Jornal Correio Notícias - Edição 1304

Download Jornal Correio Notícias - Edição 1304

Post on 23-Jul-2016

216 views

Category:

Documents

2 download

DESCRIPTION

Jornal Correio Notcias - Edio 1304

TRANSCRIPT

  • 1Sexta-Feira - 11 de Setembro de 2015Edio 1.304

    11Sexta-FeiraSetembro / 2015

    Edio 1304

    Richa enaltece funcionrios da Sanepar na conquista do Prmio Valor 1000

    Richa enalteceu os funcionrios da Sanepar e atri-buiu ao trabalho dos profissionais conquista do reconhecimento. Graas aos esforos dos seus ser-vidores, que prestam bons servios e se dedicam, incondicionalmente, para trazer mais qualidade de vida populao paranaense, a Sanepar hoje a melhor empresa de saneamento do Brasil, afirmou o governador, ao lado do presidente da companhia, Mounir Chaowiche. De nada adiantaria o forte pla-nejamento da diretoria, os grandes investimentos do Governo do Estado, as decises acertadas e o res-gate da confiana na Sanepar, se no tivssemos o trabalho valoroso e a dedicao de cada um dos colaboradores, disse o governador. Pgina 3

    Funcionrios realizaram feijoada beneficente em prol da Santa Casa de Siqueira Campos

    Pgina 5

    Bando fortemente armado rouba R$ 30 mil de praa

    de pedgio no Paran

    Ladres encapuzados e fortemente armados roubaram uma praa de pedgio na BR-476, na Lapa (regio metropolitana de Curitiba), durante a madrugada desta quinta-feira, 10. De acordo com a Polcia Militar (PM), o bando rendeu os funcionrios, explodiu o cofre da praa e fugiu, em duas Renault Duster, levando R$ 30 mil. As informaes so da rdio Banda B. Pgina 7

  • Sexta-Feira - 11 de Setembro de 2015Edio 1.3042

    jornalstica correio do norte s/c ltda cnpj: 07.117.234/0001-62

    Siqueira CamposCornlio ProcpioCuritibaIbaitiJapiraJabotiSalto do ItararCarlpolisJoaquim TvoraGuapiramaQuatiguJacarezinhoConselheiro MairinckPinhalo

    Direo SUCUrSAL ArAPoTi

    Elizabete Gois David BatistareDAo

    Isaele Machado, Regiane RomoDavid Batista , Gilberto GimenesJorNALiSTA reSPoNSVeL

    Regiane Romo - MTB: 0010374/PRDiAGrAMAo

    Andr MachadoADMiNiSTrATiVo

    Claudenice MachadoCoLUNiSTA

    Gnesis Machado

    CirCULAo

    rePreSeNTAoMERCONET Representao de Veculos de

    Comunicao LTDARua Dep. Atilio de A. Barbosa, 76 conj. 03Boa Vista - Curitiba PRFone: 41-3079-4666 | Fax: 41-3079-3633

    FiLiADo A

    Associao dos Jornais Dirios do Interior do Paran

    REDAO jORNALRua Piau, 1546Siqueira Campos - Paran(43) 3571-3646 | (43) 9604-4882

    Site: www.correionoticias.com.br

    SuCuRSAL ARAPOTIDIREO: DAVID BATISTAAv. Vicente Gabriel da Silva, 369Jardim Ceres - Arapoti - Paran(43) 3557-1925 | (43) 9979-9691

    diagramacao@correionoticias.com.br

    TomazinaCurivaFigueiraVentaniaSapopemaSo Sebastio da AmoreiraNova Amrica da ColinaNova Santa BrbaraSanta Ceclia do PavoSanto Antnio do ParasoCongoinhasItambaracSanta MarianaLepolis

    SertanejaRancho AlegrePrimeiro de MaioFlorestpolisSo Gernimo da SerraSanto Antnio da PlatinaArapotiJaguariavaSengsSo Jos da Boa VistaWenceslau BrazSantana do ItararJundia do SulAndir

    AbatiCambarRibeiro do PinhalNova FtimaBarra do JacarSanta AmliaSertanpolisBela Vista do ParasoRibeiro Claro

    oPiNio

    O incentivo a fontes alternativas de energia

    Edson Campagnolo pre-sidente do Sistema Federao das Indstrias do Paran

    Ainda que a passos lentos, o Brasil comea a dar sinais de que percebeu a necessidade de diversificar sua matriz energ-tica. Especialmente pela crise nos reservatrios das hidreltri-cas, surgem as primeiras inicia-tivas para incentivar a gerao por fontes alternativas e para integrar a micro e a minigerao rede das distribuidoras. Nesse processo, o Paran tambm tem boas oportunidades para evoluir.

    Um dos ltimos avanos ocorreu em abril. Na ocasio, o Conselho Nacional de Pol-tica Fazendria (Confaz), com o Convnio 16/2015, autorizou os estados a isentar a cobrana do ICMS que incide sobre o crdito de energia gerada por micro ou minigeradores. Isso torna mais vantajosa a instalao de sis-temas prprios de gerao em residncias, comrcios ou inds-trias, principalmente por meio de painis fotovoltaicos que trans-formam irradiaes solares em energia. A economia na conta de luz com o desconto do ICMS um incentivo para investimentos nessa rea, que ainda so altos e do retorno em longo prazo.

    At agora, quatro estados aderiram ao convnio do Confaz: So Paulo, Gois, Pernambuco e Rio Grande do Norte. Minas Gerais tambm possui incentivos

    gerao distribuda. Os mineiros foram pioneiros nessa questo graas a uma lei de 2013, um ano depois de a Agncia Nacional de Energia Eltrica (Aneel) ter auto-rizado que micro e minigeradores pudessem trocar energia com a rede das distribuidoras.

    Medidas como essas so fundamentais para despertar na sociedade o interesse por novas fontes de energia. Um levanta-mento da Empresa de Pesquisa Energtica (EPE), vinculada ao Ministrio de Minas e Energia, aponta que a iseno do ICMS, caso adotada por todos os esta-dos, possibilitaria que o cresci-mento no nmero de sistemas de gerao fotovoltaica at 2023 fosse 55% maior do que se man-tido o cenrio sem a desonerao.

    At agora, o Paran segue relutante em aderir ao convnio. Recentemente, o Sistema FIEP levou Secretaria da Fazenda esse pleito, mostrando os bene-fcios que a medida pode trazer para a economia do estado. Se por um lado o governo deixa de arrecadar com o ICMS das tran-saes de troca de energia, por outro teria a chance de impul-sionar um mercado altamente promissor. Empresas e consumi-dores interessados em investir nessa rea no faltam.

    Mais do que isso, convivemos com altas tarifas de eletricidade. Hoje, o Paran tem o quarto maior custo de energia para a indstria entre todos os estados. Investir

    em fontes prprias de gerao , portanto, uma forma de o setor reduzir custos em mdio e longo prazo, o que significa aumento de competitividade.

    Alm da adeso ao conv-nio, o Paran pode dar outro salto nessa questo. Tramita na Assembleia Legislativa o Projeto de Lei 378/2015: mais do que regulamentar a iseno de ICMS para os geradores, ele prope a desonerao do imposto para uma srie de equipamentos e componentes utilizados na gera-o fotovoltaica e elica. A pro-posta, porm, ainda no avanou.

