jornal novo ed 18

Download Jornal Novo Ed 18

Post on 11-Mar-2016

218 views

Category:

Documents

3 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Jornal Novo Ed 18

TRANSCRIPT

  • 8 a 14 de Maio de 2014 - ANO I - N 18

    Estrelas do reggae jamaicano cantam em Rio das Ostras

    Pgina 16 Pgina 10

    Pgina 2

    Pgina 13

    Pgina 8

    Circuito de Corrida de Rua abre inscries para segunda etapa

    Rio das Ostras se destaca em desenvolvimento social, diz pesquisa

    Novas regras de portabilidade de crdito entram em vigor

    Sebrae lana programa para lojistas da construo civil em Rio das Ostras

    Prefeitura de Casimiro investe em melhorias nas creches do municpio

    Pgina 19

    Iniciao Robtica faz parte da rede municipal de ensino de Maca

    Montar robs e ou-tros materiais ao associar conceitos bsicos de Mec-nica e Eletrnica. Esta uma das atividades do trabalho de iniciao Robtica na rede municipal de ensino, que foi iniciado no Colgio Munici-pal Elza Ibrahim, na Ajuda no municpio de Maca. Alm de ter a possibilidade de apren-der mais sobre outras mat-rias curriculares, normalmente consideradas mais complexas, como Matemtica e Fsica, o projeto tambm leva ao pro-cesso de aprendizagem de elementos concretos.

    O projeto contribui para o desenvolvimento de habilida-des como concentrao, ra-ciocnio lgico, resoluo de problemas e outros valores que possvel aprender com um kit de robtica adequado, que estimula aos alunos a re-solverem desafios cientficos.

    Cerca de dez alunos do 6 ao 9 ano participam do trabalho, que ministrado

    no laboratrio de Cincias da unidade com o apoio da equipe de gesto e especia-lista na rea. Alm de pes-quisar o grupo tambm responsvel pela montagem de objetos cientficos como cubo de energia, carrinho de limpeza do local, brao hidrulico e casa da Fsica, que foram premiados em fei-ras de Cincias e Tecnologia do estado e municpio.

    Sob a responsabilidade da professora de Cincias, Laureliane Sales, e da espe-cialista em Robtica, Luemy vila, o projeto deste ano voltado para a Linguagem de Programas. Para isso, os alunos produziram dois robs, que sero um dos des-taques na VII Feira de Res-ponsabilidade Social Empre-sarial da Bacia de Campos. A programao, que contar com frum especfico, vai acontecer nos dias 6, 7 e 8 de maio, no Clube Cidade do Sol (sede da praia), das 14h s 21h. Pgina 15

    Moiss Bruno

  • |2| Cidades 8 a 14 de maio de 2014

    Novas regras de portabilidade de crdito entram em vigorLevar uma dvida de um banco a outro para conse-guir juros mais baixos vai ficar mais fcil. Desde segunda (5), a chamada portabilidade de crdito ganhou novas regras e ficou menos burocrtica. Com isso, a expectativa de que mais consumidores tentem diminuir o custo de suas dvidas. J os bancos devem acirrar a disputa para manter seus clientes.

    A portabilidade vale para todas as operaes de crdito imobilirio, financiamento de veculos, Crdito Direto ao Consumidor (CDC), crdito pessoal e as li-nhas de crdito consignado (INSS, pblico e privado).

    Para migrar uma dvida, o consumidor deve primeiro solicitar as informaes do atual crdito ao banco em que o financiamento foi feito. A instituio tem um dia til para fornecer os dados, como nmero do contrato, o saldo de-vedor atualizado, a modalidade e a taxa de juros.

    O consumidor deve levar essas informaes ao banco escolhido. O banco original da dvida ter cin-co dias teis para apresentar uma contraproposta. Se nada for feito nesse perodo, a dvida migra automa-ticamente para a nova instituio. O segundo banco, ento, liquida antecipadamente a dvida junto insti-tuio financeira original e a toma para si, oferecendo uma taxa de juros menor.

    Toda a operao ser feita por meio de um siste-ma eletrnico, o que traz agilidade e deve estimular mais consumidores a trocar de dvida.

    Outra mudana do novo regulamento que s taxas de juros e de administrao do banco podem ser alteradas, baixando o valor da mensalidade paga pelo consumidor. O prazo e o valor do financiamento no podem ser alterados.

    A nova regulamentao tambm probe as institui-es de repassar ao consumidor os custos diretos da operao. Alm disso, os bancos agora so obriga-dos a apresentar informaes claras em suas agn-cias sobre a portabilidade e ter funcionrios capacita-dos para tirar as dvidas dos consumidores.

    A associao de consumidores Proteste tem uma avaliao positiva sobre as mudanas. Todas as por-tabilidades so importantes, pois ampliam as opes do consumidor, promovem a concorrncia e contri-buem para que ele tenha acesso a melhores servios. Entretanto, a Proteste defende ateno especial s instituies financeiras que ainda no executam ple-namente a portabilidade, diz a associao em uma cartilha com o passo a passo da portabilidade, que est disponvel no site (www.proteste.org.br/cartilhas). O documento foi escrito em conjunto com o Canal do Crdito, site especializado na comparao de produtos financeiros, e traz informaes sobre a troca de dvida, com enfoque nos financiamentos imobilirios.

