inmetro portaria 232-2008

Download Inmetro Portaria 232-2008

Post on 18-Nov-2015

214 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

ACESSIBILIDADE EM EMBARCAÇAO JA CONSTRUIDAS

TRANSCRIPT

  • Servio Pblico Federal MINISTRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDSTRIA E COMRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO

    Portaria n. 232 , de 30 de junho de 2008.

    O PRESIDENTE DO INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO, no uso de suas atribuies, conferidas no 3 do artigo 4 da Lei n. 5.966, de 11 de dezembro de 1973, no inciso I do artigo 3 da Lei n. 9.933, de 20 de dezembro de 1999, e no inciso V do artigo 18 da Estrutura Regimental da Autarquia, aprovada pelo Decreto n. 6.275, de 28 de novembro de 2007;

    Considerando a alnea f do subitem 4.2 do Termo de Referncia do Sistema Brasileiro de Avaliao

    da Conformidade, aprovado pela Resoluo Conmetro n. 04, de 02 de dezembro de 2002, que atribui ao Inmetro a competncia para estabelecer as diretrizes e critrios para a atividade de avaliao da conformidade;

    Considerando o Decreto n. 5.296, de 02 de dezembro de 2004, que regulamenta a Lei n. 10.048, de 8 de novembro de 2000, que d prioridade de atendimento s pessoas portadoras de deficincia, aos idosos, s gestantes, s lactantes e s pessoas acompanhadas por crianas de colo, e a Lei n. 10.098 de 19 de dezembro de 2000, que estabelece normas gerais e critrios bsicos para a promoo da acessibilidade das pessoas portadoras de deficincia ou com mobilidade reduzida;

    Considerando o disposto no artigo 41 do Decreto n. 5.296, de 02 de dezembro de 2004, que

    determina o prazo de at 54 (cinqenta e quatro) meses, a contar da data de implementao do Programa de Avaliao da Conformidade, para que as empresas concessionrias e permissionrias dos servios de transporte coletivo aquavirio garantam a acessibilidade das embarcaes em circulao, inclusive de seus equipamentos;

    Considerando o disposto no pargrafo 2 do artigo 41 do Decreto n. 5.296, de 02 de dezembro de

    2004, que delega ao Inmetro a responsabilidade pelo estabelecimento do Programa de Avaliao da Conformidade para adaptao das embarcaes em operao, utilizadas nos servios de transporte coletivo de passageiros;

    Considerando a competncia dos rgos Gestores do sistema de transporte pelo gerenciamento da

    frota de embarcaes utilizadas no transporte coletivo de passageiros; Considerando o tamanho da frota de embarcaes utilizada no transporte coletivo de passageiros que

    ser adaptada; Considerando o quantitativo de Organismos de Inspeo (OI) acreditados pelo Inmetro, atuantes no

    territrio nacional, e a sua capacidade operacional para realizar inspeo da adaptao que permitir acessibilidade das pessoas com deficincia ou mobilidade reduzida nas embarcaes utilizadas no transporte coletivo de passageiros, resolve baixar as seguintes disposies:

  • Servio Pblico Federal MINISTRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDSTRIA E COMRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO

    Folha 02 da Portaria n. 232 , de 30 de junho de 2008.

    Art. 1 Aprovar o Regulamento Tcnico da Qualidade para Inspeo da Adaptao de Acessibilidade

    em Embarcaes Existentes Utilizadas no Transporte Coletivo de Passageiros, disponibilizado no sitio www.inmetro.gov.br ou no endereo abaixo:

    Instituto Nacional de Metrologia, Normalizao e Qualidade Industrial - Inmetro Diviso de Programas de Avaliao da Conformidade - Dipac Rua Santa Alexandrina 416 - 8 andar - Rio Comprido 20261-232 Rio de Janeiro - RJ Art. 2 Cientificar que a Consulta Pblica que originou o Regulamento ora aprovado foi divulgada

    pela Portaria Inmetro n. 339, de 31 de agosto de 2007. Art. 3 Instituir, no mbito do Sistema Brasileiro de Avaliao da Conformidade - SBAC, a inspeo

    da adaptao de acessibilidade em embarcaes utilizadas no transporte coletivo de passageiros, a qual dever ser realizada por Organismo de Inspeo (OI) acreditado pelo Inmetro, consoante o estabelecido no Regulamento ora aprovado.

    Art. 4 Determinar que, para as adaptaes que iro conferir acessibilidade s embarcaes utilizadas

    no transporte coletivo de passageiros devero ser observados os requisitos estabelecidos no Regulamento ora aprovado.

    Art. 5 Determinar que as adaptaes de acessibilidade nas embarcaes utilizadas no transporte

    coletivo de passageiros devero ser realizadas no prazo mximo de 54 (cinqenta e quatro) meses, contados a partir da data de publicao desta Portaria.

    Pargrafo nico. Os proprietrios das embarcaes acima descritas sero responsveis pela

    realizao das adaptaes e inspees necessrias dentro do prazo determinado no caput, devendo para tanto estabelecer um planejamento que considere a quantidade de Organismos de Inspeo (OI) acreditados pelo Inmetro, as suas localizaes, e o tamanho da frota que ser adaptada.

    Art. 6 Determinar que as inspees das adaptaes de acessibilidade, das embarcaes utilizadas no

    transporte coletivo de passageiros, devero ser realizadas por Organismo de Inspeo (OI) acreditado pelo Inmetro, quando sero observados os requisitos estabelecidos no Regulamento ora aprovado.

