Jornal Central Notcias - 23 Edio

Download Jornal Central Notcias - 23 Edio

Post on 12-Mar-2016

244 views

Category:

Documents

19 download

DESCRIPTION

 

TRANSCRIPT

  • Grupo Mada Pax lana

    Plano Empresarial

    Maiores informaes na pgina 03

    Brasil Tetracampeo da Copa das Confederaes 2013

    Grupo Mada Pax lana

    Plano Empresarial

    Maiores informaes na pgina 03

    JornalCentral Notcias

    Nova expresso em JornalismoC- MG - A II E 23 - 02 DE JULHO DE 2013

    Comea o 33 Forr de Curvelo

    Comeando quinta e terminando no domingo dia 07, a maior festa p-blica de Curvelo comple-ta 33 anos de realizaes positi vas. Hoje, na Praa Central, comeou na Pra-a Benedito Valada-res, em 1981, que no prximo dia 14 come-mora seus 45 anos de inaugurao.

    A morena Cssia, de sor-riso franco e simpti co a

    garota da capa da edio. Filha

    de Jos Admon e Geralda Apare-

    cida, farmacuti -ca formada, presta

    servio Prefeitura de Inimutaba. Viajar o seu hobby prefe-rido.

    Maquiagem: Tamara Mendes

    Foto: Leandro Bustamante

    Veste Renata Bouti que

    Em jogo emocionante e com Maracan lotado com as cores verde e ama-relo, o Brasil parou a Espanha. Com atuao perfeita de toda a equipe, ven-ceu, a at ento, imbat vel Espanha e conquistou com mritos o trofu de campeo da Copa das Confederaes 2013. O Brasil ainda teve: Jlio Cezar, melhor goleiro, Fred, arti lheiro, Paulinho e Neymar, craques da copa. Fred (2) e Neymar zeram os gols da grande nal. Felipo agora j tem uma equi-pe base para 2014.

    Cssia Moreira Teixeira

  • Jornal Central Notcias - Edio 23 - Pgina 02 - 02/07/2013

    A Polcia Civil de Minas Gerais e o UAI (Unidade de Atendimento Integra-do) fortaleceram a parceria, buscando agilizar a prestao de servios ao cida-do de Curvelo.

    No ms de Maio/2013, alguns servi-os do DETRAN/MG passaram a ser fei-tos atravs da unidade UAI de Curvelo, localizada na Rua Domingos Viana, 39 - Centro.

    Os servios do DETRAN que passa-ram a ser realizados no UAI so osse-guintes:

    a) Atualizao de endereo (sem alte-rao do municpio de emplacamento);b) Comunicao de venda;c) Entrega de CNH (quando devolvido pelo Correio);d) Entrega de CRLV (quando devolvido pelo Correio); e) Consulta a situao do veculo.

    IMPLANTAO DOS SERVIOS CONTOU COM A PRESENA DAS

    SEGUINTES AUTORIDADES.

    Sandro Adriano Marques (Super-visor do Inst. De Identi fi cao na UAI); Dr. Andr Pelli (Delegado Regional de Curvelo); Dra. Cristi ane Lima (Delegada Geral - Chefe do 14o. Departamento); Alexandre Lima Cabral (Gerente de Re-cursos Humanos da SEPLAG); Patrcia M. Mascarenhas de S (Coordenadora do UAI/Curvelo); e Ralton Canazart de Freitas (Gerente de Operaes da SE-PLAG).

    Os demais servios do DETRAN con-ti nuam sendo prestados normalmente pela Polcia Civil de Curvelo, localizada na Av. Dom Pedro II, s/n - centro - prxi-mo Igreja de So Geraldo.

    Encontrava-se desaparecido desta cidade de Curvelo desde a data de 08/04/2013, o menor LUIS CARLOS GONALVES DOS SANTOS, nascido aos 03/12/1997, fi lho de Zilda Maria Gonalves dos Santos e Luciano dos Santos Fernandes, conforme reds 2013-754016-001.

    Aps vrios levantamentos e investi gaes rea-lizadas pela Inspetoria de Investi gadores, o subins-petor Fred Marlus Danezzi recebeu a informao que o referido menor estava morando embaixo do viaduto localizado na Av. Silva Lobo c/ Amazonas, no bairro Gameleira na cidade de Belo Horizonte/

    MG. Diante das informaes, foi feito contato com

    o seu genitor Luciano dos Santos Fernandes, que acompanhou policiais civis at o local citado, tendo encontrado o referido menor morando juntamente com outras pessoas debaixo do referido viaduto.

    O menor ento foi resgatado pela polcia e en-tregue ao seu responsvel, terminando assim com vrios dias de angsti as e incertezas sofridas pelos seus familiares.

    A Polcia Civil de Minas Gerais, atravs de equipe

    de investi gadores da Delegacia Regional de Curvelo, conseguiu localizar, no dia 17/06/2013, a Sra. ANA PAULA MAGALI GOMES DA SILVA, portadora de pro-blemas psiquitricos, que estava desaparecida des-de 27/03/2010.

    ANA PAULA e seus familiares residem na cida-de de So Paulo. A Polcia Civil entrou em contato com a famlia da vti ma que deslocou-se at Curvelo para busc-la.

    A Polcia Civil deu todo apoio desaparecida, que aguardou pelos familiares na Sede da Delegacia Regional de Curvelo.

    Polcia localiza desaparecidos

    PARCERIA PARA ATENDIMENTO

  • Jornal Central Notcias - Edio 23 - Pgina 03 - 02/07/2013

    Nova Diretoria da Academia Curvelana

    de Letras

    D. Maria de Lourdes Exemplo de me e

    orientadoraA Academia Curve-

    lana de Letras esteve reunida no lti mo dia 3 para eleger sua nova diretoria para o bi-nio 2013/2015, que fi -cou assim consti tuda: presidente reeleito, Evandro Guimares de Paula; primeira vice--presidente, Tereza Cristi na Diniz Mourth; segundo vice-presiden-te, Geraldo Rodrigues lvares; secretria ge-ral, Maria da Conceio Drumond; secretria, Maria Auxiliadora de Paula Ribeiro; tesourei-ra, Ana Regina Masca-renhas Diniz; segunda tesoureira, Maria de Fti ma Coelho e Castro; bibliotecria, Maria da Conceio Fargnoli; se-gunda bibliotecria, Vil-ma de Arajo Simes; primeira oradora, Elza Pinto Alemo; segundo orador, Antnio Bento Neto; relaes pblicas, Paulo Dayrell de Olivei-ra. Aps a aclamao da nica chapa apresen-tada, tomou a palavra o presidente reeleito, Evandro Guimares de Paula, que teceu co-mentrio sobre as con-quistas de novos acad-

    micos que enriquecem a Academia com suas admisses, no ano an-terior. Falou tambm sobre os trabalhos reali-zados em 2012 e de seu propsito de projetar mais ainda a Academia no conceito de nossa so-ciedade, contando com o indispensvel apoio de todos os confrades e confreiras acadmi-cos. Os acadmicos da Academia Curvelana de Letras renem todas as primeiras teras-feiras dos meses, agora em sua sede-prpria, em ampla sala do anti go Cine Virgnia, cedida por cortesia da Prefei-

    tura Municipal de Cur-velo. A este respeito, o presidente Evandro, ao encerrar suas palavras, renovou agradecimen-tos pela grande colabo-rao ao sodalcio, por parte da Administrao Municipal, atualmente sob o comando do Pre-feito Maurlio Soares Guimares. Aps a reu-nio, foi servido farto lanche a todos os seus parti cipantes. A foto que ilustra este comen-trio do presidente Evandro, tendo ao seu lado a secretria execu-ti va, Maria da Conceio Drumond, em recente reunio da Academia.

    Presidente Evandro e secretria Conceio Drummond

    Maria de Lourdes Pinto de Olivei-ra, curvelana autnti ca, e carinho-samente conhecida como D. Lourdi-nha, merece com muita justi a ter o seu nome ligado a histria de Curve-lo, pelas suas qualidades de me de famlia e educadora emrita.

