interpretação da ohsas 18001 por rene odismar

Upload: piaparams

Post on 10-Jan-2016

22 views

Category:

Documents


0 download

DESCRIPTION

Interpretação da norma OHSAS 18001

TRANSCRIPT

  • UNIP Universidade Paulista Projeto Integrado Multidisciplinar Cursos Superiores de Tecnologia

    CERTIFICAO NA INDSTRIA DO PETRLEO OHSAS 18001

    Santos 2009

  • UNIP Universidade Paulista Projeto Integrado Multidisciplinar Cursos Superiores de Tecnologia

    CERTIFICAO NA INDSTRIA DO PETRLEO OHSAS 18001

    Ana Claudia M. A. de Oliveira - R.A: A01792-5 Denise Rodrigues Pereira - R.A: A185FH-8 Fabricio Pimentel Ferreira - R.A: 434090-6 Rafael E. Simio da Silva - R.A: 443848-5 Rodrigo F. de Arajo - R.A: 406462-3

    Curso: CST PETRLEO E GS Semestre: 1 Semestre Orientador: Prof. Sandra

    Santos

    2009

  • Agradecimentos

    Nosso agradecimento a Universidade, a todo corpo docente desta instituio

    e em especial a professora Ana Maria por toda a sua colaborao e ensinamentos

    para melhor desenvolvermos nosso trabalho e a coordenadora Sandra por sua

    pacincia e sua dedicao, que tem nos mostrado o verdadeiro caminho da busca

    de ser um excelente profissional. Ao amigo Valdir que disponibilizou seu tempo em

    ajudar nas impresses de pesquisa.

    Aos nossos familiares e pela pacincia e compreenso pelos momentos de

    ausncia e especialmente aos amigos Hugo e Wagner pelo tempo disponibilizado na

    execuo do mesmo.

  • Procure ser um homem de valor, em vez de ser um homem de sucesso.

    Albert Einstein

  • Resumo

    Esta pesquisa tem como base o empenho das organizaes petrolferas em

    alcanar e demonstrar um bom desempenho na rea da Sade e Segurana no

    Trabalho aos seus acionistas, colaboradores, clientes e outras partes interessadas,

    atravs da correta gesto dos riscos e melhoria dos efeitos sobre os produtos,

    pessoas, servios e atividades na indstria. Sabemos que a crescente exigncia da

    legislao, o desenvolvimento das polticas econmicas, a gesto de recursos

    humanos, so alguns dos fatores que impulsionaram o desenvolvimento da Sade e

    Segurana nas Organizaes.

    A preocupao dos acionistas e outras partes interessadas demonstram um

    claro e definitivo compromisso com a Sade e Segurana, que conduzir ao

    desenvolvimento sustentvel, melhoria contnua e a ultrapassar com sucesso os

    outros desafios colocados pela Globalizao. A OHSAS 18001 funciona como um

    referencial internacional, que permite s Organizaes implementar um Sistema de

    Gesto de Sade e Segurana pr ativo, dotando-as das ferramentas necessrias

    para controlar os riscos e melhorar o seu desempenho. Permite organizao ter o

    controle e conhecimento de todos os riscos relevantes, quer das suas atividades

    normais, quer de situaes anmalas e melhoria da sua performance.

    O mesmo oferece benefcios melhorando a eficincia e, conseqentemente,

    reduzindo acidentes e custos associados; aumenta o controle dos perigos, reduzindo

    os riscos atravs da definio de objetivos, metas e responsabilidades; motiva todos

    os colaboradores; faz uma evidncia a conformidade legal; aumenta a confiana de

    clientes, acionistas, comunidade e demais partes interessadas; reduzir prmios de

    seguro; consolida uma estratgia de desenvolvimento sustentado melhorando e

    encorajando uma efetiva comunicao interna e externa.

    Palavras - Chave: Certificaes na indstria do petrleo, OHSAS 18001.

  • Sumrio

    Introduo 8

    1. Histrico da OHSAS 18001 9

    1.1 Aplicao da OHSAS 18001 9

    1.2 Certificar-se da OHSAS 18001 10

    1.3 Os benefcios da OHSAS 18001 11

    1.4 Acidentes na Indstrias Petrolferas 12

    2.Objetivos 15

    3. Termos e Definies 16

    3.1 Acidentes 16

    3.2 Auditoria 16

    3.3 Melhorias Contnuas 16

    3.4 Perigo 17

    3.5 Identificao de Perigos 17

    3.6 Incidente 17

    3.7 Partes Interessadas 17

    3.8 No-conformidade 17

    3.9 Objetivos 18

    3.10 Segurana e Sade Ocupacional (SSO) 18

    3.11 Sistemas de Gesto de SSO 18

    3.12 Organizao 18

    3.13 Desempenho 19

    3.14 Risco 19

    3.15 Avaliao de Riscos 19

    3.16 Segurana 19

    3.17 Riscos Tolerveis 19

    4. Elementos do Sistema de Gesto da SSO 20

    4.1 Requisitos Gerais 21

    4.2 Poltica SSO 22

    4.3 Planejamento 26

    4.3.1 Planejamento para Identificao de

    Perigos e Avaliao de Riscos 26

    4.3.2 Requisitos Legais e Outros Requisitos 30

  • 4.3.3 Objetivos 31

    4.3.4 Programa de Gesto da SSO 31

    5.Implementao e Operao 32

    5.1 Estrutura e Responsabilidade 32

    5.2 Treinamento, Conscientizao e Competncia 33

    5.3 Consulta e Comunicao 34

    5.4 Documentao 35

    5.5 Controle de Documentos e de Dados 35

    5.6 Controle Operacional 36

    5.7 Preparao e Atendimento a Emergncias 36

    5.8 Verificao e Ao Corretiva 37

    5.9 Monitoramento e Medio do Desempenho 37

    5.10 Acidentes, Incidentes, No-conformidades e

    Aes Corretivas e Preventivas 38

    5.11 Registros e Gesto de Registros 38

    5.12 Auditoria 39

    5.13 Anlise Crtica pela Administrao 40

    6.Relao do OHSAS na rea do Petrleo e Gs 55

    6.1 Diretrizes de Segurana e Sade Ocupacional

    na rea da Petrobrs 55

    6.2 As Diretrizes 56

    7. SIGA Sistema Integrado de Gesto de Anomalia 67

    8. Certificao OHSAS 18001 Dia aps dia 68

    Concluso 70

    Referncias Bibliograficas 71

  • 8

    INTRODUO

    Esta pesquisa tem como objetivo apresentar um guia sobre a Certificao

    OHSAS 18001 dentro da Indstria Petrolfera. Ser mostrado um breve histrico da

    criao dessa certificao nas indstrias petrolferas e o processo para o

    recebimento desses certificados. Para que possam ser compreendidos os

    fundamentos dessa certificao, iremos descrever alguns acidentes ocorridos nas

    indstrias petrolferas e as normas necessrias para que as mesmas devem se

    adequar para ter essa certificao, e assim dar melhor qualidade de vida para os

    funcionrios e melhorar a estrutura da indstria.

    O contedo da norma apresenta todos seus termos, definies e requisitos

    para que a organizao siga perfeitamente o que se pede.

  • 9

    CAPITULO 1

    HISTRICO DA OHSAS 18001

    As diretrizes para implementao da OHSAS 18001 foi desenvolvida como

    resposta premente demanda por parte de clientes.

    A OHSAS 18001 foi desenvolvida para ser compatvel com a ISO 9001:1994

    e ISO 14001:1996, relacionadas a Sistemas de Gesto da Qualidade e do Meio

    Ambiente, respectivamente, para facilitar a integrao entre sistemas de gesto

    voltados qualidade, o meio ambiente e a segurana e sade ocupacional.

    A OHSAS 18001 a norma mais utilizada em todo mundo para a certificao

    SSO (Segurana e sade ocupacional).

    Somente em 1998 a OHSAS 18001 se autodenomina uma norma. Isso reflete

    o aumento da adoo da OHSAS 18001 como base de normas nacionais para

    sistemas de gesto da segurana e sade no trabalho.

    Uma das principais alteraes na norma a nfase em sade, alm da

    expressiva melhoria no alinhamento da nova ISO 14001.

    A OHSAS 18001 tem por objetivo fornecer as organizaes os elementos de

    um sistema de gesto da SST eficaz, passvel de integrao com outros sistemas

    (qualidade e meio ambiente) ainda a alcanar seus objetivos de SSO.

    1.1. Aplicao da OHSAS 18001

    A norma aplica-se a organizaes que desejam estabelecer um sistema e

    gesto da SST para eliminar ou minimizar riscos pessoas e a outras partes

    interessadas que possam estar expostas aos perigos de SSO associados a suas

    atividades. Implementar, a manter e melhorar continuamente um sistema de gesto

  • 10

    da SSO. Assegurar-se da conformidade com sua poltica de SSO definida

    demonstrar conformidade com esta Norma OHSAS da seguinte forma:

    - Fazendo uma auto-avaliao e auto declarao;

    - Buscando a confirmao de sua conformidade por meio de partes que

    tenham interesse na organizao; tais como cliente;

    -Buscando a confirmao de sua auto declarao por meio de uma parte

    externa organizao;

    - Buscando a certificao/registro de seu sistema da SSO por meio de uma

    organizao externa.

    Todos os requisitos desta Norma OHSAS se destinam a ser incorporados em

    qualquer sistema d gesto da SSO. A extenso da aplicao depender de fatores

    como a poltica de SSO da organizao, a natureza de suas atividades e os riscos e

    a complexidade de suas operaes.

    1.2. Certificar-se da OHSAS 18001

    Cada vez mais Organizaes se mostram preocupadas em demonstrar o seu

    compromisso com a Segurana, Higiene e Sade no Trabalho. Este um tema

    crucial para a imagem corporativa, envolvendo colaboradores, clientes, bem como

    outras partes interessadas.

    A exigente legislao determina que as Organizaes demonstrem um

    compromisso claro e prtico com a Segurana, Higiene e Sade no Trabalho.

    Clientes e colaboradores querem esta informao antecipadamente, de forma a

    assegurar que a sua Organizao continuar a satisfazer as suas necessidades a

    curto e mdio prazo. um desafio, mas tambm uma oportunidade para as

    Organizaes reduzirem riscos e assegurarem um ambiente de trabalho mais

    seguro.

  • 11

    A certificao OHSAS 18001 permite-lhe demonstrar o seu compromisso com

    a Segurana, Higiene e Sade no Trabalho, bem como melhorar continuamente a

    sua imagem corporativa.

    1.3. Os benefcios da OHSAS 18001

    Demonstrar o seu compromisso com a Segurana, Higiene e Sade no

    Trabalho permite melhorar significativamente a eficcia das operaes internas e

    conseqentemente reduzirem acidentes, riscos e perodos de paragem. A segurana

    do colaborador e a qualidade do ambiente de trabalho so significativamente

    melhoradas porque os objetivos e as responsabilidades so definidos, e todos os

    colaboradores so preparados para lidar de forma eficaz com quaisquer riscos

    futuros. Simultaneamente, a especificao OHSAS 18001 assegura a conformidade

    com os atuais requisitos legais, reduzindo o risco de sanes e aes judiciais.

