Jornal Voz do Itapocu - 12ª Edição - 20/07/2013

Download Jornal Voz do Itapocu - 12ª Edição - 20/07/2013

Post on 10-Mar-2016

249 views

Category:

Documents

25 download

DESCRIPTION

12 Edio do Jornal Voz do Itapocu, com circulao nas cidades de Barra Velha, Araquari, Balnerio Piarras, So Joo do Itaperi e Balnerio Barra do Sul, em Santa Catarina. Distribuio gratuita nos pontos parceiros de distribuio. Acompanhe pelo Facebook: http://www.facebook.com/vozdoitapocu

TRANSCRIPT

FESTA DO PIROCONHEA AS CANDIDA-TAS A RAINHA DO PIRO DESTE ANOJORNALSBADO, 20 DE JULHO DE 2013. ANO 1 - EDIO 012 - DISTRIBUIO GRATUITAADVOGADO PERCIVAL TEIXEIRA CONCEDE PARECER SOBRE CONTRATO E CONVNIO DA ESTATAL COM BARRA VELHAE MAIS: SAIBA O TEOR DO CONTRATO QUE SER VOTADO NO INICIO DE AGOSTO NA CMARA DE VEREADORESPG 8, 9 e 10Circulao: Araquari, Balnerio Barra do Sul, Barra Velha, So Joo do Itaperi e Balnerio PiarrasGERALCASA DE PASSAGEM ACOLHE MENORES EM SITUAO DE RISCO EM BARRA VELHAPG 5PG 7ESPORTESEMIFINAIS DO FUTEBOL DE BALNERIO PIARRAS ACONTECEM NESTE DOMINGOPG 16LITERATURALEITURA LEVA CONHECIMENTO E AJUDA PRESOS A REDUZIR PENA EM BARRA VELHRAPG 13PG 3CONHEA O NOVO CONTRATO COM A CASANA escolha da nova realeza da 17 Festa Nacional do Piro acontecer na prxima sexta-feira a partir das 20h30 na So-ciedade Recreativa de Barra Velha. Doze candidatas com idade entre 16 e 21 anos es-to na disputa pela coroa de rainha e princesas da festa. Representando associaes e entidades municipais, elas sero avaliadas por um jri especializado que ir analisar quesitos como beleza, sim-patia, dico e desenvoltura. Aps o des le da escolha, o baile contar com a Banda Mil do Paran.As trs vencedoras iro di-vulgar pela regio a festa, que ir acontecer do dia 5 a 8 de setembro. Ontem, a prefeitu-ra municipal de Barra Velha abriu o processo de licitao para saber qual ser a empresa responsvel pela contratao dos shows nacionais da festa. Grupos interessados em tocar no palco gastronmico po-dem procurar a secretaria de Turismo, Esporte e Cultura lo-calizada na Praa Lauro Car-neiro de Loyola, no centro da cidade.Abaixo, as fotos das candidatas e suas respectivas associaes:Escolha da rainha da 17 Festa Nacional do Piro acontece nesta sexta-feiraDestacando-se como impor-tante comerciante de Barra Velha, Nabor Moraes Pires as-sistiu a chegada dos primei-ros veranistas e banhistas da cidade apoiado no balco dos diferentes estabelecimen-tos comerciais que dirigiu. Primeiramente, um bar privi-legiadamente localizado s margens da praia, nas canoas dos pescadores. Vendendo refrigerante Cruch, cerveja e outros aperitivos, Nabor e sua esposa Ilda Mendes Pires zer-am amizade com pescadores, clientes da colnia, turistas e moradores locais. Os servios prestados pelo Bar do Nabor foram aos poucos se diversi- cando, e o trabalho que no incio era todo realizado pela famlia, foi exigindo a mo de obra de mais auxiliares, que foram aos poucos sendo con-tratados. O bar do Nabor se destacava como um local de encontro entre amigos e polticos, pois dentre os frequentadores es-tavam os responsveis pelos primeiros passos de uma Bar-ra Velha prestes a se emanci-par. Segundo sua esposa, a cidade no conhecia, nem tinha es-trutura para montar comits polticos, ento na falta destes, o bar era o local escolhido para discusses acaloradas, escolhas de candidatos, a-certo de coligaes e tambm desacertos! As discusses en-tre grupos adversrios eram frequentes, mas sempre na diplomacia. Apesar de andar to perto dos trmites polticos municipais, Nabor nunca se candidatou a nenhum cargo poltico prefe-ria assistir a tudo de longe, discursando apenas nos comcios que aconteciam no seu bar. O seu plenrio era em frente ao mar, seus eleitores eram seus clientes, e suas obras pblicas eram o bom a-tendimento do pblico em ge-ral. O no envolvimento polti-co familiar, pois at os dias atuais nenhum Pires ocupou as cadeiras dos Legislativo ou do Executivo municipais.Alm do bar, foi proprietrio de um supermercado grande tambm nas proximidades da Colnia de Pescadores, sem-pre contando com o auxlio da famlia. Neste local, empacota-va feijo e arroz, alm de ven-der po, doces, broas, pirulitos e sonhos, estes todos prepara-dos por Ilda. Ela, por sinal, se mostrou uma verdadeira guer-reira, pois mesmo cuidando dos cinco lhos do casal, ainda atendia no supermercado. Nabor era responsvel pelas entregas, enquanto ela cui-dava do estabelecimento e dos funcionrios. Chegaram a contratar seis pessoas para auxiliar nos servios que au-mentavam mais e mais.Os doces de Ilda encantavam os clientes e sua fama de boa cozinheira atravessou os tem-pos, pois ainda hoje os lhos, netos e bisnetos os pedem. Os sonhos preparados por ela so capazes de fazer os fami-liares abandonar seus afa-zeres pro ssionais e correrem para sua casa. Este talento na cozinha foi herdado de sua me, Ana Borba Mendes, que a ensinou ainda menina os segredos de um bom prato. O trabalho exigia bastante em-penho e persistncia, e no foram poucas as vezes que o casal assistiu o clarear do dia, principalmente em noites de vi-rada de ano. Entretanto, como todo esforo tem sua resposta, a famlia alcanou um padro de vida confortvel graas venda de bebidas e s muitas noites mal dormidas. As terras, onde se localizava o bar, o supermercado, alm do material de construo funda-do por Nabor, foram herdadas de seu pai, Miguel de Simas Tomaz Pires, e neste mesmo local que se localiza sua rua. De frente ao porto de pesca-dores artesanais paisagem muito comum em toda sua vida.Nabor faleceu em 2009 e deixou a viva, que ainda hoje mora na residncia construda pelo casal. Deixou a imagem de homem tranquilo e traba-lhador, alm de exmio comer-ciante. Fonte: Ilda Mendes PiresEsquinas da HistriaProfessora e historiadora Angelita Borba de Souza e-mail: angelitaborba@hotmail.comNABOR MORAES PIRES - UM HOMEM DE MUITOS NEGCIOS13CULTURASbado, 20 de julho de 2013.Ana Cristina Avelino -17 anos - Bombeiros MilitaresAna Paulina de Oliveira da Silva - 20 anos- CDLAndrielli Pegrussi Ribeiro - 17 anos - Ass. Senhoras SolidriasCassia Maria Passos - 16 anos- ACDIDaiani Ferreira Martins - 17 anos- ASAPREVHagna Luzia Toth - 19 anos - Ass. ABC Amigos Solidrios ItajubaJaqueline Godoy Dias- 19 anos - Ass. dos Banani-cultoresJulia Terezinha Tomazelli - 16 anos - CTG Esteio da TradioMnica Helosa Fagundes - 19 anos - ACCIPmela Nardes Marcos - 17 anos - Ass. dos Arteses de Barra VelhaSarah Ludmila Rodrigues Florincio - 21 anos - AAPECTainanda R. Ieger Bazi - 17 anos - Ass. Raios de SolPOLTICAPREFEITOS DE BARRA VELHA E ARAQUARI VOLTAM DE BRASLIA COM RECURSOS ASSEGURADOSMAIS: MUNICPIOS VO RE-CEBER AJUDA EMERGENCIALImagem ilustrativa2 EDITORIAL Sbado, 20 de julho de 2013.Informao pblicaNo foi a primeira vez, nem a segunda. Mais uma vez uma matria do jornal Voz do Itapocu foi usada como release o cial da prefeitura de Barra Velha, sem qualquer meno ao nosso trabalho. A matria sobre a licitao do ginsio da cidade foi enviada a todos os veculos de comu-nicao da regio como Infor-mao Pblica n 383, no dia 10 de julho deste ms. No queremos dizer que a in-formao nossa e ningum mais pode utiliz-la, pelo con-trrio, para o jornal sinal de que nossa atividade dentro da sociedade de Barra Velha e de toda a regio est tendo uma repercusso positiva.Mas, por outro lado, o que preocupa, e no de hoje, a di culdade da prefeitura de Barra Velha em prestar uma assessoria de imprensa que antecipe a informao aos veculos com que se rela-ciona, e no o contrrio. Este um sinal claro de que algo est errado nos corredores da administrao pblica. No estamos apontando o dedo pra esse ou para aquele servidor, mas sim para a for-ma di cultosa que a impren-sa encontra para fazer o seu trabalho. Consequentemente a popu-lao, que se abastece de informaes pblicas atravs de ns, veculos de comuni-cao, tambm acaba preju-dicada. O fato de uma matria do Voz do Itapocu se trans-formar em informao o cial sem qualquer crdito para a nossa reportagem apenas um gancho para entrar no tema. Enquanto outras pre-feituras nos assessoram com matrias de contedo, bem redigidas, em Barra Velha necessrio um jornal levantar a lebre sobre a reforma do ginsio da cidade para que a notcia da licitao venha tona.Por m, vale citar o esforo do reprter Alan Willian, que du-rante duas semanas correu atrs de informaes sobre a licitao do ginsio, escreveu a matria com contedo e qualidade. PREVISO DO TEMPOSBADONebulosidade varivel e chuva isolada(20/07)MX: 16 MN: 12DOMINGO (21/07)MX: 14 MN: 6SEGUNDA-FEIRANebulosidade varivel e chuva isolada(22/07)MX: 10 MN: 3Informaes do Centro de Informaes de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina (Ciram) da EpagriEXPEDIENTETiragem: 5 mil exemplares / distribuio gratuita / semanrio Circulao: Araquari, Balnerio Barra do Sul, Balnerio Piar-ras, Barra Velha e So Joo do ItaperiReportagem Carolina NunesAlan WillianDiagramaoGermana SouzaEdio Anderson DaviDepartamento Comercial Claudia S. PrevedelloColaboradoresAngelita Borba de SouzaLgia Delazzeri R. BalbinottDaniela CensiLino Pedro de Arajo FilhoMarcos Zaleski de MatosGabriela Stahelin PereiraVolnei Antnio de SouzaJornalista Responsvel Flvio Roberto DRT: 02494 JP UMA PUBLICAO REDAOAv Santa Catarina, 1192 - SobrelojaCentro - Barra Velha - SCCEP: 88390-000Colunas, artigos, cartas, e-mails enviados e assinados so de inteira responsabilidade de seus autores. O contedo no expressa, necessariamente, a opinio do jornal.CONTATOS(47) 3456 1194(47) 9959 1143 (Comercial)Reportagem - jornalismo@vozdoitapocu.com.brComercial - comercial@vozdoitapocu.com.brColunistas - colunas@vozdoitapocu.com.brColuna Social - social@vozdoitapocu.com.brVEJA ONDE ENCONTRAR O JORNAL DE FORMA GRATUITA TODOS OS SBADOS:www.vozdoitapocu.com.brFACEBOOKNo leu as edies anteriores do Voz do Itapocu?Acesse:www.issuu.com/vozdoitapocu e leia na ntegra a edio virtual do jornal, de forma interativa e prtica.No leu as edies anteriores do Voz do Itapocu?Acesse:www.issuu.com/vozdoitapocu e leia na ntegra a edio virtual do jornal, de forma interativa e prtica.Encoberto com chuvaErrata: Na edio anterior, publicada no dia 13, noticiamos a realizao do rodeio do CTG Esteio da Tradio. Na ocasio foi dito que o furto de um carro havia acontecido dentro do parque. Segundo o patro do CTG Edinho Borges, o roubo aconteceu fora do parque. Alm disso, Edinho esclareceu tambm, os valores