    Nascida em Curvelo, aos 5 de no-vembro de 1922, Maria de Lourdes Pinto de Oliveira fi lha de Melcha-des Pinto de Carvalho e de Raymun-da Diamanti no Pinto de Carvalho. Pertece famlia de Joo Nepomu-ceno Pinto de Carvalho, o nico cur-velano nato a integrar a primeira C-mara de Vereadores do Municpio em 1832. Carinhosamente chamada de Dona Lourdinha, viva de Jason de Oliveira, comerciante, com quem teve os fi lhos Maria Helena, Maria Luza, Maria Ins, Jason Filho, Maria Stela, Alexandre, Margarida Maria, Francisco e Maria de Lourdes. Es-tes lhe deram os netos Lincoln fi lho, Alexandre fi lho, Jason Neto, Andr, Alex, Ana Lusa, Augusto, Joo Gui-lherme, Alexnia e Marina. Formou--se pela Ponti f cia Universidade Catlica de Minas Gerais PUC/MG (extenso de Curvelo), em 1972, com Licenciatura Plena em Mate-mti ca, realizando, durante o pero-do em que lecionava, vrios cursos de atualizao na rea da Matemti -ca em Curvelo e em Belo Horizonte. Dedicou-se inteiramente ao setor educacional lecionando matemti ca no Insti tuto Santo Antnio, de 1963 a 1982, e na Escola Estadual Bolivar

    de Freitas de 1965 a 1989. Parti ci-pou da Unio das Filhas de Maria e faz parte do clube da Amizade na Terceira Idade. Reside em Curvelo e se dedica ao lar e famlia. Gosta de ler, fazer palavras cruzadas, tric e bordado. Tem enorme orgulho do fi -lhos e netos, que lhe proporcionam alegria, amor e carinho, ao que ela corresponde com grande sati sfao. A voc Dona Lourdinha, homena-gem do povo curvelano que se orgu-lha de sua importante parti cipao na comunidade.

    O Jornal Central Not cias se or-gulha de ter a sua pessoa inserida em nossas pginas.

  • Jornal Central Notcias - Edio 23 - Pgina 04 - 02/07/2013

    PRAA BENEDITO VALADARES 45 ANOS DE HISTRIANo ano de 1968, a cidade de Curvelo foi palco de grandes eventos na programao de inaugurao da Pra-

    a Benedito Valadares. Do dia 11 ao dia 14 de julho muita festa comemorati va da inaugurao ofi cial daquela praa considerada naquela poca a mais bela de Minas Gerais . Nos anos que se seguiram, ela era a preferida para todos os acontecimentos importantes de Curvelo. E foi l em 1981, que aconteceu o 1 Forr de Curvelo na administrao Olavo de Matos, o prefeito que teve a responsabilidade de construir a mais bela de Minas. Agora, com o surgimento da Praa Central, ela j no mais a preferida para os grandes eventos; entretanto no se pode esquecer de sua importncia na nossa histria.

    E neste ms de julho, exatamente uma semana aps o Forr 2013 de Curvelo, ela estar completando 45 anos de existncia. E uma justa homenagem a tal importante data, o Jornal Central Not cias traz aos leitores a lembrana do acontecido no ano de 1968.

  • Jornal Central Notcias - Edio 23 - Pgina 05 - 02/07/2013

    SORRIA, DAQUI PRA FRENTE VOC ESTAR SENDO FILMADODia 17 deste foi dia importante de minha vida, ocu-

    pei tribuna livre da Cmara Municipal de Curvelo, numa luta solitria pelos interesses maiores de minha terra, solitria, mas vitoriosa, percebi ressonncia ao falar na cmara.

    Coincidentemente, naquele instante o Brasil inteiro nas ruas, numa das maiores manifestaes de nossa his-tria, um grito de basta corrupo, um grito de basta a esta deslavada compra de votos com migalhas ofereci-das aos menos favorecidos, uma vergonha esta bada-lao eleitoreira do bolsa famlia. Enumerei 14 descala-bros sobre Plano Diretor em Curvelo, enquanto o povo mostrava nas ruas os descalabros desta ditadura imoral estabelecida em nosso pas, ditadura covarde, tapeando o povo, passando por cima de nossa constituio a todo o momento, pela prtica sem escrpulos das medidas provisrias, temos de reagir, as pessoas que ocupam funo pblica devem trabalhar em benefcio de todos ns, no usarem suas funes em benefcio prprio ou de grupos manipuladores.

    Nossa ptria amada merece, precisamos estar aten-tos, tomando posio e a defendendo, com coerncia e ordeiramente.

    O cinismo dos polticos chega ao extremo quando distribuem tudo quanto bolsa, pegam nosso dinheiro contratam agncias de publicidade para fazer propagan-da enganosa pela busca do voto, superfaturam, roubam nosso dinheiro e enviam para parasos fiscais. Se manti-vermos esta postura de reao deste momento, a farra ter fim.

    Esta minha manifestao, ofereo ao povo de Cur-velo, e em especial ao meu saudoso primo, Henrique Boaventura Diniz , um dos fundadores do jornal Central Notcias, juntamente com nosso amigo Ernesto Ricardo, o Henrique me dizia, quero que este jornal mostre ao povo as realidades de Curvelo.

    ENTO VAMOS FALAR PARA NOSSA TERRA.

    Senhores 15 vereadores de Curvelo, o momento nico para todos vocs, nosso pas vive momento his-trico por esta autntica reao popular, ser um novo momento de nossa poltica.

    A cmara, em inicio de legislatura, est se preparan-do para legislar, so dez novos vereadores conhecendo o que representar o povo.

    Olhem pelo retrovisor, no repetindo o que pre-senciamos na legislatura anterior, uma cmara, inerte, frgil, incapaz de exercer suas funes de fiscalizadora do poder executivo, no foi capaz de apurar denncias feitas por gente do povo, ao no abrir CPI para apurar, o que poderia ser chamada CPI do Plano Diretor, CPI esta que apuraria a maior manipulao de nossa histria, o que provocou prejuzos irreparveis para Curvelo.

    Nossa forma de fazer poltica at aqui tem sido mes-quinha, muito comum presenciarmos por este Brasil afora, bases partidrias do Poder Executivo determinan-do quem ser o presidente das cmaras municipais, ati-tude que estampa duas situaes;

    - sendo jogada pelo ar a integridade dos senhores vereadores, o fiscalizado no pode definir quem co-mandar o poder fiscalizador, tremenda e inconcebvel deformao da tica;

    - claramente ficando evidenciado que o prefeito pre-tende ser absoluto, e assim acontecendo, o Poder Legis-lativo, deixa de exercer suas funes constitucionais de poder fiscalizador do Poder Executivo, a, deixa de ser legtimo guardio do efetivo cumprimento das leis, pas-sando exercer o desonroso papel de simples servial das vontades do prefeito.

    Acredito muito que ser possvel que senhores ve-readores passem limpo nosso Poder Legislativo, como cidado peo:- tragam o povo pra dentro da cmara;- destampem atuao do Legislativo, quem sabe criando ouvidoria legislativa;- fiscalizem com determinao as aes do Poder Execu-tivo, apontando com agilidade as falhas, apresentando sugestes, lutando com todas as foras, com lealdade e desprendimento, pelos interesses do povo, sempre preservando o fator dignidade ;- saibam utilizar com sabedoria oramento de R$ 4.500.000,00 /ano, R$ 18.000.000,00 na legislatura, fora melhorias da arrecadao, muito di-nheiro;- no deixem de providenciar imediatamente assessoria de engenharia para a cmara, da mesma forma que contam com assessoria jurdica, se informem do Tribunal de Contas do Estado o quanto foi importante a insero desta assessoria tc-nica no Tribunal; - em assuntos tcnicos, no economizem consultoria es-pecfica, para deliberarem com segurana; - acreditem, os senhores vereadores podem fazer a dife-rena, ficando na histria pelas

    necessrias transformaes de nosso Poder Legis-lativo.

    Senhor prefeito municipal Maurlio Guimares, sor-ria, daqui pra frente estar sendo filmado.

    No tenha dvida, pelo que acontece hoje nas ruas, claro est, o povo se conscientizou que no mais deixar acontecer para ver como fica, o que j aconteceu por demais desonroso e prejudicial para nosso pas.

    muito importante que perceba, Curvelo precisa muito mais do que um bom gerente, precisamos de verdadeiro governante, que suas aes faam crescer a cada dia sua condio de lder, estamos sedentos por autnticos lderes, que trabalhem com viso do futuro.

    Prefeito Maurlio, daqui para frente, no mais se ga-nhar a partida furando o olho e quebrando a perna do adversrio, o momento ser outro, o Brasil ser outro.

    Se o jogo for assim, veremos estdio de concreto indo a baixo, sendo transformado em p.

    Daqui para frente senhor prefeito, ganhar a partida quem mostrar que realmente craque.

    Ganhar a partida quem for capaz de jogar com ca-tegoria, sabendo manter a bola no p, fazendo gols in-ditos, correndo com objetividade e leveza.

    Este o craque de que estamos precisando, assim sendo, a cada jogada fantstica at a torcida adversria aplaudir de p.

    Seja nosso Neymar, administre com sabedoria, pro-mova realmente o progresso de Curvelo, seja o prefeito de todos os curvelanos, indistintamente, cumpra esta promessa importante.

    Levante o tapete, (no d tempo de ningum o le-vantar ) tire tudo que debaixo tiver, se encontrar l algu-ma coisa que deixou, tenha humildade, assuma, corrija, e vamos em frente.

