Jornal do Cariri - Edição - 2549

Download Jornal do Cariri - Edição - 2549

Post on 29-Mar-2016

256 views

Category:

Documents

34 download

DESCRIPTION

Jornal do Cariri - 28 de agosto a 03 de setembro de 2012.

TRANSCRIPT

  • O peridico do Cariri independente

    ESPORTE

    180 anos da morte de Brbara de Alencar

    CULTURA

    ESPERA PELO SAMU

    7

    Mulheres aderem ao Muay Thai

    JUAZEIRO

    ELEIES CRATO

    ELEIES CRATO

    SADE

    Indstrias so as principais poluidoras de poos

    Mutiro realiza diagnstico de catarata em Juazeiro do Norte

    Demontieux defende transparncia na gesto

    Candidatos querem debate de propostas

    Irmo do deputado ArnonBezerra agredido com faco

    O Jornal do Cariri traz, esta semana, o perfil do candidato a prefeito de Juazeiro do Norte, pelo Psol, Demontieux Fernandes.

    Os candidatos a prefeito do Crato esperam com ansiedade os debates de campanha. Eles declaram estar preparados e garantem que se sairo bem diante da populao. Marcos Cunha (PT) e Ccero Frana (PV) cobram dos veculos de comunicao a promoo ao enfrentamento de propostas.

    Jos Arnaldo Bezerra foi vtima de carroceiro que bateu em seuveculo na zona rural de Juazeiro do Norte. Transplantado renal, ele passou por cirurgia no HRC e seu estado de sade exiges cuidados especiais.

    REGIO DO CARIRI l DE 28 DE AGOSTO A 03 DE SETEMBRO DE 2012 l ANO XIV l NMERO 2549 R$ 1,50

    ENTREVISTA VozesdoCaririHumberto Macrio de Brito, entusiasmo pela vida pblica 6

    3

    n Tratamento inadequado para gua dos esgotos um dos prncipais causadores da poluio

    n Mutiro da Catarata acontece entre os dias 28 e 31 de agosto

    8

    4

    3

    Coluna do Donizete

    3 5

    5

    Sem ambulncia, populao pena pelo socorro de urgncia

    cada vez mais necessria a implantao do Servio de Atendimento Mvel de Urgncia (Samu) no Cariri. A Regio tem uma das cidades que mais cresce no Pas e ainda deixa

    a desejar quando o assunto socorro mdico, principalmente em casos de acidentes de trnsito. A espera pelo atendimento desgasta o setor de sade e coloca vidas

    em risco. H dois anos ouve-se falar na instalao do Samu no Cariri, mas at agora, nada

    foi resolvido. Enquanto isso, o secretrio de Sade do

    Estado, Arruda Bastos, diz faltar, apenas, a liberao das ambulncias, por parte do Ministrio da

    Sade

    E L E I E S

    > > > > > > > > > >

    CONTAMINAO POR ALUMNIO

    O JC trouxe, na ltima edio, dados de uma pesquisa realizada pela Companhia de Gerenciamento de Recursos Hdricos (Cogerh), sobre a contaminao, por alumnio, de poos da bacia sedimentar do Araripe. O estudo revelou as indstrias de galvanoplastia e o tratamento inadequado dos esgotos como principais poluidores. Segundo a Cagece, as empresas de folheados sem a cobertura da Companhia, no recebem as orientaes necessrias para o descarte dos resduos pesados. J a Semace assegura que s fiscaliza as indstrias que esto devidamente regularizadas.

    Um mutiro que visa diminuir o ndice dos casos de catarata est sendo realizado em Juazeiro do Norte. Uma equipe de oftalmologistas est distribuda nos bairros do municpio para diagnosticar e tratar a doena. O mutiro j est acontecendo. As prximas consultas acontecem entre os dias 28 e 31 de agosto, mas a ao conjunta dos mdicos vai continuar, at suprir a demanda de pacientes.

    Acesse e veja a programao completa: www.bnb.gov.br/cultura

    Dia 28, tera-feira.ARTES VISUAIS VI Agosto da Arte 17h00 - Pare, Olhe e Escute - JosRomildo - Juazeiro do Norte-CE.Local: Juazeiro do Norte-CE.Dia 29, quarta-feira.MSICA VOCAL 19h30 - Je erson Portela - Fortaleza-CE.

    Dia 30, quinta-feira.ARTE RETIRANTELocal: Sesc Juazeiro.19h30 - Je erson Portela - Fortaleza-CE. Dia 01, sbado. ATIVIDADES INFANTIS15h00 - Teatro - Os Trs Porquinhos -Cia. Anjos da Alegria - Crato-CE.16h00 - O cina de Arte -

    Como Fazer um Avio Planador -Thales Rodrigues - Crato-CE.17h00 - Teatro - Os Trs Porquinhos -Cia. Anjos da Alegria - Crato-CE.PERCURSOS URBANOS15h00 - D Pra Chegar L?Mediador: Carlos Oliveira, Professorde Educao Especial - Juazeirodo Norte-CE.

    Dia 02, domingo. Fechado.CURSO DE FORMAO ARTSTICALocal: Teatro Marquise Branca -Av. Pe. Ccero, s/n.14h00 - Dilogo das Artes - DireoMusical: Flauberto Gomes. DireoCoreogr ca: Jussyanne Emdio.Direo Geral: Mrcio Rodrigues.

    Dia 03, segunda-feira.Fechado.HORA DO RECREIOLocal: Asilo Nossa Sra. das Dores - Juazeiro do Norte-CE.14h00 - Palhao-ocupao - Grupo Oito - Caririau-CE.

    Destaques da programao de 28 de agosto a 03 de setembro de 2012.

  • Na abertura das Olimpadas de Londres 2012, um dos destaques do espetculo foi a homenagem prestada ao National Health Sistem, o sistema nacio-nal de sade britnico, considerado um orgulho para os habitantes do pas. Imaginar que o Brasil inaugure suas Olimpadas com um quadro sobre o Sistema ni-co de Sade SUS quase uma piada.

    A despeito disso, o SAMU Servio de Atendi-mento Mvel de Urgncia um raro exemplo de efici-ncia no Brasil. Com todas as deficincias do mundo, o SAMU tem prestado grandes servios no Pas, espe-cialmente em municpios de mdio e grande porte.

    No Cariri, o SAMU no est implantado ou quando h sua implantao, ela se mostra deficiente, com perda de vidas e demoras no atendimento. A situ-ao devastadora e impressiona pela insensibilidade de polticos e de administradores. A situao da sade no Cariri no pode ser vista sem esse elemento.

    O custo desse servio relativamente baixo. Mas, seu impacto social incomparavelmente superior, pois o grande problema est na rapidez dos primeiros aten-dimentos, o que torna o SAMU uma marca diferencia-da na estrutura sanitria brasileira.

    Recentes pesquisas sobre a satisfao dos usu-rios do SUS mostra que h um descompasso entre a qualidade efetiva do servio prestado e o que se pas-sa no imaginrio das pessoas. A melhoria do sistema, contudo, um imperativo para o Brasil. Menos por ser essa uma afirmao baseada em juzos de carter social, poltico ou pblico. O problema demogrfico. Os investimentos em educao, por exemplo, a cada ano sero menos relevantes em termos quantitativos. A diminuio do nmero de crianas no pas uma re-alidade. As taxas de natalidade reduziram-se e, com o mesmo dinheiro, a cada ano, as escolas sero ocupadas com um nmero menor de alunos.

    Na sade, porm, a realidade outra. O brasileiro est envelhecendo. A cada ano, sero necessrios mais e mais recursos para assegurar os mesmos nveis de atendi-mento, os quais j no so os melhores. Nesse compasso, o SAMU tende a ser um dos pontos de maior estrangula-mento do sistema.

    A Regio Sul do Cear ser uma das mais prejudi-cadas com sua chegada tardia ao SAMU. Se hoje, o servio no est implantado ou est indevidamente funcionando, imagine-se nos prximos anos. O Cariri tem de reescrever essa histria e ter de o fazer o mais rapidamente possvel.

    A sade um valor universal. Hoje, ela distingue ricos e pobres. Mas, em algum tempo, seus custos sero to elevados, que essa diviso no poder ser mantida. Os governos dos municpios, dos Estados e da Unio, pelo modelo constitucional existente, so corresponsveis pela Sade. E no adianta esconder-se atrs de retrica vazia. A sade no espera.

    ATENDIMENTO MDICO DE URGNCIA FALHA NO CARIRI

    2 REGIO DO CARIRI(CE), DE 28 DE AGOSTO A 03 DE SETEMBRO DE 2012Opinio

    Editorial

    Envie sua carta para jornaldocariri@jornaldocariri.com.br e d sua opinio faa sua sugesto, uma crtica. Esse espao aberto para voc, caro leitor.

