Jornal do Cariri - Edição 2497

Download Jornal do Cariri - Edição 2497

Post on 06-Mar-2016

225 views

Category:

Documents

9 download

DESCRIPTION

Edio do Cariri de 29 de agosto a 05 de setembro de 2011

TRANSCRIPT

  • A arte est na essncia do nordestino. Na forma de agir, pensar e, claro, na riqueza e diversidade de manifestaes que nascem

    e ganham vida nesta terra. Por isso, nada mais justo do que este povo, h 13 anos, ter no Centro Cultural Banco do Nordeste um

    mltiplo espao para experimentar e viver a cultura da Regio e do mundo. Banco do Nordeste. A nossa cultura investir na sua.

    SAC Banco do Nordeste Ouvidoria: 0800 728 3030

    www.bnb.gov.br/cultura /ccbnb/ccbnb

    DOAO

    CRESCIMENTO

    GOVERNO DO ESTADO

    ROMARIA

    ELEIES 2012

    SEMINRIO

    JUAZEIRO

    BARBALHA

    O peridico do Cariri independente

    Hemoce faz coletas externas para atender demanda do HRC

    Cegs mira o Cariri com estudossobre consumo de gs natural

    12

    4

    ESPORTE

    Guarani enfrenta dificuldades

    Foto

    s: C

    cer

    o Va

    lrio

    REGIO DO CARIRI l DE 30 DE AGOSTO A 05 DE SETEMBRO DE 2011 l ANO XIII l NMERO 2497 R$ 1,50

    O Cariri a primeira regio do Interior do Cear a receber estudos sobre as potencialidades de consumo do gs natural. Os estudos, segundo o presidente da Companhia de Gs do Cear (Cegs), Antonio Cambraia, esto sendo realizados pela Universidade Federal do Cear (UFC). Para ele, pelo nvel de crescimento econmico e desenvolvimento industrial, o Cariri poder atrair investimentos para o fornecimento de gs natural.

    Com a implantao do Hospital Regional do Cariri, a demanda de sangue aumentou. Para atender as necessidades, o hemoncleo de Juazeiro est colhendo doaes em empresas e outras instituies. O estoque do banco de sangue est regular, mas a unidade enfrenta dificuldades na coleta dos fatores sanguneos negativos AB, O e A.

    Cid anuncia investimentos de R$ 100 milhesDiretrios do Crajubar articulam alianas

    Ao integrada do lixo e resduos slidos ser discutida

    Vice afirma que no articulou denncia contra Santana

    Moradores reclamam da taxa de iluminao

    Os partidos polticos esto realizando conferncias para firmar os nomes que integraro a campanha eleitoral de 2012, cujo prazo para filiaes encerra neste ms de setembro. O prefeito Manoel Santana (PT) e o deputado federal Manoel Salviano (PSDB) admitem que no faro campanha adjunta. No Crato e Barbalha, vereadores e lideranas articulam alianas.

    Moradores reclamam da cobrana indevida da taxa de iluminao pblica em localidades de Barbalha, vez que h uma emenda Lei que isenta da taxa aqueles que no so beneficiados diretamente pelos servios. Famlias de baixa renda sentem-se prejudicadas e a Cmara deve entrar com uma ao civil pblica pedindo o ressarcimento do que j foi pago.

    Fiis da Me das Dores comeam a chegar em Juazeiro

    n Carreata que abriu a Romaria de Nossa Senhora das Dores, no ltimo domingo (28)

    n Os nove municpios da Regio Metropolitana do Cariri (RMC) devem ser beneficiados com a parceria que est sendo firmada entre Estado e Banco Mundial

    5

    93

    3

    8

    CULTURA

    11

    8

    4

    Coregrafa carioca retorna ao Cariri

    n Carreata que abriu a Romaria de Nossa Senhora das Dores, no ltimo domingo (28)

  • Editorial2

    OpinioREGIO DO CARIRI(CE), DE 30 DE AGOSTO A 05 DE SETEMBRO DE 2011

    Exped

    iente

    :

    Fundado em 5 de setembro de 1997O Jornal do Cariri uma publicao

    da Editora e Grfica Cearasat Comunicao Ltda

    CNPJ: 34.957.332/0001-80

    O peridico do Cariri independente

    Diretor-presidente: Luzenor de Oliveira Diretor de Contedo: Donizete Arruda Diretoria Jurdica: Vicente Aquino Editora Responsvel: Jaqueline Freitas

    Administrao e Redao: Rua Pio X, 448 - Bairro Salesianos - CEP: 63050-020 - Juazeiro do Norte Cear - Fone (88) 3511.2457Sucursal Fortaleza: Rua Coronel Alves Teixeira, 1905, sala 05, Telefone: 085.3462.2607 - Celular: 085.9161.7466Sucursal Braslia: Edifcio Empire Center, Setor Comercial Sul, Sala 307, Braslia-DF

    Os artigos assinados so de responsabilidade dos seus autores

    Conselho Editorial: Geraldo Menezes Barbosa | Francisco Huberto Esmeraldo Cabral | Napoleo Tavares Neves e Monsenhor Gonalo Farias Filho

    Fale conosco Redao w cidades@jornaldocariri.com.br w policia@jornaldocariri.com.br w politica@jornaldocariri.com.br w redacao@jornaldocariri.com.br w sucursalfortaleza@jornaldocariri.com.br Departamento Comercial w comercial@jornaldocariri.com.br | Diretoria w diretoria@jornaldocariri.com.br | Geral w jornaldocariri@jornaldocariri.com.br

    Envie sua carta para jornaldocariri@jornaldocariri.com.br e d sua opinio faa sua sugesto, uma crtica. Esse espao aberto para voc, caro leitor.

    SEXTILHA CARTA

    RECEBER HUMILHAESSER HUMILDE E PERDOARQUEM AGRIDE EST DOENTEQUEM FAZ AQUI VAI PAGAREXISTE UMA LEI DIVINAAI DAQUELE BURLAR!

    Welington Costa

    Todos os benefcios que o Cariri vem conquistando nos ltimos anos so merecidos e devem ser vistos como fruto de um trabalho coletivo. Nenhuma grande conquista acontece sem a fora de muitos. A regio est em ascenso e deve se unir para conseguir mais.

    Amanda Ribeiro, estudante

    A EDUCAO AMBIENTAL E A CONSOLIDAO DO GEOPARK DO ARARIPE

    O Cariri cearense daquelas regies que a natureza brindou com tantos atributos e com tantos recursos que, com o passar dos anos, converteu-se em regio de destacada influncia poltica, cultural e econmica, no apenas para o Cear.

    Dotado de clima ameno, considervel reserva de gua, terras aptas para a agricultura, rica biodiversidade, populao capacitada para o trabalho e importante acervo arqueolgico, o Cariri viu nascer inmeras indstrias, fazendas, centros urbanos dinmicos, uma floresta nacio-nal que comemora 65 anos e o urgente desa-fio de incluir a parcela menos favorecida de sua populao neste novo mundo de consumo cres-cente e de aparente inesgotvel afluncia.

    Infelizmente o processo de desenvol-vimento do Cariri tem feito um uso de suas ri-quezas e potencialidades pouco racional, o que indica que dificilmente ele se sustentar para as geraes futuras. A ineficiente gesto dos recur-sos hdricos existentes, a presso que a demanda energtica do vizinho plo gesseiro impe sobre a vegetao do territrio, as ocupaes desorde-nadas de encostas e margens de rios, a extrao mineral descontrolada e o comrcio ilegal de fs-seis, so aes que tm colocado em risco no apenas o meio ambiente, mas o prprio desen-

    volvimento regional.Com o intuito de propi-

    ciar um aproveitamento racional e sustentado de tamanha riqueza, o Governo do Estado, por intermdio da Universidade Regional do Cariri (URCA) deu incio ao processo de criao do Geopark do Araripe, cuja aprovao veio a ocorrer no final de 2006, abrangendo seis municpios da regio em uma rea de cerca 3.500 km.

    Concebido como um territrio com limites definidos e que possui stios de grande valor cientfico cujos patrimnios cultural, his-trico, ambiental, cientfico e socioeconmico apresentam importncia, raridade, riqueza em biodiversidade e contam a histria da terra, conferindo identidade ao lugar. O Geopark precisa ser consolidado com o territrio mode-lar no qual cultura, meio ambiente, histria e desenvolvimento devem se encontrar de forma harmoniosa e com isto servir de paradigma para o desenvolvimento sustentado de toda a sua re-gio de influncia.

    Mas o sucesso na construo desta re-lao harmoniosa e sua subseqente consoli-dao dependem, necessariamente, da adoo

    de condutas, prticas e procedi-mentos por parte de todos ns ce-arenses (e dos vizinhos caririenses) que permitam a transio para a economia verde que o desenvolvi-mento global tanto clama.

    Para tanto, a educao am-biental tem se mostrado ferramenta de grande valor e relevncia, tendo se convertido numa das principais estratgias de ao da URCA e do

    Governo do Estado para que esta conquista in-ternacional se consolide e d os frutos que todos esperam e necessitam.

    Com isto em mente, o Conselho de Polticas e Gesto do Meio Ambiente do Cear (CONPAM) e o Geopark Araripe lanaram duas Cartilhas de Educao Ambiental, uma destina-da para professores e gestores municipais e a outra voltada para populao como um todo, que ser usada em seminrios, oficinas e fruns. mais uma importante etapa na construo do Cariri sustentvel que todos almejamos.

    Paulo Henrique LustosaPresidente do Conpam

    O DESEMPENHO DO AEROPORTOA empresa Infraestrutura Aeroportu-

    ria - Infraero controla atualmente 67 aeroportos em territrio nacional. Destes, 32 so de classe internacional e 35 so de exclusivo trfego do-mstico. o caso do nosso Aeroporto Regional do Cariri. Salta aos olhos o elevado crescimen-to do desempenho deste aeroporto. Em vias de operao com a quarta empresa, logo agora em setembro, vale a pena utilizar os dados oficiais da Infraero para sentir mais concretamente este desempenho.

    De acordo com aqueles dados, por exem-plo, de janeiro a junho de 2003, pelo nosso ae-roporto embarcaram e desembarcaram 18.051 passageiros. Este movimento nos credenciava a uma posio pouco confortvel, ocupando a 59. posio dentre todos os 65 aeroportos sob a ateno da Empresa, ou a 29. posio, se tomar-mos apenas os domsticos. Mas o Cariri e sua rea de influncia foi, aos poucos, contribuin-do para o melhoramento deste desempenho e gradativamente, no mesmo perodo (janeiro a junho), ano a ano, esta posio no ranking foi apresentando marcas tais como 55./25. (2004), 48./17. (2005), 43./12. (2006), 44./13.

    (2007), 43./10. (2008), 38./7. (2009), 41./9. (2010), para chegar a este junho de 2011, sendo o qua-dragsimo terceiro de todos os aero-portos do pas, e o dcimo primeiro dentre os no internacionais.