    Cuide deste grande patrimnio que a prefeitura tem, seus funcionrios, so sua fora, conheo muita gente boa que l est, j estive entre eles, mas seja im-placvel, afaste quem estiver sobre qualquer suspeita, no corra risco de se desgastar deixando no cargo quem desonra sua prpria condio de funcionrio pblico, preste muito ateno no que est dito neste pargrafo.

    Cuidado com os deslumbrados, um deslumbrado ocupando cargo estratgico que deveria estar sendo ocupado por tcnico especfico da rea, gera desgaste ao prefeito e s o atrapalha governar.

    Toro pelo senhor prefeito, pois, sou fantico torce-dor por Curvelo, estarei sempre presente, para ajudar, aplaudir ou criticar.

    Meus conterrneos, ao me envolver em luta pelo Plano Diretor, constatei que somos por demais omissos, enquanto o Brasil retumba, nos permanecemos frios, a vibrao que ecoa por todos os cantos de nosso pas no nos contagiou.

    Se quisermos pegar o trem das grandes transforma-es que todos vislumbram, a nvel municipal, temos de ser diferentes.

    Tenham certeza, soluo para todos os nossos pro-blemas sociais dependem de conseguirmos transformar os polticos ou substitu -los, hoje os cargos pblicos so transformados em empresas especializadas em roubar, j no temos mais polticos por idealismo.

    Os partidos polticos viraram instrumento de mani-pulaes para projetos de poder, em Curvelo, pratica-mente todos os partidos da base do prefeito eleito so dirigidos por amigos pessoais seus, a conveno do lan-amento da candidatura aconteceu no mesmo instante, mesmo local, com todos estes partidos reunidos, a n-tida falta de identidade e projetos dos partidos polticos.

    O problema que presenciamos em nosso pas tan-tas bandalheiras que as pessoas de bem se afastam, nin-gum toma conhecimento de nada, ningum participa nem procura se informar sobre o que acontece em volta,

    temos de mudar esta postura.Nunca em nossa histria aconteceu o que presencia-

    mos nas ruas, vejam como nossa presidenta mudou o tom e corre atrs de mostrar servio, muitas transfor-maes j esto acontecendo, mas se o povo recuar e acomodar, em pouco tempo vo continuar da mesma forma, nos roubando e nos fazendo de besta.

    A PEC 37 caiu, muito importante o papel dos senho-res promotores de justia continuando com poder de investigao, isto fundamental, agora, o problema acontecer denncia absolutamente consistente, o ci-dado tentando colaborar em defesa dos interesses do povo, e assistirmos promotoria de justia no investi-gando nada devidamente, perguntando raposa se ela comeu a galinha, claro que a raposa se dir alrgica a bicho de pena, isto no pode acontecer, assim aconte-cendo, estaremos sem retaguarda.

    Estes eventos esportivos tornaram - se estratgicos para balanarmos o Brasil, os efeitos das reaes do povo justificar tanto dinheiro gasto, o momento se tor-na muito oportuno por estar o Brasil destampado para o mundo.

    Para felicidade nossa, deflagrou se a campanha eleitoral prematuramente, a sede de poder falou mais alto do que a racionalidade estratgica das eleies, teremos tempo para nos recompor, reformulando nos-sa maneira de votar, avaliando calmamente o perfil de cada poltico, nas eleies grande parte dos que a esto perdero o posto. Importante a coincidncia da eleio ser no ano da copa do mundo, agora, presenciamos os grandes eventos nos servindo de ferramenta de reao, antes serviam para camuflar os arranjos e maracutaias.

    Conclamo todos os curvelanos, vamos mudar nossa histria, vamos ser participativos, vigilantes combativos, agindo de forma responsvel, construtiva, que a cada crtica seja anexada uma boa sugesto.

    Nossa omisso de hoje se converter em desastre para geraes futuras, est em nossas mos, fazendo di-ferente, os resultados sero diferentes.

    Indiferena neste instante enfraquecer esta grande oportunidade de virarmos a mesa, este movimento nas ruas, nem os melhores especialistas esto entendendo como aconteceu, mas real e legtimo, no podemos deixar escapar esta oportunidade de resgatar nosso pa-triotismo.

    Temos as credenciais para sermos uma grande po-tncia, se ainda no o somos por deficincia de vir-tudes, principalmente, presenciamos os responsveis se omitindo e os que usam a poltica como meio de vida ocupando todos os espaos.

    Finalizando, fundamentos da necessria reforma poltica, algumas ideias:

    - Os poderes, indiscutivelmente, tem de ser indepen-dentes, eliminar tudo que hoje se presta ao jogo da sub-misso, exemplo, acabar com emendas parlamentares, as transformando em verbas indicadas para cada muni-cpio, verbas a serem aplicadas em prioridades indicadas em oramento participativo dos municpios, aumentan-do simplesmente o coeficiente do FPM.

    - O prprio Poder Judicirio dever compor os tri-bunais com escolha fundamentada em critrios estrita-mente tcnicos, de forma transparente sendo mostrado sociedade.

    - S ocupar cadeira em tribunal magistrados de car-reira e que prestaram concurso pblico.

    - Procuradorias, nas trs esferas, federal, estadual e municipal, terem seu corpo tcnico de carreira, por con-curso pblico, sendo procurador geral escolhido pelo chefe do Poder Executivo, profissional que no pertena ao corpo tcnico efetivo, contratado para cumprir aque-le mandato, como cargo de confiana.

    - Por fora de lei especfica, proibio de elementos que compem Poder Judicirio e procuradorias, de plei-tearem cargo eletivo nos poderes, Legislativo e Executi-vo, a menos que renunciem, de forma definitiva s suas funes.

    - Dentro do Poder Judicirio, definitivamente, no poder acontecer manifestaes de tendncias poltico partidrias.

    - Promover todas as aes necessrias para que asse-gurada fique a independncia entre os poderes, o Poder Judicirio dever contar com dispositivos para que aes populares tenham prioridade.

    Valrio Diniz MourthEngenheiro Civil

    EMAIL : valeriodiniz@hotmail.com

  • Jornal Central Notcias - Edio 23 - Pgina 06 - 02/07/2013

    DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTENo ano em que completa seu cinquentenrio a Copasa recebe autoridades e estudantes na ETE Curvelo.

    CAMPANHA DO AGASALHO 2013Foi um grande sucesso a Campanha do Agasalho 2013 promovida pelos

    empregados da Copasa de Curvelo.Esse foi o sti mo ano consecuti vo da Campanha e, graas solidarieda-

    de e a grande contribuio de todos, foi possvel atender vrias enti dades assistenciais.

    Foram arrecadadas mais de 5 mil peas, entre roupas, sapatos e cober-tores doadas s seguintes enti dades assistenciais da cidade:

    Servas dos Pobres Sagrada Famlia - Bela Vista Servas dos Pobres - Centro Creche Santa Rita Alto Santa Rita Centro Esprita Caminho da Luz Assistncia Social Bom Pastor - Bom Jesus Centro Esprita Bezerra de Menezes - Maria Amlia Acolhimento Insti tucional Bem Querer Centro

    Agradecemos Rdio Comunitria, Rdio Clube de Curvelo, Rdio Cen-

    trominas FM e s Parquias da cidade pela divulgao em todo o perodo da Campanha.

    Agradecemos Compuway, Cordeiro Supermercados, Supermercado Paizo e Supermercados Santos que cederam um espao no estabeleci-mento para ser ponto de coleta.

    PARABNS A TODOS PELA INICIATIVIA, ALEGRIA

    E DISPOSIO COM QUE CONDUZIRAM A CAMPANHA!

    No dia 05 de junho de 2013, a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) abriu as por-tas da sua Estao de Tratamento de Esgoto (ETE) para receber alunos da E.E. Eurpedes de Paula, a imprensa local, representantes e autoridades de r-gos estaduais e do governo municipal.

    O grupo foi recebido na ETE pelo Encarregado Operacional da empresa, Lus Carlos Mariz de Jesus, pelo engenheiro Frederico Ozanan Mourth e pelo Analista Administrati vo Ezequiel Oliveira Neto.

    A visita comeou s 8:30h guiada pelo Operador Cristi an Fabiano S. Rodrigues a todas as instalaes

    da ETE, mostrando as etapas do processo de trata-mento de esgoto.

    Em seguida, com ajuda dos empregados da Co-pasa, os alunos fi zeram planti o de mudas de rvores nati vas do cerrado.

    Dando conti nuidade s comemoraes do Dia Mundial do Meio Ambiente, os convidados seguiram at o CEAM - Centro de Educao Ambiental, nas de-pendncias da Copasa, onde foram recepcionados com um lanche.

