jornal do cariri - 07 a 13 de abril de 2015

Download Jornal do Cariri - 07 a 13 de abril de 2015

Post on 21-Jul-2016

215 views

Category:

Documents

3 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

TRANSCRIPT

  • Jesus, Maria e Jos

    Orfanato de Juazeirocompleta 99 anos

    Saiba mais

    Fundado em 8 de abril de 1916, pelo Padre Ccero Ro-mo Batista, o orfanato Je-sus, Maria e Jos contribui para formao de milhares de crianas e adolescentes. As irms Filhas de Santa Te-rezinha esto organizando uma programao especial para o centenrio da insti-tuio, que ser aberta nesta quarta-feira (8).

    ltiMas | pg. 8

    Arquivo JC

    Arquivo JC

    Dossi do Pau da Bandeira ser enviado ao Iphan

    MP amplia fiscalizao nomeao de parentes

    guerra ao nepotismo

    O Ministrio Pblico do Estado do Cear (MPCE) declarou, literalmente, guerra prtica de nepotismo no Cariri. Agora, o Ncleo de Tutela Coletiva (Nutec) da 1 Regio avalia os documentos enviados por prefeitos, secretrios e vereadores, com as respostas aos ofcios expedidos a 32 municpios, cujo objetivo combater o favorecimento de parentes dos gestores nas administraes pblicas. Em

    observncia aos casos positivos de nepotismo, o MPCE deve expedir orientao aos prefeitos e parlamentares para que os parentes sejam exonerados. Em situao de desobedincia, o Ministrio Pblico deve ingressar com Ao Civil Pblica, onde gestores e vereadores podero responder por crime de improbidade administrativa. poltiCa | pg. 3

    A incluso da Festa do Pau da Bandeira no conjunto de bens imateriais do patrimnio cultural brasileiro pode estar prxima de ser efetivada. Apesar de um projeto com a solicitao ter sido barrado na Cmara dos Deputados, os trmites

    necessrios para o processo seguem normalmente. O esperado que, dentro de dois meses, um dossi seja concludo e encaminhado ao Instituto do Patrimnio Histrico e Artstico Nacional (Iphan). Metropolitana | pg. 5

    De 07 a 13 De abril De 2015 ano 17 nmero 2686 Preo: r$1,50

    GRANDES NOMESFeij de S, o empresrio desportista que fez histria

    granDes noMes | pg. 6

    ElEIESUrca realiza votaopara escolher reitoriapoltiCa | pg. 4

    www.jornaldocariri.com.brO peridico do Cariri independente

    saDe pBliCa

    Baixo estoque de BCG preocupa populao Pais sentem dificuldades em encontrar a vacina BCG nos municpios do Crajubar. A dose da imunizao contra a tu-berculose era disponibilizada em postos de sade, mas ago-ra s encontrada em maternidades. A medida foi adotada aps o desabastecimento, pelo Ministrio da Sade, desde o segundo semestre do ano passado, por conta de reformas no laboratrio que fornece a BCG. Metropolitrana | pg. 5

    MsiCa

    Coletivo fortalece cultura Hip Hop

    epa | pg. 7

    ESPORTEII Corrida das Divas rene mulheres em Juazeiro

    apito | pg. 8

    patriMnio iMaterial

  • Regio do caRiRi, de 07 a 13 de abRil de 20152

    JUAzEIRO precisa de uma mdia de 400 doses de BCG e ns no temos isso no estoque. No sabemos como ser nesse ms de abril. MrCia reJane - CoorDenaDora De iMunizao De Juazeiro

    Opinio

    CARTAO Dia Mundial do Autismo, mesmo celebrado anualmente em 2 de abril, foi criado pela Organizao das Naes Unidas para a conscientizao acerca dessa questo. Mesmo que a data tenha passado, vamos reivindicar por mais polticas pblicas que amparem as pessoas portadoras da sndrome. Com a ajuda certa, essas pessoas podem ter uma vida mais longa e mais socivel.

    psiCloga neiva saMpaio, Juazeiro Do norte.

    SEXTIlHAQUER VER A PAZ ACABARNA VIDA DE RELAO?PERMITA O CIME ENTRARDENTRO DO SEU CORAO...DEPOIS S ESPERARCONTENDAS E DIVISO

    Welington Costa

    Diretor-presidente: Donizete ArrudaDiretora de Redao: Jaqueline FreitasDiretoria Jurdica: Vicente AquinoDiagramao: Evando F. MatiasFotos: Serena Morais

    Fundada em 5 de setembro de 1997O Jornal do Cariri uma publicao da Editora e Grfica Cearacom LtdaCNPJ: 15.915.244/0001-71

    Conselho EditorialGeraldo Menezes Barbosa, Francisco Huberto Esmeraldo Cabral, Napoleo Tavares Neves e Monsenhor Gonalo Farias Filho.

    Administrao e RedaoRua Pio X, 448 - Bairro SalesianosCEP: 63050-020 - Juazeiro do Norte Cear - Fone 88 3511.2457

    Departamento Comercial | comercial@jornaldocariri.com.br Redao | jornaldocariri@jornaldocariri.com.br

    Sucursal Fortaleza: Rua Coronel Alves Teixeira, 1905 - sala 05 - Fone: 85 3462.2600Sucursal Braslia: Edifcio Empire CenterSetor Comercial Sul - sala 307 -Braslia - DF.

    Os artigos assinados so de responsabilidade dos seus autores.

    Fale conosco

    COMO ENTENDER O CRISTIANISMO?