    EXISTEM MUITAS MANEIRASDE AJUDAR UM IRMOUMA PALAVRA, UM ABRAO...AT UMA ORAOO DINHEIRO NO TUDOPARA QUEM TEM CORAO!

    Welington Costa

    A edio do Jornal do Cariri da semana passada levantou uma discusso ambiental importante, e que h muito preocupa os ambientalistas. O destino final dos esgotos e da gua utilizada pelas indstrias que contaminam o lenol fretico. Os empresrios, assim como o poder pblico, precisam trabalhar em cima do desenvolvimento sustentvel. No d para pensar o meio ambiente se-parado do desenvolvimento.

    Lurdes Siebra, Crato

    QUANTO VALE O VOTO?CHARGE

    APARTAMENTOS COMPACTOSMuitos clientes perguntam por que

    os apartamentos de hoje so to pequenos. E essa resposta tem vrios vertentes possveis como base de um questionamento sustent-vel e aceitvel. Primeiro: vivemos em evoluo constante e por isso buscamos conforto, pra-ticidade e agilidade na forma de viver e convi-ver. Nos centros urbanos modernos, passamos mais tempo fora de casa do que dentro dela, sendo assim, especialistas resolveram mexer no tamanho dos apartamentos. Tambm o nmero na famlia diminuiu, hoje temos fa-mlia com 3 ou 4 pessoas no mximo, exem-plifica Fbio Abreu, pesquisador do Nomads( Ncleo de Estudos de Habitares Interativos da Universidade de So Paulo). A reduo acon-teceu dentro de uma estrutura engessada em relao aos novos modos de vida. Sinto que as pessoas querem rever o desenho da casa, buscando funcionalidade e integrao.

    A segunda explicao vem do alto va-lor dos terrenos, ocasionando um aumento no valor final da unidade. Assim, diminuem o metro quadrado nos apartamentos para au-mentar o nmero de unidades. Hoje muito comum voc encontrar no mercado imobili-rio imveis com 38 m, 45 m, 50m e 72m e essa realidade chegou Juazeiro do Norte, que atualmente possu quatro empreendi-mentos que trabalham com apartamentos compacto. Nos anos de 2007 e 2008, a pro-

    cura maior foi por apartamentos de quatro dormitrios. Agora, os imveis da vez so os compactos de alto padro localizados em bairros nobres, com destaque es-pecial para os empreendimentos mixed-use, uma espcie de flat rejuvenescido. O ano passado foi o perodo com o maior nmero de lanamentos destes segmentos na histria do mercado de So Paulo, Rio de Janeiro e Curi-tiba. Neste ano foi a vez de Juazeiro do Norte com dois grandes empreendimentos: Studio One e Unique.

    O segmento de apartamentos de 1 e 2 dormitrios, studios e lofts cresce e o pblico que busca imveis nesse perfil tambm mu-dou. Antes os apartamentos compactos eram destinados a estudantes, jovens profissionais e pessoas solteiras. Hoje, se inserem tambm jovens casais, casais com um filho, pessoas mais velhas, que gostam de morar sozinhas e com mais independncia ( proporcionada pe-los servios desses residenciais), entre outros perfis dos mais diversos.

    S lembrando que, se em Juazeiro do Norte a tendncia de apartamentos com-pactos chegou, isso significa duas coisas: 1. Juazeiro do Norte possui incorporadores atu-alizados com a modernizao global e 2. esse tipo de empreendimentos so teis e real-

    mente eficazes, trazendo a Juazei-ro do Norte, estilo novo de mora-dia, que so marcos nas grandes capitais ou cidades metro plis.

    Antes de uma incorpora-dora ou construtora se arriscar com esse tipo de moradia so realizados pesquisas ou estudo na regio, buscando suprir as ne-

    cessidades da populao. Nada feito sem estudo prvio, detalhado e minucioso sobre a regio e suas necessidades. Por isso, preci-samos ter um olhar mais ameno para as no-vidades e buscar sempre ver se esse modelo adotado em outras cidades ou at mesmo em outro pas.

    O que eu sei, vejo e tambm estudo, que a minimizao dos espaos dar mais li-berdade para o convvio com as pessoas da famlia, que as reunies familiares so mais agradveis em ambientes abertos, que a fa-mlia pode ter uma privacidade segura, pois no necessitar de uma empregada que dur-ma em casa ou que na falta de uma faxinei-ra, o aspirador de p poder revolver muitos problemas. Ainda bem que existem as portas de correr.

    Karla Sheyla Corretora de Imveis

    Nas eleies de outrora, os coro-nis e senhores de engenho determi-navam em quem os seus subordinados deveriam votar, era o chamado voto de cabresto. A rea de domnio do chefe abastado era intitulada de curral eleitoral, expresso ain-da hoje utilizada. A democracia (poder do povo), obviamente no coaduna com tal prtica.

    No obstante o amadu-recimento do regime democr-tico tenha exigido uma liberali-dade para escolha do candidato, o poder econmico ainda vem direcionando o voto da maioria dos brasileiros, visto que grande parte dos eleitores, em atitude medocre, troca seu voto por dinheiro ou outra mercadoria/servio que diz necessitar, sem atentar, contudo, para o verda-deiro valor do voto.

    As maiorias dos eleitores no procuram aferir as qualida-des da pessoa em quem vai votar (compromissos de campanha, reputao no meio profissional onde est inserido, reputao perante a sociedade, antece-dentes criminais, etc.), se preo-cupando, to-somente, com a quantia que receber para nela votar. Muitos chegam a afirmar que detestam poltica e que no horrio da propaganda eleitoral desligam a TV ou o rdio. Jornais e revistas que abordem temas polticos, nem pensar em l-los. Tais pessoas se enquadram per-feitamente no que o terico ale-mo Bertold Brecht definiu como o analfabeto poltico, afir-mando este que o pior analfa-beto o analfabeto poltico. Ele no ouve, no fala, nem partici-pa dos acontecimentos polticos. Ele no sabe que o custo de vida, o preo do feijo, da farinha, do aluguel, do sapato e do remdio, depende de decises polticas. O

    analfabeto poltico to burro que se orgu-lha de estufar o peito dizendo que odeia poltica. No sabe o imbecil que da sua ig-norncia poltica nasce prostituta, o menor

    abandonado e, o pior de todos os bandidos, que o poltico vi-garista, pilantra, o corrupto e la-caio, os exploradores do povo.

    Na verdade, preciso de alguma forma ter dinheiro para se enveredar na seara poltica. J ouvi dizer que para ser verea-dor em Juazeiro do Norte pre-ciso dispor de aproximadamen-te R$ 200.000,00 se o pretenso candidato for popularmente conhecido e, R$ 300.000,00, caso seja pouco conhecido. um verdadeiro leilo para ver quem d mais.

    No podemos esquecer outras situaes que ridiculari-zam o que deveria ser levado extremamente a srio. Falo de polticos no estilo do comediante Tiririca (hoje Deputado Federal), que participava da propaganda eleitoral brincando com o elei-tor, como se aquilo fosse um show de humor (foi o segundo deputado mais votado em toda a histria do Brasil). E as jovens eleitoras que exclamam: Eu vou votar em fulano porque ele bonito e tem os olhos azuis!.

    preciso que o eleitor brasileiro se conscientize do verdadeiro valor do voto, caso contrrio no adianta depois fi-car reclamando que o candidato A no cumpriu o que prome-teu em campanha, que o candi-dato B um corrupto, que o prefeito um Ali-bab com 40 ladres. Afinal, no devemos es-quecer a clebre frase o povo tem o governante que merece.