    O Senhor Paulo Dayrell de Oliveira, assessor do Prefeito e o Vice presidente da Cmara Municipal,

    Sr. Geraldo Moreira da Costa Filho falaram da im-portncia do trabalho da Copasa e a importncia de cada um cumprir seu papel de cidado, preservando o meio ambiente com pequenas ati tudes que fazem parte do nosso dia a dia.

    As comemoraes foram fi nalizadas com a apre-sentao de histrias e msicas pelo grupo de Con-tadores de Histrias da Copasa.

    essencial que todos se conscienti zem de que cuidar a melhor forma de preservar. Sendo assim, iniciati vas como essas so fundamentais para o de-senvolvimento sustentvel.

  • Jornal Central Notcias - Edio 23 - Pgina 07 - 02/07/2013

    EXAUSTOELIANE CANTANHDE

    BRASLIA Condenados pelo Su-premo tm mandato de deputado e, no bastasse, viram membros da Comisso de Consti tuio e Justi a.

    Um pastor de vis racista e ho-mofbico assume nada mais, nada menos que a presidncia da Comis-so de Direitos Humanos na Cma-ra.

    Um polti co que sara da presi-dncia do Senado pela porta dos fundos volta pela da frente e se ins-tala solenemente na mesma cadeira da qual havia sido destronado.

    O arauto da moralidade no Sena-do nada mais era do que abridor de portas de um bicheiro famoso. E o Ministrio Pblico, terror dos cor-ruptos, ameaado pelo Congresso de perder o papel de investi gao.

    A chefe de gabinete da Presidn-cia em SP usa o cargo e as ligaes a seu bel-prazer, enquanto a ex-brao direito da Casa Civil, afastada por suspeita de trfi co de infl uncia, monta uma casa bacana para fazer, possivelmente... trfi co de infl un-cia.

    Um popular ex-presidente da Re-pblica viaja em jatos de grandes empreiteiras, intermediando ne-gcios com ditaduras sangrentas e corruptos.

    Um ex-ministro demiti do no apenas em um, mas em dois gover-

    nos, tem voz em reunies estrat-gicas do ex e atual presidente, que aceitaram seu pedido de demis-so.

    Ministros que foram faxinados agora nomeiam novos ministros e at vice de governador tucano vira ministro da presidente peti sta.

    Na principal capital do pas, in-cendeiam-se denti stas, mata-se toa. Na cidade maravilhosa, os estu-pros so uma roti na macabra.

    Enquanto isso, os juros voltam a subir, impostos, tarifas e preos de alimentos esto de amargar. E os servios conti nuam pssimos.

    por essas e outras que a irri-tao popular explode sem lderes, parti dos, organicidade. Graas in-ternet e exausto pelo que est a.

    A primeira batalha foi ganha com o recuo dos governos do PT, do PSDB e do PMDB no preo das passagens. Mas, claro, a guerra conti nua.

    Transcrito do Jornal Folha de So Paulo 21/06/13

    Colaborao Dr. Carlos Mag-no do S. Gonalves.

  • Jornal Central Notcias - Edio 23 - Pgina 08 - 02/07/2013

    FALECIMENTOS

    Muito pesar na cidade pelo falecimento de Ar-lindo Camilo dos Santos, o popular Arlindo leiteiro. Nascido em 30 de maro de 1951, faleceu em 05 de maio de 2013. Deixa viva Maria Ceci Borges Santos, fi lhos Alessandro e Paulo Cezar e a sua paixo, a ne-ti nha de 05 anos.

    Ainda jovem, faleceu em Beag, onde morava, o contador Jos Migliardi Filho. Nascido em 10 de janeiro de 1953, faleceu em 18 de maio de 2013, deixando os fi lhos Walaci, Thiago, Cnti a, Natlia e duas netas.Nascida em 20 de outubro de

    1922, faleceu em Curvelo no dia 15 de junho do corrente ano, dona Eneia Ferreira Couti nho. Exemplar me de famlia deixa vivo, Carlos Couti nho dos Santos popularmente conhecido como Quirino e os fi lhos Geraldo, Eliana, Neuza, Pedro, Mar-cos e Edson Ferreira (In Memorian); irmos Vitria, Gerson e Arnaldo, 13 netos, 09 bisnetos, genro Carlos Mo-reira e nora Sandra.

    O vivo Quirino se notabilizou pelo grande futebol que prati cava, tendo atuado em grandes equipes e entre elas, So Cristvo do Rio de Janeiro. Em Curvelo, foi destaque no Esporte Clube Maria Amlia e Sele-o de Curvelo. Parti cipou ainda da Comisso Tcnica da Seleo de Fut-sal de Curvelo na campanha do Tri--campeonato Mineiro do Interior.

    Muito pesar em Curvelo pelo fale-cimento de D. Josepha Gomes de Lima, ocorrido no dia 07 de junho. Natural de Paulo Afonso, Bahia, nascida aos 18 de setembro de 1922, viva de Raimundo Soares Filho, vulgo Raimundo do Doca, sempre residiu no Bairro Bela Vista, cat-lica fervorosa, onde sempre parti cipava das obras sociais, ajudando os mais ne-cessitados, deixou netos, bisnetos, tetra-netos e os 07 fi lhos que lhe sobrevivem: Walter Soares do Nascimento, Jos Car-los Soares, Ccero Antnio Soares, Geral-do Eustquio Soares, Marcos Antnio So-ares, Gilberto Aparecido Soares e Vander Sidney Soares e 03 fi lhos j falecidos: Ma-ria Helena Soares, Raimundo Soares do Nascimento Neto e Divina Soares Souza.

    Nesta oportunidade, os familiares da falecida, agradecem sensibilizados a todos os parentes e amigos que compa-receram ao velrio e ao seu sepultamen-to e especialmente, o atendimento a ela dispensado durante a sua enfermidade, pelos mdicos, enfermeiros e demais funcionrios do Hospital Imaculada Con-ceio. A todos a nossa eterna grati do.

    A falecida ao lado do vivo Quirino

    Gente do SertoO tropeiro, geralmente de esti rpe reinol, foi um dos

    personagens mais notveis deste Pas. Durante anos se-guiu as trilhas serpenteantes dos caminhos com sua tro-pa, levando mercadorias a seu desti no.

    Joaquim Eugnio Pereira, meu bisav, descendente de famlia portuguesa, foi um deles. Inmeras vezes, na sua mocidade, fez o trajeto do Rio de Janeiro, capital do Imprio, a Formosa dos Couros, no serto de Gois. As-sim que ali chegava, recarregava a tropa de couros e outros produtos da terra e pegava o caminho de volta. A tropa seguia guiada por sua madrinha - mulinha toda enfeitada, agitando cincerros e guizos que indicava o caminho.

    Em tempos memorveis, quando a tranqilidade provinciana assentava-se sobre as famlias curvelanas, e o comrcio ti nha signifi cado expressivo na regio, havia aqui vrios ranchos de tropeiro. Dentre eles destacam--se: rancho Pereira Diniz, rancho Joo Pitanguy, rancho Terto Pena, e outros que a nossa memria no con-segue alcanar. Quando chegavam as tropas com seus balaios de lado a lado, carregados de mercadorias, no rancho de Joo Pitanguy, era uma festa para a criana-da. Corriam todas ao encontro dos tropeiros para serem presenteadas e brincavam sobre os balaios, numa sati s-fao contagiante. Dentre estes tropeiros, destacou-se To Barroso, alto, claro, de longas barbas brancas, fi gu-ra paternal e amiga, homem bom e atencioso com as crianas. Quando ele apeava no rancho, sempre trazia pra crianada panelinhas de pedra, do Serro do Frio. To Barroso, tambm conhecido como To Velho, nasceu num lugar chamado Vau, prximo a So Gonalo do Rio das Pedras, que seguindo em direo ao Serro, passa por Milho Verde, povoado constantemente visitado pelos turistas. Este velho tropeiro desfrutava de um largo cr-culo de amizades em Curvelo, razo pela qual demons-trava uma admirao especial pela cidade.

    noite, no rancho, os tropeiros reuniam-se, can-tavam e tocavam viola, tendo sua volta a constante presena da meninada. As modinhas encantavam os coraes nas noites enluaradas e com certo mormao, caractersti co do serto mineiro. A fi gura do tropeiro, portanto, muito contribuiu para a nossa formao his-trica, e at hoje povoa a imaginria fantasia das lendas.

    Jos Emlio Ferreira Soares

  • Jornal Central Notcias - Edio 23 - Pgina 09 - 02/07/2013

  • Jornal Central Notcias - Edio 23 - Pgina 10 - 02/07/2013 Jornal Central Notcias - Edio 23 - Pgina 11 - 02/07/2013

    VejaErnesto Ricardo

    GAROTA VEJA

    ANIVERSRIOS

    70 ANOS

    EMBAIXADA

    COROAO

    COMEMORAO

    DECORANDO

    ATENDIMENTO

    AGRADVEL

    RECEPO

    CASAMENTO

    PALESTRA

    BELEZA

    EM CASA

    CONVVIO

    EM FAMLIA

    MADA PAX

    LANAMENTO

    CORINTO

    CONFRATERNIZAO

    Casada com o Sr. Joo Soares Ribeiro, D. Alfa comemorou com fi lhos, netos e bisnetos os 83 anos de idade no dia 13 de maio.

