jornal da fundao padre albino - ou, simplesmente, tonto. expresses que denotam respeito e educao...

Download JORNAL DA FUNDAO PADRE ALBINO -   ou, simplesmente, tonto. Expresses que denotam respeito e educao so evi-tadas, j que, usando-as, ... 11 – Prof. Camilo Onoda Luiz Caldas 13

Post on 13-Feb-2018

220 views

Category:

Documents

4 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • JORNAL DA

    IMPRESSO

    FUNDAO PADRE ALBINOANO 14 CATANDUVA, SETEMBRO DE 2009 N 160

    Fundao credenciada para radioterapiaA Fundao Padre Albino obteve, da Secretaria de Estado da Sade, o credenciamento para implantar o seu Servio de

    Radioterapia. O processo estava em tramitao h seis meses e foi acelerado com a ajuda do chefe da Casa Civil, Dr. Aloysio Nunes Ferreira Filho. lti ma pgina.

    Para melhorar ainda mais o atendimento, os hospitais Emlio Carlos e Padre Albino e o Padre Albino Sade adquiriram novos centros de distribuio telefnica - PABX. Pgina 06.

    A Comisso de Controle de Infeco Hospitalar (CCIH) do Hos-pital Emlio Carlos realizou treinamento sobre a Infl uenza H1N1 aos seus funcionrios. Pgina 06.

    O trabalho do Prof. Olavo de Carvalho Freitas, da disciplina de Fisiologia da Medicina do curso de Medicina das FIPA, foi apresen-tado no 64 Congresso Brasileiro de Cardiologia, em Salvador, no dia 14 de setembro lti mo. O trabalho foi elaborado com a cola-borao de alunos e da UNESP de Ilha Solteira. Pgina 09.

    Os alunos Juliana Alves Porto e Gabriel Tarsitano Ribeiro, que cursam o quinto ano do curso de Direito das FIPA, obti veram apro-vao na primeira fase do lti mo exame da OAB, mesmo faltando ainda prati camente um semestre para integralizao dos crditos necessrios obteno do grau de bacharel. Pgina 11.

    As Faculdades Integradas Padre Albino (FIPA), atravs do curso de Enfermagem, receberam uma placa de homenagem pela sua parti cipa-o na Edio Nacional do Prmio Cidadania sem Fronteiras 2009, promovido pelo Insti tuto da Cidada-nia Brasil e Ministrio da Cincia e Tecnologia Secretaria de Cincia e Tecnologia para Incluso Social. Pgina 13.

    3 VISITA A terceira visita mensal dos conselheiros aos De-partamentos da Fundao foi feita ao Recanto Monsenhor Albino dia 17 de setembro. lti ma pgina.

    SEMANA A XVIII Semana Monsenhor Albino foi realizada de 14 a 20 de setembro, com uma programao que envolveu todos os Departamentos da Fundao. As imagens da Semana, como a da entrega do Trofu Monsenhor Albino ao Dr. Alysson Mascaro e do Trofu Fundao Padre Albino aos funcionrios Marco Salva-dor e Mauro Assi, esto nas pginas 7 e 8.

    Hospitais e plano tm novos PABX

    Hospital Emlio Carlos orienta funcionrios sobre a Influenza H1N1

    Medicina apresenta trabalho em congresso em Salvador

    FIPA homenageada por participao em prmio

    Alunos do 5 ano do Direito obtiveram aprovao na OAB

    DivulgaoDivulgao

    ArquivoArquivo

    Imprensa/FPAImprensa/FPA

    Prof Mrcia Correa e Dr. Paulo Saad, presidente do Insti tuto Cidadania Brasil.

  • JORNAL DA FUNDAOPADRE ALBINO02

    A amabilidade

    A crtica

    SETEMBRO / 2009

    O ser valente no exclui o ser corts.O padre Jos Lus Marti n Descalzo conta-

    va uma passagem ocorrida a um companhei-ro de trabalho. Este amigo voltava do escrit-rio para casa. Ao chegar estao do metr pediu, como sempre, uma passagem. Mas ao pagar teve uma surpresa.

