JORNAL DO CARIRI - Edição 2548

Download JORNAL DO CARIRI - Edição 2548

Post on 06-Mar-2016

235 views

Category:

Documents

16 download

DESCRIPTION

Jornal do Cariri - Edio 2548 - 21 a 27 de agosto

TRANSCRIPT

  • O peridico do Cariri independente

    MERCADO

    Projeto Sinais do Fazer rene artistas nacionais

    AGOSTO DA ARTE

    5

    4

    33

    7

    Foto: Samuel M

    acedo / Montagem

    : Evando F. Matias

    Mulheres conquistam vagas de taxistas

    E L E I E S

    > > > > > > > > > >

    JUAZEIRO CRATO

    ESPORTEESPORTE

    LEI MARIA DA PENHA

    IMVEISPATRIMMIO

    PARALISAO

    Candidatos apostam no horrio eleitoral Metas de Sineval Roque so sade e emprego

    Setor imobilirio enfrenta alta de preos

    Vago do Metr do Cariri depredado por vndalos

    Mulheres mais conscientes sobre agressesUFC continua em greve por tempo indeterminado

    Em seis anos de vigncia da Lei Maria da Penha, cresceu o nmero de denncias de mulheres vtimas de algum tipo de violncia, no mbito domstico e familiar. A Delegacia Especializada de Violncia contra a Mulher, de Juazeiro do Norte, registra cerca de 80 Boletins de Ocorrncia, mensalmente, e o Juizado Especializado atendeu, aproximadamente, 1.800 processos em 2012.

    Em Juazeiro do Norte, quem pretende alugar ou comprar imveis, observa um valor maior no metro quadrado,em relao ao ano passado. Algo que dificulta negociaes e provoca desordem de valores no mercado imobilirio local. O aumento nos valores chama ateno dos consumidores.

    Inaugurado h pouco mais de dois anos pelo Governo do Estado, o Metr do Cariri, que liga Juazeiro do Norte e Crato, vem sendo depredado durante o trajeto entre as duas cidades. O Veculo Leve sobre Trilhos (VLT) j teve algumas das suas janelas quebradas.

    A prapaganda gratuita no rdio e na TV, iniciada nesta tera-feira, 21, vista pelos candidatos como um marco decisivo na campanha. Aps a divulgao da primeira pesquisa IBOPE para prefeito em Juazeiro do Norte, candidatos avaliam o momento e apostam nos seus programas.

    O Jornal do Cariri traz, esta semana, o perfil e as propostas de campanha do candidato a prefeito do Crato, o deputado estadual Sineval Roque (PSB). Ele diz que s precisa de 180 dias para melhorar as condies do setor de sade do municpio, equipando a estrutura funcional e contratando mdicos.

    4

    5

    Icasa e Guarani lutam para se manter nas competies. Os dois times de Juazeiro sofrem com a falta de apoio, o que acaba prejudicando o desempenho dos jogadores dentro de campo.

    Times juazeirenses passam por dificuldades financeiras

    REGIO DO CARIRI l DE 21 A 27 DE AGOSTO DE 2012 l ANO XIV l NMERO 2548 R$ 1,50

    Alumnio contamina gua de poos da Bacia do Araripe

    Arthur Luiz

    8

    5 6

    Acesse e veja a programao completa: www.bnb.gov.br/cultura

    Dia 21, tera-feira.OFICINA DE FORMAO ARTSTICAIV Agosto da Arte14h00 - Gravura Contempornea - Gabriela Noujaim - Rio de Janeiro-RJ.Dia 22, quarta-feira.TROCA DE IDEIAS14h00 - Museus e Acessibilidade -Uma Temtica Contempornea -Isabel Portella-RJ.

    Dia 23, quinta-feira.ARTES CNICAS19h00 - Inslitos - Cia. Ortaet deTeatro - Iguatu-CE - Dir.: Jos Filho.Dia 24, sexta-feira.OFICINA DE FORMAO ARTSTICAIV Agosto da Arte14h00 - Gravura Contempornea -Gabriela Noujaim - Rio de Janeiro-RJ. BIBLIOTECA VIRTUAL

    18h00 - Recursos Avanados deUtilizao da Internet - Blogs.ROCK-CORDEL19h30 - Tagore - Recife-PE.Dia 25, sbado.CURSO DE FORMAO ARTSTICALocal: Teatro Marquise Branca -Av. Pe. Ccero, s/n.14h00 - Dilogo das Artes -Prof. Mrcio Rodrigues.

    PERCURSOS URBANOS15h00 - Trajeto Comemorativo. Mediadores: Alana Maria, AmandaJanice e Antonio Rodrigues.ARTES VISUAIS 19h00 - Abertura da Exposio Horto - O Museu que H em Ns!Curadoria: Anastcio Braga,Di Freittas e Kssia Mota.Dia 26, domingo.

    Fechado.CURSO DE FORMAO ARTSTICALocal: Teatro Marquise Branca - Av. Pe. Ccero, s/n.14h00 - Dilogo das Artes - Prof. Mrcio Rodrigues.Dia 27, segunda-feira.Fechado.

    Destaques da programao de 21 a 27 de agosto de 2012.

    Crime am

    biental

  • A gua o bem mais valioso para a Humanidade no sculo XXI. A devastao ambiental, a exploso populacional e o aquecimento do planeta so causas comuns aos proble-mas globais decorrentes da falta desse lquido precioso para milhes de pessoas. Se as guerras no passado foram por dis-putas coloniais, acesso a fontes de petrleo ou por mercados consumidores, agora, os especialistas falam em uma guerra por gua, que mobilizar dezenas de naes, divididas en-tre as que no tm fontes de gua e as que esbanjam esse recurso natural.

    O Cariri vive o paradoxo de ser um pequeno osis em uma regio de escassez de gua. A regio, a despeito dos problemas com a Seca, conhecida por suas fontes de gua mineral, especialmente nos municpios da zona da Serra do Araripe, como o Crato.

    Nesta edio do Jornal do Cariri, denuncia-se a con-taminao das fontes e nascentes com o alumnio, elemento qumico utilizado em diversas atividades humanas de car-ter industrial, agrcola e de servios. o elemento mais abun-dante da crosta terrestre. Mas, a contaminao do alumnio

    na regio da Serra do Araripe tem responsveis conhecidos: as empresas que utilizam esse metal para o beneficiamento industrial de produtos manufaturados, especialmente joias e peas de uso domstico, e os agricultores que se valem de de-fensivos e agrotxicos, em cuja composio entra o alumnio.

    Os resduos industriais e agrcolas esto destruindo a pureza das fontes aquferas no Cariri. Aps a revelao de que o nvel de vazo dos poos e nascentes do Cariri caiu assustadoramente no ltimo sculo, tem-se agora a trgica informao sobre a existncia de contaminao por alumnio desses preciosos mananciais.

    Uma vez mais, a ganncia dos agentes econmicos e a omisso dos rgos de fiscalizao ambiental e de controle de posturas e edificaes so as causas desse desastre ecol-gico no Cariri. Para alm da destruio dos mananciais aqu-feros, o que j seria por si s dramtico, necessrio avaliar o risco a que se submete a populao pelo consumo de gua com altos nveis de presena desse elemento qumico.

    No mais possvel que o Aqufero da Bacia Sedimen-tar do Cariri seja ameaado dessa forma e que municpios

    como Crato, Juazeiro do Norte, Barbalha, Caririau, Misso Velha, Porteiras, Jati, Jardim, Brejo Santo, Abaiara, Mauriti e Milagres venham a sofrer prejuzos ambientais irreversveis, capazes de impedir as futuras geraes de gozar de recursos hdricos indispensveis a sua sobrevivncia.

    Apenas sociedades fracas e desmobilizadas permitem que se destruam impunemente suas riquezas mais sensveis. O Cariri j vem sofrendo h tempos com a devastao am-biental. O conluio entre classes privilegiadas, governos in-competentes ou de m-f, empresrios inescrupulosos e a omisso generalizada de grande parte da populao encon-tram-se na raiz do problema. O que tem feito a comunidade acadmica no Cariri, quase toda ela financiada por recursos pblicos, em relao a isso? Por que no se promovem semi-nrios e se denunciam esses problemas de maneira tcnica? O que diz sobre isso o Ministrio Pblico Federal e seu ho-mlogo Estadual?

    So muitas perguntas e quase nenhuma resposta. O Cariri precisa saber como seu futuro ser preservado. Antes que seja tarde demais.

    A CONTAMINAO DA GUA NO CARIRI

    2 REGIO DO CARIRI(CE), DE 21 A 27 DE AGOSTO DE 2012Opinio

    Editorial

    Envie sua carta para jornaldocariri@jornaldocariri.com.br e d sua opinio faa sua sugesto, uma crtica. Esse espao aberto para voc, caro leitor.

    AS LGRIMAS INOPORTUNASCOMPLICAM A EXISTNCIAQUEM TEM O PAVIO CURTOPLANTA SUA DECADNCIACALMA... SABEDORIAE SUCESSO... PERSISTNCIA!

