jornal do cariri - 15 a 21 de julho de 2014

Download Jornal do Cariri - 15 a 21 de julho de 2014

Post on 01-Apr-2016

221 views

Category:

Documents

4 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Jornal do Cariri - 15 a 21 de julho de 2014.

TRANSCRIPT

  • esporte

    Gp de Muaythai reunir praticantes em Juazeiroapito | pg. 12

    seMirido nordestinoZona franca pode alavancar polo industrial do Cariripoltica | pg. 4

    metropolitana | pg. 8

    metropolitana | pg. 8

    greVe no craJUBar

    instrutores de autoescolas param por reajuste salariale fiscalizao

    saiba mais

    Instrutores e funcionrios de autoescolas reivindicam melhoria salarial, reduo da carga horria de trabalho, plano de sade, regulariza-o da carteira profissional e mais fiscalizao do Detran nos centros do Crajubar. O sindicato da categoria afirma que a greve seguir por tem-po indeterminado.

    Serena Morais

    lei amBiental

    De 15 a 21 De Julho De 2014 ano 15 nmero 2648 Preo: r$1,50

    www.jornaldocariri.com.brO peridico do Cariri independente

    Empresa usa hospital SoLucas como lavanderia

    Lixes continuam e municpios sero autuados

    SADE ENXOVALHADA

    O vereador Normando Sracles (PSL) vai fazer, esta semana, mais um pronunciamento sobre a situao da empresa Natuse Lavanderia In-dustrial, responsvel pela lavanderia do Hospital e Maternidade So Lucas. Segundo o vereador, a empresa utiliza equipamentos, espao e gua do rgo pblico para cumprir contratos com outros hospitais. Pro-

    curado para falar sobre o assunto, o diretor do So Lucas, Romualdo Lo-pes, disse que o caso j foi denunciado ao Ministrio Pblico do Estado (MP-CE) e o contrato da empresa assinado ainda na gesto passada. So-bre o aluguel de enxoval de crianas, ele disse que, na verdade, a empresa fornece toda a rouparia do hospital. poltica | pg. 3

    Grandes noMesagostinho Balmes odsio, a saga do escultor e arquiteto

    granDeS nomeS | pg. 7

    Samuel Macdo

    Prximo de vencer o prazo para o encerramento dos lixes a cu aberto nas cidades brasileiras, Crato, Juazeiro e Barbalha no tm tomado providncias para resolver o problema.. Sem a efetivao do Aterro Consorciado do Cariri, os municpios devem ser autuados com base na lei federal ambiental. metropolitana | pg. 6

    80 anoS De morte Do paDre ccero

    Juazeiro vai receber 200 mil em romaria

    Juazeiro do Norte se prepara para receber milhares de romeiros na celebraes que marcam os 80 anos de morte do Padre Ccero. Este ano, alm do tradicional roteiro da f, podero participar de diversas atividades culturais em comemorao aos 100 anos da Sedio do Municpio. De 17 a 23 de Julho, aproximadamente 200 mil visitantes devem passar pela cidade. metropolitana | pg. 10

    sindicato denunciaempresas de nibuspor ms condiesde trabalhoAtrasos salariais, pagamen-to de frias com vale-trans-porte, excesso de carga ho-rria, no pagamento de hora extra e sucateamento dos nibus so algumas das denncias feitas pelo Sin-dicato dos Trabalhadores do Transporte Rodovirio em Juazeiro do Norte.

    caoS na SaDe

    O vereador Tarso Magno (PR) requereu que o Municpio socorra o paciente Francisco Jos Tavares Barbosa Jnior, que est com um dos braos fraturados, h cerca de um ms, e no consegue a cirurgia eletiva. Entre os motivos, es-taria a inadimplncia do municpio de Juazeiro com o hos-pital contratado para fazer o servio. O vereador avalia a situao como inadmissvel e ressalta que, caso no haja re-soluo para o caso, o paciente deve recorrer Justia para ter o seu direito respeitado. O secretrio de Sade, Plcido Baslio, negou a inadimplncia e disse que a fila de espera precisa ser obedecida. poltica | pg. 4

    Inadimplncia de Prefeitura deixa pacientes sem cirurgia

    politica| pg. 3

    nem ciD, nem canDiDatoS

    Expocrato fica fora de agenda poltica

    tranSporte coletiVo

  • Regio do caRiRi, de 15 a 21 de julho de 20142

    a Grande verdade que os municpios tero que ajustar seus oramentos para o pagamento de multas, porque nenhuma prefeitura, exceto a de Brejo Santo, resolveu a situao dos lixes. polyana coimBra, Secretria De meio amBiente De BarBalha

    Opinio

    CartaQuando as pessoas ligam para 192, elas passam por uma srie de perguntas feitas pelas equipes do Samu. As crianas so fcies de identificar quando esto mentindo, mas os adultos j conseguem driblar os questionamentos, deixando a entender que se trata de uma ocorrncia verdica. Infelizmente, o estado tem um gasto absurdo com gasolina, sem falar na demora ou at falta de socorro s vtimas que realmente esto necessitando. Com o bina, iremos pedir, no mnimo, o ressarcimento da gasolina paga, porque est previsto em Lei.

    anya lUna, gerente Do SamU De JUazeiro

    seXtiLHaQuEM aMa nunca dESiSTEcaMinha cOM PacinciaSuPORTa TudO cOM F uSa dE BEnEvOlnciaa ESPERana SEu guia nOS TRilhOS da Pacincia.