cobrados no evento. Nos dois primeiros dias estavam sendo cobrado R$10 por veculo. Somente no domingo, foi cobrada a entrada por pessoa no valor de R$5, pelo fato de que o baile seria gratuito. O evento avaliado de forma positiva reuniu aproxi-madamente 10 mil pessoas entre os dias 5 e 7 de julho, atraindo muitos turistas do Paran e da serra catarinense, o que movimentou o calendrio da baixa temporada em Barra Velha.O tempo de recluso na Uni-dade Prisional Avanada (UPA) de Barra Velha est rendendo um aprendizado diferente para um grupo de presos condenados pela justia. Cerca de 10 deten-tos j aderiram ao programa de Remio pela Leitura, in-stitudo pelo juiz corregedor do presdio, Iolmar Alves Bal-tazar, em parceria com a bibli-oteca pblica municipal. Alm de adquirirem conhecimento atravs da literatura, a partici-pao no projeto faz com que os presidirios diminuam dias de suas penas medida que apresentam relatrios sobre as obras lidas.O projeto comeou em maro e de acordo com a diretora da biblioteca municipal, Nilcia Tomaz, o resultado tem sido produtivo. Cerca de 90 livros j foram encaminhados para o presdio, para que os detentos possam selecionar os que mais lhe interessassem. As opes cam entre romances, livros infanto-juvenis, religiosos e autoajuda.Para selecionar as obras que deveriam estar disposio dos presos na UPA, um estudo com um grupo de 80 detentos foi feito para traar o per l de ensino do pblico do pro-jeto. Foram constatados que a maioria entre 25 e 30 anos seria o foco principal, sendo que 50% no concluiu sequer o Ensino Fundamental. Alm disso, 20% concluiu o Ensino Mdio e outros 30% tem grau completo.Ns espervamos que eles no fossem aderir ao projeto, mas alguns esto se dedican-do e realizando as atividades. Alm de estarem em contato com a literatura, os presos ainda podem diminuir suas penas. Eles tambm podem receber a resenha que zeram corrigida, o que um estmulo para aprenderem o que esto escrevendo certo e o que est errado, comenta Nilcia. Como funciona a remioA portaria n01/2013 do juiz da 2 vara de Barra Velha re-gulamenta a remio de pena com base na leitura, a exemplo de outras comarcas do Estado, que utilizam o mesmo crit-rio. Segundo a portaria, ter direito a remir 3 dias da pena o reeducando que, em 30 dias, ler pelo menos 1 livro com 500 pginas, ou tantos quan-tos resultem 500 pginas, de forma que no nal de 12 me-ses poder remir o total de 36 dias da pena.Ainda segundo o juz Iolmar, o preso ter 20 dias para ler o livro e mais 10 para escrever uma resenha ou relatrio so-bre a obra lida, com trs pgi-nas. O documento enviado para avaliao de professores do Programa de Educao de Jovens e Adultos (EJA), que iro avaliar o relatrio e ates-tarem se o detento realmente leu o livro. Nilcia conta que cerca de 10 resenhas j foram escritas. Leitura no presdio leva conhecimento e reduz pena de presos de Barra VelhaProjeto foi iniciado em maro pelo juz corregedor da Unidade Prisional Avanada, Iolmar Alves Baltazar, em parceria com a biblioteca pblica municipalVoc sabia que pessoas que tm a presso arterial elevada devem fazer -sioterapia? Assim que a pessoa descobre que pos-sui hipertenso arterial sistmica, ou seja, presso alta, so necessrias algumas medidas para normalizao desse quadro. A presso alta deve ser tratada, pois pode acarretar danos ao corao e rins, principalmente.A rea da sioterapia que trata essa condio a Fi-sioterapia Cardiorres-piratria. Aps uma ava-liao detalhada, monta-do um plano de tratamento repleto de exerccios volta-dos para a necessidade de cada paciente. So utiliza-dos exerccios com halteres, bolas, bicicleta ergomtrica e esteira. Podem ainda ser includos exerccios de caminhada ao ar livre ou na piscina.Durante os exerccios o paciente acompanhado o tempo todo pelo -sioterapeuta, para que seja garantido o bem estar do mesmo. A presso arterial e a frequncia cardaca so medidas a cada poucos minutos para que a inten-sidade do exerccio seja alterada. muito importante o acompanhamento de um pro ssional habilitado, pois a prtica de exerccio fsico desacompanhado pode gerar quadros de aumento ou queda exagerados da presso arterial.Tambm essencial lem-brar que a intensidade do exerccio ser aumentada lentamente, conforme o progresso do paciente. Dessa forma, uma pessoa sedentria no pode, por exemplo, em seu primeiro dia de exerccios fazer uma corrida. Deve iniciar com uma caminhada lenta e ir aumentando a velocidade gradativamente.A mudana dos hbitos de vida, como alimentao, tambm so importantes nesse caso. Consultar um nutricionista o ideal.Previna o quadro de au-mento da presso arterial tendo uma vida saudvel. J est com a presso arte-rial alterada? Comece hoje mesmo a se cuidar, com certeza valer pena!SadeFisioterapeutaDaniela Censi e-mail: dani_censi@hotmail.com3GERALSbado, 20 de julho de 2013.Presso alta X sioterapiaDiretora da biblioteca municipal, Nilcia Tomaz.Associaes conhecem novas diretrizes para repasse de recurso da Assistncia Social em Barra Velha4 GERAL Sbado, 20 de julho de 2013.Atualmente 11 associaes previstas na Lei, e que detm a concesso dos repasses.A secretaria municipal de Assistncia Social de Barra Velha reuniu no Complexo Social do Morro do Colcho representantes de associaes para discutir as novas dire-trizes do Conselho Nacional de Assistncia Social (CNAS). No encontro foram repassadas as novas normas aos interes-sados em obter a concesso para receber subveno da prefeitura municipal de Barra Velha. As associaes comu-nitrias ou filantrpicas que j recebem o apoio receberam tambm, orientaes a res-peito das prestaes de contas mensais.A concesso de subveno social deve ser restrita s en-tidades sem fins lucrativos dedicadas prestao de servios de assistncia social, mdica, educacional ou cul-tural, nos termos da Lei Fe-deral n 4.320/64. Somente instituio cujas condies de funcionamento forem julga-das satisfatrias pelos rgos oficiais de fiscalizao sero concedidas subvenes.Os interessados em entrar com o pedido de concesso precisam encaminhar o proto-colo de projeto social e plano de trabalho, junto ao Conselho de Assistncia Social de Barra Velha e encaminhar ofcio ao prefeito solicitando o repasse com o plano de trabalho em anexo, destaca Ana Carolina Lucena Gomes, controladora da prefeitura.Aps ser concebido o repasse, a prestao de contas deve ser encaminhada em at 30 dias ao setor de controle interno para verificao e, por ltimo, encaminhada a Semaf. A prestao de contas compos-ta por dados da entidade, pla-nilha de gastos e documentos, tal como, termo de responsa-bilidade de aplicao todos assinados pelos presidentes. Os documentos consistem em documentos fiscais de aquisio de bens ou servios, com extrato bancrio e cpia dos cheques emitidos.O repasse feito em 12 parce-las mensais. Atualmente as associaes previstas na Lei, e que detm a concesso dos repasses so as seguintes:- APAE - Associao de Pais e Amigos dos Excepcionais -R$ 2.500,00- AAPEC - Associao de Assistncia aos Portadores e Ex-Portadores de Cncer R$1.500,00- Associao Beneficente Bethesda - R$ 2.500,00- Associao Coral Divina Luz R$1.500,00- Associao de Aposentados e Pensionistas de Barra Velha - R$ 1.500,00- Associao ABC Amigos Solidrios de Itajuba R$ 2.000,00- Associao Senhores Solidrias de Barra Velha R$ 1.500,00- Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Barra Velha R$ 1.200,00- ASBAVE - Associao de Servidores Pblicos de Barra Velha R$ 1.200,00- Associao Barravelhense de Proteo aos Animais R$ 1.000,00- Associao Corpo de Bombeiros Voluntrios de Barra Velha e So Joo do Itaperi R$ 1.000,00Foto: Divulgao PrefeituraGERALSbado, 20 de julho de 2013. 5Casa de Passagem de Barra Velha acolhe crianas em situao de risco A Companhia Catarinense de gua e Esgoto (Casan) de Barra Velha iniciou na semana passada o Programa de Recu-perao de Receita (PROCR-ER). O programa que ir at 15 de novembro de 2013 tem como objetivo reduzir juros e multas em 100%, alm de per-mitir o pagamento em at 10 vezes, para aqueles que aderi-rem no primeiro ms. A adeso ao programa res-trita aos usurios que tenham faturas vencidas at dia 31 de dezembro de 2012 e atende pessoas fsicas e jurdicas. Para mais informaes basta ir at o escritrio da estatal na rua Carlos Maia, 127, no Centro, ou atravs do telefone 3456 1979. H cerca de 14 anos a Casa de Passagem Germano Selke, de Barra Velha, tem se dedicado a cuidar de crianas em situ-ao de risco no municpio. O pblico alvo da Casa, que acolhe principalmente as de-mandas do Conselho Tutelar da cidade, est em crianas recm-nascidas at adoles-centes de 17 anos. Atualmente so 10 crianas abrigadas no local, recebendo tratamento psicolgico para crescerem e conquistarem seu espao na sociedade.De acordo com a coordena-dora da Casa, Marli de Fatima Chaves Vieira, o nmero de moradores do local varia de ms a ms, Enquanto h me-ses que cerca de cinco, seis so deixados aos cuidados dos profissionais, outros meses nenhuma nova criana chega ao centro, comenta. A Casa foi fundada em 1999 e em 2000 registrada no municpio. So inmeros os motivos pelos quais as crianas so abrigadas. O mais comum o abandono por parte de pais e responsveis, que no cui-dam dos seus filhos e os deix-am sozinhos em casa, o que obriga o Conselho Tutelar do municpio a recolh-los, fazer os devidos registros, e posteri-ormente encaminha-los para a Casa. L eles encontram o suporte de 12 profissionais que tra-balham diretamente na Casa, sendo nove monitoras, uma psicloga, uma assistente so-cial e a coordenadora Marli. S podemos acolher crianas encaminhadas pelo Minist-rio Pblico, a Juza ou a Pro-motora, explica. De acordo com a coordena-dora, dos 10 abrigados, a mais nova tem trs meses e o mais velho 14 anos. A manuten-o, alimentao e materiais usados no local so mantidos pela Prefeitura Municipal, j que o programa est ligado a Assistncia Social, No podemos receber doaes em forma de dinheiro, apenas ali-mentos, roupas, calados, esse tipo de coisa, complementa Vieira. AdooPara chegar fase da adoo Marli de Ftima, necessrio antes duas tentativas de rein-tegrar as crianas com a sua famlia. No primeiro mo-mento com a famlia biolgica (pai e me), em seguida com a famlia extensa (parentes). Somente aps essas duas ten-tativas, a criana entregue para uma famlia substituta, Nem sempre as famlias procuram crianas novas, j tivemos um caso em que uma menina de 17 anos e meio foi