Jornal do Cariri - Edição 2497

Download Jornal do Cariri - Edição 2497

Post on 06-Mar-2016

226 views

Category:

Documents

9 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edio do Cariri de 29 de agosto a 05 de setembro de 2011

TRANSCRIPT

<ul><li><p>A arte est na essncia do nordestino. Na forma de agir, pensar e, claro, na riqueza e diversidade de manifestaes que nascem </p><p>e ganham vida nesta terra. Por isso, nada mais justo do que este povo, h 13 anos, ter no Centro Cultural Banco do Nordeste um </p><p>mltiplo espao para experimentar e viver a cultura da Regio e do mundo. Banco do Nordeste. A nossa cultura investir na sua.</p><p>SAC Banco do Nordeste Ouvidoria: 0800 728 3030</p><p>www.bnb.gov.br/cultura /ccbnb/ccbnb</p><p>DOAO</p><p>CRESCIMENTO</p><p>GOVERNO DO ESTADO</p><p>ROMARIA</p><p>ELEIES 2012</p><p>SEMINRIO</p><p>JUAZEIRO</p><p>BARBALHA</p><p>O peridico do Cariri independente</p><p>Hemoce faz coletas externas para atender demanda do HRC</p><p>Cegs mira o Cariri com estudossobre consumo de gs natural</p><p>12</p><p>4</p><p>ESPORTE</p><p>Guarani enfrenta dificuldades </p><p>Foto</p><p>s: C</p><p>cer</p><p>o Va</p><p>lrio</p><p>REGIO DO CARIRI l DE 30 DE AGOSTO A 05 DE SETEMBRO DE 2011 l ANO XIII l NMERO 2497 R$ 1,50</p><p>O Cariri a primeira regio do Interior do Cear a receber estudos sobre as potencialidades de consumo do gs natural. Os estudos, segundo o presidente da Companhia de Gs do Cear (Cegs), Antonio Cambraia, esto sendo realizados pela Universidade Federal do Cear (UFC). Para ele, pelo nvel de crescimento econmico e desenvolvimento industrial, o Cariri poder atrair investimentos para o fornecimento de gs natural.</p><p>Com a implantao do Hospital Regional do Cariri, a demanda de sangue aumentou. Para atender as necessidades, o hemoncleo de Juazeiro est colhendo doaes em empresas e outras instituies. O estoque do banco de sangue est regular, mas a unidade enfrenta dificuldades na coleta dos fatores sanguneos negativos AB, O e A.</p><p>Cid anuncia investimentos de R$ 100 milhesDiretrios do Crajubar articulam alianas </p><p>Ao integrada do lixo e resduos slidos ser discutida </p><p>Vice afirma que no articulou denncia contra Santana</p><p>Moradores reclamam da taxa de iluminao</p><p>Os partidos polticos esto realizando conferncias para firmar os nomes que integraro a campanha eleitoral de 2012, cujo prazo para filiaes encerra neste ms de setembro. O prefeito Manoel Santana (PT) e o deputado federal Manoel Salviano (PSDB) admitem que no faro campanha adjunta. No Crato e Barbalha, vereadores e lideranas articulam alianas.</p><p>Moradores reclamam da cobrana indevida da taxa de iluminao pblica em localidades de Barbalha, vez que h uma emenda Lei que isenta da taxa aqueles que no so beneficiados diretamente pelos servios. Famlias de baixa renda sentem-se prejudicadas e a Cmara deve entrar com uma ao civil pblica pedindo o ressarcimento do que j foi pago. </p><p>Fiis da Me das Dores comeam a chegar em Juazeiro</p><p>n Carreata que abriu a Romaria de Nossa Senhora das Dores, no ltimo domingo (28)</p><p>n Os nove municpios da Regio Metropolitana do Cariri (RMC) devem ser beneficiados com a parceria que est sendo firmada entre Estado e Banco Mundial</p><p>5</p><p>93</p><p>3</p><p>8</p><p>CULTURA</p><p>11</p><p>8</p><p>4</p><p>Coregrafa carioca retorna ao Cariri</p><p>n Carreata que abriu a Romaria de Nossa Senhora das Dores, no ltimo domingo (28)</p></li><li><p>Editorial2</p><p>OpinioREGIO DO CARIRI(CE), DE 30 DE AGOSTO A 05 DE SETEMBRO DE 2011</p><p>Exped</p><p>iente</p><p>:</p><p>Fundado em 5 de setembro de 1997O Jornal do Cariri uma publicao</p><p>da Editora e Grfica Cearasat Comunicao Ltda</p><p>CNPJ: 34.957.332/0001-80</p><p>O peridico do Cariri independente</p><p>Diretor-presidente: Luzenor de Oliveira Diretor de Contedo: Donizete Arruda Diretoria Jurdica: Vicente Aquino Editora Responsvel: Jaqueline Freitas </p><p>Administrao e Redao: Rua Pio X, 448 - Bairro Salesianos - CEP: 63050-020 - Juazeiro do Norte Cear - Fone (88) 3511.2457Sucursal Fortaleza: Rua Coronel Alves Teixeira, 1905, sala 05, Telefone: 085.3462.2607 - Celular: 085.9161.7466Sucursal Braslia: Edifcio Empire Center, Setor Comercial Sul, Sala 307, Braslia-DF</p><p>Os artigos assinados so de responsabilidade dos seus autores</p><p>Conselho Editorial: Geraldo Menezes Barbosa | Francisco Huberto Esmeraldo Cabral | Napoleo Tavares Neves e Monsenhor Gonalo Farias Filho </p><p>Fale conosco Redao w cidades@jornaldocariri.com.br w policia@jornaldocariri.com.br w politica@jornaldocariri.com.br w redacao@jornaldocariri.com.br w sucursalfortaleza@jornaldocariri.com.br Departamento Comercial w comercial@jornaldocariri.com.br | Diretoria w diretoria@jornaldocariri.com.br | Geral w jornaldocariri@jornaldocariri.com.br </p><p>Envie sua carta para jornaldocariri@jornaldocariri.com.br e d sua opinio faa sua sugesto, uma crtica. Esse espao aberto para voc, caro leitor. </p><p>SEXTILHA CARTA</p><p>RECEBER HUMILHAESSER HUMILDE E PERDOARQUEM AGRIDE EST DOENTEQUEM FAZ AQUI VAI PAGAREXISTE UMA LEI DIVINAAI DAQUELE BURLAR!</p><p>Welington Costa</p><p>Todos os benefcios que o Cariri vem conquistando nos ltimos anos so merecidos e devem ser vistos como fruto de um trabalho coletivo. Nenhuma grande conquista acontece sem a fora de muitos. A regio est em ascenso e deve se unir para conseguir mais.</p><p>Amanda Ribeiro, estudante</p><p>A EDUCAO AMBIENTAL E A CONSOLIDAO DO GEOPARK DO ARARIPE</p><p>O Cariri cearense daquelas regies que a natureza brindou com tantos atributos e com tantos recursos que, com o passar dos anos, converteu-se em regio de destacada influncia poltica, cultural e econmica, no apenas para o Cear.</p><p>Dotado de clima ameno, considervel reserva de gua, terras aptas para a agricultura, rica biodiversidade, populao capacitada para o trabalho e importante acervo arqueolgico, o Cariri viu nascer inmeras indstrias, fazendas, centros urbanos dinmicos, uma floresta nacio-nal que comemora 65 anos e o urgente desa-fio de incluir a parcela menos favorecida de sua populao neste novo mundo de consumo cres-cente e de aparente inesgotvel afluncia. </p><p>Infelizmente o processo de desenvol-vimento do Cariri tem feito um uso de suas ri-quezas e potencialidades pouco racional, o que indica que dificilmente ele se sustentar para as geraes futuras. A ineficiente gesto dos recur-sos hdricos existentes, a presso que a demanda energtica do vizinho plo gesseiro impe sobre a vegetao do territrio, as ocupaes desorde-nadas de encostas e margens de rios, a extrao mineral descontrolada e o comrcio ilegal de fs-seis, so aes que tm colocado em risco no apenas o meio ambiente, mas o prprio desen-</p><p>volvimento regional.Com o intuito de propi-</p><p>ciar um aproveitamento racional e sustentado de tamanha riqueza, o Governo do Estado, por intermdio da Universidade Regional do Cariri (URCA) deu incio ao processo de criao do Geopark do Araripe, cuja aprovao veio a ocorrer no final de 2006, abrangendo seis municpios da regio em uma rea de cerca 3.500 km. </p><p>Concebido como um territrio com limites definidos e que possui stios de grande valor cientfico cujos patrimnios cultural, his-trico, ambiental, cientfico e socioeconmico apresentam importncia, raridade, riqueza em biodiversidade e contam a histria da terra, conferindo identidade ao lugar. O Geopark precisa ser consolidado com o territrio mode-lar no qual cultura, meio ambiente, histria e desenvolvimento devem se encontrar de forma harmoniosa e com isto servir de paradigma para o desenvolvimento sustentado de toda a sua re-gio de influncia.