jornal informe - edi§£o 2255

Click here to load reader

Download Jornal Informe - Edi§£o 2255

Post on 28-Mar-2016

221 views

Category:

Documents

3 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Jornal Diário de Caçador (SC)

TRANSCRIPT

  • caador

    24 15Tempo Hoje

    rede de jornais

    Informesegunda-feira, 19 de novembro de 2012 . Ano 10 . no 2255 | e-mail: opiniao@jornalinforme.com.br

    santos vence o rebaixado figueirense

    fluminense celebra ttulo antecipado

    Heptacampeo Mundial de futsal

    Pg e01

    Pg e02 Pg e03

    Pg a12

    Pg a02

    srie a srie a

    Pato Rodriguez comea o jogo mal e se redime: faz um gol e d assistncia para Felipe Anderson fechar o placar. Catarinenses so cas-tigados, aps bom primeiro tempo

    Chute para fora, erro de passe e at pnalti cometi-do. Nada disso incomodou a torcida do Fluminense no jogo de domingo contra o Cruzeiro. Justificvel.

    Me e crianas so salvas por vizinhos

    incndio

    cLeriTon freire

    Vizinhos retiraram a famlia antes que o fogo atingisse o poro

    Uma mulher de 25 anos de idade, um beb recm-nascido e uma criana de quatro anos fo-ram salvos por vizinhos em um incndio ocorrido numa casa

    de madeira no bairro Berger, no incio da manh do ltimo sba-do (17). A residncia ficou com-pletamente destruda. A manh estava iniciando e a me Carla

    Geraldo da Silva, a qual reside no poro, estava dormindo com seus filhos quando a parte de cima pe-gou fogo, por motivos ainda des-conhecidos.

    sebrae promover empretecWorkshop uma das aes do Plo Setor Industrial do Programa nova economia

    eM caador

    diVuLgao/inforMe

    O ttulo era mesmo brasileiro, situao confirmada com a defesa de Tiago no ltimo segundo

  • DIREO GERAL: Adriano RibeiroEMAIL: opiniao@jornalinforme.com.brTELEFONE:8843-4213GERALFrancine SantosTELEFONE: 9969-0915 ou 8806-6730EMAIL:fran.informe@gmail.comESPORTELauro TentardiniEMAIL: redacao@jornalinfome.com.brTELEFONE:051-82495255POLITICAAdriano RibeiroEMAIL: opiniao@jornalinforme.com.brTELEFONE:8843-4213POLCIACleriton FreireEMAIL: cleriton.freire@hotmail.com

    TELEFONE:8858-9519JORNALISTA RESPONSVEL:Adriano Ribeiro 0002902SCCOMERCIAL: EMAIL: adm@jornalinforme.com.brEMAIL: comercial@jornalinforme.com.brPROJETO GRFICO:DDA DESIGN - www.dodadiagramador.com.brDIAGRAMAO:Dda DesignEMAIL: criacao@jornalinforme.com.brEMAIL: diagramacao@jornalinforme.com.br

    ASSINATURASAnual ................................................................R$ 180,00

    Semestral ..............R$ 95,00 vista ou 2 x de R$ 55,00

    Mensal na conta de luz .....................................R$ 13,90

    Venda Avulsa .......................................................R$ 1,50

    FALE COM O INFORMEFones: 3567-5699

    PLANTO 24 HORAS(49) 8843-4213

    PBLICAO:Referncia Editora Jornalistica Ltda

    CNPJ: 04.736.389/0001-99Inscrio Estadual: Isento

    ENDEREO: Rua Osorio Timmerman, 56Caador-SC CEP: 89500000

    CONTEUDO TUDOREPRESENTANTE

    COMERCIAL:CENTRAL DE

    COMUNICAO FILI

    AD

    O

    Fechamentoda Edio

    21h40

    Nesta semana, de 19 24, ser realizado na Acic em Caador o Empretec um dos programas de formao de empreende-dores mais valorizados no mundo. A capacitao ser promovida pelo Sebrae/SC, das 8 s 18 horas e ser mi-nistrada pelos educadores Joacir Gonalves, Neusa Ba-lestrin e Ricardo Titericz.

    O Empretec destina-se empresrios de micro, pe-quenas e mdias empresas e a futuros empreendedores que tenham ideias defi nidas

    do que pretendem para os negcios. Por meio da ini-ciativa, possvel estimular o desenvolvimento da ca-pacidade de calcular riscos, incentivar a busca de infor-maes para a tomada de de-cises e oferecer estratgias para o aumento da lucrativi-dade da empresa, capacida-de de resoluo de proble-mas, entre outros.

    Segundo Sueli Bernar-di coordenadora regional do Sebrae Meio Oeste, o Empretec visa benefi ciar as empresas que aderiram ao

    Projeto Polos Industriais, dando-lhes a oportunidade de desenvolver ou aprimo-rar suas caractersticas em-preendedoras, melhorando desta forma, a gesto de seus negcios, um projeto que fortalece a parceria Sebrae e SDS/Governo do Estado.

    Programa nova Economia O Programa Nova Eco-

    nomia@SC resultado de parceria entre a Secretaria de Desenvolvimento Susten-tvel e o Sebrae. O objetivo

    aumentar a inovao e dar competitividade economia e aos setores industriais ca-tarinenses. Cinco propostas do alicerce ao programa. O projeto Plo Setorial Indus-trial visa fortalecer as m-dias e pequenas empresas. O Sebrae levar a aproxima-damente 2,4 mil empreendi-mentos espalhados pelo Es-tado tcnicas para aumentar a competitividade e orienta-es para facilitar o acesso a novos mercados.