adotada, hoje ela possui um novo nome, uma nova fam-lia, acrescenta. Maior idadeOs jovens podem permane-cer no abrigo at completar a maior idade. Aps os 18 anos, eles devem sair da Casa de Passagem e iniciar a sua vida adulta. Para isso a partir dos 14 ou 15 anos esses jovens comeam a realizar cursos de capacitao. Segundo Vieira, a promotora da comarca lo-cal abre uma conta para que o salrio ganho seja depositado. Assim, quando o adolescente no receber mais os cuidados do municpio, j ter um dinheiro para iniciar a vida, alm de j estar inserido no mercado de trabalho. Durante os 16 at os 17 anos eles trabalham e j vo fa-zendo uma poupana para quando completarem a maior idade possam ter condies de pagar um aluguel. De acordo com Marli essas crianas ficam ligadas a Casa de Passagem mesmo j tendo ido embora, Elas continuam visitando os funcionrios, vm nos apresentar as namo-radas, mesmo depois o con-tato continua, finaliza. So inmeros os motivos pelos quais crianas recm-nascidas e adolescentes so abrigadas.Casan de Barra Velha inicia Programa de Recuperao de ReceitaCerca de 700 crianas da rede municipal de ensino de Bal-nerio Piarras participaram das aes estratgicas da primeira Semana de Com-bate s Drogas do municpio. A iniciativa surgiu atravs do programa Sade na Escola, realizado pelas Secretarias de Sade e de Educao. As aes foram organizadas dentro das escolas da cidade, enquanto uma caminhada reunindo 320 pessoas concluiu o evento. Alm de um teatro encenado por alunos da escola Francisco Borba, a Semana de Combate a Droga contou com debates sobre o tema, atividades na Associao Teraputica S-tio Caminho Novo e at a produo de um vdeo edu-cativo. Aps a caminhada, o evento foi encerrado com apresentaes musicais.Semana de Combate s Drogas promove aes sobre o tema em Balnerio PiarrasFoto: Divulgao PrefeituraGERAL Sbado, 20 de julho de 2013.6Balnerio Barra do Sul e Balnerio Piarras oferecem descontos para dbitos fiscaisCom o intuito de negociar as dvidas dos contribuintes, as cidades de Balnerio Piarras e Balnerio Barra do Sul, lan-aram aes previstas atravs do Refis consistindo em um parcelamento de dbitos fis-cais proposto s pessoas ju-rdicas com dvidas perante a Secretaria da Receita Federal (SRF), a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN) e o Instituto Nacional do Se-guro Social (INSS). Em alguns casos o desconto pode chegar at 90% dos juros e multas.Em Balnerio Piarras, a se-cretaria de administrao e fazenda iniciou o envio de boletos de cobrana aos con-tribuintes devedores. O boleto est sendo enviado com uma nica opo de pagamento: com 90% de desconto em juros e multas, com o venci-mento no dia 15 de agosto. Os inadimplentes interessados em negociar devem procurar a Prefeitura, no setor de Cadas-tro. No cogitado realizar uma nova edio do Refis, en-to, essa uma grande oportu-nidade de negociao de dbi-tos com o municpio, afirma Ana Lcia Wilvert, secretria de Administrao e Fazenda, lembrando tambm, que o programa tem validade at o dia 2 de outubro, sem prazo de prorrogao.Alm do pagamento a vista, o contribuinte que estiver in-teressado em parcelar a conta deve procurar o setor de tributao para escolher as outras opes. Assessor fa-zendrio, Edson Vander das Neves explica que em parcela-mentos de seis vezes, o con-tribuinte obtm 80% de des-contos em juros e multas, para at 12 parcelas, o desconto em juros e multa de 60% e em 18 vezes o valor de juros e multas tem desconto de 40%. Enquanto isso, o setor de tri-butao da prefeitura de Bal-nerio Barra do Sul, oferece aos devedores o prazo de at 31de julho para o acerto das contas. Joo Silvestre, respon-svel pelo setor, informa que caso opte pela cota nica, o contribuinte ter 80% de des-conto de juros e multas. J na opo parcelada, podem es-colher a diviso em 12 vezes obtendo o desconto de 50% ou em 24 vezes com o desconto de 30%.O contribuinte que no fizer o pagamento manter o dbi-to ativo com o municpio e poder ser encaminhado para cobrana extrajudicial, atravs do Tabelionato de Notas e Protestos da Comarca. A expectativa do setor de con-seguir um volume de 10% de negociaes, baseado em re-centes projetos de recuperao fiscal.Abertas inscries para curso de ingls gratuito em AraquariA prefeitura municipal de Araquari, por meio da As-sociao de Micro e Peque-nas Empresas de Araquari (Ampe), e das secretarias de Turismo, Educao e De-senvolvimento, abriu nesta semana as inscries para o programa Welcome to Ara-quari, que ir oferecer 400 vagas em um curso gratuito de ingls, voltado aos mo-radores e comerciantes do municpio. O objetivo do programa promover as habilidades do idioma ingls, com n-fase na compreenso e co-municao, visando assim, qualificar os comerciantes locais que sero a primeira aparncia do municpio com os turistas e trabalhadores estrangeiros. Alm de co-merciantes, servidores da prefeitura tambm devero ser capacitados.Segundo o vice-prefeito Clenilton Carlos Pereira, a criao do programa surgiu da preocupao do governo municipal em preparar a populao para o crescimen-to da cidade. Pretendemos distribuir conhecimento para toda comunidade ara-quariense e, principalmente, para estarem preparados para o futuro da cidade, ca-pacitando para receber tu-ristas e empresrios vindos de fora do pas, declarou.Ministrado por professores com qualificaes no exteri-or, o curso ser realizado em 12 dias consecutivos tendo uma carga horria de 40 ho-ras aula. Os encontros sero presenciais. At o final deste ano, uma nova turma, for-mada por mais 400 pessoas, tambm dever realizar o curso.Segundo o prefeito Joo Pe-dro Woitexem, a proposta vai favorecer os trabal-hadores que exercem fun-es que exigem o emprego da lngua inglesa no atendi-mento ao pblico estrangei-ro. Nossa cidade dever receber, nos prximos anos, visitantes que usam o ingls como forma de comuni-cao, seja na prestao de servios ou empresrios que queiram se instalar no mu-nicpio, finaliza.Para se inscrever, os interes-sados devem ter concludo o ensino fundamental, ser morador de Araquari e ter, no mnimo, 16 anos. As inscries iniciaram nesta segunda-feira por meio de formulrio eletrnico pr-prio disponibilizado no site da prefeitura www.araquari.sc.gov.br, na Cmara de Vereadores, por meio do nmero (47) 3447-1110, pelo site www.abradecom.org.br, ou subprefeituras do Itinga e Itapocu. As aulas comeam no dia 7 de agosto, a partir das 19 horas nos plos cadastrados.Balnerio Barra do Sul e Balnerio Piarras oferecem des-contos para dbitos fiscaisAs frias de julho esto che-gando e com elas a preocu-pao de pais e mes que no sabem onde iro deixar seus filhos para irem trabalhar du-rante esse perodo. Isso porque os Centros de Educao In-fantil entraro em recesso em grande parte das cidades da nossa regio. Entre os municpios que iro manter as atividades normal-mente, atravs do revezamen-to dos professores esto Barra Velha e Araquari. Em Balnerio Piarras os fun-cionrios entraro em recesso no dia 29 at o dia 5 de agosto. Os Centros de Educao In-fantil de Balnerio Barra do Sul no atendero durante o dia 22 de julho at o dia 2 de agosto. No municpio de So Joo do Itaperi, o Centro de Educao Infantil atende cri-anas a partir do jardim um, por este motivo tambm es-tar de frias entre os dias 22 de julho e 2 de agosto. CEIs que estaro atendendo em Barra Velha e Araquari: Barra Velha Todos iro funcionar normal-mente durante as frias (revezamento dos professores)- CEI Madre PaulinaBairro: Centro- CEI Frei Librio SchmittBairro: So Cristvo - CEI Prof Hilda Batista da SilvaBairro: Itajuba - CEI Prof Marli Hess de FariaBairro: Pedras Brancas - CEI Prof Clia Mller Cubas Bairro: Vila NovaAraquari Aulas normais at o dia 29 de julhoPlanto nos dias 30, 31, 1, 2 e 5 de agosto*6 de agosto no haver planto devido o feriado mu-nicipal.Foto: CEI Madre PaulinaOs prefeitos da regio tero nos meses de agosto deste ano e abril do ano que vem um apoio emergencial do Governo Federal. Foi o que garantiu a prpria presidenta Dilma Roussef, que discursou na ltima semana na Marcha em Defesa dos Municpios em Braslia, e garantiu um inves-timento de R$3 bilhes para as cidades de todo o Brasil. O valor a ser repassado ser cal-culado de acordo com a popu-lao de cada municpio e vem para substituir o Fundo de Participao dos Municpios, que era repassado em julho. De acordo com a Confede-rao Nacional de Municpios (CNM), a verba recebida no ter desconto relacionado ao Fundo de Manuteno e De-senvolvimento da Educao Bsica e de Valorizao dos Pro ssionais da Educao (Fundeb) e tambm no ter vinculao obrigatria a algum segmento. Com base na populao de 2012 de cada municpio, a CNM divulgou uma lista com-pleta dos valores que todas as cidades do Brasil devem re-ceber do Governo Federal. O valor total foi dividido igual-mente entre os dois meses previstos para o pagamento. Araquari deve ser a maior bene ciada, com quase R$530 mil. Enquanto Barra Velha e Balnerio Piarras vo receber cerca de R$450 mil. J Bal-nerio Barra do Sul e So Joo do Itaperi recebero pouco menos R$227 mil.Municpios da regio recebero apoio emergen-cial do Governo FederalO que era para ser um projeto para contemplar toda a comu-nidade de Balnerio Piarras acabou se tornando uma dor de cabea para a prefeitura do municpio. A praa de Todas as Idades, que deveria ser construda junto ao rio Piar-ras, na Avenida Getlio Var-gas, teve a licitao cancelada em virtude de um problema ambiental que est sobre inves-tigao do Ministrio Pblico Federal. Segundo a atual adminis-trao, uma irregularidade na dragagem do rio em 2011 fez com que a Fatma brecasse a licena ambiental para o lo-cal. O projeto da praa nas-ceu em dezembro de 2011, quando o deputado federal Joo Pizzolatti aprovou uma emenda parlamentar de cerca de R$475 mil para a obra. O Ministrio do Turismo cel-ebrou ento um convnio com Balnerio Piarras, com prazo para 30 de junho deste ano. O secretrio de Planejamento e Desenvolvimento Econmi-co Sustentvel do munic-pio, Francisco Carlos Telles, explica que a rea escolhida pelo projeto faz parte de um terreno da Marinha e outra parte de um terreno particu-lar. Quando ns assumimos a prefeitura, a antiga adminis-trao no tinha tomado nenhuma providncia. O pre-feito Leonel Martins foi at Braslia e conseguiu a sesso de uso da Unio, justi ca Telles. Prximo ao trmino do prazo do convnio, a secretaria lan-ou a licitao para a construo da praa, mesmo sem a licena ambiental