    Welington Costa

    O Crato fez uma justa homenagem passagem dos 180 anos da herona Brbara de Alencar. Belo reconhecimento da impor-tncia do papel dela para o Brasil. Parabns aos organizadores da programao que prestigiou essa pernambucana que virou refern-cia nacional.

    ngela Batista, Crato

    MORALIDADECHARGE

    CLIENTE, RAZO MAIOR . . .As empresas convivem com grandes de-

    safios na rea de Atendimento ao Cliente, con-dio essa que, com auxlio das Tecnologias de Informao e Comunicao (e-mail, telefone etc.), tem sido o principal meio de ligao direto--mediato com o cliente. Aplicar essas ferramen-tas, em tempo hbil permite quebrar as barreiras entre Empresa e Cliente, fazendo valer o direito do cliente em ter ouvido a sua reclamao. A em-presa, por alguma razo, deve prestar explicaes quando solicitada pelo cliente. O cliente ao alegar insatisfao, no se deve perder tempo, ouvir e encaminhar para algum que possa resolver o problema dele, a soluo mais cabvel, uma vez que o problema de todos da empresa.

    O cliente quer ser bem atendido, por isso, ele inteligente, embora fique indeciso e confuso na hora de decidir o que deve comprar; mal hu-morado quando mal atendido; s vezes detalhista ao querer saber maiores informaes do produ-to ou servio a ser adquirido; e bem humorado quando o produto ou servio supera suas ex-pectativas. Sendo assim, trabalhar em busca de garantir a excelncia e a satisfao do cliente responsabilidade dos que trabalham no atendi-mento.

    Atenda bem o seu cliente. O cliente a razo maior de nossa existncia! Lendo essas citaes, vemos a necessidade das empresas em manter e conquistar seus clientes. Mesmo por-que, a trajetria e o segredo do sucesso das empresas serem bem-sucedidas esto no atendi-mento de qualidade prestados aos seus consu-midores. E atendimento com qualidade o di-ferencial que envolve valores como: cordialidade,

    sinceridade, simpatia, respeito, alm de pontualidade no atendimento, e maturidade dos profissionais em sa-ber lidarem com o Cliente.

    Conceituando, o atendimen-to corresponde ao ato de atender o cliente; dar ateno s pessoas de maneira eficiente e em tempo gil. Para tanto, deve existir no momen-to do atendimento, a habilidade de saber recepcionar e atender o cliente. O recep-cionar acontece na portaria, onde se filtra as ne-cessidades do cliente, o que Ele realmente quer dar nossa empresa. Logo, em seguida identifica-do necessidade, encaminha o cliente para ser atendido pelo setor competente. Compreender o funcionamento da Logstica e da eficcia do atendimento ao cliente; fortalecer os laos en-tre empresa e cliente, preciso ter viso e viso ver o que ningum ainda no viu (no mundo dos negcios), ir muito alm. Contudo, quem pensa demais, cria medo, e quem tem medo, no chega l. Na era da modernidade, chega primeiro ao cliente, quem tem tecnologia e ideias inovadoras para colocar em prtica.

    De origem Latina, o adjetivo fidelis sur-ge na lngua portuguesa, FIDELIZAR. Fidelizar utilizado pelo Marketing empresarial como estratgia de tornar o cliente fiel empresa. Atender s exigncias do cliente, neste mundo competitivo, focalizando a fidelidade, necess-rio estabelecer vnculo de responsabilidade, que requer atributos como: criatividade, coragem, ousadia e persistncia. Est provado que cliente insatisfeito traz resultados negativos para a em-

    presa, ou seja, um cliente insatisfeito consegue influenciar de 05 (cinco) ou at mais pessoas a no usar servios e equipamentos de qualidade abaixo do esperado. O cliente no mais se conforma com o bom, ele exige o excelente. Nesse sentido que a propaganda boca-boca do cliente, que j utilizou o servio e aprovou, pode ser indicada para outros clientes

    apresentando ser eficaz. Tirar lies das expe-rincias negativas faz entender o ditado popu-lar: gato escaldado tem medo de gua fria. Lembre-se, o teu concorrente no mais o teu vizinho, o mundo todo teu concorrente e o cliente deixa de ser fiel para com a empresa, por diversas razes: demora no atendimento; falta de resposta para resoluo de algum problema; e descumprimento de prazos.

    Em diferentes estabelecimentos, o aten-dimento ao cliente, no preocupao exclusi-vamente s da iniciativa privada. O decreto pre-sidencial 3.507 de 13 de junho de 2000, resolve padronizar o atendimento do Servio Pblico Federal, e estabelece: tempo mnimo de espera para o cliente ser atendido; cria-se mecanismo de comunicao e atendimento a reclamaes; recomenda utilizao de sistema de sinalizao visual e outras providncias.

    Jamais, se pretende comparar o servio Pblico e Privado. Mas, se conquista cliente com atendimento de qualidade.

    Andson Andrade da SilvaLicenciando em Letras - Urca

    A noo do dever, da honra, da dignidade es-sencial na vida de D. Pedro II, que a considerava uma obrigao e no admitindo ser lou-vado por isso, li-mitava-se exigir dos outros honestidade. No seu dirio, o Imperador se lamentou: A falta de zelo, a falta de cum-primento do dever o nos-so primeiro defeito moral. Muitas coisas me desgastam, mas no posso remedi-las, e isso me aflige profundamen-te. Se ao menos eu pudesse fazer constar geralmente como penso: Mas, para que, se to poucos acreditariam nos embaraos que encontro para fazer o que julgo acer-tado? H tanta falta de zelo, e para a maioria o amor Ptria s uma palavra. Ver onde est o bem, e no po-der concordar para ele seno lentamente, um verdadeiro tormento para o soberano que tem conscincia.

    Conforme o historia-dor Oliveira Lima, Dom Pedro II assumiu uma ditadura: a da moralidade. Suas escolhas procuravam ser justiceiras, e por nada as teria degradado. Os senadores que D. Pedro nomeava dentre os eleitos em lista trplice pelo povo, os magistrados que promovia na carreira judiciria, os diploma-tas que mandava representa-rem o Pas no estrangeiro, ti-nham todas as probabilidades de ser respeitveis e honestos.

    Se vinha a saber a me-nor coisa em contrrio sua reputao, e a acusao fose justificada, seus nomes iam para a famosa lista negra. O resultado dessa vigiln-cia que a elite imperial era brilhante e capaz, moldada

    na melhor escola, onde cada qual se impunha pelo seu valor e por suas al-tas qualidades mo-rais.

    Dom Pedro era atento aos me-nores detalhes do

    seu ofcio, lendo os memo-riais, investigando o passado dos candidatos aos cargos pblicos: Era intolerante s para os desconceituados, in-tratvel quando lhe falavam de gente indigna, incapaz de promover ou manter deso-nestos, em cujo julgamento era implacvel. Metido em tudo, fiscal de todos os ramos do poder, absorvente, meti-culoso, prudente, como se na dobra de cada papel houvesse um alapo, por onde o Im-prio corresse perigo, um ter-rvel funcionrio inexorvel, vigilante incansvel.

    Quando Dom Pedro partiu para sua primeira via-gem Europa, quiseram os deputados atribuir-lhe uma verba extra para o Imperador fazer condignamente sua via-gem. Imediatamente o Impe-rador mandou uma instruo ao ministro Joo Alfredo, nos seguintes termos: espero que o ministrio se apresse em fazer desaprovar quanto antes semelhantes favores que eu e minha filha rejeita-mos. Respeito a inteno de todos, mas respeitem tam-bm o desinteresse com que tenho servido Nao.

    Almrio Carvalho Secretrio da Cmara do Crato

    Exped

    iente

    :

    Fundado em 5 de setembro de 1997O Jornal do Cariri uma publicao

    da Editora e Grfica Cearasat Comunicao Ltda

    CNPJ: 34.957.332/0001-80

    O peridico do Cariri independente

    Diretor-presidente: Donizete Arruda Diretora de Redao: Jaqueline Freitas Diretoria Jurdica: Vicente Aquino

    Administrao e Redao: Rua Pio X, 448 - Bairro Salesianos - CEP: 63050-020 - Juazeiro do Norte Cear - Fone (88) 3511.2457Sucursal Fortaleza: Rua Coronel Alves Teixeira, 1905, sala 05, Telefone: 085.3462.2607 - Celular: 085.9161.7466Sucursal Braslia: Edifcio Empire Center, Setor Comercial Sul, Sala 307, Braslia-DF

    Os artigos assinados so de responsabilidade dos seus autores

    Conselho Editorial: Geraldo Menezes Barbosa | Francisco Huberto Esmeraldo Cabral | Napoleo Tavares Neves e Monsenhor Gonalo Farias Filho

    Fale conosco Redao w cidades@jornaldocariri.com.br w policia@jornaldocariri.com.br w politica@jornaldocariri.com.br w redacao@jornaldocariri.com.br Departamento Comercial w comercial@jornaldocariri.com.br | Geral w jornaldocariri@jornaldocariri.com.br

    SEXTILHA CARTA

  • Poltica3REGIO DO CARIRI(CE), DE 21 A 27 DE AGOSTO DE 2012

    Horrio Eleitoral visto como divisor de campanha

    DONIZETE ARRUDAPoltica

    JUAZEIRO

    E L E I E S

    > > > > > > > > > >

    Mirelly Morais

    A propaganda elei-toral gratuita, no rdio e TV, teve incio nesta tera--feira (21). No primeiro dia, apenas os candidatos aos cargos de vereadores se apresentaram para os elei-tores. Na quarta-feira ser a vez dos candidatos a pre-feito. Em Juazeiro h grande expectativa para o incio da propaganda.

