Jornal A Voz da Assembleia - Edição 083 - Março 2010

Download Jornal A Voz da Assembleia - Edição 083 - Março 2010

Post on 21-Dec-2014

2.816 views

Category:

Spiritual

12 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

TRANSCRIPT

<ul><li> 1. Igreja Evanglica Assembleia de Deus - Ministrio So Bernardo do Campo ANO XI - n 83 - SBCampo, 28 de maro de 2010 - secretaria-sede@uol.com.br site: www.iead-msbc.com.br TEMA 2010: A VOLTA DO SENHOR JESUS CRISTO e a conduta do cristo fiel e comprometido com esta esperana Reunio Geral de Obreiros em janeiro teve Consagraes e Remanejamentos A IEAD-MSBC consagrou, recebeu e reintegrou obreiros alm dos remanejamentos nas igrejas. Pg. 06 e 07 Leia 3 parte do artigo do Ev. Valter Borges acerca do relaciona- mento entre O Senhor Jesus Cristo e o Antigo Testamento. Pg. 09 Veja na coluna Louvor &amp; Adorao uma ma- tria interessantssima sobre os Salmos: O hinrio da antiga na- o de Israel. Pg. 10 Foram muito bons os resultados do ms de Orao realizado nas igrejas Assembleia de Aniversrio do Ministrio de So Bernardo: Sessenta Deus em fevereiro de anos de Igreja, no so sessenta dias. Aguarde!! 2010. Pg. 12 </li> <li> 2. 2 - maro de 2010 Opinio &amp; Editorial Jornal A Voz da Assembleia Pastor Presidente Tarcsio de Abreu O Senhor Jesus Cristo vem!! (Lucas 12.35-48) Bem-Aventurado aquele servo a quem o seu senhor, quando vier, achar fazendo assim. (Lucas 12. 43) No obstante as muitas incer- voltaria, repentinamente, a seme- nente. (2Tim.4:7-8). vador Jesus Cristo. tezas que assolam a vida huma- lhana do ladro que surpreende o f) A poro que caber aos in- Assim, movidos pela urgncia, na, gerando dvidas e preocupa- dono da casa quando vem. fiis (12:46) soa como uma grande tanto da obra de Deus, quanto da es, no texto acima, o evangelista c) A Bem-Aventurana do cren- advertncia queles que de manei- preciosa volta do Senhor Jesus Lucas registra as palavras do Se- te preparado (12:37,43). A vida ra imprudente teimam em desobe- Cristo, a Diretoria Executiva, com nhor Jesus, que nos traz uma men- bela, e vale a pena ser vivida, quan- decer o Evangelho de Cristo, eles intenso labor, alm das responsa- sagem de suma importncia e de do se vive na expectativa da volta sero banidos da presena de Deus, bilidades dirias dentro de So plena certeza de ocorrncia, que de Cristo, como os cristos de e sofrero desprezo e eterna perdi- Bernardo, tem empreendido mui- enche nosso corao de gozo e de Tessalnica (1Ts.1:6-10). o. tas viagens para realizar as reu- esperana diante das lies precio- d) Todos ns devemos estar an- Diante da realidade e da certeza nies do Corpo Ministerial das Re- sas que dela podemos obter, e den- siando pela volta do Senhor Jesus da volta eminente de Cristo, nosso gionais de nosso campo, envolven- tre elas destacamos: (12:40; Tito2:13). Olhai, vigiai e conselho a todos que tenhamos a do, nestas ocasies, atividades per- a) A certeza da vinda do Se- orai foram as recomendaes do suprema preocupao de buscar- tinentes a superviso, ordenao nhor: (12:36) O Senhor, que Senhor que foi e que vir. mos em primeiro lugar o Reino de de obreiros, ministrao de estu- fiel e verdadeiro, afirmou que Ele (Mc.13:33). Deus e a sua justia, e, com a aju- dos bblicos, gerncia das novas mesmo voltaria para levar os que e) Os servos fiis sero da do Senhor, ser mais diligentes construes etc., cumprindo as- so Seus. (Jo.14:1-3). galardoados (12:41-44). O Senhor no cultivo de uma vida de orao e sim, a intensa agenda administra- b) Que a Sua vinda seria ines- Jesus o Justo Juiz de que falou o santidade, e numa maior dedicao tiva, eclesistica e diretiva anual. perada (12:39), ou seja, quando apstolo Paulo ao terminar sua car- e comprometimento no servio de menos estiverem esperando, Ele reira de f, diante de sua morte imi- nosso bondoso e fiel Senhor e Sal- Onde est o Erro??!! por Pr. Daniel Perptua canarmos as bnos dos milagres com uma sincera converso o fazi- tria da Igreja Crist nos mostra de Deus. Quando estamos doentes am. Por outro lado, o cristianismo que enquanto a perseguio No raramente ouvimos pergun- a primeira coisa que lembramos era puro e, como no havia ajuda grassava entre os cristos havia tas, tais como: por que Deus no do convnio mdico. Quando Jesus da sociedade os crentes se achega- pureza crist, ningum sem conver- opera mais milagre como antiga- curou, mesmo distncia, o criado vam a Deus com f verdadeira e os so se atrevia a ser cristo, pois era mente? Por que h tantos crentes do centurio de Cafarnaum, fez a milagres aconteciam. Nesse tempo estar pronto a morrer a qualquer doentes e com problemas diversos, seguinte observao aos judeus: os crentes no tinham ajuda de au- hora por, professar-se seguidor de e