jornal 475

Download Jornal 475

Post on 28-Mar-2016

242 views

Category:

Documents

5 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edição 475 do Jornal Visão Oeste

TRANSCRIPT

  • A Prefeitura de Osasco fechou alguns dos principais bares e casas noturnas da cidade por falta de alvar de fun-cionamento. A fiscalizao foi intensificada aps a tragdia de Santa Maria (RS), que abalou o Brasil. Outras cidades tambm lacraram estabelecimentos. Em Embu das Artes, dez casas noturnas foram interditadas.

    Aps encontro nacional entre novos prefeitos e a presidente Dilma Rousseff, nesta semana em Braslia, o prefeito de Osas-co, Jorge Lapas (PT), anunciou que a prioridade participar de programas do governo federal voltados s reas da sade e educao. Lapas busca convnios com ministrios para a ins-talao de creches e novas unidades de sade.

    Em Barueri, proposta de cotas para casais gays em proje-tos habitacionais gera polmica e vista com ressalvas at pelo movimento gay. Precisa de ajustes, diz militante.

    Sorteio realizado pelo Osasco Plaza esta semana encerrou a temporada de premiaes das promoes de natal dos shoppings da regio.

    O Bar do Rock, na avenida Maria Campos, foi um dos estabelecimentos fechados pela Prefeitura nesta semana

    O novo presidente da Cmara Municipal de Barueri, vereador Chico Vilela (PTB), disse, em entrevista ao Viso Oeste, que pretende implantar em sua gesto a TV Cmara acessvel a todos os muncipes. O vereador tam-bm falou do que espera para a atual legislatura.

    Dados da Secretaria de Segurana Pblica do Estado de So Paulo mostram a exploso da violncia nos municpios da regio em 2012. Casos de homicdio aumentaram, em mdia, 21%.

    PGINA 5

    PGINA 7

    PGINA 4 PGINA 6

    PGINA 6PGINA 3

    Osasco fecha baladas e intensifica fiscalizao

    DISTRIBUIO GRATUITAwww.visaooeste.com.br

    ano 10 - n 474 - de 1 a 7 de fevereiro de 2013

    ndices mostram aumento da violncia

    Em Braslia, Lapas busca recursos para creches

    Vilela quer TV Cmara

    Confira na pgina 8 as vagas de empregos no

    Diretor inicia produo de longa metragem de ao em Taboo da Serra

    PGINA 12

    GEO lidera Srie A2 do

    Paulisto e tem

    Guaratinguet e Lusa pela

    frente

    PGINA 11

    Casais gays podem ter cota

    Shoppings fazem sorteios

    Eduardo Metroviche

    Eduardo Metroviche

    Zano

    ne F

    rais

    sat/

    Folh

    apre

    ss

    Divulgao Lus Pires/finePhoto

    Fevereiro

    Sbado - Sol/Chuva33oC mx - 20oC mn

    Domingo - Sol/Chuva28oC mx - 21oC mn

    Nova Crescente CheiaMinguante

    10 17 253

  • No h o que faam as autoridades ou o que diga a imprensa que conforte as famlias das vtimas do incndio na boate Kiss, em Santa Maria. Mas aque-la triste e terrvel catstrofe ligou o sinal de alerta para o poder pblico nos quatro cantos do pas.

    comum, nos acidentes areos, investigadores especializados e auditores lembrarem que nenhu-ma ocorrncia infeliz se d sem que seja precedida por uma sucesso improvvel de coincidncias e erros menores, que, por si s, no causariam gran-des transtornos. Mas de fato essa sucesso pode ser encontrada em qualquer grande catstrofe no natural.

    Por isso louvvel a iniciativa das prefeituras da nossa regio, a exemplo de Osasco, de intensifica-rem a fiscalizao das baladas e endurecerem na cobrana de regularizao dos estabelecimentos. Tragdias como a de Santa Maria seriam absolu-tamente evitveis se a legislao fosse respeitada.

    Do alvar de funcionamento ao uso correto de materiais, passando pela observncia da lotao mxima e o treinamento dos funcionrios para procedimentos de emergncia.

    preciso pr um fim poltica do jeitinho e do trfico de influncia, cultura da criao de difi-culdades para a venda de facilidades que move um mercado obscuro. Um mercado que o res-ponsvel por permitir a estabelecimentos sem as mnimas condies continuarem operando nor-malmente.

    justamente o desrespeito s leis que vai criar todas as condies para a ocorrncia daquela improvvel e fatal sucesso de falhas que, mais cedo ou mais tarde, vai cobrar seu preo. E, ao menos, quando no foi possvel evitar, como na Kiss, o mnimo que se espera como em todo caso de desrespeito lei que os responsveis sejam identificados e punidos.

    opinio2

    A lei evita catstrofes

    Era uma fumaa preta, muito densa. Ao chegarmos prximo porta do banheiro, nos deparamos com diversas pessoas deitadas, umas por cima das outras.

    Gustavo Riet - empresrio, sobrevivente da tragdia de Santa Maria-RS, que ajudou no resgate de vtimas

    O Senado est caminhando para um precipcio.

    Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) - senador, sobre a provvel volta de Renan Calheiros (PMDB-AL) presidncia do Senado. A eleio acontece em votao secreta nesta

    sexta-feira, 1

    a primeira vez que [a presidente Dilma Rousseff] aparece nessa cor. Em pronunciamentos anteriores, como no ltimo, ela vestiu preto com uma renda branca por cima.

