introdu§£o de artigo cientifico sobre cimento

Download Introdu§£o de Artigo cientifico sobre cimento

Post on 11-Dec-2015

223 views

Category:

Documents

3 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

um breve introdução de um trabalho

TRANSCRIPT

MANEJO DO SOLO E RECOMPOSIO DA VEGETAO COM VISTAS A RECUPERAO DE REAS DEGRADADAS PELA EXTRAO DE BAUXITA, POOS DE CALDAS, MG

MANEJO DO SOLO E RECOMPOSIO DA VEGETAO COM VISTAS A RECUPERAO DE REAS DEGRADADAS PELA EXTRAO DE BAUXITA, POOS DE CALDAS, MG Autor: PAULO ROBERTO MOREIRABauxita o principal minrio do alumnioEle foi formado como um produto residual no decorrer de milhes de anos pela decomposio qumica de rochas que contm silicatos de alumnio. Descoberta pela primeira vez em 1821, na Frana, desde ento a bauxita foi encontrada em diversos lugares no mundo todo. O Brasil o terceiro maior produtor de bauxita do mundo, perdendo apenas para a Austrlia e para a China. No pas, as reservas desse minrio esto localizadas nos estados do Par, Amazonas, Minas Gerais e Amap.

No geral cidades mineradoras o IDH (ndice de desenvolvimento humano) maior do que seus respectivos estados.

Principais Impactos da mineraoPositivo: econmico e social

Negativo: ambiental Caracterizao do Local de EstudoO experimento foi instalado em abril de 2000 em uma rea pertencente Companhia Geral de Minas subsidiria da Alcoa Alumnio S/A, submetida explorao de bauxita, no local denominado Morro das rvores, localizado a leste no planalto de Poos de Caldas, MG, ( 21 4714S e 46 3410W), em altitude que varia entre pouco menos de 1000m at cerca de 1300m. Outrora, a regio era ocupada por Floresta Estacional Semidecdua, Floresta de araucaria, apresentando tambm contatos transicionais de ambas as fisionomias e com ocorrncia significativa de cerrado gramneo lenhoso, (GATTO et al., 1983). Tcnicas de recuperao implantadas

Determinao de qual o uso que teria o solo depois da minerao e das aes de recuperao. Efetuou se o estudo geolgico e morfolgico do soloEfetuou se o manejo e correo do soloSelecionou se as espcies para o plantio (espcies nativas)

estudo geolgico e morfolgico do solo

O solo encontrado na rea estudada foi descrito e classificado segundo o novo Sistema Brasileiro de Classificao de solo, como CAMBISSOLO HPLICO Tb DISTRFICO TPICO associado ao NEOSSOLOS LITLICOS DISTRFICOS, com predominncia de CAMBISSOLOS.

Fonte - (EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECURIA EMBRAPA, 1999). Delineamento Experimental Foi utilizado um delineamento experimental de blocos ao acaso em esquema de parcelas subdivididas com cinco repeties e com fertilizao mineral. As parcelas receberam os tratamentos primrios (com e sem subsolagem)., Tratamentos: A - parcelas com e sem subsolagem; B - subparcelas com a aplicao dos tratamentos secundrios: com calagem e gessagem, sem fertilizao, com semeadura direta de sementes de 10 espcies arbreas da flora regional (Tabela 1a) e mais adio de serapilheira (28Kg/ parcela 168 m-2 ).

Delineamento Experimental fertilizao mineral e calagem, com posterior plantio das 18 espcies arbreas nativas da flora regional (Tabela 1b) com adubao na cova (2,0 Kg formulao NPK 20:10:20 kg planta-1) +15 kg de esterco curtido de gado;idem ao tratamento F + adubo verde de vero (Crotalaria juncea); C idem ao tratamento F + a recolocao do topsoil. As parcelas foram alocadas em reas de 672m2 com 72 plantas teis, sendo uma fileira externa mantida como bordadura; as subparcelas tm 168m2 com 18 plantas teis, que correspondem as subsubparcelas de 6m cada. A identificao das parcelas e subparcelas foi feita por meio de estacas numeradas.

Seleo das espcies

Fertilidade do solo Foram coletadas amostras compostas da rea total nas profundidades 0-20 e 20-40 cm para as anlises fsicas, qumicas e quantificao da aplicao de matria orgnica, calcrio, fertilizante e gesso. foi efetuada na rea total a calagem (1000 Kg ha), gessagem (2400 Kg ha), adubao fosfatada (100 Kg ha, potssica (50 Kg ha.sendo, ainda, aplicado nas covas 2,0 Kg formulao NPK 20:10:20 + 15 Kg de esterco curtido de gado, exceto o nos tratamentos onde foram efetuados somente a calagem e gessagem.

Referencias http://www.ipef.br/servicos/teses/arquivos/moreira,pr.pdf. > Acesso em 06-09-2015.

http://esalqlastrop.com.br/capa.asp?j=5#!prettyPhoto > Acesso em 06-09-2015.

http://www.undp.org/ > Acesso em 06-09-2015.

http://www.ibram.org.br/sites/1300/1382/00002806.pdf > Acesso em 06-09-2015.

AlunosBruno Leandro NevesAndr Luiz dos SantosAlysson da Silva MatosObrigado!fim