    A certificao do seu Sistema de Gesto OHSAS 18001 permite-lhe

    demonstrar elevados nveis de Segurana, Higiene e Sade no Trabalho no

    concurso a contratos nacionais e internacionais, na expanso local de novos

    negcios ou na negociao de prmios de seguro.

    As avaliaes regulares apiam as organizaes continuamente, a usar,

    monitorizar e melhorar os seus Sistemas de Gesto de Segurana, Higiene e Sade

    no Trabalho e processos relacionados. Melhoram a viabilidade das operaes

    internas na satisfao dos clientes, bem como todo o seu desenvolvimento.

    Possibilitar, ainda, uma melhoria significativa na motivao dos seus

    colaboradores, envolvimento e conscincia das suas responsabilidades de um

    ambiente de trabalho seguro.

  • 12

    1.4. Acidentes na Indstria Petrolfera

    Grandes acidentes mostram que preciso cuidado nas indstrias de petrleo.

    A histria da indstria do petrleo no Brasil marcada por acidentes que muitas

    vezes formam grandes propores e colocam em risco a vida dos petroleiros.

    Principais Acidentes:

    1967 Terminal Petrolfero TEMA-DRE, Bacia de Todos os Santos,

    incndio de grande porte com dezenas de mortos.

    1972 Refinarias REDUC, Duque de Caxias- vazamento e incndio em

    vlvula de esfera de GLP com exploso e trancamento de fragmentos, 38 bitos,

    incluindo briga distas.

    1980 A plataforma Alexander Keillan de Ekofish, no mar do

    norte,naufraga,deixando 23 mortos.

    1981 Uma embarcao de perfurao afunda no mar do Sul na China,

    matando 81 pessoas.

    1982 Transportes de Derivados. Bairro da cidade de Pojuca, Recncavo

    Baiano Descarrilamento de 20 vages-cisterna (15 diesel e 5 gasolina)frete

    Petrobrs e seus,passo as levando latas cheias para casa,incndio prolongado e

    disseminado.Mais de 50 bitos e dezenas de leses graves.

    1982 A Ocean. Ranger, plataforma americana, tomba no Atlntico Norte,

    matando 84 pessoas.

    1984 37 trabalhadores morrem afogados e outros 17 ficam feridos na

    exploso de uma plataforma da Petrobrs na Bacia de Campos.

    1984 Um homem morre e dois ficam feridos, durante a exploso de uma

    plataforma no Golfo do Mxico diante da Costa do Texas.

    1984 Dutos viam TEDEP- Alemoa, Cantos RPBC- Cubato- Rompimento de

    duto de gasolina, com derramamento prolongado sobre o manguezal, seguido de

  • 13

    exploses e incndios, atingindo as palafitas e barracos da favela. Mais de 90 bitos

    oficiais e mais de 500 desaparecidos estimados.

    1985 A exploso de uma mquina bombeadora na plataforma Gluma rtico

    II, no Mar do Norte, causa a morte de um homem e ferimentos em outros dois.

    1986 Duas exploses na plataforma Zapata (Petrobrs) ferem 12 pessoas.

    1987 Incndios na plataforma da Petrobrs Pampa, na bacia de Campos,

    provoca queimaduras em seis pessoas

    1988 Incndios na plataforma Enchova (Petrobrs).

    1988 No pior desastre em todo relacionado nas plataformas de petrleo,

    167 pessoas morrem quando o PPR Alta, da Ocidental Petrleo, explode no Mar do

    Norte, aps um vazamento de gs.

    1988 Uma refinaria da empresa francesa Total Petrleo explode e afunda

    na Costa de Bornal. Quatro trabalhadores morrem.

    1989 A exploso de uma plataforma da Penrond Drilling, no Golfo do

    Mxico, deixa 12 trabalhadores feridos.

    1991 Trs pessoas ficam feridas numa exploso ocorrida na plataforma

    Formar Alpha, da Shell, no Mar do Norte.

    1991 Um tripulante morre aps uma exploso num navio petroleiro, no litoral

    do Estado de So Paulo.

    1991 Refinaria Manguinhos (Grupo Peixoto de Castro, hoje associado a

    YPF),Rio de Janeiro- Vazamento de Cru reduzido a 300oC da torre de destilao

    atmosfrica,seguido de flasheamento,incndio com propagao do mesmo devido

    da exploso de cilindros de amnia,ferimentos em trabalhadores(1 grave com 90%

    do corpo queimado),um bito e feridos na favela prxima durante o pnico,bloqueio

    da Av. Brasil,proximidades com outras instalaes de risco e concentrao de

    pessoas.

  • 14

    1995 13 pessoas morrem na exploso de uma plataforma da Mbil na Costa

    da Nigria. Muitas ficam feridas.

    1996 Trs pessoas morrem na exploso de uma plataforma no campo

    petrolfero de Morgan, no Golfo de Suez.

    1998 Refinaria Gabriel Passos (REGAP), Betim- Erros no projeto de dutos

    no permitiram impedir que um vazamento de nafta atingisse um setor no qual um

    trabalhador realizava um servio de solda. O fogo se espalhou rapidamente

    causando a morte de seis pessoas e ferimentos graves em outras seis.

    1999 Exploses ferem duas pessoas na plataforma P-31, na Bacia de

    Campos (Petrobrs)

    2001 Acidente na P-36 Duas exploses na P-36 culminaram com a morte

    de 11 petroleiros e afundamento da maior plataforma submersvel do mundo.

    2001 O navio petroleiro Norma que carregava nafta, da frota da Transpetro-

    subsidiria da Petrobras,chocou com uma pedra na Baa de Guanabara,litoral

    paranaense,vazando 392 mil litros do produto atingindo uma rea de 3 mil metros

    quadrado.O acidente culminou na morte de um mergulhador,que efetuou um

    mergulho para avaliar as condies do casco perfurado.

    2008 Exploso no campo de explorao de gs e leo de Furado em So

    Miguel dos Campos, Alagoas.

    Ao analisarmos os acidentes citados, percebemos a importncia de se obter

    uma certificao que o assegure da melhor forma.

  • 15

    CAPITULO 2

    OBJETIVO

    O padro de Sade Ocupacional e Segurana (OHSAS 18001) um padro

    internacional que estabelece requisitos relacionados Gesto da Sade

    Ocupacional e Segurana, atravs do qual possvel melhorar o conhecimento dos

    riscos existentes na organizao, atuando no seu controle em situaes normais e

    anmalas. Este padro aplicvel a qualquer organizao de diversos setores e

    atividades econmicas, orientando tais organizaes sobre como promover a

    melhoria contnua do desempenho de Sade Ocupacional e Segurana, atravs de:

    - Melhoria na sua cultura de segurana, na eficincia e, conseqentemente,

    reduo de acidentes na produo;

    - Incremento no controle de perigos e reduo de riscos;

    - Demonstrao do atendimento das demandas legais e aumento da sua

    reputao no gerenciamento da SSO;

    - Reduo de prmios de seguro;

    - Constituio de uma parte integral de sua estratgia de desenvolvimento

    sustentvel;

    - Demonstrao do seu compromisso com a proteo do seu pessoal e dos

    ativos fixos;

    - Promoo das comunicaes internas e externas.

    Todos os requisitos desta especificao OHSAS de destinam a ser

    incorporados em qualquer Sistema de Gesto da SSO. O grau de aplicao

    depender de fatores com a poltica de SSO da organizao, a natureza de suas

    atividades e os riscos e a complexidade de suas operaes.

  • 16

    Esta especificao OHSAS direcionada Segurana e sade Ocupacional,

    e no segurana de produtos e servios.

    CAPITULO 3

    TERMOS E DEFINIES

    Para os efeitos desta especificao OHSAS, aplicam-se os seguintes termos

    e definies.

    3.1. Acidente

    Evento no-planejado que resulta em morte, doena, leso, dano ou outra

    perda.

    3.2. Auditoria

    Exame sistemtico para determinar se as atividades e resultados

    relacionados esto em conformidade com as providncias planejadas, e se essas

    providncias esto implementadas efetivamente e so adequadas para atender

    poltica e aos objetivos da organizao.

    3.3. Melhorias Contnuas 1

    Processo de aprimoramento do Sistema de Gesto da SSO, visando atingir

    melhorias no desempenho global da Segurana e Sade Ocupacional, de acordo

    com a poltica de SSO da organizao.

    1 No necessrio que o processo seja aplicado simultaneamente a todas as reas de atividade.

  • 17

    3.4. Perigo

    Fonte ou situao com potencial para provocar danos em termos de leso,

    doena, dano propriedade, dano ao meio ambiente do local de trabalho, ou uma

    comunicao destes.

    3.5. Identificaes de Perigos

    Processo de reconhecimento que um perigo existe, e de definio de suas

    caractersticas.

    3.6. Incidente

    Evento que deu origem a um acidente ou que tinha o potencial de levar a um

    acidente.2

    3.7. Partes Interessadas

    Indivduo ou grupo preocupado com, ou afetado pelo, desempenho da SSO

    de uma organizao.

    3.8. No-conformidade

    Qualquer desvio das normas de trabalho, prticas, procedimentos,

    regulamentos, desempenho do sistema de gesto etc., que possa levar, direta ou

    2 Um incidente em que no ocorre doena, leso, dano ou outra perda tambm chamado de quase

    acidente. O termo incidente inclui quase acidente

  • 18

    indiretamente, leso ou doena, dano propriedade, dano ao meio ambiente de

    trabalho, ou uma combinao destes.

    3.9. Objetivos

    Metas, em termos de desempenho da SSO, que uma organizao estabelece

    para ela prpria alcanar.3

    3.10. Segurana e Sade Ocupacional (SSO)

    Condies e fatores que afetam o bem-estar de funcionrios, trabalhadores

    temporrios, pessoal contratado, visitantes e qualquer outra pessoa no local de

    trabalho.

    3.11. Sistemas de Gesto de SSO

    Parte do sistema de gesto global que facilita o gerenciamento dos ricos de

    SSO associados aos negcios da organizao. Isto inclui a estrutura organizacional,

    atividades de planejamento, responsabilidade, prticas, procedimentos, processos e

    recursos para desenvolver, implementar, atingir, analisar criticamente e manter a

    poltica de SSO da organizao.

    3.12. Organizao

    Companhia, corporao, firma, empresa, organizao ou associao, ou parte

    dela, incorporada ou no, pblica ou privada, que tem funes e estrutura

    administrativa prprias.4

    3 Objetivos devem ser quantificados sempre que possvel.

    4 Para organizaes com mais de uma unidade de negcio, uma nica unidade pode ser definida como

    uma organizao.

  • 19

    3.13. Desempenho

    Resultados mensurveis do Sistema de Gesto da SSO, relacionados ao

    controle da organizao sobre seus riscos segurana e sade, com base em sua

    poltica e objetivos de SSO.

    3.14. Risco

    Combinao da probabilidade de ocorrncia e da conseqncia de um

    determinado evento perigoso.

