Jornal Domingo em Casa 4ª edição

Download Jornal Domingo em Casa 4ª edição

Post on 10-Mar-2016

226 views

Category:

Documents

5 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Jornal Domingo em Casa 4 edio

TRANSCRIPT

<ul><li><p>SUceSSo Na TVVladimir Brictha est se destacando em sries, como no atual papel em Tapas &amp; Beijos. Pg. 15</p><p>domiNgo em caSa</p><p>camPeoGarotos do time do Democrata conquistama 1 Copa Sub 15 . Pg. 20</p><p> ANO 1 | EDIO 4 | 31 DE JULHO A 6 DE AGOSTO DE 2011</p><p>diSTribUio graTUiTa NaS reSidNciaS. NaS baNcaS r$ 0,50</p><p>Fbrica em Sete Lagoas ir produzir os mais modernos modelos de locomotiva. Pg. 3</p><p>DE VOLTA TriLhoSAOS </p><p>REVI</p><p>STA </p><p>FERR</p><p>OVI</p><p>RIA</p><p>SambaAntiga escola de samba Dez pra Dez ser reaberta por moradores do bairro Luzia, como Dona Cida, com um projeto social. Pg. 6</p><p>eNTreViSTaO sete-lagoano Jnatas Obina relembra sua infncia no bairro Cidade de Deus e do bom momento que vive na carreira no Atltico. Pgs. 8 e 9</p></li><li><p>2 oPiNio Domingo em Casa 31 De julho a 7 De agosto De 2011</p><p>Os bastidores do poderSe existe algo do qual me sin-</p><p>to orgulhoso, foi o de ter tido em minha vida, o exemplo de um pai honesto. Apesar dos atropelos da vida, sempre procurei zelar pela moral e bons costumes, na convico de que os erros que eu tenha cometido em algum momento de minha vida, jamais teriam sido intencionais, ou no intuito exclusivo de tirar vanta-gens menosprezando quem quer que seja. Tenho levado minha jornada e tenho crescido, gra-as a Deus. Quem trabalha com as energias positivas vislumbra sempre um futuro promissor.</p><p>Todavia, quando vejo os bas-tidores da poltica de Sete Lagoas se movimentarem, acompanhan-do as mazelas dos aproveitadores de planto, onde as artimanhas maquiavlicas resultam sempre em prejuzo de todos. Ento, sinto vergonha de mim mesmo e fico a pensar se no vale pena jogar o jogo deles, mostrar o quanto so vulnerveis, e me deliciar com os resultados, tal como quando vejo um quadro triste acontecendo.</p><p>O modo como fao imprensa em Sete Lagoas, parece que sem-pre incomodou. Sempre mostrei o lado positivo das administraes pblicas com as quais trabalho e </p><p>nunca quis falar do lado negativo. Acredito que falar de erros de uma administrao desnecessrio, pois o povo sbio e no so as palavras de um jornalista que mu-dariam a opinio de um cidado consciente que j tenha sua defi-nio sobre determinado poltico.</p><p>Ao ver parte da imprensa ca-lada e de repente mudando radi-calmente sua forma de informar da noite para o dia, sento-me na obrigao de averiguar o que es-tava acontecendo. Ao descobrir, calei-me. Sempre lutei pela tica e pelo positivo e pensei que se-ria valorizado pelo meu carter e minha forma de pensar. Mas os bastidores do poder mostram ou-tra realidade. Quem no tem o es-crpulo de mudar de posio, se esquecendo de que o poder tem brechas e estas brechas podem corroer o prprio poder.</p><p>Em tais momentos Maquiavel certamente rir-se-ia da memor-vel frase de Rui Barbosa: De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustia, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto.</p><p>Marclio Maranmaran@domingoemcasa.com.br</p><p>Publicao do Consrcio Domingo em Casa Sete Lagoas Ltda</p><p>CNPJ - 13.807.194/0001-83</p><p>Rua Santa Catarina 1713-A</p><p>Bairro Boa Vista - Sete Lagoas-MG (31) 3026-1700</p><p>CEP 35700-086</p><p>Diretor excutivo e comercial - Marclio Maran</p><p>Diretor de redao/editor responsvel - Almerindo Camilo (2709/MG)</p><p>Coordenador de eventos - Herivelton Moreira da Costa</p><p>Diagramao - Antonio Dias e Wanderson F. Dias</p><p>Tiragem - 10.000 exemplares</p><p>Impresso - O Tempo Servios grficos (Contagem-MG)</p><p>Representante comercial BH - AC&amp;S Mdia Ltda (31) 2551-7797</p><p>Representante comercial Sete Lagoas - Agncia guia (31) 3775-1909</p><p>Representante comercial SP, Rio e Braslia - Screanmedia </p><p>(11) 3451-0012 e (11) 9141-2938</p><p>OS ARTIGOS ASSINADOS NO EXPRESSAM NECESSARIAMENTE</p><p>A OPINIO DESTE JORNAL.