    O primeiro programa deve apresentar os candida-tos e mostrar, de uma forma geral, como trabalharo suas metas. Mas, de antemo, po-demos esperar muitas reve-laes e acusaes durante os prximos 40 dias.

    Para o prefeito Mano-el Santana (PT), que tenta a reeleio e aparece com 16% das intenes de voto, a cam-panha est apenas iniciando. Para ns, est comeando agora, com a inaugurao do nosso Comit e o incio da propaganda na televi-so e no rdio, quando voc pode falar para uma grande audincia, aposta Santana. Ele diz que com o horrio gratuito ter a chance de se defender das mentiras e ca-lnias que inventaram a seu respeito. Vamos nos defen-

    der e mostrar o que fizemos nestes trs anos e meio, adianta o candidato petista, convocando a militncia e incentivando a campanha.

    Demontieux Fernan-des, que obtm 7% das in-tenes de voto, avalia os nmeros positivamente e revela que esperava um percentual entre 7 e 11%, nesta parte da campanha. Mas, diz que a pesquisa re-presenta apenas um retra-to inicial e que, a partir da propaganda, o quadro pode se reverter. Ainda somos desconhecidos da maioria e vamos conseguir levar a nossa mensagem a partir do rdio e da TV. Acreditamos no crescimento, no decor-rer da propaganda eleitoral gratuita. No vamos atacar ningum, garante Demon-tieux.

    J o candidato do PMDB, Raimundo Mace-do, detentor do primeiro lugar na pesquisa com um ndice de 63% das inten-es de voto, afirma que mesmo com os nmeros favorveis, sua campanha dever seguir o mesmo ritmo. Para Raimundo, a propaganda eleitoral tambm definitiva e ser avaliada aps os primei-ros 10 dias.

    Antnio Roque de Arajo nasceu na cidade de Saboeiro, serto dos Inha-muns, em 16 de junho de 1950, vindo a residir pos-teriormente na cidade de Antonina do Norte. o pri-mognito dos oito filhos de Antnio Roque de Alencar e Maria Dourinha de Arajo. Roque casado com a publi-citria e empresria Renata Mendes e pai de trs filhos: Pablo, Diego e Tayci.

    Como muitos sertane-jos, iniciou sua trajetria mi-gratria aos 12 anos de idade, indo para a cidade do Crato, estudar no Colgio Diocesa-no, do Padre Montenegro, e no Colgio Estadual Wilson Gonalves. Aos 14 anos, con-seguiu seu primeiro emprego em um comrcio tradicional do Crato, tendo trabalhado tambm na Casa do Fazen-deiro e no Banco Industrial do Cariri, hoje BIC Banco.

    Desejando conhecer o

    desenvolvimento econmi-co da regio sudeste, migra para o eixo Rio/So Paulo, onde trabalhou como credia-rista, passando a distribui-dor e, em seguida, estabelece sua primeira casa comercial. Em 1984, se lanou na in-dstria, se tornando micro-empresrio no setor de alu-mnio. Em 1986, implantou uma distribuidora na cidade do Crato e, em 1988, a loja Distribuidora Roque. Com a criao, em 1990, da Inds-tria e Comrcio de Alumnio Roque, suas empresas pas-saram a trabalhar em todo o ciclo produtivo do alumnio.

    Roque diz que resol-veu ingressar na poltica para devolver populao, especialmente s classes me-nos favorecidas, o que sua vida de empresrio lhe pro-porcionou. Candidatou-se e foi eleito prefeito de Antoni-na do Norte, onde juntamen-te com 11 prefeitos da regio,

    fundou e foi o primeiro pre-sidente da Associao dos Municpios do Cariri Oeste (AMCOESTE), cargo para o qual foi reeleito. Em 1998 foi eleito deputado estadual e reeleito nos trs mandatos consecutivos: 2002, 2006 e 2010. Teve sua maior vota-o na cidade do Crato e foi o deputado majoritrio nos ltimos dois pleitos.

    Sineval Roque con-corre ao Governo do Crato ao lado do mdico Mau-rcio Almeida (PP), o Dr. Mauricinho. Tem como principais metas melhorar a sade no Municpio em 180 dias - equipando e con-tratando mdicos e profis-sionais para atendimento em todos os postos do mu-nicpio - e criar a mais ou-sada poltica para atrao e implantao de indstrias da histria do Crato, visan-do a gerao de emprego e renda.n Sineval Roque (PSB)

    Roque quer melhorar sade do muncipio em 180 dias

    n Demontieux Fernandes (PSOL )

    Direito de RespostaPor deciso judicial, a coluna obrigada a publicar a seguinte nota de resposta relativa ao candidato Raimundo Macedo: O candidato prefeito Raimundo Antonio de Macedo declarou junto Justia Eleitoral como limite de gastos de toda a campanha o valor de R$ 2 milhes, o que engloba, portanto, todos os gastos existentes, como material de divulgao, veculos de sonorizao, contratao de pessoal, produo do horrio eleitoral gratuito, etc, no significando, sequer, que ser despendida tal quantia. Do que se depreende facilmente no ser verdadeira a informao da contratao de uma empresa prestadora de servios pelo valor total dos gastos estimados.Os gastos com a campanha vm transcorrendo na mais perfeita normalidade, sem qualquer empecilho que coloque em dvida o bom andamento e transparncia dos seus atos, caracterstica, inclusive, sempre presente na vida pblica do candidato Raimundo Antonio de Macedo.

    Ibope leva euforia a EuncioA primeira rodada de pesquisa Ibope nas duas principais cidades do Cariri Juazeiro do Norte e Crato levou entusiasmo ao presidente regional do PMDB, senador Euncio Oliveira. Os nmeros registrados pela candidatura de Raimundo mostram que as chances do prefeito Manoel Santana reverter o quadro, hoje, estariam inferiores a 20%. No Crato, o cenrio tambm muito favorvel ao candidato Ronaldo Matos, que disparou na preferncia do eleitorado. Ciente da ampla vantagem dos dois candidatos do PMDB, Euncio aconselhou-os a no diminurem o ritmo da campanha, para evitarem qualquer surpresa. S que especialistas em pesquisas eleitorais avaliam que com 46 pontos percentuais de vantagem, dificilmente Raimundo poder ser derrotado por Santana. Em relao a Ronaldo, a maioria tambm elevada e supera os 36 pontos percentuais, uma vantagem que impressionou o Palcio Abolio.

    Futuro de Raimundo em 2103O julgamento do mensalo pelo Supremo Tribunal Federal(STF) tira o sono dos 92 deputados federais e senadores que possuem processos no tribunal. O STF est provando que no vai mais poupar poltico suspeito de crime e que seja julgado pelo pleno do Supremo por ter frum especial. Um desses alvos justamente o deputado Raimundo Macedo. Apontado como virtual prefeito pelo Ibope, Raimundo precisa se preocupar, agora, com o seu julgamento por crime contra o sistema financeiro, provavelmente, no ano que vem. Se condenado, existe at o risco de, mesmo eleito, perder seu mandato, j que as acusaes envolvem at a lavagem de dinheiro.

    Disse me disse...

    Prefeito Santana continua acreditando que possa mudar quadro eleitoral. Confia na ajuda que o ex-presidente Lula dar participando de uma caminhada em Juazeiro.

    Deputado Jos Guimares esteve com o governador Cid Gomes. No encontro, o futuro da aliana eleitoral entre PSB e PT aps a abertura das urnas de outubro.

    Arnon Bezerra foi convidado especial do governador Cid Gomes para a festa de inaugurao do Centro de Eventos, com show de Plcido Domingo.

    Antes do show, Cid e Arnon conversaram durante cinco minutos, quando o governador se inteirou da poltica do Cariri.

    Senador Euncio Oliveira esteve em Lavras da Mangabeira, no final de semana, acompanhando de perto a sucesso da prefeita Dena. Euncio quer eleger na cidade seu sobrinho, Ildsser Lopes.

    O ex-conselheiro do TCM, Antonio Tavares, tenta retornar vida pblica disputando a Prefeitura de Barro.

    Desculpe a ignorncia, aps a divulgao das pesquisas do Ibope, os candidatos Raimundo e Ronaldo Matos j se consideram eleitos?

    Pelo resultado da pri-meira pesquisa Ibope/Ver-des Mares para as eleies deste ano, o PMDB ficaria com os dois maiores col-gios eleitorais do Cariri, Jua-zeiro e Crato, caso a votao acontecesse neste momento.

