jornal do cariri - 20 a 26 maio de 2014

Download Jornal do Cariri - 20 a 26 maio de 2014

Post on 31-Mar-2016

217 views

Category:

Documents

4 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Jornal do Cariri - 20 a 26 de maio de 2014.

TRANSCRIPT

  • literatura Wellington Costa lana uma sextilha para cada dia

    epa | pg. 11

    eleies 2014Cid e Guimares falam sobre sucesso no Centro de Convenespoltica| pg. 4

    De 20 a 26 De Maio De 2014 ano 15 nMero 2640 Preo: r$1,50

    www.jornaldocariri.com.brO peridico do Cariri independente

    Serena Morais

    Ciro e Euncio comeam troca de farpas no Cariri

    eSpoRte

    polo acaDMico

    guerra eleitoral

    Eventos como a inaugurao do Centro de Convenes Ministro Wilson Gonalves e o 4 Encontro de Gesto e Varejo da CDL, no Cariri, serviram, tambm, para movimentar os bastidores polticos e marcar alguns posicio-namentos relacionados sucesso estadual deste ano. No pode ser uma egotrip, uma viagem pessoal, s porque eventualmente o cara riquinho

    e, agora, acha que tem que ser o governador do Estado. No bem assim, cutucou Ciro Gomes, em relao candidatura peemedebista. Do lado de Euncio Oliveira, quem no gostou foi o suplente de deputado estadual Perboyre Digenes (PMDB) que, em resposta, disse que o secretrio Ciro Gomes passado. coluna Rebate | Donizete aRRuDapoltica | pg. 3

    GraNDes NOMesJos Boaventura, um cidado a servio de Juazeiro do Norte

    gRanDeS noMeS | pg. 9

    CraJuBar se transformou num polo educacional nos ltimos 10 anos

    tRaDio populaR

    Festival leva Folia de Reis s ruas de JuazeiroO Projeto Canto de Reis ser apresentado esta semana, pela primeira vez, em Juazeiro do Norte. O trabalho, desenvolvido desde o ms de maro junto a grupos de reisado locais, tem como objetivo criar um festival onde a tradio da Folia de Reis seja a protagonista. Alm disso, pretende reconhec-la como produto cultural dentro do mercado de bens e aes culturais. epa | pg. 11

    ViVa Santo antnio!

    Barbalha se enfeita para festejar seu santo padroeiroOs preparativos para a tradicional Festa de Santo Antnio, em Barbalha, esto a todo vapor. Vrios profissionais se mobili-zam na confeco dos artigos que faro parte da decorao do evento. Este ano, a festa ter incio no dia 1 e vai at 13 de junho. A expectativa de que, durante os dias da festa, mais de 500 mil pessoas passem pela cidade. MetRopolitana | pg. 5

    paRaDa libeRaDa

    Mulheres tero mais segurana nos nibus depois das 22 horasProjeto de lei da vereadora Rita Monteiro prev que conduto-res de transportes coletivos, devero, quando solicitados, parar os nibus aps as 22 horas, para possibilitar o embarque e de-sembarque de mulheres, respeitando o trajeto da linha, ainda que fora do ponto de parada. O objetivo criar um ambiente mais propcio sua integridade fsica. poltica | pg. 4

    Projeto resgata lazer e brincadeiras popularesA Secretaria de Esportes do Crato vai implantar uma poltica pblica permanente de promoo s principais brincadeiras populares. As prticas mais tradicionais sero incentivadas e revitalizadas na cidade. De acordo com o secretrio Robrio Alves Nogueira, a inteno resgatar a diverso para a crianada e juventude, oportunizando a recreao e o lazer, principalmente nas comunidades carentes, de forma livre e sem custo financeiro aos participantes. apito | pg. 12

    Emrah Kartal

    paRQue ecolgico DaS tiMbabaS

    Secretrio contesta existncia de obras na reservapoltica | pg. 4

    Faculdade de Sobral planeja instalar unidade no CaririO Instituto Superior de Teologia Aplicada (Inta) de Sobral planeja instalar uma de suas unidades no Cariri. O segundo semestre de 2014 ser o pontap inicial para entrada. A inteno de iniciar com trs cursos no prximo semestre. Com os resultados, h possibilidade de instalao de cursos na rea da sade como enfermagem, fisioterapia, nutrio, farmcia e biomedicina. MetRopolitana | pg. 5

    Alexandre Lucas

  • Regio do caRiRi, de 20 a 26 de maio de 20142

    QueM tem uma vida dedicada democracia no tem medo de enfrentar qualquer candidato. Meu momento poltico no de recuo, de avanar. DeputaDo joS guiMaReS ( pt-ce)

    Opinio

    CartaAs pessoas precisam parar de rotular aqueles que sofrem de distrbios mentais. Se pararem pra pensar, hoje, muito comum termos algum problema psicolgico, como ansiedade ou transtorno mais srio. No daria para colocar todo mundo em um manicmio e to pouco ajudaria na recuperao de sua sade. Ento, devemos parar de achar que lugar de pacientes com problemas mentais seja preso nos hospitais psiquitricos. Devemos libert-los e ajud-los na insero social!MaRgaReth noVaiS, cooRDenaDoRa Do capS ii, eM cRato

    seXtilHaQUEM CUMPRE COM O SEU DEVERANDA DE CABEA ERGUIDARELEMBRAR COISAS RUINS REABRIR A FERIDANINGUM MUDA O QUE PASSOUPELOS CAMINHOS DA VIDA!Welington coSta

    Diretor-presidente: Donizete ArrudaDiretora de Redao: Jaqueline FreitasDiretoria Jurdica: Vicente AquinoDiagramao: Evando F. MatiasFotos: Serena Morais

    Fundada em 5 de setembro de 1997O Jornal do Cariri uma publicao da Editora e Grfica Cearacom LtdaCNPJ: 15.915.244/0001-71

    Conselho EditorialGeraldo Menezes Barbosa, Francisco Huberto Esmeraldo Cabral, Napoleo Tavares Neves e Monsenhor Gonalo Farias Filho.