    Welington coSta

    Diretor-presidente: Donizete ArrudaDiretora de Redao: Jaqueline FreitasDiretoria Jurdica: Vicente AquinoDiagramao: Evando F. MatiasFotos: Serena Morais

    Fundada em 5 de setembro de 1997O Jornal do Cariri uma publicao da Editora e Grfica Cearacom LtdaCNPJ: 15.915.244/0001-71

    Conselho EditorialGeraldo Menezes Barbosa, Francisco Huberto Esmeraldo Cabral, Napoleo Tavares Neves e Monsenhor Gonalo Farias Filho.

    Administrao e RedaoRua Pio X, 448 - Bairro SalesianosCEP: 63050-020 - Juazeiro do Norte Cear - Fone 88 3511.2457

    Departamento Comercial | comercial@jornaldocariri.com.br Redao | jornaldocariri@jornaldocariri.com.br

    Sucursal Fortaleza: Rua Coronel Alves Teixeira, 1905 - sala 05 - Fone: 85 3462.2600Sucursal Braslia: Edifcio Empire CenterSetor Comercial Sul - sala 307 -Braslia - DF.

    Os artigos assinados so de responsabilidade dos seus autores.

    Fale conosco

    no Basta ser BoM

    palavra de FPr. Jecer goeS

    Somos o pais do futebol, o mundo todo sabe disto e nenhum pais do mundo produziu tantos gnios neste esporte, que , de lon-ge, o que rene mais espectadores. Inventado na Inglaterra com o nome de football association, o nome, que quer dizer, associao para chutar a bola, tornou-se o esporte mundialmente praticado.

    Nos tornamos o pais dos craques. Quando lhe perguntam l fora: De onde voc ?, e voc responde: do Brasil. Logo depois de um sor-riso, eles respondem: Brasil! Pel, ronaldo, Kaka!

    Nenhum pas exportou to grande quantidade de gnios da bola.No entanto, com toda esta tradio e campees mundiais cinco ve-zes, fomos submetidos a mais fragorosa derrota, sem precedentes. Derrota que pas algum tomou antes.

    o que podemos aprender com isto?Primeiro, que, enquanto vitrias nos pem alegres, situaes

    contraditrias nos colocam pra pensar.A tradio nacional do jeitinho brasileiro foi colocada prova.Ficou claro que atitudes individuais e estrelas no conseguem

    fazer sozinhos o trabalho que s pode ser feito em equipe.Um time de futebol precisa ser como a vida. No podemos viver

    isolados, todos precisam de todos.esquecemos que o conjunto no estava bom e passamos a pen-

    sar que os astros venceriam, porque temos jogadores geniais, por-que somos penta, porque a torcida nossa e isso muda o jogo. No muda.

    o jogo jogado de forma conjunta. os alemes nos mostraram isso e, todas as vezes que eles avanaram, havia algum colocado estrategicamente frente de nossa grande rea, De cara para nosso goleiro, chutando atravs dos nossos desnorteados rapazes, sem um plano, num cobrando um penalty virtual pela nossa improvisa-o.Aps o primeiro gol, ento, ficou evidente, para os que estavam em campo, que no tnhamos um plano nem viso de conjunto.

    A atitude da equipe, convicta de que estava tudo perdido, se re-fletiu na inrcia, que fazia com que no lutassem mais pela posse da bola. No havia a quem entreg-la, pois em cada local sempre havia um jogador alemo pronto pra receber a bola que fosse lanada.

    Somos movidos a corao e, quando o corao desfalece, per-demos a coragem de lutar. A Bblia fala :Sobretudo guarda o teu corao, porque dele provm as sadas da vida

    Nada est perdido, podemos tirar desta lio a certeza de que no se pode maquiar a realidade e ns precisamos arregaar as mangas e trabalhar arduamente. Pois somos bons, sim. Somos um pais maravilhoso, ganhar a copa no tudo, pelo contrrio. Pode nos fazer esquecer que, a cada dia, precisamos melhorar o pais que vivemos, nos unir em torno do objetivo comum de melhorar a vida dos milhes deste time chamado Brasil;

    No basta ser bom, preciso buscar a excelncia, a dedicao, o conjunto de aes necessrias para fazer deste pas o que ele j : o melhor pas do mundo, que at, agora,se encontra deitado eterna-mente em bero esplndido

    Deus abenoe!

    CHARGE

    eDitorial

    As zonas francas so regies delimitadas em um pas ou em um estado, onde podem entrar mercadorias nacionais ou de origem estrangeira sem que se submetam s tarifas alfandeg-rias regulares. Elas so uma re-alidade em todo o mundo, exis-tindo zonas francas na Coria do Sul, na Espanha, Frana, Ir, Portugal e Rssia, por exemplo.

    No Brasil, a Zona Franca de Manaus foi criada em 1957, por inciativa do presidente Jusceli-no Kubitschek, embora s em 1967, no regime militar, que efetivamente se deu sua ins-talao e o incio de suas ati-vidades. Desde ento, a zona franca tem sido responsvel pelo crescimento do Estado do Amazonas, embora haja muitas crticas a esse modelo.

    O deputado federal Raimun-

    do Gomes de Matos (PSDB) teve a excelente ideia de pro-por ao Congresso Nacional uma emenda Constituio para criar a Zona Franca do Se-mirido Nordestino, com sede em Juazeiro do Norte. Esse projeto ganhou amplo apoio de outros deputados do Nordeste e, agora, a inteno de alguns parlamentares ampliar o raio dessa zona franca para 150 qui-lmetros, o que atingiria muni-cpios do Cear, da Paraba e de Pernambuco. Se aprovada, a emenda poder significar um novo estgio no desenvolvi-mento regional do Cariri.

    Mais que um projeto de emenda constitucional, a ideia da Zona Franca do Semirio Nordestino uma proposio que d esperana de futuro a um territrio brasileiro esque-