    Especialmente em um momento de crise como o atra-vessado pelo pas, iniciativas que incentivem novas possibili-dades de negcios so funda-mentais. importante ressaltar que esses incentivos, em ltima instncia, resultaro em empre-gos, renda e tambm arrecada-o de impostos pelo estado, mesmo com algumas isenes. Alm disso, preciso que toda a sociedade assuma a responsa-bilidade pelo futuro do planeta, apostando cada vez mais em fontes limpas e renovveis de energia.

    Por tudo isso, o Sistema FIEP refora seu apelo para que o poder pblico paranaense ana-lise com ateno todos esses benefcios. Mais do que pensar no hoje, precisamos nos pre-parar, de maneira responsvel, para o futuro.

    Lay-off: uma oportunidade para empresas e escolas

    Diogo Richartz Benke diretor corporativo de Cursos Tcnicos do Grupo Marista e diretor geral do Tecpuc

    Em tempos de crise, trans-formar os percalos em oportu-nidades o que faz a diferena para a superao. Nos ltimos meses, o Brasil tem enfrentado uma situao econmica difcil e uma crise poltica que tem desmotivado os brasileiros, reduzindo a confiana no pas. Recesso, volta da inflao, aumento do desemprego, alta do dlar so notcias que tm tomado conta dos noticirios. Diante desse cenrio, como encontrar oportunidades?

    Para empresas que esto com mo de obra excedente em funo da queda nas vendas, uma alternativa o lay-off, uma suspenso tempo-rria dos contratos de trabalho, regulamentada pelo Ministrio do Trabalho e que deve ser negociada com os respectivos sindicatos. Durante o lay-off, as empresas podem reduzir a jornada de trabalho e o salrio at o limite de 25% ou aprovei-tar essa suspenso temporria para requalificar as suas equi-pes. E essa segunda opo que consideramos a grande oportunidade para enfren-

    tamento desse momento de recesso.

    O que consideramos como grande vantagem nesse modelo de enfrentamento da crise que a empresa que o adota consegue se ajustar redu-o de demanda, reduzindo os seus custos e, to logo o cenrio econmico do pas melhore e a economia volte a crescer, a empresa readquire rapidamente a sua capacidade produtiva.

    Por outro lado, os colabora-dores de empresas que adotam esse modelo tm como grande vantagem o incremento na sua capacitao, especializando-se e aumentando suas possi-bilidades de permanecer na vaga ou ocupar uma nova posi-o dentro ou fora da empresa atual.

    Para as instituies de ensino, capacitar esses traba-lhadores tambm uma opor-tunidade de enfrentamento de crise. Considerando as carac-tersticas da necessidade de qualificao de mo de obra para a indstria, temos como instituies que oferecem esse servio basicamente as mesmas que sofreram com os cortes realizados pelo governo federal no Programa Nacional de Ensino Tcnico e Emprego

    (Pronatec).Ao estimular as institui-

    es de educao a ofertar o ensino tcnico subsidiado, o governo federal provocou um esvaziamento dos cursos tc-nicos pagos. E, com a des-continuidade dessa poltica educacional, reduzindo drs-tica e repentinamente os sub-sdios, muitas escolas tiveram de se readequar, cancelando a oferta de determinados cursos e demitindo professores.

    Porm, nessas escolas est um know-how que pode, nesse momento, ser um grande aliado das indstrias por meio do lay-off. Cursos customizados e custos negociveis so condi-es que tornam essa moda-lidade de enfrentamento da crise interessante para ambos: escola e indstria. Outro ganho para a escola a proximidade com o mercado, que permite a oferta de cursos cada vez mais ajustados a real necessidade do mercado.

    Os exemplos dessa aliana vantajosa para ambos os lados j comeam a surgir. Vrias empresas e escolas j esto se unindo, trocando conhecimento e se fortalecendo para superar esse momento difcil para a economia brasileira, mas cer-tamente passageiro.

  • 3Sexta-Feira - 11 de Setembro de 2015Edio 1.304PoLTiCA

    DEuS AMOR E juSTIA

    INVESTIMENTO O ms de setembro comea muito bem em Siqueira Campos, com muitas obras, o municpio passa por uma verdadeira trans-formao, em uma gesto que em dois anos e meio fez o que por pelo menos vinte anos nunca foi feito.

    INVESTIMENTO IAgora a vez da Rua Piratininga, a principal Rua de entrada da cidade est sendo asfaltado. O Departamento de Obras do Municpio nos informou que, alm de asfalto, esto sendo feitas galerias pluviais em toda a Rua, a questo do asfalto um tra-balho que aparece para todo mundo ver, mas acredito que o mais importante est por baixo, que o escoamento das guas pro-venientes da chuva, que hoje um dos principais motivos para a danificao do asfalto.

    REVOLuOSabemos que o que acontece em Siqueira Campos hoje, uma grande revoluo, a cidade est entre quatro cidades do Estado do Paran, que proporcionalmente receberam mais recursos. Isso se deve ao grande trabalho e administrao do Prefeito Bi, que batalhou arduamente esses dois anos e meio de gesto na captao de Recursos, e hoje colhe os frutos de um exce-lente e honrado trabalho que exerceu em nome da populao siqueirense. Acredito que ficar marcada na historia de Siqueira Campos, a passagem dessa pessoa que em nome do municpio, vestiu a camisa e lutou tanto para que esse povo seja contem-plado com tantas coisas boas.

    CORTANDO CARGOSNa reforma administrativa com o objetivo de diminuir gastos, o governo federal deve cortar mil cargos de confiana. O nmero pode parecer alto, mas s na Presidncia da Repblica (PR) exis-tem quase sete mil cargos, funes de confiana e gratificaes. Esses cargos representam cerca de 40% dos 18 mil funcionrios que esto lotados na Pasta.

    REFORMA ADMINISTRATIVA Alm de cargos comissionados, a reforma administrativa anun-ciada pelo Executivo federal envolve a reduo de ministrios, a integrao de secretarias e rgos pblicos. No final de agosto, o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, afirmou que o governo federal deve economizar algumas centenas de milhes de reais com a reforma administrativa que pretende extinguir 10 dos 39 ministrios. O auxiliar da presidente Dilma Rousseff pon-derou, no entanto, que o tamanho da economia depender do alcance da reforma.

    FERIADOA Polcia Rodoviria Estadual (PRE) divulgou o balano da Operao Independncia na manh de ontem (9). A iniciativa, realizada entre o incio da tarde da ltima sexta (4) e o final da noite de tera-feira (8), teve o objetivo de coibir o registro de ocorrncias graves nas rodovias estaduais do Paran. Segundo o balano, foram registrados 122 acidentes durante a operao, com 22 mortos e 142 feridos. O feriado prolongado, de cinco dias em Curitiba e quatro para o restante do estado, fez com que o nmero de mortes aumentasse 144% se o ndice deste ano for comparado s nove mortes registradas no feriado do ano pas-sado.

    BALANOO balano da PRE aponta, ainda, que 460 testes do bafmetros foram feitos durante a operao e 17 motoristas foram detidos por embriaguez ao volante. A polcia tambm emitiu 1.701 autua-es, multou 3.291 veculos por meio de radar e apreendeu 133 veculos por conta de irregularidades diversas.