</p><p>domiNgo em caSa</p><p>duke</p><p>Paraglaider: uma emoo e tantoDepois de horas de </p><p>escalada, a recompensa-dora sensao de chegar ao topo da montanha. E agora a ingrata tarefa de desc-la. Esse foi o estmulo aos alpinistas franceses de criarem um paraquedas que fos-se capaz de decolar da montanha. Estava cria-do, ento, o parapente (paraquedas de monta-nha em Francs), tornan-do, contudo, a descida menos sacrificante. Foi o nascimento de um novo esporte. Vrios novos praticantes comearam a escalar montanhas e pra-ticar a nova modalidade, conquistando os ares e as montanhas.</p><p>Com o tempo o para-quedas foi ganhando o perfil aerodinmico dos planadores chamado ae-roflio. Esse formato responsvel pela susten-tao de qualquer coi-sa que voe, inclusive as aves. O primeiro piloto de Belo Horizonte a voar de paraglider foi o Hen-ry. O paraglider chegou </p><p>em Sete Lagoas em 1991, trazido pelo Helsio Luz da Silva e Arnaldo Pon-tes. O local escolhido por eles foi a Serra Santa Helena, de onde se tem uma linda paisagem da cidade. O acesso Serra pavimentado. O local fica a poucos minutos do centro da cidade, possui um vento frontal predo-minante Leste com opo para Oeste, proporcio-nando assim excelentes voos de frente para a cidade, tendo como op-o de pouso seguro a prpria rampa de deco-lagem.</p><p>Quando criado o pa-rapente tinha um planeio de 3:1. Hoje um parapen-te de competio atinge planeios superiores a 12:1. Em mdia o para-pente apresenta um pla-neio de 9:1, o quer dizer que ao realizar 9 metros de viagem, o parapente desce um metro de alti-tude. O parapente conse-gue pousar num espao de curtas dimenses e com grande preciso. O </p><p>piloto pode tambm man-ter-se ou ganhar altitude fazendo uso de correntes de ar de levantamento e correntes trmicas, dire-cionar para direita e es-querda, acelerar e frear, com apenas leves coman-dos. Devido melhora do planeio, as competies de parapente comearam a ficar mais comuns. Pa-ses como Frana e Sua iniciaram campeonatos nacionais. </p><p> Hoje o esporte praticado por vrios mo-radores da nossa regio, sendo cada vez mais atra-do pelos aventureiros que querem transformar a aventura e adrenalina em momentos inesque-cveis. O esporte exige que o piloto tenha bons reflexos, concentrao e sempre respeitando os fenmenos da natureza. Para os que j voaram a realizao a mesma, a experincia de voar nica, cada vez que voc tira os ps do cho, uma nova emoo, uma nova aventura. </p><p>Poliany Goulart FranaEstudante, praticante de esportes radicais </p></li><li><p>3cidade e regio Domingo em Casa 31 De julho a 7 De agosto De 2011</p><p>Terra de locomotivasPor Ana Paula Pedrosa </p><p>Sete Lagoas ser a terra natal da Electo-Motive Die-sel (EMD) no Brasil. A MGE, brao ferrovirio da Cater-pillar, uma das maiores fa-bricantes de mquinas pe-sadas do mundo, comear a fabricar as locomotivas na cidade no fim do primeiro trimestre de 2012 e j um sucesso. No primeiro ano, a fbrica deve produzir 30 m-quinas e hoje, quase um ano antes da sua inaugurao, 21 delas j esto encomen-dadas. As quatro primeiras sero entregues em outubro de 2012 e devem ser usadas para o transporte de celu-lose, diz o diretor geral da </p><p>MGE, Carlos Roso. De acordo com ele, a fbrica mineira ir produzir o modelo mais moderno da empresa, desti-nado ao transporte de todo tipo de carga. </p><p>Em quatro anos, a capa-cidade da fbrica chegar a 150 unidades por ano. Nos Estados Unidos, cada loco-motiva do modelo que ser produzido em Sete Lagoas custa cerca de US$ 2,5 mi-lhes, algo em torno de R$ 3,8 milhes. O preo no Bra-sil ainda no foi divulgado. A empresa tambm no infor-mou o valor do investimen-to. O que se sabe que as obras comearo em breve e ficaro prontas at maro do ano que vem. A fbrica deve </p><p>gerar entre 500 e 600 em-pregos