</p><p>Mas o sucesso na construo desta re-lao harmoniosa e sua subseqente consoli-dao dependem, necessariamente, da adoo </p><p>de condutas, prticas e procedi-mentos por parte de todos ns ce-arenses (e dos vizinhos caririenses) que permitam a transio para a economia verde que o desenvolvi-mento global tanto clama. </p><p>Para tanto, a educao am-biental tem se mostrado ferramenta de grande valor e relevncia, tendo se convertido numa das principais estratgias de ao da URCA e do </p><p>Governo do Estado para que esta conquista in-ternacional se consolide e d os frutos que todos esperam e necessitam. </p><p>Com isto em mente, o Conselho de Polticas e Gesto do Meio Ambiente do Cear (CONPAM) e o Geopark Araripe lanaram duas Cartilhas de Educao Ambiental, uma destina-da para professores e gestores municipais e a outra voltada para populao como um todo, que ser usada em seminrios, oficinas e fruns. mais uma importante etapa na construo do Cariri sustentvel que todos almejamos.</p><p>Paulo Henrique LustosaPresidente do Conpam</p><p>O DESEMPENHO DO AEROPORTOA empresa Infraestrutura Aeroportu-</p><p>ria - Infraero controla atualmente 67 aeroportos em territrio nacional. Destes, 32 so de classe internacional e 35 so de exclusivo trfego do-mstico. o caso do nosso Aeroporto Regional do Cariri. Salta aos olhos o elevado crescimen-to do desempenho deste aeroporto. Em vias de operao com a quarta empresa, logo agora em setembro, vale a pena utilizar os dados oficiais da Infraero para sentir mais concretamente este desempenho. </p><p>De acordo com aqueles dados, por exem-plo, de janeiro a junho de 2003, pelo nosso ae-roporto embarcaram e desembarcaram 18.051 passageiros. Este movimento nos credenciava a uma posio pouco confortvel, ocupando a 59. posio dentre todos os 65 aeroportos sob a ateno da Empresa, ou a 29. posio, se tomar-mos apenas os domsticos. Mas o Cariri e sua rea de influncia foi, aos poucos, contribuin-do para o melhoramento deste desempenho e gradativamente, no mesmo perodo (janeiro a junho), ano a ano, esta posio no ranking foi apresentando marcas tais como 55./25. (2004), 48./17. (2005), 43./12. (2006), 44./13. </p><p>(2007), 43./10. (2008), 38./7. (2009), 41./9. (2010), para chegar a este junho de 2011, sendo o qua-dragsimo terceiro de todos os aero-portos do pas, e o dcimo primeiro dentre os no internacionais. </p><p>Para fechar esta pequena avaliao, que mais uma leitura atenta dos dados oficiais, de janeiro a dezembro de 2010, como j divul-gado, transitaram pelo Regional do Cariri cerca de 244.780 passageiros (embarques e desembarques), permitindo-se constatar posi-es mais realistas de quadragsimo (no total), e oitavo, dentre os no internacionais. Para flagrar, finalmente, dados mais recentes, a natural sa-zonalidade e ainda dispondo dos dados oficiais, vejamos a posio do Aeroporto Regional do Ca-riri nos ltimos 12 meses. Entre maio de 2010 e junho de 2011, utilizaram o Aeroporto cerca de 304.762. Este resultado indica uma posio de excelente desempenho, colocando o equipa-mento dentre os 39 mais utilizados de todos os 67 aeroportos brasileiros sob a gesto da Infrae-ro, garantindo uma marca invejvel dentre os 7 </p><p>mais movimentados, exclusivamente domsticos. Para ns usurios do Aeroporto Regional do Cariri, estes nmeros ainda so muito frios e no nos devem provocar nenhum ufanis-mo pernstico. </p><p>Bem sabemos as deficin-cias de suas instalaes e quanto isto tem provocado desconforto aos seus usurios. As companhias areas esto se interessando cada vez mais </p><p>por este mercado emergente e definitivo. Logo mais uma e talvez no demore muito a principal destas empresas areas nacionais volte a pedir a autorizao para suas operaes. Isto apenas deve dizer a cada um de ns o quanto estamos todos na mesma luta, e o quanto nos cabe co-brar a quem responsvel pela implementao de melhorias continuadas ao nosso Aeroporto para que ele efetivamente preste melhores servios comunidade.</p><p>Renato Casimiro Historiador</p><p>O MOMENTO OPORTUNO</p><p>Sob o ttu-lo O Momento oportuno, a tica de o controle da administrao p-blica, o advogado cratense Aglsio de Brito, membro do Rotary Club de Crato, nosso con-terrneo, usou es-pao informativo interno do Rotary, em agosto de 2005, para discorrer sobre um tema que seis anos depois cai como uma luva na presente conjun-tura administrativa do Brasil, com relao a forma que est sendo governada, atravs do poder de seus organismos.