Jornal Voz do Itapocu - 19ª Edição - 07/09/2013

Download Jornal Voz do Itapocu - 19ª Edição - 07/09/2013

Post on 05-Mar-2016

228 views

Category:

Documents

9 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

19 Edio do Jornal Voz do Itapocu, com circulao nas cidades de Barra Velha, Araquari, Balnerio Piarras, So Joo do Itaperi e Balnerio Barra do Sul, em Santa Catarina. Distribuio gratuita nos pontos parceiros de distribuio. Acompanhe pelo Facebook: http://www.facebook.com/vozdoitapocu

TRANSCRIPT

<ul><li><p>DE CARA NOVAPREFEITURA DE BALNERIO BARRA DO SUL COM NOVO SITE NO AR</p><p>JORNAL</p><p>SBADO, 7 DE SETEMBRO DE 2013. ANO 1 - EDIO 019 - DISTRIBUIO GRATUITA</p><p>FESTA DO PIRO: DA GASTRONOMIA MSICA, EVEN-TO MOVIMENTA BARRA VELHA AT DOMINGO</p><p>ABERTURA: CERIMNIA OFICIAL FOI MARCADA POR DISCURSOS E DEGUSTAO DO PRATO TRADICIONAL DA FESTA</p><p>Circulao: Araquari, Balnerio Barra do Sul, Barra Velha, So Joo do Itaperi e Balnerio Piarras</p><p>Confira a cobertura da quinta-feira, primeiro dia da Festa do Piro</p><p>DECISOJUSTIA INOCENTA SAMIR MATTAR NA CON-TRATAO SEM LICI-TAO DAS EMPRESAS ENOPS E BALTT</p><p>MAIS MDICOSMDICA COMEA ATENDI-MENTO EM ARAQUARI</p><p>POLTICAVEREADOR DOUGLAS ELIAS DA COSTA COBRA MAIS ATITUDE DO PRE-FEITO DE BARRA VELHA</p><p>PG 4</p><p>FUTSALDEFINIDOS OS CAMPES DE SO JOO DO ITAPERI</p><p>PG 16</p><p>INDEPENDNCIADESFILES MARCAM O FE-RIADO. EM BARRA VELHA, PROTESTO VAI ACONTECER</p><p>PG 5PG 3</p><p>PG 10</p><p>PGs 8 e 9</p><p>PG 6</p></li><li><p>2 EDITORIAL Sbado, 7 de setembro de 2013.</p><p>Quem vai pra rua?No ms de junho o pas viveu um momento de efervescn-cia poltica e social. Motiva-dos pelo exemplo do Movi-mento Passe Livre (MPL), que foi s ruas da capital paulista lutar contra o aumento de tarifa do transporte coletivo, pessoas de todos os cantos do pas foram s ruas protes-tar contra aquilo que enten-diam estar errado na admi-nistrao pblica, tanto na esfera municipal, quanto nas estaduais e nacionais. Milhares de pessoas que nun-ca haviam ido de fato rua se manifestar, encontraram ali o momento para vestir verde e amarelo, se enrolar na bandeira do Brasil e cantar </p><p>em coro o hino nacional nas passeatas que tomaram con-ta do pas. Hoje, em menores propores, novamente ve-remos bandeiras hasteadas, pessoas em passeatas e o hino nacional ecoando aqui e acol. dia do desfile cvico, tradio que homenageia o Dia da Independncia do Brasil, declarada em 1822 pelo prncipe regente Dom Pedro I. um momento que, mesmo formalmente, se exalta a p-tria amada, da mesma forma que se exaltava nas manifes-taes de outrora. Marcada para acontecer junto ao des-file cvico de Barra Velha, a nova manifestao do grupo </p><p>Pra Frente Barra Velha busca levar a populao s ruas para protestar. Ser um ter-mmetro do efeito que aque-la onda de protestos em nvel nacional surtiu na regio. Quem foi s ruas naquele momento mpar da histria recente do pas, vai estar novamente caminhando ao lado do grupo que se prope a seguir cobrando por mu-danas? Ou seria necessrio um novo efeito cascata, de capitais para cidades meno-res, com ampla cobertura da mdia, para reger novamente a populao rumo ao que considera lutar pelos seus direitos? Afinal, Quem vai pra rua? </p><p>PREVISO DO TEMPOSBADO</p><p>Sol com algumas nuvens</p><p>(7/09)</p><p>MX: 27 MN: 15</p><p>DOMINGO (8/09)</p><p>MX: 31 MN: 15</p><p>SEGUNDA-FEIRA</p><p>Sol com chuva no incio e final do dia</p><p>(9/09)</p><p>MX: 29 MN: 16</p><p>Informaes do Centro de Informaes de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina (Ciram) da Epagri</p><p>EXPEDIENTE</p><p>Tiragem: 5 mil exemplares / distribuio gratuita / semanrio Circulao: Araquari, Balnerio Barra do Sul, Balnerio Piar-</p><p>ras, Barra Velha e So Joo do Itaperi</p><p>Reportagem Carolina Nunes</p><p>Alan Willian</p><p>DiagramaoGermana Souza</p><p>Edio Anderson Davi</p><p>Departamento Comercial Israel Voigt</p><p>DistribuioLucas de Oliveira</p><p>ColaboradoresAngelita Borba de Souza</p><p>Lgia Delazzeri R. BalbinottDaniela Censi</p><p>Marcos Zaleski de MatosVolnei Antnio de Souza</p><p>Claudia S. Prevedello Percival Teixeira</p><p>Jornalista Responsvel Flvio Roberto DRT: 02494 JP </p><p>UMA PUBLICAO REDAOAv Santa Catarina, 1192 - SobrelojaCentro - Barra Velha - SCCEP: 88390-000</p><p>Colunas, artigos, cartas, e-mails enviados e assinados so de inteira responsabilidade de seus autores. O contedo no </p><p>expressa, necessariamente, a opinio do jornal.