jornal litoral alentejano 2011 mar§o

Download Jornal Litoral Alentejano 2011 Mar§o

Post on 30-Jun-2015

461 views

Category:

Documents

38 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Apoia o desporto e a cultura na Regio1 de Maro 2011Ano X n. 229Preo 0.50

Quinzenal

Hoje j posso dizer: temos uma Marca

Directora n Aliette Martins

m

Director-adjunto n Marcos Leonardo

Carlos Beato, depois de um ano da instalao do Plo Regional de Turismo do Alentejo Litoral, passa em revista O Projecto, a Estratgia e um Percurso daquela Entidade

1 de MaAno II

PAC, o fim de um Modelo HistricoNo 2. Encontro da Orizicultura Portuguesa foi acentuado que Portugal produz metade do que consome, especialmente nas reas do arroz, um produto ncora que faz parte do cabaz psicolgico.

que mu os daram a

10877 39 9

an

Regioa Core s

Revista

Format o: A4 (2 Edio 10x297 :1 ) Reserve de Setembr o j o se u espa o 919

Ao em pa ao 1 M tar a zero em casa fre aio Saril nte Gama de Sines hense, o Vasco lugar perdeu da do o de Setb Campeonato primeiro al da 1 Distrita Montijo l que ve diviso, para nc de Portu o gal por eu o Desport ivo O Gran 1-0. do e empa lense recebeu tou a do o de Santi is golos Almada ag . O Un io Industri o recebeu o Comrci a e empa oe Aps tou a ze a rea lizao ro. jornada , 39 ponto o Montijo da 17 lder co est o s. Na segun m da Va O Gran sco da Gama posio dolense com 37 com o divide o 3 lug . Alfarim pontos. , ar 5 1 M ambos tem 6 Barreire aio Sarilhens 30 e,29; nse,28; Industri a,27; 8 9 Zambuja 7 C. Pa Trafaria lmelense,24; lense,26; ,22 10 12 Am ; 11 BM Al ora,15; ma Desport 13 Al da,21; ivo de mada Maritim Po e Unio o Rosar rtugal,14; de Santi 15 dia ense,10 ago, 8 13 de e 16 pontos. de Santi Maro, vo No jog ago Al Al mada; Gr ar: Unio De farim e Va sco andolen sportivo se de Portu da Gama gal.

Vasco trital de Setbal da 1 Divis perdeuda Gama emo o prim p O eiro lu atou e recdeebmira gar de B e passeioDia 13 de Mar oPelo sex to BTT Od ano consecuti em vo o Cl de Mar ira vai realiz ub ar no dia e o, A Cami o Passeio denomi 13 nho da nado Aps as cin Primavera. co org sucesso aniza dos an es de Clube os tra BTT pretende nsactos, o a pro po continu particip rcionar a ar an todos e de bo tes um dia de div os a erso possibil disposio, ao terem ida mais be de de de a sfrutar los Odemira trilhos do dos co . percurso Este ano ex ncelho de istiro s, dois com 50 um com 25 Kms e outro freguesi Kms que pe rco as e de S.L de Salvador, rrero as Santa M uis, on ari tero ac de esso a cir os participan a beleza tes cular em na por entre tural rara e qu zonas de ase intac Este an montes, vales ta, o e as inscri a organiza ribeiras. de forma es a 500 pa o limitou rti todos os a poder pro cipantes, porcion ar condi participantes as melho a es e po r intuito de preser outro lado co res mo vao do s trilho s.

Futebo

5 e 6 de Vasco Maro da Ga Juventu ma de de Meli Sines o apura dense e co me da Taa nto para as nseguiram me vo ag do Distrito de ias-nais ora defro Setbal, Maro, ntar-se e em no dia 6 de Nos jog Melides. os dos Vasco quartos da o Quint Gama de Sin de nal, o ajense es receb venceu da 2 eu po Idy, um r 4-0, com do diviso, e de Mik is golos Joo Di de e outro reito, de Di treinado da Ga ma r do Va co. sua equip destacou a atitud sco e Quintaje a nesta parti da frente da ns Em Meli e. ao de recebeu s, o Juventu de o por 1-0 Zambujalen Melidense se e ve , golo nceu na seg apontad un o A Pis onde de da parte. Um por Zeca cin po Carlos a Municipa equilibr is de uma pri a partida l Manafa ada, na me e 6 de ia receb de Sines equipa M segunda ira parte e, entre de Meli da selec aro de 2011 justico des foi metade a , um est 5 o nacio u superio g hquei O Gran a vitria. r e subaqu nal masculin io dolense tico. a de O estg Caparic jogou no io em a e pe Monte prepara rdeu po partida da fre o para Sines serve r onde a Mundo o de esteve equipa 2-0. Uma ou nte a uma equip da moda Campeonato grandole longe tra parti a da 2 em Po do lidade, acaban div nse do seu da, o Pa rtu do por io Pires iso. Na Meli Agosto gal entre 16 a disputar melhor, Barreirense ser elimi recebeu de e venc de 2011 e 27 me nada da o Pires s Vasco da Esta . de taa 14 ias-nais, dia eu por 1-0. Monte Ga a Nas 6 horas e da Capa ma e Paio Munici segunda vez que a Pis 30 minu de Maro, as da Gama rica. O pal de Sin a Va tos, v cin es Carlo o jogar: diviso, as res nica equipa sco recebe os s Manafa a melho da tan a 2 div naciona iso dis tes trs dispu 1 is de h res pratican ia trital. tam depois tes quei su de ba de um , em 2009, ter qutico, a etapa sido pa naciona lco l da mo do campeo nato dalidad e.