    Pargrafo nico. A partir da aprovao das inspees, dever ser emitido um Certificado de

    Acessibilidade de Embarcao - CAE. Art. 7 Esta Portaria entrar em vigor na data de sua publicao no Dirio Oficial da Unio.

    JOO ALZIRO HERZ DA JORNADA

  • ANEXO DA PORTARIA INMETRO N. 232 / 2008

    REGULAMENTO TCNICO DA QUALIDADE PARA INSPEO DA ADAPTAO

    DE ACESSIBILIDADE EM EMBARCAES EXISTENTES UTILIZADAS NO TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS.

    1. OBJETIVO Estabelecer os critrios para o programa de avaliao da conformidade para a adaptao de acessibilidade em embarcaes existentes utilizadas no transporte coletivo de passageiros, com foco na segurana, atravs do mecanismo de inspeo, atendendo ao Decreto n. 5.296/04, visando propiciar, com segurana e auto-nomia, o transporte de pessoas com deficincia ou mobilidade reduzida. 2. DOCUMENTOS COMPLEMENTARES Lei n. 9.537/97 - Dispe sobre a segurana do trfego aquavirio em guas sob jurisdio nacional

    e d outras providncias (LESTA). Lei n. 9.933/99 - Dispe sobre as competncias do Conselho Nacional de Metrologia, Normaliza-

    o e Qualidade Industrial e do Instituto Nacional de Metrologia, Normalizao e Qualidade Industrial.

    Decreto n. 5.296/04 - Regulamenta as Leis n. 10.048, de 08 de novembro de 2000, e n. 10.098, de 19 de dezembro de 2000, e d outras providncias.

    NBR 9050/04 - Acessibilidade a edificaes, mobilirio, espaos e equipamentos urbanos. NBR 15450/06 - Transporte - Acessibilidade de passageiros no sistema de transporte aquavirio. NORMAM 01 - Normas da Autoridade Martima para embarcaes utilizadas na navegao de

    mar aberto. NORMAM 02 - Normas da Autoridade Martima para embarcaes utilizadas na navegao inte-

    rior. NORMAM 04 - Normas da Autoridade Martima para operao de utilizadas estrangeiras em -

    guas jurisdicionais brasileiras. Nota: Na aplicao deste Regulamento Tcnico da Qualidade deve ser considerada sempre a ltima reviso ou alterao dos documentos acima citados. 3. DEFINIES Para os efeitos deste Regulamento Tcnico da Qualidade, aplicam-se as seguintes definies: 3.1 Acessibilidade Condio para utilizao, com segurana e autonomia, total ou assistida, dos servios de transporte coletivo de passageiros, por pessoa com deficincia ou mobilidade reduzida. 3.2 Acessibilidade no Sistema de Transporte Aquavirio Possibilidade e condio de alcance para a utilizao, com segurana e autonomia, dos espaos, mobili-rios, equipamentos, edificaes, comunicao e informao no sistema de transporte aquavirio. 3.3 Adaptao de Acessibilidade Modificao realizada na embarcao existente empregada no transporte coletivo de passageiros para tor-n-la acessvel pessoa com deficincia ou mobilidade reduzida. 3.3.1 Adaptao de Acessibilidade Tipo 1 (Embarcaes com AB > 500) Conjunto de modificaes que deve ser implementado em embarcao existente empregada no transporte

  • ANEXO DA PORTARIA INMETRO N 232 / 2008

    2

    coletivo de passageiros com AB > 500 para torn-la uma embarcao acessvel. 3.3.2 Adaptao de Acessibilidade Tipo 2 (Embarcaes com 300 < AB 500) Conjunto de modificaes que deve ser implementado em embarcao existente empregada no transporte coletivo de passageiros com 300 < AB 500 para torn-la uma embarcao acessvel. 3.3.3 Adaptao de Acessibilidade Tipo 3 (Embarcaes com 50 < AB 300) Conjunto de modificaes que deve ser implementado em embarcao existente empregada no transporte coletivo de passageiros com 50 < AB 300 para torn-la uma embarcao acessvel. 3.4 Arqueao Bruta a expresso do tamanho total de uma embarcao (volume), determinada de acordo com regras especfi-cas estabelecidas pela Autoridade Martima. A arqueao bruta um parmetro adimensional. 3.5 Assento Preferencial Assento localizado na embarcao, destinado a utilizao preferencial por idosos, gestantes, lactantes, pes-soas com deficincia ou com mobilidade reduzida e pessoas com crianas de colo. 3.6 Autonomia Faculdade de deslocamento e utilizao de equipamentos de forma independente. 3.7 Agentes da Autoridade Martima Brasileira Compreende os rgos da Marinha do Brasil responsveis pela regulamentao, fiscalizao e controle das embarcaes mercantes. 3.8 Camarote acessvel Camarote que atenda aos parmetros de circulao, transferncia, aproximao, alcance e sinalizao, con-tidos na NBR 9050, 3.9 Certificado de Acessibilidade de Embarcao Documento preenchido e emitido por Organismo de Inspeo, aps aprovao tcnica das inspees de acessibilidade em embarcao. 3.10 Cromodiferenciada Superfcie caracterizada pela diferenciao de cor em relao a adjacente, destinada a constituir alerta ou linha-guia, para uso por pessoas com deficincia visual. 3.11 Deficincia Perda ou anomalia de uma estrutura ou funo psicolgica, fisiolgica ou anatmica que gere limitao ou incapacidade para o desempenho da atividade. As defic