</p><p>CONTATOS</p><p>(47) 3456 1194</p><p>Reportagem - jornalismo@vozdoitapocu.com.brComercial - comercial@vozdoitapocu.com.brColunistas - colunas@vozdoitapocu.com.brColuna Social - social@vozdoitapocu.com.br</p><p>VEJA ONDE ENCONTRAR O JORNAL DE FORMA GRATUITA TODOS OS SBADOS:www.vozdoitapocu.com.br</p><p>FACEBOOK</p><p>NOTCIAS DIRIAS DA NOSSA REGIO.</p><p>No leu as edies anteriores do Voz do Itapocu?</p><p>Acesse:www.issuu.com/vozdoitapocu e leia na ntegra a edio virtual do jornal, de forma interativa e prtica.</p><p>Sol e pancadas de chuva entre a tarde </p><p>e noite</p></li><li><p>A mdica selecionada atravs do programa Mais Mdicos, do Governo Federal, comeou nesta semana a atuar Araquari, nica cidade da regio a rece-ber um profissional por inter-mdio do programa. Desde quarta-feira, dia 4, a doutora Marilda Santos das Neves, de Schroeder, est atendendo no Posto de Sade Nicanor, no bairro Itinga. Com experincia em atendi-mentos em cidades do in-terior, a mdica revela que decidiu se inscrever no pro-grama pela paixo pela profis-so. Eu amo medicina e estou aqui para isso, para atender a populao. De acordo com a prefeitura de Araquari, outros sete mdicos esto inscritos no programa e devem ser confir-mados at dia 16 de setembro.Em Santa Catarina, 29 m-dicos brasileiros do programa </p><p>esto dis-t r i bu d o s em 27 ci-dades sele-c ionadas . Apesar de inscrita no programa, Barra V e l h a ainda no r e c e b e u a confir-mao da c h e g a d a de novos prof issio-nais. J 18 estrangeiros, na maioria argentinos e espa-nhis, conseguiram visto para atuar no Estado e tambm sero distribudos entre as ci-dades inscritas a partir deste ms, aps passar por um curso de adaptao. Segundo o Governo Federal, </p><p>o programa faz parte de um amplo pacto de melhoria do atendimento aos usurios do Sistema nico de Sade (SUS) e prev mais investimentos em infraestrutura dos hospitais e unidades de sade, alm de le-var mais mdicos para regies onde h escassez e ausncia de profissionais.</p><p>Mdica do programa Mais Mdicos inicia traba-lho em Araquari</p><p>Envelhecer faz parte de vida de cada um, e ns podemos optar por envelhecer com sade. O Yoga cuida do cor-po, da mente e do esprito e altamente indicado para a terceira idade, no processo de aceitao desta fase, com o entendimento das limi-taes do corpo. Os sanas (posturas psicofsicas) so executados de forma mais suave, dentro das limitaes de cada aluno e respeitando o seu corpo. O importante gerar o equil-brio das energias do corpo, trazendo a sade perfeita. Para aqueles que possuem doenas crnicas, primeiro recomendado consultar um mdico e conversar sobre quais so as restries de cada indivduo, pois o yoga trabalha com exerccios fsi-cos e respiratrios. Funda-mental tambm que seu instrutor de yoga saiba de suas restries, para poder adaptar os sanas sua ne-cessidade.A prtica do yoga na terceira idade auxilia na manuten-o da sade, alongando e fortalecendo os msculos e melhorando a capacidade respiratria e cardaca. Em um nvel mais sutil, auxilia no aumento da autoestima, combatendo a depresso, es-timulando a autoconfianas e a vontade de viver. O yoga promove o conforto do prati-</p><p>cante, que vai percebendo no dia a dia as mudanas acon-tecendo no seu corpo. Uma base firma essencial nesta fase, evitando tombos e possveis fraturas. Por isso a soltura articular auxilia na mobilidade dos dedos dos ps e tornozelos, e com o fortalecimento das pantur-rilhas e joelhos, formamos uma base firme. Com exerc-cios de alongamento, o yoga fortalece a coluna vertebral, mantendo uma postura ere-ta, evitando a modificao