Jornal do Cariri - 2503

Download Jornal do Cariri - 2503

Post on 10-Mar-2016

222 views

Category:

Documents

6 download

DESCRIPTION

Edio do Jornal do Cariri - 11 a 17 de outubro de 2011

TRANSCRIPT

<ul><li><p>O peridico do Cariri independente REGIO DO CARIRI l DE 11 A 17 DE OUTUBRO DE 2011 l ANO XIII l NMERO 2503 R$ 1,50</p><p>5 8</p><p>Foto: Coletivo Camaradas</p><p>HIPERBOMPREO</p><p>ELEIES 2012</p><p>HISTRIA</p><p>NEGCIOS</p><p>IGREJA CATLICA</p><p>CRATO</p><p>GS DE COZINHA</p><p>ESPECIAL DIA DAS CRIANAS</p><p>Crajubar tem 10 revendas ilegais para cada uma legal</p><p>A Agncia Nacional de Petrleo (ANP) avalia que, em termos proporcionais, o tringulo Crajubar a regio do pas que concentra o maior nmero de revendas irregulares de Gs Liquefeito de Petrleo (GLP), o gs de cozinha. Numa fiscalizao realizada nas ltimas trs semanas, 300 botijes foram apreendidos na regio. A Agncia garante que intensificar as aes, em parceria com o Ministrio Pblico Estadual, cobrando a regulamentao, autuando as irregularidades e punindo os proprietrios. A adulterao do produto, o transporte e a armazenagem inadequada representam grandes riscos para a sociedade e ferem os direitos do consumidor.</p><p>Crajubar tem 10 revendas ilegais para cada uma legal</p><p>PAINTBALL</p><p>Cariri vai receber evento Norte e Nordeste</p><p>Crescimento de vendas barateia produtos</p><p>Petistas articulam alianas para assegurar reeleies</p><p>Seminrio debater o registro do massacre no Caldeiro </p><p>Juazeiro foi nica cidade do interior a participar de Encontro</p><p>Benigna poder ser a primeira beata do Cear</p><p>Coletivo Camaradas realiza Dia da Criana na periferia</p><p>Casais procuram adotar, mas nmeros ainda so baixos</p><p>Alguns casais tem procurado os Conselhos Tutelares na inteno de adotar uma criana, sendo encaminhados para a Vara da Infncia e Adolescncia, onde so realizados todos os procedimentos relacionados adoo. Aqueles que desejam um filho adotivo tero que se cadastrar no banco de dados nacional e esperar sua vez. Apesar da grande demanda, o processo de avaliao rigoroso e longo. Mas, para quem realmente deseja, a espera s aumenta a vontade de constituir uma famlia.</p><p>Com vistas s eleies 2012, membros do PT tm convocado as lideranas polticas para fortalecer a disputa pela reeleio dos prefeitos de Juazeiro do Norte, Manoel Santana, e Barbalha, Jos Leite, em 2012. O deputado federal Jos Guimares (PT) declara que a vitria nas urnas, no prximo ano, fundamental para a consolidao do partido na regio do Cariri. </p><p>Benigna Cardoso da Silva, assassinada aos 13 anos em Santana do Cariri, poder ser a primeira beata do Cear, reconhecida pela Igreja Catlica. O processo pedindo sua beatificao est na Diocese do Crato e vai seguir para o Vaticano. Neste dia 24 de outubro ser celebrada uma programao especial e anunciadas as novidades sobre os encaminhamentos da beatificao da jovem morta h 70 anos.Os registros oficiais sobre o massacre no Caldeiro do Beato </p><p>Jos Loureno esto sendo reavaliados por mestres e estudantes, devido a falta de esclarecimento em algumas provas e relatos dos remanescentes da comunidade. O lugar foi visitado pelos estudantes, que reviveram a histria do povo sertanejo, num aprendizado de convivncia social, articulando iniciativas e aes que, hoje, so expressas no regime de mutiro.</p><p>INFIDELIDADE PARTIDRIA</p><p>Mudanas de partidos podem acarretar em processos no TSEO Tribunal Superior Eleitoral (TSE) presume a regra da perda do cargo para o parlamentar que tenha migrado para outra agremiao, em razo da fidelidade partidria, na qual os partidos tm o direito de preservar a sua vaga obtida pelo sistema proporcional, salvo justa causa para a mudana. Em Juazeiro do Norte, o vereador Tarso Magno pode ser submetido a um processo judicial por ter transferido a filiao do PSL para PR. </p><p>Adultos e crianas que moram na periferia do Crato tero uma programao especial, graas terceira edio do Dia da Criana, realizado pelo Coletivo Camaradas. A comunidade do Gesso poder desfrutar de muitas brincadeiras e oficinas de arte.