investigaÇÃo sobre a conferencia apresentada ?ncia_para_o_ ÇÃo sobre a conferencia

Download INVESTIGAÇÃO SOBRE A CONFERENCIA APRESENTADA ?ncia_para_o_ ÇÃo sobre a conferencia

Post on 25-Nov-2018

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • INVESTIGAO SOBRE A CONFERENCIA APRESENTADA AO 9

    CONGRESSO MUNDIAL DE NATUROPATIA E MEDICINAS NO

    CONVENCIONAIS. A 16/17 DE MARO 2013, LISBOA.

    TTULO

    A BIOELETROGRAFIA DETETA AS LESES DAS CLULAS NO SEU

    CORPO BIOPLASMA: O REMEDIO HOMEOPATICO ENERGIA

    QUANTIZADA: ABSORVIDA PELO CORPO BIOPLASMA DO PACIENTE:

    AUTOR

    Antnio Marqus

    OSTEOPATA

    Investigador em Bioeletrografia Aplicada ao Diagnstico: e Aplicada em Biofsica de Bioplasmas.

    2013

    Porto

  • 2

    INVESTIGAO APRESENTADA AOS: INSTITUTO HIPOCRATES DE ENSINO E CIENCIA, LISBOA INSTITUTO DE MEDICINA TRADICIONAL, LISBOA

  • 3

    RESUMO

    O trabalho de investigao que vos apresento, no uma tese, nem uma

    dissertao. Nem necessrio para o fim a que se destina. Por isso, no

    escrito dentro dos parmetros de uma investigao daquela grandeza e

    profundidade. um extrato da tese 1. Pretende ser simplesmente um

    concentrado de saberes: situado nas reas do saber das Medicinas Holsticas,

    ou Alternativas, e cincias biofsicas. Sobre a existncia do corpo bioplasma, em

    cada clula, rgo e tecido, funcionando o corpo bioplasma como uma unidade

    biopsiquica, na manuteno do estado estacionrio de homeostase do corpo

    humano. A bioeletrografia deteta as leses das clulas no seu corpo bioplasma.

    Vem experimentalmente demonstrar a diferena de energia radiada, pelas

    diferentes potncias dos remdios homeopticos, igualmente demonstrar que a

    homeopatia uma energia quantizada, que depois de ingerida absorvida pelo

    corpo bioplasma. So saberes que ainda no so ensinados nas escolas de

    medicina convencional. Contudo, o trabalho que vos apresento suporta-se, no

    saber da biofsica, biologia e cincias desta famlia.

    BIOELETROGRAFIA CIENCIA DA SADE. NAS DUAS PESSOAS: Dra.

    SELMA MILHOMENS PSICLOGA CLNICA, E A SEU MARIDO:

    PROFESSOR DE FSICA NEWTON MILHOMENS, MEU MESTRE. EM

    DIMENSO DE LUZ.

    AOS MEUS DOIS SOBRINHOS NETOS: GUSTAVO E GONALO.

  • 4

    INTRODUO Como toda a medicina sabe, o esqueleto molecular da clula humana,

    constitudo pelas molculas: protenas, lpidos, cidos nucleicos, e gua.

    Adicionando-lhe o citoplasma e o ncleo. esta a constituio redutora daquilo

    que a clula, para a medicina convencional. Ficam somente, pelo esqueleto

    molecular, no vo mais alm, conceito e prtica fundamentados na lei

    mecanicista e da gravidade da Fsica de Isaac Newton, do sculo VII/VIII.

    Contudo. Mdicos amigos, j deram o passo em frente: adotando ou

    adicionando o paradigma holstico hologrfico.

    A medicina Homeoptica, no pode mais ser estudada compreendida e

    explicada luz do mecanicismo Newtoniano. um valor cientfico mas no

    suficiente.

    S o paradigma Einsteiniano: Holstico Holgrfico de que a energia igual a

    massa vezes a velocidade da luz ao quadrado. (Equao: E = mxc2; c =

    velocidade). Pode dar-nos o material de estudo, o mtodo e resultado, cuja

    unidade aplicada em investigao, permite nos adquirir o acesso ao estudo

    compreenso e explicao do que a homeopatia. E, o corpo bioplasma.

    Dentro do possvel, utilizando a tecnologia da cincia atual e seus instrumentos

    de trabalho. Um deles a mquina bioeletrogrfica universalizada, para quem

    tem a mente aberta e no bitolada, pelas hierarquias acadmicas.

    As estrelas no comeo de sua formao, quando ainda esto frias, seus embrioplasmas radiam, na faixa de frequncia do infravermelho. As clulas humanas temperatura de 37C seus bioplasmas radiam, na faixa de frequncia do infravermelho. Como aquelas estrelas. Caso as nossas clulas atingissem a temperatura das estrelas, cada um de ns seria um grande Sol radiante. Marqus.

  • 5

    RESULTADOS DE INVESTIGAO SOBRE BIOPLASMAS. Setenta e cinco experimentaes. EXTRATO DA TESE 1 (EXTRATO EM PARTE DA TESE: 1 (1).

    INVESTIGAO ADAPTADA, QUE FOI APRESENTADA AO 9

    CONGRESSO MUNDIAL DE NATUROPATIA E MEDICINAS NO

    CONVENCIONAIS.

    2.7. Observo duas bioeletrografias de glbulos vermelhos, depois de

    terem absorvido a descarga eletromagntica do eltrodo da mquina

    bioeletrogrfica ficaram ionizados excitados: revelando os seus

    corpos bioplasma.

