jornal lampião - 12ª edição

Download Jornal Lampião - 12ª Edição

Post on 25-Mar-2016

271 views

Category:

Documents

38 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

O Jornal Lampio uma publicao laboratorial do curso de Jornalismo da Universidade Federal de Ouro Preto. Produzido pelas turmas 2011.1 e 2011.2, 12 Edio Dezembro de 2013.

TRANSCRIPT

  • 2Edio: Nome dos EditoresEdio: Nome dos EditoresAbril de 2012

    Jornal Laboratrio I Comunicao Social - Jornalismo I UFOP I Ano 3 - Edio N 12 - Dezembro de 2013

    lampiao@icsa.ufop.br

    Tradio que flui entre as margensdo Ribeiro

    Abra o guarda-chuva, vem gua por a...

    Quanto vale a alimentao bsica em Mariana?

    Natal motiva aes solidrias na cidade

    Eu te anuncio nos sinos das catedrais

    03 05 11 16

    Caderno especial

  • 2 Arte: Pedro Carvalho Dezembro de 2013EditoriAl

    Possibilidades e descobertastirinhA

    FAlE ConosCo

    LAMPIO conhecer e reco-nhecer por experincia, tentativa, a busca por um novo jeito de se fa-zer um jornal impresso no mundo padronizado do papel. fato que o jornalismo vive uma constante mu-tao e por isso nos propomos a fa-zer do LAMPIO parte de um processo de mudana, j que esta-mos em um lugar de aprendizado, mas sem perder a sua qualidade. tempo de possibilidades e descober-tas, de ousar e de mexer em time que est ganhando por no temer a sensao de experimentar algo novo.

    A 12 edio do LAMPIO chega s ruas com diversas novida-des. Comeando pela equipe, o jor-nal ganhou ajuda extra nesta edio com a chegada da professora Denise Figueiredo, que reforou a orienta-o dos reprteres. Alm disso, des-sa vez contamos com uma equipe de produo composta por trs turmas, de 25 alunos cada, o que fez com que o nosso jornal ganhasse quatro pginas e aumentasse o espao de discusso de temas que interessam aos nossos leitores.

    Com dois anos de existn-cia, 12 edies, e inovando a cada semestre, o jornal LAM-PIO encerra 2013 receben-do mais um reconhecimen-to da comunidade. Dessa vez, dos coleguinhas jornalis-tas, que elegeram a reporta-gem Mulheres no Crcere, da aluna-reprter Jssica Ro-mero, publicada na 9 edio do LAMPIO, como uma das trs melhores na categoria Impresso (Estudantes) no 7 Prmio Dlio Rocha de Jor-nalismo de Interesse Pbli-co. nica universidade federal contemplada nessa categoria, a reportagem conquistou o 2 lugar. O prmio concedido pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais.

    Em setembro deste ano, o jornal foi contemplado na ca-tegoria Comunicao, do Tro-

    fu Comunidade 2013, rea-lizado pela TV Top Cultura, de Ouro Preto, por meio da Fundao Cultural de Minas Gerais. A premiao desta-ca personalidades e institui-es de Ouro Preto e Maria-na, que buscam trabalhar pelo desenvolvimento e bem-estar da populao. A seleo fei-ta pelo Conselho Consultivo da Top Cultura. So contem-pladas as categorias: Educa-o, Sade, Ao Social, Tra-balho Comunitrio, Cultura, Patrimnio Histrico, Turis-mo, Meio Ambiente, Comuni-cao, Esporte e Lazer.