    Para fechar esta pequena avaliao, que mais uma leitura atenta dos dados oficiais, de janeiro a dezembro de 2010, como j divul-gado, transitaram pelo Regional do Cariri cerca de 244.780 passageiros (embarques e desembarques), permitindo-se constatar posi-es mais realistas de quadragsimo (no total), e oitavo, dentre os no internacionais. Para flagrar, finalmente, dados mais recentes, a natural sa-zonalidade e ainda dispondo dos dados oficiais, vejamos a posio do Aeroporto Regional do Ca-riri nos ltimos 12 meses. Entre maio de 2010 e junho de 2011, utilizaram o Aeroporto cerca de 304.762. Este resultado indica uma posio de excelente desempenho, colocando o equipa-mento dentre os 39 mais utilizados de todos os 67 aeroportos brasileiros sob a gesto da Infrae-ro, garantindo uma marca invejvel dentre os 7

    mais movimentados, exclusivamente domsticos. Para ns usurios do Aeroporto Regional do Cariri, estes nmeros ainda so muito frios e no nos devem provocar nenhum ufanis-mo pernstico.

    Bem sabemos as deficin-cias de suas instalaes e quanto isto tem provocado desconforto aos seus usurios. As companhias areas esto se interessando cada vez mais

    por este mercado emergente e definitivo. Logo mais uma e talvez no demore muito a principal destas empresas areas nacionais volte a pedir a autorizao para suas operaes. Isto apenas deve dizer a cada um de ns o quanto estamos todos na mesma luta, e o quanto nos cabe co-brar a quem responsvel pela implementao de melhorias continuadas ao nosso Aeroporto para que ele efetivamente preste melhores servios comunidade.

    Renato Casimiro Historiador

    O MOMENTO OPORTUNO

    Sob o ttu-lo O Momento oportuno, a tica de o controle da administrao p-blica, o advogado cratense Aglsio de Brito, membro do Rotary Club de Crato, nosso con-terrneo, usou es-pao informativo interno do Rotary, em agosto de 2005, para discorrer sobre um tema que seis anos depois cai como uma luva na presente conjun-tura administrativa do Brasil, com relao a forma que est sendo governada, atravs do poder de seus organismos.

    Tomamos a liberdade de inserir no presente comen-trio a forma como o Dr. Agl-sio comentava, h seis anos passados, o controle da admi-nistrao pblica, a estrutura administrativa do Estado bra-sileiro, nascidos dos poderes da Unio, dos Estados, do Distrito Federal e dos Munic-pios, de onde se afluem des-centralizaes as mais multi-vias de atividades de gesto e de governo, sediadas em Ministrios, Secretarias, De-partamentos, Empresas P-blicas, Gabinetes, Fundaes Publicas, etc. Apresentadas ao povo brasileiro como meca-nismos de gerenciamento das finanas pblicas na busca da satisfao das necessidades sociais bsicas, mas que vem abrigando, nos seus pores, uma horda de inescrupulosos e viciada de ratos humanos, que trabalham diuturnamen-te, de maneira disfarada, no repugnante ofcio de fraudar o devido processo legal dos gastos administrativos, saque-ando e embolsando o dinhei-ro pblico de maneira sub--repticiamente criminosa.

    O resultado desse processo de corrupo impu-ne a falncia, a quebra da segurana, o falimento do bem-estar social que estamos assistindo no momento da

    vida nacional. Em um segundo tpi-co de seu comen-trio, o advogado Aglsio de Brito tem um enfoque que parece vem ocorrendo neste ms de agosto, quando a popula-

    o brasileira toma conhecimento dos fatos que ganharam as manchetes dos peridicos brasileiros com ci-taes sobre o papel do Mi-nistrio dos Transportes, no gerenciamento de suas ativi-dades, denunciadas de viva voz pelo ilustre Governador do Cear, Cid Gomes, que repercutiu nacionalmente e sabe-se agora que o chefe do executivo cearense estava co-berto de razo ao fazer a de-nncia.

    Citando ainda o advo-gado Aglsio de Brito, vamos ao seguinte: Ocorre, entre-tanto, que esses controles no esto imunes a ao de-letria dos ratos de poro da administrao pblica. Eles esto por todos os lugares. Infiltram-se nos sistemas de controle internos, enfraque-cendo-os, desequilibrando-os, corrompendo-os, em maus brasileiros, significando dizer que os controles de nada va-lem para estancar a sangria extorsiva aos cofres Pblicos.

    Concluindo, Aglsio de Brito taxativo: penso, porm, que nem tudo estar perdido, pois resta aos ver-dadeiros cidados brasileiros, que no fazem parte da m-quina administrativa pblica, usarem na fiscalizao dos gastos pblicos, o controle judicirio, pois ali ainda res-tam juzes honestos, nte-gros, incorruptveis.

    Almrio CarvalhoRadialista e Secretrio Geral Cmara Municipal do Crato

    O Jornal do Cariri transmite, nesta edio, mais uma excelente notcia para seus leitores. E o faz com justo orgulho, pois teve a primazia de levantar a dis-cusso e de estimular o debate sobre o tema: a Regio ser a primeira a receber estudos para a prospeco de gs natural, por meio de convnio firmado entre a Companhia de Gs CEGS e a Universidade Federal do Cear.

    O JC sempre manifestou sua crena na fora do Cariri no campo da pesquisa e prospeco dos hidro-carbonetos. A questo do petrleo foi levantada pela primeira nas pginas do Jornal, assim como a investi-gao sobre o potencial de explorao do gs natural. Agora, graas a sensibilidade do presidente da Com-panhia de Gs, Antonio Cambraia, homem de grande experincia pblica, essa ideia ganha forma e contor-nos reais.

    O gs natural um produto com diversas utili-dades, seja no campo industrial, seja no setor de servi-

    os. fcil de ser transportado e de armazenagem re-lativamente barata. A regio do Cariri no ser a nica a ser contemplada. Os estudos devem chegar ao Serto Central, a Cratus e ao Vale do Jaguaribe. A chegada desse novo componente na equao econmica dessas reas poder ter um efeito transformador da realidade social.

    exatamente por essa razo que o Cariri deve-se mobilizar para que essas pesquisas ocorram dentro de prazos razoveis e para que as autoridades que se en-gajarem nesses projetos tenham apoio poltico e social, absolutamente indispensvel para vencer obstculos e dificuldades que algo to srio acaba por acarretar.

    Os custos com essas pesquisas so elevads-simos. Todos passam por um levantamento minu-cioso, lento e tecnicamente sensvel de amostras e de minrios. Os resultados podem ser infrutferos, mas a deciso de fazer essas investigaes tcnicas, por si s, j revela grande probabilidade de uma

    consequncia positiva.Na verdade, a questo dos hidrocarbonetos no

    Cariri muito antiga. Ao longo do sculo XX, no fo-ram poucas as vozes que se ergueram para afirmar a potencialidade da Regio para esse fim. Somente ago-ra, no incio do sculo XXI, que se tomam medidas efetivas para converter em realidade um sonho e para, definitivamente, abrir as portas do crescimento econ-mico para milhares de cidados.

    O JC congratula-se com o povo do Cariri e com as autoridades que se empenharam nessa iniciativa. Mais que uma vitria do jornal pela afirmao da vo-cao mineraria e petrolfera da Regio Sul, essa uma excelente notcia e que deve ser compartilhada e divul-gada com todos.

    O gs natural mais uma chave para a abertu-ra das portas do futuro para o Cariri, por tanto tempo abandonado e sem esperanas pelas autoridades do poder central.

    GS NATURAL NO CARIRI: SONHO E REALIDADE

  • CRAJUBAR

    Partidos articulam alianas para as eleies de 2012Jacqueline Dantas

    O prazo para as fi-liaes dos candi-datos aos cargos do executivo e le-gislativo nas eleies de 2012 ser encerrado neste ms de setembro. Os diretrios do Crajubar j articulam as co-ligaes e parcerias polticas. Com a proximidade do final do prazo, surgem especula-es sobre a aliana entre opo-sitores, a exemplo do prefeito de Juazeiro, Manoel Santana (PT) e do deputado federal e ex-prefeito, Manoel Salviano (PSDB). Entretanto, eles dei-xam claro que a parceria est restrita a implantao do plo qumico farmacutico da re-gio do Cariri, sem que pese alguma ligao na campanha eleitoral de 2012.

    O fato independe da parceria poltica, e temos dei-xado isso bem claro, cada qual com o seu partido. O munic-pio est acima de qualquer di-vergncia poltica ou pessoal, declarou Santana. Salviano as-segurou que vai se candidatar prefeitura, caso o deputado federal Arnon Bezerra (PTB) no seja lanado. Se Arnon no sair candidato, eu serei, concluindo que as especula-es sobre a campanha adjun-ta com Santana no passaria de uma balela.

    O vereador professor

    A n -

    tnio Ferreira (PC do B) co-mentou que est marcado para o dia 10 de setembro, uma con-ferncia com membros do PC do B, a fim de tratar das pr-ximas candidaturas. Adauto Arajo (PSC) disse que tem-po de promover articulaes para reforar a base do parti-do, e para tanto convida novos integrantes a compor o PSC. Para que haja as coligaes, o partido precisa estar bem es-truturado para seguir dispu-ta, declarou. Ele mencionou que desconhece quem so os candidatos majoritrios, mas que se preocupa, junto ao par-tido, em manter relao com bons candidatos. Temos bons

    nomes, tanto que obtivemos 15 mil votos na ltima eleio, frisou.

    No municpio de Bar-balha, o vereador Rildo Teles (PSL) mencionou que est sob preparo para as reunies par-tidrias prevista para o ms de setembro. O edil Joseilson Fernandes (PR) ainda no de-finiu quais sero as coligaes firmadas pelo partido, mas adiantou que o nome que vai apoiar, certamente, ser me-diante a indicao de Rommel Feij (PTB), que faz oposio a atual administrao. J o vere-ador Ernandes Grcia (PT) diz que as pretenses do partido petista em Barbalha dar su-porte reeleio do prefeito

    Jos Leite (PT). Permanecere-mos unidos com a prefeitura.

    J no Crato, o presiden-te da Cmara Florisval Corio-lano (PTC) revela que a prio-ridade de seu partido firmar novos integrantes para concor-rer s eleies, e adiantou que o diretrio municipal do PTC possivelmente ter novo presi-dente. Os vereadores Nadelson Lopes (Ded da Granja) e Fran-cisco Helder de Oliveira Fran-a (Guer), ambos do PSDB, aguardam parecer do prefeito Samuel Araripe (PSDB) so-bre as prximas decises, mas Guer revelou que est sendo cotado o nome do Secretrio de Sade do Municpio, Ccero Frana para a sucesso.

    n Manoel Salviano (PSDB) n Manoel Santana (PT)

    O vice-prefeito Rober-to Celestino (PSB) afirmou que no teve participao nas articulaes de seu partido, mediante a denncia em fa-vor da cassao do prefeito Manoel Santana (PT), pela qual foi taxado de traidor. Do contrrio, ele revela que levou ao conhecimento de Santana todas as informaes advindas do presidente do diretrio do PSB, Carlos Ma-cedo, antes que o fato se tor-nasse pblico.