    Palavra de FPr. JeCer goes

    Ao pensarmos sobre a pergunta que d o ttulo a esse artigo, devemos considerar o contexto poltico social e econmico da poca dos apstolos ou o nosso contexto atual. No interessante o contexto passado ou o fato que acontecia na f prtica das pessoas impactadas por Jesus Cristo, o que levou a surgir o cristianismo. ento, como entender o cristianismo? - Modelo de vida que serve como efgie para aqueles que seguem a doutrina crist. o cristianismo nomina de cristo todo aquele que se proponha a cumprir seus preceitos e mandamentos. Na poca, no era um mrito, uma honra, uma elevada posio. os cristos eram tratados por escrnio e zombaria, quem seguia a Cristo recebia o ttulo de cristo, dando o sentido que o cristo deve ser uma cpia de Cristo. Da, o entendimento de que ser seguidor do cristianismo ser: um discpulo de Cristo; ser como Cristo; ser uma nova criatura em Cristo; ter a vida de Cristo no seu interior; ser luz e sal da terra; andar como em Jesus; ter vida substituda. Como o cristianismo se portava no primeiro sculo? ora, somente ao olhar para os seguidores de Cristo, eram reconhecidos como inteiramente diferentes dos outros praticantes. Paulo chegou a dizer que no vivia mais, Cristo que vivia nele gl.2:18-20. o grande questionamento gera identidade para sermos conhecidos como cristos legtimos? - ora, a caracterstica fundamental e que revela a identidade verdadeira do cristianismo o amor, conforme o evangelho de Joo 13:35, que diz: nisto conhecero todos que sois meus discpulos. Quando Cristo nos fez o convite para sermos seus seguidores, disse: se algum quer vir aps mim negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me (Mat.16:24). Aqueles que so verdadeiros cristos no somente creem que foram includos na morte e ressurreio com cristo, mas tambm o amam e, por isso, se submetem ao seu senhorio. No produzem transtornos na comunidade, no assumem papis para quais no foram chamados. o verdadeiro discpulo de Cristo mudou da morte para a vida, das trevas para a luz, da malignidade para a retido, da mentira para a verdade, do dio para o amor. somente quando abandonamos essas mazelas que comeamos a ser parecidos com Cristo. Quando nos despimos do velho homem, o que nos interessa o cordeiro de Deus, que manso e humilde de corao. Queremos aprender com ele. Cristianismo expressar a vida de Cristo no dia a dia, de tal forma que as pessoas possam l-la em ns. assim que o apstolo so Paulo nos orienta em sua carta de Corntios 3:2-6, que diz: Vs sois a nossa carta, escrita em nosso corao, conhecida e lida por todos os homens..... Disponha ao senhor Jesus Cristo a tua vida, submeta-se a ele e, com certeza, voc representar de verdade o legtimo cristianismo, tornando Cristo conhecido de todos. Pense nisto.

    Deus abenoe!

    CHARGE

    O debate sobre mdia e suas re-presentaes sociais tende abarcar um nmero significativo de crticas, sejam opositoras ou defensoras. Fato que a demanda de anlises sobre a nova novela do horrio no-bre da Rede Globo, Babilnia, vem crescendo culminando num furor social. Haja vista, o aspecto sobre temticas polmicas com parme-tro numa sociedade conservadora, a repercusso negativa no em todo espantosa.

    Entretanto, o que se deve anali-sar so os porqus dessas ideias ne-gativas acerca de uma novela que se prope tratar de assuntos os quais

    vivenciamos e devemos, enquanto seres sociais, dialogar. Ao observar mdias locais e seus formadores de opinio, perceptvel um discurso amparado no particular. So rei-vindicaes vindas de grupos pri-vilegiados socialmente e midiatica-mente em busca da permanncia do poderio alegrico. Como se o Brasil tivesse uma s cara, pertencesse a um s povo ou mantivesse o mesmo modelo de famlia patriarcal e/ou heterossexual em todos os lares.

    de extrema ignorncia utilizar um veculo de comunicao pblico - enfatizando a abrangncia do ter-mo pblico- para propagar inte-resses religiosos e/ou pessoais. Ora, se a concesso garante essa porcen-tagem de exibio para fins repre-sentativos, ento que se cumpra! O que a Globo est trazendo com essa visualidade nada mais do que uma reao tardia presso de existn-cia de toda pluralidade que abarca diversas formas de famlias, amores

    e, at mesmo, mulheres libertas em suas sexualidades.

    Babilnia pode ser um ttulo ape-lativo por buscar remeter quela ci-dade bblica. Talvez essa seja a maior sacada da novela: provocar justa-mente os que levam ao p da letra; os que tm somente uma viso de certo e errado; os que no desconstroem binarismos e escondem sob o tapete a existncia da diversidade. Acima de tudo, necessrio analisar a fun-o social de uma emissora de tv ou rdio, afinal esto amparadas pelo Governo Federal, este, representante de uma ampla nao.

    Portanto, o repdio deveria ser para aqueles que no aceitam outras caras estampadas na televiso bra-sileira. No de hoje que a rejeio para os que saem da linha de racioc-nio bitolado gritada como verdade absoluta. Ento, diminuir a audincia no revolucionar. Revoluo no excluir o diferente para continuar se-guindo o normativo.

    A BABilniA pegou Fogo!Izabelly Macdo

    eDitorial

    No foram suficientes a Cons-tituio, diversas leis, centenas de decises judiciais, smulas do Supremo Tribunal Federal e do Conselho Nacional de Justia: o nepotismo continua incrustado na realidade da administrao pblica brasileira, especialmente nos municpios das regies mais carentes do Brasil. A contratao de parentes de polticos