    Completou 3 aninhos, a garota Gabriella na foto com os pais Carlos e Michele e irm Luana.

    A fazenda de Juvenal, vulgo Chefe viveu noitada super animada na celebrao do seu 70 aniversrio. L estavam: esposa Zuleica, fi lhos Cludia, Patrcia, Rosana, genros Wilson e Geraldo e netos Paulo Marcio, Fabricio, Ana Luiza, Joo Paulo, Pedro Augusto e Rafaela, amigos, parentes e convidados.

    No Campeonato Mineiro de Jnior 2013 o Curvelo Esporte Clube visitou vrias cidades mineiras, onde per-noitava e alimentava.

    Normalmente bem recebidos pelas suas direes, al-guns restaurantes fi caram marcados pelo bom ambien-te, atendimento e qualidade dos produtos oferecidos. Entre eles destacamos o Hotel e Restaurante Casa Nos-tra em Bocaiuva. Excelentes acomodaes e restauran-tes com requintado servio de refeies.

    Aconteceu no dia 28 de maio, coroao de Nossa Senhora, promovida pelo Insti tuto Carros-sel na Matriz de Santo Antnio. E l todo feliz esta-va o vov Rubem Serro aplaudin-do sua neta Ra-faela, fi lha de Da-vidson e Rosana Rocha.

    O ex-deputado Federal Virglio Guimares e seu fi lho Gabriel esto comemorando data muito signi-fi cati va acontecida no lti mo dia 19, quando veio ao mundo o neto e fi lho do tambm Deputado Federal Gabriel Guimares e esposa Bruna, garoto Leonar-do.

    A Uti lar sem nenhuma dvida, um orgulho dos curvelanos pela sua expresso comercial na regio; um exemplo de boa direo, competncia e fi no gosto do proprietrio Cludio Tanure. E ele no para. No lti mo dia 24, inaugurou mais uma loja com produtos de alta qualidade. Casa e Lazer o seu nome, situado no cruzamento da Rua Juvenal Borges com Antnio Olinto tem sido moti vo de altos elogios pelos mveis ali oferecidos ao pblico nas reas de lazer e decorao.

    Em mais uma ida na Federao Mineira de fu-tebol ti vemos o prazer de encontrar com aqueles que l esto no dia dia, sempre nos recebendo com muita cortesia e ateno. Presidente Paulo Scheti no, secretrio geral Dr. Rodrigo Diniz, di-retor Dr. Edmar, Bernard, Hlio Braz, Dr. Ricardo, Jackson, Olavo, Hernani, Silvia e Cati ta recepcio-nistas Regina e Erenilda, Chefe do Departamen-to de rbitos Jos Eugnio e o curvelano Rog-rio. Em consulta sobre Curvelo sediar a taa BH deste ano, h boas chances do fato acontecer. E tambm esti vemos na cidade do Galo. Bem re-cebidos pelo diretor de base, Mauro Srgio, l esti vemos tratando da possibilidade do clssico Atlti co x Cruzeiro no campeonato da categoria Jnior 2013, ser marcado para Curvelo no dia 13 de Julho na inaugurao dos novos refl ectores do Estdio Salvo Filho. Entendimentos sero realiza-dos entre Atlti co, Cruzeiro e Federao Mineira.

    o local onde est localizado o Bar do Ernane; conhecido pela sua especialidade (batata rechea-da), tem diariamente bom servio de refeies e variado ti ra gosto. Sob frondosas rvores; ele est localizado na Av. Bias Fortes, em frente a Rdio Clube de Curvelo.

    No dia 02 de Junho, a equipe feminina de futsal do Curvelo Esporte Clube que representou nossa cidade no JIMI em Corinto, fez a fi nal com Pirapora; confi rmando o seu total favoriti smo, com campanha invicta (Vitrias sobre Pompu, Trs Marias, Vrzea da Palma e Pirapora) sagrou-se campe de 2013 e teve recepo no Restaurante Acyolle com deliciosa pizza oferecida pelos proprietrios Leo, Hlio e Valdice.

    Na matriz de Santo Antnio, Kariny e Ronderson trocaram alianas, no dia 31 de Maio em bonita ceri-mnia com presena de amigos e familiares. Destaque para as charmosas damas Luciana, Emanuelle e Karol. Aps a cerimnia os convidados foram recebidos na casa de eventos O Quintal.

    No dia 22 de maio, a OAB de Curvelo, promoveu im-portante Ciclo de Palestras que teve como tema princi-pal a Lei 12.441/2011 Empresa Individual de Respon-sabilidade Limitada, proferida pelo professor Dr. Rodrigo Alves Pinto.

    Em mais uma promoo do jornal E agora? sob coordenao de Geraldo Magela, o concurso Beleza Negra Machado de Assis, masculino e feminino, realizado na AABB, revesti u-se de inteiro sucesso. No dia 22, com casa lotada, aplaudido e bem organizado desfi le, o corpo de jurados elegeu: Masculino 1 lugar - Rafael Rodrigues Soares, 2 lugar Vincius de Oliveira Lopes e 3 lugar Marllon de Oliveira Gomes. Feminino 1 lugar Claudiene Izabel Ferreira da Silva, 2 - Enlia Rodrigues da Rocha e em 3 lugar Eliane Maria dos Santos Alves. Coordenao de Geraldo Magela de Abreu; coreografi a de Alinne Mendes e patronos vereador Guerino Cardoso de Oliveira e esposa Flaviane Cardoso.

    Voc disca 3721-2303 ou 9810-5566 e em poucos minutos recebe em sua casa o peixe de sua prefern-cia: surubim, dourado, trara, em fi ls, postas e pores. O tele-peixe fi ca Rua Pacfi co Masca-renhas, 479 Centro.

    Dra. Sandra Lopes, Deputado Estadual Clio Moreira e Luiz Mrcio Viana em audincia com o governador de Minas Antnio Anastasia em busca de recursos para a concluso de obras do Insti tuto do Cncer do Hospital Imaculada Conceio de Curvelo.

    Em Curvelo e regio, o Restaurante do Z Carlos mantm h vrios anos, a fama do bom servio, respon-svel pela qualidade do famoso e gostoso peixe ali ser-vido. E o trabalho executado pelo proprietrio Z Carlos, sua esposa Sandra e fi lhos Fernanda e Felipe, tornou-se pea importante da engrenagem do famoso estabeleci-mento.

    No dia 10 de junho, o Grupo Mada Pax lanou mais um produto de sucesso: O plano Empresarial Mada Pax. Parti ciparam desse grande evento (da esquerda para a direita) o gerente administrati vo e comercial da Mada Pax Trs Marias, Thiago Arajo, o diretor presidente do Grupo Mada Pax, Marcelo Sil-vestre Dayrell, a gerente administrati va geral, Aline Dayrell Ireno Rocha e o Gerente Comercial Geral do Grupo Mada Pax, Bruno Pimenta Dayrell.

    Vale a pena conhecer o lanamento inverno 2013, moda masculina e feminina da Tapeboots. A casa que vem se destacando em Curvelo e regio em sua especia-lidade dirigida por Teresa Veloso na foto entre as suas atenciosas funcionrias Reginelle e Jusclia.

    Naquela vizinha cidade, trabalho de famlia, faz do Restaurante Central, local muito procurado para refeies. Os proprietrios Nilma e D, fi lha Isabela, e funcionrios Toca, Nilza e Lucinha trabalham em harmonioso conjunto para bem servir a clientela. Em todos os anos, como acontecido neste lti mo, no JIMI, a embaixada de Curvelo ali se alimentou.

    A Associao dos Aposentados Frequentado-res da Praa Benedito Valadares, realizou jantar de confraternizao no lti mo dia 28 de junho no Restaurante do Agnaldo, ex- Bar da Dora, com seu costumeiro atendimento na qualidade do card-pio. Num ambiente festi vo e descontrado foram homenageados os aniversariantes dos meses de maio e junho. Com cerimonial de Paulo Dayrell, ali esti veram, alm dos homenageados e associados, Haroldo P. Moura Filho, representando o prefeito Maurlio Guimares, Fernando Dayrell (AMCZ) e Er-nesto Ricardo, Jornal Central Not cias.

    Enfeitando a nossa coluna com seu olhar sonha-dor, a bela Lorranny Matoso, com seus 17 anos vai formar-se em Tcnica em Nutrio e Dietti ca no curso da PRONATEC/Senac em Sete Lagoas onde estuda. Ela fi lha de Tati anny e Clio Matoso.