    Jailson Matos Nobre Tcnico Judicirio - TJ/CE

    Bacharel em Economia e Direito

    Exped

    iente

    :

    Fundado em 5 de setembro de 1997O Jornal do Cariri uma publicao

    da Editora e Grfica Cearasat Comunicao Ltda

    CNPJ: 34.957.332/0001-80

    O peridico do Cariri independente

    Diretor-presidente: Donizete Arruda Diretora de Redao: Jaqueline Freitas Diretoria Jurdica: Vicente Aquino

    Administrao e Redao: Rua Pio X, 448 - Bairro Salesianos - CEP: 63050-020 - Juazeiro do Norte Cear - Fone (88) 3511.2457Sucursal Fortaleza: Rua Coronel Alves Teixeira, 1905, sala 05, Telefone: 085.3462.2607 - Celular: 085.9161.7466Sucursal Braslia: Edifcio Empire Center, Setor Comercial Sul, Sala 307, Braslia-DF

    Os artigos assinados so de responsabilidade dos seus autores

    Conselho Editorial: Geraldo Menezes Barbosa | Francisco Huberto Esmeraldo Cabral | Napoleo Tavares Neves e Monsenhor Gonalo Farias Filho

    Fale conosco Redao w cidades@jornaldocariri.com.br w policia@jornaldocariri.com.br w politica@jornaldocariri.com.br w redacao@jornaldocariri.com.br Departamento Comercial w comercial@jornaldocariri.com.br | Geral w jornaldocariri@jornaldocariri.com.br

    SEXTILHA CARTA

  • Poltica3REGIO DO CARIRI(CE), DE 28 DE AGOSTO A 03 DE SETEMBRO DE 2012

    Ccero Frana e Marcos Cunha defendem debate na mdia

    DONIZETE ARRUDAPoltica

    CRATO

    E L E I E S

    > > > > > > > > > >

    Mirelly Morais

    Os candidatos a pre-feito do Municpio do Crato prepa-ram-se para o deba-te poltico. Marcos Cunha (PT) e Ccero Frana (PV) cobram a realizao de debate, por par-te dos veculos de comunica-o, e desafiam os adversrios para o enfrentamento, cara a cara. Ronaldo Matos (PMDB) e Sineval Roque (PSB) tam-bm se dizem dispostos a dis-cutir suas propostas.

    O petista Marcos Cunha acredita que os meios de comunicao escritos e fa-lados devem estimular os de-

    bates polticos. Ele conta que j foi convidado para debater e garante que participar de qualquer debate, sendo esta uma prtica do Partido dos Trabalhadores. Segundo o candidato, um momento de colocar propostas e idias de um programa de Governo, ampliando perspectivas de sua viabilidade. Trata-se de um instrumento real de demo-cracia, que beneficia e aproxi-ma os candidato e o eleitor. Marcos Cunha diz que sua participao ser de forma efetiva, respeitosa e de exposi-o do Programa de Governo. Revela, ainda, que todos os te-mas referentes construo de

    um Municpio bom devem ser contemplados no debate.

    Ccero Frana, por meio do seu coordenador de campanha, rico Felcio, con-sidera o debate de extrema im-portncia, tanto para o eleitor, quanto para os candidatos. De acordo com ele, no enfrenta-mento de idias que se conhe-cer cada um dos concorren-tes. rico garante que pode-se esperar as melhores propostas de Ccero Frana, o que vai comprovar sua competncia, experincia e o compromisso com o Municpio. rico suge-re que os principais temas a serem abordados pelos candi-datos so gerao de emprego

    e renda, segurana, sade e educao.

    O candidato do PMDB, Ronaldo Gomes de Matos, de-clara estar aberto para debater com os demais, por conside-rar a relevncia da discusso das propostas para o eleitor. Ronaldo afirma que aceitar, caso seja convidado para um debate. Desde que este seja ba-seado em respeito e apresenta-o de propostas. Para ele, os principais temas a serem abor-dados seriam sade, educao e infraestrutura urbana.

    Sineval Roque no se pronunciou, at o fechamento desta edio.

    Francisco Demontieux Fernande, Demontier do Jornal, como mais conhe-cido) tem 55 anos, nasceu na cidade de Caririau e reside em Juazeiro do Norte desde os dois anos de idade. Casa-do com a professora Cludia Maria Gomes de Brito, pai de 3 filhos: o agrnomo Edu-ardo, a estudante de medici-na, Mabel, e Frederico, acad-mico de Direito.

    Demontieux foi ban-crio durante 20 anos. H 19 trabalha como jornalista, edi-tando um jornal de circulao diria em Juazeiro, o Folha da Manh. Ingressou na poltica e filiou-se ao PSOL em 2005, quando da fundao do parti-do. Tem militncia ligada aos movimentos sociais.

    Demontieux tem como vice, Valdir Medeiros, de 41 anos, e sindicalista na Regio do Cariri h 15 anos. Valdir formado em letras, com

    especializao em Literatu-ra Brasileira e Africana, pela Universidade Regional do Ca-riri (Urca). Comeou a militar em partido poltico, em 1995, quando ingressou no PSTU, onde permaneceu at 2006. Em 1998, assumiu o concurso p-blico da Prefeitura de Juazeiro do Norte, onde desempenhou diversas funes na Secretaria

    de Finanas. De 2001 a 2004, desempenhou o mandato de Diretor Executivo do Sindica-to dos Servidores Pblicos de Juazeiro. Foi Agente de Auto-ridade de Trnsito em Barba-lha. Em 2005, fundou o Sindi-cato dos Agentes Municipais de Trnsito do Cariri, sendo eleito presidente. Ingressou no PSOL e em 2010, foi candi-

    dato a deputado estadual.A chapa (PSOL/PSTU)

    segue as linhas de defesa dos Partidos de Esquerda e prio-riza a transparncia da gesto pblica, prometendo com-bater o nepotismo e realizar auditoria nas contas pblicas. Defende tambm a solidarie-dade, garantindo o apoio e incentivo s lutas e mobili-zaes populares, em defesa das mulheres e das minorias, priorizando aes pblicas de amparo aos idosos e menores. Pretende, ainda, garantir a acessibilidade, adequando espaos pblicos circulao de portadores de necessida-des especiais.

    Os candidatos defen-dem a instituio do Conselho Municipal de Trnsito e Trans-portes, e prometem a criao da Companhia de Trens Me-tropolitanos de Juazeiro (Me-troju) e a construo do ter-minal integrado de nibus.

    n Demontieux Fernandes (Psol) n Valdir Medeiros (Psol)

    Demontieux Fernandes pretende dar apoio s minorias

    n Ccero Frana (PV) n Marcos Cunha (PT) n Ronaldo Matos (PMDB) n Sineval Roque (PSB)

    BARBALHA

    JUAZEIRO

    Plano de Governo de Argemiro tem 12 eixos temticosO Projeto de Governo

    A Barbalha do Povo, do candidato a prefeito pelo PPS, Argemiro Sampaio Neto, tem compromisso com a sustenta-bilidade e possui 12 eixos te-mticos, que formam uma pla-taforma integrada, envolvendo as dimenses social, ambiental, econmica, poltica e cultural. Extenso e bastante elaborado, o Plano perpassa pelas diversas reas governamentais e tem como referncia o Programa Brasileiro de Cidades Susten-tveis. Os eixos que norteiam o projeto so: governana, edu-cao para a sustentabilidade, bens naturais comuns, econo-mia local dinmica, criativa e sustentvel, equidade, justia social e cultura da paz, consu-mo responsvel e opes de estilo de vida, gesto local para sustentabilidade, melhor mo-bilidade, menos trfego, pla-nejamento e desenho urbano, ao local para a sade, cultura para sustentabilidade e Do lo-cal para o global.

    Cinco grandes metas so destacadas: a instalao de trs grandes empresas, com a criao da Zona Franca de Bar-

    balha, a criao de um novo bairro, totalmente estruturado e planejado, o Programa de me-lhoria de habitao - com doa-o de materiais de construo e reforma de casas de famlias carentes. Alm da implantao de creches-modelo e o avano na Ateno Bsica Sade, in-formatizando os PSFs, sistema de acompanhamento de con-sultas pelo prefeito e secretrio de sade, qualificao e melhor remunerao dos profissionais da rea, fiscalizao permanen-te das atividades dos PSFs.

    O eixo da educao, que ganha a maior preocupa-o no Plano de Gesto, prev a implantao de uma unida-de educacional integral, que ser a escola piloto munici-pal, onde a educao tambm ter carter produtivo, con-textualizado e compartilhado com as famlias, no sentido de se fazer uma gesto que en-volva, alm dos servidores da educao, os alunos, seus pais e comunidades do entorno, promovendo aes que gerem renda, bem estar social, cultu-ra, esporte e sade ambiental. A implantao da escola in-

    tegral, segundo o Plano, tam-bm oferecer comunidade, sistematicamente, uma atrao cultural local ou regional. Ou-tra meta no campo educacio-nal a implantao da Escola Digital, toda equipada e adap-tada nos moldes tecnolgicos mais modernos, onde cada aluno ter acesso a um compu-tador porttil.