de-vida. Como o caso est sendo investigado pelo Ministrio Pblico, a prefeitura optou por cancelar a licitao. De-cidimos cancelar a licitao, no temos como executar uma obra sem autorizao. Telles garante que a prefeitura solicitou ao Ministrio do Tu-rismo uma prorrogao do convnio, para no perder o recurso, enquanto aguarda a investigao a respeito da li-cena ambiental. Ele explica que a prefeitura cogita at procurar outro local para construir a praa. Batizado de praa de Todas as Idades, o espao teria aca-demia ao ar livre, brinquedos infantir, rea para caminhada, quadra de futebol de areia e cancha de bocha. Licitao de praa de Balnerio Piarras cancela-da por falta de licena ambientalDe acordo com secretrio Francisco Carlos Telles (foto), problemas na dragagem feita no RIo Piarras em 2011 o empecilhoVice-prefeito de Araquari palestra em So Joo do ItaperiVisita a Braslia garante recursos a Araquari e Barra VelhaA Cmara Municipal de Vere-adores da cidade de So Joo do Itaperi recebeu na noite da ltima tera-feira a presena do vice-prefeito de Araquari, Clenilton Carlos Pereira. Em uma palestra bastante descontrada, que durou cerca de uma hora, o araquariense mostrou ao pblico presente, a expan-so industrial e econmica que Araquari vem passando. A solenidade contou com aproximadamente 80 pes-soas entre vereadores locais, empresrios e a populao.O sbito crescimento do municpio, a vinda de novas indstrias, os novos inves-timentos em infraestrutura, educao e sade chama-ram a ateno de algumas cidades do pas que acaba-ram por convidar o prefeito Joo Pedro Woitexem e seu vice para palestrar sobre os avanos da cidade. Clenilton a rma que o objetivo levar um pouco sobre Araquari e a forma de trabalhar da atual gesto, aos municpios que esto requerendo a palestra. Em slides foram passadas estratgias e dados sobre o avano econmico da ci-dade. Com a vinda da em-presa alem BMW, Clenilton estima que o PIB do munic-pio passe a integrar o top 15 do Estado e em pouco tem-po, com a chegada de outras empresas j con rmadas, a cidade que entre os dez.Nosso desenvolvimento quer ser entendido por ou-tras cidades. Hoje, Araquari um exemplo de crescimento para o Estado e tudo indica que continuar se desenvol-vendo, conta Joo Pedro, empolgado com a agenda de palestras.Araquari parcelas: R$264.764,96 total: R$529.529,93 Barra Velha parcelas: R$226.941,40 total: R$453.882,80Balnerio Piarras parcelas: R$226.941,40 total: R$453.882,80Balnerio Barra do Sul parcelas: R$113.470,70 total: R$226.941,40So Joo do Itaperi parcelas: R$113.470,70 total: R$226.941,40Valores calculados pela Confe-derao Nacional de Munic-pios, com parcelas em agosto de 2013 e abril de 2014A participao na Marcha em Defesa dos Municpios dos prefeitos de Araquari, Joo Pe-dro Woixeten, e de Barra Ve-lha, Claudemir Matias, rendeu recursos para as duas cidades. Segundo Woixeten, a cidade ir receber mais de um milho em investimentos, graas a emendas assegurados por trs deputados federais catari-nenses. J Matias, conseguiu na capital federal recursos para instalar mais trs aca-demias ao ar livre, no valor de R$80 mil cada. Para Araquari os recursos so para trs diferentes reas. O deputado federal Marco Tebaldi se comprometeu com R$250 mil, que sero investi-dos na pavimentao de ruas da cidade. J o deputado fe-deral Mauro Mariani deve conseguir a liberao de R$600 mil para a compra de duas caambas que serviro para trabalhos de obras nos bairros do municpio. Outros R$250 mil devem vir atravs do parlamentar Cel-so Maldaner, mas o prefeito ainda no decidiu qual ser a nalidade. Ainda estamos analisando as prioridades, justi ca Woixeten.7POLTICASbado, 20 de julho de 2013.O jornal Voz do Itapocu teve acesso com exclusividade s minutas do Convnio de Co-operao para Gesto Associ-ada e do Contrato de Progra-ma entre a Prefeitura de Barra Velha e a Companhia Catari-nense de guas e Saneamento (Casan) que foram entregues aos vereadores do municpio na ltima semana, para serem avaliados e posteriormente vo-tados pelos edis na primeira sesso aps o recesso, no dia 1 de agosto. Para analisar esses documen-tos, entramos em contato com o ex-Gestor de Saneamento e Habitao do governo munici-pal e advogado no municpio, Percival Teixeira, que nos apre-sentou um parecer levantando alguns pontos de ambos os documentos.Confira a seguir as clusu-las que o advogado destacou e apresentou sua anlise. Seguindo a ntegra do parecer do advogado, com fundo bran-co esto os trechos destaca-dos por Teixeira, e em azul os comentrios a cerca de cada tpico. Sbado, 20 de julho de 2013.8Percival: Embora utilize o termo Gesto Associada, o que se v de seu corpo que se trata de Con-trato de Cesso dos Servios de Operao do Sistema de Captao, Tratamento e Distribuio de gua, utilizando as instalaes j existentes e de propriedade da municipalidade, vindo acompanhado de promessa genrica de realizar investimentos para ampliao e reforma do sistema atual (captao/trata-mento/distribuio) e implantao de redes de coleta, estaes de tratamento e destinao final do esgoto sanitrio, na rea territorial do municpio cedente.Renovao de contrato da Casan: Advogado Percival Teixeira concede parecer ao Voz do Itapocu sobre documentos que sero votados na Cmara de Vereadores de Barra Velha Convnio de Cooperao para Gesto Associada 1.1. Na alnea d, das Consi-deraes Iniciais, consta: o re-levante interesse do Municpio na integrao e no compar-tilhamento da operao dos servios de saneamento executados em sua cir-cunscrio territorial em aque-les prestados pelo Estado, por meio da CASAN (grifo nosso);1.2. Na clusula primeira Do objeto, consta: O presente con-vnio tem por objeto o plane-jamento, regulao, fiscalizao e a prestao dos de abasteci-mento de gua e esgotamento sanitrio no municpio, na for-ma de Gesto Associada, obri-gando... (grifo nosso);1.3. Na clusula segunda Do planejamento, consta: A prestao dos servios de sanea-mento observar os procedi-mento e as aes previstas no Plano Municipal de Saneamento Bsico a ser elaborado at 31 de dezembro de 2013, bem como o Contrato de Programa que de-ver ser assinado pelas partes e suas revises, ajustes e adi-tivos, visando realizao de sua adequada e gradual expan-so. (grifo nosso);1.4. No 2, 3, e 5 da clusula segunda, constam expresses de carter genrico, tipo: even-tuais revises e ajustes das me-tas iniciais dos servios (...) necessria articulao e a-dequao como o planejamento e com as metas de mbito re-gional ou estadual (...) Acorda os valores indenizatrios sobre o patrimnio CASAN vincu-lado a operao do sistema de gua e esgoto do municpio... (...) A exclusividade referida no item 1.1 no impede que a concessionria celebre outros instrumentos jurdicos com terceiros para prestao dos servios abrangidos por este contrato, locao de ativos, ou ainda, que participe e progra-mas estaduais... (grifos nosso)Confira o exame do contedo e das clusulas- As expresses Compartilhamento e Gesto Associada so meras figuras de retrica;- Ao abordar a questo dos valores indenizatrios, s os faz em favor da CASAN, sem se preocupar e levar em considerao o necessrio, pertinente e zeloso inventrio dos bens da municipalidade (insta-laes, equipamentos, prdios, reas e redes existentes, enfim todo o sistema);- No 5, concede o direito CASAN de dispor do contrato e do sistema ao seu bel prazer, ou seja, poder contratar terceiros para prestao dos servios que ora lhe so concedidos e, inclusive praticar a locao de ativos pertencentes municipalidade.- A regulao e fiscalizao sero da atuao da Agncia Reguladora, sem, no entanto se especificar qual das agncias ser contratada e qual ser o quantum e forma de sua remunerao;-- Est sem definio ou ajuste o percentual a ser cobrado a ttulo de taxa de esgoto, bem como quando se iniciar a cobrana da aludida taxa s.m.j. somente poder ser cobrada e exigida quando as ETES e redes coletoras estiverem implantadas e servindo os consumidores;- O municpio mero expectador no processo, haja vista que, no se tem definido a forma de planilhar, quais custos entraro e o quantum de taxa de BDI, tanto da CASAN, quanto da Agncia Reguladora, a serem aplicados s tarifas;- O municpio e o Conselho Municipal de Saneamento Bsico so meros e reles coadjuvantes, pois seu nico e principal papel coonestar com o tradicional amm s decises da CASAN e da Agncia Reguladora. Os documentos em exame passam silentes e, s.m.j. propositalmente, pois ao no preverem ou definirem a forma da Gesto Municipal, vale dizer que: para que seja concreto e real qualquer tipo de compartilhamento e gesto associada, impem-se a figura de um gestor executivo do municpio.No item 1.10, consolida-se o carter leonino do ajuste, ora em exame, seno vejamos:- O municpio concede os servios e a operao do sis-tema e por conseqncia abre mo da receita, obriga-se ainda o municpio a investir e submete-se a concordncia da CASAN; abre mo do contato direto com o Estado (visto a previso do inciso II); ao municpio dado o direito de acompanhar o cumprimento das metas e dos padres dos servios, sem, contudo explicitar a forma e o poder para tal, mas apenas indicar eventuais falhas ora esse o direito de qualquer usurio, mas nunca, poder ser do poder concedente; no inciso IV, impe a obri-gao da declarao de utilidade pblica, em carter de urgncia, para fins de desapropriao ou instituio de servido das reas julgadas pela CASAN como conveni-entes aos seus interesses e ao final paga integralmente a conta; no bastasse tudo isso, responde e paga as contas dos consumos dos rgos municipais, que se porventu-1.5. Na clusula terceira Da Regulao e Fiscalizao, consta: O exerccio das funes de regulao e de fiscalizao da prestao dos servios de sanea-mento bsico no municpio ser objeto de atuao da Agencia Reguladora, em instrumento parte, com a colaborao do municpio (...). bem como disciplinas contratuais e regu-lamentares que regem o pre-sente Convnio e o Contrato Programa...; (grifos nosso) 1.6. No 1, consta: Enquanto no houver medidas regulamen-tares iniciais e especficas, e at a completa adaptao ... ficam mantidas as tarifas rela-tivas aos servios de gua e es-goto sanitrios aplicadas pela CASAN...; (grifos nosso)cia Reguladora homologar os reajustes tarifrios peridicos na forma das normas contratuais, legais e regulamentares.;1.8. No 7, consta: A Agncia Reguladora proceder e deci-dir sobre as revises, peridi-cas e extraordinrias, previstas