    Familiares de Maria Soares Vargas, ofereceram a ela na comemorao de seus 90 anos de idade, toda grati -do por tudo que ela representou em suas vidas. Muita alegria na festa dos 90 no dia 15 de Junho.

    No Espao Estao no dia 11 de maio agito na comemo-rao do 1 ano de vida do garoto Bernardo, lho de Fred

    Corra e Ariane Gonalves.

    Palestrante Dr. Rodrigo, presidente da OAB, Dra. Marins M. Ascendino e Dra. Luciana Assis

    Meninas campes com o Presidente do Curvelo Esporte Clube, Ernesto Ricardo, com torcedor Jos Teixeira, com

    diretor do Departamento de Esporte Municipal Celso Pedras e esposa Marlene

    Vencedores do concurso Beleza Negra, coordenador Geraldo Magela e patronos Guerino e esposa

    Presidente Ernesto Ricardo _ Diretor Dimas Antnio e Professora de Educao Fsica Maila Cristi na no Casa Nostra do lti mo com-promisso de Curvelo em Montes Claros. No lti mo dia do forr,

    Dimas tem dupla comemorao, seu aniversrio

    No dia 01 de junho completou 06 anos a garota Ma-nuella, neta de Rubem Serro e Cleuza Soa-res Azevedo.

    Alfa e familiares

    Foto

    : Fer

    nand

    a Ba

    essa

    da

    Silv

    a/A

    rte

    em

    ngul

    os

  • Jornal Central Notcias - Edio 23 - Pgina 12 - 02/07/2013

    CENTRAL ESPORTES

    O TORCEDOR

    COPA DO MUNDO E OUTRAS ESTRIAS

    No dia 30 de outubro de 2007 a FIFA anunciou que a Copa do Mundo de 2014 seria no Brasil. Eu fui um dos que achei que a realizao de um evento deste n-vel seria muito bom para o nosso pas, pois os governantes brasileiros, nos trs nveis (federal, estadual e municipal), se-riam obrigados a realizar obras de infra--estrutura, que seriam um importante legado para a populao.

    Acreditei que rodovias seriam du-plicadas, aeroportos ampliados, metrs seriam construdos, hospitais recebe-riam investimentos, que haveria muito dinheiro para a educao e segurana pblica e que, acabada a Copa do Mun-do, receberamos um pas melhor.

    UM SONHO MINEIRO

    Ainda em 2007, aps o anncio da toda poderosa FIFA, vendo o Lula co-memorando, sonhei que Belo Horizonte certamente seria uma das importantes sedes. Por conhecer o Mineiro, imagi-nei que o governo faria obras mnimas no estdio para melhorar sua acessibi-lidade, seriam instalados assentos onde ficavam as gerais, e outras pequenas adequaes que, somadas a um bom banho de loja e alguns reparos em ba-nheiros e restaurantes, teriam deixado o estdio mineiro pronto para o evento...

    Do lado de fora, imaginei uma linha de metr que ligasse o centro da cida-de ao Mineiro, passando pela UFMG, sonhei com obras de modernizao nos aeroportos da Pampulha e de Confins, incentivo para ampliao da rede hote-leira, duplicao da BR-381 (conhecida como rodovia da morte que liga BH ao Esprito Santo), duplicao da BR-040 nos seus dois sentidos (Rio de Janeiro e Braslia) e construo de uma grande ala rodoviria que retiraria o trfego de veculos de carga do Anel Rodovirio em Belo Horizonte, alm de outras obras para melhorar o trnsito catico de nos-sa capital.

    PESADELO MINEIRO

    O Estdio Mineiro foi fechado em junho de 2010 para reformas, sendo gas-to, segundo anncio oficial, quase oito-centos milhes de reais em sua reforma.

    Os gnios conseguiram fechar o Independncia em dezembro de 2008 para reforma e somente reinaugur-lo em 2011, a um custo oficial de cento e vinte e cinco milhes de reais, deixan-do Belo Horizonte sem nenhum estdio para Atltico, Cruzeiro e Amrica manda-rem seus jogos.

    Este absurdo fez o governo mineiro investir mais vinte milhes de reais na Arena do Jacar, em Sete Lagoas, para adequar o estdio s normas de segu-rana e servir de palco do futebol minei-ro.

    Minas Gerais gastou, aproximada-mente, um bilho de reais na reforma de trs estdios e passou dois deles para a iniciativa privada. Mas, o absurdo no pra por a.

    No houve metr, no vimos du-plicao de rodovias, os investimentos em sade, educao e segurana foram pfios e ainda esto tentando fazer um puxadinho no aeroporto de Confins, s pressas, para no fazer muito feio du-rante a Copa do Mundo no ano que vem.

    PESADELO BRASILEIRO

    O valor gasto pelo Brasil na constru-o/reforma de estdios gira em torno dos vinte e oito bilhes de reais. Isto mesmo: R$28.000.000.000,00.

    Num pas com tantos problemas de transporte, sade, educao, segurana pblica, etc, etc, etc... no d para acei-tar tanto desperdcio de dinheiro pblico em estdios de futebol.

    Foram construdos estdios de pri-meiro nvel em cidades onde sequer existem times de futebol profissional disputando a 1. Diviso: Braslia, Cuia-b, Natal, Manaus. Alm disto, por influ-ncia do ex-presidente e corintiano Lula, est sendo construdo em So Paulo um estdio, com dinheiro pblico, para o Co-rinthians. revoltante!

    COPA DAS MANIFESTAES

    Durante o ms de junho assistimos ao evento teste da Copa do Mundo, a Copa das Confederaes. Se bem que, diante de tudo o que aconteceu no pas neste ms, ela bem que poderia ser cha-mada de Copa das Manifestaes.

    Com tanta coisa errada acontecendo e as lentes e microfones da imprensa do mundo inteiro apontadas para o Brasil, a tendncia de ocorrerem manifestaes j era grande.

    Mas o estopim da revolta ocorreu em meados de junho, quando a prefeitura de So Paulo resolveu aumentar as pas-sagens de nibus em R$0,20 s vsperas da abertura oficial da Copa.

    As primeiras manifestaes ocorre-ram em So Paulo e logo ganharam for-a e passaram a ocorrer em todo o pas. Milhares de manifestantes foram para as ruas e passaram a protestar.

    AINDA RESTA A ESPERANA

    As manifestaes ocorreram com grande intensidade e a populao pas-sou a protestar por todo o pas, com des-taque para os seguintes temas: corrup-o, gastana de dinheiro pblico, falta de investimentos em sade, educao, segurana e transportes pblicos, por uma reforma poltica e pelos graves pro-blemas de mobilidade urbana e intermu-nicipal.

    Os polticos inicialmente tentaram abafar o movimento com medidas do tipo me engana que eu gosto ou na base da barrigada, esperando que as manifestaes perdessem fora com o passar do tempo.

    Mas, ao contrrio, o movimento cresceu e obrigou os polticos brasileiros a tomarem uma srie de decises at ento inimaginveis: baixaram o preo das tarifas em vrias capitais, o Congres-so Nacional trabalhou at de madrugada votando projetos de interesse nacional, outros projetos foram analisados e vo-tados, enfim, o Brasil d mostras de que pode realmente mudar.

    E O TAL LEGADO?

    Depois de tudo o que aconteceu no pas, fica a lio de que ns no pode-mos continuar alienados politicamente, sem acompanhar de perto o que os go-vernantes esto fazendo.

    Tomara que o grande legado deixa-do pelas Copas das Confederaes e do Mundo seja a conscientizao poltica do povo brasileiro! #MudaBrasil

    PARA NO DIZEREM QUE NO FALEI DE FUTEBOL

    Parabns Seleo Brasileira, cam-pe da Copa das Confederaes 2013.

    INTERATIVIDADE Quem quiser mandar dvidas, co-

    mentrios e sugestes para esta coluna envie um e-mail para centralesportes@ymail.com. Teremos grande prazer em responder e comentar.

    Grande abrao,

    O TORCEDOR

    JIMI 2013 Positivo para Curvelo

    Acontecido na cidade de Corinto no perodo de 28/05 a 02/06, cidades da regio disputaram diversas modalidades, como: futsal masculino e feminino. Voleibol mas-culino e feminino, hand-ball masculino e femini-no e basquete. A cidade de Curvelo marcou boa presena conquistando dois trofus de campeo com as equipes femini-nas de vlei e futsal; tro-fus de vice em outras categorias e trofu de 1 lugar geral de aproveita-mento. As meninas do futsal feminino deram show com 04 vitrias

    sobre Pompu, Trs Ma-rias, Vrzea da Palma e

    Pirapora. Invictas e ainda com trofu de artilharia.