    Em maio, durante o Con-gresso Intercom Sudeste, rea-lizado em Bauru (SP), o jor-nal conquistou, pelo segundo ano consecutivo, o Prmio Expocom na categoria Jor-nalismo Impresso, como me-

    lampiao@icsa.ufop.br

    facebook.com/jornallampiao

    jornalismo.ufop.br/lampiao

    Jornal Laboratrio produzido pelos alunos do curso de Jornalismo Instituto de Cincias Sociais Aplicadas (ICSA)/ Universidade Federal de Ouro Preto Reitor: Prof. Dr. Marcone Jamilson Freitas Souza Diretor do ICSA: Prof. Dr. Jos Artur dos Santos Ferreira. Chefe de departamento: Profa. Dra. Ednia Oliveira. Presidente do Colegiado de Jornalismo: Prof. Dr. Ricardo Augusto Orlando Professores responsveis: Adriana Bravin (Repor-tagem), Denise do Prado (Reportagem), Ana Carolina Lima Santos (Fotografia) e Priscila Borges (Planejamento Visual) Editoras chefes: Janine Reis e Maysa Alves - Sec. de redao: Mylena Pereira - Editora de Arte: Rosi Silveira - Editor de fotografia: Pablo Bausujo - Editor Multimdia: Marcos

    Resende - Reportagem: Bianca Cobra, Carolina Brito, Caroline Gomes, Dallia Caetano, Daniela Jlio, Daniella Andrade, Dayane Barreto, llen Nogueira, Ester Louback, Fernanda Belo, Fernanda de Paula, Fernanda Marques, Geovani Fernandes, Gisela Cardoso, Hiago Maia, Isadora Lira, Isadora Ribeiro, Joo Gabriel Nani, Jlia Mara Cunha, Knia Marclia, Rafael Melo, Roberta Nunes, Teka Lindoso, Thas Corra, Viviane Ferreira - Fotografia: Brbara Monteiro, Gabriel Koritzky, Filipe Monteiro, Giuseppe Rondoni, Jssica Moutinho, Kaio Barreto, Marllon Bento, Osmar Lopes, Paula Bamberg, Rodrigo Pucci, Rosana Freitas, Tamara Pinho, Thiago Anselmo, Thiago Huszar - Diagramao: Aldo Damasceno, Ana Elisa Siqueira, Bruna Fontes, Bruna Lapa, Danielle Diehl, Isabella Madureira, Israel Marinho, Laura Vasconcelos, Lucas Machado, Maria Fernanda Pulici, Mayra Santos Costa, Nathlia Souza, Pedro Carvalho, Tlio dos Anjos - Multmdia: Brbara Monteiro, Hiago Maia, Filipe Monteiro, Gabriel Koritzky, Jlia Mara Cunha, Maria Fernanda Pulici, Mayra Santos, Marllon Bento, Pedro Carvalho, Rodrigo Pucci - Reviso: Cristiano Gomes, Hlen Cristina, Cristiane Guerra, Jssica Michelin - Monitora: Isabela Azi - Colaborador: Neto Medeiros - Tiragem: 3.000 exemplares. Endereo: Rua do Catete, n 166, Centro. Mariana - MG. CEP 35420-000

    Com essa nova possibilidade, surge o caderno especial, que aborda algo que muito peculiar na Regio dos Inconfidentes, o patrimnio his-trico arquitetnico. Pensando em promover reflexes e crticas sobre o tema, nossos reprteres e fotgrafos foram s ruas para retratar esta re-alidade, trabalhando basicamente a partir de trs ngulos: tradio, ma-nuteno e dilemas.

    O tema que abre o caderno des-taca os 300 anos da Catedral da S e sua importncia na vida dos marianenses. Em seguida, aborda-mos as indefinies sobre as obras do PAC destinadas aos monumen-tos de Mariana e Ouro Preto. E encerramos o caderno evidenciando os dilemas que permeiam os patri-mnios histricos: impasses, desca-racterizaes e custos.

    Nessa edio tambm busca-mos registrar problemas que afe-tam diretamente o patrimnio do LAMPIO: nossos leitores. A chuva um tema recorrente em todo fim de ano e agora mostrada atra-vs de um levantamento das obras

    Entre olhares

    EntrE olhArEs

    que foram feitas com a criao de um plano de contingncia, servindo como prvia do que podemos esperar para o vero na cidade. A Arena Mariana tambm destaque den-tre os transtornos que a populao enfrenta. A dificuldade para utili-zar o espao, as obras inacabadas (sem previso de trmino) e o pro-blema com a nova lei dos assentos fazem com que esse tema reapare-a no jornal.