    Na cidade do Crato, Ronaldo Gomes de Mattos (PMDB) seria eleito com a preferncia de 54% dos eleitores da cidade. Em se-gundo lugar, aparece o can-didato Ccero Franca (PV), com 18%. Aparecem no em-pate, com 6% das intenes de voto, os candidatos Sine-val Roque (PSB) e Marcos Cunha (PT).

    Tambm foram divul-gados os nmeros de rejei-o dos candidatos, sendo Sineval Roque o candidato

    com maior percentual, 46%, seguido de Ccero Frana, com 27%, e Marcos Cunha, com 19%. Ronaldo Matos aparece com o menor ndice de rejeio, apenas 8% de-clararam que no votariam no candidato.

    A pesquisa sobre o processo eleitoral no Cra-to foi divulgada nesta se-gunda-feira (20), ouviu 301 eleitores (entre os dias 16 e 18 de agosto) e est regis-trada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE). A margem de erro de seis pontos per-centuais, para mais ou para menos.

    Em Juazeiro do Nor-te, os nmeros tambm garantiriam a vitria do candidato do PMDB, Rai-mundo Macedo. Segundo a

    Pesquisa aponta aceitaodo PMDB em Crato e Juazeiro

    pesquisa, ele teria 63% das intenes de voto. O pre-feito Manoel Santana (PT), que concorre reeleio, tem 16%. Demontieux Fer-nandes (PSOL) aparece com

    7%. J no quesito rejeio, Manoel Santana tem 58%, Demontieux Fernandes 25% e Raimundo Macedo 15%. A pesquisa foi divul-gada na quinta-feira (16).

    n Manoel Santana (PT)

    n Raimundo Macedo (PMDB)

    CRATO

  • POLUIO

    4 REGIO DO CARIRI(CE), DE 21 A 27 DE AGOSTO DE 2012Cidades

    Arthur Luiz

    Samuel M

    acedo

    Wilson Rodrigues

    A contaminao da gua doce cada vez maior, seja ela causada por agrot-xicos e fertilizantes qumicos usados na agricultura, resdu-os de processos industriais, esgotos domsticos, lixes ou dejetos qumicos de produtos empregados na minerao. Yarley Brito, gerente regional da Companhia de Gesto dos Recursos Hdricos do Cea-r (Cogerh), alerta que uma pesquisa feita recentemente pelo rgo, revelou indica-dores do excesso de alumnio nas guas de alguns poos do Cariri. Os resultados apresen-taram caractersticas idnti-cas aos elementos que vm poluindo o lenol fretico do mundo inteiro.

    Conforme o gerente regional da Cogerh, os princi-pais agentes poluidores so as Prefeituras Municipais, pela inexistncia de aterros sanit-rios e tratamento adequado de efluentes (esgotos), e as inds-trias de galvanoplastia, aque-las que trabalham com metais pesados, como o cdmio e mercrio, usados na confeco de folheados. Explicou, ainda, que em quase todos os muni-cpios do Cariri existem em-presas desse segmento, sendo Juazeiro do Norte detentor

    do maior nmero, devido ser o principal exportador regio-nal de produtos derivados do ouro, matria-prima na fabri-cao de jias.

    Embora algumas inds-trias de folheados do Cariri j estejam dando o destino cor-reto aos resduos, o quadro preocupante porque a maioria dessas empresas ainda encon-

    tra dificuldades para descar-tar, corretamente, esse mate-rial. O projeto que a Cogerh est fazendo no prope impe-dimentos s indstrias e nem ao poder pblico de trabalhar. O objetivo oferecer procedi-mentos ambientalmente corre-tos, e alertar a todos sobre as consequncias futuras, se con-tinuarmos poluindo nossos

    aquferos, concluiu Yarley.O problema vem cau-

    sando preocupao junto a gelogos e ambientalistas. Se-gundo eles, alm da populao correr riscos de contrair doen-as incurveis, com a ingesto de gua contaminada, esses poluentes esto favorecendo a diminuio das reservas h-dricas de todo o planeta. No

    Aqufero da Bacia Sedimentar do Araripe so 120 fontes de gua natural, mais de 1.500 poos profundos (artesianos) e dezenas de cacimbas e ca-cimbes abastecendo uma po-pulao de aproximadamente 700 mil pessoas, alm de plan-tas e animais dos municpios de Crato, Juazeiro do Norte, Barbalha, Caririau, Misso Velha, Porteiras, Jati, Jardim, Brejo Santo, Abaiara, Mauriti e Milagres.

    A Cogerh est elabo-rando um projeto, j em fase conclusiva, para identificar os potenciais poluidores do Aqufero da Bacia Sedimentar do Araripe, com a finalidade de se fazer um estudo dessa vulnerabilidade e provocar aes fortes e que sejam efeti-vadas urgentemente.

    Secretrios esclarecem

    O secretrio de Meio Ambiente e Servios Pbli-cos de Juazeiro do Norte, Argemiro Tefilo, informou que a Prefeitura de Juazei-ro do Norte est criando um Plano de Saneamento para a cidade, que deve ser coloca-do em prtica ainda este ano de 2012. Nele, contm aes para solucionar os proble-mas de esgoto a cu aberto, entupimentos e coleta de re-

    sduos slidos nas reas ur-banas e rurais do Municpio. Tambm est em licitao, a criao de um aterro sanit-rio, entre Juazeiro e Cariria-u, para o depsito de lixo, adequadamente, acrescenta. O aterro consorciado uma parceria entre Governo do Es-tado e Municpios da Regio. Ainda segundo o secretrio, as indstrias de galvanoplas-tia so licenciadas pelo Esta-do e, por isso, devem ser fis-calizadas. O municpio tem a competncia de fiscalizar e autuar as indstrias licencia-das a ele, salienta.

    O engenheiro agrno-mo e ex-secretrio de Meio Ambiente e Controle Urba-no do Crato, Nivaldo Soares Almeida, explicou que os es-gotos da cidade cratense so jogados em fossas spticas, instaladas adequadamente para atenuar as agressivida-des das guas servidas, e nos canais de drenagem fluvial. Ele desconhece a comprova-o de traos de elementos qumicos do tipo mercrio, chumbo e alumnio no terri-trio do municpio cratense, provenientes da falta dos ser-vios de esgotamento sanit-rio, que possam vir a ser os causadores da contaminao das guas subterrneas do Aqufero da Bacia Sedimen-tar do Araripe.

    Chagas Lima

    Preservar o patrimnio pblico, seja ele qual for, dever de todos cidados. En-tretanto, isso no o que acon-tece com o Metr do Cariri, em circulao h pouco mais de dois anos, entre Juazeiro e Crato. A estrutura dos vages danificada constantemente, tanto em virtude das colises envolvendo veculos nas pas-sagens de nveis, como pelas depredaes praticadas pelos vndalos, que atiram pedras contra as vidraas das janelas. So dois trens, porm uma de-les est parado na garagem do setor administrativo do me-trofor em Crato, precisando de conserto.

    De acordo com a ge-rente do Setor Administrati-vo Operacional do Metrofor, Dina Maria Moreira de Assis, as pessoas jogam pedras da-nificando os vidros. Ainda segundo ela, em relao ao reparo das colises, neces-

    sria a recuperao da fibra dos veculos porque a car-caa de fibra de vidro com estrutura metlica. Por isso, qualquer coliso danifica a estrutura externa.

    O intervalo entre uma viagem e outra, que antes era de meia hora, agora de 1h20, o que faz com que muitos pas-sageiros desistam de utilizar o transporte, preferindo realizar o trajeto de nibus. Antes, a viagem era rpida e compen-sava a gente pegar o trem. Agora, muito demorado. melhor o nibus, diz o ven-dedor ambulante, Raimundo Moreira da Silva.

    O Metr do Cariri con-duz, diariamente, cerca de 1.400 passageiros, ao preo de R$ 1,00 no horrio de 6h s 20h, de segunda sexta-feira, e de 6h s 14h, no sbado. Ao todo so nove estaes: Ftima, Ju-azeiro (Franciscanos), Marqui-se, Antnio Vieira, Escola Tc-nica, So Jos, Muriti, Padre Ccero e Crato. Ultimamente,

    o percurso entre as duas cida-des feito apenas com uma composio com dois carros, cada um com capacidade para 310 passageiros.

    Quanto s dificulda-des para manter as cancelas funcionando adequadamente, em virtude das constantes co-lises de motoristas, Dina Ma-ria explica que devido terem programao eletrnica, existe um tempo definido de abertu-ra e fechamento das mesmas. Muitas vezes, as cancelas ainda esto abrindo e alguns motoristas, principalmente de caminhes, passam, colidindo com as mesmas. Quando ter-minam de funcionar, por se tratar de equipamentos eletr-nicos, ficam desreguladas e s tomamos conhecimento quan-do o trem passa novamente, quando as cancelas no so acionadas. Temos uma equipe de sistemas para atender pro-blemas que acontecem nessas cancelas, diz.

    A gerente descartou a

    possibilidade da instalao da Estao So Pedro, entre as Ruas So Pedro e So Paulo (confluncia com Rua das Flo-res), com o objetivo de atender a rea comercial. Para que essa estao fosse construda, teria que haver grande nme-ro de desapropriaes, prin-cipalmente na rea comercial. Por conta disso, o projeto se tornou invivel, explicou.

