introducao apometria4

Download Introducao apometria4

Post on 15-Jun-2015

74 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1. 1 RESUMO DAS RELIGIES RELIGIO A busca do homem para se religar ao seu criador. ISLAMISMO a religio dos muulmanos, criada por Maom, cuja misso era reunir as tribos rabes sob a luz do ensino cristo. O Alcoro no foi escrito por Maom, o registro de suas palavras escrito por seus seguidores tendo suas razes no Velho Testamento. O islamismo acredita numa nica vida sobre a Terra. A alma imortal e sobrevive morte fsica, mas no se fala em reencarnao. S os Profetas revelam a vontade de Deus, no h comunicao dos espritos. A poligamia permitida (at 4 esposas). No h santurio, dolos, etc, mas so ritualistas na exigncia de 5 preces dirias, jejuns, mortificaes, absteno de lcool e certas carnes, peregrinao Meca pelo menos uma vez na vida. No admite inovaes ou outras interpretaes dos seus textos. RELIGIES ORIENTALISTAS: A) TRILOGIA CHINESA: 1. I CHING Livro das Mutaes ou da Sabedoria, escrito a 3000 AC, alimentou diversas religies. Associado idia dos opostos (sim-no, macho-fmea, claro-escuro, etc) e crena do permanente estado de transformao de tudo, um livro de respostas a consultas e orientaes onde se associam as possibilidades medinicas com supersties, adivinhaes e sabedoria popular. No uma religio e no h a idia de um Deus como se imagina no mundo ocidental. 2. TAOSMO uma filosofia originada no jogo dos opostos do I Ching. O Tao a verdadeira linguagem da Natureza. Tem 81 lies e suas afirmaes pregam o amor e a sabedoria intuitiva muito prxima das lies de Jesus e do Espiritismo fala das Leis Divinas e as consequncias da desarmonia com essas leis. 3. CONFUCIONISMO Sculo V ac, (com Confcio). mais uma organizao social do que uma religio. Destinava-se educao das crianas que aprendiam as regras e convenes necessrias vida social. uma filosofia racional. H predomnio do culto domstico aos antepassados.