diretos. </p><p>Nos prximos dias uma equipe do Canad estar em Sete Lagoas para come-ar um levantamento dos investimentos que sero necessrios e tambm dos fornecedores. A inteno da empresa comprar peas, componentes e servios de empresas da cidade. Incial-mente, a EMD ter 40% de componentes nacionais e em trs anos o ndice deve che-gar a 60%. Temos o mxi-mo interesse em trabalhar com fornecedores locais, afirma Roso. Ele diz que a tarefa deve ser facilitada porque a cidade j abriga fornecedores para o setor </p><p>automotivo e, em muitos ca-sos, produtos e servios po-dem ser compartilhados. </p><p>O mesmo deve acontecer com a mo de obra. A Cater-pillar j est em conversas com o Servio Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) para garantir a for-mao adequada a seus fu-turos funcionrios. Roso diz que vrios cursos oferecidos pelo Senai j se encaixam na demanda da empresa, como mecnica e eletrotcnica. O diretor do Senai na cidade, Roberto Luiz Andrade, ex-plica que possvel tambm fazer cursos especficos para atender empresa, a exem-plo do que acontece com outras empresas. Ele afirma </p><p>que a cidade est preparada para atender s necessida-des da nova fbrica. </p><p>O diretor geral da MGE ex-plica que a presena de um Se-nai foi um dos fatores que pe-saram na escolha da cidade. A fbrica era disputada tambm por So Paulo e Minas Gerais levou a melhor por ter loca-lizao privilegiada e pela presena no Estado de algu-mas das principais empresas ferrovirias do pas, como a Ferrovia Vitria-Minas, a Fer-rovia Centro-Atlntica (FCA) e a MRS Logstica. J a escolha de Sete Lagoas se deveu tam-bm localizao da cidade e ao fato de ter infraestrutura adequada para receber o em-preendimento. </p><p>Um dos maiores fabricantes de mquinas pesadas do mundo confirma chegada cidade</p><p>PreViSo Empresa comear a fabricar as locomotivas na cidade no fim do primeiro trimestre de 2012</p><p>QUIN DRUMMOND COMUNICAO/PREFEITURA DE SETE LAGOAS</p></li><li><p>4 cidade e regio Domingo em Casa 31 De julho a 7 De agosto De 2011</p><p> cidade ganha mais rvores</p><p>A Primavera promete ser mais florida a partir deste ano em Sete Lagoas. A Secretaria Municipal de Meio Ambiente vai implantar, a partir de setembro, o Projeto de Arborizao Urbana, que promete colorir a cidade com pelo menos 5.000 mudas de ips roxos e ama-relos e quaresmeiras.</p><p>Segundo a assessora de Pro-gramas Ambientais da Secretaria de Meio Ambiente, Daniela Duarte Ventura Melo, o plantio ter incio no dia 21 de setembro, uma data emblemtica j que nesse dia se comemora o Dia da rvore. </p><p>De acordo com a secretaria, o projeto pretende privilegiar reas de maior concentrao e trfego. Na primeira fase, a arborizao contemplar a avenida Vila Lobos, na regio do bairro Magabeiras. Nessa via, o plantio ocorrer con-comitante aos trabalhos de refor-ma que esto em andamento sob coordao da Secretaria Municipal de Obras. Daniela Melo informa que a Vila Lobos receber mudas de quadresmeiras, em substituio a algumas espcies de pau-ferro que tm apresentado problemas para moradores, motoristas e tran- maiS Verde Projeto de Arborizao Urbana ir privilegiar reas de maior concentrao e trfego</p><p>Cerca de 5.000 mudas de ipsvo deixar as ruas mais coloridas</p><p>seuntes, especialmente em pocas de chuvas, quando so registrados muitos casos de quedas de galhos e at mesmo de rvores inteiras.</p><p>J a rua Lassance, no centro da cidade, e as avenidas Mcio Jos Reis (a Norte-Sul), que corta toda a cidade, avenida Prefeito Alberto Moura, a via perimetral que circun-da Sete Lagoas, sero as prximas a receberem as aes do Projeto de Arborizao Urbana, embora ainda no tenha sido definida a es-pcie a ser plantada nessas reas. </p><p>Todas as mudas de ip e qua-resmeira a serem espalhadas pela cidade advm do viveiro muni-cipal mantido pela Secretaria de Meio Ambiente, mas Daniela Melo adianta que, se as unidades dispo-nveis no rgo da Prefeitura no forem suficientes, a pasta vai es-tabelecer parcerias para conseguir fornecedores terceirizados.