israel e judasmo - por abraham shapiro

Download ISRAEL E JUDASMO - por  Abraham Shapiro

Post on 12-Jul-2015

462 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

NDICEQuem Judeu? O que o Judasmo 47 captulos explicativos sobre pontos importantes da vida e valores do Povo Judeu A tica Judaica Textos para Leitura Complementar Hebraico muito Bsico

Pgina 3

Pgina 44 Pgina 53 Pgina 86

IMPORTANTE1. Voc encontrar um volume expressivo de informaes em lngua portuguesa sobre Israel, atualidades, cultura, relaes pblicas, diplomticas e comerciais no site: http://brasilia.mfa.gov.il/

2. Para saber as datas de feriados em Israel, acesse a webpage da Cmara de Comrcio Brasil-Israel http://www.cambici.com.br/ e clique em FERIADOS JUDAICOS. A pgina contm (no alto, direita) dois relgios com o fuso horrio entre Brasil e Israel.

Fale comigo: cel (43) 9991 1813 ou shapirotdh@gmail.com

2

PRIMEIRA PARTE

QUEM JUDEU? O QUE O JUDASMO?

Abraham Shapiro

Fale comigo: cel (43) 9991 1813 ou shapirotdh@gmail.com

3

INTRODUO

H alguns anos convidei um oficial do exrcito japons, que estava estudando nos Estados Unidos, a assistir um servio religioso que eu ia dirigir. Terminado o servio, quando nos dirigamos para casa, ele me perguntou: - Qual o ramo do Cristianismo representado por sua igreja? - Ns somos judeus - respondi - adeptos da f judaica. Meu amigo japons ficou intrigado. Ele era xintosta, mas lera a Bblia crist. - Mas o que so os judeus? - perguntou o oficial japons. - O senhor se lembra dos israelitas de que fala a Bblia: Abrao, Moiss e Josu? - Lembro-me. - Pois bem, ns somos aqueles israelitas. O Major Nishi exclamou no auge da estupefao: - O qu?! Aquela gente ainda existe?! Do Livro What is a Jew do rabino Morris Kertzer

Embora entre ns a presena tangvel de uma comunidade judaica exclua a possibilidade de semelhante dilogo, tomo a liberdade de afirmar, sem receio de cair em exagero, que existe um desconhecimento generalizado do que so os judeus, suas crenas e seus postulados de f e conduta. Irei mais longe: estou convencido de que esse desconhecimento caracteriza no s a grande massa de no-judeus, como tambm aos prprios judeus em proporo nada desprezvel. Por isso, pareceu-me cabvel e necessrio oferecer um conjunto de informaes sobre o tema poucas vezes abordado: O que o Judasmo? No h dvida de que uma tradio de quatro milnios, to rica de implicaes em toda a civilizao ocidental, dificilmente poderia ser resumida nas poucas pginas de uma apostila de um seminrio sem que se arriscasse melindrar a magnitude de tamanha herana. Desejo deixar patente, por essa razo, que a minha inteno foi a de apresentar uma introduo sumria, como que uma vista panormica. No se trata de traar uma exposio filosfica e terica do Judasmo, mas apenas um relato de suas prticas e crenas, sob forma de dilogo vivo, que lembrasse uma conversao casual e espontnea. Considerando-se que o Judasmo est em constante processo de criao, nem sempre se consegue uma nica interpretao cabal em relao aos elementos de sua complexa bagagem histrica e doutrinria. Torna-se praticamente impossvel, portanto, fazer sua apresentao sem que se exponha a objees e controvrsias. Assim sendo, convm deixar claro que no tenho o menor propsito de incentivar polmicas, como tambm no me apeguei a nenhuma corrente determinada de interpretao. Vou me sentir altamente recompensado e com isso o meu esforo encontraria sua plena justificao se este modesto trabalho conseguir despertar curiosidade para futuras leituras, mais especficas e profundas, e conseguir lanar um pouco de luz, pelo menos em parte, sobre certas impresses errneas no que se refere aos judeus, suas crenas e seus costumes.