    A garota que o atendia lhe respondeu com um sorriso t mido: Hoje o senhor no precisa pagar. O homem, sem entender o gesto, fi cou um tempo quieto e depois per-guntou o porqu. Porque ontem o senhor parti u sem pegar o troco, respondeu a moa do lado de dentro do guich.

    Por acaso ela se lembrava do rosto? Sa-bia quem ele era? Nada disso. A garota se-quer esti vera trabalhando no dia anterior, mas uma colega lhe havia dito pela manh: Quando chegar um senhor que sempre nos cumprimenta com um bom-dia, diga-lhe que hoje no tem de pagar. Com essa referncia, a moa do turno soube reconhecer correta-mente de quem se tratava.

    Uma bonita experincia que faz brilhar a nobreza de um corao. Entretanto, esta mesma luz pe de manifesto a obscuridade de tantas pessoas que j se esqueceram de ser amveis com os demais.

    Quantas pessoas passavam por aqueles guichs do metr de Madrid! E somente uma delas era inconfundvel porque era o senhor que sempre nos diz bom-dia.

    Na cultura que se vai impondo nos dias atuais, parece que ser amvel ser t mido, fraco ou, simplesmente, tonto. Expresses que denotam respeito e educao so evi-tadas, j que, usando-as, nos faria fi car mal diante do nosso crculo de amizades.

    Se digo muito obrigado ao garom que

    Convidado a fazer uma preleo sobre a crti ca, o conferencista compareceu ante o auditrio superlotado, sobraando pequeno fardo.

    Aps cumprimentar os presentes, reti rou os livros e a jarra dgua de sobre a mesa, dei-xando somente a toalha branca.

    Em silncio, acendeu poderosa lmpa-da, enfeitou a mesa com dezenas de prolas que trouxera no embrulho, vrias dzias de fl ores colhidas de corbelhas prximas. Logo aps, apanhou da sacola diversos biscuits de inexprimvel beleza, representando moti -vos edifi cantes, e enfi leirou-os com graa. Em seguida, situou na mesa um exemplar da B-blia Sagrada em capa dourada. Depois, com o assombro de todos, colocou uma pequenina lagarti xa num frasco de vidro.

    S ento comandou a palavra, perguntando: - Que vedes aqui, meus irmos? E a assembleia respondeu, em vozes dis-

    cordantes: - Um bicho! - Um lagarto horrvel! - Uma

    Expediente

    CONSELHO DE CURADORES

    DIRETORIA ADMINISTRATIVA

    CONSELHO DE CURADORES

    CONSELHO FISCAL

    EDITOR

    O Jornal da Fundao Padre Albino uma publi-cao interna editada pela Assessoria de Impren-sa da Fundao Padre Albino.

    Antonio Hrcules Antonio Jos dos Santos Delcides Montes Edson Bonutti Geraldo Paiva de Oliveira Padre Jeov Bezerra da Silva Joo Antonio Corniani Joaquim Carlos Marti ns Jos Carlos Rodrigues Amarante Jos Pedro Mott a Salles Jos Rodrigues Luiz Marcos Garcia Nlson Jimenes Nlson Lopes Marti ns Olegrio Braido Renato Centurion Stuchi Rodrigo Alonso Garcia Padre Sylvio Fernando Ferreira Valdemar Bergamachi Vicente Chiavolotti

    Presidente: Dr. Geraldo Paiva de OliveiraVice-presidente: Dr. Antonio Jos dos SantosSecretrio: Dr. Olegrio Braido 1 Tesoureiro: Valdemar Bergamaschi2 Tesoureiro: Joaquim Carlos Marti ns

    Presidente: Dr. Antonio HrculesVice-presidente: Padre Sylvio Fernando Ferreira1 Secretrio: Dr. Jos Carlos Rodrigues Amarante 2 Secretrio: Luiz Marcos Garcia

    Membros Efeti vos: Jos Pedro Mott a Salles Rodrigo Alonso Garcia Vicente Chiavolotti

