instalacoes eletricas cap1_parte1_1-2010

Download Instalacoes eletricas cap1_parte1_1-2010

If you can't read please download the document

Post on 06-Jun-2015

128 views

Category:

Engineering

5 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1. Captulo 1 Parte 1 Conceitos bsicos Mauro Moura Severino

2. Circuito eltrico: conjunto de corpos ou de meios no qual pode haver corrente. Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 2 3. Sistema eltrico: circuito ou conjunto de circuitos eltricos inter-relacionados, constitudos para atingir determinado objetivo. Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 3 4. Instalao eltrica: conjunto de componentes eltricos associados e com caractersticas coordenadas entre si, constitudo para uma finalidade determinada. Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 4 5. Em um sistema eltrico: componentes eltricos que conduzem corrente. Em uma instalao eltrica: componentes eltricos condutores e no-condutores (essenciais ao seu funcionamento), como condutos, caixas, estruturas de suporte etc. Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 5 6. Assim, a cada instalao corresponder um sistema. Em um projeto: as plantas e os detalhes IE os esquemas (uni e trifilares) SE Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 6 7. As instalaes eltricas de baixa tenso so regidas pela norma ABNT NBR 5410: 2004. Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 7 8. Estabelece as condies a que devem satisfazer as instalaes eltricas de baixa tenso, a fim de garantir a segurana de pessoas e animais, o funcionamento adequado da instalao e a conservao dos bens. Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 8 9. Aplica-se principalmente s instalaes eltricas de edificaes, qualquer que seja seu uso (residencial, comercial, pblico, industrial, de servios, agropecurio, hortigranjeiro etc.), incluindo as pr- fabricadas. Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 9 10. Aplica-se tambm s instalaes eltricas: em reas descobertas das propriedades, externas s edificaes; de reboques de acampamento (trailers), locais de acampamento (campings), marinas e instalaes anlogas; e de canteiros de obra, feiras, exposies e outras instalaes temporrias. Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 10 11. Aplica-se: aos circuitos eltricos alimentados sob tenso nominal igual ou inferior a 1.000 V em corrente alternada, com freqncias inferiores a 400 Hz, ou a 1.500 V em corrente contnua; Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 11 12. Aplica-se: aos circuitos eltricos, que no os internos aos equipamentos, funcionando sob uma tenso superior a 1.000 V e alimentados por uma instalao de tenso igual ou inferior a 1.000 V em corrente alternada (por exemplo, circuitos de lmpadas a descarga, precipitadores eletrostticos etc.); Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 12 13. Aplica-se: a toda fiao e a toda linha eltrica que no sejam cobertas pelas normas relativas aos equipamentos de utilizao; e s linhas eltricas fixas de sinal (com exceo dos circuitos internos dos equipamentos). Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 13 14. Aplica-se s instalaes novas e a reformas em instalaes existentes. Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 14 15. No se aplica a: instalaes de trao eltrica; instalaes eltricas de veculos automotores; instalaes eltricas de embarcaes e aeronaves; equipamentos para supresso de perturbaes radioeltricas, na medida que no comprometam a segurana das instalaes; Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 15 16. No se aplica a: instalaes de iluminao pblica; redes pblicas de distribuio de energia eltrica; instalaes de proteo contra quedas diretas de raios. No entanto, considera as conseqncias dos fenmenos atmosfricos sobre as instalaes (por exemplo, seleo dos dispositivos de proteo contra sobretenses); Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 16 17. No se aplica a: instalaes em minas; instalaes de cercas eletrificadas (ver IEC 60335- 2-76). Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 17 18. Os componentes da instalao so considerados apenas no que concerne sua seleo e condies de instalao. A aplicao desta Norma no dispensa o atendimento a outras normas complementares, aplicveis a instalaes e locais especficos. Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 18 19. Exemplos de normas complementares: ABNT NBR 5413: 1992 Iluminncia de interiores Procedimento ABNT NBR 5419: 2005 Proteo de estruturas contra descargas atmosfricas ABNT NBR 13570: 1996 Instalaes eltricas em locais de afluncia de pblico Requisitos especficos Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 19 20. A aplicao desta Norma no dispensa o respeito aos regulamentos de rgos pblicos aos quais a instalao deva satisfazer. Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 20 21. As instalaes eltricas cobertas por esta Norma esto sujeitas tambm, naquilo que for pertinente, s normas para fornecimento de energia estabelecidas pelas autoridades reguladoras e pelas empresas distribuidoras de eletricidade. Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 21 22. 5413: 1992 5419: 2005 6147: 2000 6150: 1980 6527: 2000 13570: 1996 Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 22 23. Componentes da instalao componente: termo empregado para designar itens da instalao que, dependendo do contexto, podem ser materiais, acessrios, dispositivos, instrumentos, equipamentos (de gerao, converso, transformao, transmisso, armazenamento, distribuio ou utilizao de eletricidade), mquinas, conjuntos ou mesmo segmentos ou partes da instalao (por exemplo, linhas eltricas). Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 23 24. Componentes da instalao quadro de distribuio principal: primeiro quadro de distribuio aps a entrada da linha eltrica na edificao. Naturalmente, o termo se aplica a todo quadro que seja o nico de uma edificao. Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 24 25. Proteo contra choques eltricos Proteo contra choques eltricos e proteo contra sobretenses e perturbaes eletromagnticas Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 25 26. Linhas eltricas linha de sinal: linha em que trafegam sinais eletrnicos, sejam eles de telecomunicaes, de intercmbio de dados, de controle, de automao etc. linha externa: linha que entra ou sai de uma edificao, seja a linha de energia, de sinal, uma tubulao de gua, de gs ou de qualquer outra utilidade. Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 26 27. Linhas eltricas ponto de entrega: ponto de conexo do sistema eltrico da empresa distribuidora de eletricidade com a instalao eltrica da(s) unidade(s) consumidora(s) e que delimita as responsabilidades da distribuidora, definidas pela autoridade reguladora. ponto de entrada: ponto em que uma linha externa penetra na edificao. Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 27 28. Linhas eltricas ponto de utilizao: ponto de uma linha eltrica destinado conexo de equipamento de utilizao. Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 28 29. Linhas eltricas Um ponto de utilizao pode ser classificado, entre outros critrios, de acordo com a tenso da linha eltrica, a natureza da carga prevista (ponto de luz, ponto para aquecedor, ponto para aparelho de ar- condicionado etc.) e o tipo de conexo previsto (ponto de tomada, ponto de ligao direta). Uma linha eltrica pode ter um ou mais pontos de utilizao. Um mesmo ponto de utilizao pode alimentar um ou mais equipamentos de utilizao. Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 29 30. Linhas eltricas ponto de tomada: ponto de utilizao em que a conexo do equipamento ou equipamentos a serem alimentados feita por tomada de corrente. Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 30 31. Linhas eltricas Um ponto de tomada pode conter uma ou mais tomadas de corrente. Um ponto de tomada pode ser classificado, entre outros critrios, de acordo com a tenso do circuito que o alimenta, o nmero de tomadas de corrente nele previsto, o tipo de equipamento a ser alimentado (quando houver algum que tenha sido especialmente previsto para utilizao do ponto) e a corrente nominal da ou das tomadas de corrente nele utilizadas. Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 31 32. Servios de segurana servios de segurana: servios essenciais em uma edificao para a segurana das pessoas; evitar danos ao ambiente ou aos bens. Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 32 33. Servios de segurana exemplos: iluminao de segurana (de emergncia), bombas de incndio, elevadores para brigada de incndio e bombeiros, sistemas de alarme, como os de incndio, fumaa, CO e intruso, sistemas de exausto de fumaa, equipamentos mdicos essenciais. Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 33 34. Servios de segurana alimentao ou fonte normal: alimentao ou fonte responsvel pelo fornecimento regular de energia eltrica. Uma determinada alimentao pode ser a normal durante certo perodo de tempo e no ser em outro. Por exemplo, em uma instalao cujo consumo de energia eltrica suprido pela rede de distribuio pblica durante certos perodos do dia, mas por gerao prpria em outros, a fonte normal pode ser a rede pblica ou a gerao local, dependendo do perodo considerado. Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 34 35. Servios de segurana alimentao ou fonte reserva: alimentao ou fonte que substitui ou complementa a fonte normal. alimentao ou fonte de segurana: alimentao ou fonte destinada a assegurar o fornecimento de energia eltrica a equipamentos essenciais para os servios de segurana. Instalaes eltricasProf. Mauro Moura Severino 35 36. Servios de segurana O conceito de fonte de segurana est associado funo (servios de segurana) desempenhada por equipamentos que a fonte alimenta, enquanto o conceito de fonte de reserva est associado ao fato de a fonte complementar a fonte normal ou suprir a sua falta. Como se trata de atributos distintos, que no so incompatveis, uma fonte pode ser, ao mesmo tempo, de segurana e de reserva, desde que rena os dois atributos. Mas uma fonte de reserva destinada a alimentar exclusivamente equipamentos outros que no os de servios de segurana no pode ser qualificada como de segura