    3.15. Avaliaes de Riscos

    Processo global de estimar a magnitude dos riscos, e decidir se um risco ou

    no tolervel.

    3.16. Segurana

    Iseno de riscos inaceitveis de danos.

    3.17. Riscos Tolerveis

    Risco que foi reduzido a um nvel que pode ser suportado pela organizao,

    levando em conta suas obrigaes legais e sua prpria poltica de SSO. Alguns

    documentos de referncia, incluindo a BS 8800, utilizam o termo avaliao de

    riscos para abranger todo o processo de identificao de perigos, determinao de

    riscos e seleo das medidas apropriadas para a reduo e o controle de riscos

    A OHSAS 18001 e a OHSAS 18002 referem-se aos elementos individuais

    desse processo separadamente e utilizavam o termo avaliao de riscos para se

    referirem ao segundo passo, chamado de determinao de riscos. Estabelecimento

    implica um nvel de permanncia.

  • 20

    recomendado no considerar o sistema estabelecido at que todos os seus

    elementos tenham sido comprovadamente implementados. Manuteno implica

    que, uma vez estabelecido, o sistema continue a operar, o que requer esforo ativo

    por parte da organizao. Muitos sistemas comeam bem, porem se deterioram

    devido falta de manuteno. Muitos os elementos do OHSAS 18001 (tais como a

    verificao e ao corretiva e anlise crtica pela administrao0 so projetados para

    assegurarem a manuteno ativa do sistema.

    CAPITULO 4

    ELEMENTOS DO SISTEMA DE GESTO DA SSO

    a) Figura l - Elementos da gesto bem-sucedida da SSO

    Melhoria contnua

    Poltica de SSO

    Planejamento

    Implementao e operao

    Anlise crtica pela

    administrao

    Verificao e ao corretiva

  • 21

    4.1. Requisitos Gerais

    A - Requisitos da OHSAS 18001

    A organizao deve estabelecer e manter um Sistema de Gesto da

    segurana e Sade Ocupacional (SSO), cujos requisitos esto descritos na seo 3.

    B Intento

    recomendado que a organizao estabelea e mantenha um sistema que

    esteja em conformidade com todos os requisitos da OHSAS 18001:1999. Com isso,

    a organizao poder tambm ser auxiliada no atendimento aos requisitos legais

    aplicveis ou a outros regulamentos de SSO.

    O nvel de detalhe e complexidade do sistema de Gesto da SSO, a extenso

    da documentao e os recursos destinados ao sistema dependem do tamanho da

    organizao e da natureza de suas atividades.

    Toda a organizao tem liberdade e flexibilidade para definir seus limites,

    podendo escolher implementar a OHSAS 18001 em toda a organizao ou em

    unidades operacionais ou atividades especificas da mesma.

    recomendado tomar cuidado quanto definio dos limites e do escopo do

    sistema de gesto. recomendado que as organizaes no tentem limitar o escopo

    a fim de exclurem a avaliao de uma operao ou atividade que requerida para a

    operao global da organizao, ou que possa ter impacto na SSO de seus

    funcionrios e de outras partes interessadas.

    Se a OHSAS 18001 for implementada para uma atividade ou unidade

    operacional especfica, as polticas de SSO e os procedimentos desenvolvidos por

    outras partes da organizao podero ser utilizados por esta atividade ou unidade

    operacional especfica, a fim de auxiliarem no atendimento aos requisitos da OHSAS

    18001. Isso pode exigir que as polticas de SSO e os procedimentos sejam

    submetidos a uma reviso secundria ou emenda, a fim de assegurar que so

    aplicveis atividade ou unidade operacional especfica.

  • 22

    C - Entrada Tpica

    Todos os requisitos de entrada para a implementao da OHSAS 18001

    esto descritos na especificao.

    D Sada Tpica

    A sada tpica um Sistema de gesto de SSO efetivamente e mantido, que

    auxilia a organizao a, continuamente, buscar melhorias para o seu desempenho

    de SSO.

    4.2 Poltica de SSO

    b) Figura II - Poltica de SSO

    Anlise crtica pela administrao

    Auditoria

    POLTICA

    Realimentao da medio do desempenho

    Planejamento

  • 23

    A Requisito da OHSAS 18001

    Deve existir uma poltica de Segurana e Sade Ocupacional, autorizada pela

    alta administrao da organizao, que estabelea claramente os objetivos globais

    de segurana e sade e o comprometimento para melhorar o desempenho da SSO.

    A poltica deve:

    a- ser apropriada natureza e escala dos riscos de SSO da organizao;

    b- incluir o comprometimento com a melhoria contnua;

    c- incluir o comprometimento com o atendimento, pelo menos, legislao

    vigente de Segurana e Medicina do Trabalho aplicvel, e a outros requisitos

    subscritos pela organizao,

    d- ser documentada, implementada e mantida;

    e- ser comunicada a todos os funcionrios, com o objetivo de que eles

    tenham conhecimento de suas obrigaes individuais em relao a SSO;

    f- esteja disponvel para as partes interessadas; e

    g- seja periodicamente analisada criticamente, para assegurar que ela

    permanece pertinente e apropriada organizao.

    B Intento

    Uma poltica de SSO estabelece senso geral de orientao e fixa os princpios

    de ao para uma nova organizao. Ela estabelece objetivos de SSO quanto

    responsabilidade e ao desempenho em SSO exigidos em toda a organizao.

    Tambm demonstra o comprometimento formal da organizao, especialmente da

    Alta Administrao, visando uma boa gesto da SSO.

    recomendado que a alta Administrao produza e seja signatria de uma

    declarao documentada da poltica de SSO. recomendado que a poltica de SSO

    seja consistente com as polticas de negcio da organizao e com as polticas de

  • 24

    outras reas de gesto como, por exemplo, gesto da qualidade ou gesto

    ambiental.

    C Entradas Tpicas

    Ao estabelecer a poltica de SSO, recomendado que a Administrao

    considere os seguintes itens:

    - poltica e objetivos pertinentes aos negcios da organizao como um todo;

    - os perigos de SSO da organizao;

    - requisitos legais e outros requisitos;

    - o desempenho histrico e o desempenho atual de SSO da organizao;

    - as necessidades de outras partes interessadas;

    - as oportunidades e necessidades de melhoria contnua;

    - os recursos necessrios;

    - as contribuies dos funcionrios;

    - as contribuies dos contratados e do pessoal externo.

    D Processo

    recomendado que a alta Administrao projete e seja signatria de uma

    poltica de SSO levando em considerao os itens relacionados abaixo.

    essencial que a poltica de SSO seja comunicada e promovida pela Alta

    Administrao dentro a organizao.

    recomendado que uma poltica de SSO, efetivamente formulada e

    comunicada:

    1 seja apropriada natureza e a escala de riscos de SSO da organizao;

  • 25

    2 inclua um comprometimento com a melhoria contnua;

    3 inclua um comprometimento de estar em conformidade, no mnimo, com a

    legislao atual e aplicvel de SSO e com outros requisitos subscritos pela

    organizao.

    4 seja documentao, implementada e mantida;

    5 seja comunicada a todos os funcionrios, para que estes se conscientizem

    de suas obrigaes individuais em relao SSO;

    6 esteja disponvel para as partes interessadas;

    7 seja analisada periodicamente para assegurar que ela se mantm

    pertinente e apropriada para a organizao.

    E Sada Tpica

    A sada tpica uma poltica de SSO abrangente e compreensvel,

    comunicada a toda organizao.

  • 26

    4.3. Planejamento

    Figura III Planejamento

    4.3.1. Planejamento para Identificao de Perigos e Avaliao de Riscos

    A Requisitos da OHSAS 18001

    A organizao deve estabelecer e manter procedimentos para a identificao

    contnua de perigos, a avaliao de riscos e a implementao das medidas de

    controle necessrias. Tais procedimentos devem incluir:

    - Atividades de rotina e no-rotineiras;

    - Atividades de todo o pessoal que tem acesso aos locais de trabalho

    (incluindo subcontratados e visitantes);

    - Instalaes nos locais de trabalho, tanto as fornecidas pela organizao

    como por outros.

    Implementao e Operao

    Poltica

    PLANEJAMENTO Realimentao da medio do desempenho

    Auditoria

  • 27

    A organizao deve assegurar que os resultados dessas avaliaes e os

    efeitos desses controles sejam considerados quando da definio de seus objetivos

    de SSO. A organizao deve documentar e manter tais informaes atualizadas.

    A metodologia da organizao para a identificao de perigos e avaliao de

    riscos deve:

    - Ser definida com respeito ao seu escopo, natureza e momento oportuno

    para agir, para assegurar que ela seja proativa ao invs de reativa;

    - Assegurar a classificao de riscos e a identificao daqueles que devem

    ser eliminados ou controlados atravs de medidas, conforme definido em 3.3.3 e

    3.3.4.

    - Ser consistente com a experincia operacional e a capacidade das medidas

    de controle de riscos empregadas;

    - Fornecer subsdios para a determinao de requisitos da instalao,

    identificao de necessidades de treinamento e/ou desenvolvimento de controles

    operacionais;

    - Assegurar o monitoramento das aes requeridas, para garantir tanto a

    eficcia como o prazo de implementao das mesmas.

    B Intento

    recomendado que, aps usar os processos d identificao de perigos e de

    avaliao e controle de riscos, a organizao tenha uma estimativa completa de

    todos os perigos para a SSO.

    recomendado que os processos de identificao de perigos e avaliao e

    controle de riscos e os seus resultados sejam a base para todo o sistema de SSO.

    importante que os inter-relacionamentos entre esses processos e os outros

    elementos do Sistema da SSO estejam claramente estabelecidos e sejam visveis.

    As subsees do orientao quanto aos inter-relacionamentos existentes entre os

    requisitos da subseo 4.31 e os outros requisitos da OHSAS 18001:1999.

  • 28

    C Entradas Tpicas

    As entradas tpicas incluem os seguintes itens:

    - requisitos legais e outros requisitos de SSO.;

    - poltica de SSO;

    - registros de incidentes e acidentes; no-conformidades

    - resultados de auditoria do Sistema de Gesto da SSO; comunicaes de

    funcionrios e de outras partes interessadas; informaes de consultas a

    funcionrios, de analises criticas e de atividade de melhoria feitas no ambiente de

    trabalho;

    - Informaes sobre instalaes, processos e atividades da organizao,

    incluindo o seguinte:

    - detalhes dos procedimentos de controle de alteraes;

    - plano da unidade;

    - fluxogramas de processos;

    - Inventrio de matrias perigoso (matria-prima, substncias qumicas,

    resduos, produtos, subprodutos);

    - dados toxicolgicos e outros dados de SSO;

    - dados de monitoramento;

    - dados ambientais do local de trabalho.

  • 29

    D Processo

    1 - Identificao de perigos e avaliao e controle de riscos

    I Generalidades

    recomendado que as medidas para a gesto de riscos reflitam, onde

    exeqvel, o principio da eliminao de perigos, seguida pela reduo de riscos,

    deixando-se a utilizao do equipamento de Proteo Individual (EPI) como ultimo

    recurso. A identificao de perigos e a avaliao e o controle de riscos so

    ferramentas-chave para a gesto de riscos.