</p><p>8</p><p>4</p><p>5</p><p>3</p><p>5</p><p>6</p><p>6</p><p>3</p><p>7</p><p>Acesse e veja a programao completa: www.bnb.gov.br/cultura</p><p>Dia 10, segunda-feira.Fechado.Dia 11, tera-feira.ARTES CNICAS15h00 - Teatro Infantil - O CircoChegou... E os Palhaos? Dia 12, quarta-feira.</p><p>MSICA15h30 - O Mistrio das 13 Portas, Show e Lanamento do Livro Infantil - Jos Flvio - Crato-CE.Dia 13, quinta-feira.ARTES CNICAS19h30 - Mulieres - Teatro Mimo - </p><p>Fortaleza-CE.Dia 14, sexta-feira.HISTRIA E PATRIMNIORumo aos MuseusLocal: Exu-PE.13h00 - Visita ao Museu do Gonzago.LITERATURA/BIBLIOTECA</p><p>17h30 - Clube do Leitor - Palavras,Muitas Palavras: para Gente Grande e para Gente Crescendo. Dia 15, sbado.ATIVIDADES INFANTIS14h00 - Sesso Curumim - O Povo Atrs do Muro. </p><p>14h07 - Sesso Curumim -O Veado e a Ona.14h30 - Workshop Arte emQuadrinhos. Dia 16, domingo.Fechado.</p><p>Destaques da programao de 10 a 16 de outubro de 2011.</p></li><li><p> assustador o nmero de revendas ile-gais de gs LP no tringulo Crajubar. O ndice aponta uma realidade preocupante, j que em termos proporcionais, Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha so detentoras do maior nmero de comrcios irregulares. Para cada ponto autoriza-do para a comercializao, 10 so clandestinos e trazem srios riscos para populao.</p><p>O GLP amplamente utilizado, princi-palmente no setor residencial e atinge a grande maioria dos lares do Cariri. A partir da dca-da de 1990, a poltica de preos comeou a ser adaptada para a introduo de uma economia de mercado, dando incio a um processo gradual de liberalizao dos preos e tambm de locais de comercializao. Hoje, pequenas mercearias vendem o gs LP, sem oferecer a menor condi-</p><p>o de segurana para os consumidores.As fiscalizaes da Agncia Nacional de </p><p>Petrleo (ANP), juntamente com o Ministrio Pblico, j resultaram em 300 apreenses. E esse nmero tende a aumentar medida que as aes se tornam mais incisivas.</p><p>No s os comerciantes e consumidores correm riscos, mas tambm os vizinhos, tendo em vista o grande poder de destruio das ex-ploses causadas pelo mau uso do gs de cozi-nha.</p><p>Se no houver o transporte e o armazena-mento adequado do produto, os consumidores pagaro um preo alto, e infelizmente, em al-guns casos, com a prpria vida. So muitos os relatos de incndios com vtimas, ocasionados pelo uso inadequado do GLP.</p><p>Os representantes da ANP chamam aten-o para o modo de revenda. Apenas os grandes distribuidores tem autorizao para fazer o co-mercializao, o que no impede que pequenas mercearias vendam o gs. Essa a grande ques-to da atuao da ANP. So 23 pontos em Jua-zeiro do Norte, 18 no Crato e cinco em Barbalha. Ao todo so 46.</p><p>A boa escolha do local da compra do bo-tijo de gs LP determinante para garantir a segurana do consumidor. As revendas piratas no observam normas de segurana, como arma-zenagem e conservao de recipientes, vedao de lacres, entre outras. A comercializao ilegal tambm leva ao consumidor o risco de usufruir um produto adulterado. As denncias precisam ser feitas junto a ANP e Ministrio Pblico.</p><p>EditorialANP CONTRA A IRREGULARIDADE NA VENDA DE GS GLP</p><p>2Opinio</p><p>REGIO DO CARIRI(CE), DE 11 A 17 DE OUTUBRO DE 2011</p><p>Exped</p><p>iente</p><p>:</p><p>Fundado em 5 de setembro de 1997O Jornal do Cariri uma publicao</p><p>da Editora e Grfica Cearasat Comunicao Ltda</p><p>CNPJ: 34.957.332/0001-80</p><p>O peridico do Cariri independente</p><p>Diretor-presidente: Luzenor de Oliveira Diretor de Contedo: Donizete Arruda Diretoria Jurdica: Vicente Aquino Editora Responsvel: Jaqueline Freitas </p><p>Administrao e Redao: Rua Pio X, 448 - Bairro Salesianos - CEP: 63050-020 - Juazeiro do Norte Cear - Fone (88) 3511.2457Sucursal Fortaleza: Rua Coronel Alves Teixeira, 1905, sala 05, Telefone: 