    No eixo economia local dinmica, criativa e sustent-

    vel esto previstas parcerias para, em curto prazo, qualifi-car mo de obra de demandas mais emergentes na Regio Metropolitana do Cariri, as-sim como a instalao de um Conselho Municipal de Pla-nejamento e Desenvolvimento Sustentvel, para definir as aes estratgicas de desen-volvimento em reas priorit-rias e de potencial e vocao local e regional.

    n O vice Demstenes Coelho (PC do B) e Argemiro Sampaio (PPS)

    Revolta com agresso covardeTodo o Cariri est indignado com a atitude covarde do carroceiro que agrediu barbaramente o agropecuarista Jos Arnaldo Bezerra, irmo do deputado Arnon Bezerra. Alm de no ter nenhuma razo por bater no carro de Arnaldo, o carroceiro ainda pegou um faco e tentou matar uma pessoa de bem. Arnaldo foi levado para o Hospital Regional do Cariri onde recebeu um tratamento especial, segundo depoimento de Arnon Bezerra. Seu estado de sade inspira cuidados, mas ele no corre risco de morte. Porm, a violncia no trnsito no pode continuar. A sociedade est bestializada. Arnon e seu irmo Luiz Ivan, vice de Raimundo, pararam a campanha para dar total ateno e dedicao a Jos Arnaldo, um ser humano extraordinrio.

    Lula, um reforo para SantanaCoordenador Nordeste das Eleies, o deputado Jos Guimares conseguiu a gravao de Lula para o prefeito Santana. Esse depoimento j dever ser usado nos prximos programas e ainda arranca uma outra promessa: se Lula vier a Fortaleza pedir votos para a candidatura de Elmano Freitas, dar um pulinho at Juazeiro do Norte para tentar reverter o quadro, hoje, amplamente favorvel ao deputado Raimundo Macedo. Guimares e o PT ainda acreditam que possam mudar o resultado e conseguir a reeleio de Santana.

    Campanha em ritmo de paz e amorPor determinao do prefeito Santana, cumprindo orientao de seu marqueteiro Marcos Leite, a campanha do PT em Juazeiro no ir levar ao ar na televiso nenhum ataque a Raimundo. Apresentar programas com propostas e balanos do que realizou em trs anos e meio de administrao. Essa deciso de Santana levou alegria ao comit de comunicao de Raimundo, e euforia ao marqueteiro dele, Antonio Lavareda. Sem troca de agresses, Santana aposta que provar ao eleitor que melhor administrador do que Raimundo e ir reverter o cenrio desfavorvel no Ibope.

    Crato vive dias de grande agitaoA pesquisa Ibope provocou um rebulio nas eleies do Crato. L atrs, em terceiro lugar, o deputado Sineval Roque sustenta que os nmeros apresentados pelo instituto no representam a realidade das urnas e sua candidatura ir surpreender. Serei o novo prefeito, podem acreditar. E anotar. J o candidato do prefeito Samuel Araripe, Ccero Frana, o Cicinho, est todo empolgado. Saltou da quarta colocao para o segundo lugar e cr que nas prximas pesquisas aparecer ainda mais encostado em Ronaldo Matos, que lidera com folga no Ibope. Lder disparado, o candidato do PMDB Ronaldo Matos foge de polmicas e sua maior preocupao conter as brigas internas dentro de seu grupo pelas secretarias. As urnas nem foram abertas, mas, no PMDB cratense, todos trabalham como se Ronaldo j fosse o prefeito eleito e empossado. A nica exceo o prprio candidato que tenta manter os ps no cho e pede aos aliados o juzo no lugar e nada de bobagem.

    Tenso envolve disputa familiarUma briga dentro da mesma famlia no municpio de Nova Olinda foi parar na Polcia. E j produziu, alm de boletim de ocorrncia, outros efeitos cujas consequncias podem ser graves. Gerlnio Sampaio acusa Afonso e Ronaldo Sampaio por ataque a seu comit. nesse ambiente de guerra que se desenvolve a poltica no Municpio. A Polcia precisa estar atenta para evitar um maior acirramento poltico.

    Cobrana de cachs que no saiDecorridos 70 dias do final da Festa de Santo Antonio, os artistas locais de Barbalha, frente Carlos Andrade e Alexandre Costa, reclamam que ainda no receberam seus cachs. Protestam e dizem que esse tratamento descaso da Prefeitura. um jeito bem diferente do tratamento dispensado aos artistas nacionais como Fbio Jnior e Lo Magalhes, que s subiram no palco aps receberem todo o pagamento para realizarem seus shows. Prefeito Z Leite, d um jeito nisso.

    Disse me disse...

    Sineval Roque fez campanha por seu candidato a prefeito em Antonina do Norte, Antnio Filho, que enfrenta nas urnas, o irmo de Sineval Roque, Iteildo.

    O Barbalha Futebol Clube ficou fora da Copa Fares Lopes. Desportistas reclamam da falta de dilogo com o prefeito Z Leite. Esse problema precisa ser resolvido para o futebol no ser prejudicado.

    O deputado Welington Landim teve um grande susto na semana passada, aps sofrer acidente na companhia do prefeito de Misso Velha, Washington Fechine.

    Welington Landim e Washington Fechine estavam indo para o festeiro de Misso Nova quando o carro em que estavam capotou. Felizmente, ningum saiu ferido.

    PT de Araripe pede na Justia impugnao da candidatura de Germano Corra por abuso de poder econmico.

    Desculpe a ignorncia, a campanha de Juazeiro do Norte este ano vai ser de alto nvel entre o prefeito Santana e o deputado Raimundo?

  • SEM ATENDIMENTO MVEL DE URGNCIA

    4 REGIO DO CARIRI(CE), DE 28 DE AGOSTO A 03 DE SETEMBRO DE 2012Cidades

    Ingrid Monteiro, Amanda Salustiano, Joaquim Jnior

    H mais de dois anos, a populao do Ca-riri espera pelo Ser-vio de Atendimen-to Mvel de Urgncia (Samu). Mais uma vez, as promessas so de que o Servio ser im-plantado ainda este ano. Se-gundo o secretrio de Sade do Estado, Arruda Bastos, o nico empecilho o envio das ambulncias por parte do Ministrio da Sade. Enquan-to isso, a populao caririen-se continua aguardando pelo benefcio do atendimento mvel de urgncia.

    Arruda Bastos explica que os projetos dos plos j foram aprovados, mas ainda depende do envio das ambu-lncias, pelo Ministrio da Sade. O Samu dever con-tar com aproximadamente 157 ambulncias.

    De acordo com o mdi-co e diretor de processos assis-tenciais do Hospital Regional do Cariri (HRC), Srgio de Arajo, diariamente, pessoas chegam unidade hospitalar, vtimas de diferentes tipos de acidentes, ocorridos em casa ou na rua. Na maioria, a v-tima fica incapacitada de se deslocar sozinha e necessita

    da ajuda de ambulncias, inte-gradas ao Corpo de Bombeiros e ao Sistema nico de Sade (SUS). Mas, segundo ele, nem sempre elas esto disponveis, ou adequadas tecnicamente para os primeiros socorros. s vezes, o atendimento pr-hospitalar que garante a sobrevivncia do paciente. Normalmente, com a demo-ra das ambulncias, a popu-lao que acaba trazendo o paciente, sem se preocupar com os procedimentos corre-tos. Principalmente, em casos de traumas srios. Isso pode acarretar em agravamento das leses ou at o bito do pa-ciente, explica Srgio.

    Para o mdico, os servi-os do Samu apresentam um forte potencial para corrigir essas queixas dos usurios do SUS, com relao lentido no momento do atendimento.

    Outro ponto impor-tante que eles direcionam os pacientes para as redes hospitalares, de acordo com as suas necessidades, evitan-do o que os mdicos chamam de pinga-pinga.

    A busca por uma unida-de de sade, logo aps o aci-dente, pode colocar em risco a vida das vtimas. Como no caso do vigilante Bruno Ma-rino, que se envolveu em um acidente de moto, no ltimo

    dia (18). Esperei, aproxima-damente uma hora, a chegada de uma ambulncia. Acabei socorrido por populares mes-mo. Infelizmente, fiquei indo e vindo de hospital em hospital, com fraturas expostas, per-dendo muito sangue e sentin-do muita dor, relata.

    Para atender a deman-da de pacientes, o Samu deve contratar profissionais socor-ristas. O edital para a seleo dos profissionais plantonistas ser lanado mediante a aqui-sio das ambulncias, que, segundo Bastos, tem a previ-so de chegar Regio ainda neste semestre.

    A secretria adjunta da Sade de Juazeiro, Ka-liny Matos, diz que as ambu-lncias e o servio prestado pelos plantonistas devero auxiliar no atendimento m-dico pr-hospitalar de ur-gncia, principalmente nos casos de colises de trnsito. O nmero de acidentes de trnsito, sobretudo de moto-cicletas, bastante significati-vo. Algo que aumenta a de-manda dos atendimentos de emergncia, enfatiza.

    Kaliny afirma que a Prefeitura Municipal est disponibilizando o aluguel de uma casa, no bairro Be-tolndia, para apoiar a equi-pe do Samu.