    ASSISTNCIA SOCIALO Governo do Paran finalizou o pagamento de R$ 1,9 milho para o cofinanciamento de aes de assistncia social em 48 municpios, de diversas regies do estado. Eles foram contem-plados com o repasse chamado Incentivo Famlia Paranaense II, no valor de R$ 40 mil para cada, em parcela nica. A transfern-cia foi realizada diretamente do Fundo Estadual de Assistncia Social (Feas) para os fundos municipais.

    Richa enaltece funcionrios da Sanepar na conquista do Prmio Valor 1000

    O governador Beto Richa participou, nesta quinta-feira (10), do encontro em que a Sanepar compartilhou com seus empregados o prmio Valor 1000 de melhor Companhia de gua e

    Saneamento do Brasil, concedido pelo jornal Valor Econmico

    ParanAEN Notcias

    Richa enalteceu os funcio-nrios da Sanepar e atribuiu ao trabalho dos profissionais conquista do reconhecimento. Graas aos esforos dos seus servidores, que prestam bons servios e se dedicam, incon-dicionalmente, para trazer mais qualidade de vida populao paranaense, a Sanepar hoje a melhor empresa de saneamento do Brasil, afirmou o governador, ao lado do presidente da compa-nhia, Mounir Chaowiche.

    De nada adiantaria o forte pla-nejamento da diretoria, os gran-des investimentos do Governo do Estado, as decises acertadas e o resgate da confiana na Sane-par, se no tivssemos o trabalho valoroso e a dedicao de cada um dos colaboradores, disse o governador.

    Ele disse que o Paran se orgulha porque as empresas pblicas tem recebido, anual-mente, premiaes importantes. No pela premiao, mas porque atesta que estamos oferecendo servios pblicos com mais qua-lidade nossa populao, com

    mais eficincia e racionalizao do uso dos recursos pblicos. Isso significa desenvolvimento econmico, social e qualidade de vida aos paranaenses, declarou Richa.

    CAMPE a quinta vez que a Sanepar conquista o primeiro lugar setorial no Valor 1000. Na classificao geral desta edio, a Sanepar obteve 57,5 pontos no ranking, enquanto a mdia das dez melhores empresas do setor foi de 40,2 pontos.

    O prmio foi entregue no dia 24 de agosto, em evento em So Paulo, no qual foram premiadas as empresas de melhor desem-penho em 25 setores da econo-mia brasileira. No encontro desta quinta-feira, houve mais premia-o simblica.

    O governador e o presidente da Sanepar Richa receberam o prmio das mos do represen-tante do jornal Valor Econmico no Paran, Luiz Carlos de Carva-lho, e da diretora de Contedo da publicao, Raquel Belarin. Uma rplica do trofu tambm foi entre-gue aos gerentes-gerais das seis regionais da Sanepar do Paran.

    Para o presidente Mounir Chaowiche, a premiao o reco-

    nhecimento do trabalho da equipe da Sanepar e da ampliao dos investimentos na companhia. um reconhecimento da dedicao, do profissionalismo e da compe-tncia dos funcionrios da Sane-par, que tm um conhecimento tcnico na rea de saneamento que referncia no Brasil e no mundo, afirmou Chaowiche.

    Hoje a Sanepar tem o melhor ndice de tratamento de esgoto do Brasil e leva gua de qualidade a 100% dos paranaenses. Este prmio transmite a eficincia do trabalho da companhia, disse ele.

    CRITRIOS O prmio Valor 1000 avalia oito critrios tcnicos para chegar empresa de des-taque de cada setor. A anlise desses critrios muito rgida, feita pelo Valor Econmico, que o maior jornal de economia e negcios do Pas, explicou Luiz Carlos de Carvalho.

    No resta dvidas que o desempenho da Sanepar no ranking fruto do esforo que o governo estadual faz para valori-zar a companhia e do trabalho de cada um dos funcionrios. Como so ndices tcnicos, que vo alm das decises polticas, o

    mrito leva em conta as prticas de gesto da empresa e a atuao de cada um, ressaltou.

    INVESTIMENTOS Entre 2011 e 2014, a Sanepar investiu R$ 2,5 bilhes em implantao, ampliao e melhorias nas redes de gua e esgoto dos municpios paranaenses. Para o perodo de 2015 a 2017, a previso de R$ 2,7 bilhes. Presente em 345 municpios, a companhia atende a uma populao de 10,8 milhes de pessoas com gua tratada e mais de sete milhes com coleta e tratamento de esgoto.

    PRESENAS Participaram do evento com os funcionrios da Sanepar o secretrio Chefe da Casa Civil, Eduardo Sciarra; os secretrios estaduais da Sade, Michele Caputo, e do Planeja-mento e Coordenao Geral, Silvio Barros; o presidente da Compags e ex-presidente da Sanepar, Fernando Ghignone; o diretor-presidente do Instituto Lactec, Luiz Fernando Vianna, os diretores da Sanepar Paulo Alberto Dedavid (Operaes), Antnio Carlos Belinati (Comer-cial), Luciano Machado (Meio Ambiente) e Jlio Jacob Jnior (Jurdico).

    Richa recebe presidente da Provncia de TrentoParanAEN Notcias

    O governador Beto Richa recebeu, nesta quarta-feira (09), no Palcio Iguau, em Curitiba, o presidente da Provncia Autnoma de Trento, Ugo Rossi, que est no Estado acompanhado de uma comitiva de polticos, empresrios e representantes de diversas insti-tuies. Ficamos honrados com a visita de representantes da Provn-cia de Trento. O Paran e Curitiba tm a presena de diversas etnias, em especial a italiana, comuni-dade que contribui muito para com o desenvolvimento do Estado e sua capital, afirmou o governador.

    O presidente Ugo Rossi disse que a primeira vez que uma comitiva trentina vem ao Brasil com o interesse de estreitar as relaes institucionais e o inter-cmbio, principalmente com os estados da regio Sul, onde h maior concentrao de pessoas com nacionalidade italiana prove-nientes da regio de Trento.

    Neste ano, a imigrao trentina no Brasil completa 150 anos. Nos

    interessa estreitar as relaes com o Paran, porque aqui vive uma grande comunidade trentina. A troca de experincias, a relao comercial e o intercmbio cultural e educacional so importantes para os dois estados, disse.

    INVESTIMENTOS ESTRAN-GEIROS - O governador Beto Richa destacou a boa relao do Estado com diversos pases, o que tem possibilitado a entrada de investimentos estrangeiros no Paran. Intensificamos e fortale-cemos as relaes com represen-tantes de vrios pases, fazendo com que o Paran seja um estado bastante atrativo para quem quer investir com segurana, explicou.

    Ele afirmou que o programa de incentivo fiscal, a segurana jur-dica aos empreendedores ajudam o Paran a se consolidar como um polo industrial, principalmente no setor automobilstico.

    As aes do governo estadual para a melhoria da infraestrutura viria, o fortalecimento das empre-sas pblicas e a modernizao do Porto de Paranagu contribuem com a diminuio do custo de pro-

    duo no Estado e atraem inves-timentos de multinacionais como a Renault, Audi, Volvo, Paccar, Caterpillar e a japonesa Sumitomo. O poder pblico mantm um di-logo permanente e oferece incenti-vos para quem confia e investe no Paran, ressaltou.

    INTERCMBIO - A Provncia de Trento, localizada no Norte da Itlia, tem cerca de 500 mil habi-tantes. A economia do local base-ada principalmente no turismo, j que a regio montanhosa ideal para a prtica de esportes, como o esqui.

