Jornal Voz do Itapocu - 12ª Edição - 20/07/2013

Download Jornal Voz do Itapocu - 12ª Edição - 20/07/2013

Post on 10-Mar-2016

251 views

Category:

Documents

25 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

12 Edio do Jornal Voz do Itapocu, com circulao nas cidades de Barra Velha, Araquari, Balnerio Piarras, So Joo do Itaperi e Balnerio Barra do Sul, em Santa Catarina. Distribuio gratuita nos pontos parceiros de distribuio. Acompanhe pelo Facebook: http://www.facebook.com/vozdoitapocu

TRANSCRIPT

<ul><li><p>FESTA DO PIROCONHEA AS CANDIDA-TAS A RAINHA DO PIRO DESTE ANO</p><p>JORNAL</p><p>SBADO, 20 DE JULHO DE 2013. ANO 1 - EDIO 012 - DISTRIBUIO GRATUITA</p><p>ADVOGADO PERCIVAL TEIXEIRA CONCEDE PARECER SOBRE CONTRATO E CONVNIO DA ESTATAL COM BARRA VELHA</p><p>E MAIS: SAIBA O TEOR DO CONTRATO QUE SER VOTADO NO INICIO DE AGOSTO NA CMARA DE VEREADORES</p><p>PG 8, 9 e 10</p><p>Circulao: Araquari, Balnerio Barra do Sul, Barra Velha, So Joo do Itaperi e Balnerio Piarras</p><p>GERALCASA DE PASSAGEM ACOLHE MENORES EM SITUAO DE RISCO EM BARRA VELHA</p><p>PG 5PG 7</p><p>ESPORTESEMIFINAIS DO FUTEBOL DE BALNERIO PIARRAS ACONTECEM NESTE DOMINGO</p><p>PG 16</p><p>LITERATURALEITURA LEVA CONHECIMENTO E AJUDA PRESOS A REDUZIR PENA EM BARRA VELHRA</p><p>PG 13</p><p>PG 3</p><p>CONHEA O NOVO CONTRATO COM A CASAN</p><p>A escolha da nova realeza da 17 Festa Nacional do Piro acontecer na prxima sexta-feira a partir das 20h30 na So-ciedade Recreativa de Barra Velha. Doze candidatas com idade entre 16 e 21 anos es-to na disputa pela coroa de rainha e princesas da festa. Representando associaes e entidades municipais, elas sero avaliadas por um jri </p><p>especializado que ir analisar quesitos como beleza, sim-patia, dico e desenvoltura. Aps o des le da escolha, o baile contar com a Banda Mil do Paran.As trs vencedoras iro di-vulgar pela regio a festa, que ir acontecer do dia 5 a 8 de setembro. Ontem, a prefeitu-ra municipal de Barra Velha abriu o processo de licitao </p><p>para saber qual ser a empresa responsvel pela contratao dos shows nacionais da festa. Grupos interessados em tocar no palco gastronmico po-dem procurar a secretaria de Turismo, Esporte e Cultura lo-calizada na Praa Lauro Car-neiro de Loyola, no centro da cidade.Abaixo, as fotos das candidatas e suas respectivas associaes:</p><p>Escolha da rainha da 17 Festa Nacional do </p><p>Piro acontece nesta sexta-feira</p><p>Destacando-se como impor-</p><p>tante comerciante de Barra </p><p>Velha, Nabor Moraes Pires as-</p><p>sistiu a chegada dos primei-</p><p>ros veranistas e banhistas </p><p>da cidade apoiado no balco </p><p>dos diferentes estabelecimen-</p><p>tos comerciais que dirigiu. </p><p>Primeiramente, um bar privi-</p><p>legiadamente localizado s </p><p>margens da praia, nas canoas </p><p>dos pescadores. Vendendo </p><p>refrigerante Cruch, cerveja e </p><p>outros aperitivos, Nabor e sua </p><p>esposa Ilda Mendes Pires zer-</p><p>am amizade com pescadores, </p><p>clientes da colnia, turistas e </p><p>moradores locais. Os servios </p><p>prestados pelo Bar do Nabor </p><p>foram aos poucos se diversi-</p><p> cando, e o trabalho que no </p><p>incio era todo realizado pela </p><p>famlia, foi exigindo a mo de </p><p>obra de mais auxiliares, que </p><p>foram aos poucos sendo con-</p><p>tratados. O bar do Nabor se destacava </p><p>como um local de encontro </p><p>entre amigos e polticos, pois </p><p>dentre os frequentadores es-</p><p>tavam os responsveis pelos </p><p>primeiros passos de uma Bar-</p><p>ra Velha prestes a se emanci-</p><p>par. Segundo sua esposa, a cidade </p><p>no conhecia, nem tinha es-</p><p>trutura para montar comits </p><p>polticos, ento na falta destes, </p><p>o bar era o local escolhido </p><p>para discusses acaloradas, </p><p>escolhas de candidatos, a-</p><p>certo de coligaes e tambm </p><p>desacertos! As discusses en-</p><p>tre grupos adversrios eram </p><p>frequentes, mas sempre na </p><p>diplomacia. Apesar de andar to perto dos </p><p>trmites polticos municipais, </p><p>Nabor nunca se candidatou a </p><p>nenhum cargo poltico prefe-</p><p>ria assistir a tudo de longe, </p><p>discursando apenas nos </p><p>comcios que aconteciam no </p><p>seu bar. O seu plenrio era em </p><p>frente ao mar, seus eleitores </p><p>eram seus clientes, e suas </p><p>obras pblicas eram o bom a-</p><p>tendimento do pblico em ge-</p><p>ral. O no envolvimento polti-</p><p>co familiar, pois at os dias </p><p>atuais nenhum Pires ocupou </p><p>as cadeiras dos Legislativo ou </p><p>do Executivo municipais.Alm do bar, foi proprietrio </p><p>de um supermercado grande </p><p>tambm nas proximidades da </p><p>Colnia de Pescadores, sem-</p><p>pre contando com o auxlio da </p><p>famlia. Neste local, empacota-</p><p>va feijo e arroz, alm de ven-</p><p>der po, doces, broas, pirulitos </p><p>e sonhos, estes todos prepara-</p><p>dos por Ilda. Ela, por sinal, se </p><p>mostrou uma verdadeira guer-</p><p>reira, pois mesmo cuidando </p><p>dos cinco lhos do casal, ainda </p><p>atendia no supermercado. Nabor era responsvel pelas </p><p>entregas, enquanto ela cui-</p><p>dava do estabelecimento e </p><p>dos funcionrios. Chegaram </p><p>a contratar seis pessoas para </p><p>auxiliar nos servios que au-</p><p>mentavam mais e mais.Os doces de Ilda encantavam </p><p>os clientes e sua fama de boa </p><p>cozinheira atravessou os tem-</p><p>pos, pois ainda hoje os lhos, </p><p>netos e bisnetos os pedem. Os </p><p>sonhos preparados por ela so </p><p>capazes de fazer os fami-liares abandonar seus afa-</p><p>zeres pro ssionais e correrem </p><p>para sua casa. Este talento </p><p>na cozinha foi herdado de sua </p><p>me, Ana Borba Mendes, que </p><p>a ensinou ainda menina os </p><p>segredos de um bom prato. O trabalho exigia bastante em-</p><p>penho e persistncia, e no </p><p>foram poucas as vezes que o </p><p>casal assistiu o clarear do dia, </p><p>principalmente em noites de vi-</p><p>rada de ano. Entretanto, como </p><p>todo esforo tem sua resposta, </p><p>a famlia alcanou um padro </p><p>de vida confortvel graas </p><p>venda de bebidas e s muitas </p><p>noites mal dormidas. As terras, onde se localizava o </p><p>bar, o supermercado, alm do </p><p>material de construo funda-</p><p>do por Nabor, foram herdadas </p><p>de seu pai, Miguel de Simas </p><p>Tomaz Pires, e neste mesmo </p><p>local que se localiza sua rua. </p><p>De frente ao porto de pesca-</p><p>dores artesanais paisagem </p><p>muito comum em toda sua </p><p>vida.Nabor faleceu em 2009 e </p><p>deixou a viva, que ainda hoje </p><p>mora na residncia construda </p><p>pelo casal. Deixou a imagem </p><p>de homem tranquilo e traba-</p><p>lhador, alm de exmio comer-</p><p>ciante. Fonte: Ilda Mendes Pires</p><p>Esquinas da </p><p>HistriaProfessora e historiadora </p><p>Angelita Borba de Souza </p><p>e-mail: angelitaborba@hotmail.com</p><p>NABOR MORAES PIRES - UM </p><p>HOMEM DE MUITOS NEGCIOS</p><p>13CULTURASbado, 20 de julho de 2013.