Comentrio do paracerista:Comentrio do paracerista:1.10 Na clusula quarta Das Atribuies, consta no 1 que compete ao municpio: I realizar investimentos, mediante en-tendimentos especficos com a CASAN para antecipao de metas ou para atendi-mento de demandas no previstas no Plano Municipal de Saneamento ou no Contrato Programa...; no inciso II indicar ao Es-tado, atravs da CASAN, as necessidades de reviso das metas previstas no futuro Contrato de Programa...; no inciso III acompanhar o cumprimento das metas e dos padres dos servios... indicando eventuais falhas e necessidades de ajustes; no inciso IV declarar bens imveis de utilidade pblica, em carter de urgncia, Comentrio do paracerista:no Contrato Programa, homologando as revises tarifrias eventualmente decor-rentes. (grifo nosso)1.9. Nos 9 e 10, consta: A Agncia Re-guladora dever realizar audincias pbli-cas e outras formas de consulta popu-lao... (...) As audincias pblicas que se refere o 9 devero ser realizadas com a 9MATRIA ESPECIALSbado, 20 de julho de 2013.Renovao de contrato da Casan: Advogado Percival Teixeira concede parecer ao Voz do Itapocu sobre documentos que sero votados na Cmara de Vereadores de Barra Velha Percival Teixeira de Abreu FilhoFormao: Advogado, a mais de 45 atuando na rea J atuou como:- Gestor de Saneamento e Habitao do governo municipal de Barra Velha- Presidente do Sindicato dos Urbanitrios de Santos- Secretrio da Federao dos Urbanitrios de So Paulo- Presidente da Unidade Sindical da Baixada Santista- Secretrio Nacional dos Empregados das Estatais- Membro da Comisso Organizadora - 2 Secretrio do I CONCLAT - 1 Congresso da Classe Trabalhadora em 1981. Urbanitrio - Grupo IV da CLT - eletricitrios, gasistas, meio ambiente e saneamento bsico.Interesses: Meu maior - se no o nico interesse, estabelecer o debate de ideias, visan-do o desenvolvimento social e econmico de Barra Velha, cidade que conheci, amei e esco-lhi para viver talvez a ltima quadra de minha vida. No tenho pretenses polticas, todavia no abro mo da militncia social na construo de uma sociedade mais justa, humana e fraterna. A militncia poltica vem desde os tempos do banco escolar, no movimento sindi-cal e no campo social como agora o fao. Acredito que o debate a soluo para encontrar caminhos, oxigenar a vida, estimular o planejamento, agregar as pessoas em torno de obje-tivos comuns para o desenvolvimento e felicidade social da comuna. - A regulao e fiscalizao sero da atuao da Agncia Reguladora, sem, no entanto se especificar qual das agncias ser contratada e qual ser o quantum e forma de sua remunerao;-- Est sem definio ou ajuste o percentual a ser cobrado a ttulo de taxa de esgoto, bem como quando se iniciar a cobrana da aludida taxa s.m.j. somente poder ser cobrada e exigida quando as ETES e redes coletoras estiverem implantadas e servindo os consumidores;- O municpio mero expectador no processo, haja vista que, no se tem definido a forma de planilhar, quais custos entraro e o quantum de taxa de BDI, tanto da CASAN, quanto da Agncia Reguladora, a serem aplicados s tarifas;- O municpio e o Conselho Municipal de Saneamento Bsico so meros e reles coadjuvantes, pois seu nico e principal papel coonestar com o tradicional amm s decises da CASAN e da Agncia Reguladora. Os documentos em exame passam silentes e, s.m.j. propositalmente, pois ao no preverem ou definirem a forma da Gesto Municipal, vale dizer que: para que seja concreto e real qualquer tipo de compartilhamento e gesto associada, impem-se a figura de um gestor executivo do municpio.poder para tal, mas apenas indicar eventuais falhas ora esse o direito de qualquer usurio, mas nunca, poder ser do poder concedente; no inciso IV, impe a obri-gao da declarao de utilidade pblica, em carter de urgncia, para fins de desapropriao ou instituio de servido das reas julgadas pela CASAN como conveni-entes aos seus interesses e ao final paga integralmente a conta; no bastasse tudo isso, responde e paga as contas dos consumos dos rgos municipais, que se porventu-ra, no o fizer ao tempo e hora, tem negada a certido de regularidade e fica impedida de receber recursos dos governos federal e municipal (face ao disposto no inciso XI), tambm impedindo a CASAN de contrair eventuais emprstimos e, com isso pode deixar justificadamente de cumprir as metas.- Outro fator que merece luz o fato de que nas duas minutas no constam os valores dos investimentos que sero realizados pela CASAN; bem como os prazos para realizao das obras e ou suas etapas. Fala-se em metas, sem, contudo, defini-las. Vale lembrar que, acaso o proje-to de esgotamento sanitrio, cuja previso de entrega era o ms de maro/2012 previsto no 1 contrato de Gesto Compartilhada, tenha se efetivado, estes valores j deve-riam estar definidos e os prazos de execuo fixados. 1.11 No 2 da clusula quarta Das Atribuies, compete ao Estado, atravs da CASAN, conta: I - operar, manter e conservar o Sistema de Abastecimento de gua e Esgotamento Sanitrio...; no inciso III cientificar o Chefe do Poder Executivo Municipal dos Planos e Pro-jetos que sero elaborados para execuo das obras e servios no Sistema de Abas-tecimento de gua e Esgota-mento Sanitrio; no inciso V disponibilizar aos agen-tes devidamente credenciados pelo municpio acesso a infor-maes da CASAN no Munic-pio, que digam respeito plena execuo deste Convnio. - Aqui se consolida definitivamente a entrega sem nus e sem a obrigatria contrapartida da CASAN e do Estado, aos quais, qualquer empresa privada estaria sujeita e obrigada a investir para receber a concesso de servios dessa natureza. Da forma posta, no ter o municpio for-a para impor o investimento e a realizao de reformas e ampliaes ao sistema atual (gua) e a implantao do sistema de esgotamento sanitrio. Assim, permite-se presumir que a falta de gua no ficar restrita somente s temporadas de vero, mas certamente estar agravada pelo crescimento natural da regio e que Barra Velha acabar por absorver, na qualidade de cidade dormitrio, das indstrias que esto se instalando na vizinha Araquari.tado, atravs da CASAN, as necessidades de reviso das metas previstas no futuro Contrato de Programa...; no inciso III acompanhar o cumprimento das metas e dos padres dos servios... indicando eventuais falhas e necessidades de ajustes; no inciso IV declarar bens imveis de utilidade pblica, em carter de urgncia, para fins de desapropriao ou instituio de servido administrativa, efetuando o pagamento das respectivas indenizaes; no inciso VI responder pelo pagamento das tarifas dos servios de gua e esgoto de que sejam usurios os prprios rgos municipais. (grifos nossos)guladora dever realizar audincias pbli-cas e outras formas de consulta popu-lao... (...) As audincias pblicas que se refere o 9 devero ser realizadas com a colaborao e participao do municpio e do Conselho Municipal de Saneamento Bsico e podero ser realizadas, por agru-pamentos de municpios envolvidos. Comentrio do paracerista:10 MATRIA ESPECIAL Sbado, 20 de julho de 2013.1.12. Na clusula sexta Da Extino do Convnio, consta as restries que podero por termo ao presente convnio: I pelo municpio, uni-lateralmente, atravs de denncia fundamentada e motivada, sempre que o interesse pblico o auto-rize em caso de risco de descontinuidade da prestao dos servios e, completa em seus seguintes: 1 - A denn-cia total ou parcial do Convnio pelos con-venentes no afeta a vigncia do Contrato Programa; no 2 - Em qualquer hiptese, a reverso, assuno do servio pelo municpio, ou em qualquer outra hiptese de resciso do presente termo, far-se- com indenizao dos investimentos efetuado, mediante avaliao pa-trimonial das parcelas dos investimentos vincu-lados a bens reversveis, ainda no amortizados ou depreciados, que te-nham sido realizados como o objetivo de ga-rantir a continuidade e atualidade do servio concedido e, no 3 j se acorda a forma de pa-gamento da indenizao: poder ser realizado, mediante garantia real, por meio de 04 (quatro) parcelas anuais, iguais e sucessivas, das partes ain-da no amortizadas ou de-preciadas... (grifamos)Vale indagar:- Onde est previsto o necessrio e indispensvel inventrio dos bens que ora o municpio concede a CASAN?- Qual o valor, prazos e obras que CASAN investir no municpio?- Qual o critrio e em que bases se ajustam a equao econmico- nanceira do convnio e contrato programa ora em exame?- Quais so os critrios que foram ajustados para aplicar s amortizaes e de-preciaes para vigirem no presente pacto?- Qual ser o BDI que a CASAN aplicar no contrato, visando estruturao do preo das tarifas de servios efetivamente prestados?- Qual o percentual de consumo de gua que ser aplicado pela CASAN para cobrar prestao dos servios de esgotamento sanitrio (esgoto no tem me-didor usualmente um percentual do valor medido na entrada de gua da instalao)?- Quando e em que estgio de funcionamento do sistema que efetivamente poder ser exigido o pagamento da taxa de esgoto dos usurios do sistema?