085.3462.2607 - Celular: 085.9161.7466Sucursal Braslia: Edifcio Empire Center, Setor Comercial Sul, Sala 307, Braslia-DF</p><p>Os artigos assinados so de responsabilidade dos seus autores</p><p>Conselho Editorial: Geraldo Menezes Barbosa | Francisco Huberto Esmeraldo Cabral | Napoleo Tavares Neves e Monsenhor Gonalo Farias Filho </p><p>Fale conosco Redao w cidades@jornaldocariri.com.br w policia@jornaldocariri.com.br w politica@jornaldocariri.com.br w redacao@jornaldocariri.com.br w sucursalfortaleza@jornaldocariri.com.br Departamento Comercial w comercial@jornaldocariri.com.br | Diretoria w diretoria@jornaldocariri.com.br | Geral w jornaldocariri@jornaldocariri.com.br </p><p>Envie sua carta para jornaldocariri@jornaldocariri.com.br e d sua opinio faa sua sugesto, uma crtica. Esse espao aberto para voc, caro leitor. </p><p>SEXTILHA CARTAQUEM JOGA ESPINHOS NA ESTRADAPARA O OUTRO SE FURARNO PENSA QUE ALGUM DIAPODER ALI PASSAR...TALVEZ COM OS PS DESCALOSE O QUE FEZ VAI PAGAR!</p><p>Welington Costa</p><p>Em 22 de julho deste ano de 2011, Juazeiro do Norte comemorou o centenrio de criao de seu municpio. No dia 23 de julho de 2014, Juazeiro vai comemorar o centenrio de sua elevao a categoria de cidade. J o 4 de outubro 2011 marcou a passagem do quarto centenrio, a saber: o centenrio da instalao do municpio, centenrio de instalao da cmara municipal, centenrio da posse do Padre Ccero Romo Batista como primeiro prefeito do municpio e centenrio da histrica reunio promovida pelo prefeito Padre Ccero com os 17 coronis do Cariri, que assinaram o pacto de paz. Todas estas solenidades se realizaram na sede provisria da cmara de vereadores, na antiga casa de Dona Rosinha Esmeraldo, localizada no cruzamento da Rua Padre Ccero com a Avenida Floro Bartolomeu, que foi reformada depois, onde hoje funciona uma pousada.</p><p>Huberto Cabral, historiador</p><p>SAUDAO A RALPH DELLA CAVANo h exagero em se dizer que a partir </p><p>de 1963 j no seramos a mesma coisa. Os mesmos romeiros da Me das Dores, os mesmos juazeirenses aqui nascidos de velhos troncos, a mesma cidadezinha herdada nas saudades do padrinho. Por aqueles anos 60, iniciais de nossa juventude, alguns de ns tnhamos um sonho. A expresso no nascera aqui, mas corria o mundo na voz forte e estridente do visionrio pastor e at ns chegava numa atualidade que reforava a nossa luta para tirar nossa pobre aldeia de um destino marcado pela incompreenso. </p><p>A memria dos tempos nos diz hoje o quanto orar e trabalhar fizeram deste recanto de mundo um territrio esperanoso, de crenas e determinao. De lugar de paragens dos velhos tropeiros, o Joaseiro se transmutou em destino certo de uma nordestinidade que reviu as falas, os dizeres, os saberes e pensares desta dita incompreenso. E o Joaseiro, de fato, se tornou milagre, sombra de velhos joazeiros plantados nestas terras do Cariri. Este ano, um garoto, um jovem romeiro na festa da Senhora das Cadeias, nos dizia da sua emoo em plantar uma muda de joaseiro no quintal de sua casa, nos arredores de Viosa, das Alagoas. O Joaseiro para esta nao , e continuar a ser, este espao da esperana, da grande emoo de viver o sonho por uma sociedade mais justa e feliz. </p><p>O prof. Ralph Della Cava, marcou com competncia e sensibilidade, este divisor comum de nossa existncia. Alguns de ns, como eu, puderam testemunhar a sua chegada para a empreitada grandiosa que foi escrever Milagre </p><p>em Joaseiro. Estvamos ali, atentos s palavras do Diretor do Colgio para nos apresent-lo. Era o comeo de uma manh. Parecia uma manh qualquer. E no era... Parecia um estudante qualquer de universidade americana. E no era... Parecia at que fosse um voluntrio missionrio, em tempos de Aliana para o Progresso. E no era... Enfim, sua presena at poderia parecer outra coisa aos nossos olhos surpresos e menos avisados. E no era... O fato que sua existncia entre ns s comeou a ser entendida quando, seu trabalho passou a ser lido pela