    Conforme relatou Ce-lestino, Santana o aconselhou para no ir ao lanamento da Universidade Federal Regio-nal do Cariri (UFRC), em Bra-slia, porque poderia haver o risco do presidente da C-mara, Jos de Amlia Junior (PSL) assumir o cargo de pre-feito. Mas que preferiu viajar, pois achava que a histria era sem fundamento algum.

    Eu falei para as pesso-as que estavam envolvidas no processo da cassao, que no seria bom para Juazeiro por-que jamais o Governo Fede-ral iria anunciar a instalao de uma universidade federal onde o prefeito, cujo partido o PT, fosse afastado do car-go. E que tambm seria um procedimento incuo, pois o prefeito sairia num dia e no seguinte voltaria a assumir o mandato por uma liminar, at pela fragilidade jurdica que permeava a questo, defen-deu Celestino.

    O vice mencionou que resistiu a todas as tentativas e negociaes que o envolvesse no processo da cassao. Eu fui vtima, fui imolado junto com o prefeito, fui afastado das minhas funes. Eu acho que no existe prova maior de tica do que a minha atitu-de, e ento fao a indagao:

    um poltico daria preferncia a um mandato de dois anos ou a outro de pouco mais de um ano?.

    Celestino acredita que teve sua imagem demolida por uma m interpretao dos fatos, os quais estariam causando uma ruptura com o prefeito. Eu fui colocado como vilo porque era in-teressante que outra pessoa passasse por vtima, nesse caso, o prefeito.

    O vereador Roberto Sampaio (PSB) comentou que Celestino tem a liberdade de se posicionar e interpretar uma questo partidria, e que sempre que se renem, per-cebe que o vice est situado com o PSB. Ns o respeita-mos, assim como ele respeita os nossos direcionamentos. Eu entendo que ele foi mal interpretado pelo grupo do prefeito, afirmou.

    Celestino assegura que no tramou golpe poltico

    As eleies suplemen-tares acontecero em dois mu-nicpios caririenses, Jardim e Altaneira. No primeiro, a vo-tao acontece no prximo dia 4 de setembro, enquanto os eleitores da segunda cidade devem comparecer as urnas no dia 2 de outubro. Em Jar-dim, a candidata prefeitura pelo PSDB, ento vereado-ra Cremilda Bringel recebe o apoio do prefeito interino, Joo Cludio, que para ela, tem feito em 45 dias o que o prefeito cassado (Fernando Luz) no fez na sua adminis-trao em dois anos.

    Cremilda tem como proposta de campanha, garan-tir a sade, o fornecimento de gua populao nas localida-des que ainda no dispem do servio, bem como a melhoria na educao com transporte e material didtico. A peesse-debista disputar a vaga com

    o apoio oficial do PT, PCdoB, PRB, PTC, PSC, PDT e DEM. O vice Fernando Roriz (PRB).

    A segunda chapa composta pelos candida-tos vereador Antnio Roriz (PMDB) e Maria Neide Fil-gueira Pianc (PPS), que con-tam com o apoio de PV, PSB e PPS. A questo que divide os candidatos no pleito na cida-de de Jardim a aliana firma-da entre PSDB e PT na chapa de oposio, partidos polti-cos historicamente advers-rios. Eu acho uma aliana totalmente errada. Em nvel federal, o PT contra o PSDB. sinal de que houve acordo com interesses pessoais e no ideologia partidria, avaliou Antnio Roriz.

    O prefeito Fernando Neves Pereira da Luz e o vice Etelvino Leite Bringel, ambos do PMDB, foram afastados dos cargos no dia 6 de junho. At o

    dia 4 de setembro, quem res-ponde pelo cargo de prefeito no municpio de Jardim o pre-sidente da Cmara Municipal, Joo Cludio Brito Coutinho. As eleies municipais ocorre-ro no dia 4 de setembro.

    AltaneiraO pleito em Altaneira

    acontecer no dia 2 de outu-bro. O empresrio e candidato a gesto at 2012, Delvamber-to Soares (PSB) disse que dar suporte agricultura familiar e explorao do calcrio, de-vido grande reserva do mu-nicpio. O carro-chefe ser emprego e gerao de renda para melhoria da infraestru-tura do municpio, frisou. O vice da chapa o ex-vereador Ded Pio (PSB).

    A candidata adversria a bioqumica Andria Car-la Davi (DEM), cujo vice o

    comerciante Jackson Feitosa (PSDB). Andria revelou que realizar uma campanha tran-quila, pois teme a violncia que permeou no passado da poltica altaneirense. um mandato curto, ento dare-mos prioridade sade, com a contratao de profissio-nais, bem como construo de campos de laboratrios e aquisio de equipamentos de raio x e raio laser, que o muni-cpio ainda no dispe, com-pletou.

    Quem assume interina-mente o presidente da C-mara Municipal, Raimundo Rodrigues da Mota, que trans-feriu filiao do PSDB para o PRB, mediante cassao dos mandatos do prefeito Antnio Dorival de Oliveira e do vice Francisco Fenelon Pereira, ambos do PSDB, por prtica de conduta vedada nas elei-es de 2008.

    Jardim e Altaneira s vsperas das eleies suplementares

    n Vice-prefeito Roberto Celestino (PSB)

    3REGIO DO CARIRI(CE), DE 30 DE AGOSTO A 05 DE SETEMBRO DE 2011Poltica

    DONIZETE ARRUDAPoltica

    Cid quer PSB fora da crise

    No Cariri onde esteve na semana passada, o governador Cid Gomes foi incisivo ao manifestar sua insatisfao com o papel desempenhado por seu partido no golpe fracassado para cassar o prefeito Manoel Santana. Cid no gostou de Carlos Macedo, poltico com condenaes na Justia, ter envolvido o PSB de Juazeiro nessa manobra. O troco veio em seguida. Ao ser cientificado que estava em curso uma articulao para que o deputado estadual Sineval Roque tirasse licena por 121 dias para que Carlos Macedo assumisse o mandato na Assembleia Legislativa, o Governador mandou sustar a possvel licena de Sineval Roque. Cid tambm designou o irmo Ciro Gomes para vir ao Cariri em setembro. Na sua vinda, Ciro decidir o futuro do PSB na regio. No est descartada uma interveno no diretrio municipal do PSB de Juazeiro do Norte. Vice-prefeito rejeita pecha petista

    Roberto Celestino reagiu indignado aos comentrios publicados na ltima coluna. Alegou ter sido injustamente tachado de traidor pelos petistas juazeirenses que o acusaram de ter tramado um golpe fracassado para cassar o mandato do prefeito Manoel Santana. O vice-prefeito de Juazeiro se defende afirmando que sua histria no permite e nem h margens para o jogo sujo. Jamais em sua vida pblica, sustenta Roberto Celestino, ele buscou chegar ao poder atravs de manobras pouco recomendveis. Garante que no tem interesse em ascender ao cargo de prefeito patrocinando o afastamento ou a cassao de Santana. No entanto, o PT juazeirense parece no ter mudado de ideia quanto ao papel de Celestino na histria.

    Raimundo tenta atrair Celestino

    Apesar de desmentir ter participado da tentativa de impeachment de Manoel Santana, o vice-prefeito Roberto Celestino est ciente de que sua relao com o prefeito de Juazeiro do Norte azedou. Sabedor desse conflito gerado, o deputado federal Raimundo Macedo telefonou para Roberto Celestino convidando-o a ser vice em sua chapa e tambm fez um convite para um encontro em Braslia. A proposta de Raimundo j est na mesa de negociaes: o PSB indica Roberto Celestino como seu vice-prefeito. O problema convencer o governador Cid Gomes a apoiar essa aliana. No Palcio da Abolio se fala que por ora interesse do Governador manter o acordo do PSB para apoiar a reeleio de Santana. Confiante no seu prestgio, Raimundo pressiona para levar o partido de Cid para seu palanque fortalecendo sua candidatura.

    TCM preocupado com Cariri

    A avaliao do Tribunal de Contas dos Municpios(TCM) permanece: a maior incidncia de irregularidades no Cear acontece nas contas das prefeituras do Cariri. Para tentar mudar esse triste quadro, o TCM promoveu em Barbalha na semana passada um debate para convencer prefeitos, secretrios e servidores a fazerem a coisa certa.

    Bom exemplo de transparncia

    Enquanto as prefeituras do Cariri insistem em fazer a coisa errada, o governador Cid Gomes esteve em Misso Velha na sexta, e l mostrou o compromisso de governar ouvindo o povo ao dar essa declarao diante de uma platia que reunia populares e autoridades municipais e estaduais: . essa uma grande oportunidade das pessoas acompanharem e tambm fiscalizarem o que o Governo est executando no municpio. E tambm muito importante para o Estado se manter atualizado das demandas prioritrias da cidade. Assim os gestores ficam mais conscientes das coisas que precisam ser feitas com o objetivo sempre de garantir melhorias para a populao, finalizou Cid Gomes.

    Que prefeitos faam o mesmo

    A atitude do governador Cid Gomes de enfrentar sociedade para discutir sobre o que o seu Governo vem fazendo e quais so as prioridades da populao retrata um novo momento da poltica cearense. Com esse gesto, Cid mostra a seus secretrios e a prefeitos e vereadores que a democratizao essencial para o fortalecimento das instituies. Com esse compromisso de prestar contas sem intermedirios, o governador Cid Gomes abre sua administrao a crticas e a sugestes.

    Santana-Salviano juntos

    Embora o prefeito Manoel Santana e o deputado Manoel Salviano neguem incontestvel que h uma aproximao politica e eleitoral em curso entre eles em Juazeiro. Quando confrontados sobre a chance de uma aliana em 2012, a dupla atribui o bom dilogo aos sucessivos encontros e repetem insistentemente que a boa relao apenas institucional. Porm, Santana e Salviano esto cada vez mais prximos. Sexta-feira durante o lanamento de seu novo empreendimento imobilirio, Salviano e os filhos Andrey e Samuel conversaram demoradamente com Santana, inclusive sobre 2012.

    Disse me disse...

    * Arnon Bezerra candidato a prefeito. Confirmou coluna que no h mais possibilidade dele recuar em sua candidatura em Juazeiro do Norte. Salviano promete apoi-lo.

    * Mesmo lanado como candidato sucesso do prefeito Paulo Ney o deputado Moesio Loyola ainda no transferiu seu ttulo para Campos Sales.

    * Desculpe a ignorncia, at quando os prefeitos do Cariri vo continuar aprontando com o dinheiro pblico?

  • CEGS

    Mrcio DornellesEspecial para o JC

    O Cariri a primei-ra regio do Inte-rior do Estado a receber estudos para a descoberta da neces-sidade de gs natural. O le-vantamento, contratado pela Companhia de Gs (Cegs), desenvolvido pela Uni-versidade Federal do Cear (UFC) e tem prazo de nove meses para ficar pronto.

    O economista e admi-nistrador Antnio Cambraia, presidente da Companhia de Gs do Cear (Cegs), mira o Cariri como uma das regies que mais se desenvolve no Estado.