    II Processos de identificao de perigos e de avaliao e controle de riscos

    recomendado que os processos de identificao de perigo e de avaliao

    de riscos sejam documentados e incluam os seguintes elementos:

    - identificao de perigos;

    - avaliao de riscos, considerando as medidas de controle existentes,

    levando em conta a exposio a perigos especficos, a probabilidade de falha das

    medidas de controle e a possvel gravidade das conseqncias de leses so

    danos;

    - avaliao de sua tolerabilidade aos riscos remanescentes;

    - identificao de quaisquer medidas adicionais de controle de riscos

    necessrios;

    - avaliao de se as medidas de controle de riscos so suficientes para

    reduzir os riscos a um nvel tolervel.

  • 30

    2 Anlise Crtica da Identificao de Perigos e da Avaliao e Controle de

    Riscos

    recomendado que os processos de identificao de perigos e de avaliao

    e controle de riscos sejam analisados num prazo ou perodo-determinado na poltica

    de SSO ou num prazo pr-determinado pela administrao. Esse prazo pode variar

    de acordo com as seguintes consideraes:

    - natureza dos perigos;

    - magnitude dos riscos;

    - modificaes de operaes normais;

    - modificaes de estoques de abastecimentos, matria-prima; produtos

    qumicos etc.

    recomendado que se faa tambm uma anlise crtica, no caso de ser

    questionada a validade das avaliaes existentes devido s modificaes, as quais

    podem incluir os seguintes elementos:

    - expanso, reduo, reestruturao;

    - redefinio de responsabilidades;

    - mudanas d mtodos de trabalho ou de padres de comportamento.

    4.3.2. Requisitos Legais e Outros Requisitos

    A organizao deve estabelecer e manter procedimento para identificar e ter

    acesso legislao e a outros requisitos de SSO que lhe so aplicveis.

    A organizao deve manter essa informao atualizada. Deve comunicar as

    informaes pertinentes sobre requisitos legais e outros requisitos a seus

    funcionrios e s outras partes interessadas envolvidas.

  • 31

    4.3.3. Objetivos

    A organizao deve estabelecer e manter objetivos de Segurana e Sade

    Ocupacional documentados, em cada nvel e funo pertinentes da organizao.5

    Ao estabelecer e revisar seus objetivos, a organizao deve considerar os

    requisitos legais e outros requisitos, seus perigos e riscos de SSO, suas opes

    tecnolgicas, seus requisitos financeiros, operacionais e de negcios, bem como a

    viso das partes interessadas. Os objetivos devem ser compatveis com a poltica

    de SSO, incluindo o comprometimento com a melhoria contnua.

    4.3.4. Programa de Gesto da SSO

    A organizao deve estabelecer e manter programa(s) de gesto da SSO

    para atingir seus objetivos. Esse programa deve incluir a documentao para:

    1- a atribuio de responsabilidade e autoridade em cada funo e nvel

    pertinente da organizao, visando atingir os objetivos, e

    2- os meios e o prazo dentro do qual os objetivos devem ser atingidos.

    O programa de gesto da SSO deve ser analisado criticamente em intervalos

    planejados e regulares. Deve ser alterado, onde necessrio, para atender s

    mudanas nas atividades, produtos, servios ou condies operacionais da

    organizao.

    5 Os objetivos devem ser quantificados, sempre que praticvel

  • 32

    CAPITULO 5

    IMPLEMENTAO E OPERAO

    c) Figura IV - Implementao e operao

    5.1. Estrutura e Responsabilidade

    As funes, responsabilidades e autoridades do pessoal que gerencia,

    desempenha e verifica atividades que tm efeito sobre os riscos de SSO das

    atividades, instalaes e processos da organizao, devem ser definidas,

    documentadas e comunicadas, a fim de facilitar a gesto da Segurana e Sade

    Ocupacional.

    A responsabilidade formal pela SSO da alta administrao. A organizao

    deve nomear um membro da alta administrao (por ex.: numa grande organizao,

    um membro da diretoria ou do comit executivo), com responsabilidade especfica

    para assegurar que o Sistema de Gesto da SSO est adequadamente

    implementado e atende aos requisitos em todos os locais e esferas de operao

    dentro da organizao.

    Planejamento

    Implementao e operao

    Realimentao da medio do

    desempenho

    Auditoria

    Verificao e ao

    corretiva

  • 33

    A administrao deve fornecer os recursos essenciais para a implementao,

    controle e melhoria do Sistema de Gesto da SSO.6

    O representante nomeado pela administrao da organizao deve ter

    funes, responsabilidades e autoridades definidas para:

    1- assegurar que os requisitos do Sistema de Gesto da SSO sejam

    estabelecidos, implementados e mantidos de acordo com esta especificao

    OHSAS;

    2- assegurar que os relatrios sobre o desempenho do Sistema de Gesto da

    SSO so apresentados alta administrao para anlise crtica, e sirvam de base

    para a melhoria do referido Sistema.

    Todos aqueles com responsabilidade administrativa devem demonstrar seu

    comprometimento com a melhoria contnua do desempenho da SSO.

    5.2. Treinamento, Conscientizao e Competncia

    O pessoal deve ser competente para desempenhar as tarefas que possam ter

    impacto sobre a SSO, no local de trabalho. A competncia deve ser definida em

    termos de educao apropriada, treinamento e/ou experincia.

    A organizao deve estabelecer e manter procedimentos para assegurar que

    seus funcionrios, trabalhando em cada nvel e funo pertinentes, estejam

    conscientes:

    - da importncia da conformidade com a poltica e procedimentos de SSO, e

    com os requisitos do Sistema de Gesto da Segurana e Sade Ocupacional;

    6 Recursos incluem: recursos humanos, qualificaes especficas, tecnologia e recursos financeiros.

  • 34

    - das conseqncias de SSO, reais ou potenciais, de suas atividades de

    trabalho, e dos beneficies para sua segurana e sade resultantes da melhoria do

    seu desempenho pessoal,

    - de suas funes e responsabilidades em atingir a conformidade com a

    poltica e procedimentos de SSO, e com os requisitos do Sistema de Gesto da

    SSO, inclusive os requisitos de preparao e atendimento a emergncias (ver 4.8);

    - das potenciais conseqncias da Inobservncia dos procedimentos

    operacionais especificados.

    Os procedimentos de treinamento devem levar em conta os diferentes nveis

    de: responsabilidade, habilidade, instruo e risco.

    5.3. Consulta e Comunicao

    A organizao deve ter procedimentos para assegurar que as informaes

    pertinentes de SSO so comunicadas para e a partir dos funcionrios e de outras

    partes interessadas.

    As providncias para o envolvimento e consulta aos funcionrios devem ser

    documentadas, e as partes interessadas informadas.

    Os funcionrios devem ser:

    - envolvidos no desenvolvimento e anlise crtica das polticas e

    procedimentos para a gesto de riscos;

    - consultados quando existirem quaisquer mudanas que afetem sua

    segurana e sade no local de trabalho;

    - representados nos assuntos de segurana e sade; e

    - informados sobre quem so seus representantes nos assuntos de SSO, e

    sobre o representante nomeado pela administrao (ver 4.2).

  • 35

    5.4. Documentao

    A organizao deve estabelecer e manter informaes, em papel ou em meio

    eletrnico, para:

    1- descrever os principais elementos do sistema de gesto e a interao entre

    eles;

    2- fornecer orientao sobre a documentao relacionada.

    5.5. Controle de Documentos e de Dados

    A organizao deve estabelecer e manter procedimentos para o controle de

    todos os documentos e dados exigidos por esta especificao OHSAS, para

    assegurar que:

    1- possam ser localizados;

    2- sejam periodicamente analisados, revisados quando necessrio e

    aprovados, quanto sua adequao, por pessoal autorizado;

    3- as verses atualizadas dos documentos e dados pertinentes estejam

    disponveis em todos os locais onde so executadas operaes essenciais ao

    efetivo funcionamento do Sistema de Gesto da SSO;

    4- documentos e dados obsoletos sejam prontamente removidos de todos os

    pontos de emisso e uso ou, de outra forma, garantidos contra o uso no

    intencional;

    5- documentos e dados arquivados, retidos por motivos legais e/ou para

    preservao de conhecimento, sejam adequadamente identificados.

  • 36

    5.6. Controle operacional

    A organizao deve identificar aquelas operaes e atividades associadas

    aos riscos identificados, onde as medidas de controle necessitam ser aplicadas. A

    organizao deve planejar tais atividades, inclusive manuteno,. de forma a

    assegurar que sejam executadas sob condies especficas atravs:

    1- do estabelecimento e manuteno de procedimentos documentados, para

    abranger situaes onde sua ausncia possa acarretar desvios em relao poltica

    de SSO e aos objetivos;

    2- da estipulao de critrios operacionais nos procedimentos;

    3- do estabelecimento e manuteno de procedimentos relativos aos riscos

    identificados de SSO, de bens, equipamentos e servios adquiridos e/ou utilizados

    pela organizao, e da comunicao dos procedimentos e requisitos pertinentes a

    serem atendidos por fornecedores e contratados;

    4- do estabelecimento e manuteno de procedimentos para o projeto de

    locais de trabalho, processos, instalaes, equipamentos, procedimentos

    operacionais e organizao do trabalho, incluindo suas adaptaes s capacidades

    humanas, de forma a eliminar ou reduzir os riscos de SSO na sua fonte.

    5.7. Preparao e Atendimento a Emergncias

    A organizao deve estabelecer e manter planos e procedimentos para

    identificar o potencial e atender a incidentes e situaes de emergncia, bem como

    para prevenir e reduzir as possveis doenas e leses que possam estar associadas

    a eles.

    A organizao deve analisar criticamente seus planos e procedimentos de

    preparao e atendimento a emergncias, em particular aps a ocorrncia de

    incidentes ou situaes de emergncia.

    A organizao deve tambm testar periodicamente tais procedimentos, onde

    exeqvel.

  • 37

    5.8. Verificao e Ao Corretiva

    Figura V - Verificao e ao corretiva

    5.9. Monitoramento e Medio do Desempenho

    A organizao deve estabelecer e manter procedimentos para monitorar e

    medir, periodicamente, o desempenho da SSO. Esses procedimentos devem

    assegurar:

    - medies qualitativas e quantitativas, apropriadas s necessidades da

    organizao;

    - monitoramento do grau de atendimento aos objetivos de SSO da

    organizao;

    - medidas pr-ativas de desempenho que monitorem a conformidade com os

    requisitos do(s) programa(s) de gesto da SSO, com critrios operacionais, e com a

    legislao e regulamentos aplicveis;

    - medidas reativas de desempenho para monitorar acidentes, doenas,

    incidentes (incluindo quase-acidentes) e outras evidncias histricas de deficincias

    no desempenho da SSO;

    Implementao e operao

    Verificao e

    ao corretiva

    Realimentao da medio do desempenho

    Auditoria

    Anlise crtica pela administrao

  • 38

    - registro de dados e resultados do monitoramento e medio, suficientes

    para facilitar a subseqente anlise da ao corretiva e preventiva.