    Em Crato, profis-sionais da sade tambm aguardam pelo Servio. O mdico Renan Almeida, espera que, com a vinda do Samu, esse quadro seja transformado. Ele relata que j presenciou vrias si-tuaes em que os pacientes sofreram acidentes e foram transportados por parentes, sem preparao. Com a implantao do Samu, isso vai mudar. O Servio vai le-var o paramdico at a casa da pessoa e vai transportar o paciente, de casa ou do lo-cal do acidente, de maneira adequada.

    O mdico Jos Alen-car, que atende no Hospital So Raimundo, revela que no sabia da instalao do Servio, e que j ouviu fa-lar de cidades que o servi-o quase no funciona. O Samu um servio social im-portante. Espero que aqui, na regio, ele venha para so-mar e fazer a diferena. n O mdico Jos Alencar espera que a implantao do Samu traga melhorias n Primeiros atendimentos mdicos, principalmente a pacientes idosos, so essenciais para garantir a recuperao

    Populao sofre com a falta do Samu no Cariri

    Segundo o subcoman-dante do Corpo de Bombei-ros, Artur Graa, o atendi-mento prioritrio aquele que se refere s ocorrncias que tenham resultado em trauma. Em ocasies onde a pessoa pode ter sofrido algum tipo de fratura, como

    agresses ou acidentes de trnsito, no trabalho ou do-mstico, o atendimento fei-to atravs do envio da equipe ao local, para dar incio aos procedimentos cabveis.

    Um dos principais problemas enfrentados pelos bombeiros e por

    profissionais da sade , principalmente, a falta de preparo no transporte das pessoas lesionadas. A v-tima no pode ser remo-vida por uma pessoa que no conhea as tcnicas de imobilizao e nem pode ser transportada em um

    veculo comum, relata o Subcomandante.

    Mesmo com infor-maes sobre a maneira correta de deslocamento, muitos ainda no seguem os conselhos dos profissio-nais e se deslocam em ve-culos inapropriados, at os

    hospitais, sem o suporte necessrio para atendi-mento primrio. o caso de Carlos Batista, que foi de Potengi ao Crato, em carro aberto, para receber atendimento aps ter ma-chucado a perna. Ele no quis esperar ambulncia

    e resolveu aceitar carona com um conhecido. Ns temos notcias de que o Samu ser instalado, mas no temos uma informa-o oficial. No chegou nada aqui pra a gente, informa o subcomandan-te Artur.

    n Antnio Samuel veio receber atendimento no Crato, aps machucar o braon Carlos Batista fraturou a perna e resolveu ir de Potengi ao Crato, na caamba de uma pick-up. Cariri h tempos est em longa espera por ambulncias do Samu

    TRANSPORTE INADEQUADO DE PACIENTESArthur Luiz

  • 5REGIO DO CARIRI(CE), DE 28 DE AGOSTO A 03 DE SETEMBRO DE 2012PolticaCidades

    BACIA DO ARARIPE

    Indstrias so principais responsveis pela contaminao de poos no CaririAmanda Salustiano

    Os rgos ambien-tais apontam as indstrias que no esto devidamente licenciadas aos aparelhos fis-calizadores do Estado e Mu-nicpios como s principais responsveis pelo excesso de alumnio no Aqufero da Ba-cia do Araripe, conforme pes-quisa realizada pela Compa-nhia de Gesto dos Recursos Hdricos (Cogerh), divulgada no Jornal do Cariri, na ltima tera-feira (21).

    A pesquisa elencou dados referentes ao excesso de alumnio encontrado nos lenis freticos da Regio, ocasionados pela falta de planejamento ambiental e descartes irregulares de res-duos pesados pelas fbricas de folheados.

    De acordo com a Su-perintendncia Estadual do Meio Ambiente (Semace), atualmente, existem 69 inds-trias de galvanoplastia cadas-tradas no programa de auto-

    monitoramento, do rgo, na regio do cariri. Entre as cida-des com o maior nmero de empresas de folheados esto Juazeiro do Norte (55), Barba-lha (13) e Crato (9).

    Todas as empresas, se-gundo a Semace, so submeti-das s fiscalizaes frequentes, atravs, do programa de auto-monitoramento das indstrias. Um instrumento de controle

    ambiental, que consta como condicionante das Licenas de Operaes, em que essas em-presas apresentam, periodica-mente, relatrios das emisses atmosfricas, sonoras, efluen-tes lquidos e de gerenciamen-to dos resduos slidos.

    Aps anlise dos tcni-cos, so emitidas notificaes, que s informam, sobre as con-formidades/desconformida-des, tendo como base legal as normas vigentes. Tambm so realizadas inspees tcnicas pela equipe de monitoramen-to para verificar as evidncias apresentadas Semace, quan-to aos relatrios de automoni-toramento. Somente ficam de fora desse controle, s empre-sas que no esto licenciadas diretamente ao Estado. Neste caso, necessrio providenciar fiscalizaes mais rigorosas, a fim de conter essa clandestini-dade, declara a Semace.

    O gerente da Compa-nhia de gua e Esgotos do Cear (Cagece), em Juazeiro do Norte, Expedido Galba Ba-tista, explica como realizado o trabalho de tratamento desse despejo no sistema de esgota-mento domstico, nos casos das fbricas regularizadas. Nas 12 indstrias que so mo-nitoradas pela Cagece, feito um acompanhamento que vai desde os testes de toxinas, pr--tratamento do esgoto, at a in-corporao do lixo ao sistema de esgotamento sanitrio.

    Para as empresas que no esto sob a cobertura da Cagece, no h essa orienta-o. Como a Cagece no um rgo fiscalizador, ento no podemos autuar ou regula-mentar essas empresas. As em-presas, com a ajuda dos rgos municipais, devem procurar a Cagece para regularizar essa situao, finaliza.

    n Segundo a pesquisa da Cogerh, existe excesso de alumnio em poos da Bacia Sedimentar do Araripe

    Campanha pretende diminuir ndice de catarata Ingrid Monteiro

    Ver as cores, formas e detalhes da vida considera-do um dos grandes prazeres do ser humano. Quem sofre com a catarata sabe bem a im-portncia de ter os olhos sau-dveis. Em Juazeiro do Norte, um grupo de oftalmologistas est realizando um mutiro para diagnstico da doena.

    Principal causa de ce-gueira reversvel entre os brasileiros, a catarata afeta, principalmente, pessoas com idade acima dos 40 anos e diabticos. Mas, a doena pode ser revertida por meio de procedimento cirrgico. No municpio juazeirense, a campanha visa diminuir o ndice da patologia, dispo-nibilizando aos pacientes a

    cirurgia oftalmolgica, para correo da viso.

    De acordo com a secre-tria adjunta de Sade de Jua-zeiro do Norte, Kaliny Matos, no preciso marcar consulta para ser atendido no mutiro. Para ter acesso aos especialis-tas e exames, basta compare-cer aos ambulatrios noturnos e s unidades de sade da ci-dade. Estamos trabalhando

    para atender o maior nmero de pacientes, enfatiza.

    A triagem encaminha os pacientes diagnosticados para a realizao de exames complementares. Alm do agendamento para realizao da cirurgia gratuita, quando necessrio. O mutiro da ca-tarata deve atender a popu-lao nos bairros Tringulo, Timbaba, Frei Damio, Novo

    Juazeiro e Franciscanos, entre os dias 28 e 31 de agosto.

    Segundo a secretria adjunta, a campanha de com-bate catarata no tem previ-so para o trmino. O atendi-mento se estender enquanto houver pessoas interessadas no tratamento, sobretudo, nos ambulatrios noturnos, a fim de atender parte da populao que trabalha durante o dia.

    O aposentado Vicente Silva uma das pessoas que ser beneficiada pelo mutiro. A minha viso no mais a mesma. Sinto como se estives-se com os olhos embaados, o tempo todo. Por isso, vou aproveitar esta campanha para resolver o problema, declara ele, que revela ter difi-culdade de pagar por um tra-tamento oftalmolgico.

    Tokai

    1/2 pgina

  • Foto

    s: A

    rthur

    Lui

    z / A

    rte: E

    vand

    o F.

    Mat

    ias

    Jornal do Cariri Quan-do o senhor era menino, em Campos Sales, pensava em ter tantas conquistas?

