jornal inconfidência nº 214‏

Download Jornal Inconfidência nº 214‏

Post on 05-Aug-2015

101 views

Category:

News & Politics

6 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

1. BELO HORIZONTE, 31 DE MAIO DE 2015 - ANO XXI - N 214 AS FORAS ARMADAS TM O DEVER SAGRADO DE IMPEDIR, A QUALQUER CUSTO, A IMPLANTAO DO COMUNISMO NO BRASIL. l l jornal@jornalinconfidencia.com.br O TERRORISMO DO MST PGINA 19 E O SLARIO, OH! PGINA 24 DOM HELDER AMEAA OCULTA PGINA 5 PGINA 10 Eng Marcos Renault / Cel. Medina (Adido do Exrcito na Itlia) / Gen. Villas Bas (Comandante do EB) / Vet. Joo Batista Moreira / Gen. Etchegoyen (Chefe do EME) e Gen. Bergo (DPHCEx), na localidade de Precria onde foi construdo o monumento em homenagem aos trs heris do 6 RI (Jos Graciliano Carneiro da Silva, Clovis da Cunha Pais de Castro e Aristides Jos da Silva), enterrados pelos alemes COMEMORAES DOS SETENTA ANOS DAS VITRIAS BRASILEIRAS NA ITLIA PGINAS 14 E 15 DIA DA VITRIA O MEU GOVERNO PADRO FIFA...Copa do Mundo 2014: - e a iseno total de impostos concedidos para bens e servios FIFA GOVERNO CORRUPTO E MENTIROSO PT PGINA 12 Veterano FEB Cb Moreira, Eng Marcos Renault, Generais Amaury, Bini, Guilherme e Araujo, Cel S Corra e Veterano FEB Sd Braz PGINA 22 O SANTO DE PAU OCO 2. 8N 214 - Maio/2015 2 * A. C. Portinari Greggio * Economista POLTICOS PREPARAM NOVO GOLPE DE ESTADO Quando em 1964 milhes de pessoas saram s ruas a exi- gir a deposio de Joo Goulart, que notoriamente tramava um golpe comuno-po- pulista, as Foras Armadas, depois de muita hesitao ediantedefatosconsumados,agiram.JooGoulartfoi legitimamente afastado pelo Congresso Nacional. No obstante, at hoje teimam em tratar o movimento de 1964 como golpe de Estado. Em 1986 elegeu-se o primeiro Congresso aps o fim do regime militar. Em 1987 seus membros, extrapolando a letra da Constituio e sem consultar a vontade do povo, nomearam-se a si mesmos Assembleia Constituinte, com totais poderes de zerar a ordem jurdica e inventar nova constituio em causa prpria. E ningum percebeu que a usurpao era, sim, golpe de Estado, e a constituio de 1988 foi o instrumento desse golpe. por isso que o ttulo deste artigo fala em novo golpe de Esta- do. O antigo foi o de 1988. O novo est sendo co- zinhado neste momento emBraslia. Em termos de Real- politik, o Brasil tem ape- nas duas foras polticas fundamentais. Uma delas, na opo- sio, a que tem sado s ruas em manifestaes de protesto nos ltimos meses. Vamos cham-la de Direita. A Direita sempre existiu, mas esteve entorpecida e afastada. Antigamente, po- dia ser contada como maioria, mas devido ao processo de degenerao demogrfica das ltimas dcadas, hojeminoria.Noobstante,amaiscapaz,queestuda, trabalha, produz e paga impostos. Naturalmente ape- gada ordem e ao progresso, ela adversria e vtima do crime, do caos social e do atraso. Seus valores coin- cidem com os das Foras Armadas. Do lado oposto, a outra fora o eleitorado cativo da Esquerda. Anmicas, mal qualificadas para o trabalho, suas comunidades se caracterizam pela baixa renda, baixo rendimento escolar, desagregao familiarepropensoaocrime.Incapazdeprotagonismo poltico, essa populao, contudo, facilmente coop- tada pelos polticos mediante subsdios, favores, cum- plicidade no crime e explorao do seu natural ressen- timento contra quem a sustenta. No meio, existe grande populao que hesi- ta, desorientada, sem opinio. parte