    Se for requerido equipamento para o monitoramento e medio do

    desempenho, a organizao deve estabelecer e manter procedimentos para a

    calibrao e manuteno de tal equipamento. Os registros das atividades e dos

    resultados da calibrao e manuteno devem ser retidos.

    5.10. Acidentes, Incidentes, No-conformidades e Aes Corretivas e

    Preventivas

    A organizao deve estabelecer e manter procedimentos para definir

    responsabilidade e autoridade para:

    1- tratar e investigar: acidentes, incidentes, no-conformidades;

    2- adotar medidas para reduzir quaisquer conseqncias oriundas de

    acidentes, incidentes ou no-conformidades;

    3- iniciar e concluir aes corretivas e preventivas;

    4- confirmar a eficcia das aes corretivas e preventivas adotadas.

    Esses procedimentos devem requerer que todas as aes corretivas e

    preventivas propostas devem ser analisadas criticamente durante o processo de

    avaliao de riscos, antes da implementao.

    Qualquer ao corretiva ou preventiva adotada para eliminar as causas das

    no-conformidades, reais e potenciais, deve ser adequada magnitude dos

    problemas e proporcional ao risco de SSO verificado.

    A organizao deve implementar e registrar quaisquer mudanas nos

    procedimentos documentados, resultantes de aes corretivas e preventivas.

  • 39

    5.11. Registros e Gesto de Registros

    A organizao deve estabelecer e manter procedimentos para a identificao,

    manuteno e descarte de registros de SSO, bem como dos resultados de auditorias

    e anlises crticas.

    Os registros de SSO devem ser legveis e identificveis, permitindo rastrear

    as atividades envolvidas. Tais registros devem ser arquivados e mantidos de forma a

    permitir sua pronta recuperao, sendo protegidos contra avarias, deteriorao ou

    perda. O perodo de reteno deve ser estabelecido e registrado.

    Os registros devem ser mantidos, conforme apropriado ao sistema e

    organizao, para demonstrar conformidade aos requisitos desta especificao

    OHSAS.

    5.12. Auditoria

    A organizao deve estabelecer e manter um programa e procedimentos para

    auditorias peridicas do Sistema de Gesto da SSO a serem realizadas de forma a:

    1- determinar se o Sistema de Gesto da SSO:

    2- est em conformidade com as disposies planejadas para a gesto da

    SSO, inclusive o requisito desta especificao OHSAS;

    3 - foi devidamente implementado e est sendo mantido;

    4 - eficaz no atendimento poltica e aos objetivos da organizao.

    5 - analisar criticamente os resultados de auditorias anteriores;

    6 - fornecer administrao informaes sobre os resultados das auditorias.

    O programa de auditoria da organizao, incluindo qualquer cronograma,

    deve basear-se nos resultados das avaliaes de riscos das atividades da

    organizao, e nos resultados de auditorias anteriores.

  • 40

    Os procedimentos de auditorias devem considerar o escopo da auditoria, a

    freqncia, as metodologias e as competncias, bem como as responsabilidades e

    requisitos relativos conduo de auditorias e apresentao dos resultados.

    Sempre que possvel, as auditorias devem ser conduzidas por pessoal

    independente7 daquele que tem responsabilidade direta pela atividade que est

    sendo examinada.

    5.13. Anlise Crtica pela Administrao

    Figura VI - Anlise crtica pela administrao

    A alta administrao da organizao, em intervalos por ela pr-determinados,

    deve analisar criticamente o Sistema de Gesto da SSO, para assegurar sua

    convenincia, adequao e eficcia contnuas.

    O processo de anlise crtica deve assegurar que as informaes necessrias

    sejam coletadas, de modo a permitir administrao proceder a essa avaliao. A

    referida anlise crtica deve ser documentada.

    7 A palavra "independente", neste caso, no significa necessariamente externo organizao.

    Verificao e ao corretiva

    Anlise crtica pela

    administrao

    Fatores externos

    Fatores

    internos

    Poltica

  • 41

    A anlise crtica pela administrao deve abordar a eventual necessidade de

    alteraes na poltica, objetivos e outros elementos do Sistema de Gesto da SSO,

    luz dos resultados de auditorias do mencionado Sistema, da mudana das

    circunstncias e do comprometimento com a melhoria contnua.

    Anexo A (informativo)

    Correspondncia entre OHSAS 18001, ISO 14001:1996, ISO 9001:1994 e ISO

    9001:2000.

    Tabela A.1 - Correspondncia entre OHSAS 18001, ISO 14001:1996 e ISO 9001:1994

    Seo OHSAS 18001 Seo ISO 14001:1996 Seo Seo 1.02 ISO 9001:1994

    1 Objetivo e campo de

    aplicao 1

    Objetivo e campo de aplicao

    1 Objetivo e campo de

    aplicao

    2 Publicaes de

    referncia 2

    Referncias normativas

    2 Referncias normativas

    3 Termos e definies 3 Definies 3 Definies

    4 Elementos do Sistema

    de Gesto da SSO 4

    Requisitos do sistema de gesto

    ambiental 4

    Requisitos do sistema da qualidade

    4.1 Requisitos gerais 4.1 Requisitos gerais 4.2.1 Generalidades (1a sentena)

    4.2 Poltica de SSO 4.2 Poltica ambiental 4.1.1 Poltica da qualidade

    4.3 Planejamento 4.3 Planejamento 4.2 Sistema da qualidade

    4.3.1

    Planejamento para identificao de

    perigos e avaliao e controle de riscos

    4.3.1 Aspectos ambientais 4.2 Sistema da qualidade

    4.3.2 Requisitos legais e outros requisitos

    4.3.2 Requisitos legais e outros requisitos

    --- ---

    4.3.3 Objetivos 4.3.3 Objetivos e metas 4.2 Sistema da qualidade

    4.3.4 Programa(s) de gesto da SSO

    4.3.4 Programa(s) de

    gesto ambiental 4.2 Sistema da qualidade

    4.4 Implementao e

    operao 4.4

    Implementao e operao

    4.2 4.9

    Sistema da qualidade Controle de processo

    4.4.1 Estrutura e

    responsabilidade 4.4.1

    Estrutura e responsabilidade

    4.1 4.1.2

    Responsabilidade da administrao Organizao

    4.4.2 Treinamento,

    conscientizao e competncia

    4.4.2 Treinamento,

    conscientizao e competncia

    4.18 Treinamento

    4.4.3 Consulta e

    comunicao 4.4.3 Comunicao --- ---

    4.4.4 Documentao 4.4.4 Documentao do sistema de gesto

    ambiental 4.2.1

    Generalidades (sem 1

    a sentena)