    A misso de interio-rizar a utilizao de gs na-tural foi exposta pelo pr-prio governador Cid Gomes (PSB) e o convnio assinado com a UFC auxiliar na de-finio de prioridades para a elaborao do plano de in-vestimento do planejamento estratgico. Achamos, por bem, contratar para ter a real quantificao, o potencial que realmente tem a regio em termos de utilizao de gs, pelo parque industrial que tem, afirmou Cambraia.

    O presidente da com-panhia tambm alertou para a nova forma de transporte do gs natural, mais econ-mica para regies afastadas. Ao invs da utilizao de gasodutos na condio atu-

    Cariri prioridade para estudos de gs natural

    n Cilindros que armazenam o gs natural utilizado em fbrica visitada pelo JC, no plo gesseiro de Araripina, Pernambuco

    Mirelly Morais

    Queremos que o pre-feito se sensibilize com aque-les moradores que mal tem condies de pagar seu con-sumo mensal de energia, con-siderado alto para sua renda, e que vem acrescido de uma taxa de iluminao pblica arbitrria, contesta o verea-dor Rildo Teles (PSL), ao sair em defesa dos moradores do Conjunto Nassau, em Barba-lha, que reclamam da contri-buio, considerando-a alta e injusta.

    Na Rua Santa Rita, onde reside Ma-ria Ccera Martins, a cobrana feita desde 2007, mas nunca houve um poste com ilumina-o. Na conta do ltimo ms de junho foram pa-gos R$ 27,30 sendo R$ 12,05 somente de taxa de iluminao pblica. So oito pessoas em casa, apenas dois traba-lham. Meu marido pe-dreiro e temos que dei-xar de comprar algo que precisamos para pagar essa taxa, relata Ccera.

    Populares denunciam cobrana de iluminao pblica em Barbalha

    4Cidade

    REGIO DO CARIRI(CE), DE 30 DE AGOSTO A 05 DE SETEMBRO DE 2011

    Yaan Neponucena

    Em alguns munic-pios da regio do Cariri possvel constatar diversas obras pblicas e servios de m qualidade, que po-dem ser indcios de desvio de recursos pblicos. Para qualificar os prefeitos e ser-vidores de 18 cidades quan-to aplicao de recursos, ajudar a prevenir erros que causam prejuzos a popu-lao, chamar a ateno para a legislao e evitar penalizao dos gestores, o Tribunal de Contas dos Mu-nicpios (TCM) realizou, em Barbalha, o Encontro Regio-nal do Tribunal de Contas dos Municipios.

    Segundo o assessor da procuradoria do TCM, Nelson Rocha, o principal problema dos Municpios do Cariri o desrespeito nas licitaes, que em muitos casos, so mal conduzidas, existindo anormalidade dos processos e formao de cartel. Para ele, falta fisca-

    TCM adverte: licitaes so principais problemas nos municpios

    n O encontro esclareceu as dvidas de vrios prefeitos e secretrios dos 18 municpios do Cariri

    n O encontro esclareceu as dvidas de vrios prefeitos e secretrios dos 18 municpios do Cariri

    lizao, comprometimen-to dos prprios gestores e da sociedade. O Tribunal est atento. Iremos buscar a qualidade na aplicao dos recursos. importante que os gestores observem a qua-lidade dos servios e s pa-

    guem o que for corretamen-te executado, alertou.

    Quando os recursos no so aplicados da forma correta quem sofre os preju-zos so os membros da so-ciedade. Para Manoel Vera, presidente do TCM, o cida-

    do o elemento de controle mais importante. Entende-mos que a nossa ao fiscali-zadora ser mais consistente e mais importante a partir do momento em que haja uma conscincia maior do cidado e, sobretudo, de ges-

    tores qualificados, revela. O encontro habilitou

    os lderes de governo nas reas da execuo oramen-tria, financeira e patrimo-nial na gesto pblica. Na ocasio, os participantes re-ceberam orientao sobre os

    Conselhos de Sade, Edu-cao, Ao Social e Ali-mentao Escolar. O TCM espera que aps a capacita-o, as prestaes de contas dos municpios ao Tribunal cheguem de forma correta e com indcios de boa apli-cao do dinheiro pblico. Todos os municpios sero fiscalizados em loco.

    Para o prefeito do Crato, Samuel Araripe, o controle do TCM impor-tante. Antes de multar e penalizar os municpios, o Tribunal promove cursos de capacitaes que os ges-tores precisam para buscar, diariamente, as informa-es necessrias. O rgo quer mostrar a legislao e os caminhos para se evitar muitos problemas, afir-mou.

    O tribunal tem um canal aberto sociedade. Atravs do site da institui-o, qualquer cidado pode fazer denncias e tirar d-vidas sobre o que est acon-tecendo nos municpios.

    Em outra conta de valor de R$ 57,00 quase R$ 26,00 referente taxa. Rildo exige o cumprimento da Lei e ainda requer que, trimestral-mente, a Cmara seja informada da arrecadao mu-nicipal com a taxa de iluminao p-blica. Essas pes-soas j sofrem sem gua na porta, sem calamento, sem vrios servios b-

    sicos que deviam ser presta-dos. Essa arrecadao deveria ser usada a favor deles.

    O secretrio de Admi-nistrao, Rommel Alencar justifica que no tinha conhe-cimento da situao, e que a cobrana seria de responsa-bilidade da Coelce, porm, promete tomar as devidas providncias e se for o caso, at devolver o dinheiro pago pelos cidados, uma vez que a contribuio repassada ao municpio.

    Ao Civil PblicaO vereador Rildo soli-

    n Nos postes no h iluminao, mas a taxa cobrada todo ms na conta de luz

    al, o gs passaria para outro estado: gs natural liquefei-to (GNL). Seria mais vivel, avalia o ex-prefeito de Forta-leza. O metro cbico de gs natural se transforma em 600 metros do gs na forma que utilizado pelo usurio. Isso facilita o transporte nas gran-des distncias. Nesta distn-cia de 600 quilmetros como de Fortaleza para Cariri, um gasoduto seria antiecon-mico, disse. Porm, para o projeto vingar, necessria a implantao de uma estao de regaseificao, para trans-formar no estado em que

    utilizado pelo usurio.Depois do Cariri, os

    estudos seguem para os Ser-tes de Crates e continuaro percorrendo o Estado. O Vale do Jaguaribe tambm recebe-r tcnicos da Universidade Federal do Cear, mas Cam-braia afirma que seria funda-mental a instalao de uma estrutura tecnolgica que leve ao uso do gs, principal-mente entre ceramistas, que utilizam ainda a queima de madeira. Esta ser a segunda prioridade no levantamento da pesquisa. Segundo o pre-sidente, tem que ter todo

    um processo de incentivo, de induo desses ceramis-tas a passarem a usar o gs. Evidentemente que tem um custo elevado para cada um. Esse custo tem que ser at in-centivado para que eles pas-sem a usar esse combustvel energtico que o gs, uma energia limpa, que no polui e que o futuro desse pas.

    O Cariri e o Serto de Crates sero as primeiras regies a receber o estudo de potencialidades e a resposta dos tcnicos deve vir antes do fim do prazo estipulado, de aproximadamente 270

    dias. O municpio de Sobral, que j tem posto de abaste-cimento de veculo com gs, tambm est no cronograma de visitas do levantamento.

    Na capitalA Regio Metropolita-

    na de Fortaleza (RMF) deve receber investimento de R$ 7 milhes para a expanso da malha de dutos. Sero mais 14 quilmetros de novos ca-nais para beneficiar Aquiraz, Aracati, Caucaia, Eusbio, Maracana, Horizonte, Paca-jus e Fortaleza. Antnio Cam-braia espera crescimento da

    demanda de gs natural para os prximos anos, atingindo as reas residencial e comer-cial. Atualmente,1.947 unida-des residenciais e 81 clientes do segmento comercial rece-bem o energtico da Cegs.

    A companhia, rgo vinculado Secretaria da Infraestrutura (Seinfra), pre-tende investir R$ 119 milhes na expanso de sua rede nos prximos cinco anos. O va-lor corresponde implanta-o de 193 quilmetros de gasodutos. O crescimento do mercado no termeltrico, at 2015, pode alcanar 138,33%.

    citou a entrada de uma ao por parte da Assessoria Jur-dica da Cmara para o res-sarcimento do que j foi pago indevidamente pelos mora-dores que sentirem-se preju-dicados.

    IsenoUma emenda Lei Municipal 1.573, de 2003, no artigo que trata da Contri-buio de Iluminao Pblica (CIP), isenta do pagamento da taxa os consumidores que no sejam diretamente bene-ficiados com este tipo de ilu-minao, seja na zona rural ou urbana da cidade de Barbalha.

  • Cmara de Dirigentes Lojistas j articula campanha natalina de 2011

    Cid destaca investimentos de R$ 100 milhes para a RMCJacqueline Dantas

    O Governador Cid Gomes anunciou investimentos de R$ 100 milhes para a Regio Metropolitana do Cariri (RMC), atravs do Banco Mundial. A parceria est sendo firmada e permi-tir, para os prximos anos, melhorias nas cidades de Juazeiro do Norte, Cariria-u, Crato, Nova Olinda, Fa-rias Brito, Santana do Cariri, Barbalha, Jardim e Misso Velha. Algumas ementas da Se-cretaria das Cidades com os municpios foram assinadas durante a Solenidade de Ins-talao do Governo do Esta-do do Cear. Dentre elas foi viabilizada a reforma dos canteiros centrais das aveni-das Castelo Branco e Ailton Gomes, em Juazeiro do Nor-te, no valor de R$ 696,5 mil. Para Barbalha foi firmado o compromisso para a constru-o da estrada Corredor do Sabino no valor de R$ 1 mi-lho. Tambm foram anun-ciados projetos que benefi-ciam agricultura familiar,

    a ONG Flor do Piqui, a pu-blicao de um livro do Ge-opark Araripe, o Programa Caminho da Escola em Crato e a implantao de Subproje-to de Abastecimento com in-vestimento de R$ 764 mil aos municpios de Vrzea Alegre,

    Farias Brito e Brejo Santo.O prefeito Manoel

    Santana (PT) mencionou que o Governo sempre traz boas notcias ao Cariri, j que Ju-azeiro foi agraciado com a aprovao da ementa do de-putado Jos Guimares (PT),

    que visa urbanizao dos canteiros. Para ele, uma conquista merecida, pois a ci-dade est crescendo e ficando mais bela. Firmada a parceria com o Estado, o municpio pagar o valor de R$ 196,5 mil e o governo R$ 500 mil.

    Governo ItinerantePara Cid, o governo

    itinerante tende aproximar o governo da populao, dando oportunidade populao a ter contato com as estruturas: governo e secretariado. Ele revelou que um dos motivos

    dessa iniciativa destacar a importncia que esse governo d ao interior do Estado, onde reside a maioria da populao cearense e certamente onde esto os maiores desafios, con-forme apontou. a oportu-nidade de prestar contas das obrigaes, pois no se tratam de favores, dando transpa-rncias aos convnios e parce-rias que o Estado faz com os municpios.