    Alm disso, de acordo com o presidente da provncia, Trento

    um grande polo educacional na Itlia, o que possibilitaria um inter-cmbio entre estudantes italianos e brasileiros. A Universidade de Trento a instituio de ensino superior com o maior aspecto de internacionalizao da Itlia. Temos um grande interesse de receber estudantes do Paran para trocar experincias nesta rea, afirmou.

    Rossi ressaltou, ainda, que o modelo cooperativista da provncia se assemelha com o Paran, o que tambm permitiria o estreitamento de parceria e uma troca de expe-rincia nesta rea entre os dois estados.

  • Sexta-Feira - 11 de Setembro de 2015Edio 1.3044 eDiTAiS

    PREFEITURA MUNICIPAL DE JAPIRAESTADO DO PARANEXTRATO DO CONTRATO N 037/2015-PMj

    TOMADA DE PREOS N 007/2015-PMj

    PARTES: MUNICPIO DE JAPIRA e a Empresa ENG9 CONSTRUO CIVIL EIRELI-ME.

    DO OBJETO - Constitui objeto deste instrumento a CONTRATAO DE EMPRESA DE ENGENHARIA PARA A EXECUO DA

    OBRA DE CONSTRUO DE 01 (UMA) UNIDADE DE EDUCAO INFANTIL, ESCOLA PRINFANCIA TIPO 2, RUA PROJETA-

    DA D, S/N, CENTRO.

    DO VALOR: Pela execuo dos servios, a CONTRATANTE pagar CONTRATADA o valor total de R$ 1.157.227,94 (um milho e

    cento e cinquenta e sete mil e duzentos e vinte e sete reais e noventa e quatro centavos), condies estas do 1 colocado, conforme

    Art. n 64 pargrafo 2.

    DA VIGNCIA: Prazo de vigncia do CONTRATO de 12 (doze) meses, a partir de sua assinatura.

    DO FORO: Fica eleito o foro da comarca de Ibaiti (PR), para dirimir dvidas ou questes oriundas do presente Contrato.

    Japira, 03 de setembro de 2015.

    WILSON RONALDO RONY DE OLIVEIRA SANTOSPREFEITO MuNICIPAL

    CONTRATANTE

    DEBORA VIEIRA COMPOYENG9 CONSTRuO CIVIL EIRELI-ME

    CONTRATADA

    CONSRCIO INTERMUNICIPAL PARA O DESENVOLVIMENTO DO TERRITRIO DO VALE DO RIO CINZAS -CIVARC

    CNPJ 08.976.528/0001-02

    TERMO DE RATIFICAODISPENSA DE LICITAO N 002/2015/CIVARC

    Objeto: LOCAO DE IMVEL NA ZONA URBANA PARA INSTALAO DOS MAQUINRIOS DE PADRONIZAO, E BENE-

    FICIAMENTO DE CAF DO CIVARC adquiridos atravs do contrato de Repasse n 0321671-04/2010/MDA/CAIXA, Convnio n

    732271 e Proposta Cadastrada no SICONV n 0255472/2010.

    Valor Contratual: R$ 36.000,00 (trinta e seis mil reais).

    Vigncia: 10/09/2015 10/09/2017.

    Com base nas informaes constantes do Termo de Justificativa de Dispensa de Licitao, Processo n 002/2015/CIVARC, referen-

    te locao do barraco situado na Avenida Joaquim Pedro de Oliveira, n 89 KM 06, bairro centro na cidade de Japira/PR, onde

    foi observado o previsto no Artigo 24, Inciso X, bem como instrudo conforme o estabelecido no art. 27 da Lei n 8.666 de 21 de

    junho de 1993, RATIFICO a referida dispensa, bem como encaminho o presente processo para o Departamento competente para

    as devidas providncias quanto aquisio do objeto em epigrafe.

    Publique-se.

    Ibaiti/PR, 31 de Agosto de 2015.

    ROBERTO REGAZZOPRESIDENTE - CIVARC

    PREFEITURA MUNICIPAL DE JAPIRAESTADO DO PARAN

    CMARA MuNICIPAL DE CuRIVA - RESuLTADO DE LICITAO

    MODALIDADE: DISPENSA DE LICITAO N005/2015

    OBJETO: AQUISIO DE MATERIAL DE LIMPEZA, GNEROS ALIMENTCIOS E COPA E COZINHA PARA CMARA MUNICI-

    PAL DE CURIVA PR.

    ADJUDICADO FORNECEDOR: E.G.B. BUCCO GNEROS ALIMENTCIOS ME

    CNPJ: 03.269.143/0001-91

    Valor R$ R$ 3.602,15 (Trs mil, seiscentos e dois reais e quinze centavos)

    Curiva, 10 de setembro de 2015.

    COMISSO PERMANENTE DE LICITAO

    PREFEITURA DE SIqUEIRA CAMPOSESTADO DO PARAN

    AVISO DE LICITAO PREGO PRESENCIAL N 52/2015OBJETO: Aquisio de 01 (um) veculo zero quilmetro tipo van para passageiros, destinada ao Departamento de Sade do Muni-

    cpio, (conforme especificaes no Anexo I, do presente edital).

    PROTOCOLO at as 08h45min do dia 28/09/2015.

    ABERTURA: 28 de setembro de 2015 Hora: 09h00min.

    LOCAL DE ABERTURA: Prefeitura Municipal, Rua Marechal Deodoro n 1837, Centro.

    INFORMAES: Prefeitura Municipal - Tel: (43) 3571-1122.

    EDITAL COMPLETO www.doe.siqueiracampos.pr.gov.br.

    Siqueira Campos, 10 de setembro de 2015.

    MIRIAM DE SOuZA BARBOSA LEMESPREGOEIRA

    PREFEITURA DE SO JOS DA bOA VISTAESTADO DO PARAN

    TERMO DE ADjuDICAO

    O Pregoeiro Oficial do Municpio de So Jos da Boa Vista Paran, no uso de suas atribuies, comunica aos interessados

    e participantes do certame licitatrio referente ao processo n 66/2015 PREGO PRESENCIAL N 49/2015 REGISTRO DE

    PREOS, objetivando o Registro de Preos para futura e eventual aquisio de combustveis para veculos da frota municipal em

    trnsito para a cidade de Curitiba, Estado do Paran, que adjudica como vencedora do certame a empresa AUTO POSTO RAVA-

    NELLO LTDA, no valor total de R$ 58.875,00 (Cinquenta e oito mil oitocentos e setenta e cinco reais).

    So Jos da Boa Vista, 27 de agosto de 2015.

    WILLYS MANOEL BARBOSAPREGOEIRO OFICIAL

    PREFEITURA DE SO JOS DA bOA VISTAESTADO DO PARAN

    EXTRATO PARA PuBLICAO DE RATIFICAO E HOMOLOGAO DE DISPENSA DE LICITAAOREF. PROCESSO-AuTOS 72/2015

    Objeto: Aquisio de Relgios Ponto Digitais para a Secretaria Municipal de Educao.

    A Comisso de Licitaes da Prefeitura de So Jos da Boa Vista PR; para fins do art.24 inc. II e Lei Municipal n. 836/2015,

    em seu artigo 37, inciso II, da Lei de Licitaes, torna Publico, que o Exmo. Sr.Prefeito Municipal Pedro Srgio Kronis, proferiu

    deciso no processo em destaque supra, Ratificando a Dispensa de Licitao, para a Contratao junto a D.F. COMRCIO DE

    RELGIOS PONTO E SISTEMAS LTDA ME, que indicou o valor total de R$ 3.920,00 (Trs mil novecentos e vinte reais) tudo

    conforme documentado nos autos.