- Qual ser a remunerao da Agncia Reguladora que ao nal ser embutida na taxa de consumo a ser cobrada pela CASAN?1.13. Na clusula stima Da Prestao de Con-tas, consta, textualmente: A prestao de contas referentes aos repasses decorrentes do presente convnio dever ser re-alizada de acordo com as Normas de Contabilidade e Auditoria expedidas pela Diretoria Financeira e de Relaes com os Investi-dores da CASAN e do Tri-bunal de Contas do Estado (TCE/SC). - O municpio concede o servio, paga a conta do consumo prprio, arca com as in-denizaes e desapropriaes, o usurio por sua vez paga toda a conta e a prestao de contas dirigida aos investidores. Contrato de ProgramaCom relao ao CONTRATO PROGRAMA, padece das omisses j assinaladas, como a inaceitvel terceirizao da prestao de servios abrangidos pelo Convnio e Contrato Programa ou mesmo a locao de ativos, como tambm falta na clusula segunda Das De nies, item 2.1, alneas: a, b e c o acrscimo de disposio na qual a scalizao da qualidade da gua fornecida seja efetivada pela Agncia Reguladora e sejam realizados laudos semanais, atestando sua qualidade e potabili-dade. Ainda no inciso i, falta o compromisso de universalizao dos sistemas (gua e esgoto) para atendimento das demandas dos usurios municipais.2.1. Na alnea e da clu-sula quarta Da forma e das condies da prestao dos servios, melhor e clara redao teria se, introduzido o seguinte texto: atualidade: ....., visando cumprir plenamente com a universalizao dos objetivos e metas deste Contrato Progra-ma. - Veja que aqui se repete a expresso metas e no prazos para realizao dos investi-mentos a serem realizados pela CASAN.2.2. Ainda na alnea g do item 4.2., o qual afasta da ca-racterizao de descontinui-dade a interrupo do servio pela CASAN nos casos: de re-gime de escassez, suspenso, restrio de uso ou raciona-mento de recursos hdricos, decorrentes de insu cincia da quantidade ou qualidade dos mesmos pela autoridade re-sponsvel por sua gesto. Se das minutas em exame, quem gere o sistema exclusivamente a CASAN. A Agncia Reguladora scaliza e o municpio tem seu poder delimitado pelos termos contratuais, resta que nessa situao a CASAN, a qualquer tempo e por sua convenincia ou de cincia tcnica, poder declarar o regime e situao ali previstas, sejam elas verda-deiras ou no, livrando-se de qualquer culpabilidade quanto escassez, suspenso, restrio de uso ou racionamento.2.3. As demais clusulas con-tinuam no mesmo diapaso do Convnio, especialmente de nindo e impondo encar-gos ao municpio, ex vi, todos os itens da clusula quinta que salvaguardam os interesses da CASAN e no caso do item 5.9: a isenta de responsabilidade do valor das tarifas de servios por elas prestados, passando esse encargo Agncia Regulado-ra e salvaguardando sua lucra-tividade na expresso: equao econmico- nanceira do con-trato (livre da scalizao tc-nica e de auditoria por rgo independente para avaliar sua gesto, a aplicao dos recursos contemplando a racionalidade, o menor custo, a e cincia, etc.);- 2.4. A clusula stima mantm e acrescenta novos encargos ao municpio e, acrescenta pro-las do tipo: alnea c (com-pete ao municpio) scalizar a execuo do contrato, em carter subsidirio, comuni-cando formalmente a Agncia Reguladora (sua contratada direta e remunerada pelo sis-tema tarifrio pelos usurios) a ocorrncia da prestao dos servios pela Concessionria, em desconformidade tcnica, operacional, contbil, tarifria, de atendimento aos usurios, solicitando adoo das medi-das administrativas cabveis. E segue mandando a conta para o municpio e por conseqncia aos usurios do sistema (os barrvelhenses);2.5. Afastada da realidade que vive a cidade de Barra Velha vez que aqui chegou a a-penas 30 anos, na alnea g da mesma clusula stima, impe a Prefeitura a compelir os usurios ao sistema pblico de abastecimento de gua e es-gotamento sanitrio, coibindo a utilizao de fontes alter-nativas de abastecimento de gua e esgotamento sanitrio, sujeitando-os ao pagamento das tarifas e outros preos pblicos.... Ora, isso realmente uma afronta ao senso comum, tanto a CASAN quanto a Prefeitura, que aceita esse encargo, no especi cam investimentos/prazos de execuo das obras e servios, no garantem o forne-cimento de gua o ano inteiro e querem acabar com os poos artesianos que tiveram custos considerveis suportados pelos usurios. 2.6 Ao nal na clusula dci-ma, no item 10.1, diz in verbis: Com a celebrao do pre-sente Contrato de Programa, os investimentos, bem como os repasses previstos no Con-vnio de Cooperao para o Fundo Municipal de Sanea-mento Bsico no sero mais realizados, eis que o rol de investimentos necessrios a universalizao do Sistema de Abastecimento de gua (SAA) e Saneamento Bsico (PMSB) do municpio e nas metas de atendimento e qualidade dos servios (posteriores ao Con-vnio Cooperao) sendo partes integrantes do presente contrato.Diante do exposto, resta recomendar:- Alterar a redao das duas minutas, explicitando o enfoque mais favorvel ao municpio, especialmente na gesto, alm xao de objetivos claros, com valores de investimento e com prazos para sua execuo e incio de operao;- Fixar e assegurar a participao da sociedade civil organizada e dos muncipes na discusso do Programa Municipal de Sanea-mento Bsico;- Explicitar os demais aspectos levantados nos comentrios ora apresentados, especialmente, chamar a Cmara Municipal para debater e aprofundar o tema, visto que ser agora assinado um compromisso para os prximos 30 anos e Saneamento Bsico Sade Pblica e Dever do Estado.Devo esclarecer que h muitos anos defendo que o saneamento bsico dever do estado, inclusive, defen-di e defendo que a CASAN seja a operadora do sistema em todos os municpios catarinenses, por duas razes bsicas: quem rene o maior e melhor expertise em nosso Estado e h 40 anos os catarinenses investem na CASAN e, isso no deve ser desprezado, ignorado e muito menos deixado de ser aproveitado por um Es-tado que, hoje, perde para os compatriotas do Piau sem demrito algum aos valentes brasileiros do Norte e Nordeste, mas um contra-senso um Estado do Sul com enormes potencialidades, ter um ndice inferior aos 14% em operao naquele territrio e, no alertar aos barravelhenses do risco de se aventurarem rman-do um compromisso por 30 anos sem que assegurem as regras e compromissos de parte a parte, com muita clareza e transparncia.Comentrio do paracerista:Comentrio do paracerista:1.14. Ao nal, na clu-sula dcima Do Foro, vem uma vantagem para o municpio e sua gente: Fica eleito o foro da Comarca de Barra Velha, para nele serem resolvidas todas as questes judiciais, derivadas deste instru-mento. Isso funda-mental, pois, com isto, o municpio poupar as eventuais despesas de deslocamento e dirias dos procuradores mu-nicipais at a Capital sede da CASAN.Comentrio do paracerista:Comentrio do paracerista:11A polcia militar de Balnerio Piarras frustrou a tentativa de uma dupla de roubar a agncia da Caixa Econmica Federal no municpio na madrugada de domingo. Eles j haviam feito um buraco na parede da agncia, mas foram descober-tos pelos policiais antes de le-var algo do local. Para a pol-cia, os dois visavam explodir o caixa eletrnico da agncia.Helwys Djonatha Wagner, 23 anos, foi preso com um ra-diocomunicador dentro de um carro em frente a agncia, enquanto Rodrigo Bitencourt conseguiu fugir, mas foi preso em casa com as ferramentas do crime. Os dois e um tercei-ro comparsa so suspeitos de assaltarem a agncia da Caixa em Navegantes, na semana anterior. Eles foram encamin-hados para o presdio da Can-handuba, em Itaja, enquanto a Polcia Federal assume a investigao, j que a Caixa uma instituio federal. Os bandidos foram descober-tos depois que um vigilante privado percebeu a movimen-tao no entorno da agncia, localizada na rua Antnio Martins Teles. Acionada, a polcia militar foi at o local e encontrou Helwys dentro de um carro, com um rdio co-municador. Ao realizar buscas na agncia da Caixa, os mili-tares encontraram um buraco nos fundos e o outro rdio de comunicao da dupla. Eles foram ento at a casa de Helwys, onde localizaram Rodrigo com um ferimento na mo, provocado pela marreta que teria sido usada para ar-rombar a agncia. L os poli-ciais tambm encontraram ferramentas utilizadas para a execuo do crime. No inte-rior da Caixa do municpio, no houve furto de objetos ou dinheiro.SEGURANA PBLICASbado, 20 de julho de 2013.Polcia Militar prende dupla que tentava invadir agncia da Caixa em Balnerio PiarrasPor pouco a conhecida curva da morte, do km 6 da rodo-via SC-415, no faz mais uma vtima nesta semana. Na tarde de tera-feira, dia 16, uma mulher grvida de seis meses capotou o Polo que dirigia e de acordo com os bombeiros militares de Barra Velha, que atenderam ao acidente, a vti-ma saiu ilesa do acidente. A motorista se perdeu na curva e parar fora da pista.Mulher atropelada na BR-101 em Barra VelhaMrcia Reinert, 35 anos, foi atropelada quando tentava atravessar a BR-101 no nal da tarde de segunda-feira, em Barra Velha. A vtima foi atin-gida pelo Gol, placa MIH 2800 (Jaragu do Sul), no km 88 da rodovia, prximo ao acesso da cidade. Ela foi socorrida pelos bombeiros com suspeita de trauma no crnio, alm de fra-turas nas pernas e nos braos. Mrcia foi levada as pressas para um hospital da regio em estado grave de acordo com os bombeiros. Dois motociclistas morrem em acidentes na BR-101A ltima semana foi de apreenso para familiares de um de ciente mental que teria sido agredido com golpes de faco por vizinhos. Segundo a famlia, ele se escondeu no mato no bairro Canudos e est h mais de uma semana desa-parecido. Os bombeiros vol-untrios do municpio foram acionados para localizar a vtima, mas encontraram no primeiro dia de buscas, apenas rastros de sangue e um bon. O caso foi registrado na deleg-acia de polcia civil do munic-pio, que ir investigar o fato.A agresso teria acontecido no dia 9 de julho e desde ento o homem de 47 anos desapare-ceu. Segundo a famlia, os au-tores das agresses seriam um casal de vizinhos que teriam se desentendido com a vtima. Uma semana sem notcias do parente, os familiares pediram aos bombeiros voluntrios que os ajudassem a encontrar o de ciente, que at o fecha-mento desta edio seguia su-mido.Homem encontrado morto no bairro ItingaNa segunda-feira a polcia militar encontrou o corpo de um homem no bairro Itinga, em Araquari. De acordo com os policiais, a vtima tinha um ferimento no rosto, ocasio-nado por um tiro na testa. O corpo foi recolhido para o In-stituto Mdico Legal (IML) de Joinville, mas no foi reconhe-cido por parentes. Segundo a polcia, o caso no tem ligao com o de ciente desaparecido.Famlia procura por de ciente agredido com golpes de faco em AraquariA polcia rodoviria federal (PRF) registrou nesta semana dois acidentes fatais na BR-101 entre Araquari e Barra Velha. Em ambos os casos, a vtima fatal estava a bordo de uma motocicleta. O primeiro caso foi registrado no inicio da noite de quarta-feira, no km 94 da rodovia, em Barra Velha, prximo da diviso com Balnerio Piar-ras. Evandro da Graa, 94 anos, pilotava uma moto por volta de 19h40 quando colidiu na tra-seira de um veculo. O piloto morreu no local, enquanto o passageiro da moto teve ferimen-tos leves.J no inicio da madrugada de quinta-feira, a vtima fatal foi Vanderson Andrade dos Santos, de 22 anos. Ele perdeu o controle da moto-cicleta no trevo da BR 280, que d acesso a Araquari, e morreu ao bater com a cabea em um bloco de cimento prximo a rodovia. Junto com ele, estava o irmo Peterson Juliano dos Santos, 19, que foi socorrido pelos Bombeiros Voluntrios com suspeita de fratura na perna direita e encaminhado para o hospital Nossa Senhora das Graas, em So Francisco do Sul. Fotos: internetGrvida capota carro e sai ilesa na curva da morte, em So Joo do ItaperiFoto: Bombeiros MilitaresHelwys