do eleitora- do, vota, decide os resultados, mas no pode ser considerada fora poltica. E os polticos? A qual populao pertencem? Evidentemente, primeira. Mas nela no se integram. So arrivistas que utilizam os currais eleitorais como alavanca para dominar a e extorquir a populao produtiva. Embora divididos, os polticos podem ser O pet se transformou num estorvo ao prspero negcio da democracia considerados, para efeito de anlise, como uma s oligarquia. Evidentemente, seu esquema de domnio s funciona na democracia da constituio de 88. Da o empenho deles e dos e seus scios a mdia e a intelectualha em defender a constituio de 88. esse, em poucas linhas, o mecanismo do re- gime. O golpe de Estado em ser o afastamento do pe- t, destruio de suas lideranas, marginalizao da militncia e transferncia dos currais para novos do- nos. O pet tornou-se estorvo capaz de pr tudo a per- der. Em vez de se enturmar na oligarquia, o pet tem megalomaniasideolgicas,aqueleprojetodaURSAL, e a inteno de, um dia, trair seus scios e estabelecer a ditadura. Enquanto parecia invencvel, os demais engoliam. Essa fase passou. Incio perdeu a mgica. Dilma j est anulada. O processo de neutralizar o pet dos mais complicados. No por causa de Incio que, desespe- rado, tenta radicalizar, mas dificilmente conseguir levar o povo s ruas. A complicao est nas Foras Armadas e na revolta da populao produtiva. At que ponto a radicalizao no poder exacerbar a guerra civil que de fato j est a acontecer? Talvez a oligarquia consiga dar o golpe. No ser espetacular, no haver estado de stio nem vio- lncia. Na surdina, mudaro as regras. Quanto opo- sio de Direita, cogitam usar a Lei de Segurana Na- cionalparaamorda-la(etalvezfechardumavezeste incmodo jornal Inconfidncia). Faam o que fizerem, os problemas continua- ro. A populao produtiva, uma vez desperta, dificil- mente aceitar a continuao desse jogo. Os tucanos perderam a capacidade de engan-la. Frustrao e desespero. E o grande contingente revoltado, sentin- do-se excludo da poltica, buscar sada. Qual? Se examinar os mapas eleitorais, o leitor verificar que a mais bvia seria a secesso. fatalidade geopoltica: o Brasil j est dividido. Ningum fala, mas a est, enorme e ignorada, tal como o proverbial elefante na sala de reunies. Se a democracia de 1988 se en- castelar no poder, o monstro clandestino, sem sada, poder escapar ao controle. Dentro desse quadro confuso, Bolsonaro. VERGONHA NACIONAL ALEMG Quando o dinheiro ser devolvido pelos nossos representantes? Na Assemblia Legislativa, deputados estaduais receberam sa- lrios indevidos de forma secreta, no contra cheque, a ttulo de auxlio gabinete, entre 1999 e 2001. Quando descobertos, os paga- mentos ilegais foram suspensos, mas nada foi restitudo e o processo judicial se arrasta at hoje. Passado mais de uma dcada, alguns daqueles deputados desem- penham importantssimas funes, a saber: - deputado Alberto Pin- to Coelho (PP), atual vice-governador, recebeu um extra de R$1,9 mi- lho; deputado Dinis Pinheiro (PSDB), agora presidente da ALEMG, embolsou R$1,6 milho; ex-deputado Mauricio Torres (PSDB) fatu- rou R$2,3 milhes, recm eleito para um cargo no Tribunal de Contas do Estado; deputado Rogrio Correia (no podia faltar o partido dos corruPTos), atual lder do bloco de oposio, recebeu um extra de R$ 1.4 milho e o deputado Antonio Jlio (PMDB sempre presente), hoje lder da minoria, R$ 