    Dina Maria informou, por outro lado, que ainda exis-te a possibilidade de ser colo-cado em prtica o programa de integrao com o transpor-te de nibus. Neste sentido, segundo ela, est sendo reali-zado um levantamento, atra-vs da Agncia Reguladora de Servios Pblicos Delegados do Cear (ARCE) e o Detran--CE. A pesquisa consiste na obteno de informaes so-bre os trechos onde seria ne-cessria essa integrao. No temos previso para instala-o, mas os estudos j foram iniciados, conclui Dina.

    Conserto de vages do Metr Cariri depende de licitao

    Ingrid Monteiro

    As maiores exigncias, bem como a competitividade, atrapalham o ingresso no mer-cado de trabalho. A dificulda-de em conseguir emprego tem feito com que os caririenses mudem o foco da carreira pro-fissional, buscando nos con-cursos pblicos uma soluo para a insatisfao profissio-nal e o desemprego. Com o aumento significativo da con-corrncia no mercado, cresce a procura por cursos prepara-trios.

    Com a finalidade de conseguir estabilidade no mer-cado de trabalho, os cargos pblicos esto sendo cada vez mais desejados. Especialistas afirmam que h dez anos, tra-balhar na iniciativa privada era o desejo de parte da populao local, mas o receio pela insta-

    bilidade financeira e recesso econmica est aumentando o nmero dos concurseiros que dedicam grande parte de seu tempo aos estudos.

    De acordo com a pro-fessora de lngua portuguesa, Ateneia Brito, juntamente com a estabilidade, o salrio con-siderado o maior atrativo para os cargos pblicos. A procura por aulas preparatrias para concursos est sendo maior em relao aos cursos pr-ves-tibulares, pois o candidato est preferindo garantir um bom emprego antes de se qualificar com a graduao, explica a educadora, que h 20 anos de-senvolve trabalho na Regio.

    Em Juazeiro do Norte, o nmero de cursos prepara-trios aumentou nos ltimos anos. A busca por diversas escolas preparatrias alta e tem apontado para um cres-

    cimento significativo, princi-palmente quando h concur-sos federais, como o da Caixa Econmica Federal, Banco do Brasil e Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS).

    A coordenadora e dire-tora administrativa de curso preparatrio para vestibula-res e concursos em Juazeiro

    do Norte, Maria Anilda de Brito, afirma que um nme-ro maior de pessoas est re-alizando matrcula nas aulas este ano, a fim de alcanar a garantia de bom xito nas se-lees. Segundo ela, com as centenas de vagas abertas e a expectativa da publicao de novos editais, jovens e

    adultos tendem a procurar ajuda para os estudos. Sobre a concorrncia presente no aumento das inscries, a coordenadora ressalta que importante que o candidato disponibilize tempo para a preparao, principalmente no perodo prximo ao dia da prova seletiva.

    Empenho dobradoO recepcionista R-

    mullo Sthefnio dos Santos estuda, h dois anos, para concursos na rea de radio-logia e diz que no fcil. Comprei apostila e fao um roteiro de estudo dentro da possibilidade, pois trabalho oito horas por dia. No fcil, mas fico estudando at altas horas da noite e nos finais de semana, relata.

    J o estudante Vercio Alves diz que todo o esforo valeu a pena. Aprovado no concurso do Departamento Municipal de Trnsito (Demu-tran) de Crato, o jovem mudou sua rotina para se dedicar ex-clusivamente ao estudo. Para conseguir ser aprovado, tive que abrir mo do meu antigo emprego e obter mais tempo para a preparao, declara o agente de trnsito.

    Estabilidade de empregos pblicos atraem mais candidatos

    n Vago de Metr do Cariri teve janelas depredadas

    n Cursinhos preparatrios para concursos pblicos so muito procurados pelos aspirantes s vagas

    n De acordo com a pesquisa da Cogerh, existe alumnio em excesso nas guas de poos da Bacia do Araripe

    Cogehr alerta sobre contaminao em poos da Bacia do AraripeCogehr alerta sobre contaminao em poos da Bacia do Araripe

  • 5REGIO DO CARIRI(CE), DE 21 A 27 DE AGOSTO DE 2012PolticaCidades

    COTAO IMOBILIRIA

    Preo de imveis dispara no CaririIngrid Monteiro

    O crescimento popu-lacional e o signifi-cativo desenvolvi-mento econmico j provocam reflexos em v-rios setores nas cidades que compreendem a Regio Me-tropolitana do Cariri (RMC). Considerado alternativa de investimento, o mercado imo-bilirio vem sofrendo grande aumento nos valores de venda e locao de imveis comer-ciais e residenciais.

    Alm de ser conhecida pelo forte turismo religioso, a cidade de Juazeiro do Nor-te passa a se destacar pela maior demanda acadmica por meio da criao de cur-sos universitrios e o cresci-mento do comrcio, respon-svel por atrair, cada vez mais, novos investidores.

    Junto a esta fase de ex-panso econmica, a cidade vivencia intensa especulao imobiliria. De acordo com o coordenador do Conselho Re-gional dos Corretores de Im-veis (Creci), Fagner Canuto Tavares, a Regio tem atrado investimentos pblicos e pri-vados, que propiciam a valori-

    zao dos imveis, principal-mente em Juazeiro do Norte, Crato e Barbalha. Esta espe-culao positiva at o ponto que no promova turbulncia, por se tratar da atribuio de um preo em uma proprieda-de acima do valor do merca-do, que causa desacelerao no ritmo de negcios e pode promover a criao de estoque de imveis, enfatiza.

    O coordenador explica ainda que essa busca aque-cida deve-se, sobretudo, s movimentaes de crdito e aumento da renda da popula-o. Segundo ele, esse motivo consiste em um dos principais fatores para que as vendas de imveis residenciais tenha um aumento anual, de aproxima-damente 30 a 50% em Juazeiro do Norte. H trs anos, o mer-cado possua um aumento de 10 a 15% no valor da proprie-dade, a cada ano. Esta desor-dem no preo dos imveis projetada por pessoas que no tm o conhecimento adequa-do para determinar o preo justo de venda, pois muitos proprietrios da Regio atri-buem um valor superior para obter lucro mximo, ressalta Fagner Tavares.

    Joaquim Jnior

    No Cear, a greve dos docentes das Universidades Federais continua por tempo indeterminado. Com as ativi-dades paralisadas desde 12 de junho, os docentes buscam re-estruturao de carreira e me-lhores condies de trabalho.

    A ltima proposta ofe-recida pelo Governo prometia reajustes de 25% a 40%, at 2015. Em plebiscito realizado na ltima semana, a maioria dos docentes decidiu rejeit--la e dar continuidade s pa-ralisaes. Segundo Ivnio Azevedo, professor da Uni-versidade Federal do Cear/Campus Cariri, com a pro-posta, alguns docentes seriam mais beneficiados que outros e haveria, ainda, falso aumen-to. Se voc pegar o dficit inflacionrio de 2010, 2011 e 2012, e colocar a inflao, prospeco de inflao, 2013, 2014, 2015, e diluir esse au-mento, na verdade, voc tem um falso aumento, relata.

    Com a homologao do plebiscito, entrou em pauta a solicitao de desfiliamen-to do Sindicato dos Docentes

    das Universidades Federais do Estado do Cear (ADUFC) da Federao de Sindicatos de Professores de Instituies Federais de Ensino Superior (Proifes), nico sindicato na-cional a apoiar a proposta do Governo. A gente conseguiu incluir na pauta, atravs de uma petio pblica, a ques-to da desfiliao da ADUFC ao Proifes, esclarece Ivnio, que acredita que este sindica-to nacional tenha agido sem o apoio da base.

    A greve causa discus-so tambm entre a comuni-dade acadmica, que, assim como os docentes, divide-se entre os que apoiam e os que so contra a mesma. A aluna Waleska Castro, estudante da UFC Cariri, acredita que os docentes devem, sim, buscar os seus direitos. Ela comenta que, assim como os profes-sores, os servidores tambm entraram em greve, na busca por melhores condies de educao para todos. No s uma luta por aumento de salrio, mas uma reestrutu-rao da educao no ensino superior. Waleska, que est a trs semestres de concluso de

    curso, afirma que a greve no tempo perdido.

    Por outro lado, h aqueles que no veem pon-tos positivos com a parali-sao. Felipe Tavares, que j sentiu as consequncias de uma greve durante seu en-sino mdio, contra o ato,

    principalmente por conta do retardo ocasionado. As re-posies nunca suprem aqui-lo que seria dado no perodo regular. Sem contar os pre-juzos, que vo alm da uni-versidade. Entre as perdas citadas por Felipe esto a im-previsibilidade no que se re-

    fere ao retorno das aulas, que impede que alunos busquem exercer outras atividades.

    Os professores espe-ram nova proposta at o dia 31 de agosto, quando ven-ce o prazo para o encami-nhamento do oramento de 2013 ao Congresso Nacional.

