jornal digital 91

Download Jornal Digital 91

Post on 07-Mar-2016

219 views

Category:

Documents

4 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Publicado em Julho/2012

TRANSCRIPT

  • Diretor: Lago Filho Edio: 91 - Ano 8 - Julho de 2012 - Regio Sudoeste - Distribuio Gratuita

    Oferece novidades para os fs de pimenta

    Pg.16

    Receitas exclusivas

    JaRdim infantilAlegrando a sua casa Pg. 07

    segundo idiomaA importncia nos dias atuais Pg. 09

    ChiaA semente da sade Pg. 17

    hoRsCopo do msCncer Pg. 19

    distRibuio nosfaRois

    modaComo parecer mais alto Pg. 03

    Pg. 10Pg. 02

    Confira os lanamentos Pg.19

    ComoAgarrar meuex-Namorado

    inverno, estao charmosa!

    Romarinho,nasce uma estrela! Pg.04

    Pg. 07

    Desentupidora e Dedetizadora

    Pg.11

  • O ministro do Supremo Tribunal Fede-ral Ricardo Lewandowski liberou no dia 26/06 a reviso do processo do mensa-lo. O magistrado encaminhou ofcio ao presidente da Corte, Carlos Ayres Britto, confirmando a concluso dos trabalhos. Assim, o julgamento deve comear no incio de agosto.A liberao do voto permite que o jul-

    gamento dos 38 rus suspeitos de envol-vimento no esquema de pagamento de propina em troca de apoio no congresso comece no dia 2 de agosto, no retorno

    A Associao Paulista de Supermercados (Apas) informou na tera-feira (26/06) que vai entrar com um recurso contra a deciso da Justia que obriga os esta-belecimentos a distriburem embalagens para os produtos, como sacolas plsticas. No dia 25/06, a juza Cynthia Torres Cris-tfaro, da 1 Vara Central da capital pau-lista, determinou que os supermercados de So Paulo voltassem a distribuir, em at 48 horas, embalagens adequadas e em quantidade suficien-tes gratuitamente.

    Segundo nota divulgada pela Apas, a associao recebeu com tranquili-dade a deciso da Justi-a. A associao tambm informou que as redes de supermercados foram instrudas a reto-mar a distribuio das sacolinhas. Apesar disso, a Apas garantiu que vai continuar pela via jurdica a sua campanha para a substituio das sacolas descartveis por reutilizveis em todo o Estado de So Paulo, com o objetivo de contribuir para a conscientizao dos consumidores em favor da sustentabilidade e contra a cul-tura do desperdcio.

    Na deciso, a juza Cynthia Torres afirma que entregar embalagens pr-tica comum. notrio que a prtica comercial costumeira do fornecimen-to do lojista de embalagem para que o consumidor leve consigo as mercadorias que adquire, isso ocorrendo em lojas de diversos ramos de atividade, afirmou na deciso.

    A juza ainda questiona o posiciona-mento dos supermercados em suas con-

    Justia determinou que estabelecimentos voltem a dar embalagensLewandowski entrega reviso sobre mensalo e cronograma

    ser mantido

    trapartidas ao fim das sacolinhas. A soluo, portanto, nitidamente onera desproporcionalmente o consumidor. E, diga-se de passagem, que, no tendo os supermercados adotado qualquer provi-dncia para substituir as vrias embala-gens de plstico que internamente uti-lizam (l esto os saquinhos de plstico para separar itens vendidos a granel,

    como frutas, e lev-los a pesar), no trataram mes-mo de implementar ade-quadamente iniciativa de preservao ambiental, chamando a ateno que a parte que oneraria com exclusividade o fornece-dor tenha sido justamen-te a omitida, escreveu a juza na sentena.

    O acordo que previa o fim da distribui-o de sacolinhas plsticas em So Paulo foi derrubado na tera-feira (19/06) pelo Ministrio Pblico, mas as sacolinhas plsticas no voltaram a ser distribudas imediatamente. A Apas havia informado que iria manter o veto s sacolinhas e apresentar ajustes no Termo de Ajus-tamento de Conduta (TAC) em reunio com a Fundao PROCON.Os consumidores que se sentirem pre-

    judicados pela falta das embalagens devem procurar o PROCON, segundo a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em So Paulo. Os supermercados alegam no existir lei especfica que obrigue a entrega de embalagem para compras, mas a OAB argumenta que o Cdigo de Defesa do Consumidor prev que os es-tabelecimentos prestem servios ade-quados. Reclamaes no Procon: 151.

    Contatos:3482-9171 / 2924-2012 / 9137-9587

    Distribuio gratuita:Pinheiros, Morumbi, Vila Snia, Jd. Bonfiglioli, Portal do Morumbi, Lapa, Peri-Peri, Santo Amaro, Taboo, Osasco e Cotia.Diretoria:Vivaldo Lago Filholago@jornaltotalnews.com.br

    Jornalista:Alberto GanchoMTB: 23259ganchoalberto@jornaltotalnews.com.br

    Editorao / Arte / Reviso: Regina A. Coelho, Lago Filho e Ricardo Vignoniregina@jornaltotalnews.com.br

    Fotografia:Fatima OrsiGerente Comercial:

    Ricardo Vignoniricardo@jornaltotalnews.com.br

    Contatos:

    Maria Luiza, Mrcia Vargas, Tiago Morais, Adalberto Aleixo.Impresso:

    Taiga / Grfica e Editora Ltda.11 9952-0992

    A direo do jornal no se responsabiliza por arti-gos e/ou contedo do material publicitrio veiculado nesta edio. Os artigos publicados neste informativo no refletem, necessariamente a opinio do editor.

    www.jornaltotalnews.com.br

    02Julho / 2012

    do recesso do Judicirio. Para tanto, o presidente do Supremo ter de ordenar a publicao de uma edio extraordin-ria do Dirio Oficial da Justia.Pelo regimento do STF, seria neces-

    srio transcorrer, pelo menos, quatro dias teis aps a liberao do voto de Lewandowski para haver condies de se apreciar o processo no retorno das frias dos ministros. Sob essa interpretao, o prazo para entrega teria encerrado no dia 25/06.Ayres Britto ainda no confirmou se ir

    determinar a publicao da edio ex-traordinria. O ministro tem comentado que teme usar a brecha, para no ser acusado de ter dado um tratamento di-ferenciado ao caso.

    o voto-revisor mais curto da histria do Supremo Tribunal Federal. A mdia (de tempo) para um ru de seis meses. Fiz das tripas corao para respeitar o que foi estabelecido pela Suprema Corte.

    Os cortes feitos pelo Ban-co Central na taxa bsi-ca de juros, a Selic, esto chegando ao consumidor. Segundo dados do prprio BC, os bancos repassaram as redues, e as taxas m-dias de juros das operaes de crdito para pessoas f-sicas atingiram em maio o menor patamar de toda a srie histrica, de 38,8% ao ano.At o momento, a menor taxa da

    srie, que comea em julho de 1994, havia sido registrada em novembro de 2010, de 39,1% ao ano.Os dados mostram ainda que os ban-

    cos foram alm dos cortes na Selic, reduzindo tambm o chamado spre-ad bancrio (que a diferena entre a taxa de captao dos bancos e os ju-ros cobrados dos tomadores finais do crdito). Isso porque, enquanto o juro pago pelos bancos recuou 3,5 pontos percentuais desde agosto de 2011, a

    Bancos repassam corte da Selic e juro do crdito o menor da histria

    Juro mdio de pessoa fsica e de empresas o menor da srie do BC

    Com isso, spread bancrio tem recuado neste ano, informa instituioqueda no juro cobrado pe-las instituies recuou mais: 7,4 pontos percentuais.Juros mdios das pesso-

    as fsicas atingiram menor patamar da srie histrica do BC, iniciada em julho de 1994; at o momento, a menor taxa fora registra-da em novembro de 2010: 39,1% ao ano.

    O movimento de corte mais agressivo dos juros bancrios coincide com pro-pagandas das principais instituies financeiras. O primeiro anncio acon-teceu em 4 de abril, por parte do Ban-co do Brasil, e foi seguido pela Caixa Econmica Federal e por bancos pri-vados, como Ita-Unibanco, Bradesco e Santander, entre outros.Em maio, a queda dos juros banc-

    rios foi pronunciada. No vemos que-da nesse nvel desde 2003, informou o chefe do Departamento Econmico do Banco Central, Tlio Maciel.

    Multiplique a utilidade dos seus mveisRetiramos doaes de

    mveis e roupasem bom estado

    4003-2299

    www.exercitodoacoes.org.br

    Magistrado encaminhou ofcio aopresidente da Corte

    Nos ltimos dias, ministro vinha sendo pressionado para liberar a reviso

    A educao interfere no aprendi-zado, no comportamento, na sade fsica e mental, na capacidade de produo econmica e at na res-ponsabilidade social, ou seja, na formao dos cidados.Com tradio de mais de 50 anos

    e ciente de seu papel no atual ce-nrio brasileiro, carente de escolas e projetos educacionais, a UNINOVE refora sua misso de oferecer ensi-no de qualidade e cada vez mais in-veste em propostas pedaggicas ino-vadoras, corpo docente qualificado, instalaes modernas e laboratrios de ltima gerao. Pensando em diferentes opes

    para os seus mais de 100 mil estu-dantes, a UNINOVE disponibiliza mais de 170 cursos entre bachare-lados, licenciaturas e tecnolgicos, muitos na modalidade distncia, Especializao e Master of Business Administration (MBA) , e 10 progra-mas de Mestrado e Doutorado, todos recomendados pela Coordenao de Aperfeioamento de Pessoal de N-vel Superior (Capes).

    O aprendizado e a cidadania so estimulados desde os primeiros se-mestres na universidade, por meio de servios prestados comunidade, nas reas da sade, informtica, ju-rdica e contbil. Os atendimentos so realizados pelos alunos e su-pervisionados pelos professores dos cursos, colocando em prtica os co-nhecimentos adquiridos em sala de aula. Seu apoio aos discentes vai alm do

    campo acadmico. Com o objetivo de inserir os estudantes no mercado de trabalho, a UNINOVE possui o N-cleo de Estgio e Carreira, que firma parcerias com empresas e divulga semanalmente diversas oportunida-des aos candidatos.Mantm tambm mais de 80 grupos

    formados por professores e alunos pesquisadores, certificados no Con-selho Nacional de Pesquisa e Tec-nologia (CNPq), sendo uma das trs universidades particulares do estado de So Paulo que mais desenvolvem pesquisas institucionais, gerando co-nhecimento cientfico e contribuindo com o desenvolvimento do pas.

    Investe em ensino de qualidade!

    Aprimoramento constante e apoio ao alunoso prioridades na instituio

    Nmeros do Banco Central revelam que o carto de crdito das pessoas f-sicas campeo de inadimplncia, ou seja, a lin