    Humberto Macrio No. Fui recebendo influncias e procurando assimilar o que era in-teressante. At aos meus 15 anos, ajudava meu pai, na agricultura, e nos negcios dele. Eu tinha um tio, Jacob Cortez (Ja-c o z i n h o ) ,

    homem culto e com vasto conhecimento, que aju-

    dou-me muito. Me preparou para a vida adulta e me incentivou vir para o Crato, estudar no melhor colgio,

    que era o Ginsio do Crato. Aqui, fui encora-

    jado ,

    por outro meu tio Antonio Mac-rio de Brito, que havia se formado em medicina, em Salvador. Ele me incentivou a ir para a capital baiana, onde me formei mdico e depois voltei para o Crato.

    JC Como foi o comeou de sua atividade medica? Quais eram os seus planos?

    HM Eu cheguei pronto para trabalhar, porque havia me formado em uma das melhores escolas do Nordeste. Comecei a exercer a profisso, ao lado dos j consagrados da medicina estadual, Antonio Gesteira, Maurcio Teles, Fbio Pinhei-ro Esmeraldo, Eldon Guten-berg, Carlos Barreto de C a r v a l h o , Jos Ulisses e Egberto E s m e -r a l d o . Como o n i c o h o s -pital

    d a cidade era o So

    Francisco, que atendia o Municpio e Regio, decidi mon-tar a minha prpria clnica, sendo a maior do Crato. Na poca, passei a trabalhar dobrado, j que no abri mo de dar expediente hospitalar. Eu era o nico urologista espe-cialista em cirurgia de prstata, a grande novidade da poca.

    JC Como cirurgio de prstata, o senhor destacaria algu-

    ma situao proeminente?HM Sim.

    Eu re-cebi, no

    Hosp i ta l So Fran-

    cisco, o velho Janu-

    rio, pai do rei do baio,

    Luiz Gonzaga. Ao examin-lo,

    diagnostiquei que a prstata do

    paciente estava inflamada e teria

    que oper-la. Janu-rio tinha quase 90

    anos de idade, mas com permisso da

    famlia, fiz a cirurgia

    e ele escapou. S veio falecer em 1988. A repercusso foi grande, em todo o Cear. Sem sombra de dvi-da, este trabalho me deu uma pro-jeo maior do que imaginava. At porque, Luiz Gonzaga fez a msica Vov do Baio, sucesso em todo o Brasil, que divulgou o meu nome e enalteceu a operao cirrgica.

    JC Esse seu trabalho foi o responsvel pelo ingresso na poltica?

    HM Sem sombra de d-vidas. Os meus pais, em Campos Sales, no tinham vocao poltica. Na minha adolescncia, nunca fa-lei com eles sobre isso, E nem eles comigo. Acredito que esse trabalho de destaque chamou a ateno de alguns lderes polticos do Estado e do Municpio do Crato. Certo dia, recebi a visita das lideranas, File-mon Teles, Jos Horcio Pequeno e Ossian Alencar Araripe, me convi-dando para ser candidato a prefeito do Municpio. Eu pedi um tempo para pensar e fui pedir orientao ao meu pai, em Campos Sales. Ele apoiou a idia e resolvi aceitar o desafio. Filiei-me a Unio Demo-crtica Nacional (UDN), enfrentei o desafio e ganhei a eleio. Admi-nistrei o municpio cratense entre 1967 e 1970. Acredito que fiz uma boa administrao.

    JC Como prefeito, quais as obras pblicas que o senhor des-tacaria?

    HM Naquele prdio, onde hoje o museu histrico, funcionavam, no pavimento supe-rior, a Prefeitura, Cmara de Vereado-res, o Frum e a Junta de Servio Militar. Na parte inferior, ficava a Cadeia Pblica. A mi-nha primeira iniciativa foi alugar um prdio, na Rua Ratisbona, bairro Pin-to Madeira, para instalar a Prefeitura. Comprei outro imvel para funcionar a C-mara, onde est at hoje. Com o apoio do Governo do Estado, constru um novo presdio, o qual serviu de cadeia at poucos dias atrs. Outra obra que eu des-taco na minha administrao foi a construo de 70% do prdio onde hoje a Prefeitura.

    JC Como surgiu o convite para ser secretrio de Sade do Es-tado, no governo Virgilio Tvora?

    H M Olha, foram as duas coisas juntas. Virgi-lio Tvora era um poltico obser-vador, articulador e sempre de olho nas coisas. Convidou-me para a pasta da Sade, confiando na minha competncia mdica e na minha ex-perincia como administrador. De-sempenhei a funo, com capacida-de, habilidade, idoneidade e aptido. Esse desempenho me rendeu outro convite, que foi o de superintendente da Superintendncia de Desenvolvi-mento do Cear (SUDEC). Funo que exerci entre 1983 e 1986. Sai do rgo para me candidatar a depu-tado estadual. Fui eleito e assumi o cargo de 1986 a 1990. Foi ai onde resolvi deixar a poltica.

    JC Por que o senhor deci-diu abandonar a poltica?

    HM Eu tinha Virglio T-vora como o meu conselheiro, ami-go. Uma amizade infinda. Tanto era assim que no conto as vezes que ele dormiu na minha casa. ramos irmos na poltica. Agora vou te contar a maior tristeza que senti na vida. Nunca havia chorado por ou-tro homem. Mas, neste momento, eu no suportei. No consegui segurar as lgri-m a s .

    Certo dia, fui deixar Virglio no aeroporto, em

    Fortaleza, para ele viajar a So Paulo. Ele pediu minha

    companhia at o banheiro, e ao fazer xixi, urinava sangue puro. Eu, como urologista, fiquei saben-do que aquele momento era o lti-mo em que ns estaramos juntos. Nunca havia visto, a olho nu, tanta infeco. No deu outra, dias depois voltei ao aeroporto para receber o meu amigo no caixo. Foi nesse dia em que decidi no seguir mais na poltica, onde fiz muitos amigos e no me arrependo de nada.

    JC O senhor pretende es-crever algum livro registrando sua trajetria de vida?

    HM Pretendo, sim. In-clusive j tenho muito material se-lecionado e guardado. Discursos, registros, cartas, correspondncias, fotografias, atas e outros documen-tos que renem curiosidades e mo-mentos da minha vida, como mdico e poltico. No sei quando esta obra literria ficar pronta, mas pretendo conclu-la, o mais rpido possvel.

    6 REGIO DO CARIRI(CE), DE 14 A 20 DE AGOSTO DE 2012VozesdoCariri

    Wilson Rodrigues

    Humberto Ma-crio de Brito, no topo dos seus 83 anos, coragem e entusiasmo per-

    manente para enfrentar as adversidades da vida. Mdi-co e poltico cratense, nasceu em 1929, em Campos Sales, no Cariri Oeste. Conseguiu se notabilizar em dois segmentos: a poltica e a medicina. Hoje, mesmo sem exercer nenhuma das atividades, ainda

    as considera as principais ra-zes da sua vida. A trajetria comeou em 1945, nos bancos escolares do Crato. Passou pela Bahia, onde prestou ves-tibular e ingressou na Escola Baiana de Medicina, chegan-do a se formar em 1958, com 29 anos. Voltou ao Crato para

    trabalhar no Hospital So Francisco. No ano

    s e g u i n t e , m o n -

    tou sua clnica. Ingressou na poltica, na dcada de 60, quando foi eleito prefeito municipal do Crato, depois deputado estadual, secretrio de Sade do Estado e repre-sentou a Superintendncia de Desenvolvimento do Cear (SUDEC). Com o falecimen-to do ex-governador Virglio Tvora, de quem era amigo e parceiro poltico, decidiu abandonar a poltica e dedi-car seu tempo, exclusivamen-

    te, s atividades profis-sionais.

    Eu tinha Virglio Tvora como o meu conselheiro, um amigo. Uma amizade infinda. Tanto era assim,

    que no conto as vezes que ele

    Humberto Macrio, vida de exemplos na poltica e medicina

  • 7REGIO DO CARIRI(CE), DE 28 DE AGOSTO A 03 DE SETEMBRO DE 2012PolticaSocial Cultura

    CULTURA

    Sociedade em FocoPOR WALESKA MARROCOS waleskamarrocos@jornaldocariri.com.br

    O mdico hematologista, Raimundo Apoliano Albuquerque, pessoa muito querida por todos os seus colegas. Em especial, os funcionrios do Hemoce do Crato, que se alegram pela passagem do seu aniversrio. Parabns!

    O dia do maom, 20 de agosto, foi comemorado em todo o Brasil. No Cariri, as homenagens contaram com a presena de autoridades para a iniciao de novos membros.Houve sesso solene na Loja Deus e Humanidade n 14, de Juazeiro do Norte, cujo templo foi amplamente reformado. Na foto, o grande vigilante, Cezar Marques, empossa o venervel Jos Antnio.