    Uma greve depois de agos-to uma greve bem mais tensa e bem mais complica-da. Agora, a gente ainda est no calendrio oficial. Ento, quando esse calendrio ofi-cial acabar, a vamos entrar em um momento mais crti-co, finaliza Ivnio.

    Docentes da UFC mantem greve e aguardam negociaes

    n Profissionais continuam com atividades paralisadas, aguardando nova proposta do Governo

    O mercado de traba-lho est cada vez mais dis-putado e acirrado entre pro-fissionais das mais diversas reas. Uma das barreiras que ainda hoje existem a que se refere s questes de gne-ro. Por mais que a sociedade tenha avanado e tentado se moldar s evolues com o passar dos anos, o precon-ceito referente incluso da mulher em algumas reas de trabalho ainda notrio. Mas engana-se aquele que acha que as mulheres no possuem aptides, to quan-to os homens, em muitas ati-vidades que buscam exercer. Elas esto nesta disputa para mostrar suas habilidades, que vo muito alm da an-tiga ideia de que devem s ficar cuidando de casa. Dia-riamente, elas conseguem provar ao mundo do que so

    capazes, seja governando um lar ou um Pas.

    Em Juazeiro do Norte, h alguns anos, era quase impossvel encontrar mu-lheres dirigindo um txi. Aos poucos, este nmero est aumentando e j so quase dez taxistas do gnero feminino. Entre elas, Fran-cisca Nilda, que trabalha no Aeroporto Orlando Bezerra de Menezes desde a poca em que s havia um voo se-manal chegando cidade. Ela entrou no ramo substi-tuindo as ausncias de seu marido, at conseguir, cinco anos depois de dar incio ao trabalho, uma concesso de vaga oferecida pelo gestor da Infraero.

    O passageiro Joo Carlos, que j pegou cor-rida com uma taxista, diz ter se sentido seguro com o

    acontecimento. A mulher que dirige tem mais cuidado com o carro e com o trnsi-to, afirmou o cliente.

    Quando Nilda se tor-nou taxista, a cidade de Ju-azeiro dava incio trans-formao de se tornar plo educacional. A implantao de novas faculdades e novos cursos como o de Medicina, trouxe novos clientes: passa-geiros que desconheciam a cidade e buscavam uma ga-rantia de conforto e seguran-a no caminho. Jovens do Brasil inteiro vinham para Juazeiro, e a preocupao dos pais com a vinda, des-colamento e trajetria, era constante. Eu fui a primeira mulher a atuar aqui na cida-de como taxista, conta Nil-da, que, com carisma e bom atendimento, nunca sofreu preconceito de seus clientes.

    Aumenta o nmero de mulheres taxistas em Juazeiro

    Fotos: Arthur Luiz

    n Especulao imobiliria cresce e preocupa mercado no municpio Juazeiro do Norte

    n Francisca Nilda trabalha no posto de taxistas do Aeroporto Regional do Cariri

    Custo de alugueisNo caso das locaes,

    o cenrio considerado preo-cupante no municpio juazei-rense. Corretores alertam que h uma significativa dispari-dade em relao aos preos das propriedades ofertadas. Em um mesmo bairro, im-veis com a mesma caracte-rstica esto sendo ofertados por valores bem diferentes, alguns chegam a ser o dobro do valor no mercado, alerta o coordenador do Creci/CE.

    O corretor de imveis, Ricardo Ferreira, afirma que a demanda por locao continua aquecida, contudo, a oferta est escassa. A oferta de aluguel de imveis bem menor que a de-manda, pois os que esto sendo ofertados no conseguem aten-der demanda natural deste crescimento, declara.

    Para o comerciante Mauro Soares, o custo maior dos imveis tem dificultado a realizao da locao. H dois meses, eu e minha fa-mlia desejamos alugar um imvel, no entanto os preos altos das propriedades che-gam a assustar, principal-mente em reas prximas ao centro da cidade, relata

  • 6 REGIO DO CARIRI(CE), DE 21 A 27 DE AGOSTO DE 2012Cidades

    O dia 29 de Agosto dedicado ao combate ao fumo. Segundo a classifica-o da Organizao Mundial da Sade (OMS), o vcio do cigarro representa um dos principais problemas de sade pblica, podendo oca-sionar a morte do fumante. Para conter o aumento desse nmero e, por conseguinte, de mortes precoces, h uma mobilizao por parte do Ministrio da Sade, em par-cerias com os governos esta-duais e municipais.

    Em Crato, o Programa de Controle do Tabagismo

    conta com os servios de uma equipe multidisciplinar com-posta por mdico, psiclogo, enfermeira e terapeuta hols-tica, que realizam sesses de tratamento, semanalmente, para esses usurios. Dezenas de cratenses j procuraram essa assistncia, se recupe-rando com xito. Devido procura, haver uma amplia-o do programa e dois novos postos assistiro aos depen-dentes de cigarro, localizados na Ponta da Serra e Stio Ro-mualdo.

    Aes como essas tm despertado o interesse da po-

    pulao que deseja parar de fumar. o caso do agente de sade pblica, Davi Mendon-a, 59, que procurou ajuda no posto municipal de sade Te-odorico Teles, em Crato. Ele usou cigarro por 45 anos, mas resolveu deixar o vcio. An-tigamente, era um charme fumar, por conta disso, me vi-ciei. Hoje em dia, no mais. Todo mundo sabe que o ci-garro, na verdade, extrema-mente nocivo sade, conta.

    De acordo com a tera-peuta ocupacional do progra-ma, Maysa Cndido, a pessoa que fuma, fica dependente da

    nicotina. Ela considerada uma droga bastante podero-sa, atuando no sistema nervo-so central. normal, portan-to, que, ao parar de fumar, os primeiros dias sem cigarros sejam os mais difceis, porm as dificuldades tendem a ser menores a cada dia, explica.

    O tratamentoA terapeuta tambm

    elucida que o tratamento re-alizado no posto consiste no uso de medicamento, sob prescrio mdica, de ade-sivos transdrmicos (que transfere a medicao atra-

    vs da pele para a corrente sangunea), pastilhas de ni-cotina de quatro miligramas (recomendadas no perodo de abstinncia para repor a nicotina) e cloridrato de bu-propiona (inibidor de ansie-dade). Alm, dos remdios, os pacientes so submetidos s sesses teraputicas de psicologia e meditao, e re-cebem cartilhas educativas distribudas em cinco mdu-los, conclui.

    Dados no BrasilNo Brasil, estima-se

    que, anualmente, centenas

    de pessoas morram preco-cemente devido ao tabagis-mo. Dados do Ministrio da Sade de 2012 revelam que entre os falecimentos, 25% so causados por do-ena coronariana (angina e infarto do miocrdio); 45%, infarto agudo do miocrdio na faixa etria abaixo de 65 anos; 85%, bronquite crnica e enfisema pulmonar; 90%, cncer no pulmo; 25%, do-enas vasculares; 30%, cn-cer de boca, laringe, faringe, esfago, estmago, pncreas, fgado, rim, bexiga, colo de tero, leucemia.

    JUAZEIRO

    Delegacia da Mulher registra 80 casos de violncia por msAmanda Salustiano

    A Lei Maria da Penha, que prev punio aos acusados de violncia domsti-ca e familiar contra a mulher, comemora seis anos em 2012. Desde que a Lei 11.340 foi sancionada, em 2006, houve em todo o Pas um aumento significativo no nmero de denncias das mulheres vio-lentadas. Em Juazeiro do Nor-te, aproximadamente 1.800 processos esto em tramita-o no Juizado de Violncia Domstica e Familiar contra a Mulher, entre eles, instau-raes de inquritos policiais, aes penais e solicitaes de medidas protetivas.

    Dados da Delegacia de Defesa da Mulher, em Ju-azeiro, apontam, em mdia, 80 boletins de ocorrncias, de mulheres vtimas de violn-cias, todos os meses. Apesar dos dados parecerem assusta-dores, o promotor de justia, Jos Cleverlanio Pereira da Silva, explica que as mulhe-res, de forma paulatina, esto tomando conscincia dos seus direitos e, por consequncia, trazem para o conhecimento da justia a violncia que

    praticada contra elas. No en-tanto, no acredito que tenha havido um aumento na cri-minalidade, o que houve foi uma conscientizao das mu-lheres, e por isso elas denun-ciam na justia. Naturalmen-te, vem o aumento no nmero dos processos, acrescenta.

    Para o promotor, a Lei Maria da Penha mexeu com a cultura brasileira e, aos pou-cos, est introduzindo mu-danas nela. No se pode desconstruir, do dia para a

    noite, um padro cultural que foi forjado h sculos. Mas com a conscientizao das mulheres e sociedade, com re-lao aos direitos iguais entre homens e mulheres, prova-velmente, daqui a uns anos, acontea essa modificao da cultura machista.