    Figura n 29. (Figura n1). As clulas constituintes do corpo humano, no so somente um

    corpo esqueltico molecular. Adicionado o citoplasma e o ncleo. No interior das clulas acima,

    que so glbulos vermelhos. As clulas no seu interior. E o plasma sanguneo onde esto

    contidas, em constante movimento, apresentam os seus corpos bioplasma. O corpo bioplasma

    a matriz energtica vibratria da clula. Funciona como o molde hologrfico da clula. um

    padro de interferncias de diversas vibraes.

    A medicina convencional, do paradigma cientfico ocidental, adotou o conceito

    de hidroeletroltico. Alicerado nos electrlitos enquanto substncias

    bioqumicas, Certo. Mas, esta adopo uma forma redutora: iremos ver a

  • 6

    seguir, neste trabalho, porqu. Eu, adotei o conceito de corpo bioplasma, em

    substituio de hidroeletroltico. Corpo bioplasma energia cintica, que realiza

    trabalho no interior de todas as clulas da unidade corporal. um conceito

    mais profundo e abrangente, vindo de investigao em biofsica, efetuada pelo

    Dr. Vtor Inyushin e sua equipa, Universidade de Alma Ata Kazakisto, antiga

    Unio Sovitica. (Documento em minha posse).

    As clulas ao nvel quntico, subatmico, expressam um campo formado, por

    energia radiada ondas eletromagnticas, partculas de luz, ou biofotes. Cujas

    ondas eletromagnticas so vibraes coerentes interativas, absorvidas e

    radiadas, pelo corpo bioplasma. Formando a matriz energtica celular.

    Funcionando como um molde hologrfico: molde da clula enquanto unidade

    viva. A clula morta perde o seu corpo bioplasma, entrando por isso em

    decomposio estrutural. Neste estado expressam somente a radiao de

    tomos e molculas que vo existindo, no seu processo de decomposio.

    O corpo bioplasma formado por constelaes de eletrlitos: protes, ies e molculas. A este nvel concorda com o conceito hidroeletroltico. O corpo bioplasma encontra-se em cada clula, tecido, rgo, formando uma unidade funcional biopsiquica. dividido pela medicina convencional em trs regies do corpo: intracelular, extracelular (intersticial) e sanguneo.

    Contudo, h uma quarta parte que uma extenso daquela unidade. A quarta

    parte a bioatmosfera gasosa, formada pelo suor em volta da superfcie de

    nossa pele, em todo o corpo, inclusive na ponta dos dedos. O suor, um filtrado

    do plasma sanguneo, excretado pelas glndulas sudorparas, ficando no

    estado gasoso, quando um litro lquido de suor consome 580 calorias de calor

    temperatura do corpo, em excesso, para o arrefecer. Quando a bioatmosfera

    gasosa ionizada excitada, pela descarga do eltrodo da mquina

  • 7

    bioeletrogrfica, forma a bioeletrografia = bioplasmagrafia. Quando uma clula

    ou clulas so ionizadas excitadas, por aquela descarga, da mquina

    bioeletrogrfica, revelam o seu corpo bioplasma. Revelam a sua matriz

    energtica vibratria, cuja matriz funciona como um molde hologrfico.

    A conveno internacional da constante biolgica de temperatura do corpo

    humano, diz que a temperatura do corpo de 37 C. Certo. Como sabemos, a

    temperatura ponto zero absoluto, isto , zero Kelvin, no planeta terra, igual a

    273,15 k mas, no possvel atingi la em laboratrio.

    Acima e prximo da temperatura zero Kelvin, as molculas e eletres da

    matria vibram, por efeito inerente de sua temperatura. Chamado movimento

    Browniano. uma predio de Einstein, que a experimentao concluiu ser

    correta. Claro, uma temperatura da matria muito baixa, que emite energia

    radiante eletromagntica nas faixas de frequncias de rdio, ou frequncias

    baixas do infravermelho. Cujas energias radiadas so inferiores, s energias

    radiadas eletromagnticas do infravermelho, pelo corpo humano, temperatura

    constante de 37C. Cujos comprimentos de onda vo de 3000 nm

    (nanmetros) ao 0,1 mm (1 dcimo de milmetro). uma lei da fsica/biofsica

    Einsteiniana.

    H temperatura de 37C do corpo humano, as cargas dos protes, eletres,

    ies, e molculas, constituintes do corpo bioplasma, vibram em maior

    velocidade, por efeito, emitem energia radiante de frequncias mais elevadas:

    ondas eletromagnticas que transportam mais energia. As energias radiantes

    das ondas eletromagnticas de frequncias do infravermelho esto na faixa de

    frequncia de 9.000.000 de Hz a 9.000.000.000 de Hz. A temperatura do corpo

  • 8

    humano muito mais elevada. Em relao temperatura, e por efeito,

    radiaes infravermelhas das molculas e tomos da matria: movimentos

    Brownianos, prximos do zero absoluto. As frequncias de energia radiada por

    um corpo, so mais energticas, quanto mais elevada a temperatura. Por

    isso, a temperatura uma medida da energia interna do corpo: energia interna

    de rotao, translao, vibrao, que energia cintica, mais a energia

    potencial de ligaes intermolculares.

    A transferncia de energia cintica realiza-se pelos processos de conduo,

    conveco, e radiao. No interior do corpo humano, a energia de movimento

    dos ies, molculas, eletres e protes do corpo bioplasma.

    1-Pelo processo de conduo: as partculas quentes do corpo bioplasma

    transferem por contacto, a energia trmica, para as partculas mais frias.

    Contribuindo