inteligncia brasileira, sete anos depois. Tivemos pacincia ainda para esperar mais outros 7 anos por uma traduo primorosa. </p><p>Hoje, lembramos os trinta e cinco anos desta revelao amiudada. Poderia ser um dia qualquer. Mas, no ... Aqui o encontramos, especialmente, para agradecer-lhe pela grandeza de seu gesto histrico, muito mais alm que o cuidadoso e competente mister de quem buscava um ttulo acadmico e doutoral. Sua visita a este Juazeiro do Norte acontece na antevspera da instalao da nossa Universidade Federal da Regio do Cariri, imenso contraste diante das suas primeiras leituras, sobre os tempos do Pe. Ccero. </p><p>Em verdade, no nos deslumbramos com a conquista recente se ainda reconhecemos o largo espao que se tem para resgatar o ensino de qualidade dos nveis precedentes. Em certos aspectos, o Juazeiro deste novo sculo, ainda guarda na sua essncia as lembranas atualizadas </p><p>do cho miservel que marcou seu trajeto. No h ufanismo pernstico a celebrar as graas do topo da pirmide. Deus me perdoe, mas a luta continua. Para celebrar a sua presena entre ns, era necessrio marc-la com algo que traduzisse o nosso encanto, as nossas emoes por to grande afeto, e o nosso agradecimento eternizado. A UFC, na acolhida cordial e fraterna do </p><p>Magnfico Reitor, prof. Jesualdo Pereira Farias, os dirigentes do Campus Cariri, docentes, servidores e alunos, e a comunidade de Juazeiro do Norte, sob a coordenao de Geov Sobreira, decidiram afixar uma placa comemorativa.</p><p> Esperamos que este gesto marque por todos os tempos, a continuidade da construo de um imenso latifndio de conhecimento que se assenta primordialmente sobre o legado de Milagre em Joaseiro, e em tudo o que ela representou e inspirou durante toda esta segunda metade de vida da cidade Centenria de Juazeiro do Norte. Mesmo que palidamente, esta parte da medida da nossa gratido e do nosso reconhecimento. Muito obrigado. de corao que o expressamos.</p><p>Renato CasimiroProfessor, escritor e historiador</p><p>A BRISA DO SALGADO Este o ttulo de outro livro do autor </p><p>Dimas Macedo, telrico lavrense de quatro costados e razes fincadas s margens do rio de nosso querido rinco. Devotado vida de Lavras da Mangabeira de tantos acontecidos e personagens, aprofunda ao no amor terra, em estudos e registros do universo que lhe convida a momentos definitivos das pgi-nas que escreve com nimo acendrado. Pro-lfico, incansvel, preserva as relquias desse lugar, consagrado aos irmos de uma terra reconhecida pelas letras, de inmeros ttu-los, poetas, contistas, cronistas, romancistas, memorialistas, nascidos ou vividos no seio do trrido continente.</p><p>E Dimas se entregou funo de ma-estro da orquestra multiforme... Escriba pri-moroso, dedicado, proficiente, recolhe peas elaboradas pelo esmero daqueles heris da pena, e constitui o acervo da literatura que descobre aos files na alma dessa gente... </p><p>Traa rumos, pesquisa, referenda, artfice intelectual da Academia Lavrense de Letras, exemplo vivo de cultor da arte, a quem oferta sonhos de inteira devoo.</p><p>O livro que hoje nos traz, edio da Imprece Editorial, For-taleza CE, 2011, consolida po-sies por meio de crnicas e ensaios inspirados, visando signi-ficar o rumo saboroso dos quintais frteis do Rio Salgado, cujas guas acariciam os morenos ps das musas da ptria resse-quida. Ainda que envolto nos afazeres pro-fissionais, se permite a instantes preciosos de laborar espelhos de sapincia e monta e tota-lidade lgica dos discursos textuais coletivos. </p><p>Converge, pois, linhas do tempo e do espao lavrenses na colcha de retalhos dos filhos prximos ou distantes, vivos ou eter-nos, presentes ou para sempre destacados </p><p>pela fraternidade, instrumentos afeitos batuta do grande amigo que resolveu doar genialidade aos amantes das letras interioranas, literatura ao natural.</p><p>Um inesquecvel cronista das terras alencarinas, poeta, en-sasta e historigrafo, Di...</p></li></ul>