</p><p>Ana Cristina Avelino -17 anos - Bombeiros </p><p>Militares</p><p>Ana Paulina de Oliveira da Silva - 20 anos- CDL</p><p>Andrielli Pegrussi Ribeiro - 17 anos - Ass. Senhoras </p><p>Solidrias</p><p>Cassia Maria Passos - 16 anos- ACDI</p><p>Daiani Ferreira Martins - 17 anos- ASAPREV</p><p>Hagna Luzia Toth - 19 anos - Ass. ABC Amigos </p><p>Solidrios Itajuba</p><p>Jaqueline Godoy Dias- 19 anos - Ass. dos Banani-</p><p>cultores</p><p>Julia Terezinha Tomazelli - 16 anos - CTG Esteio da </p><p>Tradio</p><p>Mnica Helosa Fagundes - 19 anos - ACCI</p><p>Pmela Nardes Marcos - 17 anos - Ass. dos Arteses </p><p>de Barra Velha</p><p>Sarah Ludmila Rodrigues Florincio - 21 anos - AAPEC</p><p>Tainanda R. Ieger Bazi - 17 anos - Ass. Raios de Sol</p><p>POLTICAPREFEITOS DE BARRA VELHA E ARAQUARI VOLTAM DE BRASLIA COM RECURSOS ASSEGURADOSMAIS: MUNICPIOS VO RE-CEBER AJUDA EMERGENCIAL</p><p>Imagem ilustrativa</p></li><li><p>2 EDITORIAL Sbado, 20 de julho de 2013.</p><p>Informao pblicaNo foi a primeira vez, nem a segunda. Mais uma vez uma matria do jornal Voz do Itapocu foi usada como release o cial da prefeitura de Barra Velha, sem qualquer meno ao nosso trabalho. A matria sobre a licitao do ginsio da cidade foi enviada a todos os veculos de comu-nicao da regio como Infor-mao Pblica n 383, no dia 10 de julho deste ms. No queremos dizer que a in-formao nossa e ningum mais pode utiliz-la, pelo con-trrio, para o jornal sinal de que nossa atividade dentro da sociedade de Barra Velha e de toda a regio est tendo uma repercusso positiva.Mas, por outro lado, o que </p><p>preocupa, e no de hoje, a di culdade da prefeitura de Barra Velha em prestar uma assessoria de imprensa que antecipe a informao aos veculos com que se rela-ciona, e no o contrrio. Este um sinal claro de que algo est errado nos corredores da administrao pblica. No estamos apontando o dedo pra esse ou para aquele servidor, mas sim para a for-ma di cultosa que a impren-sa encontra para fazer o seu trabalho. Consequentemente a popu-lao, que se abastece de informaes pblicas atravs de ns, veculos de comuni-cao, tambm acaba preju-dicada. O fato de uma matria </p><p>do Voz do Itapocu se trans-formar em informao o cial sem qualquer crdito para a nossa reportagem apenas um gancho para entrar no tema. Enquanto outras pre-feituras nos assessoram com matrias de contedo, bem redigidas, em Barra Velha necessrio um jornal levantar a lebre sobre a reforma do ginsio da cidade para que a notcia da licitao venha tona.Por m, vale citar o esforo do reprter Alan Willian, que du-rante duas semanas correu atrs de informaes sobre a licitao do ginsio, escreveu a matria com contedo e qualidade. </p><p>PREVISO DO TEMPOSBADO</p><p>Nebulosidade varivel e chuva isolada</p><p>(20/07)</p><p>MX: 16 MN: 12</p><p>DOMINGO (21/07)</p><p>MX: 14 MN: 6</p><p>SEGUNDA-FEIRA</p><p>Nebulosidade varivel e chuva isolada</p><p>(22/07)</p><p>MX: 10 MN: 3</p><p>Informaes do Centro de Informaes de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina (Ciram) da Epagri</p><p>EXPEDIENTE</p><p>Tiragem: 5 mil exemplares / distribuio gratuita / semanrio Circulao: Araquari, Balnerio Barra do Sul, Balnerio