do centro de equilbrio do corpo. Uma coluna saudvel traz facilidade na execuo das tarefas do dia a dia. A sade da viso vem atravs de exer-ccios para os olhos, possibi-litando a adaptao da retina em diversas situaes.Muitos so os benefcios para a terceira idade que, com a prtica regular de yoga, regu-lariza as funes do sono e da presso arterial, elimina problemas digestivos e dores musculares, traz mobilidade das articulaes e estimula a concentrao e a memria.A terceira idade uma fase muito especial e podemos vivenci-la com qualidade de vida. Venha praticar yoga e renovar suas energias. Lembre-se: No podemos acrescentar anos vida, mas podemos acrescentar vida aos anos. (Prof. Niehans).</p><p>YogaInstrutora de Yoga Lgia Delazzeri Rodrigues Balbinotti e-mail: ligiadelazzeri@yahoo.com.br</p><p>3GERALSbado, 7 de setembro de 2013.</p><p>Foto: Prefeitura de Arquari</p><p>Na ltima quarta-feira, dia 29, o Instituto Bra-sileiro de Geografia e Estatstica (IBGE) di-vulgou as estimativas de populao deste ano nos mais de cinco mil municpios do pas. Os nmeros so levantados baseados nos Censos </p><p>2010 e 2000.Na regio, o municpio que mais cresceu foi Araquari, que pulou de 24.810 habitantes para 29.593, mdia de mais 1500 habitantes por ano. Em nmero de pessoas, Barra Velha vem em segundo lugar. Em 2010 a cidade tinha 22.386 habitantes e segundo o instituto au-mentou 2.557 pessoas, chegando a 24.943 habitantes em 2013.J Balnerio Piarras tambm teve um cresci-mento significativo nos ltimos trs anos, com </p><p>um aumento de 2.251 habitantes. Em 2010 o municpio somava 17.078 pessoas em 2013 esse nmero aumentou para 19.329 resi-dentes. </p><p>Balnerio Barra do Sul no cresceu no mesmo patamar que a cidade vizinha de Araquari, mas teve um aumento de 900 habitantes de 2010 para 2013, de 8.430 pessoas para 9.330. O municpio com o menor aumento foi So Joo do Itaperi, em 2010 registrou 3.435, de acor-do com o instituto em 2013 sero 3.578 resi-dentes, 143 a mais que h trs anos. </p><p>A projeo da populao tem como objetivo atender a Lei 8.443, de 16 de julho de 1992, que dispe sobre a Lei Orgnica do Tribunal de Contas da Unio (TCU). A lei determina a divul-gao dos nmeros pelo governo federal para que o TCU possa, por exemplo, efetuar e fis-calizar o clculo das quotas referentes aos fun-dos de participaes dos Estados e municpios.Assinada pela presidente do IBGE, Wasmlia Socorro Barata Bivar, a resoluo est sendo publicada em decorrncia de deciso judicial. </p><p>Venha fazer uma aula experimental gratuita de Hatha Yoga. Av. Santa Catarina, 1192 Piso superior da Pizzaria Forno Lenha.Aulas segundas e quartas, s 16:30h e s 19h.Telefone: (47) 8461.1487</p><p>Yoga na terceira idade</p><p>IBGE divulga as estimativas de populao para 2013</p></li><li><p>Recentemente o juiz da 2 vara da comarca de Barra Velha, Dr. Iolmar Alves Baltazar, publicou deciso que isenta de improbidade administrativa o ex-prefeito Samir Mattar no caso envolvendo as contrataes com dispensa de licitao das empresas Enops Engenheira Ltda e Baltt Em-preiteira, Transportes e Ter-raplanagem Ltda. Mattar e outros envolvidos so rus em </p><p>uma ao civil pblica movida pelo Ministrio Pblico.O juiz afirma em sua deciso publicada no dia 22 de agosto no ter encontrado irregulari-dades nos casos que envolvem a contratao e prorrogao de contrato com a Enops, para gerir o abastecimento de gua do municpio, bem como na dispensa de licitao por si-tuao de emergncia para a contratao Baltt, responsvel </p><p>pela construo de um molhe na barra do rio Itapocu. Por outro lado, o magistrado ressalta a necessidade de apro-fundamento nas denuncias do MP baseadas em documentos e laudos tcnicos, de super-faturamentos e irregularidades nos servios e obras prestados pela Enops, que tambm ci-tada como r no caso. </p><p>4 GERAL Sbado, 7 de setembro de 2013.