introduÇÃo; era vargas (1930-1945); o estado e o processo de industrializaÇÃo; a nova polÍtica...

Download INTRODUÇÃO; ERA VARGAS (1930-1945); O ESTADO E O PROCESSO DE INDUSTRIALIZAÇÃO; A NOVA POLÍTICA DE DEFESA DO CAFÉ; A INDUSTRIALIZAÇÃO POR SUBSTITUIÇÃO

Post on 28-Apr-2015

104 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Slide 1
  • Slide 2
  • INTRODUO; ERA VARGAS (1930-1945); O ESTADO E O PROCESSO DE INDUSTRIALIZAO; A NOVA POLTICA DE DEFESA DO CAF; A INDUSTRIALIZAO POR SUBSTITUIO DE INPORTAES;
  • Slide 3
  • Incio: revoluo de 1930 Elementos que caracterizam o perodo: ECONMICAS: Economia externa antes a exportao era o principal objetivo; Economia Industrial passa a ser o principal; Interveno do Estado: adoo de medidas; Influncia crescente do capital estrangeiro; SOCIAIS: Surgimento da burguesia industrial; Fortalecimento da classe mdia; Operariado em crescimento; Urbanizao: fundamentalmente no Sudeste;
  • Slide 4
  • POLTICAS: Consolidao do Estado aumento do poder federal; Diminuio do poder das oligarquias regionais e estaduais; 1 Governo Vargas Durou 15 anos (ditadura Vargas); Condies nacionais e internacionais: deram as condies para que Vargas colocassem em prtica uma poltica de organizao;
  • Slide 5
  • Luta pela hegemonia poltica grandes produtores de caf e primeiros industriais; 1931, 1932 e 1933: economia brasileira cresce baseado no pressuposto da industrializao; O Caf: passa agora a ser beneficiado pelo Estado; Obs: importante considerar o que significa SURTO INDUSTRIAL e PROCESSO DE INDUSTRIALIZAO PROCESSO DE INDUSTRIALIZAO BRASILEIRO: passagem da economia agrrio-exportadora para a urbano-industrial destinado ao mercado interno: h, portanto, um conjunto de mudanas sociais, polticas e culturais. SURTO INDUSTRIAL: insero industrial sem alterar os rumos da economia Exemplo Clssico: 1 Guerra Mundial no alterou as bases da nossa economia;
  • Slide 6
  • Motivo da Mudana: (1) Crise do modelo anterior; (2) Quebra da Bolsa de Valores de Nova Iorque (1929); Trs Fatores Importantes: 1-) Revoluo de 1930 mudanas de grupos no poder e nova composio de foras; 2-) Poltica em defesa do Caf; 3-) Parque industrial diversificado;
  • Slide 7
  • ANTES: mquinas, equipamentos com capacidade ociosa, sem polticas do Estado; DEPOIS (com Vargas): polticas incentivadoras, capacidade ociosa diminuiu, abastecimento interno; Interveno na Economia: governo compra caf. (Convnio de Taubat 1906: j era uma prtica governamental) Efeito Multiplicador: investimentos, emprego, desemprego;
  • Slide 8
  • http://www.youtube.com/watch?v=- IZ0VmTsIFE
  • Slide 9
  • Governo Provisrio de Vargas (1930 1934): Por que foi considerado Ditadura? Suspenso da Constituio de 1891; Fechou o Congresso Nacional e Assembleias Estaduais; Nomeou interventores; Duas Tendncias: Polticos civis e tenentistas; Estado de Compromissos: equilbrio de foras socioeconmicas e polticas equilbrio de vantagens e concesses: Fortalecimento pessoal de Vargas, crescimento do poder do Estado e uma considervel modernizao do pas Modernizao: liberou foras sociais e econmicas; Composio de Foras no Poder: Aliana Liberal Criao de Ministrios: Educao e Sade; Trabalho, Indstria e Comrcio;
  • Slide 10
  • REPRESENTAO: Burguesia industrial e financeira; Classes mdias urbanas; Aristocracia gacha (exportao); Oligarquias; Trabalhadores Urbanos; Foras Armadas; Equilbrio de Foras: Vargas Dialogava com todos; REVOLTA DE 1932: oligarquias derrotadas comearam a se organizar; Oligarquia: era mais beneficiada na Repblica Velha visava derrubar Vargas, os tenentes e seus aliados; PRP: Partido Republicano Paulista: Formaram a FUP Frente nica Paulista; Vargas procurou minimizar os problemas entre o Governo Federal e a Oligarquia Paulista; Getlio nomeou um interventor paulista civil: Pedro de Toledo:
  • Slide 11
  • Houve luta armada 9 de julho de 1932: Pedro de Toledo foi aclamado governador e chefe da Revolta; Apoio: Militares, elite e classe mdia. As mulheres costuravam as fardas dos soldados; Doao de Ouro; So Paulo foi derrotado: isolamento geogrfico, inferioridade numrica em relao as Tropas Federais; 77 pessoas foram banidas/ perseguies polticas; Constituio de 1934: Sistema presidencialista 4 anos; Cmara dos Deputados 4 anos; Senado 8 anos e dois senadores por Estado; Sistema Federativo; Garantia de liberdade e direitos Constitucionais.
  • Slide 12