    Greve na EducaoCid Gomes falou que a

    educao est acima de todas as prioridades de seu gover-no. No falamos da boca para fora, basta analisar historica-mente quanto era destinado educao e o que temos feito. dever do Governo destinar 25% do oramento educao, mas ns atingimos o valor de 29,8%. Ns premiamos as es-colas que atingiram o melhor ndice e auxiliamos as de pior.

    Sobre a greve estadual que perdura entre membros da educao, mencionou que o Governo tem a definio de no negociar com a categoria que est em greve, pois se for fazer dessa um instrumento de negociao, todos deixa-riam de trabalhar.

    Chagas Lima

    A Cmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Juazeiro do Norte antecipou a Campanha Super Natal 2011, com o obje-tivo de proporcionar melhores perspectivas de vendas no co-mrcio local, que se estende-r at 31 de dezembro. Essa campanha oferece prmios aos consumidores, s que estamos diversificando este ano. Vamos premiar, tambm, o lojista e o vendedor, diz o presidente da CDL, Michel Arajo, acrescen-tando que o primeiro prmio para o consumidor um carro zero quilmetro. A loja em que ele realizou compras ganhar uma moto e o vendedor que o atendeu vai receber R$ 1.000,00.

    No segundo prmio, o cliente ganha uma moto zero quilmetro, a loja um notebook e o vendedor R$ 500,00. Ainda temos R$ 10 mil em vale-com-pras para os consumidores assim distribudos. Ao efetuar compras a partir de R$ 30,00 em qualquer uma dessas lojas, o consumidor estar apto a re-ceber os cupons. Para Michel, a expectativa de boas vendas, j que no lanamento da cam-panha foram vendidos 57 kits e a meta atingir a marca dos

    200. Isso j est superando nossas expectativas, visto que em campanhas anteriores, o mximo que conseguimos foi vender 138 kits. Ento, logo no incio, a campanha comea

    com 57 kits vendidos, j pode-mos assegurar que est bem mais atrativa do que no pero-do anterior.

    De acordo com Michel Arajo, os lojistas avaliam a

    antecipao da campanha com muito otimismo, tendo em vis-ta que desenvolvem o trabalho para o perodo natalino j com critrios definidos em todos os aspectos, dimensionando o que

    vai ou no divulgar. O lojista pode tambm utilizar as peas publicitrias da CDL para fazer a divulgao de seu estabeleci-mento comercial. Portanto, es-tamos antecipando tudo para que nenhum seja pego de sur-presa, de ltima hora, salien-ta, ressaltando que a campanha no s para o lojista scio da CDL. O no associado tam-bm pode participar, pagando R$ 800,00, enquanto que o as-sociado R$ 500,00, informa.

    Cmeras em ao

    Est sendo discutida, pela CDL, Sindilojas, Associa-o Comercial e outras institui-es, a proposta da Secretaria de Segurana Pblica do Muni-cpio para a instalao, o mais rpido possvel, de cmeras no centro comercial de Juazeiro do Norte. O objetivo evitar, ou pelo menos diminuir, a ao de marginais naquela rea da cidade.

    Apesar de ainda no ha-ver definio com relao aos seus custos, o presidente do Sindicato dos Lojistas (Sindilo-jas) de Juazeiro, Francisco Al-berto Bezerra -Chico Alberto - a favor da proposta, tendo em vista a onda de roubos registra-

    da no centro da cidade. Acre-dito que o projeto no caro, at porque estamos vivendo uma insegurana muito gran-de em Juazeiro. Ns apoiamos a idia, conforme as possibili-dades do Sindilojas, que junta-mente com outras entidades, o poder pblico e comerciantes de um modo geral, pode ser viabilizada, afirma.

    Inicialmente, sero cin-co cmeras instaladas em tre-chos da Rua So Pedro, alcan-ando as ruas transversais, por exemplo, na esquina da Rua Carlos Gomes, focalizando a prefeitura e Banco Ita; cruza-mento da Ruas Santa Luzia, envolvendo as agncias do HSBC, BIC, Bradesco, INSS e lojas naquele setor; e cruza-mento das Ruas Conceio e So Francisco, monitorando toda a movimentao na ou-tra agncia do Bradesco, Caixa Econmica Federal (CEF) e as agncias do Banco do Nor-deste do Brasil (BNB), Banco do Brasil (BB) e a Praa Padre Ccero. Eu acho ideal esse projeto. Qualquer preo que o mesmo venha a custar, ainda pouco para melhorarmos a se-gurana no centro comercial de Juazeiro, diz Chico Alberto.

    n Governador Cid Gomes (PSB) destaca investimentos de cerca de 100 milhes para a regio do Cariri

    n Centro comercial de Juazeiro deve receber cmeras de monitoramento para melhorar a segurana

    Rua Senador Pompeu, N 429 - Centro - Crato-CEFone/Fax (88) 3523 1080

    ALFARMA, a primeira farmcia de manipulao genuinamente Cratense.Diretora TcnicaDr Fabiana Pereira Rodovalho Alencar Gomes

    PERDA DE DIPLOMA

    Cursos: Diploma de Licenciatura no Curso de Letras e Certificado de Especializao em Lngua Portuguesa.Nome: Rita Degenane Correia SilvaFaculdade: Universidade Regional do Cariri URCA

    MARIA VALDENY COUTINHO PERE IRA

    Torna pblico que requereu Superintendncia Estadual do Meio Ambiente - SEMACE a Regularizao da Licena de Operao para: Serrarias com desdobramento de Madeira. No municpio de Barro - CE. Na AV: Deputado Janurio Feitosa, 1061 - A Bairro: Centro.

    Foi determinado o cumprimento das exigncias contidas nas Normas e Instrues de Licenciamento da SEMACE.

    5REGIO DO CARIRI(CE), DE 30 DE AGOSTO A 05 DE SETEMBRO DE 2011Cidades

    GOVERNO ITINERANTE

  • 6 REGIO DO CARIRI(CE), DE 30 DE AGOSTO A 05 DE SETEMBRO DE 2011Informe Publicitrio

    Secretaria da Infraestrutura

  • 7REGIO DO CARIRI(CE), DE 30 DE AGOSTO A 05 DE SETEMBRO DE 2011PolticaInforme Publicitrio

    Secretaria da Infraestrutura

  • FEDERAL DO CARIRI

    HEMOCE

    Yaan Neponucena

    A t 2014 a Univer-sidade Federal Regional do Cari-ri (UFRC) dever iniciar as suas atividades. A nova unidade de ensino, que ir beneficiar estudantes de todos os municpios do Cariri e de outros Estados, ter como eixo central, alm do ensino, a pesquisa e extenso. Para a ampliao do campus, a UFC vai aceitar a doao de um terreno oferecido pelo prefeito de Juazeiro, Manoel Santana.

    A Universidade Fede-ral do Cear, que respons-vel pela implantao, ir dis-ponibilizar toda a estrutura j existente. Os cursos que sero oferecidos continuam sem definio. A escolha deve ser feita at o final deste ano, a partir das necessidades da sociedade e do que j oferta-do pelo sistema federal. Para a incorporao do campus ser implantada uma comisso formada por representantes dos professores, alunos, socie-

    dade, e dos conselhos de edu-cao, que devero apresentar propostas para a implantao da UFRC baseadas em neces-

    sidades da regio. Alm de Juazeiro, a UFRC ter cam-pus em Crato, Barbalha, Brejo Santo e Ic. A universidade

    pretende preservar o dialogo estabelecido pela UFC com outras instituies de ensino superior da regio. A previso

    que comece a funcionar com quatro cursos de mestrado e um de doutorado.

    A proposta da nova

    universidade, terceira Federal do Estado, oferecer ensino de qualidade, pblico e gratuito. A UFRC dever reduzir o d-ficit por cursos universitrios. O Estado do Cear tem uma das menores ofertas de cursos superiores do pas, so apenas 110 cursos de graduao. Des-tes, 88 esto em Fortaleza. A taxa de vagas de 5,7 por 10 mil habitantes, muito abaixo da mdia nacional de 10.

    Segundo o reitor da UFC, Jesualdo Farias, alm de oferecer formao, as aes de extenso da UFRC com a populao devero contri-buir para o desenvolvimento regional. Essa universidade chega para tentar diminuir esse dficit da educao su-perior em nosso Estado. Acho que de forma muito visvel ir descentralizar o eixo de ofer-ta de cursos e vem tambm contribuir para a descentra-lizao de outras atividades fundamentais para o desen-volvimento do Estado, sobre-tudo da regio, que acontece atravs da pesquisa e exten-so, disse.

    Universidade vai aceitar doao de terreno do prefeito Santana

    Wilson Rodrigues

    Durante visita ao Cariri, para lanamento de duas car-tilhas de educao ambiental, o presidente do Conselho de Polticas de Gesto do Meio Ambiente do Cear (Conpam), Paulo Henrique Lustosa ga-rantiu que ser realizado, ain-da neste semestre, em parceria com a Secretaria das Cidades, um seminrio para discutir a ao integrada do lixo e dos resduos slidos na Regio Metropolitana do Cariri, asso-ciada ao plano de saneamento bsico, que envolve abasteci-mento de gua e drenagem.

    Paulo Henrique garan-tiu que o Estado tem dinheiro disponvel para executar os projetos de drenagem, gua e esgotos nos municpios da Re-gio Metropolitana do Cariri. H, tambm, disponibilidade de recursos para construo do aterro sanitrio e resduos slidos, faltando apenas dis-cusso sobre o gerenciamento

    do empreendimento que, at ento, est sob a competncia dos municpios, envolvendo o setor privado com o apoio lo-gstico do Estado.

    Lustosa tambm fri-sou que existe um conjunto expressivo de aes que es-

    to sendo implementadas no Cariri, junto com o Ministrio do Meio Ambiente, no uso da cobertura vegetal, no tocante produo de carvo e lenha, principais fontes energticas dos plos gesseiros e cermico de alguns municpios cearen-

    ses e pernambucanos. Neste setor est havendo um rigoro-so acompanhamento das pol-ticas de manejo sustentvel. A sociedade precisa ser envolvi-da neste processo, que no de responsabilidade apenas dos poderes pblicos.

    Aps a implantao do Hospital Regional do Cariri, que atende a 44 municpios, a demanda por sangue aumen-tou. Para suprir as necessidades de transfuso, o hemoncleo do Hemoce, em Juazeiro do Norte, est realizando coletas exter-nas. Funcionrios de empresas, instituies pblicas, escolas, faculdades e clnicas mdicas participam das doaes.

    Atualmente, o estoque do banco de sangue do he-moncleo est regular, mas a unidade enfrenta dificul-dades na coleta dos fatores sanguneos negativos AB, O, A. Tambm h pouca quanti-dade do tipo B positivo.

    Em mdia, o HRC est solicitando bolsas de sangue trs vezes por dia. Para cada cirurgia, o hospital necessita, pelo menos, de uma bolsa de sangue compatvel com o pa-ciente. Dependendo da gra-vidade do caso, a quantidade de bolsas pode chegar a cin-

    co. As de 400 a 450 mililitros podem beneficiar at trs pes-soas. O HRC tambm conta com uma agncia transfusio-nal, mas, o sangue enviado pelo Hemoce.