    4.4.5 Controle de

    documentos e de dados

    4.4.5 Controle de documentos

    4.5 Controle de documentos e

    de dados

  • 42

    Seo OHSAS 18001 Seo ISO 14001:1996 Seo Seo 1.02 ISO 9001:1994

    4.4.6 Controle operacional 4.4.6 Controle operacional

    4.2.2

    4.3 4.4 4.6 4.7

    4.8

    4.9

    4.15

    4.19 4.20

    Procedimentos do sistema da qualidade

    Anlise crtica de contrato Controle de projeto

    Aquisio Controle de produto

    fornecido pelo cliente Identificao e

    rastreabilidade do produto Controle de processo

    Manuseio, armazenamento, embalagem, preservao e

    entrega Servios associados Tcnicas estatsticas

    4.4.7 Preparao e atendimento a emergncias

    4.4.7 Preparao e atendimento a emergncias

    --- ---

    4.5 Verificao e ao

    corretiva 4.5

    Verificao e ao corretiva

    --- ---

    4.5.1 Monitoramento e mensurao do desempenho

    4.5.1 Monitoramento e

    medio

    4.10 4.11

    4.12

    Inspeo e ensaios Controle de equipamentos

    de inspeo, medio e ensaios

    Situao de inspeo e ensaios

    4.5.2

    Acidentes, incidentes, no-conformidades e

    aes corretivas e preventivas

    4.5.2 No-conformidade e

    aes corretiva e preventiva

    4.13 4.14

    Controle de produto no-conforme

    Aes corretiva e preventiva

    4.5.3 Registros e gesto de

    registros 4.5.3 Registros 4.16

    Controle de registros da qualidade

    4.5.4 Auditoria 4.5.4 Auditoria do sistema de gesto ambiental

    4.17 Auditorias internas da

    qualidade

    4.6 Anlise crtica pela

    administrao 4.6

    Anlise crtica pela administrao

    4.1.3 Anlise crtica pela

    administrao

    Anexo A

    Correspondncia entre

    OHSAS 18001, ISO 14001 e

    ISO 9001

    Anexo B Correspondncia

    com a ISO 9001

    --- ---

    Bibliografia Anexo C Bibliografia --- Bibliografia

    --- (Ver OHSAS 18002) Anexo A Diretrizes para uso da especificao

    --- ---

  • 43

    Tabela A.2 - Correspondncia entre OHSAS 18001, ISO 14001:1996 e ISO 9001:2000

    Seo OHSAS 18001 Seo ISO 14001:1996 Seo Seo 1.03 ISO 9001:2000

    --

    ------- -- Introduo

    0 0.1 0.2 0.3 0.4

    Introduo Generalidades

    Abordagem de processo Relao com a ISO

    9004 Compatibilidade com outros sistemas de

    gesto

    1 Objetivo e campo de

    aplicao 1

    Objetivo e campo de aplicao

    1 1.1 1.2

    Objetivo Generalidades

    Aplicao

    2 Publicaes

    de referncia

    2 Referncias normativas 2 Referncia normativa

    3 Termos e definies 3 Definies 3 Termos e definies

    4 Elementos do

    Sistema de Gesto da SSO

    4 Requisitos do sistema de gesto ambiental

    4 Sistema de gesto da

    qualidade

    4.1 Requisitos gerais 4.1 Requisitos gerais 4.1 5.5

    5.5.1

    Requisitos gerais Responsabilidade,

    autoridade e comunicao

    Responsabilidade e autoridade

    4.2 Poltica de SSO 4.2 Poltica ambiental

    5.1

    5.3

    8.5

    Comprometimento da

    direo

    Poltica da qualidade

    Melhorias

    4.3 Planejamento 4.3 Planejamento 5.4 Planejamento

    4.3.1

    Planejamento para

    identificao de

    perigos e avaliao

    e controle de riscos

    4.3.1 Aspectos ambientais

    5.2

    7.2.1

    7.2.2

    Foco no cliente

    Determinao de

    requisitos relacionados

    ao produto

    Anlise crtica dos

    requisitos relacionados

    ao produto

    4.3.2 Requisitos legais e

    outros requisitos 4.3.2

    Requisitos legais e

    outros requisitos

    5.2

    7.2.1

    Foco no cliente

    Determinao de

    requisitos relacionados

    ao produto

    4.3.3 Objetivos 4.3.3 Objetivos e metas 5.4.1 Objetivos da qualidade

    4.3.4 Programa(s) de

    gesto da SSO 4.3.4

    Programa(s) de gesto

    ambiental

    5.4.2

    8.5.1

    Planejamento do

    sistema de gesto da

    qualidade Melhoria

  • 44

    Seo OHSAS 18001 Seo ISO 14001:1996 Seo Seo 1.03 ISO 9001:2000

    contnua

    4.4 Implementao e

    operao 4.4

    Implementao e

    operao

    7

    7.1

    Realizao do produto

    Planejamento da

    realizao do produto

    4.4.1 Estrutura e

    responsabilidade 4.4.1

    Estrutura e

    responsabilidade

    5

    5.1

    5.5.1

    5.5.2

    6

    6.1

    6.2

    6.2.1

    6.3

    6.4

    Responsabilidade da

    direo

    Comprometimento da

    direo

    Responsabilidade e

    autoridade

    Representante da

    direo

    Gesto de recursos

    Proviso de recursos

    Recursos humanos

    Generalidades

    Infra-estrutura

    Ambiente de trabalho

    4.4.2

    Treinamento,

    conscientizao e

    competncia

    4.4.2

    Treinamento,

    conscientizao e

    competncia

    6.2.2

    Competncia,

    conscientizao e

    treinamento

    4.4.3 Consulta e

    comunicao 4.4.3 Comunicao

    5.5.3

    7.2.3

    Comunicao interna

    Comunicao com o

    cliente

    4.4.4 Documentao 4.4.4

    Documentao do

    sistema de gesto

    ambiental

    4.2

    4.2.1

    4.2.2

    Requisitos de

    documentao

    Generalidades

    Manual da qualidade

    4.4.5

    Controle de

    documentos e de

    dados

    4.4.5 Controle de

    documentos 4.2.3 Controle de documentos

  • 45

    Seo OHSAS 18001 Seo ISO 14001:1996 Seo Seo 1.03 ISO 9001:2000

    4.4.6 Controle operacional 4.4.6 Controle operacional

    7

    7.1

    7.2

    7.2.1

    7.2.2

    7.3

    7.3.1

    7.3.2

    7.3.3

    7.3.4

    7.3.5

    7.3.6

    7.3.7

    7.4

    7.4.1

    7.4.2

    7.4.3

    7.5

    7.5.1

    7.5.2

    7.5.3

    7.5.4

    7.5.5

    Realizao do produto

    Planejamento da

    realizao do produto

    Processos relacionados a

    clientes

    Determinao de requisitos

    relacionados ao produto

    Anlise crtica dos

    requisitos relacionados ao

    produto

    Projeto e desenvolvimento

    Planejamento do projeto e

    desenvolvimento

    Entradas de projeto e

    desenvolvimento

    Sadas de projeto e

    desenvolvimento

    Anlise crtica de projeto e

    desenvolvimento

    Verificao de projeto e

    desenvolvimento

    Validao de projeto e

    desenvolvimento

    Controle de alteraes de

    projeto e desenvolvimento

    Aquisio

    Processo de aquisio

    Informaes de aquisio

    Verificao do produto

    adquirido

    Produo e fornecimento

    de servio

    Controle de produo e

    fornecimento de servio

    Validao dos processos

    de produo e

    fornecimento de servio

    Identificao e

    rastreabilidade

    Propriedade do cliente

    Preservao de produto

    4.4.7 Preparao e 4.4.7 Preparao e 8.3 Controle de produto

  • 46

    Seo OHSAS 18001 Seo ISO 14001:1996 Seo Seo 1.03 ISO 9001:2000

    atendimento a

    emergncias

    atendimento a

    emergncias

    no-conforme

    4.5 Verificao e ao

    corretiva 4.5

    Verificao e ao

    corretiva 8

    Medio, anlise e

    melhoria

    4.5.1

    Monitoramento e

    mensurao do

    desempenho

    4.5.1 Monitoramento e

    medio

    7.6

    8.1

    8.2

    8.2.1

    8.2.3

    8.2.4

    8.4

    Controle de dispositivos

    de medio e

    monitoramento

    Generalidades

    Medio e

    monitoramento

    Satisfao dos clientes

    Medio e

    monitoramento de

    processos

    Medio e

    monitoramento de

    produto

    Anlise de dados

    4.5.2

    Acidentes,

    incidentes,

    no-conformidades e

    aes corretivas e

    preventivas

    4.5.2

    No-conformidade e

    aes corretiva e

    preventiva

    8.3

    8.5.2

    8.5.3

    Controle de produto

    no-conforme

    Ao corretiva

    Ao preventiva

    4.5.3 Registros e gesto

    de registros 4.5.3 Registros 4.2.4 Controle de registros

    4.5.4 Auditoria 4.5.4 Auditoria do sistema de

    gesto ambiental 8.2.2 Auditoria interna

    4.6 Anlise crtica pela

    administrao 4.6

    Anlise crtica pela

    administrao

    5.6

    5.6.1

    5.6.2

    5.6.3

    Anlise crtica pela

    direo

    Generalidades

    Entradas para a anlise

    crtica

    Sadas da anlise crtica

    Anexos

    A e B

    Correspondncia

    com a

    ISO 14001 e ISO

    9001

    Anexo

    B

    Correspondncia com a

    ISO 9001 Anexo A

    Correspondncia com a

    ISO 14001

  • 47

    Seo OHSAS 18001 Seo ISO 14001:1996 Seo Seo 1.03 ISO 9001:2000

    ---- Bibliografia Anexo

    C Bibliografia

    -

    -- Bibliografia

    --- (Ver OHSAS 18002) Anexo

    A

    Diretrizes para uso da

    especificao

    -

    -- ---

    Anexo B (informativo)

    Correspondncia entre OHSAS 18001, OHSAS 18002 e ILO OSH8:2001

    Diretrizes para sistemas de gesto da SSO.

    B.1 Introduo

    Este anexo identifica as principais diferenas entre as Diretrizes ILO-OSH, da

    Organizao Internacional do Trabalho (OIT), e os documentos OHSAS, fornecendo

    uma avaliao comparativa de seus diferentes requisitos.

    Convm observar que nenhuma rea com diferenas significativas foi

    identificada.

    Conseqentemente, as organizaes que tiverem implementado um Sistema

    de Gesto da Segurana e Sade Ocupacional (SSO) que esteja em conformidade

    com a OHSAS 18001 podem estar certas de que seu sistema ser compatvel

    tambm com as recomendaes das diretrizes ILO-OSH.

    Uma tabela de correspondncia entre as sees individuais da srie OHSAS

    e as sees das ILO-OSH apresentada no item B.4 a seguir.

    8 ILO-OSH: Diretrizes sobre sistemas de gesto de sade e segurana ocupacional

  • 48

    B.2 Viso geral

    Os dois objetivos principais das diretrizes ILO-OSH so:

    a) auxiliar os pases no estabelecimento de uma estrutura nacional para os Sistemas

    de Gesto da Segurana e Sade Ocupacional; e

    b) fornecer orientao s organizaes individuais no que se refere integrao dos

    elementos de SSO sua poltica geral e s suas prticas de gesto.

    A OHSAS 18001 especifica requisitos para Sistemas de Gesto da SSO, a

    fim de possibilitar s organizaes o controle de riscos e a melhoria do seu

    desempenho. A OHSAS 18002 d orientaes sobre a implementao da OHSAS

    18001. Os documentos OHSAS so, portanto, semelhantes Seo 3 das ILO-OSH,

    O sistema de gesto da segurana e Sade Ocupacional na organizao.

    B.3 Anlise detalhada da Seo 3 das Diretrizes ILO-OSH em relao aos

    documentos OHSAS

    B.3.1 Escopo

    O foco das ILO-OSH sobre os trabalhadores. O foco das normas da srie

    OHSAS, sobre funcionrios e outras partes interessadas, mais amplo.

    A definio de Perigo na OHSAS 18001, seo 3.4, fonte ou situao com

    potencial para provocar danos em termos de leso, doena, propriedade, dano ao

    meio ambiente do local de trabalho, ou uma combinao destes igualmente

    mais ampla do que a definio das ILO-OSH, cujo foco unicamente sobre o

    potencial de causar leso ou dano sade das pessoas.

  • 49

    B.3.2 Modelos de sistema de gesto da SSO

    Os modelos que mostram os principais elementos de um Sistema de Gesto

    da SSO so diretamente equivalentes entre as diretrizes ILO-OSH e a OHSAS.

    B.3.3 ILO-OSH, Seo 3.2, Participao dos trabalhadores

    Nas ILO-OSH, a subseo 3.2.4 recomenda que: O empregador deve

    assegurar, conforme necessrio, o estabelecimento e o funcionamento eficiente de

    um comit de segurana e sade e o reconhecimento de representantes para a

    segurana e sade dos trabalhadores, de acordo com as leis e a prtica nacional.

    A OHSAS 18001 exige que a organizao documente e promova suas

    providncias e envolva um maior nmero de consultados, isto , partes interessadas

    (devido ao escopo mais amplo de aplicao do documento). Curiosamente, as

    diretrizes ILO-OSH permitem que as organizaes abdiquem dessa exigncia, caso

    as leis e a prtica nacional no estipulem tal requisito.

    Artigo I. B.3.4 ILO-OSH, Seo 3.3, Responsabilidade e prestao de contas

    As ILO-OSH recomendam, na subseo 3.3.1(h), o estabelecimento de

    programas de preveno e sade. A OHSAS s exige esses programas se as

    avaliaes de risco ou o Sistema de Gesto da SSO e os objetivos de SSO os

    exigirem.

    Artigo II. B.3.5 ILO-OSH, Seo 3.4, Competncia e treinamento

    A recomendao da subseo 3.4.4 das ILO-OSH Convm que se fornea

    treinamento, sem qualquer custo, a todos os participantes e que o mesmo seja

    realizado, se possvel, durante o horrio de trabalho no um requisito da

    OHSAS.

    B.3.6 ILO-OSH, Seo 3.10, Preveno de perigos, Subseo 3.10.1,

    Medidas de preveno e controle

  • 50

    As diretrizes ILO-OSH recomendam a implementao de medidas de

    preveno e proteo para controlar os perigos e riscos. Essas medidas so listadas

    em ordem de prioridade, desde eliminao do perigo/risco [subseo 3.10.1(a)] at

    fornecimento de Equipamentos de Proteo Individual (EPI) [subseo 3.10.1(d)].

    A OHSAS no to definitiva:

    recomendado que as medidas para a gesto de riscos reflitam, onde

    exeqvel, o princpio da eliminao de perigos, seguida pela reduo de riscos (seja

    pela reduo da probabilidade de ocorrncia ou da gravidade potencial de leses ou

    danos), deixando-se a utilizao do Equipamento de Proteo Individual (EPI) como

    ltimo recurso.

    Note a referncia a meios exequveis.

    A OHSAS fornece tambm informaes mais detalhadas sobre identificao

    de perigos, avaliao de riscos e controle de riscos.