</p><p>O Projeto de Arborizao Urba-na prev ainda a manuteno dos canteiros j existentes nas vias p-blicas e que tambm recebero in-tervenes da Secretaria de Meio Ambiente. Tambm est prevista, para os moradores da avenida Vila Lobos, a distribuio de cartilhas informativas sobre o Projeto de Ar-borizao Urbana, seus benefcios e os procedimentos a serem segui-dos para o plantio das rvores. </p><p>Mais informaes: Secretaria Municipal de Meio Ambiente (31-3771-9441).</p><p>estudo sobre guasPreocupada com o </p><p>crescimento vertical de Sete Lagoas a prefeitu-ra da cidade est fazen-do um mapeamento hi-drogeolgico da regio. Calcula-se que sua geo-logia tenha aquferos em abundncia e isso possa interferir na engenharia de construo de pr-dios, alm de proporcio-nar o melhor aproveita-mento do subsolo. </p><p>Tcnicos da empresa contratada para realiza-o dos estudos, a Ser-vmar Servios Tcni-cos &amp; Ambientais Ltda, apresentaram direo do Servio Autnomo de gua e Esgoto (SAAE) os primeiros dados co-</p><p>letados para incio dos trabalhos, que tero du-rao de dois anos e dividido em trs etapas, sendo cada etapa tam-bm dividida em trs fa-ses. </p><p>De acordo com a As-sessoria de Imprensa da Servmar, o resultado ser uma avaliao dos recursos hdricos subter-rneos, de forma quanti-tativa e qualitativa, para que sejam identificadas e delimitadas reas de recarga dos aquferos, fontes potenciais de po-luio e reas de risco geolgico no municpio. O primeiro relatrio qua-litativo e quantitativo sair em novembro. </p><p>SMMAPMSL/DIVULGAO</p><p>mais segurana </p><p>Sete Lagoas recebeu 15 novas viaturas do sistema terceirizado para renovao da frota, na ltima quinta-feira (28). A solenidade de entrega aconteceu na praa Dom Carmelo Mota e contou com a presena de vrias autoridades. Entre elas, o coronel Bueno, comandante da 14 Regio, que entregou as chaves dos veculos ao comandante do 25 Batalho de Polcia Militar, tenente-coronel Slvio, representando o governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia. De acordo com o comandante de Sete Lagoas, as novas viaturas significam mais segurana populao, que receber patrulhamento mais completo e gil.</p><p>PMMG/DIVULGAO</p></li><li><p>5cidade e regio Domingo em Casa 31 De julho a 7 De agosto De 2011</p><p>Posto da PRF de Sete Lagoas ganha aeronave para operaes mdicas e policiais</p><p>A cidade ganhou uma nova ferramenta para prestar socorro a eventuais vtimas de aciden-tes que ocorrerem nas rodovias que cortam Sete Lagoas. Desde a semana passada, est em ope-rao o helicptero da Polcia Rodoviria Federal (PRF). Na sua estreia o equipamento foi usado numa simulao de voo de socorro. Em apenas 3 minu-tos a aeronave percorreu o traje-to, entre o Pronto Atendimento (PA Central) do bairro Chcara do Paiva e o novo posto da PRF, </p><p>localizado na BR-040, na entra-da de Sete Lagoas. </p><p>O superintendente regional da PRF em Minas, Davi Stanley Bomfim Dias, o prefeito Mrio Maroca e o mdico Sylvio Silves-tre, coordenador de operaes aeromdicas da PRF, participa-ram do voo de apresentao. Desde que entrou em operao, dia 25 de julho, a aeronave j atendeu duas ocorrncias mdi-cas na semana.</p><p>O prefeito Maroca comemo-ra a chegada do equipamento, </p><p>afirmando que com ele a cidade amplia sua capacidade de fisca-lizao, bem como intensifica o combate ao crime e propicia maior segurana para os moto-ristas que diariamente trafegam pela BR-040. Maroca revelou ainda que determinou Secre-taria Municipal de Sade para que negocie com o Governo do Estado para que o atendimento prestado pelo SAMU seja re-gionalizado, fixando a sede em Sete Lagoas.</p><p>O superintendente regio-</p><p>nal da PRF em Minas Gerais, Bomfim Dias, explica que a aeronave presta socorro m-dico e trabalha no combate ao crime em uma rea que possui um raio de 160 km, a partir do c...</p></li></ul>