    Aos 93 anos de idade e 65 dedicados a Maonaria, Luiz Gonalves Pereira o maom mais velho do Cear e o segundo do Brasil. Foi homenageado pelas lojas Evoluo Nordestina, Padre Moror (de Barbalha) e a Deus e Humildade. Da esquerda para direita: Jos Antnio, Joo Carlos, Ribamar Saraiva, Jeov Pereira. Luiz Gonalves, frente.

    MALAN COMEMORA CASAL SHOWOs empresrios, Feitosa Jr. e sua esposa Rosilda Goes, em noite super agradvel. Como presidente da Abrasel/Cariri, ele trabalha para engrandecer nossa regio.

    NIVER

    JUSTA HOMENAGEMA cegonha presenteou o casal Gesiele Ribeiro e Elandio Feitosa. Eles esto muito felizes espera do primeiro filho. Que venha com muita sade!

    LOJA MANICAGRANDE ALEGRIA

    Entre familiares e amigos, Malan Amaro comemorou mais um ano de vida. Muito querido por todos, o mago dos pincis est desbravando novos horizontes artsticos. Ele trabalha na produo do seu primeiro filme, que tem estreia prevista para meados de dezembro. Do Cariri para o todo o Brasil!

    CULTURA

    Rua Senador Pompeu, N 429 - Centro - Crato-CEFone/Fax (88) 3253.1080

    Diretora TcnicaDr Fabiana Pereira Rodovalho Alencar Gomes

    ALFARMA, a primeira farmcia de manipulao genuinamente Cratense.

    Brbara, o reconhecimento a mulher guerreira e idealista

    Wilson Rodrigues

    Brbara Pereira de Alencar nasceu em Exu (PE), em 11 de fevereiro de 1760, e faleceu aos 72 anos de idade, na cidade de Fronteiras (PI), no dia 18 de agosto de 1832. Seus restos mortais esto se-pultados numa capela do dis-trito de Itagu, municpio de Campos Sales, Cariri cearen-se. Revolucionria, Brbara de Alencar lutou, at o fim da vida, por seus ideais. Brbara de Alencar ocupa a 62 colo-cao na lista das 300 pesso-as indiciadas pela Revoluo Pernambucana, de 1817.

    De acordo com o histo-riador e promotor de justia aposentado da comarca de Exu, Givaldo Peixoto, a he-rona foi assim intitulada sete anos antes da Revoluo Per-nambucana, por ser defenso-ra da liberdade de expresso, principalmente da mulher, que, na poca, era educada apenas para cuidar do mari-do, dos afazeres domsticos, e era negado a ela o direito de destaque.

    Segundo o historiador, durante os quatro anos em que foi presa poltica, Brbara de Alencar foi mantida acor-rentada pelo p, dormindo numa cama de capim e sua alimentao era as sobras de

    pes que vinham do conven-to das freiras, em Salvador.

    Para a diretora do Mu-seu Brbara de Alencar, em Exu, professora Maria do

    Amparo Ayres de Alencar, a luta da herona era por uma ptria brasileira com vncu-los afetivos, culturais, valo-res e histrias, se assumindo

    poltico e socialmente.Somente no ano passa-

    do, Brbara Pereira de Alen-car foi reconhecida herona nacional e teve seu nome

    escrito no Livro dos Heris da Ptria, em Braslia. A C-mara de Vereadores do Crato concedeu-lhe ttulo de cida-dania cratense in memorian. O projeto foi iniciativa da Fundao J. de Figueiredo Fi-lho, em 2008, aprovado, por unanimidade, pelo Legisla-tivo Municipal, em 2009. O ttulo foi entregue a Donita Alencar Cariri, parente mais prxima da homenageada, pertencente a quinta gerao. A Prefeitura fez a entrega da medalha Barbara de Alencar (a maior comenda do Muni-cpio) ao museu do mesmo nome, localizado na cidade de Exu.

    A Empresa Brasileira dos Correios lanou um selo personalizado e o carimbo comemorativo ao reconheci-mento da ilustre pernambu-cana como herona nacional. O selo ficar por 30 dias na agncia/Crato, sendo usado nas correspondncias posta-das na unidade. Em seguida, o carimbo ir compor o acer-vo do Museu Nacional dos Correios em Braslia.

    HeronaBrbara de Alencar es-

    tudou em Cabrob (PE) e veio morar no Crato, ainda jovem.

    Casou-se com 22 anos, em 1782, com o comerciante do ramo de tecidos, o portugus Jos Gonalves dos Santos, com quem teve cinco filhos: o dicono Jos Martiniano de Alencar, Joo Gonalves de Alencar, Joaquina Maria de So Jos, Tristo Gonalves Pe-reira de Alencar e Carlos Jos dos Santos. Notabilizou-se como herona do Crato por ser defensora da independncia do Brasil de Portugal. No dia 3 de maio de 1817, seu filho Jos Martiniano, de batina e roquete, aps a missa na Igre-ja Matriz de Nossa Senhora da Penha, subiu ao plpito e pro-clamou a independncia e a repblica do Brasil. Nasceu ali, o movimento que ficou conhe-cido como Revoluo Pernam-bucana. Perseguida, Brbara de Alencar foi obrigada a fugir para a Paraba, onde foi presa, na localidade Rio do Peixe, e trazida de volta ao Cear, fi-cando em Ic. Depois foi leva-da Fortaleza, Recife e Salva-dor. Foi a primeira prisioneira poltica do Brasil, vindo a ser libertada em 17 de novembro de 1821. Em 1824, presenciou a morte dos filhos, Carlos de Alencar e Tristo Gonalves, por se envolverem na Confe-derao do Equador.

    Ligue e anuncie(88)3511 2457

    O peridico do Cariri independente

    n Brbara de Alencar morreu no dia 18 de agosto de 1832, em Fronteiras, no Piau

    Interessados podem enviar currculo para

    Av. Luiz Juc Arrais Maia, 595, Centro,

    Misso Velha/CE, CEP 63200-000

    CONSTRUTORA NORBERTO ODEBRECHT S.A

    com atuao em construo pesada inicia cadastro

    do Programa de Contratao de Pessoas Portadoras

    de Deficincia e Beneficirios Reabilitados da

    Previdncia Social para eventuais vagas no quadro

    de integrantes da organizao

    COMUNICADO

    Misso Velha /CE, maio de 2012.Misso Velha-CE, 28 de agosto de 2012

  • n Seguido com disciplina, o muay thai proporciona bom resultado em um ms

    Arthur Luiz

    CCERO NICSSIOTOQUE DE PRIMEIRA

    QUEDA LIVRE

    A superioridade do Fortaleza, em relao ao Icasa, no somente fora do

    campo. Dentro das quatro linhas, o Tricolor de Ao tem um histrico de vitrias e de conquistas de campeonatos, contra o Verdo. No ltimo confronto das duas equipes, pela srie C, mais uma vez, deu o time da garotada: 2 a 0. A partida recebeu o maior pblico dos ltimos jogos do time caririense. O Icasa foi uma presa fcil e as oportunidades perdidas pelos atacantes do Fortaleza fizeram com que o placar no fosse mais elstico. O Icasa est em queda livre.

    QUEDA X PERMANNCIA

    O Guarany de Sobral faz uma pssima campanha na srie C. Hoje, um srio candidato a cair para srie D. Faltam nove jogos. Matematicamente, o Bugre tem grande chance de uma permanncia, mas preciso vencer, no mnimo, seis jogos, dos noves que restam da segunda fase. J na srie D, o Horizonte depende de outros resultados e avanar para outra fase. O Verdo do Cariri, na segunda fase, faz cinco jogos no Romeiro. As chances so boas, tanto de uma classificao para o mata-mata, ou quem sabe at, ficar na srie C.

    MASTERS

    A primeira Copa Cariri de Masters rene 23 equipes. Alguns times so compostos por ex-profissionais de muita qualidade tcnica, mas que no tem mais o preparo fsico de antes. A Trade Pneus o time que tem o maior nmero de veteranos: Nasa (que jogou em vrias equipes grandes do futebol brasileiro), Slvio Csar (ex- Guarani, Icasa e Fortaleza), Miller (ex-Guarani), Beto Correria e Zelito Jailson. A Trade Pneus uma das equipes favoritas ao ttulo. No time da Jall Presentes, Maquila, Lula barbalhense, Solano e Marcondes, so nomes que foram destaques no futebol profissional.

    ACESSO

    O treinador Vica consagrou-se no Asa de Arapiraca. Em trs anos, foi campeo alagoano e fez uma grande campanha na srie B. Mas, tudo que bom, dura pouco. Vica, agora est no Fortaleza. Depois da sua chegada, o time deu uma arrancada e saiu das ltimas posies. No atual momento, ocupa a segunda colocao do grupo A. A torcida do tricolor sonha com o acesso srie B. O Fortaleza tem condies para isso, mas necessrio que o elenco saiba o significado da palavra impondervel.