Abraham Shapiro

Fale comigo: cel (43) 9991 1813 ou shapirotdh@gmail.com

4

CAPTULO 1

O QUE UM JUDEU ? muito difcil encontrar uma simples definio do que um judeu. De acordo com a Lei vigente para concesso de cidadania em Israel e em todo o mundo religioso Judaico, Judeu todo aquele que nasce de uma me Judia, ou que aceita, de todo o corao e sem restries, a f judaica. Esta a definio religiosa. Judeu aquele que, no tendo afiliao religiosa formal, considera os ensinamentos do Judasmo - sua tica, seus costumes, sua literatura - como propriedade sua. Esta a definio cultural. Judeu aquele que se considera judeu ou que assim considerado pela sua comunidade. Esta a definio prtica. Como parte de inegvel importncia para qualquer definio vlida, deve-se dizer tambm o que o judeu no . Os judeus no so raa. A histria revela que atravs de casamentos e converses o seu nmero sofreu acrscimos sem conta. H judeus morenos, louros, altos, baixos, de olhos azuis, verdes, castanhos e pretos. E apesar da maioria dos judeus serem de raa branca, h os judeus negros, os Falashas, na Etipia, os judeus chineses de Kai-Fung-Fu e um grupo de judeus ndios no Mxico, cuja origem, at hoje, ainda um mistrio para os antroplogos e arquelogos. Para se compreender o Judasmo, a busca do absoluto no ritual e no dogma deve ser abandonada, para dar lugar a um exame de ampla filosofia qual se subordina a nossa f. As nossas regras de culto so muito menos severas do que as de conduta. Nossa crena no que se refere Bblia, aos milagres, vida eterna - secundria em relao nossa f nas potencialidades humanas e nas nossas responsabilidades para com o prximo. As modificaes introduzidas, no decorrer dos anos, no ritual e nos costumes, so de menor importncia comparadas com os valores eternos que fortaleceram a nossa f atravs de incontveis geraes e mantiveram o Judasmo vivo, em face de todas as adversidades. O Judasmo sempre foi uma f viva, crescendo e modificando-se constantemente como todas as coisas vivas. Somos um povo cujas razes foram replantadas com demasia freqncia, cujas ligaes com as mais diferentes culturas foram muito intensas para que o pensamento e tradies religiosas permanecessem imutveis. Sucessivamente, os judeus fizeram parte das civilizaes, dos assrios e babilnios, dos persas, dos gregos e romanos e, por fim, do mundo cristo. As paredes do gueto foram mais uma exceo do que propriamente uma regra no curso da histria. Tais experincias, inevitavelmente, trouxeram consigo certas modificaes e re-interpretaes. De qualquer maneira, a religio judaica conseguiu se desenvolver sem submeter-se ao dogmtico ou ao proftico. A f do judeu exige que ele jejue no Dia do Perdo. Mas enquanto jejua, aprende a lio dos profetas que condenam o jejum que no feito com probidade e benevolncia. Ele vem sinagoga para rezar e, durante o culto, l as palavras de Isaas dizendo que a orao intil a no ser que ela seja o reflexo de uma vida de justia e de misericrdia. Assim, o Judasmo continua sendo uma f flexvel, que v os valores atravs de smbolos e ao mesmo tempo se precaver contra cerimnias superficiais. Acreditamos em Deus, um Deus pessoal cujos caminhos ultrapassam a nossa compreenso, mas cuja realidade ressalta a diferena que existe entre um mundo com finalidades e outro sem propsitos. Acreditamos que o homem seja feito imagem de Deus, que o papel do homem no universo nico e que, apesar da falha de sermos mortais, somos dotados de infinitas potencialidades para tudo o que (1) bom e grandioso. So essas as nossas crenas religiosas bsicas .

Fale comigo: cel (43) 9991 1813 ou shapirotdh@gmail.com

5

CAPTULO 2

QUAIS OS PRINCPIOS BSICOS DO JUDASMO ?A maneira mais autntica de adorar Deus a imitao das virtudes divinas: como Deus misericordioso, assim tambm devemos ser compassivos; como Deus justo, assim devemos tratar com justia ao prximo; como Deus tardo em se irritar, assim tambm devemos ser tolerantes em nossos julgamentos. O Talmud fala em trs princpios bsicos da vida: a Tor, ou instruo; o culto ou o servio de Deus, e a caridade ou a prtica de boas aes. (2)

O amor ao saber domina a f judaica. Desde o primeiro sculo da era crist, tm os judeus um sistema de educao obrigatria. A responsabilidade pela educao dos pobres e dos rfos cabia comunidade tanto quanto aos pais. Tampouco se alheavam os antigos rabis psicologia educativa. No primeiro dia de escola as crianas ganhavam bolos de mel com o feitio das letras do alfabeto, para que associassem o estudo ao prazer. O segundo princpio bsico desta religio o servio de Deus. Desde sua mais tenra meninice aprendem os judeus que Ele deve ser adorado por amor, e nunca por temor. O terceiro fundamento do Judasmo a caridade, a genuna caridade que brota do corao . No existe outra palavra hebraica para traduzir caridade seno a que significa "ddiva eqnime", e N dava", em hebraico . A filantropia, observou um notvel erudito, nasceu de dois elementos da religio judaica: o conhecimento de que tudo quanto possumos propriedade do Senhor; e a convico de que o homem pertence a Deus.(3)

Para o judeu piedoso, a filantropia no conhece fronteiras raciais ou religiosas. De acordo com os rabis: (3) "Exige-se de ns que alimentemos os pobres dos gentios tanto como nossos irmos judeus..." Ningum est isento da prtica da caridade - diz o Talmud -, "at quem vive de uma penso deve dar ao pobre"! No primeiro sculo da nossa era, o Rabi Iohanan perguntou a cinco de seus mais preclaros discpulos o que consideravam o alvo supremo da vida. Cada qual ofereceu a sua frmula predileta. Depois de ouvir a todos, disse Iohanan: "A resposta do rabi Elazar ainda a melhor - um bom corao". Outro grupo de estudiosos procurou um nico verso da Bblia que destilasse a essncia da f judaica. E encontraram-no nas palavras do profeta Miquias: "Que que o Senhor pede de ti, seno que pratiques a justia e ames a beneficncia e andes humildemente com o teu Deus".(4)

CAPTULO 3

OS JUDEUS ACREDITAM VERDADEIRA?

QUE

O

JUDASMO

A

NICA

RELIGIO

Os judeus consideram a sua religio a nica para os judeus; jamais condenam, porm, o devoto de qualquer outra f. Diz-nos o Talmud: "Os justos de todas as naes merecem a imortalidade". Acreditam eles em certos conceitos ticos essenciais: decro, ben