    SJBV, 09 de setembro de 2015.

    PEDRO SRGIO KRONISPREFEITO MuNICIPAL

    PREFEITURA DE SO JOS DA bOA VISTAESTADO DO PARAN

    EXTRATO PARA PuBLICAO DE RATIFICAO DE DISPENSA DE LICITAAOREF. PROCESSO-AuTOS 68/2015

    Objeto: Aquisio de Gneros Alimentcios da Agricultura Familiar e Empreendedor Familiar Rural, para atender o Programa PNAE

    (Programa Nacional de Alimentao Escolar), para as Escolas Municipais e Centro Municipal de Educao Infantil.

    A Comisso de Licitaes da Prefeitura de So Jos da Boa Vista PR; para fins do disposto na Lei n. 11.947/2009 e Resoluo/

    FNDE/CD n. 038/2009, e na Lei de Licitaes, torna Publico que o Exmo. Sr.Prefeito Municipal Pedro Srgio Kronis, proferiu

    deciso no processo em destaque supra, Ratificando a Dispensa de Licitao, para a Contratao junto a Jos Roberto Kochinski,

    que indicou o valor total de R$ 6.481,00 (Seis mil quatrocentos e oitenta e um reais), Roberto Barbosa, que indicou o valor total de

    R$ 520,00 (Quinhentos e vinte reais) e Marcos Kochinski, que indicou o valor total de R$ 6.475,00 (Seis mil quatrocentos e setenta

    e cinco reais), tudo conforme documentado nos autos.

    SJBV, data 10 de setembro de 2015.

    LuCLIA juC DIASPRESIDENTE DA COMISSAO DE LICITAES

    PEDRO SRGIO KRONISPREFEITO MuNICIPAL

    PREFEITURA DE SO JOS DA bOA VISTAESTADO DO PARAN

    EDITAL DE HABILITAO E QuALIFICAO DAS PROPOSTASREF: PREGO PRESENCIAL 49/2015 REGISTRO DE PREOS

    O pregoeiro oficial, Willys Manoel Barbosa, comunica aos interessados no fornecimento do objeto do prego presencial n 49/2015,

    que aps a anlise e verificao da documentao apresentada pela proponente, decidiu habilitar e qualificar a seguinte proponen-

    te, tornando-a vencedora do certame.

    N PROPONENTE ITENS VALOR TOTAL01 AuTO POSTO RAVANELLO LTDA. 01, 02, 03 E 04. R$ 58.875,00

    So Jos da Boa Vista-Pr, 27 de agosto de 2015.

    WILLYS MANOEL BARBOSA.PREGOEIRO OFICIAL

  • Sexta-Feira - 11 de Setembro de 2015Edio 1.3045

    EXPORTAO EM ALTAA alta da cotao do dlar est beneficiando os exportadores de gros do Paran. Com a diferena cambial os produtos brasi-leiros ficaram mais atrativos aos consumidores estrangeiros. A Administrao dos Portos de Paranagu e Antonina (Appa), no litoral do Estado, espera aumento de 71% no volume de exporta-es que vo passar pelos terminais, entre os meses de agosto e outubro.

    INVESTIMENTO EM CuLTuRAO Teatro Guara, em Curitiba, recebeu R$ 1,2 milho em investi-mentos. O valor foi aplicado em melhorias na estrutura do espao como a instalao de um novo ar condicionado no Guairinha, a substituio de todo o sistema de iluminao geral do edifcio-sede, compra de novos equipamentos e modernizao da ilu-minao cnica do Guairo. A economia obtida com a troca de alguns dos equipamentos de iluminao cnica de quase 80%.

    RECuRSOS LIBERADOSR$ 3,9 milhes foram depositados pelo governo estadual na conta de escolas da rede paranaense de ensino. O valor faz parte do Programa Fundo Rotativo, sendo que os recursos j esto disponveis para que os diretores apliquem na compra de itens necessrios como materiais de limpeza, lmpadas e de expediente para a escola.

    SERTANEjO uNIVERSITRIO A 8 Exposio Feira Agropecuria, Industrial e Comercial de Ponta Grossa, segue at tera-feira, dia 15 de setembro. Entre as atraes mais esperadas esto os cantores Luan Santana, Loubet e Csar Menotti e Fabiano. Haver ainda feira comercial, palestras tcnicas e leiles. Alm de uma praa de alimentao com lanches rpidos e pratos mais elaborados.

    ASSISTNCIA SOCIAL R$ 1,9 milho ser aplicado em aes sociais em 48 munic-pios, de diversas regies do estado. O recurso repassado pelo governo estadual auxilia na manuteno dos Centros de Refe-rncia de Assistncia Social (Cras), porta de entrada para os programas sociais, e dos Centros de Referncia Especializados de Assistncia Social (Creas), que atendem famlias que tiveram direitos violados.

    COMIDA DE BOTECO Acontece em Curitiba, o Festival do Po com Bolinho. O evento segue at o dia 27 de setembro. Mais de 30 estabelecimentos oferecem, a preo nico de R$ 8,90, o prato tpico de botecos da capital e Regio Metropolitana. As variaes vo desde o modelo mais tradicional com po, bolinho, cheiro verde e maionese, at verses incrementadas com lingia, barbecue de goiabada, conserva de pepino agridoce, dentre outras especiarias.

    NO SuDOESTEO Teatro Naura Rigon, em Pato Branco, no sudoeste paranaense, receber R$ 300 mil em investimentos. O valor oriundo da pre-feitura municipal e ser direcionado a substituio de poltronas, revitalizao do piso e a instalao de uma nova cobertura. Com as melhorias, o teatro passar de 585 para 418 lugares, isso porque os novos assentos sero maiores e ergonmicos, visando o conforto do pblico.

    ENTRADA GRATuITA O Museu Oscar Niemeyer (MON) tem entrada gratuita neste domingo, dia 13 de setembro. O dia conta com uma programa-o diferenciada, com visitas mediadas e oficinas de arte. o Domingo + Arte. Uma das atraes a visita guiada com o pro-fessor Jos Carlos Cifuentes, na sala Wifredo Lam o esp-rito da criao. Este tambm ser o ltimo dia para conferir a mostra, com 80 obras vindas do Museu de Belas Artes de Cuba.

    NAS RODOVIASFoi registrada uma reduo de 19,74% no ndice de acidentes e de 12,35% no nmero de feridos nas estradas estaduais, em comparao com o mesmo feriado de 2014, durante o feriado da Independncia. Segundo relatrio do Batalho de Polcia Rodo-viria, foram 122 acidentes neste ano, contra 152 no ano pas-sado nas estradas paranaenses.

    ATENO AOS TENDESO uso excessivo de smarphones pode causar dores nas mos e nos punhos. Nos ltimos anos, as queixas devido o uso pro-longado de tablets, celulares e laptops tm crescido conside-ravelmente em todo o mundo. O perfil dos pacientes fica entre adolescentes e jovens adultos. O diagnstico costuma ser o mesmo: inflamao dos tendes, j que h a sobrecarrega os msculos da mo.