    A Rdio Mais Popular do Brasilwww.somzoom.com.br

    n SEGURANA ELETRNICA

    n PORTARIA

    n ZELADORIA

    n TERCEIRIZAO DE SERVIOS

    Travessa Slino Duda, 59 - Bairro Santa Teresa - Juazeiro do Norte - CE

    Pea j seu oramento sem compromisso

    8Esporte

    REGIO DO CARIRI(CE), DE 28 DE AGOSTO A 03 DE SETEMBRO DE 2012

    MUAY THAI

    Arte marcial conquista opblico feminino Ingrid Monteiro

    Preocupada em man-ter a forma, a po-pulao feminina faz de tudo e adora novidades. Chutes, cotovela-das, socos e joelhadas no so considerados, apenas, sinni-mo de violncia. A prtica do muay thai, que garante maior flexibilidade, definio de msculos e perda de calorias, tem atrado, cada vez mais, mulheres caririenses, na busca por um corpo perfeito.

    Originria da Tailn-dia, a arte marcial est asso-ciada a uma boa preparao corporal e desenvolvimento do condicionamento fsico, autoconfiana e concentrao do praticante. No Cariri, a feminilidade chegou aos tata-mes e equilibra os espaos en-tre homens e mulheres.

    De acordo com o educador fsico, Genilson Ferreira, cerca de 30% dos praticantes da arte marcial so mulheres. Segundo ele, somente nas aulas que ofe-rece na academia, o pblico feminino representa 40% da turma de alunos. Houve um aumento significativo na presena feminina nas aulas, nos ltimos trs anos. Princi-palmente, devido popula-ridade do esporte por meio da divulgao das artes mar-ciais mistas, conhecido por MMA, ressalta o professor.

    O gasto calrico ele-vado. Considerando que um

    treino dessa modalidade re-sulta, em mdia, uma hora e meia, os educadores afirmam que o aluno pode queimar de mil a 1500 calorias, depen-dendo do ritmo da aula e de seu metabolismo. Benefcios como este, conquistaram a jovem Eliziane Granjeiro, que revela est satisfeita com o resultado da atividade. Decidi praticar o muay thai, com a finalidade de perder peso, pois alm de aprender a lutar, participo de um in-tenso aquecimento durante toda a aula, declara a atleta.

    Conhecido como boxe tailands, o muay thai virou paixo para mulheres de to-das as idades. No entanto, especialistas afirmam que o treino deve ser acompanha-do de uma boa alimentao, para o alcance do objetivo desejado. O personal trainer, Luciano Cavalcante, alerta que a prtica esportiva deve ser seguida com disposio, disciplina e dedicao, du-rante trs vezes por semana.

    A estudante Rebeca Nila sabe bem disso. Ob-servando a maior procura das mulheres pela a arte marcial, a adolescente optou pelo muay thai. Devido ser bastante hiperativa, mi-nha psicloga recomendou a prtica de alguma luta. Hoje, j observo melhoras em meu comportamento, alm de est solucionando o meu problema respirat-rio, explica.

    Cargas e Encomendas Urgentes para o Serto Central, Cariri, Baixo Cariri e Chapada do Araripe, DIARIAMENTE. Filiais: Quixad, Quixeramobim, Senador Pompeu, Mombaa, Acopiara, Iguatu, Vrzea-Alegre e Juazeiro do Norte.

    www.birdexpress.com.br

    Fortaleza-CE 85.3295.7878

    Avenida Padre Ccero, 2200

    Galpoes 4 e 5 - TrianguloJuazeiro do Norte-CE

    88.3512.7164 / 3512.8980

    RUA DELMIRO GOLVEIA, 942 - SALESIANOSFONE/FAX: (88) 3512-1100

    TUDO EM AT 10X NO CARTO VISA SEM JUROS

    CHEQUE E CARN.

    AUTOMTICOS, CERCA ELTRICA, PORTEIRO E VIDEO PORTEIRO, INTERFONE, PABX, CFTV.

    Cariri, 26/06/12CARIRI, 28/08/12

    EXPE

    DIE

    NTE

    Fone: (85) 3216.1600

    Texto: Lina Moscoso

    Assessora de Imprensa: Suzete Nocrato

    SubSeo de Juazeiro do Norte iNaugura eStacioNameNto do advogado

    curSo PreParatrio Para o exerccio da advocacia iNicia 4 turma No iNterior

    SubSeo do crato iNaugura Laboratrio Jurdico

    regio do cariri coNtar comNovo Frum trabaLhiSta

    A partir do dia 27, a Subseo de Juazeiro do Norte da Ordem dos Ad-vogados do Brasil Secional Cear (OAB-CE) deu incio a mais uma edio do Curso Preparatrio para o Exerccio da Advocacia, das 19h s 22h, na sede

    da entidade. Esta a 4 turma no interior. As au-las seguem at sexta-feira (31). A capacitao ser realizada pela Fundao Escola Superior de Advo-cacia (Fesac), em conjun-to com a OAB-CE.

    O curso proporciona a capacitao prtica para o pleno exerccio da pro-fisso, preparando o ad-vogado para sua entrada no mercado de trabalho.

    O aperfeioamento gratuito e destinado a quem tiver o ingresso comprovado nos qua-dros da OAB-CE. Durante o curso, o advogado con-ta com noes de Direito Penal, Cvel, Previdenci-rio, Tributrio e Eleitoral.

    A Subseo do Crato da Ordem dos Advogados do Brasil Secional Ce-ar (OAB-CE) inaugurou, no dia 24 de agosto, em sua sede, um moderno e confortvel Laboratrio Jurdico. Totalmente climatizado, o espao dis-pe de novos computadores com acesso internet, impressora a laser e estaes de trabalho. O local tambm conta com uma biblioteca com as principais obras jurdicas disponveis no mercado, devidamente atualiza-das em edio 2012, para uso exclusivo dos advogados.

    De acordo com o presidente da Subseo do Crato, Fabrcio Siebra Fe-lcio Calou, trata-se de mais um realizao daquela entidade em estreita parceria com a OAB Cear, tornando realidade mais um sonho antigo da classe e oportunizando aos colegas advogados importante ferramenta de trabalho e estudo para melhor atender as suas necessidades.

    Na mesma data, foi comemorada, com jantar de confraternizao rea-lizado no Crato Tnis Clube, a semana do Advogado.

    A populao da Regio do Cariri ter, em breve, um novo Frum Trabalhista. O Tribunal Regional do Trabalho do Cear (TRT/CE) e a Prefeitura de Juazeiro do Norte assinaram protocolo de intenes para construir uma nova sede regional para a Justia do Trabalho. A instala-o do novo Frum, que ter capacidade para abrigar at quatro varas do trabalho, ser de responsabilidade do TRT7. Atualmente, as duas varas do Trabalho da Regio do Cariri funcionam em Juazeiro do Nor-te e Crato. Sero implantadas mais duas unidades judicirias. O novo Frum abrigar a segunda maior movimentao processual do Cear.

    No ano passado, as duas varas do trabalho da Regio do Cariri receberam 2.650 novas aes trabalhistas. Foram julgadas 2.451 no mesmo perodo. Alm de Juazeiro do Norte e Crato, as varas do traba-lho do Cariri tambm solucionam conflitos trabalhistas que envolvam empregadores e trabalhadores de outros 24 municpios: Abaiara, Al-taneira, Antonina do Norte, Araripe, Assar, Aurora, Barbalha, Barro, Brejo Santo, Campos Sales, Caririau, Farias Brito, Granjeiro, Jardim, Jati, Mauriti, Milagres, Misso Velha, Nova Olinda, Penaforte, Porteiras, Potengi, Santana do Cariri e Salitre.

    A Subseo da Ordem dos Advoga-dos do Brasil Secio-nal Cear (OAB-CE) de Juazeiro do Norte inaugurou, no dia 24 de agosto, o estacio-namento no Frum da Comarca. O es-pao atender todos os advogados da regio que precisam frequentar o Frum e que utilizam a sala de apoio classe pre-sente no local. Em seguida, foi oferecido um almoo aos presentes.

    Essa mais uma ao da OAB-CE, por meio da Subseo de Juazeiro do Norte, para proporcionar conforto aos advogados. Em maio, foi inaugurado o equipamento de apoio advocacia, no Frum da Justia Estadual em Jua-zeiro do Norte. O espao, que est equipado com quatro computadores e es-cner, assegura aos advogados e advogadas que militam na Justia comum de Juazeiro conforto e segurana para realizar o seu mister.