    Segundo a gerente do setor de captao de sangue do hemoncleo, Maria Neirivan Sampaio, importante que a populao colabore e compa-rea ao Hemoce para realizar as doaes. A gente faz esse apelo para que os doadores, fidelizados ou no, venham ao hemoncleo, para que possa-mos continuar atendendo, sa-tisfatoriamente, as emergncias dos hospitais, solicita.

    Para fidelizar doadores, desde o incio deste ano, o He-moce criou o Clube do RH ne-gativo. O objetivo suprir as demandas dos fatores menos comuns. O Clube ser lanado durante a Semana do Doador, que acontecer no prximo ms de novembro, entre os dias 21 e 25.

    n Universidade Federal do Cear (UFC-Cariri) vai disponibilizar a estrutura j existente em Juazeiro do Norte

    n O hemoncleo quer garantir a disponibilidade de todos os fatores sanguneos

    Cresce a demanda de sangue aps a instalao do HRC

    n Paulo Henrique Lustosa fala sobre educao ambiental durante o lanamento de cartilhas

    Seminrio deve discutir ao integrada do lixo e resduos slidos

    O Governo do Esta-do lanou duas cartilhas de educao ambiental, no lti-mo dia 23, na Universidade Regional do Cariri (Urca). So 215 pginas que apon-tam problemas ambientais, mostrando solues e esta-belecendo atribuies aos rgos parceiros, como o Geopark Araripe, Ins-tituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renovveis (Iba-ma), secretarias municipais de meio ambiente, gestores p-blicos e a sociedade em geral, no sentido da conscientizao para que todos possam contri-buir na formao de uma cida-dania plena.

    O presidente do Conpam, Paulo Henrique Lus-tosa, durante palestra de lana-mento das cartilhas, explicou que no Cear, o sistema am-biental vem avanando depois da interiorizao da Secretaria do Meio Ambiente (Semace) e

    da par-c e r i a conso-l idada com o Ibama, q u e v e m conven-cendo os r g o s ambien-tais dos

    municpios a assumirem algu-mas competncias dentro do processo local de gerenciamen-to das polticas.

    Para Lustosa, as carti-lhas lanadas trazem toda lega-lidade jurdica da operacionali-dade das polticas ambientais do Cear, por isso, a sociedade e os poderes constitudos pre-cisam conhec-las. Nelas esto direitos e deveres de cada cida-do, sobre a questo ambiental. Precisamos, urgentemente, nos familiarizarmos com esses limites, finalizou.

    Lanamento de Cartilhas

    Foto: Ccero Valrio

    8Cidades

    REGIO DO CARIRI(CE), DE 30 DE AGOSTO A 05 DE SETEMBRO DE 2011

  • Comea a romaria da Me das Dores

    Tnel metrovirio vai ligar So Miguel Rua Pio XII

    Frigorfico do Cariri recebe um curso de boas prticas de abate Mirelly Morais

    Durante esta sema-na, cerca de 25 funcionrios do Frigorfico Indus-trial do Cariri participam de palestras e aulas prticas, em curso ministrado pela Agncia de Defesa da Agro-pecuria do Cear (Adagri), para melhoria da qualidade das carnes e dos derivados nos matadouros pblicos e privados. Sero repassadas noes de educao sanitria em abatedouros e caracters-ticas tcnicas e operacionais de matadouro.

    O coordenador regio-nal da Adagri, Roger Henri-que considera da maior im-portncia os esclarecimentos para boas prticas de aba-timento, o que garantir a qualidade do produto, con-sequentemente, a segurana alimentar.

    De acordo com o co-ordenador, os frigorficos passam por diversos proble-mas devido falta de inves-timentos, mas alguns deles, segundo Roger, receberam melhorias, a exemplo do fri-gorfico do Cariri, que hoje

    administrado por uma em-presa, por meio de arrenda-mento. O frigorfico passou por diversos problemas, mas depois que deixou de ser ad-

    ministrado pelo Municpio algumas melhorias j so ob-servadas, comenta.

    O veterinrio especia-lista em vigilncia sanitria,

    Ccero Emerson, coordena-dor da equipe da Adagri, co-menta que os abatedouros escolhidos tem trilhagem a-rea, assim a carne do animal

    no tem nenhum contato com o cho, um mecanismo de abate que segue as tcni-cas de educao sanitria e ambiental.

    O curso ser realiza-do em dez municpios que tiveram seus abatedouros construdos ou reformados dentro das boas prticas da vigilncia sanitria. O pr-ximo municpio da regio a receber a equipe da Adagri ser Nova Olinda.

    O Frigorfico Indus-trial do Cariri um dos maiores do estado e chega a abater, semanalmente, 400 bovinos, totalizando 1.600 bovinos por ms, alm de atender o comrcio de carnes da populao do Cariri.

    InspeesEm 2009, a Adagri

    fez um levantamento nos 184 municpios Cearenses e constatou que em 179 ci-dades havia abatedouros. O segundo passo foi indicar quais estabelecimentos ne-cessitavam de reforma ou nova construo. Alm dos dez municpios que recebe-ro a capacitao, nesse pri-meiro momento, outros 18 aguardam o fim das obras para que possam passar pelo curso de boas prticas de fa-bricao. As visitas devem durar o ano inteiro.

    n Adagri repassa tcnicas sanitrias de abate para funcionrios do Frigorfico Industrial do Cariri

    Analu Morais

    Juazeiro do Norte co-nhecida mundialmente pela f e devoo de seu povo, aspec-tos que so visveis nos festejos de Romaria, os quais ocorrem durante todo o ano na cidade. Com a participao de romei-ros vindos de diversos lugares, as ruas ficam repletas de luzes e pessoas que expressam grati-do e apelo. Uma das maiores Romarias a de Nossa Senho-ra das Dores, mais conhecida como Me das Dores, que teve incio neste domingo (28), com a Carreata que conduziu a imagem da padroeira pelas ruas da cidade desde a Basli-ca. Segundo o Secretrio Jos Carlos, so esperadas cerca de 300 mil pessoas durante a Ro-maria.

    Para os festejos desse ano, a Secretaria de Desenvol-vimento Econmico, Turismo e Romaria (Sedetur) juntamente com outras Secretarias plane-jaram mudanas para melhor acomodar os romeiros e a po-

    pulao. Com participao da Polcia Militar, Departamento Municipal de Trnsito (Demu-tran) e bombeiros, a proposta realizar uma Romaria mais se-gura e bonita, oferecendo uma

    cidade mais estruturada e or-ganizada para que os romeiros e os juazeirenses possam des-frutar do ato religioso.

    A desorganizao nas ruas, por conta da superlota-

    o de vendedores ambulantes e de romeiros e os problemas relacionados falta de gua e sade pblica j esto sen-do resolvidos. Juazeiro conta com a ajuda de agentes que es-

    to organizando os camels e proibindo a fixao destes nas caladas e vias.

    Para que haja uma me-lhor ocupao da rea pblica da cidade, aqueles que comer-cializavam nas caladas e pra-as, principalmente nas proxi-midades da Baslica Menor de Nossa Senhora das Dores, das Ruas So Pedro e Dr. Floro, esto sendo transferidos para o Mercado dos Romeiros. A estrutura construda para aju-dar a desafogar as ruas conta com 1.042 boxes utilizados para comercializao de comi-das, artigos religiosos, dentre outros. As outras pessoas que no conseguiram vaga para ocupar o mercado podem ficar na Praa do Socorro.

    Em relao sade dos que participam da Romaria, a Secretaria de Sade j dispo-nibiliza equipes mdicas em pontos estratgicos da cida-de, nos locais onde h maior concentrao de romeiros. Na Matriz, encontram-se leitos que sero de atendimento 24h at o fim dos festejos, em 15

    de setembro. Em pontos mais afastados do centro da cidade, h carros de apoio e tcnicos de enfermagem. Tais medidas foram tomadas para que no haja lotao nos hospitais.

    Alm da presena de 70 guardas municipais, o co-mandante do 2 BPM, Coronel Paiva solicitou reforos vindos de Fortaleza e contar com o apoio de policiais do Ronda do Quarteiro e da Cavalaria para ajudar na segurana dos romeiros e deixar espaos para circulao de macas e cadeiras de rodas. Agentes do Demu-tran esto auxiliando nibus que vo em direo ao horto e caminhes que prejudiquem a circulao.

    A Secretaria do Meio Ambiente e a Companhia de gua e Esgoto do Cear (Ca-gece) j esto garantindo a limpeza e o abastecimento da cidade. Funcionrios extras foram contratados para cuidar das praas e implantar lixeiras no canteiro central das ruas. O abastecimento dos pontos cen-trais da cidade 24 horas.

    Joo Carlos Barbosa

    Comeou a obra de construo do tnel metro-virio, no quilmetro 587 da ferrovia que liga Juazeiro a Crato, na Avenida Carlos Cruz. O viaduto vai ligar a Rua da Luz, no Bairro So Miguel, Rua Padre Ibiapi-na, no Bairro Pio XII senti-do Norte e Sul.

    Nesta fase inicial est sendo feito o trabalho de

    conteno ferroviria, para posterior construo do t-nel metrovirio. O trabalho consiste em suspender a via numa distncia de 11 metros, em trs pontos distintos, para construo dos pilares em dois blocos com nove trilhos. Isso garantir as escavaes e implantao de cada colu-na, alm da segurana para passagem do Metr do Cari-ri, de trens cargueiros e dos operrios que trabalharo na

    importante obra, afirmou Juraci Pinheiro, tcnico da empresa Pinheiros Via Per-manente.

    O morador do Pio XII, Jos Machado da Silva falou que a construo do Tnel de suma importncia para os dois bairros, pois encur-tar o caminho de populares e comerciantes que estavam prejudicados, sem um aces-so adequado para chegar ou sair dos bairros.

    SEGURANA ALIMENTAR

    RELIGIOSIDADE

    INFRAESTRUTURA

    n Cerca de 300 mil fiis so aguardados para a romaria de Nossa Senhora das Dores, em Juazeiro

    n Viaduto vai ligar a rua da Luz(bairro So Miguel) Padre Ibiapina (bairro Pio XII) , sentido Norte Sul

    Fotos: Ccero Valrio

    Joo Carlos Barbosa

    9REGIO DO CARIRI(CE), DE 30 DE AGOSTO A 05 DE SETEMBRO DE 2011Cidades

  • Tratamento para animais indispensvel contra o contgio

    Campanha visa acesso primeira dose de antibitico na maternidade

    UFC Cariri ter mestrado profissional em matemticaMirelly Morais

    A Regio do Cariri ga-nhar, j a partir do primeiro semestre de 2012, um mestra-do profissional em matemti-ca. De acordo com o professor Jorge Lira, coordenador do Programa de Ps-Graduao em Matemtica da Universi-dade Federal do Cariri (UFC), sero 50 vagas, destinadas aos graduados, preferencialmente ligados rede pblica. As ati-vidades sero semipresenciais, em Rede Nacional (PROF-MAT), da Sociedade Brasileira de Matemtica. O edital com todas as informaes est sen-do preparado e deve ser lana-do brevemente.