    ESPAO ESPORTIVO Ser construdo um complexo esportivo no Jardim Jabar em Ponta Grossa. O espao contar com R$ 3,4 milhes em inves-timentos. A estrutura ter capacidade para 170 acomodadas nas arquibancadas, alm de salas para tcnicos, rea administrativa, vestirios, academia e quadra externa para prtica de basquete, vlei e futebol.

    LoCAL

    Funcionrios realizaram feijoada beneficente em prol da Santa Casa de Siqueira Campos

    De Siqueira CamposGilberto Gimenes

    Acontecer no prximo sbado, 12 a feijoada beneficente em prol da Santa Casa de Siqueira Campos.

    O evento organizado pelos funcionrios da entidade e ter toda renda revertida em benfeito-rias.

    O cupom para adquirir a feijo-ada vendido por R$20 e pode ser comprado com os funcionrios ou na recepo da Santa Casa.

    Segundo o presidente da Santa Casa, Claudio Guilmo o dinheiro arrecadado da venda dos cupons ser revertido principalmente na compra de medicamentos para a instituio.

    Ele lembra tambm que as pessoas que se interessarem devero comprar o cupom at na sexta-feira, 11, pois a quantidade de feijoada a ser feita depender da quantidade de cupons vendi-dos.

    claudio Guilmo, presidente da santa casa de siqueira campos diz que a renda da feijoada ser revertida principalmente na compra de medicamentos.

    Balano aponta que dvidas com penses alimentcias dobraram

    Pesquisa mostra que aes de cobrana aumentaram 50% em Londrina. N de processos pedindo pela reduo do valor cobrado tambm cresceram

    BrasilDo G1 PR

    Um balano da Justia Estadual aponta que as dvi-das e os pedidos de dimi-nuio do valor de penso alimentcia em Londrina, no norte do Paran, dobraram desde janeiro de 2015. mais um reflexo da crise econmica que est mexendo com o ora-mento das faml ias. Alguns devedores esto parando na cadeia e at mesmo em cadas-tros do Servio de Proteo de Crdito usado por comercian-tes por no pagarem o valor estipulado pela Justia.

    No escritrio jurdico da Universidade Estadual de Lon-drina (UEL) as pastas que se acumulam so um termme-tro da crise. Alm de pessoas cobrando valores de pen-ses alimentcias em atraso, cresceu a procura de quem

    tem que pagar, mas no est suportando o valor.

    "A Justia vem fixando o valor de penses alimentcias entre 20% e 30% de um sal-r io mnimo, e nem esse valor algumas pessoas esto con-seguindo pagar", constata o diretor do escritrio jurdico da UEL, Henrique Afonso Pipolo.

    Nas varas de Famlia do Frum de Londrina este impasse traduzido em nme-ros. As aes de cobrana de penso alimentcia em atraso aumentaram 50% desde o comeo de 2015. S em julho foram mais de 90 processos.

    O juiz Mauro Ticianell i , que cuida de 33 destes proces-sos, observou cobranas at de dvidas de baixo valor que antes eram ignoradas pelas faml ias. Ticianell i tambm percebeu que a crise fez as pessoas f icarem mais toleran-tes e dispostas a um acordo.

    "Nas audincias temos per-cebido que as pessoas esto mais compreensivas. Alguns parcelamentos de execuo h um pedido de mais prazo para acertar a conta", explica o juiz da Vara da Famlia.

    De acordo com o juiz, alm de cobrana de parcelas em atraso, aumentaram tambm os pedidos para diminuir os valores das penses.

    "A dif iculdade de natu-reza econmica. Quem tinha dois ou trs trabalhos, perdeu um. Algumas pessoas que tm apenas um emprego esto de aviso prvio", detalha Mauro Ticianell i .

    Quem no paga a penso alimentcia pode ter a conta bancria bloqueada, bens penhorados e at ir para a cadeia. A lei autoriza a priso de quem acumula trs parce-las em atraso. Atualmente trs homens esto detidos em Lon-

    drina por este motivo.Outra estratgia que

    passou a ser adotada para pressionar os devedores o registro das dvidas em rgos como o Servio de Proteo de Crdito (SPC) usado por comerciantes.

    " uma novidade que surgiu h no mximo dois anos. O protesto e o registro dessa dvida no Servio de Proteo ao Crdito fazem com que o devedor busque regularizar a dvida mais rapidamente", explica o juiz.

    O juiz fr isou tambm que o importante no deixar que a situao chegue a um ponto extremo. As faml ias precisam buscar uma soluo antes do risco de priso ou mesmo de inscrio em cadastro de devedores. Essa uma forma de evitar despesas extras com custas judiciais e cartrio, por exemplo.

  • 6Sexta-Feira - 11 de Setembro de 2015Edio 1.304GerAL

    Em reunio com ministros, Dilma pede anncio de cortes nos gastos

    Presidente negou que o cenrio ps-rebaixamento seja catastrficoBrasilFOLHAPRESS

    Em reunio de emergncia com sua coordenao poltica, a presidente Dilma Rousseff negou nesta quinta-feira (10) que o rebaixamento da nota de crdito do Brasil configure um cenrio catastrfico para o pas, mas pediu urgncia para sua equipe anunciar cortes de gastos pbli-cos, incluindo principalmente os relacionados reforma admi-nistrativa, que seria concluda somente no fim do ms.

    Durante a reunio, a presi-dente disse a sua equipe que preciso ter unidade dentro do governo e agilidade e urgncia na definio de cortes de des-pesas. S depois, segundo ela, o Executivo vai negociar com o Congresso medidas de aumento de receitas, transitrias, at conseguir o reequilbrio das contas pblicas.

    Segundo assessores presi-denciais, as medidas de cortes de gastos sero anunciadas nos

    prximos dias, no descartando a possibilidade de algumas delas serem anunciadas ainda nesta quinta, em entrevista coletiva do ministro Joaquim Levy (Fazenda), prevista para o incio da tarde.

    O governo promete cortar na carne e, alm disto, ser feito um pente fino nos programas sociais, para melhorar a gesto destes gastos e combater frau-des caso elas ainda existam. Est descartado, porm, cortar progra-mas de transferncia de renda, como o Bolsa Famlia.

    Nesta quarta-feira (9), a agn-cia Standard & Poors rebaixou a nota de crdito do Brasil de BBB- para BB+, tirando dessa forma o selo de bom pagador do Brasil e a avaliao de Dilma que o governo precisa emitir sinais de segurana ao mercado o quanto antes.

    Um dos participantes da reu-nio disse que as medidas de cortes sero anunciadas to logo fiquem prontas, buscando sina-lizar para o Congresso e o mer-cado que o governo far sua parte

    para atingir a meta de supervit primrio de 0,7% do PIB (Produto Interno Bruto) no prximo ano.

    A reunio foi marcada de emergncia na manh desta quinta e pegou de surpresa o vice-presidente Michel Temer e os ministros que participaram do

    encontro. Entre eles, Joaquim Levy (Fazenda), Aloizio Merca-dante (Casa Civil), Jos Edu-ardo Cardozo (Justia), Gilberto Kassab (Cidades) e Ricardo Ber-zoini (Comunicaes).

    A orientao da presidente deixar claro que o governo vai

    buscar cumprir a meta de super-vit primrio de 0,7% do PIB (Pro-duto Interno Bruto) no prximo ano.