    Membros Suplentes: Delcides Montes Joo Antonio Corniani Dr. Jos Rodrigues

    Mauro Tadeu Assi - MTb 11.895

    Editorao Grfi ca: Ato Comunicao

    As matrias assinadas so de inteira responsabili-dade de seus autores e no refletem necessaria-mente a opinio do Jornal

    TIRAGEM: 2.500 - EXEMPLARES

    Correspondncias, crticas sugestes e colaboraes para o jornal devem ser encaminhadas para a Av. So Vicente de Paulo, 1.455 - Fone: 17 3531-3200 - Fax: 17 3531-3201 / 15809-145 - Catanduva-SPe-mail: imprensa.fpa@terra.com.brwww.fundacaopadrealbino.org.br

    me serve a mesa, faria entrever que tenho necessidade de seus servios.

    Como em todos os casos implica uma de-gradao da nossa grande personalidade, melhor no as usar para poder aparentar al-gum viril e seguro de si mesmo.

    Ser amvel no equivale falta de cora-gem. Pelo contrrio, produz mais admirao e grati do quem diz: Por favor, passe o senhor, do que quem simplesmente se coloca ao lado para sair da frente de uma porta. Ser cordial indica maior integridade e domnio do que mostrar um rosto frio de absoluta indiferena.

    O duro se faz respeitar pelo temor; o corts sempre respeitado pelo que .

    Diariamente temos centenas de oportuni-dades para ser amveis com os demais. Basta pensar que, a cada manh, podemos dizer Bom-Dia aos nossos pais, ao nosso cnjuge, ao nossos fi lhos, aos professores, aos colegas do escritrio ou ao motorista do nibus em que viajamos.

    Ceder o assento no metr a uma senhora ou um ancio pode-se fazer com facilidade. Desejar um bom-dia de trabalho a quem nos serve o caf da manh no custa muito. Opor-tunidades, pois, nunca faltam; s devemos descobri-las e torn-las costumes.

    Este ti po de detalhes o que muda ros-tos e alegra ambientes inteiros. As relaes se estreitam. Os sorrisos se multi plicam. Desfruta-se o trabalho. O corao rejuvenes-ce. Acrescenta-se o desejo de comparti lhar o tempo. Por qu? Porque as pessoas se sen-tem tratadas com respeito e dignidade do que verdadeiramente so: pessoas e fi lhos de Deus. E tudo isso depende to s de um sim-ples Bom-Dia.

    Vena o mal com o bem!

    larva! - Um pequeno monstro! Esgotados breves momentos de expecta-

    o, o pregador considerou: - Assim o esprito da crti ca destruti va,

    meus amigos! No enxergastes o forro de seda lirial, nem as fl ores, nem as prolas, nem as preciosidades, nem a Bblia Sagrada, nem a luz faiscante que acendi. Vistes apenas a di-minuta lagarti xa...

    E concluiu: - Nada mais tenho a dizer...

    ROMO MQUINASQUALIDADE SEMPRE

    H 35 anos fazendo deseu escritrio um sucesso

    Av. 24 de Fevereiro, 74 - Catanduva-SPvisite nosso site: www.romomaquinas.com.br

    TELEVENDAS 17 3522-6167( )

  • JORNAL DA FUNDAOPADRE ALBINO 03

    Aniversrios - OUTUBROD I A / N O M ED I A / N O M E D I A / N O M ED I A / N O M E D I A / N O M ED I A / N O M E

    SETEMBRO / 2009

    24 Leandro Faria de Carvalho Marcos Rogrio Pirott a26 Aline Cristi na de Poli Clia Maria Almeida Volpe Elo Fernanda Veronesi27 Camila Cristi na de Souza28 Izilda Coltri Valker Renato Semedo de Oliveira29 Fti ma Aparecida Rodrigues Jrson Nunes de Souza Regina Maria Siqueira Yara Denise Burger Rodrigues30 Glucia Regina Avansi Santos Izaura Rosa Pretti Sueli Aparecida dos Santos31 Vanessa Vieira Vicenti no Camillo Pinto Jnior

    Hospital Emlio Carlos01 Lvia Dalto

Recommended

View more >