Piar-</p><p>ras, Barra Velha e So Joo do Itaperi</p><p>Reportagem Carolina Nunes</p><p>Alan Willian</p><p>DiagramaoGermana Souza</p><p>Edio Anderson Davi</p><p>Departamento Comercial Claudia S. Prevedello</p><p>ColaboradoresAngelita Borba de Souza</p><p>Lgia Delazzeri R. BalbinottDaniela Censi</p><p>Lino Pedro de Arajo FilhoMarcos Zaleski de MatosGabriela Stahelin PereiraVolnei Antnio de Souza</p><p>Jornalista Responsvel Flvio Roberto DRT: 02494 JP </p><p>UMA PUBLICAO REDAOAv Santa Catarina, 1192 - SobrelojaCentro - Barra Velha - SCCEP: 88390-000</p><p>Colunas, artigos, cartas, e-mails enviados e assinados so de inteira responsabilidade de seus autores. O contedo no </p><p>expressa, necessariamente, a opinio do jornal.</p><p>CONTATOS</p><p>(47) 3456 1194(47) 9959 1143 (Comercial)</p><p>Reportagem - jornalismo@vozdoitapocu.com.brComercial - comercial@vozdoitapocu.com.brColunistas - colunas@vozdoitapocu.com.brColuna Social - social@vozdoitapocu.com.br</p><p>VEJA ONDE ENCONTRAR O JORNAL DE FORMA GRATUITA TODOS OS SBADOS:www.vozdoitapocu.com.br</p><p>FACEBOOK</p><p>No leu as edies anteriores do Voz do Itapocu?</p><p>Acesse:www.issuu.com/vozdoitapocu e leia na ntegra a edio virtual do jornal, de forma interativa e prtica.</p><p>No leu as edies anteriores do Voz do Itapocu?</p><p>Acesse:www.issuu.com/vozdoitapocu e leia na ntegra a edio virtual do jornal, de forma interativa e prtica.</p><p>Encoberto com chuva</p><p>Errata: Na edio anterior, publicada no dia 13, noticiamos a realizao do rodeio do CTG Esteio da Tradio. Na ocasio foi dito que o furto de um carro havia acontecido dentro do parque. Segundo o patro do CTG Edinho Borges, o roubo aconteceu fora do parque. Alm disso, Edinho esclareceu tambm, os valores cobrados no evento. Nos dois primeiros dias estavam sendo cobrado R$10 por veculo. Somente no domingo, foi cobrada a entrada por pessoa no valor de R$5, pelo fato de que o baile seria gratuito. O evento avaliado de forma positiva reuniu aproxi-madamente 10 mil pessoas entre os dias 5 e 7 de julho, atraindo muitos turistas do Paran e da serra catarinense, o que movimentou o calendrio da baixa temporada em Barra Velha.</p></li><li><p>O tempo de recluso na Uni-dade Prisional Avanada (UPA) de Barra Velha est rendendo um aprendizado diferente para um grupo de presos condenados pela justia. Cerca de 10 deten-tos j aderiram ao programa de Remio pela Leitura, in-stitudo pelo juiz corregedor do presdio, Iolmar Alves Bal-tazar, em parceria com a bibli-oteca pblica municipal. Alm de adquirirem conhecimento atravs da literatura, a partici-pao no projeto faz com que os presidirios diminuam dias de suas penas medida que apresentam relatrios sobre as obras lidas.O projeto comeou em maro e de acordo com a diretora da biblioteca municipal, Nilcia Tomaz, o resultado tem sido produtivo. Cerca de 90 livros j foram encaminhados para o presdio, para que os detentos possam selecionar os que mais lhe interessassem. As opes cam entre romances, livros </p><p>infanto-juvenis, religiosos e autoajuda.Para selecionar as obras que deveriam estar disposio dos presos na UPA, um estudo com um grupo de 80 detentos foi feito para traar o per l de ensino do pblico do pro-jeto. Foram constatados que a maioria entre 25 e 30 anos seria o foco principal, sendo que 50% no concluiu sequer o Ensino Fundamental. Alm disso, 20% concluiu o Ensino Mdio