jornal do cariri

Download Jornal do Cariri

Post on 26-Mar-2016

214 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Jornal do Cariri - 31 de julho a 06 de agosto.

TRANSCRIPT

  • O peridico do Cariri independente

    ESPORTE

    Universo Cosplay ganha adeptos caririenses

    CULTURA

    87

    Foto

    s: A

    rthur

    Lui

    z

    REGIO DO CARIRI l DE 31 DE JULHO A 06 DE AGOSTO DE 2012 l ANO XIV l NMERO 2545 R$ 1,50

    E L E I E S

    > > > > > > > > > >POLTICA

    CRESCIMENTO

    AIDS

    CHAPADA DO ARARIPE

    PESQUISA

    CRATO

    Raimundo investigado no Supremo Tribunal Federal

    Varejo e servios puxam acriao de mais empregos

    Diagnstico precoce oferecequalidade de vida a soropositivos

    Famlias organizam feira de frutas e ervas nativas

    Cratense produz vinho orgnico de Cambu

    Ccero Frana acredita nasua experincia de gestor

    ECONOMIA

    n Centro comercial de Juazeiro do Norte

    4

    4

    5

    5 5

    ENTREVISTA

    VozesdoCaririMauro Sampaio, Medicina a servio do povo 6

    O Jornal do Cariri apresenta esta semana, o perfil e os projetos do candidato do Partido Verde ao Governo do Crato, Ccero Frana.

    Candidato o nico dos 22 deputados federais do Cear que entra em perodo eleitoral sob a mira do STF. A Corte apura envolvimento em crime contra o sistema financeiro nacional.

    Indstria quer a criao de Plodo O Cariri o segundo maior produtor de panelas de presso do Brasil. Dados como esse relatam a importncia do setor para economia da Regio e do Estado. A produo est em franca expanso, mas enfrenta dificuldades quanto ao barateamento dos custos. Isso s ser possvel com a criao do Plo Industrial de Alumnio e a instalao de empresas que fornecem a matria-prima (discos laminados)

    no Cariri. A maioria delas est localizada em So Paulo, hoje, responsvel pela venda de mais de 200 toneladas mensais de laminados para as empresas caririenses. Com o plo, os produtos seriam barateados em 17%, de acordo com o delegado regional do Sindicato da Indstria Metal Mecnico e Materiais Eltricos do Estado do Cear (Simec), Adelaildo de Alcntara Pontes.

    A economia de Juazeiro do Norte cresce com a chegada de novas empresas, fazendo surgir mais vagas de emprego. Os dados apontam divergncia com o restante do Pas e mostram o momento positivo pelo qual passa a Regio, no setor de comrcio e servios.

    A Aids ainda uma das doenas mais temidas em todo o mundo, apesar da evoluo da medicina em relao ao vrus HIV. Caso o diagnstico seja precoce e o tratamento comece antes que a doena se desenvolva, possvel continuar a vida normalmente.

    Famlias de moradores da rea de Proteo Ambiental (APA) da Chapada do Araripe esto organizando a I Feira Regional de Frutas Nativas, Plantas e Ervas Medicinais. A idia do extrativista Antonio Agostinho da Hora, que j comeou a preparar centenas de mudas de plantas frutferas e medicinais para serem expostas no evento.

    Sete anos de pesquisa e o agrnomo Jos de Arajo Maropo descobriu que, a partir do Cambu, pode ser produzido um vinho capaz de concorrer no mercado internacional. Ele concluiu a pesquisa, patenteou a marca no Instituto Nacional de Pesquisa Industrial e pretende montar uma mini indstria. O agrnomo est fabricando o vinho de forma artesanal e pensa em expandir o negcio.

    Prtica do judestimula crianasna regio

    Acesse e veja a programao completa: www.bnb.gov.br/cultura

    Dia 01, quarta-feira.ARTE RETIRANTELocal: Sesc Crato.20h00 - Msica - Ivan Timb - Fortaleza-CE.Dia 02, quinta-feira.MSICA INSTRUMENTAL19h30 - Ivan Timb - Fortaleza-CE.

    Dia 03, sexta-feira.MSICA INSTRUMENTAL19h30 - Kaoll Interpreta Pink Floyd - So Paulo-SP.Dia 04, sbado. ARTES CNICAS19h30 - A Irmandade Secreta do Boi Santo - Dir.: Andr de Andrade -

    Juazeiro do Norte-CE.Dia 05, domingo.Fechado.CURSO DE FORMAO ARTSTICALocal: Teatro Marquise Branca - Av. Pe. Ccero, s/n.14h00 - Dilogo das Artes - Prof. Mrcio Rodrigues.

    Dia 06, segunda-feira.Fechado.CURTAS Curador: Elvis Pinheiro.Local: Teatro Adalberto Vamozi - Sesc Crato.15h00 - O Reino Azul; Um Filme de Marcos Medeiros; Um Tiro na Asa;

    Clandestinos.Associaes/Comunidades Convidadas: Associao do Stio Pscoa - ASP e Escola de Ensino Fundamental Dom Quintino.

    Destaques da programao de 01 a 06 de agosto de 2012.

  • Um parque industrial um conceito moderno, que conjuga a unificao de servios comum, como fornecimento de gua, energia e gs, alm de seguran-a, alimentao e transporte intermodal e de pessoas. Esse aglomerado de servios tem uma destinao ni-ca, o que o torna mais eficiente, barato e de utilizao renovada. A ideia de se criar um parque industrial, portanto, liga-se basicamente ao trinmio economia--eficincia-sustentabilidade.

