introduÇÃo - prpg - ciamb ?· 19.897.804 toneladas e alcançou, em 2009, 57.345.382 toneladas...

Download INTRODUÇÃO - PRPG - CIAMB ?· 19.897.804 toneladas e alcançou, em 2009, 57.345.382 toneladas (IBGE,…

Post on 29-Oct-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 19

    INTRODUO

  • 20

    A fronteira no Brasil um processo social que expressa reproduo do capital em

    reas que s vezes so perifricas e marginalizadas e provoca a expulso das terras e a

    excluso dos grupos sociais mais frgeis. Desse modo, a fronteira um espao de

    contradies, manobras e conflitos, onde emergem as polticas de Estado, cujo fim gerar

    alternativas aos corredores de exportao de produtos agrcolas.

    Alm disso, o avano de fronteira abrange um conjunto de complexidades, como

    aumento do desmatamento, expulso da fronteira da pecuria e de grupos sociais para reas

    marginalizadas pelos projetos capitalistas.

    As aes dessas polticas mostraram-se como fundamentais para a expanso de

    fronteira agrcola no pas. Tanto que, a partir de 1970, a intervenincia estatal atravs de

    programas, e um deles o Programa de Cooperao Nipo-Brasileiro para o Desenvolvimento

    dos Cerrados-PRODECER, seria uma nova tentativa de criar condies de aumentar a

    expanso de fronteira agrcola nos cerrados, principalmente com o cultivo da soja. A regio

    Centro-Oeste do Brasil exemplo da consolidao dessas polticas, pelas transformaes da

    sua base produtiva e ocupao de vazios demogrficos. Ademais, o resultado dessas polticas,

    do ponto de vista econmico, possibilitou ao Brasil obter espao no mercado internacional de

    soja, passando de um pequeno participante no comrcio exterior para o segundo maior

    produtor e exportador do complexo de soja no mundo. Pois, em 1990, a produo era de

    19.897.804 toneladas e alcanou, em 2009, 57.345.382 toneladas (IBGE, 2007).

    Nos ltimos anos do sculo XX, a aplicao destas polticas no Maranho

    proporcionou o aumento da produo da soja que evoluiu de 4.176 toneladas em 1990, para

    1.125.094 toneladas em 2007 (IBGE, 2009), inserindo-o no cenrio econmico nacional como

    um grande produtor de soja do Brasil

    No entanto, o sul do Maranho, mesmo com o crescente aumento nos dados

    estatsticos concernentes produo da soja, no est refletindo melhorias no IDH da regio,

    que permanece 0,6. Mais ainda, o processo de expanso de fronteira que acontece na regio

    sul maranhense atinge o municpio pela reduo do nmero de estabelecimentos com

    ocupantes, provocando conflitos fundirios e ainda excluso social, ntida quando se observa

    a invaso que se formou nos arredores do Projeto de Colonizao dos Gerais de Balsas-PC-

    GEBAL, denominada de vila dos sem-terra.

    Alm disso, nos baixes da Chapada das Mangabeiras, esto os trabalhadores

    rurais de reas de conflito, assim identificados neste trabalho, os primeiros a lidar com os

  • 21

    desgastes socioeconmicos e ambientais ocasionados pelo resultado das aes das polticas

    que pactuam com o padro tecnolgico da modernizao agrcola.

    Diante do exposto, entende-se que as transformaes ocorridas no sul do

    Maranho podem ser estudadas luz da literatura sobre Expanso de Fronteiras. Apesar da

    existncia de diferentes perspectivas de anlise, possvel constatar a caracterizao de trs

    momentos distintos. O primeiro momento, de ocupao, caracteriza-se pelo predomnio de

    relaes no capitalistas de produo. O segundo momento marcado pelo avano das

    relaes capitalistas de produo sobre as reas previamente ocupadas. Por fim, podem-se

    eventualmente observar mudanas significativas no padro tecnolgico da agropecuria.

    Grosso modo, na literatura esses momentos so identificados respectivamente com a seguinte

    terminologia: Frente de Expanso, Frente Pioneira e Fronteira Agrcola.

    Cabe ressaltar que essa periodizao no absolutamente esquemtica, no

    existindo, portanto, a necessidade de se esgotar um processo para se iniciar outro. Alis, um

    elemento distintivo da regio estudada justamente a concomitncia de dois processos

    distintos. Pode-se perceber um perodo histrico muito prximo ao avano das relaes

    capitalistas, em substituio s formas de ocupao no capitalistas (caracterstica da Frente

    Pioneira) e a chegada da Fronteira Agrcola, pelo modelo de agricultura capitalista e

    tecnificado, implementado por meio de grandes empresas agropecurias que transformam a

    paisagem rural em todas as dimenses.