Djonatha WagnerANUNCIE NO(47) 3456 1194 comercial@vozdoitapocu.com.brEm comemorao ao dia 17 de julho Dia de Proteo s Floretas, elaboramos uma matria apresentando curiosidades e informaes tcnicas a respeito de uma importante rvore do Bioma Mata Atlntica. Conhecida popularmente como Guapu-ruvu e cientificamente como Schizolobium parahyba, esta bela espcie facilmente vista na beira das estradas, principalmente na poca de florao entre agosto e outubro quando fica total-mente recoberta por flores amarelas e se sobrepe no substrato alto da floresta. O guarapuvu pode medir de 20 a 30 metros de altura e tem a madeira muito leve, caracterstica que desper-tou o interesse de muitos povos indgenas e caiaras em construir canoas com o tronco desta rvore. uma das rvores nativas de mais rpido crescimento que se conhece. Os frutos ama-durecem em abril-junho, para obteno de sementes preciso recolher no cho aps a queda espontnea. A semente deve ser retirada manualmente do fruto que um envelope castanho fibroso. Para aqueles que desejam plantar esta rvore segue a dica para quebrar a dormncia da semente: Colocar as sementes em gua fervente por 4 a 10 minutos deixando-as de-pois na gua por 1 a 2 dias. Seme-las em seguida dire-tamente em recipientes indi-viduais contendo substrato argiloso(terra mais vermel-ha). Este procedimento ga-rante a emergncia entre 5 a 15 dias com chances de germinar acima de 85%. rvore ideal para stios ou reas degradadas, em lo-cais muito frequentados e perto de casas pode gerar riscos pela queda de ramos em dias de vento. Boca HouseEngenheiro agrnomoMarcos Zaleski de Matos12 MEIO AMBIENTE Sbado, 20 de junho de 2013.DIA DE PROTEO S FLORESTAS - GUARAPUVUe-mail: associacaobocahouse@gmail.comPresidente da Fundema esclarece questes a cerca de obra de desassoreamento da lagoa de Barra VelhaIber: draga far abertura da boca da lagoaAps os questionamentos da comunidade sobre o desas-soreamento da lagoa, o jor-nal Voz do Itapocu entrou em contato com o presidente da Fundema, Ivo Iber Gonalves para tirar algumas dvidas a respeito do andamento da obra.Desde junho, a empresa Cu-bato Dragagem est no local fazendo a extrao de areia. No incio a obra era tocada por duas dragas pequenas, at a chegada da maior, a Filadel-fia, no dia 25 de junho. Essa por sua vez, vem retirando aproximadamente 180m de areia. Ivo Iber Gonalves, presidente da Fundema, des-taca que a draga tem encon-trado problemas para chegar at o local. Est difcil para ter acesso ao banco de areia. A Filadel-fia precisa de no mnimo um metro de calado de gua. Por isso, ela primeiramente est fazendo a abertura de um ca-nal para facilitar as idas e vin-das. O presidente ressalva que os molhes no sero afetados. As notcias publicadas por alguns veculos da imprensa esto distorcendo os fatos. A obra que est sendo realizada para desassorear o que hoje chamamos boca da lagoa. A draga no chega boca da barra e assim, no traz perigo algum aos molhes norte e sul. Quando questionado sobre a prestao de contas da areia que est sendo retirada, o presidente volta a lembrar que a empresa detm a concesso de extrao mineral da rea, por isso toda a areia extrada de domnio da prpria em-presa, assim como foi tratado em um acordo entre a pre-feitura e a Cubato. Desta forma, a obra ter custo zero administrao municipal. Atualmente, a draga tem feito trs viagens por dia para levar a areia extrada.Gonalves finaliza dizendo que a obra de grande im-portncia para o municpio, pois do modo em que se en-contra a boca da lagoa, a regio central da cidade corre riscos de alagamento em uma futura tempestade de chuvas. Quando o canal for aberto, ser iniciada a retirada do banco de areia que se formou com o tempo e quase chegou ao outro lado da margem. Se isso acontecesse, a lagoa fi-caria sem circulao de gua. Esperamos que o trabalho seja concludo em 30 dias.A escolha da nova realeza da 17 Festa Nacional do Piro acontecer na prxima sexta-feira a partir das 20h30 na So-ciedade Recreativa de Barra Velha. Doze candidatas com idade entre 16 e 21 anos es-to na disputa pela coroa de rainha e princesas da festa. Representando associaes e entidades municipais, elas sero avaliadas por um jri especializado que ir analisar quesitos como beleza, sim-patia, dico e desenvoltura. Aps o des le da escolha, o baile contar com a Banda Mil do Paran.As trs vencedoras iro di-vulgar pela regio a festa, que ir acontecer do dia 5 a 8 de setembro. Ontem, a prefeitu-ra municipal de Barra Velha abriu o processo de licitao para saber qual ser a empresa responsvel pela contratao dos shows nacionais da festa. Grupos interessados em tocar no palco gastronmico po-dem procurar a secretaria de Turismo, Esporte e Cultura lo-calizada na Praa Lauro Car-neiro de Loyola, no centro da cidade.Abaixo, as fotos das candidatas e suas respectivas associaes:Escolha da rainha da 17 Festa Nacional do Piro acontece nesta sexta-feiraDestacando-se como impor-tante comerciante de Barra Velha, Nabor Moraes Pires as-sistiu a chegada dos primei-ros veranistas e banhistas da cidade apoiado no balco dos diferentes estabelecimen-tos comerciais que dirigiu. Primeiramente, um bar privi-legiadamente localizado s margens da praia, nas canoas dos pescadores. Vendendo refrigerante Cruch, cerveja e outros aperitivos, Nabor e sua esposa Ilda Mendes Pires zer-am amizade com pescadores, clientes da colnia, turistas e moradores locais. Os servios prestados pelo Bar do Nabor foram aos poucos se diversi- cando, e o trabalho que no incio era todo realizado pela famlia, foi exigindo a mo de obra de mais auxiliares, que foram aos poucos sendo con-tratados. O bar do Nabor se destacava como um local de encontro entre amigos e polticos, pois dentre os frequentadores es-tavam os responsveis pelos primeiros passos de uma Bar-ra Velha prestes a se emanci-par. Segundo sua esposa, a cidade no conhecia, nem tinha es-trutura para montar comits polticos, ento na falta destes, o bar era o local escolhido para discusses acaloradas, escolhas de candidatos, a-certo de coligaes e tambm desacertos! As discusses en-tre grupos adversrios eram frequentes, mas sempre na diplomacia. Apesar de andar to perto dos trmites polticos municipais, Nabor nunca se candidatou a nenhum cargo poltico prefe-ria assistir a tudo de longe, discursando apenas nos comcios que aconteciam no seu bar. O seu plenrio era em frente ao mar, seus eleitores eram seus clientes, e suas obras pblicas eram o bom a-tendimento do pblico em ge-ral. O no envolvimento polti-co familiar, pois at os dias atuais nenhum Pires ocupou as cadeiras dos Legislativo ou do Executivo municipais.Alm do bar, foi proprietrio de um supermercado grande tambm nas proximidades da Colnia de Pescadores, sem-pre contando com o auxlio da famlia. Neste local, empacota-va feijo e arroz, alm de ven-der po, doces, broas, pirulitos e sonhos, estes todos prepara-dos por Ilda. Ela, por sinal, se mostrou uma verdadeira guer-reira, pois mesmo cuidando dos cinco lhos do casal, ainda atendia no supermercado. Nabor era responsvel pelas entregas, enquanto ela cui-dava do estabelecimento e dos funcionrios. Chegaram a contratar seis pessoas para auxiliar nos servios que au-mentavam mais e mais.Os doces de Ilda encantavam os clientes e sua fama de boa cozinheira atravessou os tem-pos, pois ainda hoje os lhos, netos e bisnetos os pedem. Os sonhos preparados por ela so capazes de fazer os fami-liares abandonar seus afa-zeres pro ssionais e correrem para sua casa. Este talento na cozinha foi herdado de sua me, Ana Borba Mendes, que a ensinou ainda menina os segredos de um bom prato. O trabalho exigia bastante em-penho e persistncia, e no foram poucas as vezes que o casal assistiu o clarear do dia, principalmente em noites de vi-rada de ano. Entretanto, como todo esforo tem sua resposta, a famlia alcanou um padro de vida confortvel graas venda de bebidas e s muitas noites mal dormidas. As terras, onde se localizava o bar, o supermercado, alm do material de construo funda-do por Nabor, foram herdadas de seu pai, Miguel de Simas Tomaz Pires, e neste mesmo local que se localiza sua rua. De frente ao porto de pesca-dores artesanais paisagem muito comum em toda sua vida.Nabor faleceu em 2009 e deixou a viva, que ainda hoje mora na residncia construda pelo casal. Deixou a imagem de homem tranquilo e traba-lhador, alm de exmio comer-ciante. Fonte: Ilda Mendes PiresEsquinas da HistriaProfessora e historiadora Angelita Borba de Souza e-mail: angelitaborba@hotmail.comNABOR MORAES PIRES - UM HOMEM DE MUITOS NEGCIOS13CULTURASbado, 20 de julho de 2013.Ana Cristina Avelino -17 anos - Bombeiros MilitaresAna Paulina de Oliveira da Silva - 20 anos- CDLAndrielli Pegrussi Ribeiro - 17 anos - Ass. Senhoras SolidriasCassia Maria Passos - 16 anos- ACDIDaiani Ferreira Martins - 17 anos- ASAPREVHagna Luzia Toth - 19 anos - Ass. ABC Amigos Solidrios ItajubaJaqueline Godoy Dias- 19 anos - Ass. dos Banani-cultoresJulia Terezinha Tomazelli - 16 anos - CTG Esteio da TradioMnica Helosa Fagundes - 19 anos - ACCIPmela Nardes Marcos - 17 anos - Ass. dos Arteses de Barra VelhaSarah Ludmila Rodrigues Florincio - 21 anos - AAPECTainanda R. Ieger Bazi - 17 anos - Ass. Raios de SolVARIEDADES Sbado, 20 de julho de 2013.Receber boas propostas de negcios ou trabalho. Re-alizar boa parte de seus sonhos, anseios e desejos e viver momentos felizes ao lado da pessoa amada e de familiares. riesHORSCOPOTouroSemana muito boa para voc. Vai se entender com a faml-ia, com seus superiores e colegas de trabalho e lucrar bastante se poupar o seu dinheiro. GmeosMomento em que haver mui-ta paz no ambiente familiar. Muita felicidade intimida e proteo na vida social. Faa higiene mental divertindo-se, passeando e conhecendo no-vas coisas noite.CncerOs assuntos financeiros no devem ser tratados essa se-mana, pois suas possibili-dades de sucesso so peque-nas. Semana prospera para viagens em famlia e a dois. Procure no criar nenhum obstculo no que se refere ao amor. Sua atitude poder ser interpretada de mil maneiras. Os resultados profissionais sero satisfatrios essa se-mana. Leo VirgemSemana muito boa para tra-tar de assuntos e negcios relacionados com escritos, meios artsticos e sociais. Lu-cros pelo esforo profissional. Evite sair todas as noites. LibraAproveite a influncia astral desta semana para conhecer pessoas. As ami-zades que fizer vo lhe trazer