jornal santa rosa 1.456

Download JORNAL SANTA ROSA 1.456

Post on 25-Sep-2015

756 views

Category:

Documents

34 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Jornal Santa RosaO Jornal de NiteróiFaz toda a diferença!

TRANSCRIPT

  • ANO 36 N 1.456 R$ 1,00 2 QUINZENA DE MAIO 2015 O JORNAL DE NITERI

    A primeira grande obra a ser realizada pela nova conces-sionria que administrar a Ponte Rio-Niteri ser a construo do mergulho da Praa da Renascena, em Niteri. A deciso foi anunciada nesta tera, 19, durante reunio entre o prefeito de Niteri, Rodrigo Neves, o secretrio estadual de Transportes, Carlos Roberto Osrio, e o presidente do grupo EcoRodovias, Marcelino Rafart de Seras. Pg. 3

    Nova administrao da ponte priorizaconstruo de mergulho em Niteri

    Entre farpas, falsos elogios e canaps, as Divas cantam seus desencantos amorosos e fofocam sobre a vida alheia em uma inusitada apresen-tao de msica erudita, na cafeteria do Teatro Municipal de Niteri. Pg. 8

    Ch das Divas noMunicipal de Niteri

    Comunidades se preparam para receber turistas nas OlimpadasComunidades pacificadas, como Babilnia, Vidigal e Cantagalo, j se preparam para receber os turistas que estaro no Rio de Janeiro para as Olimpa das de 2016. Pg. 2

    RODRIGO NEVES SAIR DO PT?

    pg. 3

    Godofredo Pinto condenado a devolver R$ 455 mil a Niteri

    pg. 4

    Vereadores debatem com Executivo novo Centro de Segurana Pblica

    pg. 5

  • Santa RoSa 2a Quinzena DE MAIO 20152

    Comunidades pacifica-das, como Babilnia, Vidigal e Cantagalo, j se preparam para receber os turistas que esta-ro no Rio de Janeiro para as Olimpadas de 2016. Donos de albergues e pousadas tm investido em seus estabeleci-mentos, aumentando o confor-to para o hspede. Para atrair a clientela durante o evento internacional, os empreende-dores prepararam pacotes tu-rsticos e passeios pelas reas com UPPs (Unidades de Pol-cia Pacificadora).

    Visitas a restaurantes com comida caseira, passeios de mototxi pelas vielas dos mor-ros, por trilhas e mirantes, esto entre os atrativos ofere-cidos. o caso do Babilnia Rio Hostel, onde os donos do empreendimento, inaugura-do em 2014, se associaram ao Faveliving, agncia criada por moradores da comunidade, em uma parceria que j est

    gerando emprego e renda para quem vive na favela do Leme. Com quartos coletivos e sutes privativas, a hospedaria tam-bm se tornar sustentvel at

    Moradores investem em infraestrutura hoteleira para atrair visitantesComunidades se preparam para receber turistas nas Olimpadas

    os Jogos Olmpicos. Pretende-mos colocar energia solar e j estamos nos preparando para usar a gua da chuva por con-ta da conscincia ambiental e

    Foto: Andr Gomes de Melo

    Prefeitura de Niteri celebrou Dia Nacional da Luta AntimanicomialO msico e

    ex-morador de rua Wigberto Rodrigues

    participou das comemoraes

    reduo de custos - disse um dos responsveis pelo estabele-cimento, Eduardo Figueiredo.

    Segundo a Associao de Cama e Caf e Albergues do

    Estado do Rio de Janeiro, a comunidade da Babilnia tem cerca de 25 estabelecimentos.

    O Vidigal Albergue, locali-zado na comunidade do Vidi-gal, na Zona Sul, j est com a agenda cheia, muito antes dos Jogos Olmpicos. Aliando pre-o baixo, localizao com vista para o mar, hospitalidade e passeios, a hospedagem tem recebido pessoas de vrias par-tes do mundo.

    Inaugurado no perodo da Copa, o Tiki Hostel, no Can-tagalo, em Copacabana, tem investido para atrair mais hs-pedes. Alm da varanda com bela vista, a maioria dos m-veis foi reciclada.

    - A construo contou com a participao de pessoas da comunidade. Temos o con-ceito de oferecer custo-bene-fcio e decorao moderna. Reciclamos peas que en-contramos em ferros-velhos - afirmou o neozelands Dale Peter Smir.

    A prefeitura de Niteri iniciou na tera-feira 19, a celebrao do Dia Nacional da Luta Antimani-comial com um Sarau realizado na Unidade Transitria para Ateno Psicossocial/Hospital Psiquitrico de Jurujuba.

    O evento contou com a parti-cipao de usurios, familiares e profissionais da rede de Sade Mental do municpio, totalizan-do cerca de 80 pessoas.

    Segundo o mdico psiquiatra,

    Maurcio Junqueira, a ideia cen-tral aceitar as diferenas entre as pessoas. Esse o dia em que comemoramos um trabalho rea-lizado ao longo de muito tempo com o objetivo de desconstruir a maneira discriminatria de tra-tar as pessoas com sade men-tal, afirma o mdico.

    O usurio da rede, Adilson Ve-lasco Souza, falou sobre a iniciati-va. importante descaracterizar a ideia de que temos que viver isolado, esses eventos so impor-tantes para recolocar os pacientes na sociedade, declarou.

    A comemorao aconteceu no Teatro da UFF com apresentao de um show com Wigberto Ro-drigues ao lado do secretrio de Cultura, Arthur Maia. O evento

    seguiu com apresentao de pe-a teatral e mais msicas.