  • Conceito: criado por historiadores para designar o equilbrio entre as foras socioeconmicas e polticas que agiram na Era Vargas; Vrios grupos participaram do poder; Obteno de vantagens Vargas tambm tinha que fazer concesses; Atendia aos interesses de amplos setores da sociedade, ao contrrio do que ocorrera na Repblica Velha liberou foras sociais e econmicas at ento reprimidas (principalmente no setor industrial) Modernizao: resultado das modificaes sociais, urbanas, fortalecimento da burguesia, das classes mdias e do operariado urbano;
  • Slide 13
  • Getlio Vargas ANTIGAS OLIGARQUIAS DISSIDENTES OLIGARQUIA CAFEEIRA BURGUESIA INDUSTRIAL E FINANCEIRA CLASSE MDIA TRABALHA DORES URBANOS MILITARES
  • Slide 14
  • Conceito; De acordo com a Apostila Anglo, o populismo brasileiro da dcada de 1930 baseou-se em dois elementos fundamentais: (1) A concesso de direitos previdencirios e trabalhistas s massas urbanas; (2) O culto a Getlio; Previdncia Social, Sindicatos oficializados, salrio mnimo, jornada de trabalho de 8 horas por dia, frias pagas, indenizao por demisso sem justa causa; proteo ao trabalho das mulheres e crianas (apenas para trabalhadores urbanos);
  • Slide 15
  • Essncia do Populismo: concesses ao povo e defesa dos interesses da elite, tendo o Estado como intermedirio entre as partes; Populao bastante heterognea; Eficincia da ao econmica e social do Estado; Nenhum dos grupos envolvidos tinha fora suficiente para colocar o aparelho estatal a seu exclusivo servio.
  • Slide 16
  • Slide 17
  • 18 meses aps a Revoluo de 1930 oligarquias derrotadas comearam a se reorganizar; Algumas se aproximaram do Governo, outras passaram a planejar uma contrarrevoluo que as levasse de volta ao poder; So Paulo: principal foco contrarrevolucionrio, pois a elite paulista, a mais beneficiada pela mquina da Repblica Velha, foi tambm a mais prejudicada pela vitria da Ver, de 1930; 1932: Partido Democrtico aliou-se ao PRP formando a Frente nica Paulista (FUP), que passou a exigir a autonomia para So Paulo, nomeao de um interventor civil e paulista e aprovao de uma Constituio para o pas;
  • Slide 18
  • Enquanto isso...... O Governo publicou o Cdigo Eleitoral (1932), marcou para maio de 1933 a eleio da Assembleia Constituinte, nomeou um interventor civil e paulista (Pedro de Toledo), aceitou que o secretariado de So Paulo fosse indicado pela FUP e que a Fora Pblica paulista tivesse comando autnomo; Essas concesses no davam condies da Elite Paulista consolidar seu poder no Estado nem recuperar o Governo Federal Por isso decidiram pela revolta armada, insuflando habilmente a opinio pblica paulista contra Vargas e os tenentes;
  • Slide 19
  • Slide 20
  • 9 de julho de 1932; Pedro de Toledo foi aclamado governador e chefe poltico da revolta; Liderana Militar: Isidoro Dias Lopes e Bertoldo Klinger e Euclides Figueiredo; Fora Pblica e Tropas do Exrcito aquarteladas deram apoio integral revolta (elite e classe mdia); 200 mil voluntrios alistaram-se (Exrcito Constitucionalista); Industriais: produziram materiais de guerra; Senhoras e jovens de classe abastadas: costuravam uniformes para os soldados; Populao colaborou com ouro; Por que So Paulo foi derrotado? Isolamento, inferioridade numrica, ausncia de entrosamento entre as chefias civil e militar
  • Slide 21
  • 1933: elegeu-se uma Assembleia Constituinte para elaborar uma nova Carta Constitucional para o Brasil; Inovaes da Constituio de 1934: Voto secreto e voto feminino; Criao de uma Justia Eleitoral para organizar e fiscalizar as eleies; Sistema presidencialista; Presidente eleito por 4 anos, por voto popular direto; Cmara dos Deputados 4 anos (cada estado elege um nmero de deputados proporcional sua populao); Senado Federal eleito por 8 anos, com dois senadores por estado; Sistema Federativo, mantendo a autonomia dos estados; Garantia das liberdades e direitos individuais
  • Slide 22
  • Legislao Trabalhista (Previdncia Social, oito horas de trabalho dirio, salrio-mnimo, frias, aposentadoria, etc); Autonomia dos Sindicatos e representao profissional; Criao de mandado de segurana, para defender o cidado contra eventual prepotncia do Estado; Medidas nacionalistas defendendo as riquezas naturais do Pas; Obrigao de as empresas manterem, no mnimo 2/3 de empregados brasileiros; Criao da Justia eleitoral; Representao classista: os sindicatos e associaes patronais poderiam eleger seus representantes Cmara dos Deputados (acabou no sendo cumprida); De acordo com os dispositivos desta Constituio do primeiro presidente seria eleito indiretamente.

Recommended

View more >