    Equipe campe do JIMI comandada pelo tcnico Bomba

    Em amistoso contra a cidade de Luz, Ernesto Ricardo, presidente e Milene capit da equipe exibem o trofu de campeo na presena da Secretria de Esporte Marivete, do Chefe de Departamento Celso

    Pedras e o vereador Edmilson (Pexim)

    Curvelo Esporte Clube - 75 anosA tradicional equipe rubro-negra de Curvelo fundada em 01/06/1938

    comemora neste ms os 75 anos de Histria; No prximo dia 13 de julho, a diretoria marca mais um texto na vida deste glorioso elenco. Ser a data de inauguraes e entre elas: ampliao e reforma dos vestirios, construo do restaurante Vermelho e Preto, reforma do gramado, restaurao das instalaes eltricas e hidrulicas e o principal, os novos reflectores com iluminao, passando dos 24.000 watts para 60.000. A programao est sendo elaborada e nela esto includas partidas de futebol, futebol society (quadra sinttica), futebol feminino e masculino. O Estdio Salvo Filho vai se tornando um dos melhores do estado e ainda com projetos para a prti-ca do esporte em todas as suas faixas etrias.

  • Jornal Central Notcias - Edio 23 - Pgina 13 - 02/07/2013

  • Jornal Central Notcias - Edio 23 - Pgina 14 - 02/07/2013

    BRASIL HOJE: POLTICA E DESENVOLVIMENTOO PT, parti do do atual governo, surgiu com

    o propsito de ser um parti do puro, a parti r do movimento sindical, com o apoio da igreja catlica e de intelectuais (era chique na po-ca).

    Cresceu tentando se posicionar como parti do revolucionrio, despretensioso pelo poder, com sede de denunciar. Mas sua prin-cipal bandeira, a ti ca, comeou a perder fora quando ganhou as primeiras prefeituras e os conchavos comearam a se fazer valer.

    Em 2002 ganhou sua maturidade junta-mente com o poder maior: Lula Presidente. Foi quando o Parti do teve que se livrar de anti gos companheiros (inclusive eu, autor desse texto, em 2003, escandalizado com o Escndalo do Mensalo) e abrir mo de convices e ideais. Honesti dade e princpios ti cos se afastaram dos centros de decises. Afastaram-se tam-bm, pessoas da melhor qualidade (dentre ou-tros, Leandro Konder, Carlos Nelson Couti nho, Plnio de Arruda Sampaio Jnior). Em seguida, a esquerda brasileira se desligou (Heloisa Hele-na, Chico Alencar, Luciana Genro e muitos ou-tros). A igreja catlica (Frei Beto e Flvio Arns) foi se reti rando... Por fi m, os intelectuais e os ambientalistas defi niti vamente se desvincula-ram, culminando com o desligamento de He-loisa Helena.

    Do seu projeto inicial, sobrou no PT o sin-dicalismo, mas controlado por amigos do Parti do imersos nos ministrios e nas estatais. Administram em seu favor vultosas verbas pblicas e ostentam polpudos salrios e bene-f cios para si e para os seus. O PT, portanto, em sua maturidade nada mais , seno o retro-cesso ao coronelismo arcaico fortemente en-raizado na polti ca brasileira desde os tempos coloniais.

    O governo diz que o Brasil, agora, uma nao em pleno crescimento econmico e destaque no cenrio mundial dos pases em desenvolvimento, os BRICs. Ser isso um fato? Ser isso um mrito da polti ca de desenvol-vimento brasileira? Ser que o Programa de Desenvolvimento Brasileiro implantado ps 2002 o responsvel pela evidncia do Brasil neste cenrio mundial?

    No devemos nos iludir. No nos entusias-memos. Nada disso polti ca! O processo de desenvolvimento do Brasil ocorre porque o mundo vai empurrando a economia.

    Se voltarmos para os pases em desen-volvimento, o Brasil o que tem o menor de-sempenho. A China um rolo compressor. Vai empurrando o mundo sem olhar para trs. O crescimento da China to pujante que nos faz esquecer os demais pases asiti cos que tam-bm tm os maiores ritmos de crescimento do mundo. A Coria do Sul, com um dos melhores sistemas de educao do mundo, d um show na maioria dos pases desenvolvidos. Os asiti -cos, no silncio e parcimnia, vm se tornando um bloco de crescimento, onde as economias se complementam (agricultura em alguns pases; fornecimento de matrias primas em outros; industrializao, onde se destacam a Coria do Sul, China e Japo); e servios em todos, porque todos os pases asiti cos vm investi ndo fortemente em educao. Esse pro-cesso de economia em bloco e sem barreiras, com preferncia a contratos bilaterais e inde-pendentes, obtm todas as vantagens compe-ti ti vas da proximidade e fceis acessos (quase sempre marti mo) e um enorme mercado de consumo.

    Enquanto a Europa discute o Euro e os EUA resgatam indstrias automobilsti cas e bancos, os asiti cos constroem infra-estruturas, produ-zem, educam suas populaes. Tudo isso sem burocracias e pouca corrupo. SEGUREM A

    SIA SE PUDEREM! Por outro lado, a Amrica Lati na pati na,

    tentando formar o tal bloco do MERCOSUL que nunca decola. Permanece a conhecida retrica polti ca: Onde vai ser a sede? Qual o pas lder? Qual a nacionalidade do prximo (... e do prximo... e do prximo) secretrio geral? Qual o assunto mais importante para a prxi-ma reunio, e quem ir apresent-lo? E por a vai... Nada caminha, nada se prope e nada se decide... E cada pas ou governante olha para o prprio umbigo. E acabamos todos perdidos em discusses incuas. Decises e aes sem-pre postergadas para a prxima reunio.

    Nesse ambiente o Brasil se destaca, no por ser mais gil economicamente ou ter uma melhor administrao polti ca. Mas por ter uma boa base industrial herdada dos anos 90 e formada por multi nacionais - as Mitsubishis, Toyotas, Samsungs e Bayers e TIMs e (...). Em-presas brasileiras? Sim, temos a Vale e a Petro-brs, produo extrati vista. Benefi ciam-se da ddiva da natureza e nada constroem, seno enormes monoplios protegidos pela polti ca de extrao mineral vigente. Portanto, nunca houve um processo polti co interno de edu-cao para o crescimento e sim, uma abertura de oportunidades para que os grandes grupos estrangeiros implantassem as suas tecnologias j desenvolvidas... E, consequentemente, one-rosas cobranas de royalti es.

    Apesar dos baixos investi mentos em infra--estrutura e da nossa total defasagem em quali-fi cao de mo de obra, transporte, comunica-o e gerao de energia, o Brasil conta com a sorte: Possui grande densidade populacional (portanto um mercado interno mais indepen-dente); maior auto-sufi cincia de insumos pri-mrios (ddiva da natureza) e melhor estrutura agropecuria, com maiores extenses de terra e tecnologias criadas nas dcadas de 70 e 80, porm, ainda permanecemos dependentes de tecnologias de ponta: Genti ca, defensivos e equipamentos.

    Tivemos ainda a sorte de descoberta de enormes jazidas de petrleo (pr-sal), com as quais no estamos sabendo como lidar. Se dependssemos de decises e aes polti cas, estaramos totalmente estagnados.

    E os demais pases em crescimento (os chamados BRIC)? A Rssia tem sua herana de educao, industrializao e tecnologia her-dadas do anti go socialismo e abundncia de matrias primas, mas pati na na sua enorme estrutura burocrti ca e de corrupo, tambm herdadas de outros tempos. Convive tambm com srias divergncias tnicas e culturais mui-to limitantes para os investi dores. A ndia, ape-sar de pesados investi mentos em educao, conta com a vantagem de enorme disponibili-dade de mo de obra com lngua inglesa, mas tem a grande desvantagem de um desequil-brio social gritante e muitas disputas de etnias com divergncias religiosas e culturais. Tm srios confl itos de fronteiras internacionais. A frica do Sul, com pouco peso econmico, pos-sui apenas um quarto do tamanho da econo-mia brasileira. Conta com suas reservas de ouro e pedras preciosas e herdou a indstria deixada pelos ingleses.

    Por excluso, o Brasil acaba sendo uma op-o nas decises de investi mentos dos capitais estrangeiros com enormes vantagens fi nancei-ras, enquanto os polti cos vo se vangloriando dos louros do crescimento, como se esti ves-sem contribuindo com alguma coisa. At quan-do tudo isso vai durar?

    E h quem diga que o Lula mudou o Bra-sil. Ser que mudou para melhor?

    Messias de Jesus Antunes

    VENDE-SE VENDE-SE VENDE-SE

    Apto em Belo Horizonte, bairro Graja, 4 quartos,

    sendo 1 sute, quarto de empregada, sala,

    copa, rea de servio, 2 vagas na garagem,

    excelente localizao.