    O psiclogo da rede de Sade Mental, Leonardo Almeida, fa-

    lou sobre a recuperao do Wi-gberto. Com apenas um ensaio ele tocou muito bem e esse um efeito dos cuidados da sade, ele

    teve um grande avano, no s pela resposta medicamentosa, mas pela oferta do tratamento com a msica, declarou.

    A secretria de Sade, Solange Oliveira, participou da celebra-o e destacou a importncia de lembrar a data da Luta Antima-nicomial.

    O dia 18 de maio a data de lembrar a reforma antianicomial, particularmente em Niteri, que tem uma tradio de cuidado em Sade Mental muito importante para esses pacientes, que luta para que eles sejam inseridos na sociedade. O atual governo est investindo no fortalecimento das unidades para que o tratamento da sade mental seja de sociali-zao, disse Solange.

    Wigberto Rodrigues e Arthur Maia deram um show

  • RODRIGO NEVES SAIR DO PT?Andr Santa Rosa

    De acordo com as l-timas informaes colhidas pelas ruas da cidade, o atual prefeito, o socilogo Rodrigo Neves, est de malas pron-tas para deixar o Partido dos Trabalhadores. Caso seja verdadeira esta notcia, eu, particularmente, fico muito feliz. Eu no sou, atualmen-te, filiado a nenhum partido poltico, contudo, h cerca de vinte anos atrs, l pelos idos dos anos 90, me filiei ao PT. Naquela poca, ser do PT era sinnimo de ser diferen-ciado. O partido era respeita-do como agremiao poltica

    honesta e sem mculas. Seus integrantes eram considerados at mesmo um pouco, digamos, radicais no trato da coisa pbli-ca, mas a lisura na fiscalizao dos atos polticos dos demais partidos, e de si prprio, era sria, firme e sem dar margem a qualquer espcie de malfeito no trato das coisas do interesse pblico.

    Assim, era um orgulho per-tencer a este partido poltico. O desejo de mudar o Brasil para melhor, onde os mais necessi-tados seriam aquinhoados com ua melhor ateno das autori-dades, fazia com que, pelo me-nos, um tero do pas pudesse crer que o PT seria capaz, uma vez alcanado o poder da nao, de transformar a vida dos brasi-

    leiros mais humildes.Porm, o que vimos, e esta-

    mos vendo, depois que o PT al-ou-se ao poder, isto que est na mdia. Desvios inimaginveis de verbas pblicas para os bol-sos dos chefes, para parasos fiscais e etc.

    Portanto, saber que o prefeito niteroiense estaria saindo do PT me deixa feliz, pois quando da minha filiao a este partido, foi pelas mos de Rodrigo Neves que ingressei naquelas fileiras que tanto orgulho causava aos idealistas da poca.

    O ainda estudante de so-ciologia, Rodrigo Neves, me recebeu ministrando uma pa-lestra a mim e aos demais in-teressados em participar da vida poltica do partido e do

    municpio, cujo objetivo era chegar onde ele est hoje. Seu carinho pelos recm-filiados, naquele momento, nos encheu de esperanas de que era, sim, possvel uma nova forma de fazer poltica. Ainda creio que aquele jovem militante exista dentro dele e, se sua busca, por uma nova Casa partidria, for reflexo de madura anlise das condies atuais do par-tido, eu volto a crer que ainda existam polticos que discor-dam do modo atual de se exer-cer a poltica em nosso pas. Creio, inclusive, que os ni-teroienses lhe daro o aval nesta mudana partidria. As prximas eleies se avizi-nham, j hora de alinhavar os interesses, lembrando que

    o candidato deve estar fi-liado ao partido, pelo qual concorrer, ao menos um ano antes da data do sufr-gio. Vale ressaltar que, at aqui, Rodrigo vem fazendo um bom governo e, no mo-mento certo, por ocasio das eleies municipais, dever mostrar ao povo desta cidade seus feitos e o cumprimento dos diversos compromissos assumidos na ltima campanha. es-perar para ver e torcer pelo melhor... para Niteri.

    Andr Santa Rosa ad-vogado, ator e Licenciando em Artes Cnicas pela UNESA

    santarosa.ator@gmail.com

    Santa RoSa2a QUINZENA DE MAIO 2015 3

    Nova administrao da ponte priorizaconstruo de mergulho em Niteri

    Deciso foi anunciada em reunio pelo prefeito Rodrigo Neves e secretrio Estadual de Transportes

    A primeira grande obra a ser realizada pela nova concessionria que administrar a Ponte Rio-Niteri ser a cons-truo do mergulho da Praa da Renascena, em Niteri. A deciso foi anunciada nesta tera, 19, durante reunio entre o prefeito de Niteri, Rodrigo Neves, o secretrio estadual de Transportes, Carlos Roberto Osrio, e o presidente do gru-po EcoRodovias, Marcelino Rafart de Seras.

    Alm de priorizar a constru-o do mergulho, a Ecoponte, subsidiria da EcoRodovias e que ser responsvel pela con-cesso, reduzir, a partir da meia noite do prximo dia 1 de junho, o pedgio na via, passan-do dos atuais R$ 5,20 para R$ 3,70. Outra medida anunciada foi a integrao das cmeras da ponte ao sistema de monitora-mento do Centro Integrado de Segurana Pblica (CISP), que ser inaugurado pela prefeitura no prximo ms.

    So aes fundamentais e de extrema importncia para a melhoria da mobilidade e

    da qualidade de vida dos nite-roienses e moradores de mu-nicpios vizinhos. A deciso de priorizar a construo do mer-gulho da Praa da Renascena certamente vai acabar com um gargalo no acesso ponte. E a integrao das cmeras ser fundamental para ajudar a fis-calizar e prevenir a ocorrncia de delitos e crimes de