Melide do Distrito de Setbal Gama s recebe o V nas me as ias-na co da is

Futebo

l - Taa

Dire Aliette ctora Martin s Direct or Marco -adjunto s Leon ardo Ed Joaqui itor m Bern ardo

n. 29

ro/11

Sines r ec Selec ebe o de hq ue subaqu i tico

Dias

l - Dis

TT

Litoral Alentejano Tera-feira, 1 de Maro de 2011

PAC, o fim de um Modelo HistricoPropriedadeLitoralPress, Lda

02

www.jornallitoralalentejano.com

DirectoraAliette Martins

Director AdjuntoMarcos Leonardo

No 2. Encontro da Orizicultura Portuguesa foi acentuado que Portugal produz metade do que consome, especialmente nas reas do arroz, um produto ncora que faz parte do cabaz psicolgico.Aliette Martins litoralalentejano@sapo.ptCom a presena do Ministro da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas, bem como do Director Regional de Agricultura do Alentejo e do Presidente da Cmara Municipal de Alccer do Sal, o 2. Encontro da Orizicultura Portuguesa pautou-se por merecer o destaque de sensibilizar uma assistncia que enchia por completo o Auditrio Municipal de Alccer do Sal, com a particularidade de ter assistido a uma saudao amistosa a Antnio Serrano, que em tudo difere das crticas que eram feitas ao anterior Ministro da Agricultura. Foi exactamente com um elogio significativo que Joo Machado, da CAP sublinhou o consulado do Professor Antnio Serrano quando afirmou que, presentemente, o Ministrio da Agricultura, com este Ministro tem feito um esforo tremendo, gastando bem o dinheiro que recebemos para lembrar que o trabalho para 2014/2020 comea hoje, referia-se PAC, que determina, na sua Reforma, que preciso produzir mais. de recuperao.

RedacoAliette Martins Raul Oliveira Cladio Catarino Angela Nobre Rute Canhoto Joaquim Bernardo Helga Nobre

Discurso fluente, cativante e motivadorAs palavras do Ministro foram fluentes, cativantes e motivadoras. No seu discurso, de um modo geral, enumerou as principais razes para pensar o desen-

CronistasFrancisco do Custdio Rodrigues Serafim Marques Verssimo Dias

o fim de um modelo histrico, foi a tnica dominante sublinhada na tarde do dia 16 no Encontro da Orizicultura, na interveno da responsabilidade de Bruno Dimas, do GPP Gabinete de Planeamento e Polticas. Nesse sentido, Bruno Dias lembrou assistncia que, em Novembro de 2010, foram apresentadas na Comisso Europeia, as linhas gerais da que ser a Reforma PAC, ocupando-se de detalhar toda uma srie de pressupostos relacionados com a discusso dessa que, no momento est tudo em aberto, afirmando, por isso, que no vale a pena estarmos a tentar adivinhar o que vai ser, embora fossem ali esplana-

CAP a afirmar que Queremos e precisamos produzir e, produzir mais.

arroz.

A Indstria do Arroz em PortugalA industrializao da fileira do arroz abordada pormenorizadamente por Pedro Monteiro, Secretrio-Geral da ANIA, no tema proposto: A Indstria do Arroz em Portugal, que atravs de vrios painis, - fez referncia aos nmeros e percentagens escala nacional e mundial, enumerando, inclusivamente, o montante, em quilos, da venda de arroz nos supermercados nacionais, bem

Professor Morgado: O que deveramos estar a fazer produzir bom arrozComeando por esclarecer que iria falar apenas em seu nome, o Professor Morgado colocou em foco alguns dos problemas que se tm registado no na fileira sector do arroz, dizendo que: Nos ltimos tempos temos vindo a assistir a uma convulso entre a Agricultura e a Distribuio. Por outro lado, temos tido uma presso muito grande do sector financeiro. A fileira do arroz teve que voltar estaca zero.

ColaboraoFranois Baradez Joo Massano Fernanda Calado

SecretariaAna Cristina

FotografiaPaulo Chaves Ana Correia Lus Guerreiro Jos Miguel Duarte Gonalves

PublicidadeMarcos Leonardo Telem. 919 877 399

PaginaoARTZERU, Lda. Telef. 265 232 387geral@artzeru.com

DistribuioMRW(loja de Sines) 269 862 292

Palavras do Ministro da Agricultura no encerramento do EncontroNas suas palavras de encerramento do Encontro, o Professor Antnio Serrano comeou por afirmar que aquele era um bom final, porque num sector com a importncia daquele, o que estava em causa, seria, tambm a importncia de trabalhar em conjunto, dizendo que era preciso termos conscincia de que no possvel trabalhar, a no ser de uma forma conjunta com a Produo, Indstria e a Distribuio, lembrando que a fileira do arroz tem que estar organizada. No todo, sublinhou que o trabalho a realizar ter que ser com os recursos que temos e, forma partilhada. Tambm o PRODER foi mencionado para referir que tem sido feito neste ltimo ano um trabalho

SedeColgio de S. Jos Rua do Parque, 10 7540-172 Santiago do Cacm Tel./Fax: 269 827 581 Telem. 919 877 399litoralalentejano@sapo.pt

volvimento do sector da fileira do arroz, chamando tambm a ateno para que se faa Investigao para alcanar a Qualidade, salientando que os nossos produtos agrcolas devem ter qualidade, deixando ainda a certeza de que, trabalho no nos falta.

DelegaoRua do Romeu, 19-2. 2900-595 Setbal Telf./Fax: 265 534 685 Telem. 919 931 550litoralalentejano@portugalmail.pt

A arquitectura geral do Encontro A Reforma da PACO denominador comum do Encontro, foi a Reforma da PAC, ou seja, A PAC que vigorar at 2012 vai ac