    Assim, o objetivo deste trabalho justamente estudar o avano da fronteira no

    municpio de Balsas, localizado na mesorregio sul maranhense, principalmente a partir

    da implantao do PRODECER III, 1995. Foram pesquisados os fatores que promovem

    esse processo, bem como suas consequncias. Partiu-se do pressuposto de que esse

    processo somente seria compreendido mediante a percepo da articulao de distintos

    estgios da expanso da fronteira (frente de expanso, frente pioneira e fronteira

    agrcola), pois, embora os trs momentos apontem a ocupao do espao, eles tm

    caractersticas distintas.

    pertinente acrescentar que a expanso de fronteira apresenta agentes tpicos, em

    cada momento. Associa-se ainda a esse processo o papel do Estado, via programas

    direcionados expanso de fronteira em reas de cerrado.

    Os governos militares via Planos Nacional de Desenvolvimento I e II (PND),

    foram determinantes para a expanso da fronteira no pas, uma vez que a poltica consistia na

    integrao nacional e isto se dava de modo geral pela expanso de novas reas agrcolas.

    Destarte, a regio dos cerrados tornou-se alvo das estratgias dos governos militares, para a

  • 22

    expanso da fronteira agrcola, pois sua posio geogrfica e caractersticas fsico-ambientais

    privilegiavam as atividades agropecurias. Assim, a expanso da produo agropecuria,

    baseada no pacote tecnolgico da Revoluo Verde, foi propiciada. Nesse contexto, o sul

    do Maranho, regio que possui uma vasta rea de cerrados, foi incorporado a esse programa

    de governo, por meio da prtica da monocultura da soja.

    Para nortear a direo da pesquisa, foram estabelecidas as seguintes hipteses: o

    preo da terra foi um dos fatores que contribuiu para o processo migratrio dos

    produtores do sul do pas para o cerrado do Maranho; o incentivo das polticas do

    governo favoreceu a intensificao da expanso da fronteira agrcola, em Balsas/MA; e a

    fronteira agrcola deste municpio reproduz a mesma dinmica dos anos 1970,

    observada em outras regies do pas. Estas hipteses foram levantadas, com o fim de

    propiciar desde a coleta at a anlise dos dados da pesquisa.

    Desse modo, foram convencionados como objetivos especficos: descrever,

    analisar e caracterizar a situao do municpio de Balsas/MA antes do incio da implantao

    do PRODECER III; descrever a implantao do PRODECER III a partir da criao do Projeto

    de Colonizao nos Gerais de Balsas/MA; identificar e caracterizar os grupos de agricultores

    que esto envolvidos com a atividade agrcola da soja (colonos remanescentes do

    PRODECER III; produtores migrantes; trabalhadores rurais de reas de conflito).

    Portanto, com o intuito atingir o objetivo definido, estrutura-se o presente trabalho

    da seguinte forma: no Captulo 1- PROCEDIMENTO METODOLGICO demarcaram-se os

    aspectos tericos e prticos e definiram-se os instrumentos que foram utilizados na pesquisa,

    bem como os mtodos e procedimentos analticos que serviram de base para a interpretao

    dos dados. Recorreu-se pesquisa bibliogrfica, documental, descritiva, e posteriormente a

    observao in loco, como forma de aprofundar a discusso e a argumentao terica. Para a

    coleta do corpus deste estudo, foram utilizados dois tipos de questionrios: um destinado aos

    produtores migrantes e outro, aos trabalhadores rurais de rea de conflito, de modo a obter-se

    o perfil dos envolvidos no processo de expanso da fronteira agrcola na regio.

    Vale salientar que os produtores migrantes so investidores que se originam do sul

    do pas e desenvolvem a atividade agrcola com a plantao da soja, utilizando a tecnologia da

    agricultura moderna, enquanto os trabalhadores rurais de reas de conflito so ocupantes das

    reas que se localizam nos baixes do cerrado e possuem uma produo de subsistncia e

    comercializam o excedente para os povoados mais prximos e para a sede do

    municpio.Tambm foi realizada entrevista aberta ou dialogada com os colonos

    remanescentes do PRODECER III, de modo individual, por entender-se que as entrevistas

  • 23

    trariam informaes acerca da chegada do PRODECER III nas chapadas das Mangabeiras

    com seus desdobramentos e implicaes. Estendeu-se ainda as entrevistas aos trabalhadores

    rurais de reas de conflito, das Datas So Vicente e Por Enquanto, com a inteno de extrair o

    mximo de informaes, luz do entendimento desses trabalhadores.

    No Captulo 2, intitulado FRONTEIRA E A MODERNIZAO NA

    AGRICULTURA, faz-se a reviso de literatura, teorias, conceitos e ideias que deram

    embasamento para o desenvolvimento desta pesquisa. Descreve-se a expanso da fronteira

    agrcola no Brasil com seus desdobramentos e assinalam-se os elementos explicativos do

    padro tecnolgico na fronteira. Versa-se sobre a modernizao da agricultura e suas

    implicaes, assim como dos planos de desenvolvimento econmico e a contribuio destes

    para a expanso de fronteira agrcola no pas.

    Em seguida, caracteriza-se a rea objeto de estudo deste trabalho no Captulo 3

    BALSAS/MA E SUAS PARTICULARIDADES, em que se explanam as suas caractersticas

    geo-ambientais, que correspondem localizao da rea com seus aspectos naturais: a

    vegetao e as condies edafo-climticas. Vale salientar que estas, representam importantes

    aspectos

Recommended

View more >