    H hoje, no Brasil e no mundo, diversos exem-plos de polos industriais bem-sucedidos e famosos, como os polos de Manaus, Camaari ou mesmo o polo de software de Ribeiro Preto.

    No sem razo que o Cariri merece um polo in-dustrial especfico para a indstria de beneficiamento do alumnio. Alm disso, haveria um inegvel transfe-rncia de equipamentos e de indstrias para a Regio Sul, com externalidades positivas no campo do empre-go, da formao de quadros tcnicos, na renovao de

    culturas e no aumento da arrecadao. Sem se falar no impacto indireto no setor de comrcio e de servios, especialmente na construo civil, na hotelaria, na ali-mentao e no consumo de bens durveis.

    O setor de alumnio tem sua fora no Cariri e no de agora. A regio ostenta o honroso ttulo de se-gundo maior fabricante de panelas de presso do Bra-sil. Mas, isso poderia ser expandido para outras reas, pois a utilizao do alumnio tem-se ampliado signifi-cativamente em diversos setores industriais. Para se ter uma ideia, as cpsulas de caf espresso, um produto premium da indstria alimentcia, so acondiciona-das em alumnio, dada sua higiene e sua capacidade de conservar as qualidades do produto. O alumnio tambm interessante em termos econmicos e ecol-gicos dada sua total capacidade de reciclagem.

    A indstria que opera nesse segmento no Cari-ri precisa receber o status social e poltico de que se faz merecedora h muito tempo. E, ainda, se livrar

    de certo preconceito que sofre por parte da socieda-de caririense, algo injustificvel sob todos os aspectos. Nesse sentido, a indstria tambm deve cooperar e se inserir de maneira mais efetiva nas polticas conserva-cionistas da regio. Como contrapartida criao do polo industrial do alumnio, seus titulares deveriam iniciar uma campanha de preservao da Serra do Ara-ripe, o que pode ser feito por um processo intensivo de reflorestamento.

    O debate est colocado nesta edio do Jornal do Cariri. Cabe sociedade, aos polticos e aos atores sociais tomarem partido e comprarem essa importante ideia, to til do desenvolvimento regional, gerao de empregos e ao futuro profissional de muitos jovens do Sul cearense. Mais que o reconhecimento da rele-vncia de um setor econmico, trata-se da abertura para novos desafios industriais em uma parte do Ce-ar que distante e vulnervel aos humores polticos do poder central.

    O ALUMNIO E O FUTURO DO CARIRI

    2 REGIO DO CARIRI(CE), DE 31 DE JULHO A 06 DE AGOSTO DE 2012Opinio

    Editorial

    Envie sua carta para jornaldocariri@jornaldocariri.com.br e d sua opinio faa sua sugesto, uma crtica. Esse espao aberto para voc, caro leitor.

    PIEDADE DE QUEM ERRAO SMBOLO DA COMPAIXOBONDADE PARA COM TODOSSEM ESQUECER O PERDORESUMO DA CARIDADE...RETRATO DO BOM CRISTO!

    Welington Costa

    Os candidatos dessa campanha eleitoral j comearam a poluir as ruas das cidades do Crajubar. A avenida Padre Ccero um dos principais pontos para exposio de cavaletes e bandeiradas. Um perigo porque, em alguns trechos, confundem os motoristas que passam pela rodovia. As carreatas e caminhadas tambm ja comearam a atrapalhar o trnsito. Os candidatos precisam ter bom senso na hora de realizar suas atividades eleitoreiras.

    Mariana Arajo, Juazeiro do Norte

    A INEXPERINCIA POLTICA UMA

    ARMA LETAL

    CHARGE

    PRISIONEIROS DO VCIOOs prisioneiros de qualquer v-

    cio, desde o falar da vida alheia, quais feitores da existncia. Depender das contingncias deste mundo, arrastar, alm at das imperfeies, os rastros da fraqueza humana pelas encostas do abismo.

    Acordar bem de manhazinha e procurar debaixo da cama, ou da rede, o baseado que fechara na vspera, esquecido que o dia sempre traz co-res novas, liberdade. As dependncias variadas, a sede do lcool, alegrias passageiras, iluses arrebatadoras, so-lides de multido, o prazer das eufo-rias artificiais...

    Uma vez ouvi disseram que quem faz o que quer est gozando, para ex-plicar o sofrimento dos viciados ao seu bel prazer destrutivo. A gente no quer que assim seja quando v amigo, parente querido, sofrendo aprisionado s malhas do vcio, porm liberdade dom pessoal, intransfervel. E querer auxiliar a quem no quer auxlio cheia a imposio e impe decepes mil.

    Quantas e tantas ocasies, pes-soas valiosas caem vtimas do vcio pecaminoso de drogas, violncia, se-xualidade, inconsequncias pesadas e

    criminosas a si mesmas. Vidas que esvaem no tempo, tais desavisados, inconscientes das dores que motivam nos entes amados, pais, irmos, filhos, cnjuges, amigos.

    Estirar as mos aos escravizados de vcios vrios custa tamanha impossibili-dade, s vezes, que alguns acabam submetidos a resultados inde-sejveis de desgosto e morte. No en-tanto h que se preservar a calma, a humildade perante os acontecimentos da realidade, sob pena de padecer sem resultados visveis. Seguir na peleja por todos aqueles que permanecem algum tempo nas malhas do vcio serve de motivo para lutar. Existem instituies civis e religiosas que cuidam desses dependentes e produzem frutos ben-fazejos. Evanglicos, catlicos, espri-tas, umbandistas, etc., mantm insti-tuies eficazes na luta contra o vcio, no mundo inteiro. Pegam a mo dos carentes de socorro e os conduzem a curas inimaginveis.

    A religio atende bem aos ne-cessit