    Carlos Sampaio (PSDB-SP) - deputado federal, sobre a petio que o PSDB apresentou Procuradoria Geral

    da Repblica reclamando da cor vermelha da roupa da presidente Dilma Rousseff em pronunciamento na TV

    Sorte que o quarto rbitro estava perto e ouviu o que eu disse.

    Roberto Fonseca - tcnico do Ituano, aps ser questionado por Neymar se o teria chamado de macaco

    durante partida contra o Santos

    EDITORIAL ARTIGOS

    1 a 7 de fevereiro de 2013

    As opinies expressas nos artigos so de responsabilidade dos autores e no correspondem necessariamente opinio do jornal

    FRASES

    preciso pr um fim poltica do jeitinho e do trfico de influncia

    Diretor ExecutivoValter Santos

    Diretor de redaoRenato Rovai - Mtb 23.140

    EditorJeferson Martinho

    (editor@visaooeste.com.br)Projeto Grfico

    Carmem Machado/Publisher BrasilDiagramao

    Rodrigo Domingues(arte@visaooeste.com.br)

    Chefe de ReportagemFernando Augusto

    (redacao@visaooeste.com.br) Reprteres

    Leandro Conceio(leandro@visaooeste.com.br)

    William Galvo(reportagem@visaooeste.com.br)

    Depto. JurdicoEdu der de Carvalho

    Comercialcomercial@visaooeste.com.brContato Publicitrio

    comercial1@visaooeste.com.brImpressoFolha GrficaTiragem

    35.000 exemplares

    Viso Oeste uma publicao semanal da Editora Viso Oeste.

    Av. Yara, 223 - Vila Yara - Osasco - SP Cep 06028-100

    Redao/publicidadeTel.: 3683-3592 - Fax.: 3681-3150

    Filiado a ABRARJ / ADJORI-SPRegistro n 3247 - 1 Oficial de Registro Civil das

    Pessoas Jurdicas de Osasco

    Osasco - Carapicuba - Santana de Parnaba - Cotia - Itapevi - Taboo da Serra - Barueri

    Pirapora do Bom Jesus - Vargem GrandeEmbu das Artes - Itapecerica da Serra - Jandira

    *Sergio Azevedo

    Todo inicio de ano vem tona a discusso em torno do Imposto Predial e Territorial Urbano, o IPTU. H dis-cusses acaloradas, algumas sobre a real situao de fam-lias com dificuldades para o pagamento e vrias de cunho poltico, onde sempre aparece algum protetor visando vantagem futura.

    Com o mercado imobilirio em alta e os imveis em franca valorizao, o administrador pblico tem que ter sensibilidade para definir critrios justos para fixar valores da base de clculo.

    Por mais que as revises suscitem dvidas e recla-maes, o IPTU uma ferramenta indispensvel de arrecadao. Nenhum municpio pode abrir mo desse recurso, que precisa ser transformado em benefcios populao, especialmente na recuperao de vias e criao de infraestrutura que permita planejar o cres-cimento de forma ordenada e sustentvel.

    As propriedades em Osasco tiveram elevada valoriza-o. O mercado imobilirio est em franco crescimento e

    *Andr Sacco

    O trabalhador em geral, que de fato e de direito move nossa economia, alavanca o crescimento do pas, no teve em 2012 ndices de reajustes salariais compatveis com a energia gasta pela sua fora laborativa.

    Nenhum trabalhador teve aumento salarial compatvel para absorver aumentos abusivos tais como IPTU, tarifa de nibus e inflao, entre outros.

    Observamos um comportamento oportunista, abu-sivo e covarde dos administradores de planto em aumentar impostos ao seu bel prazer, com a conivncia e subservincia da base aliada do Legislativo em favor do Executivo.

    O fato ocorreu na Cmara Municipal de Osasco, nos dias 20 e 21 de dezembro, quando da votao do Pro-jeto de Lei aumentando de 70% para 90% o ndice de clculo na planta genrica de valores, aumentando o

    os imveis, em muitos casos, mais que triplicaram de pre-o nos ltimos 3 anos. Somos avessos ao pagamento de impostos. da nossa cultura, notadamente quando cons-tatamos quanto dinheiro pblico usado indevidamente. Mas dever do poder publico estar atento, acompanhar e cobrar o justo.

    Todo cuidado indispensvel para evitar distores e combater a evaso fiscal. Por mais impopular que medi-das desta natureza sejam, indispensvel que, em algum momento, sejam tomadas. Deixar para depois como esconder poeira debaixo do tapete.

    Defendemos alquotas menores para famlias de menor poder aquisitivo e proprietrias de nico im-vel. Temos muitas discusses sobre reajustes nos valo-res venais, mas s vezes nos falta o mesmo nimo para discutir a cidade e, fundamentalmente, a aplicao e fiscalizao dos recursos em si. o que proponho a todos ns osasquenses.

    Sergio Azevedo diretor da Direes Consultoria Imobiliria e Presidente da Associao dos Construtores de Osasco

    IPTU em 28,2% , em mdia.O Executivo alegou que este aumento seria necessrio

    para suprir a renncia de receita de aproximadamente R$ 6 milhes, que beneficiariam as famlias mais humildes com a iseno do IPTU para residncias que tenham valor venal de at R$ 40 mil, que concordamos integralmente. Mas acovardou em falar que o aumento da base de clculo do IPTU era da ordem de 28,2%, aumentando a arrecada-o em mais de R$ 50 milhes, j descontada a renncia de receita por conta da iseno do IPTU dos imveis residen-ciais de valor venal de at R$ 40 mil.

    Um administrador democrtico a

View more >