2,2 milhes. Interessante que a mdia mineira no comenta mais este fato, pois depende das verbas publicitrias do governo do Estado. E tam- bm a OAB no se manifesta, mas sempre to atenta aos Direitos Humanos!!! ONDE ESTARO A OAB-MG, A CNBB, A MAONARIA, A FIEMG, O CDL, A ACM, OS CLUBES DE SERVIO, A ADESG, OS CONSELHOS REGIONAIS, OS SINDICATOS E A MDIA MINEIRA QUE NO SE MANIFESTAM? Aguardamos ansiosamente que o Procurador Geral da Justia exera realmente o importante papel de fiscalizao do Ministrio Pbli- co Mineiro, cumprindo a lei. Apresentamos-lhe o processo abaixo que se arrasta desde de 2001, no qual esto envolvidos os deputados estaduais de Minas Gerais por terem recebido ilicitamente salrios faranicos. Se realmente desejar o cumprimento da lei, d andamento ao processo a fim de que o dinheiro seja restitudo ao errio estadual. Aguardamos o seu pronunciamento como tambm o do Ministrio Pblico de Minas Gerais para cumpri- mento da lei. O que a "Justia" aguarda ainda para dar andamento ao processo, sem movimentao desde 03 de julho de 2014, afim de que seja pronunciada uma sentena definitiva? NMERO TJMG: 002401096800-6 NUMERAO NICA: 0968006-91.2001.8.13.0024 2FAZENDAESTADUAL ATIVO PRINCIPAL Classe: Ao Popular Assunto: - CS: - Autor: C.V.M. Ru : E.M.G. e outros. ltima(s) Movimentao(es): EXPEDIO DE EDITAL 03/07/2014 JUNTADA DE PETIO (OUTRAS) 03/07/2014 JUNTADA DE PETIO DE SUBSTABELECIMENTO 02/07/2014 Data pauta: 11/06/2014 AO PROCURADOR-GERAL DE JUSTIA/MG (Publicado no Inconfidncia, n 210 de 03 de fevereiro/2015) NOSSO COMENTRIO A Ao acima est quase sendo extinta por abandono. Foi determinada a expedio de Editais pela Lei da Ao Popular (Leia 4717/65, Artigo 9). O Ministrio Pblico Mineiro poderia assumir a titularidade da Ao no caso de inrcia dos autores originais. Nosso advogado est estudando a possibilidade do Jornal Inconfidncia oferecer Representao e dar prosseguimento Ao Popular. Como se j no bastassem o mensalo, o petrolo, o caso FIFA e inmeros outros, com o envolvimento de diversos parlamentares na Operao Lava-Jato, mesmo assim esta Ao j se arrasta h 13 anos. uma vergonha! 2 3. N 214 - Maio/2015 3 *MarcoAntonio FelciodaSilva *General de Brigada - Cientista Poltico, ex-Oficial de Ligao ao Comando e Armas Combinadas do Exrcito Norte Americano, ex-Assessor do Gabinete do Ministro do Exrcito, Analista de Inteligncia - E-mail: marco.felicio@yahoo.com Desta vez, os mafiosos da poltica exageraram na dose Otermo repblica passou a identifi- car um sistema de governo cujo po- der emana do povo, e no mais por here- ditariedade (monarquia) ou direito divi- no (teocracia). Do latim res, que signifi- ca coisa, e publica, que dispensa tra- duo, seria a forma de garantir a demo- cracia, quer dizer, do grego demos, povo, e cratos, poder. Poder exerci- do pelo povo em favor dele. A realidade outra. Vivemos a Renostra (Cosa Nostra do mafioso). Faz tempo que no Brasil o povo no beneficirio, mas vtima do sistema de- mocrtico via confisco exagerado de suas rendas (cerca de cinco meses dos frutos de seu trabalho) para receber de troco um msero retorno, uma vergonha que grita nas filas da sade pblica, nos atrasos e desservios que j se incorporaram como condio permanente. Sinais de exausto se enxergam por todo lado. Tem quem desfile pe- dindo a volta dos militares, por que razo? Descrena em todos os lados. Apesar de 40 parti- dos, no se enxerga um qu