    Para isto, ser fechado at a prxima semana um conjunto de medidas de corte de gastos e aumento de receitas para fazer

    um esforo fiscal da ordem de R$ 64 bilhes, o necessrio para zerar o dficit de R$ 34 bilhes previsto no Oramento de 2016 enviado ao Congresso e garan-tir a parte do governo federal no supervit do setor pblico no ano que vem.

    Vagas de emprego na regio

    Procurando vagas de emprego pelas cidades do Norte Pioneiro? Confira as vagas disponibilizadas

    pelas Agncias de Trabalhador da regio

    Norte PioneiroWendy Comunicaes

    Caso no seja da regio e tenha interesse em alguma vaga, pode entrar no site da Secretria do Trabalho (http://www.trabalho.pr.gov.br) e procurar pela Agncia de seu municpio. As vagas podem estar sujeitas a alterao durante o dia. Para melhor se informar importante procurar a Agncia.

    (DADOS DA SECRETRIA DE TRABALHO ATRAVS DO SITE OFICIAL)

    Andir 09 vagasAuxiliar de linha de produo

    (nove vagas)Cambar 01 vaga

    Eletricista de instalaes industriais (uma vaga)

    Curiva 73 vagasLinha de rea florestal (01

    vaga)Trabalhador de Extrao flo-

    restal, em geral (72 vagas).Jacarezinho 05 vagasAssistente Administrativo (01

    vaga)Auxiliar de almoxarifado (01

    vaga)Tcnico em Agropecuria (01

    vaga)Vendedor de comrcio vare-

    jista (02 vagas)Siqueira Campos 24 vagasCostureiro na confeco em

    srie (24 vagas).

    Movimento marca incio do processo de sada de Dilma, dizem congressistas

    BrasilFOLHAPRESS

    O lanamento do movimento pr-impeachment da presidente Dilma Rousseff, na manh desta quinta-feira (10), foi marcado pela presena de deputados e senado-res oposicionistas e integrantes de partidos aliados, por reiteradas crticas ao governo e por afirma-es de que o ato marca o incio do processo de afastamento da petista. Assistimos a uma grande mobilizao popular nas princi-pais cidades do pas, que est literalmente desgovernado. Esta-mos aqui para dizer sim ao pro-cesso de impeachment, afirmou o lder do DEM, deputado Men-

    dona Filho (PE).Tambm frente do movi-

    mento, o lder da minoria na Cmara, Bruno Arajo (PSDB-PE), disse que comeou o processo de afastamento da presidente. A sociedade est convencida de que o Brasil no vai para frente sob o comando de Dilma, afirmou o tucano.

    Ao todo, cerca de 50 par-lamentares compareceram ao evento no salo verde da Cmara. Eles seguravam bales personali-zados com a logomarca do movi-mento e mini-pixulekos, bonecos inflveis que fazem referncia ao ex-presidente Lula, entregues na tarde de quarta (9) pelo movi-mento Revoltados Online.

    Crtico do governo, o pee-medebista Jarbas Vasconcelos tambm esteve no evento desta manh. A sada da presidente Dilma inevitvel. importante que o PMDB tome conscincia disso para dar o exemplo. Estou convicto que ela cai, que a ficha dela vai cair.

    A deputada Cristiane Brasil, presidente do PTB sigla tambm integrante da base governista , discursou no evento. No que-remos uma troca de poder, que-remos devolver aos brasileiros a esperana de um futuro melhor. Em tom enftico, a deputada Mara Gabrilli (PSDB-SP) pediu que a presidente deixe o cargo. Se a senhora tem um pouco

    de amor ao pas, saia desse governo. O ato foi encerrado com os congressistas cantando o hino nacional.

    ApoioO principal objeto do movi-

    mento agregar apoio popular ao afastamento de Dilma. Para isso, os congressistas lanaram um site (www.proimpeachment.com.br) onde possvel acessar uma petio online.

    Vamos coletar o maior nmero possvel de assinatu-ras e, junto com a sociedade, os movimentos de rua e os par-lamentares, levar adiante esse movimento importante, desta-cou o lder do PSDB da Cmara, Carlos Sampaio (SP).

  • Sexta-Feira - 11 de Setembro de 2015Edio 1.3047 PoLiCiAL

    Mulher joga banana e chama senegals de 'macaco' no centro de Londrina

    Mulher tambm teria desferido um tapa contra o senegals e chutado a mercadoria dele; ela s parou ao ser contida por popularesDe LondrinaGuilherme Batista/ Bonde

    O senegals Ngale Ndiaye, que trabalha vendendo biju-terias em frente ao shopping Royal Plaza, na rua Maranho (centro de Londrina), foi alvo de ofensas racistas durante a manh desta quarta-feira, 9. O ambulante contou ao Bonde que uma mulher, moradora de um prdio localizado em frente ao ponto dele, o atingiu com uma banana e o chamou de 'macaco', 'preto' e 'ladro'. "Eu s dizia que no estava entendendo", afirmou Ndiaye, ainda pouco familiarizado com a lngua portuguesa.

    Conforme boletim de ocor-rncia registrado pela Polcia Militar (PM), a mulher tambm

    teria desferido um tapa contra o senegals e chutado a merca-doria dele. Ela s teria parado aps ser contida por comer-ciantes e populares que pre-senciaram a situao. "Entrei na frente dela e pedi para que parasse com aquilo", destacou o arteso Ildemir Antunes Lima, que trabalha no calado.

    No local da ocorrncia, os policiais receberam a informa-o de que a mulher suspeita de racismo tem esquizofrenia e praticou as ofensas durante um surto. Acionado, o Samu constatou o problema de sade e encaminhou a suspeita, na companhia de sua enfermeira particular, para o Centro de Ateno Psicossocial (Caps).

    Emocionado, o senegals afirmou que nunca havia sido

    alvo de xingamentos racis-tas at aquele momento. Em Londrina h um ano, Ndiaye mora com outros trs sene-galeses em um pensionato na rua Belm, na rea central. O ambulante disse que veio para o Brasil com a inteno de trabalhar. "Ganho dinheiro e mandou para meus pais, minha mulher e meu filhos, que con-tinuam no Senegal. S estou aqui para trabalhar, s para isso", frisou.

    Incomodados com a atitude da mulher, algumas pessoas que passaram pelo local logo aps o registro da ocorrncia pediram desculpas ao sene-gals. "Peo perdo em nome dela e do nosso pas", disse uma mulher. "A gente no assim", afirmou outro homem.

    Bando fortemente armado rouba R$ 30 mil de praa de

    pedgio no Paran

    De LapaRedao Bonde

    Ladres encapuzados e fortemente armados rouba-ram uma praa de pedgio na BR-476, na Lapa (regio metro-politana de Curitiba), durante a madrugada desta quinta-feira,

    10. De acordo com a Polcia Militar (PM), o bando rendeu os funcionrios, explodiu o cofre da praa e fugiu, em duas Renault Duster, levando R$ 30 mil. As informaes so da rdio Banda B.

    Ainda conforme a PM, os ladres trancaram os funcion-

    rios dentro das cabines antes da fuga. Ningum havia sido preso at o incio da manh desta quinta-feira.

    A polcia deve utilizar as imagens das cmeras de segu-rana da praa de pedgio para tentar identificar e localizar os assaltantes.