</p><p>Juiz de Barra Velha inocenta ex-prefeito Samir Mattar de improbidadeadministrativa na contratao sem licitao das empresas Enops e Baltt Processo continua: deciso publicada no ltimo ms tambm pede investigao aprofundada de desvios de dinheiro em obras executadas pela Enops</p><p>Caso Enops</p><p>Confira os pontos de acusao do Ministrio Pblico e as consideraes do juiz acerca do tema. A deciso completa pode ser encontrada no site do Tribunal de Justia de Santa Catarina (www.tj.sc.br), processo de ao civil pblica n 006.10.002424-1.</p><p>Segundo consta nos autos do processo, a contratao da Enops se deu aps um perodo de indefinio com relao ao abastecimento de gua na cidade. O imbrglio teve inicio com o trmino de contrato com a Casan em ou-</p><p>tubro de 2005. Em fevereiro de 2007, o Consrcio guas de Barra Velha venceu a lici-tao realizada, assinando contrato de um ano. Porm, por deciso judicial, a Casan retomou os trabalhos em maro. Em agosto de 2009 </p><p>uma deciso do Superior Tri-bunal de Justia devolveu ao municpio a gesto do abas-tecimento, quando a Enops foi contratada com dispensa de licitao.</p><p>Resumo da denuncia do Ministrio Pblico:</p><p>O Municpio de Barra Velha, dispensando a necessria licitao, firmou contrato admi-nistrativo para prestao do servio de abas-tecimento de gua com a empresa Enops. Assim, o contrato seria ilegal. Por meio desse contrato, que permitia Enops, sem prvia autorizao e sem licitao, comprar o que entendesse necessrio para prestar o servio de abastecimento de gua, os rus, em </p><p>conluio, teriam desviado recursos pblicos de inmeras formas, praticando atos de impro-bidade, cujas sanes esto previstas nos ar-tigos 11 e 12 da Lei 8.429/92. Como supos-tamente no havia fiscalizao, os servios teriam sido mal prestados, parcialmente prestados, as compras superfaturadas, mas os pagamentos teriam sido sempre integrais e feitos sem maiores questionamentos.</p><p>Trechos da deciso publicada pelo Dr. Iolmar Alves Baltazar:Analisando a documentao carreada aos autos, constato que a contratao direta da Enops Engenharia Ltda. est devidamente justificada. Fato que, luz da prova produ-zida, no possvel verificar ilegalidade da contratao, nem mesmo prejuzo ao errio.Quanto razo da escolha da empresa Enops Enge-nharia Ltda e relativamente justificativa do preo, verifico que, pelo que consta nos au-tos, no h ilegalidade, nem evidncias de prtica de ato de improbidade. A Enops Engenharia Ltda, em 16/9/2009, apresentou proposta para prestao de servios tcnicos de operao e manuteno do sistema de abastecimento de gua, com valor mensal de R$ 223.351,67, ou seja, valor muito semelhante ao cobrado pelo Consrcio guas de Barra Velha, R$ 227.872,16, em janeiro de 2007, dois anos antes. Alm da questo preo, a Enops Engenharia Engenharia Ltda apresentou </p><p>documentao suficiente para aferir sua capacidade tcnica e financeira para a prestao do servio.Por outro lado, acerca das alegaes de superfatura-mentos e no realizao de servios, obras, confiro que o Ministrio Pblico aponta diversas irregularidades, calcadas em documentos, laudos tcnicos, contratos relativos a servios seme-lhantes (para possibilitar a anlise da correio ou no dos valores negociados entre os rus), donde decorre a necessidade de se proceder regular apurao dos fatos, sob o crivo do contraditrio e da ampla defesa. A razo est em que, conforme apurado unilateral-mente pelo Parquet, a Enops prestava um servio precrio, incompatvel com a remune-rao que auferia e, por seu intermdio, era facilitado o enriquecimento dos envolvi-dos, mediante cobranas fraudulentas, obras super-faturadas e etc. </p><p>Na deciso publicada pelo magistrado possvel ter acesso ao resumo de laudos tcnicos que embasam a de-nuncia do Ministrio Pblico em irregularidades de servios executados pela Enops. De acordo com o MP, o con-trato previa servios destina-dos a atender situaes espec-ficas, no rotineiras, desde que fundamentada a solicitao. A execuo deveria ser prece-dida de autorizao, mediante ordem de servio emitida pelo municpio. Porm, a acusao afirma que no foram encon-tradas ordens de servio que justifiquem obras da Enops, apenas ofcios sem especifi-caes exatas das obras e dos seus...</p></li></ul>