    O Programa Juro Zero, por sua vez, d ao empres-

    rio a possibilidade de fazer emprstimos sem pagar ju-ros. J o projeto de Plos de Economia Verde focar na criao de novos negcios focados no uso de resduos slidos industriais para pro-duo sustentvel e reduo do impacto ambiental das indstrias. Por fi m, os proje-tos de Desenvolvimento Ter-ritorial e Ilumina sero res-ponsveis pela elevao da qualidade de vida nas regies com menor ndice de Desen-volvimento Humano (IDH). O Desenvolvimento Territo-

    rial identifi car onde e quais as melhores oportunidades para o nascimento de micro e pequenos empreendimentos sustentveis, a fi m de promo-ver o desenvolvimento socio-econmico. Esto previstas aes em oito territrios. E o Ilumina levar internet ban-da larga de qualidade para comunidades carentes.

    Na regio do Sebrae Meio Oeste o Polo Industrial abrange os setores da inds-tria de mveis, madeireiras, alimentos e bebidas, confec-o e metal mecnico.

    a02 segunda-feira, 19 de novembro de 2012 geral

    sebrae promover empretecWorkshop uma das aes do Plo Setor Industrial do Programa nova economia

    eM caador

    diVuLgao/inforMe

    empretec acontecer durante toda a semana no auditrio da acic

  • Uma marca poderosa como a Eletrobras um ativo imenso para o pas

    Engenheiro eletricista e mestre em Engenharia Eltrica pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Jos da Costa Carvalho Neto foi secretrio adjunto de Minas e Energia de Minas Gerais, em 1987, e presidiu a Companhia Energtica de Minas Gerais (Cemig) entre julho de 1998 e janeiro de 1999. Tambm na Cemig, onde entrou como estagirio em 1966, foi diretor de Distribuio, de 1991 a 1997, e exerceu os cargos de superintendente, gerente de Departamento e de Diviso. Foi professor na cadeira de Centrais Eltricas na Pontifcia Universidade Catlica (PUC-MG), de 1970 a 1977. Na iniciativa privada, ocupou os cargos de diretor-presidente da Arcadis Logos Energia, de membro do Conselho de Administrao da Logos Engenharia e Enerconsult e diretor da Orteng Equipamentos e Sistemas. Desde fevereiro de 2011 presidente da Centrais Eltricas Brasileiras S.A., a Eletrobras. Carvalho Neto falou com exclusividade reportagem da rede Central de Dirios do Interior e Associao dos Dirios do Interior do Brasil (ADI-BR): Vejo um cenrio com grandes oportunidades para o crescimento da nossa empresa.

    Jorge Coelho/Eletrobras

    ENTREVISTA ESPECIALJOS DA COSTA CARVALHO NETO

    Esta entrevista exclusiva foi disponibilizada para publicao em 120 jornais que formam a rede Associao dos Dirios do Interior (ADI Brasil) e Central de Dirios do Interior (CDI), somando 4 milhes de exemplares/dia e com potencial para atingir 20 milhes de leitores. A fora do interior na integrao editorial.

    Por Camila Latrova | Edio: Andra Leonora

    O oramento da companhia previa investimentos de R$ 13 bilhes em 2012, mas o montante realizado deve alcanar R$ 12 bilhes. Qual foi o motivo da reduo?Carvalho Neto - No hou-ve reduo. Vamos conseguir cumprir cerca de 90% do que foi orado no incio de 2012, um recorde histrico. O de-sempenho poderia ter sido ainda melhor se tivssemos conseguido superar alguns obstculos, como a liberao de licenas ambientais.

    Qual a previsopara 2013?Carvalho Neto - Ainda no h um nmero fechado, mas o oramento no dever ser menor do que o deste ano.

    E os principais empreendimentos?Carvalho Neto - As usinas do Complexo do Rio Madeira, Santo Antnio e Jirau j esto comeando a gerar energia. E Belo Monte, apesar dos pro-blemas, no tem sofrido gran-des atrasos. Entre as novas renovveis, como as usinas elicas, as primeiras unida-des do Complexo de Cerro Chato, no Rio Grande do Sul, j esto em funcionamento e prevemos que, durante 2013, entrem em operao usinas

    do Nordeste, como Pedra Branca, So Pedro do Lago e Sete Gameleiras e Casa Nova, na Bahia e Rei dos Ventos e Miassaba, no Rio Grande do Norte. Uma outra usina que est seguindo com um desem-penho razovel Angra 3, que deve estar pronta para operar no incio de 2016.

    Quais os principais desafios para o setor energtico do pas?Carvalho Neto - A distribui-o, ou seja, aquela parte que chega casa do consumidor, e a transmisso, que liga as usinas s distribuidoras de energia, so operaes complexas em si. Essa complexidade ainda maior no Brasil, cujo sistema interligado um dos maiores do mundo, com 100 mil qui-lmetros de linhas, contando apenas as de alta tenso. Com o aumento da carga necess-ria aps a introduo de cerca de 15 milhes de brasileiros na rede de consumo de energia, graas ao programa Luz Para Todos, e tambm ao avano econmico do pas nos ltimos dez anos, a operao de toda aquela malha tornou-se ainda mais complicada. Os investi-mentos na ampliao e na ma-nuteno desse sistema foram realizados no nvel devido. No entanto, como a operao tor-nou-se muito mais complexa, ocorrem instabilidades.

    O governo lanou uma portaria com o valor das indenizaes referentes mudana nas concesses. A Eletrobras ser uma das maiores indenizadas. A companhia est satisfeita com a mudana?Carvalho Neto - A Eletro-bras apoia integralmente a deciso de governo de redu-zir a tarifa de energia a fim de alavancar a competitividade da economia brasileira. Esta-mos realizando um levanta-mento detalhado, instalao por instalao, para cotejar o valor que nos coube, ou seja, R$ 14 bilhes.