    Artigo II. B.3.7 ILO-OSH, Subseo 3.10.4, Aquisio

    As ILO-OSH enfatizam que os requisitos de segurana e sade da

    organizao devem ser incorporados s especificaes de aquisio e

    arrendamento. A OHSAS exige que tais requisitos sejam comunicados ao

    fornecedor, mas no estipulam como. As diretrizes ILO-OSH tambm estipulam que

    as leis e os regulamentos nacionais sejam identificados antes da aquisio. No caso

    da OHSAS, essas leis e regulamentos seriam, por isso mesmo, identificados durante

    o processo de avaliao de riscos [ver OHSAS 18002, subseo 4.3.1d (1)i].

    B.3.8 ILO-OSH, Subseo 3.10.5, Contratao

    As ILO-OSH definem os passos a serem dados para assegurar que os

    requisitos de segurana e sade da organizao sejam aplicados aos contratados

    (as diretrizes tambm fornecem um resumo das aes necessrias para tanto). Na

    OHSAS, isso est implcito.

  • 51

    B.3.9 ILO-OSH, Seo 3.12, Investigao de leses, males, doenas e

    incidentes relacionados ao trabalho e seu impacto no desempenho da segurana e

    sade

    As ILO-OSH no exigem que as aes corretivas ou preventivas sejam

    analisadas criticamente atravs do processo de avaliao de riscos antes de sua

    implementao, como acontece na OHSAS 18001, subseo 4.5.2(d).

    B.3.10 ILO-OSH, Seo 3.13, Auditoria

    As ILO-OSH recomendam consultas para a seleo de auditores. Em

    contraste, a OHSAS exige que o pessoal de auditoria seja imparcial e objetivo.

    B.3.11 ILO-OSH, Seo 3.16, Melhoria contnua

    Nas ILO-OSH, essa uma seo separada, que d detalhes sobre as

    providncias que devem ser levadas em considerao para se alcanar a melhoria

    contnua. Providncias semelhantes so detalhadas ao longo dos documentos

    OHSAS, no apresentando, conseqentemente, uma seo correspondente.

    B.4 Correspondncia entre as sees dos documentos OHSAS e as sees

    das Diretrizes ILO-OSH

  • 52

    Tabela B.1 - Correspondncia entre as sees dos documentos OHSAS e as sees

    das Diretrizes ILO-OSH

    Seo 2.01 S OHSAS Seo ILO-OSH

    1 Objetivo e campo de aplicao 1.0 Objetivos

    2 Publicaes de referncia - -

    3 Termos e definies - -

    4 Elementos do sistema de gesto da

    SSO 3.0

    O sistema de gesto da segurana e Sade

    Ocupacional na organizao

    4.1 Requisitos gerais 3.0 O sistema de gesto da segurana e Sade

    Ocupacional na organizao

    4.2 Poltica de SSO 3.1 Poltica de segurana e Sade Ocupacional

    4.3 Planejamento

    3.7

    3.8

    Anlise crtica inicial

    Planejamento, desenvolvimento e

    implementao do sistema

    4.3.1 Planejamento para identificao de

    perigos e avaliao e controle de riscos

    3.10

    3.10.1

    3.10.2

    3.10.5

    Preveno de perigos

    Medidas de preveno e controle

    Gesto de mudanas

    Contratao

    4.3.2 Requisitos legais e outros requisitos

    3.7.2

    3.10.1.2

    Anlise crtica inicial

    Preveno de perigos

    4.3.3 Objetivos

    3.8

    3.9

    3.16

    Planejamento, desenvolvimento e

    implementao do sistema Objetivos de

    segurana e Sade Ocupacional

    Melhoria contnua

  • 53

    Seo 2.01 S OHSAS Seo ILO-OSH

    4.3.4 Programa(s) de gesto da SSO 3.8 Planejamento, desenvolvimento e

    implementao do sistema

    4.4 Implementao e operao - -

    4.4.1 Estrutura e responsabilidade

    3.3

    3.8

    Responsabilidade e prestao de contas

    Planejamento, desenvolvimento e

    implementao do sistema

    4.4.2 Treinamento, conscientizao e

    competncia

    3.2

    3.4

    Participao dos trabalhadores

    Competncia e treinamento

    4.4.3 Consulta e comunicao

    3.2

    3.6

    Participao dos trabalhadores

    Comunicao

    4.4.4 Documentao 3.5 Documentao do sistema de gesto da

    segurana e Sade Ocupacional

    4.4.5 Controle de documentos e de dados 3.5 Documentao do sistema de gesto da

    segurana e Sade Ocupacional

    4.4.6 Controle operacional

    3.10.2

    3.10.4

    3.10.5

    Gesto de mudanas

    Aquisio

    Contratao

    4.4.7 Preparao e atendimento a

    emergncias 3.10.3

    Preveno, preparao e atendimento a

    emergncias

    4.5 Verificao e ao corretiva - -

    4.5.1 Monitoramento e mensurao

    do desempenho 3.11

    Monitoramento e mensurao do

    desempenho

    4.5.2

    Acidentes, incidentes, no-

    conformidades e aes corretivas e

    preventivas

    3.12

    Investigao de leses, males, doenas e

    incidentes relacionados ao trabalho e seu

    impacto no desempenho da segurana e

  • 54

    Seo 2.01 S OHSAS Seo ILO-OSH

    3.15

    sade

    Aes corretivas e preventivas

    4.5.3 Registros e gesto de registros 3.5 Documentao do sistema de gesto da

    segurana e Sade Ocupacional

    4.5.4 Auditoria 3.13 Auditoria

    4.6 Anlise crtica pela administrao 3.14 Anlise crtica pela direo

  • 55

    CAPITULO 6

    RELAO DO OHSAS 18001 NA REA DE PETRLEO E GS

    A busca da excelncia em Segurana, Meio Ambiente e Sade (SMS),

    objetivo previsto em seu Plano Estratgico, levou a Petrobrs a estabelecer como

    uma de suas metas a certificao de suas unidades de acordo com normas

    internacionais de gesto de SMS. Assim, em janeiro de 2009, a Companhia possua

    38 Certificaes Integradas de acordo com as normas ISO 14001(Meio Ambiente) e

    BS 8800 ou OHSAS 18001(Segurana e Sade). Essas certificaes cobriam a

    maior parte das unidades de negcio e de servio da Companhia no Brasil e no

    exterior.

    Vale ressaltar que algumas das unidades tambm estavam certificadas em

    conformidade com a norma ISO 9001(Qualidade). As unidades certificadas somente

    por uma das normas internacionais supracitadas no foram consideradas no

    cmputo das certificaes integradas.

    6.1. Diretrizes de Segurana e Sade ocupacional na rea da Petrobrs

    Educar, capacitar e comprometer os trabalhadores com as questes,

    envolvendo fornecedores, comunidades, rgos competentes, entidades

    representativas dos trabalhadores e demais partes interessadas;

    Estimular o registro e tratamento das questes e considerar, nos sistemas de

    conseqncia e reconhecimento, o desempenho;

    Atuar na promoo da sade, na proteo do ser humano e do meio ambiente

    mediante identificao, controle e monitoramento de riscos, adequando a segurana

    de processos s melhores prticas mundiais e mantendo-se preparada para

    emergncias;

  • 56

    Assegurar a sustentabilidade de projetos, empreendimentos e produtos ao

    longo do seu ciclo de vida, considerando os impactos e benefcios nas dimenses

    econmica, ambiental e social;

    Considerar a eco eficincia das operaes e produtos, minimizando os

    impactos adversos inerentes s atividades da indstria.

    6.2. As Diretrizes

    1. Liderana e Responsabilidade

    A Petrobras, ao integrar segurana, e sade ocupacional sua estratgia

    empresarial, reafirma o compromisso de todos seus empregados e contratados com

    a busca de excelncia nessas reas. Requisitos:

    Difuso e promoo, em todos os nveis, da poltica corporativa, seus valores

    e metas.

    Exerccio da liderana pelo exemplo, de modo a assegurar o mximo

    comprometimento da fora de trabalho com o desempenho.

    Responsabilizao de cada unidade pelo seu desempenho, o que ser

    avaliado por meio de indicadores e metas.

    Definio clara, em cada unidade, das atribuies e responsabilidades

    relacionadas ao desempenho.

    Integrao, em cada unidade, do desempenho s suas metas de produo e

    rentabilidade.

    Acompanhamento e avaliao do desempenho das empresas contratadas.

    Difuso de valores que promovam a qualidade de vida da fora de trabalho

    dentro e fora da empresa.

  • 57

    2. Conformidade Legal

    As atividades da empresa devem estar em conformidade com a legislao

    vigente nas reas de segurana, meio ambiente e sade. Requisitos:

    Verificao permanente do atendimento legislao e adoo, quando

    necessrio, de medidas destinadas pronta correo de eventuais no-

    conformidades.

    Acompanhamento das mudanas que venham a ocorrer na legislao

    relacionada de modo a promover a adequao das atividades da empresa, bem

    como permitir a identificao de novos cenrios.

    Atendimento aos preceitos legais e regulamentares durante todo o ciclo de

    vida das instalaes e operaes da empresa, bem como verificao de seu

    cumprimento por parte de contratados, fornecedores e parceiros.

    Manuteno de uma poltica de cordialidade e colaborao com os rgos

    competentes.

    3. Avaliao e Gesto de Riscos

    Riscos inerentes s atividades da empresa devem ser identificados, avaliados

    e gerenciados de modo a evitar a ocorrncia de acidentes e/ou assegurar a

    minimizao de seus efeitos. Requisitos:

    - Implementao de mecanismos que permitam, de forma sistemtica,

    identificar e avaliar a freqncia e as conseqncias de eventos indesejveis,

    visando a sua preveno e/ou mxima reduo de seus efeitos.

    - Implementao de mecanismos para priorizao dos riscos identificados,

    bem como a documentao, a comunicao e o acompanhamento das medidas

    adotadas para control-los.

  • 58

    - Incorporao de processos de avaliao de risco a todas as fases dos

    empreendimentos e produtos, incluindo os relacionados proteo da fora de

    trabalho, comunidades vizinhas e consumidor final.

    - Realizao de avaliaes de risco peridicas ou medida que se

    identifiquem mudanas nos processos.

    - Implementao de gesto de riscos de acordo com sua natureza e

    magnitude, nos diversos nveis administrativos.

    4. Novos Empreendimentos

    Os novos empreendimentos devem estar em conformidade com a legislao

    e incorporar, em todo o seu ciclo de vida, as melhores prticas de segurana, meio

    ambiente e sade. Requisitos

    Adoo de prticas e tecnologias que assegurem aos novos

    empreendimentos padres de excelncia ao longo de todo seu ciclo de vida, desde

    sua concepo, projeto, construo e pr-operao at sua eventual desativao.

    Implementao de mecanismos que assegurem a conformidade dos novos

    empreendimentos com as especificaes de seus projetos e recomendaes das

    avaliaes de risco.

    Anlise, aprovao e documentao de eventuais mudanas nos projetos

    originais e verificao de suas implicaes relacionadas.