    Outro fator que favore-ce para o aumento dos relatos de violncia que mesmo que a vtima no denuncie, pos-svel abrir inquritos policiais, pois a maioria dos crimes pra-

    ticados contra mulher de ao pblica incondicional, ou seja, independem das denun-cias da mesma. Se a agresso for praticada em ambiente familiar, se caracterizando como violncia domstica, o caso pode ser denunciado por qualquer testemunha ou pes-soa que venha a descobrir o fato, salienta a delegada da mulher de Juazeiro do Norte, Dborah Rogria Gurgel.

    Ainda segundo a dele-gada, as queixas registradas

    na Delegacia Especializada da Mulher, no municpio, abrangem os diferentes tipos de violncia, seja fsica, psi-colgica, sexual, patrimonial e contra honra. Alm dis-so, na maioria dos casos, os companheiros so os princi-pais agressores, assim como, ex-companheiro, parentes, vizinhos, amigos e at des-conhecidos que tambm so atuados como agressores.

    Em Crato, o Conselho Municipal do Direito da Mu-lher recebe, diariamente, ca-sos de mulheres violentadas pelos seus parceiros. At o momento, 13 bitos j foram registrados na regio do Ca-riri, pelo Conselho. Segundo Francisca Alves, tesoureira e uma das fundadoras do r-go, no ltimo caso, a vtima sofria violncia de seu mari-do, sem o conhecimento da famlia. Ela, que estava em processo de divrcio, teve traumatismo craniano por conta das pancadas, revelou.

    Francisca Alves aten-de, todos os dias, mulheres que procuram ajuda aps se-rem submetidas violncia em seu lar. De acordo com a conselheira, dependendo do caso, a vtima encaminha-

    da aos rgos competentes, como o Ncleo de Percias, Delegacia da Mulher, Centro de Referncia Especializado de Assistncia Social (Creas), Casa de Medicao Comuni-tria, entre outros.

    O Conselho atua como forte aliado na luta contra a violncia. Ainda de acordo com Francisca, j houve casos em que funcionrias do Con-selho deram abrigo s vtimas e em outras situaes, conse-guiu as passagens para que as mulheres agredidas fossem ao encontro de suas famlias, em outras cidades. Nestes ca-sos, h o acompanhamento da polcia pelo percurso no encalo do nibus, no caso de o agressor estar solto e ofere-cer risco vtima.

    A Lei Maria da Penha tornou as penalidades contra os agressores de mulheres, dentro do contexto doms-tico e familiar, mais severas. Ela possibilita que o acusado seja preso em flagrante, ou tenha sua priso preventiva decretada, caso necessrio. Tambm prev medidas que vo desde a sada do agres-sor do domiclio proibio de sua aproximao da mu-lher agredida.

    n Delegada Dborah Rogria diz que, em mdia, 80 Beletins de Ocorrcias so registrados por ms, em Juazeiro

    Cratenses aderem ao tratamento contra o tabagismo

    Projeto Soldadinho do Araripe ganha prmio nacionalIngrid Monteiro

    O Cariri considerado um local privilegiado pelo ca-pricho da natureza. A regio cearense conta com significa-tiva concentrao de fsseis cretceos, alm de ser o habitat de uma grande variedade de espcies de plantas e animais, que a torna verdadeiro centro de pesquisa e turismo ecolgi-co, sobretudo, por meio da re-alizao de iniciativas voltadas para a preservao ambiental. Um desses projetos foi contem-plado com um importante pr-

    mio nacional.Realizado pela Associa-

    o de Pesquisa e Preservao de Ecossistemas Aquticos (Aquasis), o projeto Soldadi-nho do Araripe foi um dos seis do Brasil contemplado pelo Programa Empreendedor da Conservao (E-Cons), que visa manuteno do patrim-nio natural.

    A iniciativa, idealizada pela Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educao Ambiental (SPVS), tem a fina-lidade de apoiar pessoas que desenvolvem trabalhos ligados

    conservao da natureza. Em cada bioma do pas, o programa contemplou um projeto. No Ca-riri, o bilogo cearense Weber Giro conquista o prmio pelo trabalho realizado na preserva-o do Soldadinho do Araripe, ave ameaada de extino.

    De acordo com o We-ber Giro, um dos direciona-mentos do E-Cons consiste em contribuir para a formao dos ambientalistas, oferecendo o apoio necessrio ao desenvol-vimento de pesquisas na Re-gio. bastante gratificante receber este prmio, pois ele

    possibilita maior reconheci-mento para o Cariri e incentivo aos nossos trabalhos, enfatiza o ambientalista.

    Desde a descoberta da espcie, em 1996, o projeto Soldadinho do Araripe desen-volve aes e pesquisas para preservao da biodiversida-de. Atravs do plano nacional para conservao da ave, os bilogos realizam atividades voltadas para a educao am-biental, como a capacitao de professores da rede de ensino das cidades de Crato e Barba-lha. Alm disso, em parceria

    com o Instituto Chico Mendes (ICMBio), o projeto acompanha a criao de novas unidades de conservao e proteo da Cha-pada do Araripe.

    NovidadeSegundo o bilogo We-

    ber Giro, est em andamento o projeto de construo do Es-pao Soldadinho do Araripe, que ser localizado no Institu-to Cultural do Cariri, no mu-

    nicpio de Crato. A proposta que a populao local pos-sa se conscientizar acerca da importncia da conservao do meio ambiente. O espao ser divido em quatro etapas, denominadas gua, terra, fogo e ar. O visitante poder apren-der, ainda mais, sobre a im-portncia do Soldadinho do Araripe. A inaugurao do espao est prevista para ou-tubro deste ano.

  • 7REGIO DO CARIRI(CE), DE 21 A 27 DE AGOSTO DE 2012PolticaSocial Cultura

    CULTURA

    Sociedade em FocoPOR WALESKA MARROCOS waleskamarrocos@jornaldocariri.com.br

    Seguindo os passos dos pais, Ana Ricarda e rico Araruna, o jovem Isaac Araruna est nos ltimos

    detalhes da sua primeira loja no Cariri. Ele

    nos contou que essa apenas a primeira, pois

    mais trs viro.

    As empresrias Lucimar

    Figueiredo e Branca Estima

    conferiram as novidades durante um

    animado passeio pelo

    Cariri Garden Shopping.

    Aretusa Ribeiro presena vip em eventos da Regio. Com sua simpatia, ela conquista a todos que tem a felicidade de estar ao seu lado. Sempre arrasa nas festas e barzinhos.

    NOVA COLEO PAI E FILHOO ms de agosto tem gosto especial para Diego Oliveira. No bastasse ser o ms dos pais,

    ele comemora seu aniversrio, no dia 22 deste. Na foto, com nosso grande

    presente, Rafael. Eu no poderia deixar de homenage-lo e agradecer a Deus

    por todas as bnos recebidas. Parabns,

    hoje e sempre.

    EXPECTATIVA

    SIMPATIA

    O deputado Jos Arnon Bezerra comandou uma animada mesa, dia desses, na Budega Cariri. Ele foi o aniversariante do ltimo dia 13 de agosto. Parabns!

    AMIGASCURTIO

    A empresria Louise Aline, muito feliz com

    seu esposo, empresrio Mrio

    Jorge Cisne, no lanamento da nova coleo de Toli. As peas agradam a todos os gostos e so a

    certeza de estar bem vestido em todos os momentos do dia.

    CENTRO CULTURAL BANCO DO NORDESTE

    Rua Senador Pompeu, N 429 - Centro - Crato-CEFone/Fax (88) 3253.1080

    Diretora TcnicaDr Fabiana Pereira Rodovalho Alencar Gomes

    ALFARMA, a primeira farmcia de manipulao genuinamente Cratense.

    Atividades gratuitas atraem amantes das artes visuaisIngrid Monteiro

    O oitavo ms do ano o perodo esco-lhido para as artes visuais. Durante o ms de agosto, o VI Agosto da Arte desenvolve atividades fo-cadas no processo artstico da regio por meio da interao entre artistas nacionais e a po-pulao caririense. Promovida pelo Centro Cultural Banco do Nordeste (CCBN), a progra-mao gratuita tem atrado significativo nmero de parti-cipantes em Juazeiro do Norte.

    A iniciativa, que visa contribuir no fomento re-flexo de temas relevantes da arte contempornea, conta com o Projeto Sinais do Fa-zer, que pretende possibilitar o contato direto da popula-o com as artes visuais at o prximo dia 23 de agosto. A ideia que o pblico deixe de ser um mero expectador e seja envolvido na produo arts-tica, atravs do compartilha-mento de experincias com os artistas convidados, ressalta a artista visual e curadora do projeto, Aglaze Damasceno, que conta com a parceria da curadora Isabell Portella.

    Durante toda a pro-gramao, o Sinais do Fazer promove a realizao de pa-lestras, mesas redondas, cur-sos e oficinas nos diversos segmentos das artes visuais.