    Para facilitar a comparao de taxas, a Proteste lanou uma calculadora que vai ajudar o consumidor a fazer essa conta, disponvel em: http://www.protes-te.org.br/portabilidadedocredito.

    O principal cuidado que o consumidor deve tomar, alerta a supervisora da rea de assuntos financeiros do Procon-SP, Renata Reis, no fazer a portabili-dade por impulso. Se no sabe o custo efetivo total (CET) de seu financiamento, o consumidor deve so-licit-lo instituio financeira e fazer uma pesquisa no mercado para ver se a portabilidade vale a pena.

    O Conselho Monetrio Nacional (CMN) tambm definiu novas regras para o clculo do saldo deve-dor. Para as operaes contratadas a partir de hoje, o clculo deve ser feito exclusivamente com base na taxa de juros firmada no momento da contra-

    tao do crdito. Anteriormente, o clculo considerava as taxas Selic da data de con-tratao e de liquidao da operao.

    Crdito imobilirioPara o caso de financiamento concedido

    com recursos do FGTS, o banco que fica com o crdito imobilirio assume tambm a dvida perante o Fundo. As regras e critrios para essa operao foram definidos no ltimo dia 22 pela Caixa Econmica Federal, o agente operador do FGTS. O banco informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que est analisando a resoluo do CMN para aplic-la integralmente.

    Imveis financiados pelo programa Mi-nha Casa, Minha Vida, que utilizam o FGTS, tambm podem ter sua dvida transferida de banco desde que j tenham sido constru-dos. Na prtica, contudo, as taxas desses financiamentos j so menores que a mdia

    do mercado e diminuir o custo da operao pode ser mais difcil. Os contratos de finan-ciamento em fase de construo continuam de fora das operaes de portabilidade.

    A troca da dvida com imvel pode, no entanto, no valer a pena para o consumi-dor. Se as taxas de juros no forem muito inferiores, taxas extras podem encarecer a operao, alerta Weberth Costa, advogado da associao de consumidores Proteste. O consumidor ainda ter outros custos, como registro em cartrio dessa nova operao, explica. Outras taxas, como o custo de visto-ria do imvel pelo banco que est tomando a dvida, tambm no foram regulamentadas.

    O financiamento habitacional requer ateno especial a todos os detalhes e ta-xas. Em geral, uma dvida de longo prazo e, uma vez feito um mau negcio, ser car-regada por muitos anos.

    EXPEDIENTE:

    EditorialAplicativo

    Rede Novo

    Avanamos mais um degrau na nossa tra-jetria como comuni-cadores. Esta sema-na lanamos o aplicativo Rede Novo, desenvolvido para smar-tphones e tablets, totalmente gratuito. mais uma ferramenta para o leitor manter-se informa-do e atualizado. O app tem fcil e rpido download e em breve estar disponvel no App Store.

    A iniciativa o desdobra-mento de uma demanda que identificamos no nosso pblico, no apenas pelo perfil do mes-mo, que a cada vez mais busca fontes diversas de informao, mas tambm pelo avano da tecnologia. E desejamos estar inseridos nesses cenrios.

    Dessa forma, convidamos voc, leitor, a experimentar essa novidade! Baixe o aplicativo em seu celular e receba tambm no celular nossas notcias. Acesse: http://app.vc/rede_novo_comunicacao?feature=email_details

    Falando dessa edio, os te-mas de sade e educao tiveram especial espao, sobretudo nas cidades de Rio das Ostras, Casi-miro e Maca. Acompanhe as ma-trias nas pginas 4 e de 8 a 15.

    Casimiro de Abreu anunciou investimentos em melhorias de creches e com isso ir beneficiar 750 crianas. As principais reas beneficiadas foram pedaggica, alimentar e de infraestrutura e visam melhorias tambm aos profissionais das unidades.

    Rio das Ostras teve muito o que comemorar nos ltimos dias. O municpio foi destaque em reportagem da Revista Exa-me na ltima semana e ganhou o 2 lugar nacional em Desen-volvimento Econmico e 16 no quesito de melhor cidade a se investir. Veja matria completa na pgina 10.

    Sobre Maca, demos des-taque notcia sobre a apre-sentao das primeiras fases do projeto de ampliao do seu Centro Oncolgico. A inteno do governo municipal transfor-mar Maca em um centro de re-ferncia no tratamento de cn-cer no estado, com capacidade para atender especialmente aos pacientes do Norte Fluminense.

    Aproveite a leitura. A Direo

  • |4| Sade 8 a 14 de maio de 2014

    Vida saudvel pode evitar 37 milhes de mortes prematuras

    Estudo aponta suco de melancia como aliado no combate hipertenso

    Cerca de 37 mi-lhes de mortes prematuras pode-riam ser evitadas at 2025 a nvel mundial se a populao adotasse um modo de vida mais saud-vel, sem cigarros, lcool ou alimentao salgada, con-clui um estudo divulgado no incio de maio.

    Os cientistas do Im-perial College de Londres calculam que a eliminao ou a reduo de seis fato-res de risco para a sade poder evitar ou retardar a morte prematura de 37 milhes de pessoas, de acordo com o estudo pu-blicado na revista mdica britnica The Lancet.

    Os objetivos de vida mais saudvel consistem em reduzir em um tero a metade o consumo do tabaco, limitar