    Tratar: (38) 9911-4444

  • Jornal Central Notcias - Edio 23 - Pgina 15 - 02/07/2013

    Apaixonados por Vinho

    VINHOS QUE PASSAM POR MADEIRA

    Duda Ennes Alves, formada em Sommelier pela ABS-MinasProprietaria da loja TO BUY - presentes e acessrios

    No exagero dizer, que praticamente todo grande vinho tinto se beneficiou do carvalho de al-guma maneira.

    Voc j deve ter observado as pessoas co-mentando sobre vinhos e ressaltando essa par-ticularidade. Esse foi envelhecido 12 meses em barril americano ou esse vinho no passa por madeira e por a vai...

    Mas afinal, por que alguns vinhos so arma-zenados em barris de carvalho e outros no? Qual o critrio? Quanto tempo armazenar?

    Os barris so feitos de carvalho, que como toda madeira, tem certa porosidade. Essa porosi-dade atua trocando oxignio com o ambiente, em micropartculas, durante o tempo em que o vinho est l dentro, ajudando-o a evoluir. Alm disso, na parte de dentro dos barris a madeira tos-tada (eles queimam com um maarico mesmo) e pode ser de vrios nveis (tostagem alta, mdia ou baixa) e isso vai ajudar a dar o sabor ao vinho.

    Ao longo dos sculos vrias madeiras foram testadas, mas o carvalho se destacou e hoje rei-na absoluto. Dentre as qualidades que fizeram do carvalho o grande vencedor esto: a maleabilidade, a resistncia, o peso, a impermeabilidade e, princi-palmente, os elementos qumicos, que ao reagirem com o vinho emprestam ao mesmo a complexidade que tanto desejamos e valorizamos.

    O carvalho pode aparecer na produo dos vinhos em dois momentos: na fermentao e na maturao.

    Embora o uso de ao inox venha se tornando cada vez mais comum na fermentao de brancos e tintos, muitos produtores ainda utilizam o car-valho na fermentao de seus melhores vinhos. Na fermentao podem-se utilizar grandes tonis de carvalho, que j no reagem quimicamente com o vinho, ou pequenas barricas de carvalho novo.

    Existem diversos pases que produzem bar-ricas, mas as mais comuns e mais encontradas so as francesas e as americanas. Cada uma com suas caractersticas especficas.

    Nem todo vinho deve ser armazenado em bar-ris de carvalho antes de ser engarrafado. Em via de regra, os vinhos que passam por esse proces-so so os que devem ter mais longevidade e que em sua vinificao tiveram uma maior estrutura e corpo. A sim a deciso do enlogo que vai contar (e claro, sua habilidade tambm ser muito impor-tante aqui).

    A madeira tambm tem taninos, que so tro-cados com o vinho durante esse perodo de arma-zenamento. Ou seja, a utilizao da barrica uma forma de afinamento do vinho, que tem o intuito de torna-lo mais macio e gostoso de beber.

    J uvas tintas como a Cabernet Sauvignon, Merlot, Tannat, e muitas outras gostam de descansar um pouco mais. Em troca elas nos pre-senteiam com mais sabor e no caso dos grandes vinhos, com muito tempo de envelhecimento.

    Embora o carvalho utilizado na fermentao contribua para a qualidade do vinho, no proces-so de maturao que a madeira tem seu papel de destaque, principalmente para os tintos, mas tambm para alguns poucos brancos (como al-guns Chardonnays).

    O carvalho francs considerado de melhor qualidade que o americano, emprestando mais complexidade para o vinho. Uma barrica de car-valho francs custa cerca de U$ 800, sendo um componente importante na composio do custo do vinho.

    Outro fator preponderante no processo de interao da barrica com o vinho a idade da bar-rica. Os grandes vinhos se beneficiam do uso de barricas novas, que possuem o mximo potencial de contribuio com a complexidade do vinho. Este potencial decai com o uso da barrica: aps 1 a 2 anos de uso os aromas resultante da tostagem j desaparecem e aps 5 anos a barrica no tem nenhuma contribuio qumica a dar para o vinho e, portanto, descartada.

    Em geral, as vincolas reservam as barricas novas para os grandes vinhos de sua linha e uti-lizam as barricas j usadas nos bons vinhos de segunda linha. No entanto, mais uma vez, o uso de barricas novas, barricas usadas ou uma mes-cla dos dois tipos uma deciso do enlogo em funo da personalidade que o mesmo deseja im-primir ao vinho.

    A queda da importncia da barrica (para a qualidade do vinho) com sua idade se reflete no preo da mesma. Por fim, o tempo que o vinho fica em contato com a barrica define o grau de influn-cia da madeira no vinho. A influncia do tempo de maturao se deve, basicamente, a trs fatores:

    Durante a maturao o vinho sofre um pro-cesso lento de oxidao, que resulta no amacia-mento do vinho.

    Durante a maturao o vinho passa por um processo de evaporao, que influencia na concen-trao do vinho.

    Durante a maturao ocorre a troca qu-mica entre o vinho e a madeira, sendo que esta troca aumenta com o tempo de maturao, com um processo de saturao gradativo se o tempo aumenta muito.

    O tempo de maturao varia muito de vinho para vinho. Para os grandes vinhos, um tempo en-tre 18 e 24 meses comum.

    Ultimamente temos visto alguns produtores se utilizarem de muita madeira, ou seja, deixarem vinhos por muito tempo dentro de barris. Isso pode torn-los pesados e com aromas muito for-tes de carvalho e tostados, descaracterizando o produto.

    Aqui vale tambm a regra do equilbrio e mui-tos j esto percebendo que isso no a melhor soluo. O que queremos mesmo so vinhos sabo-rosos, finos e delicados, no mesmo?!

    A partir de agora, ao tomar um vinho, tente buscar a informao de como ele foi fermentado e como foi maturado. Tente encontrar no vinho as influncias da madeira e tente associar carvalho com qualidade. Esta experincia simples pode aprimorar e muito a forma como voc degusta seus vinhos e pode ajud-lo a comprar melhor.

    Mais informaes na loja TO BUY WINE (38) 3721-6476

    Tim... Tim!!! At o prximo brinde!!!

    Projeto Amigo da Criana

    O Projeto Amigo da Criana uma insti tui-o legalmente cons-ti tuda, manti da pelo Rotary Club de Curvelo, com o irrestrito apoio da Prefeitura Municipal de Curvelo, atravs da Secretaria de Educao. A fi nalidade do projeto a de assisti r crianas que perambulam pelas ruas do Bairro Ponte Nova, adquirindo v-cios e desvio de condu-ta.

    O Rotary Club de Curvelo, a par dessa si-tuao de risco em que viviam as crianas do dito bairro, fundou a insti tuio mencionada, em parceria com a Pre-feitura Municipal que, por sua vez, cede pro-fessoras e pedagogas para cuidar da educa-o primria das crian-as em nmero de 50.

    As crianas recru-tadas recebem, alm das aulas curriculares, assistncia sade, alimentao orientada por nutricionista, ma-terial escolar, unifor-mes, entretenimento e tudo mais que lhes possa oferecer vida dig-na, longe das tentaes que perseguem nossa juventude, na atuali-dade. Acrescente-se a tudo isso o tratamento carinhoso e respeitoso que recebem de toda a equipe do Projeto.

    Para que possamos dar sequncia a esse trabalho de grande al-cance social, necess-rio se faz a parti cipao

    efeti va da sociedade curvelana, doando-nos dinheiro em espcie, alimentos, material es-colar, roupas, calados e tudo mais que possa ser ti l ao Projeto, ser bem vindo.

    Os contatos para aqueles que querem co-laborar, podero ser fei-tos atravs do telefone (38) 3721-1033 ou pes-soalmente, na Rua Silva Jardim, 245, no horrio comercial.

    Podero tambm ser contatados os com-panheiros que atuam diretamente junto ao Projeto, a saber: Ag-nalda Fernandes Costa, pelo telefone 3721-1187, Paulo Csar Frei-re Pereira, 3722-1617 e Maria Carmem Pereira, 3721-1824.

    O Rotary Club de Curvelo agradece a im-portante colaborao desse jornal, Central Not cias, pela divulga-o graciosa desta nota e tambm nossa Pre-feitura, na pessoa do Prefeito Maurlio Soares Guimares pelo incon-dicional apoio que nos tem oferecido.

    Deixamos aqui re-gistrado, nossa confi an-a no povo de Curvelo, estando certos de que estaro conosco nesta ao de solidariedade crist e fraterna.

    Paulo Dayrell de Oliveira

    Scio fundador do Rotary Club de Curvelo e portador do diploma

    Paul Herris

  • Jornal Central Notcias - Edio 23 - Pgina 16 - 02/07/2013