p>4 GERAL Sbado, 11 de janeiro de 2014.Vice-prefeito de Araquari e presidente da Cmara de Vereadores cobram melhorias da Casan</p><p>Regio Norte foi a mais prejudicada em Balnerio Piarras</p><p>Bomba dani cada diminuiu em 50% capacidade de abastecimento em Balnerio Barra do Sul</p><p>Os constantes problemas de falta de gua no municpio, no s durante a temporada, j esgotaram a pacincia dos moradores e administradores pblicos. Na ltima segunda--feira o vice prefeito, Clenilton Clenilton Carlos Pereira, e o presidente da Cmara de Ve-readores, Mrcio Correa, esti-veram em Florianpolis para uma reunio com o presidente da Casan, Dalrio Jos Beber, entre outros diretores.Eles foram at a capital cobrar medidas para solucionar a falta de gua no municpio. Nossa obrigao exigir melhorias imediatas e foi isso que fomos buscar, uma soluo para nos-sa cidade que em 2013 sofreu muito com a constante falta de gua, a rma Clenilton. A estatal apresentou um paco-te de estudos sobre a cidade, como a construo de uma Estao de Tratamento de gua (ETA) entre Araquari e Balnerio Barra do Sul, um reservatrio no bairro Itinga, que dever sanar tambm a falta de gua quando houver problemas de abastecimento por Joinville, e a construo de uma ETA no Pira, que dever abastecer todo o municpio.Alm dessas aes, tambm devem ser construdos poos no bairro Ponto Alto, que ser-</p><p>viro como uma soluo mais rpida para o municpio. A empresa ir apresentar at o -nal de ms o cronograma com previso das obras relaciona-das. At l, eles se comprome-teram conosco em redobrar os esforos para que no aconte-am mais problemas com falta de gua e ns vamos cobrar, a rma Clenilton. Alm do Centro, abastecido por Balnerio Barra do Sul, a outra extremidade de Ara-quari, prximo da divisa com Joinville, tambm tem sofrido constantemente com o proble-ma na gua. Os moradores do bairro Itinga chegaram a fazer um protesto na BR-280 para reclamar da falta de gua na regio, no nal de 2013. Cer-ca de 50 moradores do lotea-mento Santa Mnica levaram cartazes, faixas e baldes vazios </p><p>para a rodovia, paralisando o trnsito da rodovia por cerca de 20 minutos durante a tarde de uma segunda-feira.A reclamao dos moradores de que a gua no chega at o local nem durante a madruga-da, como ocorre ao longo do ano. A Casan utiliza a rede da Companhia guas de Joinville para o abastecimento e duran-te a semana a promessa era de que o abastecimento voltaria ao normal. Por car em uma regio entre morros, o bairro Itinga tem di culdade de receber gua. A soluo seria construir um reservatrio no alto do morro, mas ainda faltam detalhes tc-nicos, como a escolha da fonte de gua para abastecer o reser-vatrio. </p><p> A madrugada do sbado, dia 28 de dezembro, para domin-go foi de tenso e muito traba-lho para a equipe da Casan de Balnerio Barra do Sul. Uma das bombas de recalque de gua estourou e os tcnicos da estatal tiveram substitu-la as pressas por outro equipamen-to. O problema prejudicou em 50% o abastecimento de gua no municpio, segundo o gerente da Casan na cidade, Gercino Baranas. O sistema foi normalizado alguns dias depois do problema.Ainda assim, a situao gerou um novo descontentamento da prefeitura e Cmara de Ve-readores com a estatal. Uma reunio na manh na ltima quarta-feira, dia 8, cou de- nido que Executivo e Legis-lativo iro procurar a Casan para cobrar melhorias no ser-vio oferecido (Leia mais na entrevista com o prefeito Ade-mar Borges, na pgina 7 desta edio).H trs temporadas que no tnhamos problema de falta de gua em Balnerio Bar-ra do Sul, mas infelizmente com este problema na bomba perdemos 50% da nossa ca-pacidade, comenta Baranas. Segundo ele, at a presso da rede se reestabelecer, muitos usurios registraram falta de gua, principalmente os que no tinham reservatrio.Alguns dias depois do repa-ro na rede, as regies mais distantes do Centro ainda sofreram com a falta de pres-so para o abastecimento de gua. Bairros como o Salinas, onde esto concentradas par-te das casas de veranistas na cidade, e o loteamento Maria Fernanda foram os mais pre-judicados. H casos isolados </p><p>nos horrios de pico, mas es-tes bairros que esto nas pon-tas do municpio que tiveram maior di culdade, justi ca Baranas.Segundo Baranas, o abaste-cimento na semana de maior movimento cou na mdia de 100 litros por segundo, quan-do o normal seria o dobro, enquanto a presso caiu de 22 para 11 metros por coluna de gua. Casas com mais de um pavimento, tambm tiveram di culdade de abastecimento. Com o problema na rede de Balnerio Barra do Sul, o Cen-tro de Araquari, que abaste-cido pela Casan do municpio vizinho, tambm cou preju-dicado. Segundo Gercino Ba-ranas, cerca de 90% da gua que abastece a regio central de Araquari vem da Estao de Tratamento de gua que coordena. Com isso, a rea tambm teve o abastecimento prejudicado.Como o local mais distan-te que ns abastecemos, falta presso na rede para chegar at Araquari. Algumas pesso-as tm questionado que a falta de gua em funo de abas-tecermos tambm uma par-te de Araquari, mas isso no faz sentido. gua tem, o que faltou presso na rede para mandar para aos locais mais distantes, argumenta Bara-nas.</p><p>Em Balnerio Piarras a re-gio Norte do municpio foi a mais prejudicada com a falta de gua. De acordo com J...</p></li></ul>