vantagens. Semana pros-pera tambm para assuntos em gerais. EscorpioEst uma tima semana para a realizao de tarefas domsticas. Sucesso so-cial, profissional e amoroso.No trabalho, desenvolva de modo ordenado as tarefas. Pela influncia dos astros, voc est favorecido em mui-tas coisas. Haver bons fluxos para estudos, exames, testes, notcias e correspondncia. No amor, cautela. Sagitrio CapricrnioSemana neutra, pouca pro-babilidade de sucesso nas questes de dinheiro, de tra-balho e de famlia. O seu lado artstico est fortalecido, tra-zendo vitrias neste campo. AqurioSemana propcia para voc, inclusive para obter lucros. Os astros indicam para o pe-rodo que a sua sensualidade est em alta, proporcionando mais aproximao com o sexo oposto. PeixesSemana muito prospera para quem trabalha em escritrio ou comrcio. Pode solicitar favores de amigos e superi-ores. No comeo da semana seu relacionamento pode ter impasses.Patinho modo- 300 gr de patinho modo- 6 colheres de sopa de leo de soja - 1 unidade de cebola picada- 1 dente de alho picado- 3 colheres de sopa de extrato de tomates- 1 xcara de ch de gua- 1/2 xcara de ch de salsinha picada- 12 unidades de azeitona verde picada- 1/2 lata de milho verde- 2 unidades de ovo cozidoGASTRONOMIAIngredientesColoque 4 colheres de leo em uma panela e refogue a carne at que ela esteja bem sequinha. Junte a cebola e o alho. Re-fogue at ficar transparente. Acrescente a massa deModo de PreparoCom a troca de estao o bom inovar o visual, para se sentir mais bonita e o astral ir l em cima. Ento o que voc acha de usar a moda para arrasar na colorao dos cabelos? Isso possvel e as tendncias para esse inverno so lindssimas. Loira, morena ou ruiva, no importa a cor, com o inverno a, surgem ideias para o seus fios ficarem iguais as das ce-lebridades. Para as mulheres que querem mudar a tonalidade opte por cores mais quentes e terrosas, como cobre mel, chocolate, vermelho escuro e marrom acobreado. Para as loiras que no mudam a cor por nada e mesmo assim querem ficar na moda, a dica abusar do degrade, comeando pelo marrom at chegar ao dourado. Mas cuidado, evite a cor alaranjado e aquele loiro manchado, no esto com nada neste inverno. As mulheres que usam o ombr hair e o loiro acinzentado fiquem tranqui-las, essas cores continuam com tudo. As morenas devem apos-tar nos acobreados escuros, com mechas em tons de cobre ou vermelhos fechados. Outra dica a mistura de castanho acobreado e nuances de mel, exemplo a atriz Giovanna Antonelli, que super adepta dessa sobreposio de cores. E agora para as ruivas, a tonali-dade est muito em alta, ento se quiser mudar radicalmente, aposte nos tons de acaju, mar-rom e vinho, alm de ser a cara do inverno, deixa qualquer mulher muito sensual, e claro na moda. MODATons de cabelos para o invernoLOTERIASMEGA SENAResultado Concurso 1512 (17/07)11 - 28 - 35 - 42 - 46 - 58Prximo sorteio: 20/07 (hoje) Prmio Estimado: R$10.000.000,00LOTERIA FEDERALResultado Concurso 04780 (17/07)1 prmio - n 95.589 - R$250.000,002 prmio - n 68.030 - R$17.100,003 prmio - n 05.632 - R$16.600,00 4 prmio - n 85.760 - R$16.100,005 prmio - n 56.424 - R$15.200,00 Em 20 de julho de 1969, exata-mente s 23 horas, 56 minutos e 20 segundos de Braslia, o as-tronauta americano Neil Arm-strong entrava para a histria como o primeiro homem a pisar na lua e avistar a Terra. A bordo da nave Apolo XI, Armstrong, Edwin Aldrin, conhecido como Buzz e Michael Collins cum-priram a misso de aterrissar na lua, aps levantarem vo em 16 de julho do mesmo ano. Es-tima-se que cerca de 1,2 bilho de pessoas testemunhavam via satlite o pouso na lua, consi-derado impossvel tempos atrs. Aprximadamente de 850 jor-nalistas de 55 pases registraram o acontecimento. Muitos, inclusive, ainda duvi-dam de que tal fato tenha realmente acontecido. CURIOSIDADEPrimeira viagem para a lua14tomate e refogue. Tempere com sal e pimenta branca. Adicione 1 xcara de ch de gua e deixe ferver at quase secar. Coloque o milho verde, as azeitonas e a salsi-nha, mexa bem e desligue o fogo. Depois frite o pimento picado com 2 colheres de leo e acrescente ao refoga-do. O recheio dever ter um pouco de molho, mas muito pouco. Retire o miolo de cada pozinho e recheie com a car-ne moda. - Cebolinha verde- Sal- Pimenta-do-reino branca- 6 unidades de po francs- 1 unidade de pimento vermelho picado15#SOCIALSbado, 20 de julho de 2013.ANIVERSRIOSDA SEMANAEste momento foi registrado durante o lanamento da 1 Festa da Carne de So Joo do Itaperi. Na foto as princesas mirins da festa - da esquerda para direita - Adilson DAvila (Organizador da Festa), Rovne Delmonego (Prefeito de So Joo do Itaperi), Gilberto Azevedo (Vice-prefeito So Joo do Itaperi), Sandro Jarozinski (Presidente da Cmara de Vereadores) e Gilberto Azevedo (Vice-prefeito So Joo do Itaperi). #Festa da Carne AGENDACAIU NA REDEO treinador Joel Santana sempre foi uma figura folclrica do futebol brasileiro. Papai Joel, como ficou conhecido na mdia, virou um per-sonagem ainda mais divertido depois que foi treinar a seleo da frica do Sul entre os anos de 2008 e 2009. Se o portugus de Joel j no dos melhores, o ingls no melhor estilo em-bromation passou a fazer sucesso no YouTube desde aquela poca, com entrevistas engraa-das do treinador se aventurando na lngua es-trangeira.Quatro anos depois, em uma sacada de mar-keting genial da P&G, empresa que tem uma linha gigante de produtos de higiene, Joel emprestou o seu embromation para a publici-dade do shampoo anticaspa Head&Houlders. Direcionado a produo para a internet, no demorou muito tempo para que o vdeo Donti Rvi Caspa, lanado segunda-feira, chegasse perto dos 4 milhes de views at ontem.No vdeo, Joel Santana mostra toda a sua cate-goria com a lngua estrangeira, misturando pa-lavras em portugus e ingls, inventando pala-vras em ingls e assim por diante, promovendo a ao anticaspa do produto. No deu outra, virou viral da internet e motivo de boas risadas. Procure no Youtube: Head & Shoulders - Joel Santana em Donti Rvi Caspa.#Donti Rvi Caspa#ParabnsSamuraii20/07- Banda Rock 50 a partir das 21h (rock roll) Bier Coast21/07- Day Party Sunset com (a partir das 15h30) Barra Music20/07- Festa Summer Party (Mulheres free at 1h) Beach Bar21/07- Msica ao vivo a partir do meio dia com Rodrigo Freitas (15 reais por pessoa) #Barra VelhaBEM NA FOTO19 de julhoMorgana Borba21 de junhoJairo Hermgenes o municpio de Barra Velha o parabeniza e agradece por todos os anos dedicados ao esporte local.19 de julhoJoo Antonio Carlos Pereira (filho do vice-presidente de Araquari)Jantar BeneficenteA 1 Igreja do Evangelho Quadran-gular, atravs da rede de homens, re-alizar no prximo sbado, dia 27, s 20h, no Bentinho Restaurante, um jantar beneficente. Na ocasio ser realizada uma palestra com o profes-sor, historiador e diretor de cultura e esportes de Barra Velha Juliano Bernardes. O passaporte est sendo vendido por R$ 20 mais um quilo de alimento no perecvel. Mais infor-maes pelo telefone 9995 3553. 20 de julhoCssio Wilhelms Markwardt16 ESPORTE Sbado, 20 de julho de 2013.No prximo sbado, dia 27, a Associao de Surf de Bal-nerio Barra do Sulrealiza a 4 Etapa do Cir-cuito de Surf Treino Keep e Ocean Blue 2013. O cir-cuito est reunindo sur stas amadores da regio em um total de oito etapas. Essa por sua vez, acontece na Praia do Bispo, com incio s 9h.Aps as trs primeiras etapas, a categoria open est sendo liderada por Drick de Itaja, e a Junior pelo itajaiense Kaique. Os sur stas locais vm fazen-do bonito ao liderar trs das cinco categorias. Fernando Paulino, sur sta de Balnerio Barra do Sul, aparece na ponta da categoria interna, enquanto Jean Peixer est em primeiro na categoria estreante e o ga-roto Andr na mirim.Joo Pastega, organizador do evento, a rma que a expecta-tiva de alcanar 80 inscritos, mantendo o sucesso das etapas anteriores. Os vencedores de cada etapa levam trofu e um kit do patrocinador. Ao nal do circuito, os melhores colo-cados no ranking das catego-rias open, jnior, interna e es-treante sero premiados com uma prancha pro ssional. As inscries podero ser reali-zadas no local, antes do incio do campeonato. Maiores in-formaes (047) 9142-6375.Campeonato de Surf na Penha ser neste domingoO campeonato municipal de surf de Penha que aconteceria no ltimo nal de semana foi transferido para este domingo. De acordo com a Fundao Municipal de Esportes, pro-blemas burocrticos na con-tratao da equipe tcnicas que trabalharia no evento oca-sionaram a alterao da data. O evento foi con rmado para este domingo a partir das 8h.Campeonato de surf vai agitar Balnerio Barra do Sul no prximo nal de semana Acontece nesse domingo a semi nal do Campeonato Munici-pal de Futebol de Campo, Taa Balnerio Piarras 50 anos. Ao todo, 12 equipes participaram do campeonato que ir premiar o primeiro colocado com R$1.200, R$800 para o se-gundo colocado e R$400 para o terceiro, alm de medalhas e trofus. As decises sero no campo do Lagoa Esporte Clube, e tero incio s 08h45min com o jogo entre Conceio x Lagoa. Logo aps, s 10h30, ser a vez de Mevepi x Hangover buscarem uma vaga na deciso.Campeonato de futsal abre inscriesRafael Batista, diretor de esportes da cidade, destaca que na prxima segunda-feira iniciaro as inscries para o campe-onato Intermunicipal de Futsal nas categorias livre e vetera-no. Os interessados podem nos procurar na secretaria para realizar as inscries. Faremos as inscries gratuitamente e no nal do campeonato, premiaes em dinheiro assim como ser realizado do futebol de campo, naliza Rafael, lembran-do que as inscries vo at a segunda semana de agosto, quando ser marcado o congresso tcnico. Campeonato de futebol de Balnerio Piar-ras chega s semi nais neste domingoFoto: Associao de Surf de Balnerio Barra do SulMais de 50 participantes prestigiaram na ltima semana a abertura dos primeiros Jogos Municipais da Melhor Idade de Barra Velha, que aconteceu na Sociedade Recreativa de Barra Velha, com a presena de vrias autoridades locais. O evento, que visa dar uma opo de recreao e integrao a melhor da idade do municpio, contou com competies de domin e canastra. A inteno da Fundao Municipal de Turismo, Es-porte e Cultura promover mais sete encontros com o grupo em associaes diferentes do municpio, sempre s quartas-feiras. No prximo dia 24, o evento ser na Associao Se-nhoras Solidrias.Jogos Municipais da Melhor Idade iniciam em Barra Velha