2. 2 B) TRILOGIA HINDU 1. VEDISMO Culto s foras da Natureza, que evoluiu para a concepo de um Princpio Absoluto Brahman. Acreditam num Ser Supremo, na imortalidade da alma, na pluralidade das existncias e nos Espritos. Monotestas, crem que o Ser Supremo tem divindades que o auxiliam. Seus princpios so registrados nos Vedas (preces, hinos sagrados, rituais e sacrifcios). 2. BRAMAMISMO (1000 ac) Krishna, um dos primeiros reformadores religiosos da India, renovou o pensamento dos Vedas, admitindo a Trindade (Brahman, Shiva e Vishnu). Trouxe grandes ensinamentos morais, mas estabeleceu uma organizao social em castas (grupos) que no podiam se misturar. Praticavam a meditao diria, ioga e treinamentos mentais. Acreditam que a alma se reencarna sucessivamente nas mais diversas formas, dependendo dos atos praticados nas vidas anteriores (karma) at encontrar a iluminao. 3. BUDISMO Veio corrigir o grave erro do Bramamismo, que estabeleceu as castas. Nega tambm a Trindade. Sidharta Gautama (Buda) foi seu fundador, por volta de 500 ac. uma das maiores concepes religiosas que j apareceram neste mundo, doutrina toda de amor e igualdade, em muitos pontos semelhantes ao que Jesus nos ofereceu. C) XINTOSMO Religio tipicamente japonesa culto Natureza, culto tribal, culto a heris e venerao pelo Imperador. Veneram os ancestrais e a Deusa Sol (protetora do Japo) ***** Neste estudo superficial podemos perceber que existem numerosas semelhanas na teoria e prtica entre o Espiritismo e as Religies Orientalistas, que seriam confirmadas numa observao aprofundada a evoluo, a unio permanente da alma com Deus a finalidade de todos esses caminhos, aparentemente to diversos. ***** ESCOLAS RELIGIOSO-FILOSFICAS * ROSA CRUZ uma doutrina secreta das mais antigas na histria do Espiritualismo. esotrica, ritualista, presa a smbolos, numerologia e s tradies religiosas orientalistas. Busca a harmonia com a Lei Natural, o autoconhecimento e procura praticar a caridade material e moral. 3. 3 * TEOSOFIA Traz em si alguns princpios cristos e muitos das religies orientalistas. Acreditam na evoluo atravs dos reinos da Natureza, na existncia dos mundos invisveis, na existncia de vrios corpos formando o Homem, na reencarnao; no acreditam na metempsicose (encarnao em corpos de animais) e os Espritos tambm so classificados em categorias (como no Espiritismo). *** H ainda muitos outros grupos religiosos / filosficos: Cabala, Judasmo, Mazdesmo, Druidismo, Xamanismo, Maonaria, Seicho-no-ie, Testemunhas de Jeov, Racionalismo Cristo, etc. ***. IGREJA ROMANA Catlica, Evanglica e outros Protestantes. Ressurreio A igreja Romana cr na Ressurreio dos mortos, baseada na interpretao do Velho Testamento. um dogma (ponto fundamental e indiscutvel numa doutrina). Prega a criao do Homem e o pecado original (Ado e Eva), como princpio dos seres humanos e cujo pecado castiga a Humanidade atravs dos sculos com a dor e a morte. Cr que a alma criada no momento da concepo e vive uma nica vez na Terra. Juzo final: Cr que a alma sobrevive morte e tem sua sorte determinada para toda a eternidade, conforme tenha vivido sua vida sobre a Terra. Paraso, Purgatrio e Inferno. Incomunicabilidade dos Espritos No aceita a manifestao da alma aps a morte. Quando existem essas manifestaes, so do Esprito Santo ou dos anjos. (Segundo uma passagem na Bblia, Moiss proibiu a comunicao com os Espritos para controlar um povo de costumes rudes, indisciplinado se proibiu por que existia). Divindade de Jesus. Virgindade de Maria Seu nascimento envolve um clima de milagre, fugindo s leis naturais. CURIOSIDADE: REGRA UREA DA HUMANIDADE: (Lewis Browne) Nas escrituras das 7 principais religies do mundo encontra-se um s tema, expresso de maneira espantosamente semelhante: Bramamismo - Esta a smula do dever: No faas nada a outrem que te causaria dor se fosse feito a ti. (Mahabharata) Budismo No ofendas os outros por formas que julgarias ofensivas a ti mesmo. (Udanavarga) 4. 4 Confucionismo Existe mxima pela qual devemos reger-nos durante toda a vida? Sem dvida, a mxima da bondade e do amor: No faas a outrem o que no quererias que eles fizessem a ti. (Anacleto) Taoismo Considera o ganho do prximo como teu prprio ganho e a perda do prximo a tua prpria perda. (Tai-Shang Kan-Ing Pten) Judasmo O que odioso para ti no o faa ao teu prximo. Essa toda a lei; o resto comentrio. (Talmud, Shabbat) Cristianismo Portanto, tudo o que vs quereis que os homens vos faam fazei-lho tambm vs, porque esta a Lei e os Profetas. (Mateus) Islamismo Nenhum de vs ser crente enquanto no desejar para seu irmo o que deseja para si mesmo. (Sunan) DOUTRINA ESPRITA SINCRETISMO RELIGIOSO: A mistura das religies. Se estudarmos as religies, veremos que todas elas tm o mesmo objetivo, embora trace caminhos totalmente diversos, de acordo com os costumes de cada povo. A comunicao entre os povos foi trazendo novos conhecimentos e misturando as culturas, fazendo com que se guardassem algumas idias e preceitos e que fossem utilizados para o bem estar dos povos. Da surgiam as religies, cada uma sendo adaptada de acordo com seus costumes. No Brasil, pas formado pela mistura de povos, o sincretismo bem visvel. UMBANDA: um dos maiores exemplos de sincretismo, pois j havia sofrido na frica influncia judaica, egpcia, islmica e dos mouros. Aqui, assimilaram de incio a influncia dos indgenas nativos, depois a da Igreja Catlica e do Espiritismo. 1. Umbanda sob influncia esotrica predomnio de influncias orientais ligadas numerologia, ao Karma, aos elementais (espritos protetores da natureza em fase primria de evoluo), sinais riscados, etc. 2. Umbanda sob influncia catlica por causa da ao dos Jesutas e padres catlicos, a cada Orix foi associado um santo da igreja, pois alguns santos possuam as qualidades de determinados Orixs. Foi tambm um modo de evitar conflitos com o clero. Nos cultos africanos no havia imagens dos Orixs. Devido influncia catlica surgem as imagens, os altares: Oxal como Jesus, Yemanj (Nossa Senhora), Ogum (So Jorge), etc. Na Umbanda original, qualquer esprito pode se tornar um Orix, independente de ser ou no canonizado pela Igreja Catlica. 5. 5 3. Umbanda sob a influncia esprita na linguagem e na prtica umbandista vem aumentando o uso de termos especficos da Doutrina Esprita. Muitos j incluem os estudos dos livros de Kardec. A prtica medinica utiliza rituais, imagens, altares, pontos riscados e cantados, danas, talisms (objetos com suposto poder mgico), amuletos (objetos com poder de afastar malefcios), oferendas, vestimentas, etc. *As sete linhas da Umbanda Branca so conhecidas como: o Amor, a F, a Caridade, o Conhecimento, a Sabedoria, a Lei e a Gerao de Vida, ESPIRITISMO: Teve incio em 1847, com os fenmenos ocorridos nos Estados Unidos, que tiveram repercusso em toda a Europa (mesas girantes), levando pesquisadores a fazer um trabalho srio a respeito e culminando com a publicao de O livro dos Espritos em Paris em 1857, o livro bsico da doutrina. Tem um aspecto cientfico (experimental), filosfico (observao) e religioso (moral). O enfoque principal o autoconhecimento, a renovao interior, a evoluo espiritual consciente. Procura libertar o homem do apego material e da ignorncia, atravs dos estudos e das prticas dos princpios doutrinrios, o ensino moral que Jesus nos deixou. Admite a existncia de um princpio espiritual, cr em Deus, na imortalidade da alma, na vida futura aps a morte, na reencarnao, na comunicao com os espritos (mediunidade), na evoluo de todas as espcies (ciclo evolutivo passando a Terra a ser um mundo de expiaes para um mundo de regenerao), na individualidade espiritual, no livre arbtrio e na lei do retorno. Princpios bsicos: Deus Existncia no h efeito sem causa. Atributos: Imanente (presente em tudo); Onisciente (sabe tudo); Onipotente (pode tudo) e Onipresente (em todos os lugares). Evoluo progresso contnuo para todas as espcies e mundos (cristal s plantas); princpio embrionrio nos animais; Esprito individualizado do homem. Reencarnao Corpos fsicos cada vez mais aperfeioados para evoluir espiritualmente. Oportunidade. Reformulao interior, iluminao.