    Outra novidade dessa edio o espao destinado aos distritos, na pgina 15. Com o problema de lo-comoo que nos impede de retratar essas regies no jornal da mesma forma que falamos sobre Mariana e Ouro Preto, a ideia dessa colu-na contar histrias dos persona-gens reais que vivem afastados dos centros das cidades e a primeira histria a ser contada aqui sobre a tradio dos balaios presente em Lavras Novas.

    Para fechar a edio, um ensaio de encher os olhos, sobre quem sem-pre vemos e nunca observamos.

    Viva as mudanas!

    LAMPIO premiado trs vezes

    lAmPEjos

    lhor jornal-laboratrio da Regio Sudeste. Nessa pre-miao, concorrem trabalhos experimentais realizados por estudantes de Jornalismo. O prmio concedido pela So-ciedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comuni-cao (Intercom).

    O LAMPIO um pro-duto laboratorial do curso de Jornalismo da Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop), realizado pelos estudantes do 5 e 6 perodos na disci-plina Laboratrio Impresso I Jornal, sob orientao de professoras de redao e re-portagem, fotografia e plane-jamento visual.

    Eu acho que o ce-nrio musical daqui muito rico, princi-palmente se compa-rado a outras cidades do mesmo porte no interior de Minas.

    Vitor Olivei-ra, baterista da Groove de Vinil.Pg. 15

    Eu aprendi muito mais na re-gular, mas na questo de cuidado a Apae melhor, no porque eles (a escola regular) no querem, mas como vo dar ateno pra todo mundo?. Deisilaine Costa, estu-dante da Apae. Pg. 6

    Os exerccios so bem prazerosos. Cada uma de ns ti-nha algum problema como dor ou depres-so. Hoje as dores melhoraram, outras colegas dizem que no fazem mais uso de remdios e que at ajudou na cura da depresso. Ma-ristela Avelino, dona de casa. Pg. 12

    Os produtos do distrito me trazem a gostosa lembran-a da minha infncia. Apesar de atualmen-te morar na cidade, os doces artesanais trazem um peda-o do campo para o meu cotidiano. Pas-tor Cilas de Oliveira.Pg. 13

    Gabriel KoritzKy

    Quando eu for, um dia desses, Poeira ou folha levada No vento da madrugada, Serei um pouco do nada invisvel, delicioso Que faz com que o teu ar Parea mais um olhar, Suave mistrio amoroso, Cidade de meu andar (Deste j to longo andar!) e talvez de meu repouso

    Mrio Quintana

    O Mapa

    Rezando, suspirando, gemendo e chorando. Depois de cinco anos o crime prescreveu. Mas no na arte. A gente ainda tem esperana. Todo o ano eu toco o sino, mesmo sendo proibido. a melhor forma de lem-brana. Padre Simes. Pg 9

    VeJa oUtraS iNForMaeS Na VerSo oNliNe: http://migre.me/glPol

    Precisamos passar por uma reestruturao viria, que inclui no s a questo do trnsito, mas tambm, questes sociais e econmicas. Alexsandro Nunes de Oliveira, comandante da Guarda Municipal de Ouro Preto. Pg. 4

  • 3Arte: Tlio dos AnjosDezembro de 2013

    Gisela CardosoInundaes, enchentes e

    deslizamentos de terras so episdios que se repetem du-rante o perodo de chuva, em Mariana. Em dezembro de 2011, a cidade foi includa na lista dos 21 municpios minei-ros que decretaram estado de emergncia devido aos fortes temporais. J no fim do ano passado, entre 15 e 19 de de-zembro, foram registrados 13 deslizamentos no municpio. Cerca de 200 pessoas ficaram desalojadas e 88 desabrigadas, segundo o Corpo de Bombei-ros e a Defesa Civil.

    A domstica Maria Apare-cida Souza, moradora do Bair-ro Vale Verde, foi uma das pessoas que deixou sua casa por conta das chuvas. Co-mearam a surgir rachadu-ras na minha casa, e nos dis-seram que a gente tinha que sair, pois o barranco pode