    Mulher apreendida por suspeita de trfico de

    drogas em Ibaiti

    De Ibait iGilberto Gimenes

    A Polc ia Mi l i tar de Ibai t i real izou uma operao na noi te desta quarta-feira, 9 para interceptar uma possvel t raf icante que estar ia v indo de Londrina. Aps receber a

    denncia de forma annima a PM foi at a Rodovir ia Municipal onde abordaram a mulher enquanto ela desem-barcava. Ao ser quest ionada se haveria drogas com ela, a suspeita conf i rmou que levava cerca de 150 gramas de cocana em suas roupas

    int imas. A mulher foi levada at a delegacia de pol c ia onde ela entregou dois paco-tes que somados pesavam 149 gramas. Uma pol ic ial mil i tar real izou uma revista minuciosa e encontrou mais 2 gramas de cocana com a mulher.

  • Sexta-Feira - 11 de Setembro de 2015Edio 1.3048 GerAL

    Rao com erva-mate para boi melhora qualidade da carneBrasilReinaldo jos Lopes/ Agn-

    cia FAPESP

    O resultado vem de uma cola-borao entre pesquisadores bra-sileiros e dinamarqueses, projeto que durou trs anos e desenvol-veu estratgias inovadoras para a produo de protena animal e de po.

    Apoiado pela FAPESP e pelo Innovation Fundation Denmark (antigo Danish Council for Stra-tegic Research), o projeto Po e Carne para o Futuro foi conclu-do com um workshop realizado no dia 28 de agosto de 2015 no Instituto de Qumica de So Carlos da Universidade de So Paulo (IQSC-USP).

    Alm do efeito positivo do mate sobre o rebanho bovino, a equipe verificou benefcios semelhantes na alimentao do frango de corte, descobriu maneiras mais eficientes e sau-dveis de produzir carne curada (como o presunto tipo parma ou a carne-seca) e estratgias para incorporar at 30% de farinha de mandioca fabricao de po em escala industrial.

    Conseguimos reunir de forma muito interessante uma equipe multidisciplinar que nunca tinha trabalhado junta, incluindo qumicos, microbiologistas, agr-nomos, engenheiros de alimentos e farmacuticos, fazendo experi-ncias que ainda no tinham sido tentadas no Brasil, disse Daniel Rodrigues Cardoso, professor do IQSC-USP e coordenador da ini-ciativa do lado brasileiro.

    Hoje, se algum quiser saber como determinada rao afeta o perfil metablico da carne, con-seguimos responder sem dificul-dade a essa pergunta graas ao projeto, disse.

    Alm da USP e da Universi-dade de Copenhague, participa-ram do projeto a Embrapa e duas empresas, a Centroflora (fornece-dora dos extratos de erva-mate) e a Novozymes (que colaborou com as enzimas usadas em diversos experimentos), alm de pesquisadores de outras institui-es. O investimento nacional na pesquisa ficou em cerca R$ 1,4 milho, com contrapartida idn-tica dos financiadores dinamar-queses.

    Macia e sem estresseDe acordo com os pesquisa-

    dores, h uma srie de indcios sobre os benefcios sade humana que podem estar ligados ao consumo do mate. possvel que a erva facilite o controle do peso e modere processos oxidati-vos e inflamatrios, por exemplo.

    Os efeitos do consumo do mate foram estudados em um plantel de cerca de 50 cabe-as de gado, que recebiam um extrato da erva em propores de 0,25% a 1,5% do total de sua rao.

    No houve mudanas no crescimento e na quantidade de carne obtida a partir de cada animal. Por outro lado, os pesqui-sadores verificaram, em primeiro lugar, que a carne se tornou mais macia e mais elogiada por consu-midores, em teste sensorial cego feito com cem pessoas.

    O desempenho foi melhor inclusive nos testes de fora de cisalhamento [feitos por um aparelho que verifica a textura da carne], disse Renata Tieko Nassu, da Embrapa Pecuria Sudeste.

    A anlise das diferentes molculas presentes na carne mostrou ainda um aumento sig-nificativo do cido linoleico con-jugado (CLA) nos bovinos que receberam o suplemento de mate.

    Essa substncia, explica Car-doso, tem papel anti-inflamatrio e pode tambm auxiliar na dimi-nuio do nvel de colesterol de quem a consome. De quebra, atua como antioxidante ou seja, reduz a formao de molculas altamente reativas no organismo, que podem causar danos s clulas. Isso no s bom para a sade como tambm contribui significativamente para aumentar o tempo de prateleira da carne.

    Tudo indica que esse efeito benfico mediado pela atua-o do consumo de mate sobre as bactrias do sistema digestivo dos bois, favorecendo a multi-plicao de certos microrganis-mos. Isso, por sua vez, altera a maneira como o gado absorve nutrientes e, consequentemente, afeta a qualidade da carne.

    Alm disso, os pesquisado-res tambm observaram uma aparente reduo do estresse e melhora no bem-estar animal, o que tambm ajuda a melhorar a qualidade da carne.

    Para que a suplementao seja aplicada em larga escala

    nos rebanhos do pas, o prximo passo achar uma maneira mais econmica de oferec-la aos ani-mais, segundo explicou Rymer Ramiz Tullio, da Embrapa Pecu-ria Sudeste.

    A questo que, nos expe-rimentos, foi usado um extrato feito seguindo padres da inds-tria farmacutica, o que encarece o produto. preciso verificar se a administrao direta das folhas de erva-mate tem o mesmo efeito ou ento usar o resduo que descartado na produo do extrato, o que tambm seria bem mais barato, disse Cardoso.

    Mais mandiocaAmpliar o potencial de uso

    da mandioca na indstria pani-ficadora mundo afora foi outro objetivo-chave do projeto. Como no h expectativa de expanso das reas de lavoura de trigo no planeta, incluir farinha de man-dioca em pes e outros produtos aumentaria a segurana alimen-tar de muitos pases, em espe-cial os de clima tropical.

    O grande desafio, conta a pesquisadora dinamarquesa Ulla Kidmose, da Universidade de Aarhus, compensar a ausncia da rede proteica de glten que est presente na massa de po feita exclusivamente com trigo.

    J a mandioca pratica-mente s amido, com pouqus-sima protena. E justamente o glten do trigo que aumenta o volume do po e d a ele uma textura mais suave, duas coisas que, para a indstria, fazem muita diferena, explicou.

    Essa dificuldade, no entanto, foi contornada graas escolha da variedade de mandioca mais apropriada para a fabricao da farinha e ao uso de um coque-tel de enzimas que modificam ligeiramente o processo de fer-mentao da massa. Com tais ajustes, foi possvel fazer com que at um tero da farinha usada na produo do po fosse de mandioca.

    Ulla afirma que a tecnologia poderia ser transferida imedia-

    tamente para a indstria, sem muita dificuldade ou custo. O problema que eu vejo por enquanto de aceitao, ao menos no mercado europeu ou do hemisfrio Norte de maneira geral, porque pouca gente por l conhece a mandioca hoje, disse.

    Apesar das diferenas de clima, cultivares e animais de criao, Dinamarca e Brasil tm muitos interesses em comum na rea da cincia de alimentos, como destacou o coordenador dinamarqus do projeto, Leif Skibsted, da Universidade de Copenhague.

    Os problemas bsicos que temos de enfrentar so mais ou menos os mesmos, indepen-dentemente do pas, disse Ski-bsted, que visita a USP de So Carlos ao menos uma vez por ano desde 1998 e foi co-orien-tador de Daniel Cardoso durante o perodo em que o pesquisador brasileiro esteve na Dinamarca em seu doutorado-sanduche.