    Administrao e RedaoRua Pio X, 448 - Bairro SalesianosCEP: 63050-020 - Juazeiro do Norte Cear - Fone 88 3511.2457

    Departamento Comercial | comercial@jornaldocariri.com.br Redao | jornaldocariri@jornaldocariri.com.br

    Sucursal Fortaleza: Rua Coronel Alves Teixeira, 1905 - sala 05 - Fone: 85 3462.2600Sucursal Braslia: Edifcio Empire CenterSetor Comercial Sul - sala 307 -Braslia - DF.

    Os artigos assinados so de responsabilidade dos seus autores.

    Fale conosco

    F eM MuNDO De DeseNCaNtO

    Palavra de FPr. JEcEr goES

    Vivemos em um mundo, que, o cenrio que se apresenta, de total de-sencanto. E Isto gera no ser humano uma inquietante ausncia de crena, de f e de esperana. J acordamos inquietos. Nosso sentimento durante o dia todo, de medo e pavor. Vamos dormir e temos pesadelos com as atrocidades que a televiso mostra. Vemos cada dia a falta de amor para com o prximo, produzindo assim uma sociedade sem vnculo, sem respeito e sem sentimen-to. Certa vez Dalai Lama afirmou algo que precisamos refletir: S existem dois dias no ano que nada pode ser feito. Um se chama ontem e o outro se chama amanh, portanto HoJE o dia certo para amar, acreditar, fazer e principal-mente, VIVEr. A bblia sagrada, o livro por excelncia, de forma positiva e es-clarecedora, nos diz isto da seguinte forma: HOJE, se ouvirdes a voz de Deus, no endureais o vosso corao... - Hebreus captulo 3, versculo 15. A questo que nossos ouvidos esto ouvindo vozes que no tem legitimidade para nos proporcionar uma vida salutar. Estamos ouvindo vozes que leva a nossa alma a ficar escrava das emoes e no da razo. Quando deixamos de ouvir voz de Deus, que a nossa razo posta em prtica atravs da verdade, que so os estatutos e mandamentos divinos, podemos chancelar nossa vitria sobre nossos problemas. Ao procedermos dessa forma, o mundo j no nos de de-sencanto, mais de possibilidades. J no mais de tristeza, mais de alegria. J no mais de medo, mais de coragem. atravs da f que, nossos sentimentos deixam de lado a fragilidade e a facilidade de demolio. A f, a responsvel por tirarmos de dentro de ns os entulhos, fruto do meio em que vivemos e existimos. No podemos continuar com a f que aprendemos no catecismo ou no discipulado, antes de sermos batizados. A f um exerccio emprico, di-rio, constante, at chegarmos a estatura de varo perfeito. A f, a base das coisas que se esperam, a demonstrao de objetos no vistos. isto que a f em seus resultados. Ela nos fornece fundamentos sobre os quais a nossa se-gurana pode seguramente repousar, com uma convico de que estas coisas existem, no sendo ainda terrenas ou temporais, e que, portanto, ainda no as podemos ver. A f que soluciona os problemas da vida, envolve a confiana pessoal e ativa, o compromisso de algum para com o Senhor Jesus cristo. En-tenda uma verdade. No a quantidade de f que salva, o objeto da f que salva. Uma grande f no objeto errado no altera um til na condio perdida do homem. Pouca f no objeto certo, resulta em salvao. A f que no leva ao, que no resulta em uma mudana de relacionamento para com Deus e cristo, que no opera de forma transformadora na vida, no a f bblica. As boas obras de um cristo so o resultado e a evidncia da autenticidade da sua f. A f uma convico estabelecida em relao s coisas que no so vistas e a expectativa estabelecida de uma recompensa futura. A f o ttulo de propriedade das coisas que no se veem. S a f pode influenciar o comportamento de um individuo para uma relao vertical, pondo em Deus sua condio de dependente. A bblia deixa bem claro que a f foi o meio que os antigos heris da civilizao crist, usaram como recurso para sobreviverem s mais duras provaes, entre eles, podemos citar: Abrao, Isaque, Jac, Jos, Moiss e outros que, sem murmurarem, encontraram s respostas daquilo que em Deus depositaram sua f. Assim sendo, saia da masmorra da incredulida-de, do indiferentismo. Busque praticidade e vivncia de uma religiosidade com compromisso e responsabilidade. Pense nisso, e veja como maravilhoso um relacionamento com Deus?

    Deus abenoe!

    CHARGE

    O Pistolo, ou seja, a utilizao de prestgio poltico em benefcio particular muito conhecida pelos brasileiros. J no se admite, numa sociedade demo-crtica de direito, que os interesses de um indivduo, de um grupo, de um partido, se preponham aos interesses pblicos. A vontade do povo, tal como se expressa nas urnas, ser mais provavelmente atendida se os cargos administrativos forem ocupa-dos base de habilidades, sem cogitar de convices polticas ou por convenincia pessoal, e com a criao de um servio pblico que siga fielmente as diretrizes de qualquer partido que esteja no Poder.

    Tornou-se, por exemplo, prtica corri-queira e contumaz, diante da proibio pela Constituio Federal de 1988, de investidu-ra em cargo ou emprego pblico sem prvia aprovao em concurso pblico,