no vemos uma interveno mi- nem mesmo em Israel encontrei toridades civis polticos, etc. ou Jesus. A partir do governo de lagrosa? Por outro lado, a gente faz tanta f. Para o cego de Jeric o de autoridades militares. O nico Constantino, o qual fez do Cristia- as seguintes perguntas: Por que os Senhor disse: V, a tua f te sal- socorro vinha de Deus, e para isso nismo a religio oficial do Imprio crentes, atualmente, no tm aquela vou. Em ambos os casos acima, os demandava f. Atualmente temos e cessou com as perseguies aos comunho com Deus, como antiga- protagonistas no tinham outro re- amigos e at crentes na poltica (go- cristos, pessoas sem converso mente? Por que o temor de Deus curso, depositando a f em Jesus. vernadores, deputados, senadores, alguma se fazia crist para estar do (que e o principio da sabedoria a A f que faz a diferena do cris- etc.). lado do imperador. Da por diante base de toda nossa vida espiritual) to, pois o justo vive da f, e sem Muitos crentes tm como meio o cristianismo foi-se degenerando, est desaparecendo de muitos cren- ela impossvel agradar a Deus. Se mais fcil, apelar a essas autorida- at chegar ao ponto em que verda- tes modernos? Talvez uma coisa sir- tivermos outros meios para resol- des, em detrimento da comunho deiros homens de Deus no supor- va de explicao para a outra. Cer- ver nossos problemas parte de com Deus. Porm pela facilidade taram a falcia de um cristianismo ta pessoa disse que somos muito li- Deus, evidente que iremos lanar temos que pagar certo preo, que meramente artificial; alguns desses geiros para julgar, mas no gosta- mo deles, pois no h a necessida- ficar mais longe da operao de homens morreram. Lutero teve o mos de ser julgados. Com tanta fa- de do exerccio da f, para a qual Deus, e v-lo deixar de operar mila- beneplcito de Deus para realizar a cilidade nas reas mdicas e hospi- imprescindvel a comunho ntima gres em nosso meio. Querido, de reforma crist. No queremos que talares, por convnios mdicos e com Deus. Em tempos passados ser quem vamos reclamar? A Bblia nos as perseguies voltem a acontecer, outros, a f no est mais sendo crente era motivo de preconceito diz que o homem s pode se quei- porm, antes de reclamar bom ver exercitada como deveria ser para al- pela sociedade, e somente aqueles xar de seus prprios pecados. A His- onde est o erro. A Voz da Assembleia Cremos: Diretoria da Igreja Evanglica Assemblia de Deus Ministrio So 1) Em um s Deus, subsistente em trs Cronograma Pessoas: o Pai, o Filho e o Esprito Santo; Bernardo do Campo: 2) Na inspirao divina e plena da Bblia A Voz da Assembleia Um Jornal a servio do povo de Deus Presidente: Pr. Tarcsio de Abreu Sagrada; Ano XI - n 83 - 28 de maro 2010 1 Vice-presidente: Pr. Srgio Bernardes 3) Na concepo virginal de Jesus; Prxima edio: 2 Vice-presidente: Pr. Francisco de Assis 4) Que o pecado degenerou o homem e Este um jornal evanglico publicado pela 3 Vice-presidente: Pr. Francisco Loureno que somente o arrependimento e a f em 09 de Maio/2010 Igreja Evanglica Assembleia de Deus 1 Secretrio: Dc. Allan de Almeida Jesus Cristo o pode restaurar a Deus; Ministrio So Bernardo do Campo 2 Secretrio: Pr. Daniel Perptua 5) Na salvao presente, imediata, com- CNPJ 59.162.313/0001-99, fundado em 1 Dir. Financeiro: Pr. Azuil Pereira pleta e perfeita e na justificao do homem; janeiro de 1999 por Pr. Jair E. Barbosa 2 Dir. Financeiro: Ev. Alaor Garcia. 6) No batismo bblico efetuado por Entrega material: Rua Mediterrnero, 680 - Jd. Mar - SBC imerso; Fone - Redao: (11) 2598-7000 As matrias publicadas podem ser 7) No Esprito Santo como a terceira pes- at 20 de Abr/10 e-mail: secretaria-sede2@uol.com.br reproduzidas, desde que seja citada a fon- soa da Trindade; Impresso: LTJ Editora Grfica. te e feita uma solicitao. 8) No batismo com Esprito Santo e na Solicitamos que as fotos sejam envia- O Editor responsvel pelos textos pro- atualidade e totalidade dos dons espiritu- das na resoluo 300 dpi e extenso Presidente: Pr. Tarcsio de Abreu duzidos pela redao. J os artigos assi- ais; JPEG; e os textos digitados no Diretor Executivo: Dc. Allan de Almeida nados so de responsabilidade de seus au- 9) Na Segunda vinda Pr-Milenial de Cris- Vice-Diretor-Revisor: Pr. Daniel Perptua to, em duas fases distintas; programa Microsoft Word. Pode ser tores e no refletem, necessariamente, a Editor e Jornalista Responsvel: opinio do jornal. 10) No Juzo vindouro que condenar entregue na Secretaria do Templo Ev. Valter Borges (Mtb/SP n 32609). os infiis, bem como, na vida eterna de Sede ou pelo e-mail: gozo, de justia e felicidade para os fiis. jornalavoz.assembleia@uol.com.br </li> <li> 3. Jornal A Voz da Assembleia Educao Crist maro de 2010 - 3 IEAD-M...</li></ul>