</p><p>Tomamos a liberdade de inserir no presente comen-trio a forma como o Dr. Agl-sio comentava, h seis anos passados, o controle da admi-nistrao pblica, a estrutura administrativa do Estado bra-sileiro, nascidos dos poderes da Unio, dos Estados, do Distrito Federal e dos Munic-pios, de onde se afluem des-centralizaes as mais multi-vias de atividades de gesto e de governo, sediadas em Ministrios, Secretarias, De-partamentos, Empresas P-blicas, Gabinetes, Fundaes Publicas, etc. Apresentadas ao povo brasileiro como meca-nismos de gerenciamento das finanas pblicas na busca da satisfao das necessidades sociais bsicas, mas que vem abrigando, nos seus pores, uma horda de inescrupulosos e viciada de ratos humanos, que trabalham diuturnamen-te, de maneira disfarada, no repugnante ofcio de fraudar o devido processo legal dos gastos administrativos, saque-ando e embolsando o dinhei-ro pblico de maneira sub--repticiamente criminosa.</p><p> O resultado desse processo de corrupo impu-ne a falncia, a quebra da segurana, o falimento do bem-estar social que estamos assistindo no momento da </p><p>vida nacional. Em um segundo tpi-co de seu comen-trio, o advogado Aglsio de Brito tem um enfoque que parece vem ocorrendo neste ms de agosto, quando a popula-</p><p>o brasileira toma conhecimento dos fatos que ganharam as manchetes dos peridicos brasileiros com ci-taes sobre o papel do Mi-nistrio dos Transportes, no gerenciamento de suas ativi-dades, denunciadas de viva voz pelo ilustre Governador do Cear, Cid Gomes, que repercutiu nacionalmente e sabe-se agora que o chefe do executivo cearense estava co-berto de razo ao fazer a de-nncia.</p><p>Citando ainda o advo-gado Aglsio de Brito, vamos ao seguinte: Ocorre, entre-tanto, que esses controles no esto imunes a ao de-letria dos ratos de poro da administrao pblica. Eles esto por todos os lugares. Infiltram-se nos sistemas de controle internos, enfraque-cendo-os, desequilibrando-os, corrompendo-os, em maus brasileiros, significando dizer que os controles de nada va-lem para estancar a sangria extorsiva aos cofres Pblicos.</p><p>Concluindo, Aglsio de Brito taxativo: penso, porm, que nem tudo estar perdido, pois resta aos ver-dadeiros cidados brasileiros, que no fazem parte da m-quina administrativa pblica, usarem na fiscalizao dos gastos pblicos, o controle judicirio, pois ali ainda res-tam juzes honestos, nte-gros, incorruptveis.</p><p>Almrio CarvalhoRadialista e Secretrio Geral Cmara Municipal do Crato </p><p>O Jornal do Cariri transmite, nesta edio, mais uma excelente notcia para seus leitores. E o faz com justo orgulho, pois teve a primazia de levantar a dis-cusso e de estimular o debate sobre o tema: a Regio ser a primeira a receber estudos para a prospeco de gs natural, por meio de convnio firmado entre a Companhia de Gs CEGS e a Universidade Federal do Cear.</p><p>O JC sempre manifestou sua crena na fora do Cariri no campo da pesquisa e prospeco dos hidro-carbonetos. A questo do petrleo foi levantada pela primeira nas pginas do Jornal, assim como a investi-gao sobre o potencial de explorao do gs natural. Agora, graas a sensibilidade do presidente da Com-panhia de Gs, Antonio Cambraia, homem de grande experincia pblica, essa ideia ganha forma e contor-nos reais.</p><p>O gs natural um produto com diversas utili-dades, seja no campo industrial, seja no setor de servi-</p><p>os. fcil de ser transportado e de armazenagem re-lativamente barata. A regio do Cariri no ser a nica a ser contemplada. Os estudos devem chegar ao Serto Central, a Cratus e ao Vale do Jaguaribe. A chegada desse novo componente na equao econmica dessas reas poder ter um efeito transformador da realidade social.</p><p> exatamente por essa razo que o Cariri deve-se mobilizar para que essas pesquisas ocorram dentro de prazos razoveis e para que as auto...</p></li></ul>