    Na idia de interiori-zao do ensino, o Cariri foi escolhido para receber o pri-meiro curso de mestrado pro-fissional do interior do Estado por se destacar no desenvolvi-

    mento de atividades tecnol-gicas voltadas para a indstria e pelo nvel dos alunos que saem daqui. Sempre encon-

    tramos alunos do Cariri que se destacam na rea, e isso nos chamou ateno, comenta o professor.

    Jorge Lira explica que o mestrado profissional uma modalidade voltada mais para o setor de mercado, conside-

    rando que a matemtica o grande motor da rea de tec-nologia.

    O Encontro Cearense

    de Matemtica, realizado em Juazeiro do Norte, durante a ltima semana, foi o marco inaugural do Mestrado Pro-fissional. E mais de 600 estu-dantes, professores e pesqui-sadores da rea participaram de palestras sobre temas como o mtodo de Arquimedes, Recorrncia de Poicar, Geo-metria Analtica e Movimento Browniano.

    O encontro tambm foi parte das comemoraes do cinquentenrio do Depar-tamento de Matemtica da UFC. Alm disso, celebrou os 80 anos do professor Antonio Gervsio Colares, que de acor-do com o professor Mrio de Assis Oliveira, um dos mais distinguidos e pioneiros men-tores da matemtica no Cear.

    O evento envolveu o Campus da UFC no Cariri, a Universidade Regional do Cariri (URCA) e o Instituto Federal de Educao, Cincia e Tecnologia do Cear (IFCE).

    Jacqueline Dantas

    O Centro de Controle de Zoonoses do Cariri, se-diado em Crato, administra a demanda de animais que necessita de diagnstico m-dico para tratamento espe-cfico das doenas caninas, bem como, ampara os que foram vtimas de maus tra-tos e abandono. As cidades circunvizinhas como Santana do Cariri, Araripe e Campos Sales encaminham quase que, diariamente, animais que ca-recem de cuidados.

    Cerca de 90% dos ca-sos atendidos pelo Centro referem-se a animais com ca-lazar (leishmaniose visceral), doena grave de curso len-to e fcil transmisso, tanto para os ces quanto para os humanos, ou doenas termi-nais, como a cinomose, en-fermidade infecto contagiosa, causada por um vrus (CDV - Canine Distemper Vrus) que pode ser encontrado no fluxo ocular e nasal, acometendo o

    sistema respiratrio, digesti-vo, dermatolgico e neurol-gico, que incide em uma s-rie de danos, principalmente convulses, as quais no so

    possveis de obter o controle. Afeta s os ces entre os ani-mais domsticos e os cande-os silvestres.

    A preveno dessas

    doenas ocorre por meio de vacina, a primeira dose deve ser feita aos 45 dias de vida, necessitando refor-la anu-almente. Infelizmente, a

    maioria dos animais sequer toma a primeira vacina, fican-do totalmente desprotegidos. A incidncia de animais com calazar muito grande e ain-da no existe cura. preciso conscientizar o dono de que se trata de uma doena irre-versvel e que o mtodo mais apropriado encaminh-lo eutansia (morte serena, sem dor) para amenizar o sofri-mento, revelou a mdica veterinria e gerente tcnica do Centro de Controle de Zo-onoses do Cariri, Maria Alice Calado Moraes. Ela apontou que cerca de seis animais, por semana, so submetidos eutansia, mas constatou que essa mdia tem decres-cido, pois j houve semanas em que, aproximadamente, 18 animais eram sacrificados.

    A consulta veterinria no Centro realizada median-te o cadastro que descreve as caractersticas do animal, junto aos sintomas visveis. O exame feito partir de um pequeno furo na orelha, para

    coletar o sangue e encaminh--lo ao Laboratrio Central de Sade Pblica (Lacen). Caso o resultado do material sorol-gico seja positivo doena, o animal ser submetido eu-tansia. O recolhimento pela carrocinha dos animais em ambientes privados pode ser feito com a apresentao do laudo mdico que constate o agravamento da doena.

    Ezilda Gonalves sem-pre se dedicou a cuidar de cachorros, em particular, da-queles sem raa definida, que eram encontrados na rua. Ela relata que j houve poca de abrigar trs em seu domiclio, e que os tratava como parte integrante da famlia, mas que apesar do cuidado ex-cessivo, um deles foi acome-tido de uma doena terminal e teve de ser sacrificado. Ela lamentou a perda, mas o afas-tamento do animal foi uma medida que ela considerou necessria para no colocar os outros em risco.

    A Pastoral da Criana est promovendo uma cam-panha, junto s unidades de sade e entidades no gover-namentais, para que as crianas tenham acesso primeira dose da vacina com antibitico ainda na Unidade Bsica de Sade. O intuito erradicar a mortalida-de infantil, cujo ndice nacional ainda preocupante, pois atin-ge cerca de quatro mil mortes por ano. Em Juazeiro do Norte foram registrados 12 casos em junho e quatro em julho, ainda esto sendo contabilizados os deste ms.

    O estudante e coorde-nador geral da Pastoral da Criana de Juazeiro, Ronildo Alves de Oliveira mencionou que a Pastoral, h 19 anos, pro-move e defende a vida. Ele fri-sa que necessrio o acesso primeira dose da vacina ainda na Unidade Bsica de Sade. Constatamos que as mes carecem de ateno e de um

    atendimento humanizado que as explique, com riqueza de detalhes, a forma como devem cuidar de seus filhos, desde a aplicao certa do medica-mento. Em alguns casos hou-ve bito porque as crianas to-maram remdio horas ou dias aps o que estava prescrito, ou por alguma reao adversa que no foi acompanhada pelo mdico. Temos uma parceria direta com os postos de sade, mas ainda h resistncia de al-guns profissionais de sade, revelou Ronildo.

    A enfermeira e coor-denadora do Posto de Sade da Famlia (PSF) do distrito 5, Natrcia de Sousa Arajo Alves relatou que a Pastoral um suporte ao atendimento oferecido no posto, porque so os lderes que esto em contato dirio com a comunidade. Por isso, to necessrio que haja capacitao para que possam trabalhar em conjunto. Ain-

    da comum a divergncia de informaes porque ns pro-fissionais trabalhamos mais cientificamente e s vezes, os lderes da Pastoral agem com base em usos e costumes.

    Natrcia explicou que o antibitico prescrito confor-me as patologias. Cada antibi-tico tem seu horrio de ao,

    como alguns que devem ser tomados de seis em seis horas. Ela mencionou que busca ade-quar um horrio conveniente s doses, para que haja rigor e no atrapalhe o sono do doen-te. Tambm aconselha a forma como a dose deve ser adminis-trada, a quantidade exata, junto com gua mineral ou fervida.

    PS-GRADUAO

    ZOONOSES

    PASTORAL DA CRIANA

    n Sede do Centro de Controle de Zoonoses do Cariri, em Crato

    n Pastoral realizou assembleia na Cmara para discutir o assunto

    n O Mestrado profissional dar preferncia aos graduados pela rede pblica de ensino

    Capacitao e filiao de novos membros

    Por ano so realizadas duas capacitaes para os inte-grantes da Pastoral da Crian-a, uma a cada semestre com carga de 54h, sobre como deve ser feito o acompanhamento das gestantes e das crianas com at seis anos. Trata-se de uma formao contnua que abrange vrias aes, pois tambm repassamos conhe-cimento sobre sade bucal, hansenase, alimentao em horta e coisas especficas da comunidade, revelou Ro-

    nildo Alves, destacando que, atualmente, a Pastoral precisa de mais voluntrios.

    Ariolanda Simeo tor-nou-se membro da Pastoral da Criana aps ser atendida pela entidade. Ela tem 14 filhos, e agora repassa os cuidados que aprendeu para outras pessoas, com base numa perspectiva crist: Deus nos disse para dar de graa o que de graa re-cebemos. com o bem que eu ajudo outras famlias, com-pletou.

    10Cidades

    REGIO DO CARIRI(CE), DE 30 DE AGOSTO A 05 DE SETEMBRO DE 2011

  • VIAGEM A PORTUGAL

    FESTA DA PADROEIRA CINE 6D

    ANIVERSRIO ALCONORT CASAL PERFEITO

    SEMANA DE DIREITO

    A Alconort Alumnio, distribuidor exclusivo dos produtos Alcoa, comemorou trs anos de existncia na Regio e presenteou seus clientes com um novo show room e apresentao da linha de ferramentas industriais Dewalt/Black & Decker. Nossos parabns a todos os funcionrios e clientes dessa empresa, que juntos ajudam a desenvolver nosso Cariri. Parabns!

    Casal super especial Jocean e Isabel. Ele msico e administrador e ela professora de administrao, da Faculdade Leo Sampaio. sempre uma alegria rev-los.

    A Faculdade Paraso promoveu a IV Semana de Direito, nos dias 24, 25 e 26, com o tema Eficcia e Efetivao do Acesso Justia: os novos desafios do direito processual brasileiro. O evento contou com palestras e mini cursos sob a coordenao do professor Shakespeare Teixeira Andrade, na foto, com o professor Marcos Minami e alunos do CA de Direito.

    Muita gente interessante na festa da padroeira do Crato. Na foto, o secretrio de sade do municpio, Ccero Frana, Ccero Rogrio, Monique Oliveira, Tarcsio Teixeira e Rachel Bezerra, que curtiram todas as atraes da quermesse.

    O Cinema 6D, no Cariri Shopping, est atraindo centenas de pessoas, principalmente, crianas e adolescentes, que se divertem com a novidade. O 6D tem

    agradado os cinfilos do Cariri. Seis filmes estaro em cartaz, cada um deles com a durao de cinco minutos. So eles, Mina de Ouro, A Ilha dos Dinossauros, Fbrica de Chocolates, Trem Fantasma, Guerra nas Estrelas e Mundo Submarino.

    Aproveitando suas frias, Sophia Lustosa arrumou as malas e viajou para o continente europeu, rumo a Portugal, para curtir as belezas e toda a cultura daquela terra maravilhosa.

    Companhia ministra oficina de dana

    Festa de Nossa Senhora da Penha chega a sua 243 edio

    Analu Morais

    De volta ao Cariri, a companhia da bailari-na e coregrafa cario-ca Esther Weitzman trouxe o espetculo Presenas no Tempo, que contm movi-mentos ainda no utilizados em suas apresentaes. Atravs da Oficina Dana e Criao e do Projeto Dana Adentro do Nor-te ao Nordeste do pas, Esther mostrou, em quatro apresen-taes, sua paixo pela dana e pelos movimentos do corpo. Interessa-me a ao da gravi-dade no corpo, a relao que se estabelece com o cho. Peso, fora, vigor. E, tambm, a leveza que possvel surgir da, diz a coregrafa.