e outros 30% tem grau completo.Ns espervamos que eles no fossem aderir ao projeto, mas alguns esto se dedican-do e realizando as atividades. Alm de estarem em contato com a literatura, os presos ainda podem diminuir suas penas. Eles tambm podem receber a resenha que zeram corrigida, o que um estmulo para aprenderem o que esto escrevendo certo e o que est errado, comenta Nilcia. </p><p>Como funciona a remioA portaria n01/2013 do juiz da 2 vara de Barra Velha re-gulamenta a remio de pena com base na leitura, a exemplo de outras comarcas do Estado, que utilizam o mesmo crit-rio. Segundo a portaria, ter direito a remir 3 dias da pena o reeducando que, em 30 dias, ler pelo menos 1 livro com 500 pginas, ou tantos quan-tos resultem 500 pginas, de forma que no nal de 12 me-ses poder remir o total de 36 dias da pena.Ainda segundo o juz Iolmar, o preso ter 20 dias para ler o livro e mais 10 para escrever uma resenha ou relatrio so-bre a obra lida, com trs pgi-nas. O documento enviado para avaliao de professores do Programa de Educao de Jovens e Adultos (EJA), que iro avaliar o relatrio e ates-tarem se o detento realmente leu o livro. Nilcia conta que cerca de 10 resenhas j foram escritas. </p><p>Leitura no presdio leva conhecimento e reduz pena de presos de Barra VelhaProjeto foi iniciado em maro pelo juz corregedor da Unidade Prisional Avanada, Iolmar Alves Baltazar, em parceria com a biblioteca pblica municipal</p><p>Voc sabia que pessoas que tm a presso arterial elevada devem fazer -sioterapia? Assim que a pessoa descobre que pos-sui hipertenso arterial sistmica, ou seja, presso alta, so necessrias algumas medidas para normalizao desse quadro. A presso alta deve ser tratada, pois pode acarretar danos ao corao e rins, principalmente.A rea da sioterapia que trata essa condio a Fi-sioterapia Cardiorres-piratria. Aps uma ava-liao detalhada, monta-do um plano de tratamento repleto de exerccios volta-dos para a necessidade de cada paciente. So utiliza-dos exerccios com halteres, bolas, bicicleta ergomtrica e esteira. Podem ainda ser includos exerccios de caminhada ao ar livre ou na piscina.Durante os exerccios o paciente acompanhado o tempo todo pelo -sioterapeuta, para que seja garantido o bem estar do mesmo. A presso arterial e a frequncia cardaca so medidas a cada poucos </p><p>minutos para que a inten-sidade do exerccio seja alterada. muito importante o acompanhamento de um pro ssional habilitado, pois a prtica de exerccio fsico desacompanhado pode gerar quadros de aumento ou queda exagerados da presso arterial.Tambm essencial lem-brar que a intensidade do exerccio ser aumentada lentamente, conforme o progresso do paciente. Dessa forma, uma pessoa sedentria no pode, por exemplo, em seu primeiro dia de exerccios fazer uma corrida. Deve iniciar com uma caminhada lenta e ir aumentando a velocidade gradativamente.A mudana dos hbitos de vida, como alimentao, tambm so importantes nesse caso. Consultar um nutricionista o ideal.Previna o quadro de au-mento da presso arterial tendo uma vida saudvel. J est com a presso arte-rial alterada? Comece hoje mesmo a se cuidar, com certeza valer pena!</p><p>SadeFisioterapeutaDaniela Censi e-mail: dani_censi@hotmail.com</p><p>3GERALSbado, 20 de julho de 2013.</p><p>Presso alta X sioterapia</p><p>Diretora da biblioteca municipal, Nilcia Tomaz.</p></li><li><p>Assoc...</p></li></ul>