    Considerao, em cada novo empreendimento, dos impactos sociais,

    econmicos e ambientais decorrentes de sua implantao.

    Incentivo implantao de projetos que incorporem o conceito de

    sustentabilidade, a utilizao de mecanismos de desenvolvimento limpo e a

    otimizao do uso de insumos como gua, energia e materiais.

  • 59

    5. Operao e Manuteno

    As operaes da empresa devem ser executadas de acordo com

    procedimentos estabelecidos e utilizando instalaes e equipamentos adequados,

    inspecionados e em condies de assegurar o atendimento s exigncias de

    segurana, meio ambiente e sade. Requisitos

    Adoo de prticas operacionais seguras, que preservem a sade da fora de

    trabalho e reduzam ao mximo os riscos de acidentes.

    Verificao e atualizao sistemticas de todos os procedimentos

    operacionais, observadas as recomendaes provenientes das avaliaes de risco.

    Implementao de mecanismos que permitam, com a mxima rapidez, a

    identificao, caracterizao e correo dos casos de no-conformidade com os

    procedimentos estabelecidos.

    Execuo das atividades de inspeo e manuteno de acordo com os

    procedimentos estabelecidos, de modo a manter o controle sobre seus riscos.

    Execuo de programas especficos de inspeo, teste e manuteno

    associados a sistemas de segurana, integridade e proteo das instalaes, de

    modo a assegurar sua confiabilidade.

    Identificao, anlise e monitoramento de impactos causados pelas atividades

    da empresa sade e ao meio ambiente, buscando a contnua reduo de seus

    efeitos.

    Implementao de mecanismos que preservem a sade da fora de trabalho,

    buscando assegurar-lhe, sempre que necessrio, diagnstico precoce, atendimento

    imediato, interrupo de exposio, limitao de dano e reabilitao.

  • 60

    6. Gesto de Mudanas

    Mudanas, temporrias ou permanentes, devem ser avaliadas visando

    eliminao e/ou minimizao de riscos decorrentes de sua implantao. Requisitos:

    - Implementao de mecanismos que permitam avaliar e controlar riscos

    inerentes a mudanas, desde a fase de planejamento at sua efetiva incorporao

    ao processo.

    - Formalizao dos processos de mudana por meio de descrio, avaliao

    e documentao, bem como de sua necessria divulgao.

    - Garantia de que as mudanas atendam s exigncias legais e aos

    procedimentos estabelecidos, bem como preservem a integridade da fora de

    trabalho, das instalaes e a continuidade das operaes.

    - Identificao de novas necessidades eventualmente decorrentes das

    mudanas, como capacitao da fora de trabalho, intensificao de treinamentos e

    reviso de procedimentos e planos de contingncia.

    7. Aquisio de Bens e Servios

    O desempenho em segurana, meio ambiente e sade de contratados,

    fornecedores e parceiros deve ser compatvel com o do sistema Petrobras.

    Requisitos:

    - Incluso, no processo de contratao, de exigncias especficas de SMS,

    bem como verificao de seu cumprimento durante todas as etapas das atividades a

    serem desenvolvidas.

    - Garantia de que materiais e produtos a serem adquiridos atendam s

    exigncias estabelecidas.

    - Avaliao de desempenho de contratados de acordo com critrios

    claramente definidos nos respectivos contratos.

  • 61

    - Acompanhamento das empresas contratadas no que se refere a seu

    desempenho, tomando as medidas necessrias para a correo de eventuais no

    conformidades.

    - Implementao de medidas visando estimular a adoo, pelas empresas

    contratadas e parceiros, das melhores prticas.

    - Integrao do desempenho de contratados no conjunto de indicadores de

    cada unidade.

    8. Capacitao, Educao e Conscientizao

    Capacitao, educao e conscientizao devem ser continuamente

    promovidas de modo a reforar o comprometimento da fora de trabalho com o

    desempenho em Segurana, meio ambiente e sade. Requisitos:

    - Comprometimento explcito da gerncia com a poltica e valores, de modo a

    sensibilizar a fora de trabalho para seu cumprimento.

    - Levantamento de necessidades e implementao, em todos os nveis, de

    programas de capacitao, educao e conscientizao.

    - Implementao de programas que estimulem a adoo de comportamentos

    seguros, saudveis e de respeito ao meio ambiente, dentro e fora da empresa.

    - Avaliao peridica da capacitao da fora de trabalho com relao s

    exigncias.

    - Implementao de mecanismos que promovam a melhoria constante da

    capacitao da fora de trabalho.

  • 62

    9. Gesto de Informaes

    Informaes e conhecimentos relacionados a segurana, meio ambiente e

    sade devem ser precisos, atualizados e documentados, de modo a facilitar sua

    consulta e utilizao. Requisitos:

    - Implementao de mecanismos que garantam o registro, atualizao,

    armazenamento e recuperao de informaes relacionadas, bem como de

    mecanismos que estimulem a participao da fora de trabalho nesse processo.

    Garantia de que esse sistema contemple, entre outros, os seguintes aspectos:

    - Poltica, valores, objetivos e programa;

    - Legislao vigente e aes decorrentes de auditorias;

    - Indicadores de desempenho;

    - Informaes coletivas de sade e exposio ocupacional;

    - Avaliao e gesto de riscos;

    - Planos de contingncia;

    - Investimentos realizados e seus benefcios.

    Observncia do princpio de confidencialidade, de modo a preservar

    informaes estratgicas da empresa e de natureza pessoal envolvendo a fora de

    trabalho.

    - Implementao de mecanismos que garantam a difuso de novas prticas e

    melhorias de desempenho.

    - Implementao de mecanismos que considerem opinies, sugestes e

    dvidas de terceiros e/ou partes interessadas, prestando, quando necessrio, os

    devidos esclarecimentos.

  • 63

    10. Comunicao

    As informaes relativas a segurana, meio ambiente e sade devem ser

    comunicadas com clareza, objetividade e rapidez, de modo a produzir os efeitos

    desejados. Requisitos:

    - Manuteno de canais permanentes de comunicao com os rgos

    reguladores e demais partes interessadas, bem como com os veculos de

    comunicao.

    - Manuteno de canais permanentes de comunicao com a fora de

    trabalho e comunidades vizinhas, de modo a mant-las informadas sobre os riscos

    decorrentes das atividades da empresa, bem como das medidas adotadas para sua

    reduo.

    - Garantia de que denncias, reclamaes e sugestes relacionadas sejam

    registradas, analisadas e esclarecidas.

    - Observncia dos princpios de hierarquia e competncia no que se refere

    divulgao de informaes que possam representar risco para qualquer atividade da

    empresa.

    - Apresentao peridica no Relatrio Anual e em outros meios de

    comunicao de informaes consolidadas sobre o desempenho.

    11. Contingncia

    As situaes de emergncia devem estar previstas e ser enfrentadas com

    rapidez e eficcia visando a mxima reduo de seus efeitos. Requisitos:

    - Garantia de que os planos de contingncia de cada unidade estejam

    avaliados, revisados e atualizados, bem como integrados aos planos de

    contingncia regionais e corporativos da empresa.

  • 64

    - Desenvolvimento de programas de esclarecimento e treinamento junto s

    comunidades potencialmente expostas a riscos, visando sua incorporao aos

    planos de contingncia.

    - Adequao dos planos de contingncia s variaes de risco eventualmente

    identificadas.

    - Considerao, nos planos de contingncia, dos impactos sociais,

    econmicos e ambientais decorrentes de possveis acidentes.

    - Implementao de mecanismos que assegurem a atualizao, divulgao e

    pronto acesso aos planos de contingncia por parte da fora de trabalho, rgos

    governamentais e no governamentais comunidades e demais partes interessadas.

    - Realizao peridica de treinamentos e exerccios simulados com a

    participao de todos os envolvidos e posterior avaliao dos resultados.

    12. Relacionamento com a Comunidade

    A empresa deve zelar pela segurana das comunidades onde atua, bem

    como mant-las informadas sobre impactos e/ou riscos eventualmente decorrentes

    de suas atividades. Requisitos:

    - Avaliao dos eventuais impactos que as atividades da empresa possam

    causar s comunidades, tanto do ponto de vista como social e econmico, de modo

    a evit-los ou reduzir ao mximo seus efeitos indesejveis.

    - Garantia de que essa avaliao acompanhe todo o ciclo de vida das

    atividades.

    - Manuteno de canais de comunicao com as comunidades vizinhas de

    modo a mant-las informadas sobre planos de contingncia, considerando, nesse

    processo, opinies, sugestes e preocupaes por elas manifestadas.

  • 65

    - Implementao de programas de esclarecimento e treinamento junto s

    comunidades potencialmente expostas a riscos, de modo a estimular seu

    comprometimento com as medidas de preveno e contingncia.

    - Implementao de programas de sade e educao ambiental junto s

    comunidades vizinhas, bem como de aes que promovam seu desenvolvimento

    sustentvel.

    13. Anlise de Acidentes e Incidentes

    Os acidentes e incidentes, decorrentes das atividades da empresa devem ser

    analisados, investigados e documentados de modo a evitar sua repetio e/ou

    assegurar a minimizao de seus efeitos. Requisitos:

    - Implementao de procedimentos que permitam a identificao, registro e

    anlise das causas dos acidentes e a quantificao das perdas.

    - Implementao de procedimentos que permitam a identificao e tratamento

    de no-conformidades eventualmente capazes de causar acidentes.

    - Obrigatoriedade de comunicao imediata de acidentes e de pronta atuao

    sobre suas conseqncias.

    - Obrigatoriedade do registro de acidentes no respectivo indicador de

    desempenho.

    - Incorporao s atividades da empresa das lies extradas dos acidentes

    visando melhoria constante dos sistemas de preveno.

    - Acompanhamento das medidas corretivas e/ou preventivas adotadas, de

    modo a se certificar de sua eficcia.

    - Garantia de que, em acidentes graves, a investigao tenha participao

    externa da unidade onde ocorreu e da rea corporativa.

  • 66

    14. Gesto de Produtos

    A empresa deve zelar pelos aspectos de segurana, meio ambiente e sade

    de seus produtos desde sua origem at a destinao final, bem como empenhar-se

    na constante reduo dos impactos que eventualmente possam causar. Requisitos:

    - Incorporao a todos os produtos da empresa de valores relacionados,

    desde a escolha de materiais, produo, embalagem e transporte at seu destino

    final.

    - Fornecimento de informaes adequadas e atualizadas sobre esses

    produtos, de forma a permitir sua utilizao segura e/ou reduo de eventuais riscos.

    - Atribuio de prioridade ao desenvolvimento de produtos que atendam da

    melhor forma s exigncias.

    15. Processo de Melhoria Contnua

    A melhoria contnua do desempenho em segurana e sade deve ser

    promovida em todos os nveis da empresa, de modo a assegurar seu avano nessas

    reas. Requisitos:

    - Atualizao peridica da poltica, diretrizes e metas de modo a manter sua

    conformidade com o Plano Estratgico da empresa.

    - Implementao de programa corporativo de avaliao da gesto visan