    Esther contou que co-nheceu o Cariri atravs de um ex-aluno, Alysson Amancio, tambm bailarino e coregrafo. Ela esteve aqui pela primeira vez em abril de 2009 e identifi-cou uma efervescncia cultural na regio e quis explor-la. Em 2010, voltou com uma oficina de reciclagem.

    Presenas no Tempo

    teve um pblico alvo mais vol-tado para bailarinos, coregra-fos, criadores, atores, professo-res e estudantes. A necessidade

    de ter pessoas j com alguma experincia na dana um in-teresse que Esther tem em mo-tiv-los e fazer com que a dana

    se multiplique no Cariri, atravs dos participantes da oficina.

    Esther Weitzman j rece-beu diversas crticas de grandes

    jornais, por seus espetculos. Em um deles, ela apresentou uma leitura corporal do livro gua Viva, de Clarice Lispec-

    tor. A inteno no era explicar a obra, e sim mostrar, atravs da dana, os sentimentos descritos pela autora.

    Sociedade em FocoPOR WALESKA MARROCOS waleskamarrocos@jornaldocariri.com.br

    CULTURA

    CRATO

    n Oficina realizada no Cine Teatro Neroly Filgueira, em Barbalha n Coregrafa carioca Esther Weitzman trouxe o espetculo Presenas no Tempo

    Wilson Rodrigues

    A comunidade catlica do Crato celebra a 243 edio da tradicional festa da padroei-ra Nossa Senhora da Penha, um dos maiores eventos religiosos do interior do Cear. Para o p-roco da S Catedral, Edmilson Ferreira Neves, a festa uma devoo que se atualiza no co-

    rao do povo cratense. Este ano, o tema trabalhado Me da Penha, Reflexo do Corao Materno de Deus. O desejo que, de fato, as pessoas com-preendam o papel de Nossa Se-nhora na histria da salvao, sobretudo da importncia de Maria dentro do quadro salvfi-co, por ser ela a escolhida para ser a me do senhor. Apesar da

    sua tradicionalidade, a festa de Nossa Senhora da Penha se re-nova a cada ano no sentimento catlico da populao, que tem participado ativamente dos festejos novenrios at a procis-so da imagem da santa, que a apoteose do evento, disse o vigrio.

    As celebraes comea-ram no ltimo 21, e no dia se-

    guinte, iniciaram-se as novenas, com carreata saindo do estdio de futebol O Mirando at a Praa da S, onde aconteceu o hasteamento da bandeira. Pa-dres de outras parquias que ocupam funes diocesanas tambm participam dos nove dias da festa catlica, assim como, bandas de msicas de Caririau, Juazeiro do Norte,

    Jardim e Brejo Santo. A comis-so organizadora conseguiu in-cluir na programao as comu-nidades das localidades de So Vicente, Joo Paulo II, Nossa Se-nhora da Piedade, Santa Teresa de Jesus, So Jos, Jesus Maria e Jos, Santa Teresinha e Sagrada Famlia, alm do apoio de enti-dades e clubes de servios.

    Nesta quinta-feira, 1 de

    setembro, dia da padroeira, ha-ver celebrao de trs missas, porm a programao comea s 5 horas da manh com alvo-rada festiva; ao meio dia, salva de fogos; 16 horas, consagrao Nossa Senhora da Penha e s 17 horas, o maior espetculo de f que a procisso. A expecta-tiva que 60 mil pessoas parti-cipem do evento.

    11REGIO DO CARIRI(CE), DE 30 DE AGOSTO A 05 DE SETEMBRO DE 2011Social.Cultura

    Luzenor de Oliveira Donizete ArrudaDe Segunda a Sbado, das 7 s 8 da manh

  • 12 REGIO DO CARIRI(CE), DE 30 DE AGOSTO A 05 DE SETEMBRO DE 2011Esporte

    RUA DELMIRO GOLVEIA, 942 - SALESIANOSFONE/FAX: (88) 3512-1100

    TUDO EM AT 10X NO CARTO VISA SEM JUROS

    CHEQUE E CARN.

    AUTOMTICOS, CERCA ELTRICA, PORTEIRO E VIDEO PORTEIRO, INTERFONE, PABX, CFTV.

    FUTEBOL

    n Guarani ocupa o segundo lugar na srie D, com oito pontos na tabela

    Guarani busca alternativas para superar dificuldadesYaan Neponucena

    Em um momento de dificuldades finan-ceiras, o Guarani Esporte Clube teve que buscar alternativas para pagar as despesas da primei-ra fase da srie D do Campe-onato Brasileiro. O time est em segundo lugar, com oito pontos na tabela.O principal objetivo da equi-pe do Guarani, no momento, a classificao na primeira fase da competio e a garan-tia da vaga na srie C. J pela Fares Lopes, o time garantiu a primeira etapa e busca a classificao para a Copa do Brasil do ano que vem.

    Segundo o presidente da equipe, Jos Moura, as dificuldades precisam ser superadas o mais rpido possvel para no atrapalhar a atuao do time. A gente vem gastado muito desde a pr-temporada, no te-mos mais recursos. Estamos aguardando o apoio do Go-verno do Estado, mas im-portante que a torcida veja o lado da diretoria nesse mo-mento e comparea aos jogos que acontecem no Romeiro, para apoiar financeiramente o time, disse.

    Sem obter gols por seis partidas seguidas, o Guarani voltou a marcar. Conta o Por-to de Caruaru (PE), o placar foi de 2 a 0 e tendo o Icasa como adversrio na partida do dia 24, pela Copa Fares Lopes, no Romeiro, o Leo levou a melhor por 2 a 1.

    O prximo jogo pelo Brasileiro ser no dia 4 de

    CCERO NICSSIOTOQUE DE PRIMEIRA

    PONTA DO LPISNa primeira fase da srie B do ano passado,

    o Icasa, em 19 jogos, somou 27 pontos. Antes da ltima rodada, o verdo j somava 24 pontos, ao

    vencer o Gois, por 4 a 2, com dois marcados pelo garoto Diogo Frana, que mudou a histria da partida. O primeiro objetivo do Icasa permanecer na srie B, e o que vier alm disso ser lucro. A comisso tcnica faz a conta na ponta do lpis.

    SOMBRADepois de um longo jejum de gols, o Guarani voltou a

    marcar, contra o Limoeiro, no empate de 1 a 1. Pela srie D, o leo fez 2 a 0, no porto de Caruaru, na manh de domingo, onde cada jogador tem direito a um sol e o torcedor disputa, a tapa, o metro quadrado de uma sombra. necessrio que a diretoria do Guarani analise melhor o horrio de dez da manh.

    EXPECTATIVAO presidente de honra do Icasa, Zacarias Silva sabe que

    vale a pena apostar no custo beneficio e trouxe de volta Jnior Xuxa e Guto. O meio Xuxa j fez trs jogos e a produo do time mudou da gua para o vinho. Esperamos que o volante Guto repita as grandes atuaes que fez no ano passado, pelo verdo. A torcida aguarda a reestria com muita expectativa.

    FUTEBOL NORDESTINOO futebol nordestino no mais o mesmo. Apenas

    dois representantes, o Bahia e o Cear, esto na srie A. O restante divide-se nas outras sries. O famoso Santa Cruz, do Recife, h alguns anos disputa a srie D. O Santa tem uma torcida apaixonada ao ponto de colocar uma mdia de 30 mil pagantes por jogo. O nordeste, em dcadas passadas, revelou grandes jogadores para o futebol brasileiro. So tantos que no dar pra citar.

    Ccero Valrio

    n SEGURANA ELETRNICA

    n PORTARIA

    n ZELADORIA

    n TERCEIRIZAO DE SERVIOS

    Travessa Slino Duda, 59 - Bairro Santa Teresa - Juazeiro do Norte - CE

    Pea j seu oramento sem compromisso

    Cargas e Encomendas Urgentes para o Serto Central, Cariri, Baixo Cariri e Chapada do Araripe, DIARIAMENTE. Filiais: Quixad, Quixeramobim, Senador Pompeu, Mombaa, Acopiara, Iguatu, Vrzea-Alegre e Juazeiro do Norte.

    www.birdexpress.com.br

    Fortaleza-CE 85.3295.7878

    Avenida Padre Ccero, 2200 Galpoes 4 e 5 - Triangulo

    Juazeiro do Norte-CE 88.3512.7164 / 3512.8980

    OAB Cear outorga Medalha Advogado Padro a advogado Caririense

    COMEMORANDO O DIA DO ADVOGADO, a Or-dem dos Advogados do Brasil, seccional do Estado do Cear, por ocasio do Dia do Advoga-do, celebrado em 11 de Agos-to, em sesso solene realizada no dia 12 do festivo ms, em Fortaleza-CE, outorgou ao ad-vogado Antnio Daudet Gon-dim Barreto, conhecido por Dr. Dud, a Medalha de Advoga-do Padro que se constitui a maior comenda oferecida pela Ordem dos Advogados do Brasil, Seco Cear (OAB-CE), em reconhecimento contri-buio de abnegados profissio-nais para a ordem jurdica do direito democrtico, zelando pela boa aplicao das leis, a

    rpida aplicao da justia e o aperfeioamento da cultura e das instituies jurdicas.

    A Medalha Advogado Padro uma comenda desti-nada a homenagear alguns dos profissionais da advocacia que tenham atingidos trinta ou mais anos de exerccio efetivo da pro-fisso, se conduzindo com abso-luta tica e disciplina, portanto, de ilibada reputao, tanto que, ao longo de 78 anos de histria, a OAB-CE outorgou a Medalha a apenas 92 advogados e advo-gadas de todo o nosso Estado.

    O homenageado na-tural da Cidade de Jardim-CE, filho de Jos Matos Barreto (in memoriam) e Delzuite Gon-dim Barreto, casado com Luci-neide Luciano Lucena, pai de quatro filhos: Sskia, odont-loga; Cluver, Smia e David, ligados rea jurdica, sendo Cluver advogado e atual pre-sidente da subseco da OAB de Juazeiro do Norte, Smia recm formada pela Faculdade de Direito da FAP e David, gra-duado pelo curso de direito da URCA.

    O Dr. Dud formado pela Universidade Catlica de Pernambuco (UNICAP), ps--graduado em Teoria do Direito e em Direito Privado, Professor Universitrio efetivo da Uni-versidade Regional do Cariri (URCA), lecionando tambm no Curso de Direto da Facul-dade Paraso (FAP), exercendo tambm a advocacia, com escri-trio na Cidade de Juazeiro do Norte-CE.

    novembro, contra o Alecrim, no Rio Grande do Norte. Aps a partida, o leo do mercado voltar a jogar con-tra o Santa Cruz (PE), no dia 11 de novembro. O jogo que aconteceria no Romeiro foi transferido para o Almei-do, em Joo Pessoa (PB). A mudana ocorreu devido aos prejuzos constantes que o Guarani estava enfrentan-do durante os jogos no es-tdio juazeirense. A expec-tativa que a torcida coral comparea e gere renda para os times.

    O Guarani ir dispo-nibilizar ingressos em Jua-zeiro. A diretoria est plei-teando, junto a Secretaria de Esporte do Municpio, a possibilidade de transportar os torcedores do leo.