    Alm disso, distintas inter-venes urbanas acontecem em espaos pblicos da ci-dade juazeirense, como nas Praas Padre Ccero, Prefei-tura e Praa do Memorial. Cada artista realiza uma interveno urbana, ministra uma oficina sobre processos criativos e promove uma pa-lestra sobre seu percurso ar-

    tstico, explica Aglaze. De acordo com o co-

    ordenador de artes visuais do Centro Cultural Banco do Nordeste, Robrio de Olivei-ra, o Agosto da Arte acon-tece, simultaneamente, em Sousa (PB), Fortaleza e no Cariri cearense. Segundo ele, o objetivo consiste em movi-mentar a produo de artes

    da regio. Artistas do Rio de Janeiro e de outros esta-dos realizam atividades que contribuem com o trabalho desenvolvido por nossos ar-tistas locais, enfatiza.

    A programao vol-tada para acadmicos, pes-soas interessadas por artes e artistas caririenses, como a jovem Kltia Nbrega, que

    participa das atividades. Esta sendo uma verdadei-ra oportunidade, principal-mente para os que ainda no possuem formao acadmi-ca e desejam trabalhar neste

    segmento artstico, declara ela, que garantiu presena no workshop Negcios das Ar-tes Visuais, ministrada pela artista plstica de So Paulo, Ana Letcia Fialho.

    PROCURO P/ ALUGAR

    Barraco 300m2 e ptio 300m2 . Pago R$ 1.500,00/Ms, (chcara, stio ou uso conjunto). P/ bens apreendidos, ficar sem mo-vimentar por meses. At 30 km de

    Juazeiro do Norte/CE.

    (44)9986-6866 ou 0800-707-9272 c/ Elisson

    AVISO DE LICITAO

    O Conselho Regional de Corretores de Imveis do Estado do Cear CRECI-CE 15 Regio, por intermdio da Presidente da Comis-so Permanente de Licitao, Elianete Pereira da Silva, nos termos da Lei n 8.666/1993, leva ao conhecimento dos interessados que realizar no dia 19 de Setembro de 2012 s 11h00min licitao na modalidade Concorrncia Pblica, cujo OBJETO a venda de 01 (um) imvel loca-lizado na Av. So Sebastio, n 2027, Bairro Ossian Araripe, Cra-to/CE, com as condies constantes no Anexo A do Edital. LOCAL DA LICITAO: no endereo do imvel. CONTATO PARA VISTORIA PRVIA DO IMVEL: Rua Tristo Gonalves, 420, Centro, Crato/CE, (88) 9691-2439 Horrio Comercial Falar com Maria Aparecida de Ftima Souza Mosinho. MAIS INFORMAES pelos telefones (085) 3031-3069, 3031-3066 das 08h00m s 12h00m e 13h00m s 18h00m, ou pelo e-mail:elianeteps@gmail.com ou edsonalvesfilho@yahoo.com.br. Fortaleza-CE, 23 de julho de 2012.

    ELIANETE PEREIRA DA SILVA Presidente da CPL-CRECI/CE.

    n Durante a programao promovida pelo CCBN, so realizadas oficinas de produo artstica

    Fotos: Arthur Luiz

    Dr. Lino Antonio CavalcantiSecretrio Geral

  • CCERO NICSSIOTOQUE DE PRIMEIRA

    TABELA

    A tabela da Copa Fares Lopes muito espaosa e isso prejudica o rendimento das

    equipes. O Guarani ainda no fez um bom jogo e alguns atletas no esto jogando o que sabem. Djalma, por exemplo, tem um bom aproveitamento apenas na bola parada, que o seu forte. Em quatro jogos, o ataque fez trs gols. Ainda no d para acreditar que, com esse futebol, o Guarani possa chegar a final da Fares Lopes. Vou pagar pra ver.

    FILOSOFIA

    A chegada do treinador Jlio Arajo no Icasa desconfortvel, pois o time passa por um momento financeiro difcil. A diretoria do clube vai ter que tirar leite de pedra para colocar o elenco em condies psicolgicas para quebrar uma sequncia de derrotas, que ameaa empurrar o Verdo para longe da classificao. Em termos tticos, o treinador Julio no ter problemas, pois o anterior, Tarcisio Pugliese, alm de ter um time definido, deu um timo padro de jogo, valorizando o lado coletivo. Mas, como todo treinador tem a sua filosofia, vamos esperar que Jlio Arajo faa o mais simples e sem interferncia de terceiros.

    FUTURO PROMISSOR

    No futebol, o mais fcil fazer o simples. Dos times que vi jogar, treinado por Roner Arajo, o mais eficiente foi o Crato. Um time jovem que joga sem medo de errar. No empate de 1 a 1, contra o Guarani, pela Taa Fares Lopes, a equipe cratense jogou de igual para igual. A cada jogo, o Azulo vai apresentando os seus destaques: o volante Lincon, se no se deslumbrar, tem condies de evoluir muito na carreira profissional. A diretoria do Crato acertou em formar um time caseiro e com jovens que tem um futuro promissor.

    RECUPERAO

    Pssima a campanha que o Guarany de Sobral est fazendo na srie C. Ficou comprovado que a maior parcela de culpa no do treinador anterior, Jlio Arajo, nem do atual Agnaldo. Numa situao como essa, no d para dispensar todo o elenco porque acaba sobrando para o treinador. Faltam duas rodadas para terminar a primeira volta. O Bugre sobralense tem que fazer, a todo custo, uma corrida de recuperao para se livrar da queda para a srie D. Todo cuidado pouco.

    A Rdio Mais Popular do Brasilwww.somzoom.com.br

    n SEGURANA ELETRNICA

    n PORTARIA

    n ZELADORIA

    n TERCEIRIZAO DE SERVIOS

    Travessa Slino Duda, 59 - Bairro Santa Teresa - Juazeiro do Norte - CE

    Pea j seu oramento sem compromisso

    8Esporte

    REGIO DO CARIRI(CE), DE 21 A 27 DE AGOSTO DE 2012

    FUTEBOL

    Times procuram apoio e patrocnio

    Serena Morais

    A situao dos dois principais times de Juazeiro do Norte continua no sendo das melhores. Icasa e Guara-ni, assim como outras equi-pes da Regio, sofrem com problemas financeiros, pela falta de apoio e patrocnio.

    Atualmente, o Guarani o lder da Taa Fares Lopes, com um saldo de quatro par-tidas. A distncia entre os jo-gos tanto prejudica os atletas, pois perdem o ritmo da com-petio, quanto administra-o, por questes financeiras. Por esse motivo, o time opta pela realizao dos amistosos em outras cidades. A ideia conseguir receber mais cotas para tentar cobrir a estima-tiva de renda que ns fize-mos, diz o diretor de esporte do Guarani, Luciano Baslio.

    Segundo Luciano, o time que foi montado com-petitivo e pode entrar na briga pela vaga da Copa do Brasil. A esperana que, este ano, a Fares Lopes garanta duas vagas, e assim o Leo do Mercado siga os mesmos pas-sos de 2011, quando foi vice na competio, e garantiu a ida Copa. O prximo jogo acontecer daqui a 15 dias.

    Apesar da distncia at a partida seguinte, os jo-gadores continuam treinan-do diariamente, mesmo com

    a dificuldade em conseguir local para os treinos. Aca-bando a Fares Lopes, vamos trabalhar para fazer o campo, pois queremos estar prepara-dos para o Campeonato Cea-rense, em janeiro do prximo ano, diz o diretor do Gua-rani sobre a necessidade da construo do campo prprio do Leo do Mercado.

    A situao financeira do Icasa no diferente. O time tambm sofre com a fal-ta de apoio. Uma negociao com o empresrio Artur Boim garantiu parte dos pagamen-tos atrasados. Ele comprou o restante da porcentagem que cabia ao clube, do meia--atacante Bismark (que fica no Verdo at o final da Srie C), e emprestou R$ 35 mil ao clube. Mesmo com a venda do jogador, ainda h dvidas: um ms de salrio atrasado, junto ao pessoal da Srie C, e dois meses para quem est pelo certame cearense. A si-tuao mexe com a qualida-de das atividades dentro do campo, por isso a tendncia que os nimos melhorem por um tempo.

    Depois de perder dois jogos seguidos pela Srie C, o time cai para quinto lugar e est fora do G4. Pela Fa-res Lopes, o prximo jogo contra o Crato, encerrando a primeira fase. Enquanto que pela Srie C joga contra o Fortaleza.

    n Jogadores do Guarani mantm treinos dirios espera dos jogos da Fares Lopes

    Arthur Luiz

    Cargas e Encomendas Urgentes para o Serto Central, Cariri, Baixo Cariri e Chapada do Araripe, DIARIAMENTE. Filiais: Quixad, Quixeramobim, Senador Pompeu, Mombaa, Acopiara, Iguatu, Vrzea-Alegre e Juazeiro do Norte.

    www.birdexpress.com.br

    Fortaleza-CE 85.3295.7878

    Avenida Padre Ccero, 2200

    Galpoes 4 e 5 - TrianguloJuazeiro do Norte-CE

    88.3512.7164 / 3512.8980

    RUA DELMIRO GOLVEIA, 942 - SALESIANOSFONE/FAX: (88) 3512-1100

    TUDO EM AT 10X NO CARTO VISA SEM JUROS

    CHEQUE E CARN.

    AUTOMTICOS, CERCA ELTRICA, PORTEIRO E VIDEO PORTEIRO, INTERFONE, PABX, CFTV.